Você está na página 1de 7

Tratados:

Acordo constitutivo da OMC

Entendimento sobre solucoes de controversias na OMC

Livro:

Portela

Marcelos Dias Varella, "Efetividade do orgao de solucao de controversias da Organizacao Mundial do Comercio"

Direito do Comércio Internacional

Objetivo das regras do comercio nao é acabar com a tarifas alfandegarias, o maior objetivo é acabar com as barreiras que impedem a liberalizacao do comércio. Em outras palavras, o direito do comércio internacional objetiva acabar com as barreiras protecionistas que impedem a livre circulacao de bens e de servicos entre os Estados.

GATT

Em 1947 a celebração desse acordo geral sobre tarifas e comércio, com 23 signatarios, é considerada o marco inicial do direito do comércio internacional.

O GATT enfatizava apenas o comercio de bens.

Caracteristicas do GATT:

Brasil internalizou-o em 1948. (Presidente Dutra – Alinhamento sem recompensas)

GATT nunca teve personalidade jurídica própria, nao era considerada uma Organização internacional. Sempre teve a natureza de um tratado.

Rodadas do GATT:

Rodada Uruguai terminou em 94 e criou a OMC

Sistema de Solução de controvérsias do GATT:

Os litigios relacionados ao comércio internacional eram discutidos por grupos ad-hoc de

especialistas para cada caso. Nao é arbitragem, pois é um micro-sistema com regra propria. Este grupo apresentava uma proposta de solução ao caso. A proposta só era tomada como obrigatoria se todos os países vinculantes concordassem

com a solucao. Consenso positivo, inclusive do país condenado. Na prática isso era impossível. Esse foi um dos maiores problemas do GATT.

O GATT foi aperfeiçoado ao longo de várias rodadas sobre o comércio internacional, até a criacao, em 1994, da OMC, por meio do acordo de Marraqueche

Em 94, a OMC incorporou quase todas as regras do GATT, o que evidencia um fenômeno jurídico de sucessao normativa entre os dois.

Pegadinha → Não há uma sucessao de OIGs, pois o GATT nunca foi uma considerada uma organização.

Principais normas do GATT aplicáveis na OMC

Objetivos da OMC: “permitir um comercio internacional livre de barreiras e tratamentos discriminatorios, impedindo que haja um desequilibrio de condicoes para comerciar entre paises”

* A OMC tem Personalidade Juridica, apesar de ser parte da ONU

  • A] A principal âncora do sistema de liberalização do comércio internacional é a chamada “Cláusula

da Nação mais favorecida”. Por meio dessa cláusula tem-se que se um Estado adotar medidas

sobre o comércio internacional que favoreçam um outro Estado específico automaticamente esse favorecimento se extende aos demais Estados.

Exceções (Art. 20 do GATT):

Clausula de Habilitação ou Clausula de acesso: É aplicada em proveito dos países em

desenvolvimento, os quais podem receber benefícios sem ter que extender esses benefícios aos demais estados. Cláusula regional: Admite-se que blocos economicos regionais instituam regras próprias

para favorecer o comércio entre os Estados-partes, as quais nao se extenderão aos Estados não-partes. Renúncia: Os Estados nao beneficiados podem sempre abrir mao do direito de evocar a clausula de nacao mais favorecida

  • B] Princípio da Não-discriminação: “Qualquer vantagem, favor, imunidade ou privilegio concedido

a um determinado produto de origem de um país, sera imediatamente estendido a produto similar

originario dos demais paises.

  • C] Principio do tratamento nacional: “Ficam proibidas medidas que confiram tratamento

diferenciado entre os produtos nacionais e estrangeiros”.

  • D] Principio da transparencia ou da publicidade: Acoes dos Estados e da OMC em regulamentacao

comercial devem ser publicadas.

  • E] In dubio mitius (Na duvida menos). Interpretacao dos tratados comerciais devem ser literais e

restritivas, sempre buscando o menor onus possivel para as partes.

  • F] Single undertaking: Nao é possivel aderir apenas parte de tratados

Objetivos da OMC: “permitir um comercio internacional livre de barreiras e tratamentos discriminatorios, impedindo que haja

CUIDADO → Medidas protecionistas tributarias e nao-tributarias aceitas excepcionalmente pelo GATT:

Em que pese a proibicao geral de medidas protecionistas no comercio internacional, o Art. 20 do GATT admite restricoes excepcionais ao fluxo de comércio entre os Estados com justificativa de proteger os seguintes valores:

Saúde pública. Se houver indicios concretos de produtos contaminados, as barreiras sao

justificaveis Preservacao dos recursos naturais esgotaveis. Cotas na exportacao.

Preservacao de tesouros nacionais de valores artisticos, culturais, historicos, paleontologos. (China poderia proibir venda de “terras raras” para producao de Uranio?

Consultar o Art.20 para outros exemplos. A maior parte das controversias atuais da OMC sao fundamentadas no Art.20 do GATT! LER e DECORAR!

Admissao a OMC:

Paises com plena autonomia nas suas relacoes comerciais

Aprovado por dois tercos dos membros da OMC

Nao precisa ser membro da ONU

Campo de acao → Bens (produtos agrícolas), Servicos, Investimentos, Propriedade Intelectual, Compras governamentais.

Sistema de Solu ção de controvérsias da OMC

EM 94, a maior parte das regras do GATT foram aproveitadas. O sistema de solucao de controversias foi uma excecao, pois a OMC criou um sistema próprio. Com o objetivo de superar o problema do consenso positivo exigido para as solucoes do GATT.

Alem dos Estados, a OMC tem a UE como parte. Paises da UE nao podem ir a OMC para resolver litigios, devem resolve-los internamente. A UE só vai a OMC para discutir temas com outros países.

A doutrina aponta uma caracteristica marcante do sistema de solucao de controversias → Trata-se de um sistema predominantemente jurisdicional de duplo grau (possui elementos políticos de composicao, porem a aplicacao de normas juridicas sobressai)

Principais caracteristicas:

Abrangencia → O SSC é competente para julgar violacoes de todos os tratados celebrados

dentro da organizacao e nao ha nenhum outro instrumento valido de SC Automaticidade → O mecanismo opera segundo etapas , desenvolvidas em prazos

estabelecidos, sem possibilidades de retardamento. Exigibilidade → OMC tem capacidade de obrigar os Estados a cumprir suas decisoes

Orgaos Integrantes do SSC-OMC.

  • 1. Orgao de solucao de controversia (OSC)

Funcao especializada do Conselho Geral da OMC, que é composto por representantes de todos os membros da OMC. O CGO é “transformado” em orgao de solucao.

  • 2. Painel ou Grupo Especial

É um orgao temporario formado por especialistas indicados pelo OSC para entender e emitir um parecer sobre a controversia

3.

Orgao permanente de apelação (OPA)

Este órgão é composto por 7 juizes indicados, não eleitos, pelo OSC para desempenhar mandatos de 04 anos, admitidos uma única renovacao por igual período. O OPA debe limitar-se as questoes de Direito tratadas nas etapas anteriores

Etapas do SSC-OMC

Uma vez provocado, a resposta ao sistema é obrigatoria. Nao se exige reconhecimento recíproco da competencia.

  • 1. Etapa

Exige-se consultas entre os litigantes por um minimo de 60 dias. Metade dos contenciosos termina nesta etapa, pois se chega a acordos entre as partes, sabendo que muitas vezes os custos do processo, politicos e economicos, podem ser mais altos que os beneficios.

  • 2. Etapa

Se as consultas nao forem suficientes, o OSC irá criar um painel ou grupo especial. O Presidente da OSC indicará 3 especialistas para estudar a controversia, dentre uma lista aprovada pelos membros, que expedirá um relatório conclusivo sobre a controversia em até 6 meses.

O Brasil é um dos paises com mais especialistas participantes dos paineis

  • 3. Etapa

O relatório é submetido à apreciacao do OSC. Este somente poderá afastar a obrigatoriedade desse relatório se houver consenso negativo, inclusive o Estado vitorioso. Essa etapa é política, nao aplica direito.

Até hoje todos os relatorios foram aprovados

  • 4. Etapa

Os Estados litigantes podem apresentar apelação, apenas sobre matéria jurídica, ao Órgão de apelação. 3 juizes vao analizar o caso. O OPA tem entre 60 e 90 dias para emitir sentenca. Este fundamenta suas decisoes em tratados da OMC e, de forma subsidiaria, fontes juridicas fora desse subsistema juridico.

  • 5. Etapa

A sentença ou relatório do Órgao de apelação sera submetida, de igual maneira, ao OSC poderá rejeitá-lo apenas mediante consenso negativo

..

O OSC

Pegadinha → duplo grau de jurisdição, do Painel e do Órgao de apelação

Pegadinha2 → Em qualquer etapa admite-se Amicus Curiae, terceiros que prestarao informações técnicas.

Implementação das decisões do SSC-OMC

A OMC preve regras para a execucao de suas decisoes, em materia de controversia.

1.

Etapa

O Estado condenado deve cessar o ilícito e, se for necessário, implementar medidas compensatorias em prol do Estado vencedor

2.

Etapa

O Estado vencedor pode, diante da inercia do Estado condenado, requerer autorizacao do OSC para iniciar retaliações. A retaliacao pode ser cruzada, em outro setor.

3.

Etapa

Qualquer discussao sobre as medidas compensatorias e sobre as retaliacoes (se foram eficazes ou excessivas) nao serao analizadas pelo OSC. Dever-se-á instaurar uma arbitragem para tanto.

Conclusao: O processo total desde as consultas até a implementacao, e possiveis sancoes, dura no máximo 4 anos. O que é um periodo curto de tempo para conflitos internacionais

Questoes

1 E

2E

3C

4E

5E

6C

7E

8E

9E

10C

11D

 

Rodrigo Varella

Efetividade do Órgão de Solução de Controvérsias da Organização Mundial do Comércio: uma análise sobre os seus doze primeiros anos de existência e das propostas para seu aperfeiçoamento

1.

Introducao

OSC tem se revelado efetivo para lidar com problemas comerciais globais e aportar maior seguranca juridica nas relacoes multilaterais. Devido aos prazos curtos e ao seu cumprimento. O sistema inovou, conseguiu legitimidade na SI e possibilitou maior participacao de Estados, inclusive PeDs.

A OMC foi uma sucessao normativa do GATT, porem inovou em seu SSC. Entre 95 e 2009 foram

378 contenciosos, um dos foros internacionais mais ativos, formando uma importante jurisprudencia, que atualmente contribue para limitacoes de politicas publicas comerciais em todo o mundo e evita conflitos entre os Estados.

O sistema se mostra eficaz, pq a maioria de suas decisoes foram implementadas espontaneamente, com poucos casos de retaliacao comercial, inclusive das grandes potencias. Criticas, no entanto, se dao pela combinacao de solucao diplomatica e juridica, pois o adensamento da juridicidade estaria prejudicando a expansao do comercio multilateral (cujas negociacoes sao mais diplomaticas que juridicas)

2.

A legitimidade do sistema e seus beneficios

 

Beneficios:

 

Fortalecimento

de

um

sistema

juridico

comercial

menos

influenciado

pelas

grandes

potencias Busca pela conformidade entre partes , mais do que indenizacoes

 

Resolve amigavelmente, evitando tensoes e guerras

É rapido

Cria precedentes jurisprudenciais

Preenche lacunas de interpretacao e resolve ambiguidades nos tratados

Ameniza assimetria entre Estados

Promove cumprimento das regras

Contribui para que os governos vencam pressoes internas

Legitimidade:

Relatorios da OSC sempre aprovados

e na grande maioria dos casos, se adequaram)

Analise juridica densa, uniforme e imparcial. (EUA e UE sao os que mais sofreram derrotas,

Alto indice de efetividade (83%). De 350 casos apenas 18 chegam a retaliacoes

 

Politicas publicas internas se adaptam a tratados e a jurisprudencia da OSC

Maior Participacao de PeD. Antes abandonados no GATT, hoje representam um terco dos litigios. No entanto, apenas 8 PeD demandaram nos ultimos anos, numero relativamente baixo. Brasil é um dos mais demandantes, com 31 processos iniciados até 2008.

3.

A originalidade da lógica juridica da inducao de conformidade do Orgao de Solucao de Controversias

A declaracao de violacao, indifere quanto a legislacao interna, ainda que seja norma constitucional previa. A OSC declara a responsabilidade internacional e forca o país a cumprir, sob pena de receber sancoes.

Quebra a logica juridica classica de soberania do Estado, pois na OMC caso um Estado decida ignorar sentenca e abandonar o sistema, sofrera retaliacoes economicas. As retaliacoes pressionaram o setor interno prejudicado a que o governo aceite a sentenca, ignorando assim o sistema juridico nacional. Na pratica , até mesmo para os gigantes comerciais , abandonar a OMC resultaria em maiores prejuizos do que ganhos.

Ex: No caso entre Brasil e EUA por algodao, o Brasil sabia que retaliar no setor de algodao seria irrelevante para que os EUA diminuissem seus subsidios. Decidiu retaliar na Propriedade

Intelectual, tema sensivel aos EUA que nao prejudicaria os consumidores brasileiros.

  • 4. Propostas de Reformas ao Sistema

Sancoes coletivas, para que Estados fracos possam causar danos ao Estado violador Concentracao das sancoes em beneficios as empresas afetadas. Mudar a logica estatocentrica para que focar nas empresas que sofram os efeitos das medidas impostas Multas pecuniarias. Juridicamente seria dificil criar mecanismos de pago a OIGs, e politicamente tiraria a vantagem de colocar setores internos contra o governo violador, pois a multa seria paga com orcamento geral Efeito direto das decisoes da OMC no direito nacional. Seria impraticavel para paises monistas aonde o direito internacional nao tem hierarquia superior ao direito interno, e os tratados devam ser internalizados pelo legislativo. Criacao de procedimento simplificado para casos menores. Seria util para paises em desenvolvimento, sem capacidade de custear um processo atual. Seria util somado as sancoes coletivas publicidade das audiencias, atualmente as audiencias sao confidenciais.

Maior estabilidade dos membros do painel. No entanto, apesar da rotatividade de arbitros,

as decisoes vem respeitando interpretacoes anteriores

  • 5. Consideracoes finais

O Direito do Comercio contribui para uma nova dimensao do DIP: Novas metodologias, normas

mais cogentes e nova logica de SC.

Um mecanismo agil, efetivo e que tem aportado seguranca

juridica ao ramo. Esta experiencia pode servir de inspiracao para outros ramos do DIP.

Ainda sim, um dos maiores desafios da OMC é diminuir a assimetria, ainda existente, entre os países. Isto so acontecer quando as grandes potencias aceitarem sacrificar seu poder de acao em nome de uma maior seguranca juridica internacional