Você está na página 1de 5
PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO 7ª TURMA CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO

7ª TURMA

CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014

TRT: 11081-2011-014-09-00-8 (ED-RO)

Acórdão embargado: 48512/2013

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO 7ª TURMA CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de EMBARGOS DE DECLARAÇÃO, sendo Embargante CLEIDE RODRIGUES DOS SANTOS RIBAS e Embargado V. Acórdão nº 48512/2013.

I. RELATÓRIO

Alegando omissão e necessidade de prequestionamento,

embarga a Autora.

Indaga a respeito da indenização por lucros cessantes - percentual deferido - prequestionamento do art. 950 do Código Civil.

Conclusos, vieram os autos a este Relator.

II. FUNDAMENTAÇÃO

  • 1. ADMISSIBILIDADE

CONHEÇO dos embargos de declaração da Autora, porque

regularmente opostos.

  • 2. MÉRITO

fls.1

Documento assinado com certificado digital por Ubirajara Carlos Mendes - 28/02/2014 Confira a autenticidade no sítio www.trt9.jus.br/processoeletronico Código: VW2V-K113-4216-4389

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO 7ª TURMA CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO

7ª TURMA

CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014 TRT: 11081-2011-014-09-00-8 (ED-RO)

Acórdão embargado: 48512/2013

INDENIZAÇÃO POR LUCROS

CESSANTES

-

PERCENTUAL

DEFERIDO

-

PREQUESTIONAMENTO DO ART. 950 DO CÓDIGO CIVIL.

Alega a Embargante que, na forma do art. 950 do Código Civil, a indenização decorrente da perda ou redução da capacidade funcional deve corresponder à remuneração que ela deixou e está deixando de receber em função da sua incapacidade funcional.

Segundo entende, se a premissa do Acórdão é a de que faz jus à indenização durante os períodos de afastamento, e se durante tais períodos a impossibilidade de trabalhar é total, porque "não pode exercer nenhuma função remunerada, a decisão é omissa, porque não explicitou as razões pelas quais deixou de aplicar o art. 950 do CC, segundo o qual a indenização deve corresponder à remuneração que a Autora deixou de auferir, e não apenas um percentual dela, como registrado no Acórdão" (fl. 863).

Requer

seja

sanada

a

omissão

apontada,

bem

como

prequestionado o mencionado dispositivo do Código Civil.

Analisa-se.

Constou de forma hialina do v. Aresto a comprovação de incapacidade parcial e temporária da Reclamante, tendo o trabalho funcionado como concausa da doença obreira.

fls.2

Documento assinado com certificado digital por Ubirajara Carlos Mendes - 28/02/2014 Confira a autenticidade no sítio www.trt9.jus.br/processoeletronico Código: VW2V-K113-4216-4389

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO 7ª TURMA CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO

7ª TURMA

CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014

TRT: 11081-2011-014-09-00-8 (ED-RO)

Acórdão embargado: 48512/2013

Nos moldes dos artigos 927 (Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187), causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.) e 949 (No caso de lesão ou outra ofensa à saúde, o ofensor indenizará o ofendido das despesas do tratamento e dos lucros cessantes até ao fim da convalescença, além de algum outro prejuízo que o ofendido prove haver sofrido.) do Código

Civil, o dever de indenizar pelo ofensor é proporcional à lesão ocorrida por sua culpa.

Assim, o caso não era de se fixar a indenização em 100% do salário, como postulado na exordial, se as condições laborais contribuíram somente como concausa para o surgimento/agravamento da epicondilite que acometeu a Reclamante; se e a perícia foi taxativa quanto à possibilidade de cura sem sequelas; e, ainda, se a Autora permaneceu vinculada aos quadros do Réu.

Com base em tais considerações, esta E. Turma entendeu razoável fixar o percentual para a indenização em 25% (incapacidade moderada), acompanhando a proporcionalidade da evolução salarial normativa do cargo ocupado pela Reclamante durante os períodos de afastamento decorrentes da doença ..

Destacou-se que o C. TST, em julgado da Ministra Maria Cristina Irigoyen Peduzzi, explicitou que "A determinação do grau de redução da capacidade laborativa de trabalho não envolve explanação matemática, mas, sim, juízo de valor fundamentado, segundo a persuasão racional do magistrado. A

ciência jurídica preocupa-se, antes, com a justa reparação do dano sofrido, do que, especificamente, com a precisão matemática dos cálculos" (TST-RR 930/2001-010-09-00-6 - 3.ª Turma - DJ 19.03.04).

fls.3

Documento assinado com certificado digital por Ubirajara Carlos Mendes - 28/02/2014 Confira a autenticidade no sítio www.trt9.jus.br/processoeletronico Código: VW2V-K113-4216-4389

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO 7ª TURMA CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO

7ª TURMA

CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014

TRT: 11081-2011-014-09-00-8 (ED-RO)

Acórdão embargado: 48512/2013

Desse modo, o v. Acórdão contém a apreciação de todos os temas relevantes que lhe foram oferecidos oportunamente para o deslinde da controvérsia, na forma dos arts. 93, IX, da Constituição Federal, 832 da CLT e 458, II, do CPC, e não se verificam os vícios de que tratam os artigos 897-A da CLT e 535, incisos I e II, do CPC.

O Colegiado esclareceu precisamente as razões de seu convencimento, inexistindo omissões, contradições ou obscuridades a serem sanadas, sendo que o mero inconformismo com relação ao decidido não pode ser analisado pela via de embargos de declaração.

Veja-se, ainda, que todo e qualquer dispositivo legal, constitucional ou de verbete sumular que a parte entender como violado pela decisão proferida, já se acha prequestionado, na forma da Orientação Jurisprudencial nº 119 da

SBDI - I do C. TST (É inexigível o prequestionamento quando a violação indicada houver nascido na própria decisão recorrida. Inaplicável a Súmula n.º 297 do TST.), sendo desnecessária

qualquer referência expressa no "decisum", conforme OJ nº 118 da SBDI I do C. TST (

Havendo tese explícita sobre a matéria, na decisão recorrida, desnecessário contenha nela referência expressa do dispositivo legal para ter-se como prequestionado este.).

Ante o exposto, nega-se provimento.

III. CONCLUSÃO

Pelo que,

fls.4

Documento assinado com certificado digital por Ubirajara Carlos Mendes - 28/02/2014 Confira a autenticidade no sítio www.trt9.jus.br/processoeletronico Código: VW2V-K113-4216-4389

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO 7ª TURMA CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO

7ª TURMA

CNJ: 0000506-74.2011.5.09.0014 TRT: 11081-2011-014-09-00-8 (ED-RO)

Acórdão embargado: 48512/2013

ACORDAM os Desembargadores da 7ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, por unanimidade de votos, CONHECER DOS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO DA AUTORA. No mérito, por igual votação, NEGAR-LHES PROVIMENTO, nos termos da fundamentação.

Intimem-se.

Curitiba, 25 de fevereiro de 2014.

UBIRAJARA CARLOS MENDES

DESEMBARGADOR DO TRABALHO RELATOR

fls.5

Documento assinado com certificado digital por Ubirajara Carlos Mendes - 28/02/2014 Confira a autenticidade no sítio www.trt9.jus.br/processoeletronico Código: VW2V-K113-4216-4389