Você está na página 1de 2

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares : metodologias de operacionalização (Workshop)

(2) Distinguir «enunciados» gerais de específicos

Continuei a experimentar alguma perplexidade na concretização deste segundo exercício. Parece-me que o termo «enunciados» se
refere a objectivos, sendo então necessário distinguir os objectivos gerais dos específicos. As acções para a melhoria que estão aqui a ser
analisadas estão expressas em termos de objectivos gerais e não em termos de objectivos específicos, mas não consigo reconhecer nesse facto
um sinal de «fragilidade», o que falta é a respectiva operacionalização em objectivos específicos e estratégias. Mas pergunto-me, será nesta
fase que se faz a operacionalização?
Este tema leva-nos para outro que está muito na ordem do dia, desde que saltou do mundo empresarial para a administração pública,
que é o da gestão por objectivos. A gestão por objectivos, tal como a concebeu Peter Drucker (The Pratice of Management, 1954), consiste
numa metodologia norteada pelo estabelecimento concertado de metas de trabalho, tendo em conta os recursos disponíveis e o período de
tempo previsto para a sua realização. Estas metas são formuladas entre o gestor e os funcionários no início do período de trabalho que vai ser
avaliado e não no final. Por isso penso que num relatório final de uma organização, neste caso de uma BE, o seu gestor/ coordenador só pode
enunciar acções futuras para melhoria, em termos de objectivos gerais, pois desconhece que recursos e público alvo irá ter no início do
próximo período de avaliação, para os poder operacionalizar.
Concordo que um relatório final deve prever acções futuras, no sentido de melhorar e desenvolver aqueles que foram identificados com
os pontos fracos da BE, mas especificá-las a ponto de as tornar em actividades concretas, pode pecar por aquilo que acontece muito em
Portugal: ficar apenas no papel.
O planeamento é tão importante como a avaliação final. Não podemos é fazer o «dois em um» e num relatório final fazer o
planeamento do ano seguinte. Este planeamento deverá, na minha opinião, ser norteado por aquilo que Daniel Hameline denominou
pedagogia por objectivos (Les objectifs pédagogiques en formation initiale et continue, 1983), estabelecendo finalidades e metas, formulando
para estas os objectivos gerais, ou seja os resultados / competências esperados, e finalmente decompondo os objectivos gerais em objectivos
específicos, isto é, os comportamentos esperados.
Os objectivos específicos devem ser formulados em termos operacionais e devem conter sempre verbos de acção. Deste modo, e para
não fugir muito ao exercício proposto, irei operacionalizar em objectivos específicos os enunciados 3 e 4, mas tendo em conta que esta
operacionalização deverá ser feita noutro momento de avaliação que não este.
Finalidade: Promover a Leitura e a Literacia (Domínio B)
Acções para a melhoria
Objectivos Gerais Objectivos específicos Estratégias
Reforçar o trabalho Reunir periodicamente com os Departamentos; Realizar planificações conjuntas, nas quais esteja incluída a acção
articulado da BE.
Reunir periodicamente com as ACND; Criação de guiões de pesquisa que permitam desenvolver
Colaborar com os professores de TIC; competências de pesquisa e de trabalho autónomo.
Reunir com a associação de pais; Planificar actividades conjuntas que integrem as famílias na vida
escolar dos seus educandos: Projecto leitura em família.
Reunir com a biblioteca pública; Disponibilização de um catálogo colectivo que facilite a pesquisa e
a partilha de recursos.

Reforçar a produção de Criação de guiões de leitura; Divulgação de guiões de pesquisa e de leitura e promover a sua
instrumentos de apoio a Criação de guiões de pesquisa; utilização na BE, através de actividades como o livro da semana,
ser usados por professores Criação de guiões de pesquisa na WEB; concursos de leitura, cursos de formação de utilizadores, aulas
e alunos Criação de portais que guiem os alunos para práticas na BE.
recursos electrónicos seleccionados Realizar acções de formação de utilizadores do catálogo
(previamente estudados pela equipa da automático da BE.
biblioteca);
Criação de um catálogo OPAC.

Você também pode gostar