Você está na página 1de 1

[OFICINA DE FORMAÇÃO: PRÁTICAS E MODELOS DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES]

E MODELOS DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES ] O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)

ESCOLARES ] O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)

Acções Futuras D.1

     

Justificação

Duas Coisas que a/s BE/s devem deixar de fazer

Elaborar o horário da BE depois de

Por vezes, as BE têm dificuldades em garantir um horário

elaborar os horários de equipa.

toda

a

contínuo e alargado desde o início do ano lectivo. Esta situação acontece, por vezes, devido ao facto de as horas dos membros das equipas na BE serem definidos para “compor” o horário do docente e/ou assistentes. Enquanto os horários de todos os membros da equipa não estão definitivamente definidos, a BE não consegue garantir esse horário contínuo e alargado desde o início

 

do

ano lectivo.

Centrar os serviços da BE espaço físico.

no seu

Alguns Professores Bibliotecários ainda centralizam muito as suas actividades e serviços no espaço físico da BE. A BE deverá ser encarada como um recurso fundamental em contexto de sala de aula para apoio aos curricula.

 

O professor Bibliotecário ter assento em Conselho Pedagógico.

A

maioria dos Professores Bibliotecários participa no

Duas Coisas que a/s BE/s devem continuar a fazer

Conselho Pedagógico o que tem facilitado bastante o envolvimento de todos os órgãos no cumprimento da

 

missão e objectivos das BE.

A BE estar aberta em contínuo e num horário alargado.

Pelas razões já referidas na primeira justificação, o horário das BE tem de ser contínuo e alargado desde o

início do ano lectivo até ao fim. Devido a essa irregularidade no início do ano, ainda se ouvem alguns utilizadores que perguntam algumas vezes “A BE hoje

   

fecha?”

 

Encarar a (auto)avaliação da BE como uma necessidade e não uma obrigatoriedade.

A

Escola/Agrupamento e a BE em particular devem

Duas Coisas que a/s BE/s devem começar a fazer

interpretar a auto-avaliação como uma forma de identificar os seus pontos fortes e pontos fracos. Apenas através dessa identificação se poderá fazer um bom plano de acção que permita a valorização e a rentabilização da BE por toda a comunidade educativa.

 

Se

a auto-avaliação for implementada numa perspectiva

de

obrigação, os resultados poderão não ter a qualidade

esperada.

Formação especializada na área da biblioteconomia e ciências documentais de toda a equipa.

O “excesso” de dúvidas e incertezas de alguns professores bibliotecários deve-se à ausência de mais formação especializada na área da biblioteconomia e ciências documentais. As tarefas relacionadas com estas áreas ainda se centram muito no professor bibliotecário. Seria desejável que todos os membros das equipas possuíssem formação adequada para que pudessem participar/colaborar em todas as áreas de intervenção da BE.