Referências das Bibliotecas Escolares nos Relatórios de Avaliação Externa da Inspecção-geral de Educação (IGE

)

Tarefa 2 Tendo por base a amostra de Relatórios de Avaliação Externa que elegeu, faça uma análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE, nesses Relatórios.

Após a leitura de vários Relatórios de Avaliação Externa de Agrupamentos, que fui escolhendo de forma aleatória, de Norte a Sul do país, seleccionei esta amostra, por serem de Agrupamentos com escolas do 1º ciclo e Jardins de Infância, possuírem bibliotecas escolares, tendo dois deles alguma proximidade física com a minha realidade e porque nos dois primeiros encontrei algumas referências relevantes ás Bibliotecas Escolares, por oposição ao último que é quase omisso, nesse aspecto.

Agrupamento de Escolas de Azeitão, submetido a avaliação externa no ano lectivo 2008-2009; Agrupamento de Escolas de Ribamar, submetido a avaliação externa no ano lectivo 2007-2008; Agrupamento de Escolas do Monte da Caparica, submetido a avaliação externa no ano lectivo 2008-2009.

Zélia Pereira Santos Dezembro 2009

Referências das Bibliotecas Escolares nos Relatórios de Avaliação Externa da Inspecção-geral de Educação (IGE)

QUADRO I – IGE – RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA: REFERÊNCIAS À BIBLIOTECA ESCOLAR NOS RELATÓRIOS ANALISADOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO Agrupamento de Escolas POR DOMÍNIO 2008-2009 – Agrupamento de 2007-2008 Escolas de Azeitão Agrupamento de Escolas de Ribamar 1. RESULTADOS: 1.1 – Sucesso académico Sem registo Sem registo 1.2 – Participação e “Em reunião no início do ano, os Sem registo desenvolvimento cívico documentos estruturantes da vida escolar (projecto Educativo e RI) são apresentados aos pais, encontrando-se disponíveis para consulta na Biblioteca Escolar/ Centro de Recursos Educativos (BE/CRE) […]” 1.3 – Comportamento e Sem registo Sem registo disciplina 1.4 – Valorização e impacto das Sem registo Sem registo aprendizagens 2. PRESTAÇÃO DO SERVIÇO EDUCATIVO 2.1 – Articulação e sequencialidade 2.2 – Acompanhamento de prática lectiva em sala de aula 2.3 – Diferenciação e apoios 2.4 – Abrangência do currículo e valorização dos saberes e da Sem registo Sem registo Sem registo Sem registo

2008-2009 -Agrupamento de Escolas do Monte da Caparica

Sem registo Sem registo

Sem registo Sem registo

Sem registo Sem registo Sem registo Sem registo

Sem registo Sem registo “Na escola sede [funciona] a …”BECRE apetrechada pela BE/CRE Integrada na rede de Rede de Bibliotecas Escolares bibliotecas escolares (…)”.

Zélia Pereira Santos Dezembro 2009

Referências das Bibliotecas Escolares nos Relatórios de Avaliação Externa da Inspecção-geral de Educação (IGE)

aprendizagem

“O Agrupamento investe de forma empenhada nas TIC, promovendo um ensino mais atractivo e o acesso facilitado dos alunos a essas tecnologias, quer em sala de aula, quer na BE/CRE. “ “Abrangência do currículo e valorização dos saberes e da aprendizagem – Nas EB1 são promovidas actividades que passam pela biblioteca; projectos nacionais – BE/CRE na RBE; investimento nas TIC promovendo um ensino mais atractivo e um acesso mais facilitado na BE/CRE.”

que oferece diversas possibilidades aos alunos, tais como realizarem trabalhos, requisitarem livros e fazerem pesquisas na Internet. Numa das escolas do 1º ciclo existe uma BECRE e um laboratório, ao abrigo do projecto Ciência Viva o que permite desenvolver actividades de promoção da leitura e do ensino experimental das ciências. Estas estruturas também estão acessíveis às restantes escolas do Agrupamento. Para os restantes JI e EB1, existe um sistema de rotatividade na requisição de livros, “através de malas”que circulam entre estabelecimentos.” “Os alunos têm acesso a equipamentos informáticos (…) podendo utilizar alguns computadores, disponíveis na Biblioteca para acesso á Internet.”

3. ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR 3.1 – Concepção, planeamento e desenvolvimento da actividade 3.2 – Gestão dos recursos humanos Sem registo Sem registo Sem registo “O trabalho na BECRE é atribuído a uma AAE com Sem registo Sem registo

Zélia Pereira Santos Dezembro 2009

Referências das Bibliotecas Escolares nos Relatórios de Avaliação Externa da Inspecção-geral de Educação (IGE)

3.3 – Gestão dos recursos materiais e financeiros

“Apesar de construídas já há alguns anos apresentam boas condições para as actividades curriculares dispondo, todas elas, de equipamento informático, tanto nas bibliotecas como nas salas de aula.” “ A escola sede dispõe de uma BE/CRE bem equipada, ao nível do fundo documental, de equipamento informático e audiovisual.” Sem registo

formação especializada.” “Alguns espaços da EB 2.3 têm sido alvo de adaptações apetrechamento, nomeadamente a BECRE.”

“Apenas três dos estabelecimentos, dispõem de biblioteca, não sendo usual (embora possível) a requisição de material do centro de recursos da escola sede.”

3.4 – Participação dos pais e outros elementos da comunidade educativa 4. LIDERANÇA 4.1 – Sucesso académico 4.2 – Visão e estratégia 4.3 – Abertura à inovação

Sem registo

Sem registo

Sem registo Sem registo “A abertura à inovação presente no Agrupamento manifesta-se na adesão a uma diversidade de projectos de âmbito nacional (Plano de Acção da Matemática, Plano Nacional de Leitura, Ensino Experimental das Ciências, Rede de Bibliotecas Escolares”

4.4 – Parcerias, protocolos e

“O Agrupamento está envolvido

Sem registo Sem registo “É de sublinhar a participação em diversos projectos, como o da Rede de Bibliotecas Escolares…) (…) tem havido um trabalho importante de promoção da leitura e da escrita, através de actividades criativas, aproveitando-se o movimento lançado pela Rede de Bibliotecas Escolares e o Plano Nacional de Leitura.” Sem registo

Sem registo Sem registo Sem registo

“O Agrupamento participa em

Zélia Pereira Santos Dezembro 2009

Referências das Bibliotecas Escolares nos Relatórios de Avaliação Externa da Inspecção-geral de Educação (IGE)

projectos 5. CAPACIDADE DE AUTOREGULAÇÃO E MELHORIA DA ESCOLA 5.1 – Auto-avaliação 5.2 – Sustentabilidade do progresso

em diversos projectos nacionais, como a Rede de Bibliotecas Escolares.”

projectos nacionais como o Plano Nacional de Leitura e a Rede de Bibliotecas Escolares.”

Sem registo Sem registo

Sem registo Sem registo

Sem registo Sem registo

CONCLUSÂO:

As Bibliotecas aparecem referenciadas de modo pouco significativo na generalidade dos Relatórios de Avaliação Externa das Escolas -IGE, não correspondendo ao que é proposto e valorizado pelo Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares e um pouco aquém daquela que constitui a sua Missão. Também nas considerações finais relativamente aos pontos fortes e pontos fracos da Escola/ Agrupamento, a Biblioteca Escolar, não é
referida nem como ponto forte, nem como ponto fraco, como oportunidade ou constrangimento.

Através da análise destes relatórios poderemos concluir que a biblioteca escolar ainda não é devidamente valorizada, como seria
desejável, embora algumas referências nos Relatórios do IGE, apontem para alguns aspectos relevantes.

Zélia Pereira Santos Dezembro 2009

Referências das Bibliotecas Escolares nos Relatórios de Avaliação Externa da Inspecção-geral de Educação (IGE)

A implementação e generalização nas Bibliotecas Escolares dos vários graus de ensino, do Modelo de Auto-avaliação, irá certamente inverter esta tendência, se for devidamente aplicado, seguindo as orientações previstas: Envolvimento de toda a comunidade educativa com a comunicação dos resultados; Divulgação e análise junto dos órgãos de administração e gestão do Agrupamento, dos departamentos curriculares e demais estruturas de orientação educativa e de supervisão pedagógica; As equipas de Avaliação Interna do Agrupamento deverão conhecer a Auto-avaliação da BE e incluir os resultados na auto-avaliação do Agrupamento; O resumo dos resultados de auto-avaliação da BE deve ser referenciado na entrevista com a Inspecção-Geral de educação (IGE), contribuindo assim para a avaliação externa da escola; Será ainda importante que o resultado apareça mencionado nos documentos a enviar à IGE, quer nos documentos de preparação dos painéis com a referida entidade; O coordenador da Biblioteca Escolar deverá estar incluído nos painéis com a IGE. Concluindo, os resultados de auto-avaliação têm de ser comunicados e integrados nos restantes processos de avaliação da escola, de modo a garantir a sua avaliação interna e externa. Teremos assim que divulgar e promover o Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar e envolver todos os órgãos de administração, gestão e decisão pedagógica para que a missão da Biblioteca Escolar seja valorizada e consequentemente o papel do professor bibliotecário reconhecido.

Zélia Pereira Santos Dezembro 2009

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful