Você está na página 1de 8

MÁSCARAS DO ORGULO

PREFÁCIO

0
Série Libertação Prática
MÁSCARAS DO ORGULO

AGRADECIMENTOS

À Deus por ter dado a oportunidade de escrever sobre este assunto e me sustentado.
Aos meus pastores Luis F. Bandeira e Valdeliz V. Bandeira que não desistiram de mim.
À minha escudeira fiel e esposa Edna, que me incentivou, sem ela este não trabalho não ficaria pronto.

INTRODUÇÃO
Creio que o Senhor tem levado sua noiva à restauração plena, para encontrar com ele em breve, sem
mácula e liberta.
Acredito que o orgulho é o maior obstáculo para chegar a uma verdadeira libertação e restauração. Para
ser liberto e restaurado por completo de qualquer amarra, é necessário reconhecer a existência e destruir
o altar de orgulho totalmente. O ser humano é orgulhoso por natureza e por mais que não admitimos
sempre temos em qualquer nível, uma raiz de orgulho.

Pr.Valter J. Magalhães

1
Série Libertação Prática
MÁSCARAS DO ORGULO

Quantas vezes experimentamos momentos tremendos na presença de Deus e quantas vezes nos
alegramos e quando estamos vivendo estes momentos não queremos mais sair e fazemos propósitos,
pactos com Deus, sonhamos em conquistar em alcançar, mas, ao sairmos desses momentos, nos
esvaziamos, não sentimos mais as mesmas coisas, nossos sonhos não existem mais, os propósitos e
pactos não são cumpridos.
Porque acontece assim? A Bíblia nos dá muitas respostas nos exemplos que encontramos nela.
No que o orgulho nos atrapalha? Porque não alcançamos o que precisamos?
O orgulho é um câncer que possui muitas caras e máscaras que disfarçam a sua face real.

O que é orgulho?
- Sentimento de dignidade pessoal; amor próprio demasiado; soberba.

Existem princípios que devemos seguir para destruir o altar e esquemas de orgulho.

PASSOS IMPORTANTES PARA ROMPER E QUEBRAR O ALTAR DE ORGULHO


Tiago 4:6,7 -“Todavia, dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos; dá, porém, graça
aos humildes.
Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós.
Chegai-vos para Deus, e ele se chegará para vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de espírito
vacilante, purificai os corações.
Senti as vossas misérias, lamentai e chorai; torne-se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria em
tristeza.
Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.”

A seguir vou tratar de alguns princípios que se colocados em prática, nos levam a destruir e romper
com o orgulho:
1. Deus resiste aos soberbos –
Muitas vezes nos esforçamos para vencer as batalhas. E berramos com todas as nossas forças contra
Satanás – Sai Diabo! E não acontece nada. Deus está nos resistindo. Antes de resistirmos à Satanás,
Deus resiste aos soberbos. É Deus que está com a mão no nosso peito, e nossa luta espiritual de nada
vai adiantar. Precisamos colocar o próximo princiopio em pratica.

2. Dá porém graça aos humildes


A graça de Deus é estendida àquele que se humilha. Jesus disse: “Quem se humilha será exaltado”. Isto é
fato consumado, é uma lei espiritual que não pode ser quebrada. Se quisermos ser reconhecidos em
alguma área e ser exaltado no que fizermos o caminho é na humilhação é onde encontramos a vitória.
Deus espera que espera encontrar humildade em nós, daí encontraremos o Seu favor. Precisamos
cumprir o próximo principio.

3. Sujeitai-vos pois a Deus


Creio que aqui começa a operação de Deus em nossas vidas em todas as áreas, este é o verdadeiro
quebrantamento. Sujeitar a Deus é aceitar a sua vontade mesmo que seja dolorido. É aceitar a correção,
a exortação e se curvar totalmente. Quebrar a servis é aceitar aquilo que nos é doloroso sem reclamar. É
permitir que nossas feriadas sejam exprimidas, lavadas e curadas.

4. E ele fugirá de vós


Para muitos, a guerra espiritual começa aqui, mas na verdade, este princípio é aplicado no final da
batalha, ou seja, quando tivermos passado por todo o caminho de:

Deixar Deus quebrar nosso orgulho, nos humilharmos, sujeição total à Deus.
2
Série Libertação Prática
MÁSCARAS DO ORGULO

Daí podemos:
Resistir ao Diabo e ele fugirá de nós.

Dois textos que exemplifica bem o tratamento dado ao orgulho ou arrogância.


O primeiro exemplo, é o de Jesus com a mulher síro-fenícia, narrado por Mateus no capitulo 15:21-28v.21
“Saindo daquele ligar, Jesus retirou-se para a região de Tiro e de Sidom. Uma mulher cananéia, natural
dali, veio a ele, gritando: “Senhor, filho de Davi, tem misericórdia de mim! Minha filha está endemoninhada
e está sofrendo muito” Mas Jesus não lhe respondeu palavra. Então seus discípulos se aproximaram dele
e pediram:
“Manda-a embora, pois vem gritando atrás de nós”. Ele respondeu: “Eu fui enviado apenas às ovelhas
perdidas de Israel”. A mulher veio, adorou-o de joelhos e disse: ”Senhor, ajuda-me!” Ele respondeu:
“Não é certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos”. Disse ela, porém: “Sim, Senhor, mas até
os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos”. Jesus respondeu: “Mulher,
grande é a sua fé! Seja conforme você deseja”. E naquele mesmo instante a sua filha foi curada.

COMO JESUS TRATOU COM O ORGULHO?


 Desprezo – v.23
“...mas Jesus não lhe respondeu palavra.”
Lidar com o desprezo é parte importante neste tratamento. Jesus, aparentemente não reagiu ao pedido
daquela mulher, mesmo sabendo a sua necessidade, mesmo tendo compaixão, ele queria mostrar que o
problema era mais profundo do que aparentava. Não era apenas o endemoninhamento de sua filha.
Ele queria demonstrar a profundidade desta palavra e a extensão da resistência dessa mulher e
demonstrar aos seu discípulos e seguidores o nível de quebrantamento que libera a ação de Deus.

 Discriminação –v.24
“Eu fui enviado apenas às ovelhas perdidas de Israel.”
Jesus tocou no que seria o orgulho patriótico daquela mulher. Era “status” ser grega, pois a Grécia era
conhecida como um local formador de cultura, opiniões e religião daquela época. Jesus desprezou
totalmente toda aquela condição de superioridade racial, mesmo assim ela não deistiu e Jesus foi além.

 Dignidade humana – v.26


“Não é certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos.”
Toda a dignidade daquela mulher foi lançada por terra, nesta declaração. Nós poderíamos pensar: onde o
mestre estava com a cabeça ao chegar neste nível de conversa, com uma mulher importante da
sociedade? Mas Jesus,
sondava e conhecia o espírito e o coração desta mulher e o resultado foi plenamente alcançado
quando esta mulher demonstrou todo o seu coração nesta frase: “Sim Senhor, mas até os cachorrinhos
comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos.” V. 27
Esta declaração, mostra o nível de humildade e quebrantamento que esta mulher alcançou. Será que
suportaríamos tamanho desprezo e tamanha indignidade ou reclamaríamos diante de uma resposta tão
forte?
O resultado do seu quebrantamento foi o favor de Deus.
v. 28b “E naquele mesmo instante sua filha foi curada.”
Jesus mostrou que esta mulher estava totalmente desprovida de orgulho e podia alcançar seu pedido,
pois se esta mulher fosse uma pessoa orgulhosa, não teria resistido tamanha humilhação.
Não houve necessidade de Jesus impor as mãos sobre ela, nem fazer uma “oração forte”. Pela sua
atitude de quebrantamento total ela alcançou a solução de seu problema. Aquele espírito imundo que
possuía sua filha saiu.
Nós muitas vezes caímos no erro de não investigar a real causa de tanto sofrimento que nos atinge e
também atinge as pessoas a nossa volta. Precisamos, como Jesus, investigar, encontrar a causa e tratar.
Outro texto bíblico importante sobre o tratamento dado ao orgulho é o caso de Naamã narrado no livro de
Reis 4:1-15
3
Série Libertação Prática
MÁSCARAS DO ORGULO

“Ora, Naamã, chefe do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu senhor, e de
muito respeito, porque por ele o Senhor dera livramento aos sírios; era homem valente, porém
leproso.
2 Os sírios, numa das suas investidas, haviam levado presa, da terra de Israel, uma menina que ficou
ao serviço da mulher de Naamã.
Disse ela a sua senhora: Oxalá que o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria!
Pois este o curaria da sua lepra.
Então Naamã foi notificar a seu senhor, dizendo: Assim e assim falou a menina que é da terra de
Israel.
Respondeu o rei da Síria: Vai, anda, e enviarei uma carta ao rei de Israel. Foi, pois, e

levou consigo dez talentos de prata, e seis mil ciclos de ouro e dez mudas de roupa.
Também levou ao rei de Israel a carta, que dizia: Logo, em chegando a ti esta carta, saberás que eu
te enviei Naamã, meu servo, para que o cures da sua lepra.
Tendo o rei de Israel lido a carta, rasgou as suas vestes, e disse: Sou eu Deus, que possa
matar e vivificar, para que este envie a mim um homem a fim de que eu o cure da sua lepra? Notai,
peço-vos, e vede como ele anda buscando ocasião contra mim.
Quando Eliseu, o homem de Deus, ouviu que o rei de Israel rasgara as suas vestes, mandou dizer ao
rei: Por que rasgaste as tuas vestes? Deixa-o vir ter comigo, e saberá que há profeta em Israel.
Veio, pois, Naamã com os seus cavalos, e com o seu carro, e parou à porta da casa de Eliseu.
Então este lhe mandou um mensageiro, a dizer-lhe: Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne
tornará a ti, e ficarás purificado.
Naamã, porém, indignado, retirou-se, dizendo: Eis que pensava eu: Certamente ele sairá a ter
comigo, pôr-se-á em pé, invocará o nome do Senhor seu Deus, passará a sua mão sobre o lugar, e
curará o leproso.
Não são, porventura, Abana e Farpar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel?
não poderia eu lavar-me neles, e ficar purificado? Assim se voltou e se retirou com indignação.
Os seus servos, porém, chegaram-se a ele e lhe falaram, dizendo: Meu pai, se o profeta te houvesse
indicado alguma coisa difícil, porventura não a terias cumprido? Quanto mais, dizendo-te ele: Lava-te,
e ficarás purificado.
Desceu ele, pois, e mergulhou-se no Jordão sete vezes, conforme a palavra do homem de Deus; e a
sua carne tornou-se como a carne dum menino, e ficou purificado.
Então voltou ao homem de Deus, ele e toda a sua comitiva; chegando, pôs-se diante dele, e disse:
Eis que agora sei que em toda a terra não há Deus senão em Israel; agora, pois, peço-te que do teu
servo recebas um presente.
Existem muitas curas e milagres descritos na bíblia, mas como a que aconteceu com Naamã, é a
única.
O que nos chama a atenção nesse texto, é a forma como o profeta Eliseu, tratou com Naamã. O que
era necessário, para que ele fosse curado? O profeta poderia ter saído de seus aposentos e
encontrado Naamã à sua porta e dito: “Assim diz o Senhor: - Vai-te e lava-te no Jordão e ficarás
limpo. Ou mesmo, saído e colocado as mãos sobre ele e repreendido a lepra. Creio que em ambas
as formas o milagre teria acontecido, mas o profeta discerniu uma forma dada pelo Espírito Santo.
Algo que além de curar, traria um resultado maravilhoso em seu espírito e alma. Algo que resultasse
não somente em cura, mas também em conversão e transformação. Ele precisou tratar com o
orgulho, arrogância e a dignidade de status de Naamã e não somente com a vontade de ser curado.
A verdadeira necessidade de Naamã era a sua conversão.
Encontramos um sintoma de orgulho na afirmação de Naamã: Naamã, porém, indignado, retirou-se,
dizendo: Eis que pensava eu: Certamente ele sairá a ter comigo, pôr-se-á em pé, invocará o nome do
Senhor seu Deus, passará a sua mão sobre o lugar, e curará o leproso. Não são, porventura, Abana
e Farpar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? não poderia eu lavar-me
neles, e ficar purificado? Assim se voltou e se retirou com indignação.

4
Série Libertação Prática
MÁSCARAS DO ORGULO

O que é indignação? O dicionário nos diz que é sentimento de cólera despertado por ação indigna;
repulsa; aversão. Indignado é o que mostra ou sente indignação.
Foi esse sentimento que Naamã teve. Quando ficamos indignados com o tratamento dado à nós,
sendo que merecíamos respeito, é sintoma de orgulho.

A indignação de Naamã, foi por dois motivos:

1. Desprezo aparente por parte do profeta


O profeta não saiu para atendê-lo. É de se entender que alguém importante sai de uma terra distante
a procura de um homem que diz ter a solução para o seu mal, no entanto este profeta nem mesmo o
recebe pessoalmente. Em vez disso, manda o seu auxiliar dar-lhe o recado. Então este lhe mandou
um mensageiro, a dizer-lhe: Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne tornará a ti, e
ficarás purificado.
Quantas vezes nós julgamos Naamã por essa atitude de indignação? Mas pare um pouco, você já
ficou indignado quando não foi atendido por alguém em que você esperava uma resposta mais
presente? Ou mesmo quando se esperava mais de alguém que não o atendeu como o esperado? Se
este sentimento, se tornou em indignação, você é orgulhoso. O profeta não desprezou Naamã em
seu coração, pois foi lhe dado a solução, e não o que esperado.

2. A condição
A condição para a cura era se banhar sete vezes no Jordão. Note que a indignação de Naamã não
era o banho e sim o local escolhido pelo profeta: Não são, porventura, Abana e Farpar, rios de
Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não poderia eu lavar-me neles, e ficar
purificado? Assim se voltou e se retirou com indignação.
Qual o sentimento que temos quando recebemos uma ordem ou mesmo uma direção de alguém
maior e julgamos essa ordem desnecessária e sem sentido, e fazemos pior que Naamã,
descumprimos ou somos tentados a cumprir parcialmente como tentou fazer Naamã.
Em ambos os casos, notamos que o resultado foi positivo porque houve quebrantamento e a
estrutura de arrogância e orgulho foram derrubados. Nos dois casos havia um problema de posição
que precisava ser vencido. A mulher siro-fenícia foi confrontada, dentre outras coisas na sua
posição cultural, mas não reclamou nem deistiu pois estava quebrantada e Naamã foi confrontado na
sua posição de autoridade e reagiu.
A nossa posição nos impede de receber a benção de Deus quando é exercida em orgulho e
arrogância, quando esperamos que a posição nos trouxesse algumas vantagens e privilégios.
Creio que o quebrantamento de Naamã ocorreu quando na beira do lamacento Jordão, teve que se
despir de sua vestes de general do exército Sírio, arrancar suas medalhas de honra ao mérito pelas
conquistas, tirar seus calçados e roupas militares e deixar à mostra seu corpo destruído pela lepra.
Era necessário se despir do velho Naamã e entrar de corpo e alma no Jordão. A sua nudez, o
verdadeiro Naamã foi mostrado. Aquele homem importante deixou sua posição de lado ,ali mesmo na
beira do Jordão e entrou quebrantado e saiu curado, restaurado e o coração inclinado à conversão
ao Deus de Israel.

O orgulho possui muitos esquemas que o disfarçam. O orgulhoso frauda a si mesmo e aos outros,
consegue aparentar o que não é. Eis alguns esquemas:
• Jamais admite que é orgulhoso. O próprio
orgulho impede que se admita que é orgulhoso. Este é o sentimento que se tem quando se confronta
alguém orgulhoso. “Eu não sou orgulhoso.”
• Doenças incuráveis
• Perda de energia
• Bloqueio espiritual. Mesmo estando num
mover, não se deixa envolver. Na maioria das vezes fica de fora observando.

5
Série Libertação Prática
MÁSCARAS DO ORGULO

• Intelectualismo – É mais fácil racionalizar


tudo. É um pensador, para tudo encontra uma explicação racional.
• Racismo
• Passividade
• Tímido – O tímido não se expõe, porque
não quer mostrar sua verdadeira personalidade. Vão descobrir quem ele é verdadeiramente. É esse
tímido que a bíblia diz que não herdará o reino dos céus. (Apoc. 21:8)
Deut 20:8 “Assim continuarão os oficiais a falar ao povo, dizendo: Qual é o homem medroso e de
coração tímido? Vá, e torne para casa, a fim de que o coração de seus irmãos não se derreta como
o seu coração.”
• Não assumir a culpa. Encontrar sempre
um culpado
• Fugir de tarefas que julga constrangedoras
• Arrogante
• Mentiroso. Pequenas mentiras estratégicas
– para se livrar de um confronto ele usa essa estratégia.
• Não admitir falhas e erros. Quer sempre
a perfeição. Não quer o segundo lugar e sim o primeiro. Lúcifer teve esse problema: Não se
contentou em ser o portador da luz. Ele quis ser a Luz.
• Não admitir ajuda (Sempre está bem,
mesmo estando mal)
• Tem dificuldade em confessar pecados.
• Tem dificuldade em abraçar, ser e ser
abraçado e sentir-se amado.
• Dificilmente se emociona (é seco,muitas
vezes parece uma estátua)
• Mesmo tendo sentimentos, não os expressa na plenitude.
• Foge de assuntos que o confrontam.
Muda muito fácil de assunto sem dissolver o tema. Mudança estratégica, quando aquele assunto vai
mostrar sua verdadeira face ele
foge e arruma um assunto que suplanta o primeiro.
Alguns desses esquemas ou máscaras pode ser um sintoma não proveniente do orgulho, mas de
outra raiz ou causa. Você pode fazer uma auto análise em sua vida e mudar, deixando ser tratado e
não fugir de situações que o confrontam.
Precisamos como Naamã entrar no Jordão. O rio que cura o orgulho pode ser lamacento como o
Jordão. É o confronto que quebra e destrói o orgulho.
Quantas vezes queremos entrar nos rios de Deus, rios de águas cristalinas. Esse rio todos
querem se banhar e mergulhar e até permanecer nele.
Tudo começa no Jordão; A cura, o quebrantamento e a restauração que traz vitória e conversão
começam no Jordão.
Se pularmos etapas não experimentaremos os rios de Deus plenamente. Se o fez será necessário
voltar ao Jordão e se banhar.
São dias de quebrantamento e de restauração. O noivo vai encontrar uma noiva
restaurada e de vestes embranquecidas. É tempo de deixar o orgulho e arrogância no Jordão.
O orgulho é como mal hálito, todos sabem que você tem, só você não admite. O primeiro passo é
admitir.

6
Série Libertação Prática
MÁSCARAS DO ORGULO

CONCLUSÃO
Muitas situações de dificuldades e até enfermidades que acontecem na nossa vida, podem estar
sustentadas num altar de orgulho. Pudemos aprender que Jesus tratou o orgulho, não só nesta situação,
mas em muitas outras. Ele também tratou as causas dos problemas, não apenas os sintomas. Como
obreiros do Reino, precisamos aprender que a ansiedade para solucionar um problema, resolvendo
apenas a situação momentânea pode trazer resultados apenas superficiais. Saber reconhecer as causas
dos sofrimentos é de grande importância, mas ter discernimento do Espírito Santo para resolver a questão
e indispensável à todos aqueles que trabalham no Reino de Deus em qualquer área e deve ser uma
busca constante. A aplicação pessoal é que não podemos ter nossa vida baseada em altares e estruturas
demoníacas e emocionais, que obstruem a vontade plena de Deus, e sim ter a vida sustentada no altar de
Deus, onde somos libertos e restaurados. Você pode orar e pedir a Deus que o restaure, pois jamais um

orgulhoso poderá experimentar Deus em sua plenitude.


“Senhor Deus, admito: Sou orgulhoso e arrogante e isso tem me impedido de alcançar os sonhos que
tenho e também os seus sonhos para mim. Por isso Senhor, em nome do Senhor Jesus Cristo, trata-
me para que eu seja restaurado e liberto do orgulho. Em nome do Senhor Jesus, Amém.”

Bibliografia:
Treinamento reconciliação Ágape ,
Bíblia versão revista e corrigida e tese da Escola de Líderes Reviver.

A RESPEITO DO AUTOR
Valter J. Magalhães é pastor na Comunidade Cristã Reviver.
É casado com a pastora Edna e tem dois filhos: Hugo e Gustavo. Tem sido chamado e ungido para o
ministério de Libertação e Guerra Espiritual no qual atua.

7
Série Libertação Prática