Você está na página 1de 12

IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

1ª EDIÇÃO NOVEMBRO/2009

OPINIÃO

ENGLISH

COMENIUS

CECÍLIA
MEIRELES

MAFRA

TEXTOS
VÁRIOS

CIÊNCIA

POESIA

LIVROS
É muito curiosa a história da palavra “escola”.
Chegou à língua portuguesa , vinda do latim schola, mas tem origem grega (skholê).
Este vocábulo, que, em grego, significava inicialmente “repouso”, “descanso”,”lazer”, “tempo livre”, passou a ter
também o sentido de “estudo”,ocupação permitida àqueles que tinham a possibilidade de usufruir do lazer, que
estavam livres do trabalho servil e podiam exercer uma profissão liberal.
A ideia de “estudo”, contida no vocábulo, facilmente adquiriu um novo matiz semântico: “local de estudo”, “escola”.
Em latim, a palavra “schola” conservou do grego, fundamentalmente, dois significados: “lazer/ócio dedicado ao
estudo” e “escola” (lugar de estudo), sendo nesta última acepção que transitou para o idioma português.
Na nossa língua, o vocábulo pode, ainda, significar não só “doutrina”( escola de Platão , escola de Freud, escola
de Marx), mas também “conjunto dos seguidores de um mestre, uma doutrina, um movimento, nos domínios da
arte, da ciência, da literatura, da filosofia…” (escola realista, escola flamenga, escola de Rafael).
Merece referência a expressão “fazer escola”, com o significado de “fazer discípulos, seguidores”, bem como “ter
a escola toda”, “ ter uma grande escola”, expressões em que a palavra encerra um significado pejorativo
(“experiência”, “expediente”,”manha”).
António Vilhena

UM ESPAÇO ABER TO A A LUNOS, PROFESSORES E TODA A COMUNIDADE ESC OLAR

jornalsemnome@gmail.com
EDITORIAL

Editorial
Jornalistas
Ana Marafuga ,
Ana Sofia Vilares ,
Ana Zhou,
António Moura,
António Vilhena,
Ariana Meia-Via,
Associação de Pais e Encarregados de Educação,
Bárbara de Melo,
Beatriz Soromenho ,
Beatriz Vieira,
Bernardo Mota,
Bernardo Neves ,
Carolina Alves,
Cátia Mendes ,
Celeste Calado,
Cristina Dias ,
Daniela Lopes ,
Diana Santos ,
Fábio Machuqueiro,
Francisco Neves,
Guilherme Afonso,
Inês Fernandes
É com grande satisfação que distribuímos a primeira edição do Inês Reis ,
Jornalsemnome, o novo projecto da nossa Escola. Joana Antoninho ,
Pretendemos facilitar a comunicação no seio da comunidade Joana Faria,
Joana Ferreira,
escolar, dando voz a todos os intervenientes.
Joana Semedo
Pretendemos tornar públicos trabalhos escritos dos nossos Joana Simões,
alunos, motivando-os ao mesmo tempo para a melhoria do seu João Mesquita Dinis
desempenho e desenvolvendo o espírito crítico através da João Safara,
observação e da reflexão sobre a realidade que os cerca. Mariana Belo,
Pretendemos, também, tornar públicos alguns excelentes Maria Nazaré Oliveira,
trabalhos no domínio da imagem, produzidos quer por Maria Inês Casaca,
professores do grupo de Educação Visual, quer por alunos Renata Catambas,
integrados nesta área ou para ela vocacionados . Pedro Duarte,
Pedro Martins,
Enfim, pretendemos tornar público todo um trabalho já existente
Programa Comenius,
e consolidado, mas que permanece na penumbra, correndo-se Rita Faria Martins,
o risco de o mesmo não desempenhar o seu papel: o potenciar Sara Raquel Castro,
de mil ideias cuja concretização merece realce. Tiago Pereira,
Desde já apelamos a todos os elementos da comunidade Turma de Jornalismo.
educativa, no sentido de intervirem activamente neste nosso
projecto. Fotografia
Alexandra Cabral, António Vilhena, Lourdes Sendas
Bernardo Neves,
Equipa responsável Grupo de Educação Visual
Joana Semedo,
Alexandra Cabral
Lourdes Sendas
António Vilhena
Lourdes Sendas Imagem
Coordenação: Beatriz Silva
Clube do Ambiente
Alexandra Cabral
Mariana Rodrigues

O exercício da aprendizagem é tão importante quanto o


exercício da educação, pois ambos se completam e
interajudam na perseguição à experiência total do mundo,
por se sentir que este é (ainda?) infinito. Foi o
reconhecimento desta ligação que permitiu uma zona
pedagógica partilhada por mim e alguns dos professores
com quem cruzei caminho durante o período de 4 anos que
No passado dia 30 de passei no Liceu. Esta partilha fundou parte da minha
Outubro, sexta-feira, houve perseverança, dado o diálogo que se estimulou entre todos.
uma exposição de trabalhos A compreensão da existência de "saberes", em vez de "um
feitos por alunos sobre o só saber" e de múltiplos níveis, não comparáveis, de
Halloween, organizada pela professora Ana Cristina conhecimento, ajudou neste diálogo.
Silva . Será fundamental, no futuro, reconhecermo-nos mais nos
Bárbara de Melo outros: como professores e, simultaneamente, como alunos.
Renata Catambas, ex-aluna

2
OPINIÃO
Do discurso que Barack Obama fez verdadeiros problemas que Obama fala, quando expõe
aos alunos americanos, podemos no discurso uma dimensão patriótica já conhecida ,
retirar alguns exemplos que aproveitando também para injectar um nacionalismo
poderiam servir para ser usados, ou inflamado aos alunos norte-americanos, falando sobre a
pelo menos copiados, por outros dimensão da educação na economia, o poderio militar e
gov ernantes dos países até a saúde ou a cultura.
desenvolvidos. Dá também os exemplos de vida de alguns alunos, e até
Em primeiro lugar, avulta a mesmo o seu e o da sua mulher, a primeira-dama,
importância, reconhecida por Barack Obama, aos alunos Michelle Obama, passando a mensagem de que o
de hoje, que serão os cidadãos do futuro, e a trabalho e o esforço são premiados.
preocupação em falar a todas as faixas etárias e Noutros países, onde os braços-de-ferro são constantes,
camadas escolares, que serão o futuro eleitorado e o assim como o descrédito e o desrespeito pela função do
futuro da nação mais poderosa do mundo. Serão eles a professor, e onde se discute a isenção de alguns
tomar as decisões, e, com toda a certeza, um destes colégios privados, e ainda em certos países onde se
alunos será Presidente dos EUA. nota a falta de condições, dever-se-ia olhar mais para
Nestes actos, consegue-se perceber quão humilde é a estes exemplos, para restaurar o encanto de uma das
origem de Obama, e quanto isso é importante para mais antigas funções da História da Humanidade: a
perceber os problemas das pessoas reais, e não das 100 educação e o ensino.
ou 200 que detêm a riqueza nos E.U.A. É sobre os António Moura

Em resposta ao desafio proposto, aqui vai a nossa Podemos já ser “bons” pais ou tentarmos vir a ser
reflexão, tanto quanto possível, colectiva, sobre o “melhores”, mas nem só do nosso esforço depende o
Manifesto do Presidente dos E.U.A. sucesso dos nossos filhos. É preciso que eles queiram,
O discurso do Presidente é dirigido na 1ª pessoa aos que tenham objectivos, que sejam mais determinados.
alunos no início do ano escolar, mas deixa recados a As metas a atingir podem ser simples , mas
todos os intervenientes no processo educativo, gradualmente tornar-se-ão mais ambiciosas, pois “(...)
implicando todos no sucesso da educação. não vão forçosamente alcançar os objectivos à primeira.
O papel dos pais é por diversas vezes referido: “(...) (...)”
manterem no bom caminho, de se assegurarem de que A nós cabe-nos a tarefa de incentivarmos e apoiarmos a
vocês fazem os trabalhos de casa e não passam o dia à realização desses objectivos para que passem a ser
frente da TV ou da Xbox.(...)” e não esquece as conquistas.Pegando nas palavras do Presidente Obama,
situações dos menos favorecidos: “(...)os problemas da porque não desafiar os alunos a realizar um trabalho, por
vossa família – não são desculpa para não fazerem os um lado, descrevendo as suas expectativas futuras, e,
vossos trabalhos nem para se portarem mal. Não são por outro, estabelecendo, para este ano lectivo de
desculpa para responderem mal aos vossos professores, 2009/2010, os objectivos que se propõem alcançar?
para faltarem às aulas ou para desistirem de estudar
(...)” ,responsabilizando cada um pelo futuro que Associação de Pais e Encarregados de Educação
pretende para si. Outubro de 2009

A minha visão do Mundo

Em meu entender, o mundo em que vivemos parece estar muito desconcertado, nada funcionando bem.
Por um lado, ouvem-se diariamente notícias preocupantes e até chocantes; por outro, assistimos a desigualdades e injustiças
que provam o caos da sociedade moderna.
Todos os dias nos entram em casa, através da televisão, rádio ou Internet notícias dando conta de um mundo de pernas para
o ar. Vamos especificar: não se pode dizer que o mundo anda de cabeça para baixo, sem explicar em que aspectos. Também
não posso apontar todas as razões, mas poderia falar do desemprego, das diferentes oportunidades que uns têm e outros não.
Milhares de empresas estão a fechar. Os empregos são criados num número muito baixo. Como não querem que me preocupe?
Estou num curso profissional, com a intenção de o utilizar. Mas será que, no final dos três anos, a minha certificação não será
mais um papel burocrático para entregar quando procurar emprego? Outros exemplos existem: as guerras absurdas pelo poder,
pela imposição de um sistema político ou religioso, os conflitos, os atentados, os acidentes por negligência, a falta de segurança.
Basta recordar o Iraque e todas as vítimas do conflito. Para falar em assaltos, são quase o dia a dia, na nossa cidade e noutras.
Quem não se lembra do assalto à joalharia de Setúbal? O proprietário morreu, o assaltante está detido, e li no “Setubalense” que
se pede a pena máxima. Muito bem, senhores Juízes, tenham a máxima pena do delinquente, porque, depois de uns anos, sai
por bom comportamento enquanto a família da vítima continua a vestir de negro.
Quanto aos atentados, basta falar do 11 de Setembro, que, em 2001, horrorizou o mundo. Já passaram oito anos, mas no mês
passado familiares, amigos e pessoas que acompanharam o acontecimento pela TV relembraram os seus entes perdidos e não
esquecerão nunca o sucedido.
E também podemos referir os acidentes por negligência, que não são notícia rara. Ainda hoje se especula sobre o rapto da
pequena Madelaine McCain.
Muito se fala de homicídios.. Relatos que demonstram a essência do ódio e da violência, a desvalorização da vida humana.
Obviamente, se falamos de um mundo desconcertante, o caso que mais me choca e arrepia é o de Joseph Fritzl, que
encarcerou a própria filha, violando-a e engravidando-a sete vezes. Vai contra a espécie humana .
O mundo é um lugar cada vez mais difícil, inseguro e intolerante para muitas pessoas que enfrentam as mais variadas situações
de desigualdade, de desespero, de perigos vários…
Pergunto-me se vale a pena viver num mundo tão feio. Vale, porque há aspectos belos e valiosos.
Fábio Machuqueiro

3
ENGLISH
education to be "someone" in the future.
Obama didn‟t have an easy life. He had to work hard to
go to college and follow his dreams.
So he knows what we have to do to be what we want: "I
have failed over and over and over again in my life. And
that is why I succeeded!"
With Obama‟s speech I see that life is not easy for
everyone. I am aware that we have to study to do well in
school and in the future, to be the best.
Joana Faria
I really liked Obama‟s speech. He tells us things that we
already know, but he says it in a way that motivates
students and leaves us thinking about it. Obama reminds
us some things that we tend to forget or that we have
never reflected on. For example, he reminds us that we
are in school, and should be good students to have a
better life in the future, to do something for a better world,
The students of classes 11ºD, 11ºF, 9º F and 9ºG were to learn something for us and not only to please our
asked to read Mr Obama‟s Back to School Speech. After parents. He also says that we need to work hard to be
reading and debating the main ideas, they were asked to successful and should never give up on our goals.
write about it.. Here‟s what a few of them wrote. In short, Obama tells that we write our own destiny, and
with his speech he gives us motivation for that.
I read the speech by Mr.Obama and I really liked it. I think that Obama really knows how to transmit
As a student I felt really comfortable with the things he information, he does good speeches! He knows how to
said because he knew exactly what topics he should talk persuade people.
about and he did it with all his heart. Mariana Belo
The words he dropped were a motivation to all of us, I find Mr. Obama‟s speech very powerful yet quite
and when he shared his own life experience he showed theatrical. No doubt that it is well organized and very well
us that life is not easy, and you only get what you want built.
if you work hard. As far as I am concerned, it was a very intelligent move
I think that we should follow his advice and work as hard to speak about his childhood because it turned the
as we can at school to get our “goals” like he said. I also speech much more personal and that catches the public.
think that we should thank our parents for giving us the It was also a nice idea to present some examples of
opportunity to be someone. Respect is also very students, who, although somehow limited by diseases,
important and we have to show it to all our teachers. manage to work hard and be good students.
These were my conclusions of the speech, which I liked From my point of view, Mr. Obama succeeds; it is a
very much. speech that definitely passes the idea. I didn‟t find it
Beatriz Vieira boring to read at all. Yet, at the very American style it
In my opinion, Obama‟s Speech is very interesting seems so programmed, it seems like he is acting in spite
because school is very important for my life. In school I of being concerned about what he is saying. Maybe that
am preparing my future, my professional future. is the best way to transmit his message; one thing is for
Sometimes it is difficult to study because it is boring but I sure, it works.
should study more and more to have good marks and a João Mesquita Dinis
good future. Obama is a very good speaker and this speech
Sometimes families are poor and can‟t give us the demonstrates it very well.
support we need to go to school and study. But the fact In my opinion, this speech is very important and
that families don‟t have a job or not enough money is not interesting to students, to teachers and to parents.
an excuse for not trying to follow our dreams and our From my point of view, this speech demonstrates how
expectations. We have to try and if we do we „ll have a much school is important to the future of the students and
lot of chances to follow our dreams. it reminds us that superstars worked very hard too and
Sara Raquel Castro didn‟t become successful with a miracle.
I think Obama‟s speech is very good for students to Obama reminds parents how important it is to put
realize that they need to study to help themselves and children in school and that there is some support to help
their country. parents.
He talks about his life experience when he was young Finally, he reminds the teachers that their job is to help
and he had to wake up at 4:30 to have lessons with his children to do good work.
mother and that is an encouragement to the students, Pedro Martins
because they‟re not the only ones who struggle to have In general, Obama‟s speech is about the importance of a
a great future. Their President also had to work hard to good education and our responsibilities at school.
get where he is now. In my opinion, everyone has the right to have a good
Obama explains that the ones who failed and tried education and attend a good school. Unfortunately, our
harder again are those who succeeded. reality isn‟t that fair… Many young children have to work
Joana Ferreira to help their parents. Others live in unsafe
From my point of view, with this speech, Obama wants neighbourhoods or have serious problems with their
to tell us that we have to work hard and we need a good family. Those children have difficult lives.

4
ENGLISH/ PROGRAMA COMENIUS

However, Obama motivates teens not because Obama focuses on the clear way.
to give up on school, even if they important things and he has a good In his speech, Obama highlights his
have personal problems. These way to speak with people. life experience: he didn‟t have
problems should make them work In my opinion, the most important enough money to go to school, so his
harder, focus on school, but as the ideas are about education, students' mother gave him lessons at 4.30 am,
president says „…put in the hard work expectations and most importantly - but he didn‟t give up and carried on
it takes to succeed.‟ responsibility. studying and today he is the
Talking about the lucky ones that Obama said that we have the president of the United States. He
have the chance of a good education responsibility of our education and I tells all students to keep on studying,
and a lot of good job opportunities in agree. We have to be responsible for because all of them have an
the future, well, they only need to our future. And if we want to individual responsibility, the
make good use of that privilege by succeed in life we have to work hard responsibility to discover what they
being responsible, showing up on and do a lot of important things like are good at, and they might not know
classes, paying attention to doing the homework, payingit until they do school work.
teachers, doing their homework and attention in class and much more... Another important idea of the speech
studying. It‟s quite simple but He also said "You can't let your is that to have a good job, a good
requires work. failures define you". He's right! We career students need to work and
I agree with Obama in some can't stop trying and if we fail in train and learn for it, they need a
aspects: parents should be worried something or do something wrong, it good education. And it isn‟t just
about their children‟s education and doesn't mean that we are losers. It important for their own life, it‟s very
giving up on school isn‟t just giving means that we need to work more important for their own country,
up on us but on our country too. and more, like he said. The most because the students are their
I‟m glad that there are people like important people have failed too, but country‟s future.
Obama, who are preoccupied with they didn't stop trying and today theyBarack Obama also tells students not
the students and the world‟s future, are successful people. to give up, to keep trying and work
so they try to make teaching Like Obama always say - "Yes, we harder and harder so that they can
methods better. can!" enjoy their opportunities and write
“No one‟s written your destiny for Guilherme Afonso their destiny, their future.
you. (...) you write your own destiny. Obama‟s speech is a very long, but a And I agree with every single word of
You make your own future.” very good one. the USA president.
Ariana Meia-Via He talks to students about how Maria Inês Casaca
I think it is a very good speech important school is in a simple and

lectivos 2009/2010 e 2010/2011, nos seguintes


projectos: «Saving the European environment», com
estabelecimentos de ensino da Alemanha, Espanha,
Finlândia, Grécia, República Checa e Suécia (projecto
No quadro da melhoria da qualidade e de coordenado pela Professora Alexandra Godinho).
reforço da dimensão europeia da educação, constituem «Social skills for good mood and better learning»,
OBJECTIVOS do Programa COMENIUS: desenvolver com estabelecimentos de ensino da Alemanha,
o conhecimento e sensibilizar os jovens e a comunidade Áustria, Itália, Lituânia, Polónia e República Checa
educativa para a diversidade e para o valor das culturas (projecto coordenado pela Professora Maria Luísa
e das línguas europeias; ajudar os jovens a adquirir as Abreu).
aptidões e as competências básicas de vida, Entre outras áreas de acção, durante a vigência dos
necessárias ao seu desenvolvimento pessoal, à sua projectos, alunos e professores envolvidos irão:
futura vida profissional e a uma cidadania europeia - realizar trabalhos no âmbito das temáticas
activa; incentivar a aprendizagem de línguas definidas;
estrangeiras modernas; apoiar o desenvolvimento de - divulgar produtos nas respectivas homepages;
conteúdos, serviços, pedagogias e práticas - participar em acções de mobilidade, visitando
inovadoras, com base no uso das tecnologias de diferentes estabelecimentos de ensino europeus;
informação e comunicação (TIC), no domínio da - acolher os seus colegas e com eles partilhar a vida
aprendizagem ao longo da vida; reforçar a qualidade e a de escola e de família.
dimensão europeia da formação de professores; apoiar MOBILIDADES INDIVIDUAIS
a melhoria dos métodos pedagógicos e da gestão das Os professores poderão candidatar-se à participação
escolas. em acções de formação contínua em diferentes países
O Programa COMENIUS inclui dois tipos de acções europeus, solicitando Bolsas de Formação Contínua.
descentralizadas e geridas pela Agência Nacional No âmbito do Acolhimento de Assistentes
PROALV (Programa de Aprendizagem ao Longo da COMENIUS, no ano lectivo 2009/2010, a Escola
Vida): Secundária de Bocage acolhe a jovem Suzanne
PARCERIAS Pfister, de nacionalidade alemã (projecto coordenado
No âmbito das Parcerias Multilaterais, e mantendo a pela Professora Ana Cristina Figueiredo).
sua tradição de trabalho em âmbito europeu, a Escola Consultar www.proalv.pt para mais informações
Secundária de Bocage estará envolvida, nos anos sobre o Programa Comenius

5
CECÍLIA MEIRELES

por
António
Vilhena

Cecília Meireles nasceu, em qualquer corrente literária. Como e Crítica Literária na Universidade do
07/11/1901, no Rio de Janeiro. O pai prova desse universo poético Rio de Janeiro; ensinou Literatura e
falecera três meses antes do seu singular, temos, entre outros títulos, Cultura Brasileira na Universidade do
nascimento e a mãe desapareceria Viagem (1939, escrito após ter Texas; encarregou-se de diversos
do mundo dos vivos quando ela tinha visitado Portugal), Vaga Música cursos livres de Literatura
apenas três anos de idade. (1942), Mar Absoluto e Outros Comparada e de Literatura Oriental;
Consideram-na muitos estudiosos Poemas (1945), Retrato Natural proferiu conferências sobre folclore,
uma poetisa de tão elevada estatura (19149),Romanceiro da tema no qual era uma reconhecida
que, no panorama das literaturas de Inconfidência(1953), Poemas autoridade. Neste domínio, publicou,
língua portuguesa, é Sophia de Mello Escritos na Índia(1962), Solombra em 1955,a obra Panorama Folclórico
Breyner a única voz feminina que se (1963) e Ou Isto ou Aquilo(1964). dos Açores, pois a ligava a estas
lhe pode equiparar, não a igualando, Segundo David Mourão-Ferreira, os ilhas um misto de curiosidade e
todavia, em fluidez e musicalidade. temas fundamentais da obra poética ternura, que certamente lhe fora
Mulher de ampla formação cultural, de Cecília Meireles são:”A dolorosa incutido pela avó materna, D. Jacinta
apetrechada, desde jovem, de sensação de que «talvez o mundo Garcia Benevides, de origem
conhecimentos em campos tão nascesse certo/mas depois ficou açoriana, por quem foi criada e a
variados como a música (canto e errado»; um sentimento de culpa cuja saudosa memória dedica o belo
violino), as línguas e a literatura, perante a «humana insuficiência» e e sentido poema “Elegia 1933 –
enveredou, a exemplo de sua mãe e os «desacertos humanos»; a 1937” (in Mar Absoluto e Outros
fruto de uma sólida vocação , pela convicção de que «o pensamento é Poemas).
carreira de professora do 1º ciclo do triste; /o amor, insuficiente»; breve, a Sem corrermos riscos de
Ensino Básico, depois de frequentar conclusão de que «a vida, a vida, a parcialidade, estamos plenamente
a Escola Normal. vida só é possível reinventada»” (in convictos de que a vertente mais
Interrogada, um dia, em entrevista Dicionário de Literatura). exemplar e actual da acção
concedida a um jornalista brasileiro, Essa necessidade de permanente extraliterária de Cecília Meireles
sobre “as raízes espirituais da sua reinvenção da vida, estende-a ao consistiu no entusiasmo desbordante
poesia”, a escritora respondeu:”(…) passado esta poetisa (cf., por pela educação e no incontido amor
se for possível considerar «raízes exemplo, o Romanceiro da aos livros, dois sentimentos
espirituais» aquilo de que mais Inconfidência) sobre quem o Mar, impossíveis de dissociar. Em nome
gosto, ou que mais repercute em «em sua natureza:/plástica, fluida, deles, participou, na qualidade de
mim, lembrarei o oriente clássico e disponível», exerce um poderoso prestigiada professora do Ensino
os gregos; toda a Idade Média; os fascínio, funcionando, porventura Básico, na reforma educativa
clássicos de todas as línguas; os graças ao seu incessante brasileira levada a cabo nos anos 30
românticos ingleses; os simbolistas movimento ondulatório, como fonte do século XX; dirigiu, no Diário de
franceses e alemães. E de inspiração para a sua própria Notícias (do Rio de Janeiro),uma
principalmente a literatura popular do linguagem, à qual se adequam, na página consagrada a temas no
mundo inteiro, e os livros perfeição, aqueles três atributos. âmbito do ensino; criou, na cidade
sagrados.” ( in Folha do Norte, As extraordinárias qualidades da carioca, uma Biblioteca Infantil
Belém do Pará,10 de Abril de 1949). autora não se esgotam na sua especializada, que constituiu o
Autora de uma vasta obra, que volumosa produção literária, estimulante modelo de tantas
inclui vários volumes de prosa, porquanto desenvolveu, em fases bibliotecas desse género que depois
algumas peças teatrais e uma diversas da sua vida, uma actividade se espalharam por todo o Brasil.
abundante produção poética, é na cultural de múltiplas facetas. Fez As crianças suscitaram, sempre, em
poesia, contudo, que mais conferências sobre Literatura Cecília Meireles um olhar de ternura,
claramente deixa uma marca de Brasileira nas Universidades de atento e penetrante.
vincada singularidade, que não Lisboa e de Coimbra; leccionou Por vezes, fala delas com carinhosa
legitima a sua vinculação estrita a Literatura Luso-Brasileira e Técnica compaixão, como neste poema:
ORFANDADE Noutras circunstâncias, mais precisamente nos
“Poemas Infantis” que constituem a obra Ou Isto ou Aqui-
A MENINA DE PRETO ficou morando atrás do tempo,
Sentada no banco, debaixo da árvore, lo, interpreta, com meiga vivacidade, os alados desejos
Recebendo todo o céu nos grandes olhos admirados. das crianças e a sua entrega ao sonho sem limites e às
brincadeiras próprias da idade (cf. As composições “A
Alguém passou de manso, com grandes nuvens no vestido,
E parou diante dela , e ela, sem que ninguém falasse,
Bailarina”, “Sonhos de Menina”, “O Menino Azul” e “Jogo
Murmurou: “A MAMÃE MORREU.” de Bola”), pois, como dedicada e experiente profissional ,
dotada de rara sensibilidade, sabia bem que a infância é
Já ninguém passa mais, ela não fala mais, também. o alicerce sobre o qual todo o ser humano constrói o seu
O olhar caiu dos seus olhos, e está no chão, com as outras pedras,
Escutando na terra aquele dia que não dorme
futuro.
Com as três palavras que ficaram por ali. Conheçamos, então, o poético desejo de uma das
In Viagem (1939) “suas” crianças:

6
CECÍLIA MEIRELES/ MAFRA
O MENINO AZUL O menino quer um burrinho
O MENINO quer um burrinho Que saiba inventar (Quem souber de um burrinho desses,
Para passear. Histórias bonitas Pode escrever
Um burrinho manso, Com pessoas e bichos Para a Rua das Casas,
Que não corra nem pule, E com barquinhos no mar. Número das Portas,
mas que saiba conversar. Ao Menino Azul que não sabe ler.)

O menino quer um burrinho E os dois sairão pelo mundo


Que saiba dizer Que é como um jardim in Ou Isto ou Aquilo(1964)
O nome dos rios, Apenas mais largo
Das montanhas, das flores, E talvez mais comprido
De tudo o que aparecer. E que não tenha fim.

Quando, no dia 9 de Novembro de 1964, a poetisa brasileira


exalou o último suspiro, chegava ao fim o percurso de uma das
mais delicadas e musicais artífices da escrita em língua portu- Canto de Cecília
A profunda a secreta
guesa, acontecimento que Sophia de Mello Breyner, na sua
Construtora de um dia
linguagem depurada e geometricamente exacta, registou, para Amargo e ledo
a posteridade, neste belo e denso poema: Construtora de um espaço clássico
Num arquipélago nebuloso e medido
Na morte de Cecília Meireles
Seu canto permanece
Alinhando nas páginas dos livros Cecília – cinza
Verso por verso letra por letra As palavras no meio do mar permanecem enxutas
Canto de poeta
Canto in Geografia (1967)
Interior a tudo.

Visita de estudo ao Palácio Nacional de Mafra

A visita ao Palácio Nacional de Mafra decorreu no âmbito da disciplina de História, no dia 29 de Outubro de 2009.
Contou com a participação dos alunos do 11ºG e H e das professoras Nazaré Oliveira, Ana Figueiredo, Suzanne
Pfister, Lourdes Sendas e Margarida Serrano. A partida foi às 8:30 da manhã e a chegada às 15h da tarde.
O Palácio Nacional de Mafra foi mandado construir pelo rei D. João V, o Magnânimo, para cumprir um voto de
sucessão. Como gostava da magnificência, queria construir algo maior que o Palácio de Versalhes. É o monumento
mais importante do Barroco em Portugal. As obras iniciaram-se em 1717, ano do lançamento da primeira pedra, e a
22 de Outubro de 1730, dia do 41º aniversário do rei, procedeu-se à sagração da basílica. Quem dirigiu a obra foi o
ourives alemão João Frederico Ludovice, inspirando-se na Roma papal. O conjunto arquitectónico desenvolve-se
simetricamente a partir de um eixo central, a basílica, ponto principal de uma longa fachada ladeada por dois tor-
reões, localizando-se na sua zona posterior o recinto conventual da Ordem de São Francisco da Província da Arrá-
bida. Este palácio tem 38.000 m2, 666 divisões, 4.700 portas e janelas e 156 escadas. Tal magnificência deveu-se
ao afluxo de ouro do Brasil. O palácio tem várias salas: a da bênção; a de audiências, onde o rei recebia as figuras
mais importantes; a da música; a de jantar; a sala Diana; a amarela; a vermelha; a de jogos e os oratórios reais. Os
quartos reais situam-se no 3º piso do torreão sul: o da rainha no torreão norte e o do rei no torreão sul. O convento
é a parte menos exuberante da obra .Nele situam-se as celas dos frades, a enfermaria, uma farmácia, a cozinha e a
biblioteca. Esta é uma sala com 86 m de comprimento, que só recebeu livros no reinado de D. Maria I. O pavimento
e as estantes em estilo “rocaille” datam do reinado de D. José I. Essas mesmas estantes contêm a 2ª edição d´ Os
Lusíadas, 22 incunábulos, cadernos de música e 2 forais de D. Manuel I, num total de 40.000 livros.
Para esta obra, D. João V encomendou esculturas e pinturas a mestres italianos e portugueses e, da Flandres, dois
carrilhões com 92 sinos – os maiores do tempo. Está integrado, ainda, um conjunto de seis órgãos históricos na
Basílica. Não sendo residência habitual da Família Real, o Palácio de Mafra foi sempre muito visitado pelos reis,
para assistirem a festas religiosas ou caçar na Tapada. No reinado de D. João VI, o Palácio foi habitado durante
todo o ano de 1807, antes da partida da corte para o Brasil . A este rei se deve a renovação decorativa de algumas
das salas mais importantes.
Ana Zhou

7
O MAR

Mar, metáfora de vida Mar, espaço de mistério Mar, espaço de mistério e


Inspirados no tema“Mar, e atracção atracção
metáfora da vida”, pretendemos Mar, quem és tu? E o que Como que pintada de um azul exu-
expor a nossa opinião acerca escondes nas tuas vagas? Ora és berante, a Terra é dominada por um
da seguinte questão: será o mar indomável, ora és calmo. Tanto és mar majestoso. Quase tão antigo
um espaço de mistério e de assustador, como és belo. O que é quanto o nosso planeta, é senhor
atracção? certo é que sempre atraíste os de mistérios e sabedoria.
Em primeiro lugar, como seria homens com o teu mistério! É verdade que, para muitos, o mar
possível não constatarmos a As tuas lendas, que desde criança é inspiração, sendo representado
sua beleza? O mar é intenso e nos são transmitidas, sempre sob as mais diversas formas, quer
profundo, fundindo-se com o aguçaram a nossa imaginação, na pintura quer na literatura. Para
azul cerrado, com o bater suave fazendo-nos voar mais alto. Com outros, é sustento de vida, permitin-
ou violento do rebentamento elas, cresceu também o misticismo do que dele se alimentem ou que
das ondas, com a melodia e o que sempre encantou o Homem. dele retirem o necessário para fins
aroma do mar. Tal acontece, Por exemplo, a lenda do medicinais e estéticos. Para muitos
por exemplo, na madrugada de Adamastor, monstro terrível que é, simplesmente, sinónimo de pra-
um dia de Inverno, onde o dominava o Cabo das Tormentas e zer.
contraste das cores do oceano, atormentava quem pelas tuas Consequentemente, há quem o
do céu e da névoa, é águas passasse, despertou admire, procurando tranquilidade e
assombroso! diversos medos e ansiedades. paz de espírito; quem procure res-
Em segundo lugar, Talvez, por isso, desde os postas aos seus problemas no seu
destacamos o mistério do mar, primórdios da língua lusitana, silêncio; quem tanto se confesse,
onde as ondas podem surgir tenhas sido constantemente abrindo o coração na sua presença.
violentas ou suaves como os cantado, ao longo dos séculos, Ponte líquida que liga tantas e
motivos pelos quais o pelos nossos poetas, como diferentes culturas, o mar é, tam-
contemplamos. Ora, se uma Camões. Este, em Os Lusíadas, bém, desprezado e considerado
onda brusca simboliza a celebrou os Descobrimentos, insignificante. Por isso, inquilinos
desilusão, a solidão, a morte, exaltando a beleza das tuas águas indesejáveis como o petróleo e os
uma onda calma afigura-se e a atracção que os Portugueses resíduos químicos habitam os ocea-
como o ponto de partida para sentiam pelo teu azul. nos e causam efeitos devastadores.
algo inesperado e aprazível. Para além de tudo isto, Portugal Se este mar é indispensável às
Por último, o oceano é sempre quis desvendar o mistério nossas vidas e nos proporciona
misterioso porque o seu que estava para lá da tua vastidão tanto, então, porque o destruímos?
princípio e fim são imensa, sentindo, simultaneamente, Não esqueçamos que este mar,
desconhecidos, isto é, o mar é um medo e atracção inexplicáveis. que é berço da vida e acolhe tantos
infindo! Supomos, assim, que Como tal, partiu em busca do seres nas suas águas enigmáticas,
este seja eterno, uma vez que, desconhecido, “por mares nunca é sinónimo de paz e serenidade.
ao olharmos o horizonte, o seu dantes navegados”, alcançando o Rita Faria Martins
desfecho não é perceptível, e a reconhecimento mundial. Porém,
sua origem continua incógnita… será que o Homem já desvendou
Logo, concordamos com o todas as tuas ondas e os teus
carácter atractivo e secreto do adamastores, meu belo azul?
mar, porque ele é o caminho da Talvez sim, talvez não. No entanto,
vida, com todos os momentos esta procura está longe de acabar!
de prazer ou de mágoa. O MAR O que é certo é que tu, precioso
É OMNIPRESENTE! mar, és, sem dúvida, um eterno
Bernardo Neves e Joana espaço de mistério e atracção.
Semedo
Inês Fernandes e Joana Simões

8
CIÊNCIA NA BIBLIOTECA/ ESCOLA— AP

A Biblioteca da Escola está a organizar um banco de dados digital , na área das Ciências da Natureza, disponibili-
zando-o à comunidade escolar.
Como exemplo, apresentamos a apreciação crítica da obra DENTRO DA CÉLULA (INSIDE THE CELL), retirada
do Portal da Casa das Ciências da Fundação Gulbenkian, o primeiro documento a entrar nesse banco de dados.

Brevíssimo comentário ao DENTRO DA CÉLULA (INSIDE THE CELL)

Se eu tivesse – e cinco capítulos, para o universo da célula e da(s) sua(s)


confesso que gos- circunstância(s) como diria o Poeta. Isto é, procuraria
taria de ter – de discutir a relação das células entre si e com a matriz
usar este livrinho extracelular e do papel que estas interacções desempe-
para estimular a nham através da constituição dos tecidos e dos órgãos,
curiosidade dos tanto na saúde como na doença. Não é esta a altura
meus alunos talvez adequada para qualquer desenvolvimento sistemático
começasse por mas, a título de exemplo, penso que valerá a pena pen-
lhes lembrar as sar em usar o excelente capítulo que trata da mitose e
diferenças entre a da meiose para discutir a regeneração tecidular e a
célula “isolada” de reprodução. Regeneramos, nós os humanos, em menos
um microrganismo de 2 anos, nos tecidos mais lábeis – medula óssea e
unicelular (por mucosas do tubo digestivo, aparelho respiratório e apa-
exemplo uma bac- relho urinários – o equivalente à nossa massa corporal.
téria) e a célula No que diz respeito à pele, um tecido também altamente
artificialmente regenerativo, produzimos, durante a vida, 60 a 70 kilos
“isolada” de um de queratina. Aproveitaria, por outro lado, a meiose para
organismo com discutir a reprodução sexuada, geradora de uma muito
cerca de 80 triliões maior biodiversidade do que a reprodução assexuada
de células como é das bactérias. Ainda na linha das diferenças entre seres
o Homem. As maiores diferenças não têm a ver com as unicelulares e seres multicelulares talvez valha a pena
funções vitais de toda e qualquer célula – tanto as bacté- salientar o facto do Homem, como muitos outros seres
rias como as células de um organismo multicelular nas- vivos multicelulares, ter em equilíbrio biológico e meta-
cem, diferenciam-se (mexendo-se mais ou menos) e bólico, sobretudo nas zonas de fronteira com o meio
morrem (geralmente por apoptose ou um mecanismo externo (pele e mucosas), um número imenso de
desse tipo) – mas sim com duas propriedades que são microorganismos. Por exemplo, calcula-se que cada um
exclusivas dos seres multicelulares: a regeneração e a de nós tenha no seu tubo digestivo entre 1000 a 1200
reprodução. São estas diferenças, assim como a exis- gramas de bactérias responsáveis por funções tão diver-
tência, nos tais seres multicelulares como nós, de siste- sas como a colaboração na digestão ou a produção de
mas de associação especializados como os sistemas metabolitos que absorvemos e usamos em nosso pro-
vasculares, imunitário, neuronal e endócrino que justifi- veito. A ideia de que o Homem, para além de ser um
cam o aparecimento de doenças como a arteriosclerose organismo multicelular, é um “superorganismo quiméri-
e o cancro (As bactérias não têm essas doenças…). co” tem muita graça e poderá contribuir para que os alu-
Sempre que fosse possível saltaria assim – continuo a nos se interroguem acerca das células de que somos
imaginar-me um docente utilizador do livro – do universo feitos e das células que connosco interagem.
restrito da célula isolada, muitíssimo bem descrito nos Porto, 12 de Outubro de 2009

Falta de condições na Escola Secundária de situam-se na cave ou no segundo piso; logo, os alunos
Bocage portadores de deficiência não têm acesso fácil a estes
Alunos com deficiências são excluídos equipamentos.
devido às condições escolares É de salientar que, na entrada, local acessível a alunos
com deficiência motora, se encontra a Secretaria.
A inexistência de condições apropriadas para Mas será que qualquer aluno tem facilidade em entrar ?
deficientes, na Escola Secundária de Bocage, é Não! A verdade é que, mesmo sendo na entrada, a
verificável por qualquer pessoa. secretaria não possui espaço suficiente para uma
Tendo a escola três pisos sem elevador ou rampas, os cadeira de rodas circular.
alunos fisicamente debilitados estão sujeitos a frequentar Sendo assim, um aluno deficiente é privado de inúmeras
apenas o primeiro piso, o qual possui duas rampas de salas, não pode ir à casa de banho, não consegue
acesso à entrada da frente. entrar na secretaria, e a biblioteca, os balneários, o bar
Estes alunos podem ter aulas nas salas do piso e o auditório José Saramago são espaços que nunca
anteriormente referido; no entanto, não podem deslocar- serão por ele frequentados.
se ao quadro, pois, para o fazerem, têm de subir dois Colocamos então a seguinte questão: Como poderá
degraus. um aluno deficiente frequentar plenamente esta
As casas de banho não estão adaptadas e equipadas escola?
para qualquer tipo de deficiência. O bar, o auditório José 12º D – Grupo de Área de Projecto: Ana Marafuga , Cátia
Saramago, a biblioteca, os balneários e os laboratórios Mendes , Daniela Lopes , Diana Santos , Inês Reis .

9
POESIA

Dizem, altruísta e verdadeiro


Da minha personalidade
Pura sinceridade
Apelidam-me de romanceiro

Dores antevia
Causa perdida
Palavra desentendida
Que a calma abrevia

Olhos fartos de egoísmo e maldade


Cabeça farta de ajudar
Que reponham a verdade!
Não tenciono magoar.

Vamos lá novamente:
Cabeça perdida, desentendida
Verdadeiramente
Que poesia enfraquecida

Que dói, impor a razão!


Pela beleza dos vossos corações Só queria expressar minha dor
Sorrindo
Num doce e terno olhar Já me ultrapassa a imaginação
Sonhador, a minha mente já voa mais
alto que um condor
Pela serenidade dos vossos rostos
Brilhando Estava tudo ensaiado
Com as palavras tecidas de luz Mas apenas saio daqui magoado
Que sinto? Dor! Mas já me expressei..
Guardados ficareis A alma interpretará
Para sempre Novos níveis alcançarei
Florindo nos meus gestos
Pedro Duarte

Como o puro amanhecer na Serra


Para sempre
Abraçando o mar
Maria Nazaré Oliveira

Para os alunos da sua direcção de turma

A Criança que fui vive ou morreu?

Na infância tudo é mais simples. A vida sorri-nos, o mundo está repleto de cores e música e alegria... Palavras
como “preocupação”, “frustração”, “desilusão” estão fora do nosso vocabulário, porque a inocência nos protege
do lado mais negro da vida.
À medida que cresço, aquela percepção, outrora radiante, da vida, vai perecendo. Deparo-me com novas
injustiças e conflitos que me distanciam mais e mais do mundo perfeito onde já vivi.
Não posso, contudo, afirmar que a felicidade se evaporou. A inocência desapareceu, é certo. Porém, tenho
novas experiências à minha espera. Tenho o amor dos que me rodeiam e a concretização de sonhos e
projectos.
Será que tudo melhora? Ou será que piora? São perguntas às quais a resposta só virá quando crescer e atingir
a próxima fase da minha vida.
Sei que já não sou criança, mas tenho a certeza de que, quando me tornar adulta, vou conservar um lado mais
doce e inocente e que sempre existirá uma pequena Carolina em mim.
Carolina Alves

10
HARRY POTTER, DO CAFÉ AO TRONO
Alguma vez se vocês sabem o que
questionaram sobre aconteceu a seguir”. E
sabem? Refresquemos
como terá surgido a essas memórias.
ideia da criação da Pedra Filosofal foi
série Harry Potter? publicado, tendo
Por acaso, alguma vez passado poucos meses
imaginaram como uma até à conclusão e
simples professora e publicação de Câmara
tradutora britânica daria dos Segredos . Desde
asas à sua imaginação e então, os livros da saga
criaria o que é hoje a mais tornaram-se famosos em
famosa e rentável saga de todo o mundo, sendo
todo o mundo? Muitos fãs aceites por editoras de
do Potter espalhados por diversos países,
esse planeta, acontecendo que, no
provavelmente nem caso de Portugal, foi a
sequer sabem a prestigiosa Editora
verdadeira história da autora J.K. Rowling: de onde ela Presença que trouxe até aos fãs nacionais a magia de
veio, como ela criou o jovem feiticeiro, as dificuldades Harry Potter. Seguiram-se Prisioneiro de Azkaba, Cálice
que teve de enfrentar. Sabem, ao menos, que a de Fogo e Ordem da Fénix. E o que foi que aconteceu?
própria Rowling já viveu aqui em Portugal? J.K. Rowling recebeu a notícia de que a sua saga seria
É verdade. Depois da morte da sua mãe, em 1990, transformada em filmes, para todos os fãs poderem ver
devido a esclerose múltipla, Joanne Kathleen Rowling o Rapaz-Que-Sobreviveu no grande ecrã, ao vivo e a
decidiu mudar-se para o nosso país, onde residiu cores. “Castings” foram feitos, “sets” montados, as
durante três anos, exercendo a profissão de professora filmagens começaram. Desde então, também em
de Inglês numa escola do Porto, na qual aprendeu a Portugal, obviamente, se começaram a exibir os filmes,
falar a nossa língua. Casou com um jornalista e isso foi o início do surgimento de tantos outros
português e teve uma filha dele, nascida em 1993, mas milhões de fãs. Sejam fanáticos pela leitura ou pelo
depressa o casamento acabou, o que fez Rowling entretenimento no cinema, J.K. Rowling conquistou-os a
regressar ao seu país de origem. Há quem diga que, todos. Então, a magia continuou.
mal regressou a Inglaterra, a autora começou a Príncipe Misterioso foi finalmente lançado nas bancas e,
escrever o primeiro livro da série, intitulado Harry para comemorar tanta fama, tanto rendimento em
Potter e a Pedra Filosofal. Mas sabem que existem dinheiro e tanto entusiasmo de inúmeras crianças que
fortes rumores de que a saga, na verdade, começou a a adoravam, J.K. Rowling decidiu fazer a leitura do
ser escrita em Portugal, quando Rowling ainda cá primeiro capítulo desse mesmo livro, o sexto volume da
residia? No seu “site” oficial, J.K. Rowling descreveu série. A curiosidade? A autora fez a sua leitura num
um pouco como foi a sua estada em Portugal, verdadeiro trono, na famosa cidade de Nova Iorque,
revelando detalhes interessantes: para a “Rádio City Music Hall”, revelando o título do seu
“Nove meses depois, desesperada por me afastar livro final: Harry Potter e os Talismãs da Morte.
durante um tempo, mudei-me para Portugal, onde A produção de filmes continuou, com mais dinheiro
arranjei um trabalho ,ensinando Inglês num Instituto de arrecadado para a produtora cinematográfica Warner
Línguas. Levei comigo o recente manuscrito de Harry Brothers Pictures e com mais fama ganha pelas jovens
Potter, esperando que as minhas novas horas de estrelas das adaptações, e eis que sai nas bancas o
trabalho (porque eu dava aulas durante a tarde e a último e tão esperado livro da série. Para comemorar o
noite) influenciassem o meu romance, o qual mudara final da saga, Rowling leu também o primeiro capítulo
bastante desde que a minha mãe morrera. Nesta deste volume, desta vez no “Natural History Museum”,
altura, os sentimentos do Harry em relação aos seus em frente a centenas de crianças, que a aplaudiram no
pais mortos tornar-se-iam muito mais profundos, muito final. Aliás, como todos nós sabemos, a autora fez as
mais reais. Durante as minhas primeiras semanas em maravilhas dos mais novos e dos mais velhos. Como se
Portugal, escrevi o meu capítulo favorito da Pedra costuma dizer, dos 8 aos 80 anos.
Filosofal intitulado «O Espelho dos Invisíveis».” Actualmente estão então a ser filmadas as duas partes
De novo em Inglaterra, Rowling terminou a grande de Harry Potter e os Talismãs da Morte, e há coisas das
parte do seu manuscrito num café local, sendo este o quais J.K. Rowling nunca se arrependerá: de ter criado
tipo de ambiente que também utilizara em Portugal, um espírito de união inabalável entre todos os fãs
segundo consta. Pronto para edição, eis que surge o internacionais;de ter criado belos parágrafos para ler
que a autora não esperava: duas respostas negativas durante a noite e sonhar com o fantástico Castelo de
por parte de agentes. Apenas o seu terceiro contacto, Hogwarts; de ter criado uma saga que se tornou a mais
Christopher, aceitou ser agente de Joanne, levando famosa do mundo e que chegou aos cinemas, onde
quase um ano a encontrar editoras que aceitassem sempre a ansiedade dos leitores os tem feito comprar
Harry Potter e a Pedra Filosofal. Depois de várias bilhetes para 4 ou 5 sessões. Mas, sobretudo, nunca se
recusas, o livro foi finalmente aceite pela editora arrependerá de ter desenvolvido o gosto pela leitura
britânica Bloomsbury, em Agosto de 1996, deixando a em milhões de miúdos e graúdos.
autora histérica. No seu “site” oficial, ela própria João Safara
acabou a sua biografia, dizendo: “Provavelmente, Fontes:http://www.jkrowling.com/textonly/en/biography.cfm,

11
NOTÍCIAS/ANÚNCIOS

Victor Ciorici

Este ano, a nossa escola está bem fornecida;


além de computadores, está muito colorida.
Por isso, preserva estes bens, para deles usufruíres
durante mais tempo e com mais qualidade !
Beatriz Soromenho , Joana Antoninho

Escola Supervisionada

Este ano, foram instaladas novas câmaras de


supervisão nos corredores da nossa escola.
Estas câmaras vão servir para prevenir roubos e
violência . Caso tal aconteça, identifica-se o culpa-
do, mas, ao mesmo tempo, cria-se um certo des-
conforto por estarmos constantemente a ser obser-
vados.
Outro problema foi o ruído provocado durante a
instalação o qual incomodou algumas aulas.
Bernardo Mota, Francisco Neves, Tiago Pereira

Feira do livro na biblioteca 23, 24 e 25 de Novembro


Visite-nos, contacte com as novidades editoriais e aproveite os descontos

Tecnologia na nossa Escola


Novo ano lectivo no EPRS
No dia 1 de Outubro, iniciou-se, no EPRS, um novo
Este ano a lectivo, a Secundaria de Bocage continuou
ano lectivo que contou com uma forte afluência de
a apostar na tecnologia, em salas de aula .
inscrições, o que demonstra o grande empenho na
A nossa escola foi equipada, em várias salas de aula,
reinserção destes homens.
com quadros interactivos e novos computadores,
A oferta formativa é bastante diversificada,
alguns dos quais se encontram na Biblioteca.
abrangendo vários níveis de ensino, num total de doze
Assim, todos os alunos poderão desfrutar destas
turmas, a saber: Alfabetização, Português para
tecnologias inovadoras.
estrangeiros, EFA B2, B3 escolar, EFA de dupla
certificação em Instalações Eléctricas e cinco de UFCD Ana Sofia Vilares, Beatriz Soromenho , Cristina Dias ,Joana
(Jornalismo, Inglês, Técnico de Gestão Desportiva, Antoninho
Informática e Pintura e Decoração).
Este projecto, levado a cabo pelo Serviço Educativo
do EPRS e em colaboração com a Direcção Geral dos
Serviços Prisionais, conta com o grande empenho da UMA VISITA
Directora, da Chefia, do corpo docente do
Agrupamento Vertical Barbosa du Bocage e da Escola INDESEJADA
Secundária de Bocage. A adesão dos alunos foi muito No início do ano lectivo, um aluno do
significativa, havendo mesmo uma lista de espera. 8º ano teve o prazer de conhecer no bar
Destaca-se uma melhoria nas infra-estruturas, um a am i g a i n d e sej áv el , “U MA
nomeadamente os novos computadores, que foram BARATA”.
instalados na Sala de Informática, para uso das O aluno encontrou-a ali a fazer as suas
diversas turmas, e a Biblioteca, que dispõe também de compras da semana, entre as migalhas
um programa informático, feito pelos reclusos que ali deixadas pelos colegas. Mas, sem sabermos porquê, a
trabalham, permitindo a consulta, a requisição e o nossa amiga foi para casa com as suas compras, sem
tratamento estatístico. Foram instalados, este ano voltar na semana seguinte. Suspeita-se que possa ter
lectivo, na Biblioteca, dois computadores para uso sido raptada ou morta pela sua pior inimiga, a
(lúdico e funcional) de toda a população do EPRS. “ V A S S O U R A ” .
A Turma de Jornalismo Carlos Oliveira , Marta Pereira , Mihai Andronic

12