UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INFLUÊNCIA DOS EXERCICIOS PARA AUXILIAR PROBLEMAS MOTORES DE
PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON.


ALEXANDRE SCHERRER TOMÉ















São Bernardo do Campo
2014

ALEXANDRE SCHERRER TOMÉ











INFLUÊNCIA DOS EXERCICIOS PARA AUXILIAR PROBLEMAS MOTORES DE
PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON.




Projeto de Pesquisa apresentado a comissão de
seleção do programa de pós-graduação (Mestrado)
em Neurociências e comportamento - NEC, como
requisito para a candidatura do ano acadêmico de
2014, 2º semestre, da Universidade de São Paulo.

Orientadora: Profª. Dra. Maria Elisa Pimentel
Piemonte











São Bernardo do Campo
2014



RESUMO

O objetivo deste projeto de pesquisa visa aprofundar no conhecimento teórico e na
compreensão da influência dos exercícios para auxiliar problemas motores de pacientes com
doença de Parkinson. Está doença se caracteriza por apresentar sintomas motores como:
tremor de repouso, lentidão de movimentos, rigidez articular e instabilidade postural.
A amplitude e a velocidade dos movimentos são diminuídas, dificultando a
realização de movimentos seqüenciais ou repetitivos o que compromete a prática das
atividades da vida diária, prejudicando a qualidade de vida das pessoas. A doença de
Parkinson também reduz o automatismo dos movimentos, sendo necessário que os indivíduos
façam esforço cognitivo para realizar suas atividades.

Palavras chave: Doença de Parkinson, habilidade motora, atividade física.

































ABSTRACT

The objective of this research project aims to deepen the theoretical knowledge
and understanding of the influence of exercises to help patients engine problems with
Parkinson's disease. Disease is characterized by motor symptoms present as resting tremor,
slowness of movement, stiffness and postural instability.
The amplitude and velocity of the movements are diminished, hindering the
realization of sequential or repetitive practice which undermines the activities of daily life,
harming the quality of life of people movements. Parkinson's disease also reduces the
automaticity of movements, it is necessary that individuals make cognitive effort to perform
their activities.
Keywords: Parkinson's disease, motor skills, physical activity.
























SUMÁRIO

1 ÁREA DE CONCENTRAÇÃO E LINHA DE PESQUISA......................................... 6
2 INTRODUÇÃO............................................................................................................. 6
3 DEFINIÇÃO DO PROBLEMA E OBJETIVO DA PESQUISA.................................. 7
4 JUSTIFICATIVA............................................................................................................ 7
5 REVISÃO DE LITERATURA........................................................................................ 8
6 PROCEDIMENTO METODOLÓGICO......................................................................... 8
CONCLUSÃO................................................................................................................ 9
REFERÊNCIAS.............................................................................................................. 10
6
1 ÁREA DE CONCENTRAÇÃO E LINHA DE PESQUISA

A linha de pesquisa escolhida foi a de Sensação, Percepção e Movimento,
procurando o aprofundamento do conhecimento teórico e a compreensão das práticas de
tratamentos para pacientes com Parkinson. Na área de concentração de Neurociências e
Comportamento.

2 INTRODUÇÃO


Atualmente é oferecida uma grande importância e crescimento nas pesquisas e no
interesse clínico em relação à prática de exercícios como tratamento para problemas de
mobilidade em pessoas com Doença de Parkinson, por considerar que ela é determinante do
desempenho individual, da satisfação no trabalho e da produtividade da empresa.
Os benefícios da prática de atividade física regular e com orientação adequada são
amplamente reconhecidos e contribuem para uma melhor qualidade de vida. No paciente com
Parkinson os exercícios tem importância adicional visando não só os aspectos motores, como
também os aspectos psicológicos e sociais.
A atividade física não leva ao desaparecimento da doença, porém pode retardar
sua progressão, principalmente no que diz respeito à rigidez muscular e lentidão dos
movimentos (Hauser & Zesiewicz, 2001; Shepard, 1998; Kuroda et al., 1992). Além disso,
segundo Shankar (2002) melhora a sensação de bem-estar e o estado funcional do paciente.
Estudos têm apontado que a prática de atividades físicas tem proporcionado
benefícios as pessoas com Parkinson. Essa prática segundo os autores deve ser regular uma
vez que seus benefícios tendem a desaparecer após um período de interrupção dessas
atividades (Comella et al., 1994).
Sasco et al (1992), indica que a atividade física possui um efeito neuroprotetor
sobre o cérebro, auxiliando na proteção de várias doenças neurodegenerativas. Segundo seus
estudos realizados com ratos, os exercícios poderiam diminuir a vulnerabilidade da dopamina
à agentes agressores. A plasticidade do cérebro e seu poder regenerador podem ser
aprimorados com a atividade física.



7



3 DEFINIÇÃO DO PROBLEMA E OBJETIVO DA PESQUISA

O presente trabalho será elaborado para responder a seguinte questão chave: existe
influência por parte dos exercícios para auxiliar problemas motores de pacientes com doença
de Parkinson?
Realizando um levantamento dos estudos realizados, mostraram que pacientes que
realizaram reabilitação com fortalecimento muscular associado a treino de equilíbrio tiveram
maior benefício quando comparados com aqueles que fizeram apenas exercícios de equilíbrio.
Para que o objetivo geral seja atingido, decorrem como necessários, os seguintes
objetivos específicos:

Identificar os exercícios que pode ser realizados por pacientes portadores de
Parkinson.
Verificar o desempenho individual, satisfação, produtividade dos indivíduos,
através da coleta de dados pela utilização de questionários e pesquisas.
Relacionar a identificação dos indivíduos com os exercícios.
Análise dos resultados, levantamento de dados sobre os pacientes com Parkinson.


4 JUSTIFICATIVA

Estudar tal tema mostra-se relevante, pois o estudo da doença de Parkinson pode
fornecer informações importantes a serem examinadas e analisadas, para a compreensão e
identificação dos exercícios que contribuem para qualidade de vida de pacientes com
Parkinson.
Esse projeto pesquisa busca trazer contribuições para a área de Neurociências e
Comportamento - NEC, na linha de pesquisa Sensação, Percepção e Movimento, produzindo
conhecimento acerca de uma realidade presente na vida de pessoas com Parkinson. O estudo
vem a favorecer a todos os tipos de pacientes, onde irão ter a possibilidade de encontrar
caminhos alternativos e inovadores para tratar da doença e seus sintomas.



8


5 REVISÃO DE LITERATURA


A Doença de Parkinson é um distúrbio neurológico progressivo causado pela
degeneração de neurônios da substância negra responsáveis pela produção de dopamina,
neurotransmissor relacionado principalmente com a função de coordenação dos movimentos.
(Hauser e Zesiewicz, 2001). Foi a partir dos trabalhos de Palmer, Mortmer e Webster (1986)
Shankar (2002), Gallahue, (2003), que o conceito dos exercícios para o estudo da influência
nos portadores de Parkinson, tomou um maior impulso.


6 PROCEDIMENTO METODOLÓGICO

A pesquisa da influência dos exercícios nos portadores de Parkinson é uma tarefa
difícil e delicada, e os profissionais da área devem fazê-lo com muita seriedade, prudência e
bom senso, através de uma metodologia adequada à realidade para evitar erros e prejuízos às
novas propostas de trabalho, por intermédio dos estudos da Neurociência. È importante
destacar o uso da pesquisa bibliográfica e o questionário estruturado, direcionado a pacientes
portadores e seus respectivos responsáveis pelo acompanhamento clinico.
Segundo RICHARDSON (1999, p. 70) define o método de pesquisa como escolha
de procedimentos sistemáticos para a descrição e explicação dos fenômenos. A escolha do
método deve ser coerente ao problema investigado.
Um importante instrumento a ser utilizado para o procedimento de pesquisa é a
coleta de dados, onde se pretende obter os dados de pesquisa para responder ao problema,
sendo necessário correlacionar objetivos aos meios, a fim de alcançá-los e justificar a
adequação de um ao outro. Ex.: formulação de questões, correlação entre elas, e o meio de
respondê-las. (VERGARA, 2006)








9


CONCLUSÃO

Assim, um programa que envolve exercícios e atividade física com esta
perspectiva, apesar do indiscutível ganho funcional, pode fragmentar as experiências
corporais do individuo, excluindo, por exemplo, os aspectos lúdicos, expressivos e de auto
conhecimentos. Desta forma, consideramos de extrema importância que seja repensado a
inclusão do Neurocientista na equipe multidisciplinar envolvida no cuidado destes pacientes.





















10


REFERÊNCIAS

COMELLA CL, STEBBINS GT, BROWN-TOMS N. Physical therapy and Parkinson's
disease: a controlled clinical trial. Neurology 1994;44(3pt1):376-378.
GALLAHUE, David L.; OZMUN, John C. Compreendendo o desenvolvimento motor:
bebês, crianças, adolescentes e adultos. São Paulo: Phorte, 2003.
HAUSER, Robert; ZESIEWICZ, Theresa. A doença de Parkinson: perguntas e respostas.
São Paulo: Novartis, 2001.
KURODA K, TATARA K, TAKATORIGE T. Effect of physical exercise on mortality in
patients with Parkinson's disease. Acta Neurol Scand 1992; 86(1)55-59.
PALMER S.S; MORTIMER J.A; WEBSTER D.D, et al. Exercise therapy for Parkinon's
disease. Arch Phys Med Rehabil. 67: 741-745, 1986.
RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3.ed. São Paulo:
Atlas, 1999.

SASCO Aj, PAFFENBARGER Rs Jr, GENDRE I. The role of physical exercise in the
ocorrence of Parkinson's disease. Arch Neurol 1992;49(4):360-365.
SHANKAR. Kamala. Prescrição de Exercícios. Rio de Janeiro: Guanabara . 2002.
SHEPHARD R.J. Aging and Exercise. In: Encyclopedia of Sports Medicine and Science,
Fahey TD (editor). Internet Society for Sport Science: http://sportsci.org. Toronto, 1998.
Traduzido por: Professor Guimarães A.O.B.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatório de pesquisa em administração, 7º ed.,
São Paulo: Atlas, 2006.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful