Você está na página 1de 9

Sessão 6 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:

metodologias de operacionalização

Tarefa:

Tendo por base a amostra de Relatórios de avaliação externa que elegeu, faça
uma análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE,
nesses relatórios.

“O professor transmite os conteúdos e ajuda a definir um problema de


aprendizagem – esse é o ponto de partida – a Biblioteca Escolar ajuda a
transformar a informação em conhecimento. Ambos trabalham para o mesmo
objectivo final: o conhecimento.”

Ross Todd (EUA), Do aprender a ler ao ler para aprender

1. Escolas seleccionadas:

1.1. Agrupamento de Escolas Aquilino Ribeiro – Vila Nova de Paiva

1.2. Agrupamento de Escolas Cidade de Castelo Branco – Castelo


Branco

1.3. Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico da Gafanha da


Nazaré – Ílhavo

1.4. Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico da Batalha –


Batalha

Manuela Silva Página 1


Sessão 6 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:
metodologias de operacionalização

2. Critérios da selecção

Critérios

Escolas da Delegação
Escolas de diferentes
Regional do Centro
tipologias (2
Relatórios do mesmo Agrupamentos/2
ano lectivo (2008-2009) Secundária com 3º Ciclo)

Escolas distantes entre si e


cuja realidade me é
completamente desconhecida

Estes critérios conduzem a uma

Melhor verificação da BE enquanto espaço gerador de saberes e de circulação


de informação.

Manuela Silva Página 2


Sessão 6 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização

Quadro analítico dos resultados obtidos pelas quatro escolas na Avaliação Externa

Agrupamento Agrupamento Sec. com 3º ciclo Sec. com 3º ciclo


Avaliação por domínio Aquilino Ribeiro Castelo Branco Gafanha da Nazaré Batalha
Vila Nova de Paiva Ílhavo
1. Resultados
Muito Bom Muito Bom Bom Bom

2. Prestação do serviço educativo


Bom Muito Bom Bom Bom

3. Organização e gestão escolar


Bom Bom Muito Bom Muito Bom

4. Liderança
Muito Bom Muito Bom Muito Bom Muito Bom

5. Capacidade de auto-regulação e
Bom Muito Bom Bom Bom
melhoria da escola

Manuela Silva Página 3


Sessão 6 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização

Referência às BE nos relatórios de Avaliação Externa das Escolas

IGE – Domínios/factores Agrupamento Aquilino Ribeiro Agrupamento Secundária com 3º ciclo Secundária com 3º ciclo
Vila Nova Paiva Castelo Branco Gafanha Nazaré - Ílhavo Batalha
1. Resultados Referências à BE nos relatórios de Avaliação Externa

1.1. Sucesso Educativo


1.2. Participação e
desenvolvimento cívico
1.3. Comportamento e
disciplina
1.4. Valorização e
impacto das
aprendizagens
2. Prestação do serviço
Referências à BE nos relatórios de Avaliação Externa
educativo
2.1. Articulação e
sequencialidade
2.2. Acompanhamento “Acções de formação
da prática lectiva em sala relevantes para o pessoal
de aula docente, nomeadamente no
âmbito… das bibliotecas
escolares”

Manuela Silva Página 4


Sessão 6 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização

2.3. Diferenciação e
apoios
2.4. Abrangência do “destaca-se… a integração da
currículo e valorização biblioteca na Rede Nacional
dos saberes e da de Bibliotecas Escolares”
aprendizagem
3. Organização e
Referências à BE nos relatórios de Avaliação Externa
gestão escolar
3.1. Concepção,
planeamento e
desenvolvimento da
actividade
3.2. Gestão dos “Na generalidade, verifica-se a
recursos humanos fixação destes elementos a uma
tarefa/lugar (p. ex., biblioteca…),
tendo por base a formação/aptidão
para o exercício das respectivas
funções.”
3.3. Gestão dos “A biblioteca, integrada “A biblioteca escolar,
recursos materiais e na Rede de Bibliotecas integrada na Rede de
financeiros Escolares, é um espaço Bibliotecas Escolares, é um
agradável, funcional e espaço dinâmico,
dotado de recursos, apresentando um plano
tendo um programa de anual que contempla

Manuela Silva Página 5


Sessão 6 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização

acção adequado aos distintas actividades,


discentes dos dois designadamente ao nível
níveis de educação e da difusão da informação,
ensino”. da dinamização/formação
de utilizadores, da
promoção da leitura e da
escrita, do apoio ao
desenvolvimento curricular
e de iniciativas abertas à
comunidade.”
3.4. Participação dos
pais e outros elementos
da comunidade educativa
3.5. Equidade e justiça
4. Liderança Referências à BE nos relatórios de Avaliação Externa
4.1. Visão e estratégia
4.2. Motivação e empenho
4.3. Abertura à inovação “Foram implementados “Merecem destaque os
projectos nacionais… projectos nacionais e
assumindo ainda particular internacionais, tais como…
relevo a adesão à Rede de Biblioteca Escolar…”
Bibliotecas Escolares, cuja
dinâmica tem tido impacto na
mobilização das crianças e

Manuela Silva Página 6


Sessão 6 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização

dos alunos para a leitura e a


investigação.”
4.4. Parcerias,
protocolos e projectos
5. Capacidade de
auto-regulação e melhoria Referências à BE nos relatórios de Avaliação Externa
do agrupamento
5.1. Auto-avaliação “A organização dispõe “Os titulares dos cargos e
de estruturas os responsáveis dos
responsáveis pela clubes, projectos e de
avaliação interna… e de alguns sectores (p. ex., a
sectores específicos (p. biblioteca) elaboram
ex., a biblioteca) …” relatórios anuais…”
5.2. Sustentabilidade
do processo

Manuela Silva Página 7


Sessão 6 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:
metodologias de operacionalização

Após a leitura e levantamento da informação disponibilizada nos relatórios de


avaliação das quatro escolas seleccionadas, verifico que a BE é referida
positivamente nas quatro escolas. No entanto, não é clara a sua relevância
devido às poucas referências, especialmente na Escola Secundária com 3º
Ciclo do Ensino Básico da Gafanha da Nazaré, Ílhavo, em que a única
referência à BE está relacionada com o domínio Organização e gestão escolar,
3.2. Gestão dos recursos humanos – “Na generalidade, verifica-se a fixação
destes elementos a uma tarefa/lugar (p. ex., biblioteca, reprografia e
laboratórios), tendo por base a formação/aptidão para o exercício das
respectivas funções.”
A BE é mencionada quanto à sua funcionalidade e à sua integração na RBE e
é referida como um “espaço agradável, funcional e dotado de recursos, tendo
um programa de acção adequado aos discentes dos dois níveis de educação e
ensino” e um “espaço dinâmico, apresentando um plano anual que contempla
distintas actividades, designadamente ao nível da difusão da informação, da
dinamização/formação de utilizadores, da promoção da leitura e da escrita, do
apoio ao desenvolvimento curricular e de iniciativas abertas à comunidade”.
Penso que a aplicação a todas as BE do modelo de auto-avaliação da RBE
constituirá um factor de ruptura com este cenário de omissão da Biblioteca
enquanto vector estratégico para a obtenção de resultados nas aprendizagens
dos alunos e para o desenvolvimento das literacias ao longo da vida.
Aspecto mais importante a ter em consideração é as comissões de avaliação e
a IGE não prescindirem do professor bibliotecário nos painéis de avaliação e
valorizarem as informações que por este são fornecidas e que devem ser
incluídas nos vários domínios/factores do modelo do IGE e não apenas no
domínio 3. Organização e gestão escolar ou outros afins, pois o trabalho da BE
está muito relacionado com o apoio ao desenvolvimento curricular e a leitura e
a literacia, domínios/factores 1. Resultados e 2. Prestação do serviço educativo
do modelo IGE. No entanto, no domínio/factor 1. nunca é referida e no 2.
aparece mencionada no 2.2. Acompanhamento da prática lectiva em sala de
aula – “…acções de formação relevantes para o pessoal docente,
nomeadamente no âmbito das novas tecnologias de informação e

Manuela Silva Página 8


Sessão 6 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:
metodologias de operacionalização

comunicação, das áreas científico-pedagógica, das bibliotecas escolares, do


projecto curricular e da avaliação no ensino pré-escolar” – e 2.4. Abrangência
do currículo e valorização dos saberes e da aprendizagem – “destaca-se a
implementação … e a integração da biblioteca na Rede Nacional de Bibliotecas
Escolares”.
Concluindo, a BE tem de ser referida nos relatórios de avaliação externa das
escolares de acordo com o trabalho que desenvolve, iniciativas que promove,
apoio, ajuda que dá ao currículo, às actividades de sala de aula e contributo
que presta na promoção do livro e da leitura e formação de leitores activos para
a vida.

Manuela Silva Página 9