Você está na página 1de 6

MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃO)

ANÁLISE E COMENTÁRIO CRÍTICO À PRESENÇA DE REFERÊNCIAS À BE NOS RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS

A amostra que utilizei para realizar esta tarefa obedeceu às seguintes prioridades:
1º Região geográfica a que pertenço (Região de Basto) – Agrupamento de Escolas de Mondim de Basto; Escola Profissional de Fermil de Basto;
Agrupamento de Escolas de Refojos de Basto - Cabeceiras de Basto
2º Proximidade geográfica – Escola Secundária/3º ciclo - Amarante
3º Conhecimento pessoal de colegas que fazem parte das equipas das BE – Escola Secundária/3º ciclo de Alberto Sampaio – Braga; Agrupamento
de Escolas de Moure.
Decidi elaborar o seguinte quadro comparativo, que me permitiria confrontar resultados por Domínio/Ano lectivo

DOMÍNIO: 1 – RESULTADOS

Ano lectivo 2006-2007 Ano lectivo 2007-2008 Ano lectivo 2008-2009


Subdomínio Escola Secundá- Escola Secundária Agrupamento de Esco- Escola Profissional de Agrupamento de Esco- Agrupamento de
ria – 3º ciclo - – 3º ciclo de Alber- las de Mondim de Bas- Fermil de Basto las de Refojos de Basto Escolas de Moure
Amarante to Sampaio -Braga to
1.1 Sucesso académico “…dinâmicas diver-
sificadas da Biblio-
teca Escolar Centro
de Recursos Educa-
tivos…”
1.2 Participação e desenvolvimen- “… destacam-se “Importa, no entanto, “…actividades pro-
to cívico alguns projectos … salientar o trabalho gramadas…
tais como as activi- desenvolvido pelos pela Coordenadora
dades da biblioteca alunos na biblioteca da da Biblioteca Esco-
Manuel Montei- escola sede” lar…”
ro…” “…quantidade e
diversidade de
estratégias forma-
tivas no… Biblioteca
Ana Maria Rodrigues 1
MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃO)

Escolar…”
“… colaboração nas
dinâmicas da Biblio-
teca Escolar são os
momentos e os
locais onde os alu-
nos manifestam
uma intervenção
activa e positiva.”
1.3 Comportamento e disciplina
1.4 Valorização e impacto das
aprendizagens

DOMÍNIO: 2 – PRESTAÇÃO DO SERVIÇO EDUCATIVO

Ano lectivo 2006-2007 Ano lectivo 2007-2008 Ano lectivo 2008-2009


Subdomínio Escola Secundária Escola Secundária Agrupamento de Esco- Escola Profissional Agrupamento de Escolas Agrupamento de
– 3º ciclo - Ama- – 3º ciclo de las de Mondim de Basto de Fermil de Basto de Refojos de Basto Escolas de Moure
rante Alberto Sampaio -
Braga
2.1 Articulação e sequenciali- Promoção de visitas de
dade todos os alunos do 1º
CEB à escola sede para
um primeiro contacto
com alguns espaços
educativos (biblioteca…
2.2 Acompanhamento da práti-
ca lectiva em sala de aula
2.3 Diferenciação e apoios “As diversas actividades “… rentabilização
de enriquecimento curri- da Biblioteca Esco-
cular, nomeadamente lar…”
alguns projectos… Biblio-
teca/Centro de Recursos
Educativos…”

Ana Maria Rodrigues 2


MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃO)

2.4 Abrangência do currículo e “… a dinamização “ Salienta-se o trabalho


valorização dos saberes e da da Biblioteca Esco- desenvolvido pela Biblio-
aprendizagem lar…” teca/Centro de Recursos
Educativos na dinamiza-
ção de uma série de acti-
vidades…estimulam a
valorização do conheci-
mento e da aprendiza-
gem.”

DOMÍNIO: 3 – ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR

Ano lectivo 2006-2007 Ano lectivo 2007-2008 Ano lectivo 2008-2009


Subdomínio Escola Secundária Escola Secundária Agrupamento de Escola Profissional de Agrupamento de Esco- Agrupamento de
– 3º ciclo - Ama- – 3º ciclo de Alber- Escolas de Mondim Fermil de Basto las de Refojos de Basto Escolas de Moure
rante to Sampaio -Braga de Basto
3.1 Concepção, planeamento e “… Iniciativas promovi-
desenvolvimento da actividade das na Bibliote-
ca/Centro de Recur-
sos…”
3.2 Gestão dos recursos huma- “… no âmbito da Biblio-
nos teca Escolar foi promo-
vida uma acção de
formação…”
3.3 Gestão dos recursos mate- “… boa conserva- “ Os recursos, espaços e “…Biblioteca/Centro de
riais e financeiros ção e aprazibilida- equipamentos … biblio- Recursos Educativos
de… biblioteca…” teca… estão acessíveis e veio proporcionar con-
“… aproveitar parecem bem organiza- dições para uma dina-
todas as candida- dos.” mização eficaz de mui-
turas… Rede de “No caso da Biblioteca o tos dos muitos projec-
Bibliotecas Escola- acompanhamento dos tos…”
res…” alunos é assegurado por “A comunidade escolar
“ O espaço da dois professores sendo considera a Bibliote-
Biblioteca … eleitos temas mensais ca/centro de Recursos

Ana Maria Rodrigues 3


MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃO)

encontra-se bem para aprofundamento e Educativos um espaço


equipado funcio- debate. acolhedor e atraente
nando como pólo …”
aglutinador de
toda a comunida-
de educativa na
gestão dos tempos
livres dos alunos e
na promoção dos
saberes.”
3.4 Participação dos pais e
outros elementos da comunida-
de educativa
3.5 Equidade e justiça

DOMÍNIO: 4 – LIDERANÇA

Ano lectivo 2006-2007 Ano lectivo 2007-2008 Ano lectivo 2008-2009


Subdomínio Escola Secundária Escola Secundária Agrupamento de Esco- Escola Profissional de Agrupamento de Esco- Agrupamento de
– 3º ciclo - Ama- – 3º ciclo de Alber- las de Mondim de Bas- Fermil de Basto las de Refojos de Basto Escolas de Moure
rante to Sampaio -Braga to
4.1 Visão e estratégia
4.2 Motivação e empenho
4.3 Abertura à inovação “--- envolvência Referência ao PNL e Referência à RBE e PNL “…O projecto de
com alguns pro- RBE tutoria…com a
jectos locais e colaboração …
nacionais… Rede Biblioteca Esco-
de Bibliotecas lar…”
Escolares…”
4.4 Parcerias, protocolos e pro- “Como projectos prin-
jectos cipais salienta-se:
Rede de Bibliotecas
escolares…”

Ana Maria Rodrigues 4


MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃO)

DOMÍNIO: 5 – CAPACIDADE DE AUTO-REGULAÇÃO E MELHORIA DA ESCOLA/AGRUPAMENTO

Ano lectivo 2006-2007 Ano lectivo 2007-2008 Ano lectivo 2008-2009


Subdomínio Escola Secundária Escola Secundária Agrupamento de Escolas Escola Profissional Agrupamento de Esco- Agrupamento de
– 3º ciclo - Ama- – 3º ciclo de Alber- de Mondim de Basto de Fermil de Basto las de Refojos de Basto Escolas de Moure
rante to Sampaio -Braga
5.1 Auto-avaliação
5.2 Sustentabilidade do progres-
so
CONSIDERAÇÕES FINAIS A Biblioteca é consi- A Biblioteca é conside-
derada um ponto rada um ponto forte do
forte.”O clima que se Agrupamento. “A quali-
vive na biblioteca, dade da Bibliote-
inspirando o gosto ca/Centro de Recursos
pela leitura e pelo Educativos, quer pelo
debate.” acervo bibliográfico,
quer pelas dinâmicas
que promove”

Desta análise concluo que a referência às bibliotecas escolares é muito superficial e aparece, na maior parte dos casos, ligada à prestação de serviços, a
projectos como o PNL ou como parceiro da RBE. De salientar que todas as bibliotecas são referenciadas como espaços acolhedores e bem equipados e com
ambiente agradável. Estas escassas referências poder-nos-ão levar a pensar que a IGE, não tem, ainda, a percepção da importância e do dinamismo das BE nas
escolas. O guião para avaliação externa, seguido pela IGE, parece-me completamente desajustado da necessidade de valorizar o papel da BE no seio da comunida-
de escolar. Nos painéis a constituir pelos Agrupamentos não há lugar ao Coordenador/Professor bibliotecário que, poderá aparecer, porque faz parte de outras
equipas de trabalho, nomeadamente da avaliação interna. As próprias Direcções Executivas têm dificuldade em fazer a ligação entre os domínios da IGE e a BE.
Esta amostra leva-me a acreditar que algo está a mudar, uma vez que a BE é considerada como ponto forte da escola/agrupamento (Casos de Fermil de Basto e
Refojos de Basto) e começa a aparecer referenciada no domínio dos resultados (caso de Moure).

Ana Maria Rodrigues 5


MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃO)

O trabalho que temos pela frente vai ser árduo e acho que o modelo de auto-avaliação das Bibliotecas Escolares nos dá as “armas” para batalhar! Nos pró-
ximos tempos valorizar o papel da BE e mostrar a sua importância nas aprendizagens e sucesso educativo dos alunos terão de ser os nossos objectivos prioritários!

Ana Maria Rodrigues 6