Você está na página 1de 1

15

PORTUGUÊS 9 UNIDADE 1 – OTEXTONARRATIVO
exercícios de aplicação
1. Narrador
Classifica o tipo de narrador de cada um dos excertos que a seguir se transcrevem, quanto à sua
presença e ponto de vista:
Texto A
No fundo do mar, entre os cinco e os dez metros de profun-
didade, vive o peixe -papagaio. Há anos que sigo o seu rastro,
através dos livros e das séries de televisão. Mas faltava-me este
encontro pessoal, que acontece ao largo da ilha de Pigeon, onde
Cousteau conseguiu que se estabelecesse uma reserva subma-
rina.
Miguel de Sousa Tavares, Sul-Viagens, Oficina do Livro
Embora gatuno de profissão, pois que não se podia chamar
cesteiro a quem só lá de tempos a tempos fazia um cesto por
desfastio, Faustino, mal deu de chofre com a capela, teve um
baque no coração. E parou. Nunca assaltara nenhum lugar
sagrado. Sempre era roubar a Senhora da Saúde!
Miguel Torga, “UmRoubo”, Contos da Montanha, BOOKET
UNIDADE 1 – OTEXTONARRATIVO
saber o essencial
14
PREPARAR A PROVA FINAL
3. Personagens – As personagens são os atores da ação.
As personagens de uma narrativa podem ser classificadas consoante a
importância que apresentam.
4. Espaço
Podemos distinguir três tipos de espaço.
5. Tempo
Numa narrativa, identificamos modos distintos de referir o tempo:
©
A
R
E
A
L
E
D
IT
O
R
E
S
©
A
R
E
A
L
E
D
IT
O
R
E
S
relevo /
importância das
personagens
conceção /
construção das
personagens
caracterização
das personagens
PERSONAGENS
ESPAÇO
TEMPO
secundárias – são as personagens que, não
sendo centrais, contribuempara o
desenvolvimento da ação
principal ou protagonista – é a personagem(ou
personagens) que se situa no centro da ação
planas ou tipo – estas personagens possuem
características marcadas e não evoluemao
longo da narrativa
figurantes – estas personagens não
contribuempara o desenvolvimento da ação
tipos de espaços
espaço social – designa o ambiente social onde
as personagens se movimentam
espaço físico – é o espaço real, exterior ou
interior, onde as personagens se movem
espaço psicológico – é o conjunto das emoções,
pensamentos e vivências das personagens
Tipos de tempo
tempo da narrativa – resulta do modo como o
narrador trata o tempo na história. O narrador
pode respeitar a ordemcronológica ou alterá -
-la recuando até ao passado (analepse) ou
viajando até ao futuro (prolepse)
tempo cronológico – tempo ao longo do qual
decorremos acontecimentos narrados
tempo psicológico – é de natureza subjetiva;
designa o modo como a personagemsente o
passar do tempo
modeladas ou redondas – são personagens
complexas que evoluemao longo da narrativa;
estas personagens manifestamconflito
interior, possuemdensidade psicológica
caracterização indireta – é o leitor a tirar as
suas conclusões sobre a personagem, através
das suas atitudes e comportamentos
caracterização direta – a personagemé
caracterizada diretamente pelo narrador, por
outra personagemou por si própria
(soluções na página 252)
Narrador:
participante
ou presente
não participante
ou ausente
objetivo
subjetivo
Narrador:
participante
ou presente
não participante
ou ausente
objetivo
subjetivo
Narrador:
participante
ou presente
não participante
ou ausente
objetivo
subjetivo
Começou por me dizer que o seu caso era simples – e que se
chamava Macário… Devo contar que conheci este homem
numa estalagem do Minho. Era alto e grosso: tinha uma calva
larga, luzidia e lisa, com repas brancas que se lhe eriçavam em
redor: e os seus olhos pretos, com a pele em roda engelhada e
amarelada, e olheiras papudas, tinham uma singular clareza e
retidão, por trás dos seus óculos redondos com aros de tarta-
ruga.
Eça de Queirós, Singularidades de Uma Rapariga Loura, Editora Guerra e Paz
Texto B
Texto C