Você está na página 1de 2

Tipos de coerência textual

Existem seis tipos de coerência textual: sintática, semântica, temática, pragmática, estilística e genérica
Certamente você já ouviu falar na coerência textual, esse elemento indispensável para a
construção de sentidos de um texto. O que talvez você ainda não saiba é que, quando se trata de
coerência, diferentes tipos podem ser elencados, todos com um mesmo propsito! tornar um texto
inteli"#vel, or"anizado e não contraditrio.
$ara que ao final de um texto ele seja considerado coerente, seus se"mentos textuais precisam
estar encadeados lo"icamente, como pecin%as de um complicado quebra&cabeças. Cada parte
colabora para o resultado final, que pode ser satisfatrio ou desastroso, sobretudo se as peças
estiverem em lu"ares inadequados. 'ssas peças, quando o assunto é a coerência textual, são as
ideias e os ar"umentos, que devem estar %armonicamente or"anizados para que os sentidos do
texto sejam apreendidos de maneira satisfatria.
Con%eça a"ora os diferentes tipos de coerência textual, imprescind#veis para a coerência "lobal
de um texto!
( Coerência sintática: diz respeito ) adequação entre os elementos que comp*em a frase, como
a ordem como eles são dispostos, seleção lexical, coesão e re"ras de concord+ncia e de
re"ência. ,ua principal função é eliminar estruturas amb#"uas, assim como o uso inadequado dos
conectivos, elementos indispensáveis para a coesão textual.
( Coerência semântica: é estabelecida entre os si"nificados dos elementos do texto. -uando as
frases em sequência aparecem desprovidas de sentido, dizemos que se trata de ideias
contraditrias.
♣ Coerência temática: Com exceção das inserç*es explicativas, como citaç*es e paráfrases,
todos os enunciados de um texto precisam ser coerentes e relevantes para o tema. $ara que se
consi"a a coerência temática, frases que em nada contribuem para a sequência l"ica dos
ar"umentos devem ser evitadas.
♣ Coerência pragmática: acontece quando as condiç*es do contexto são favoráveis aos atos de
fala dos interlocutores. $or exemplo, quando fazemos uma per"unta para um interlocutor, a
coerência pra"mática exi"e que ele elabore uma resposta, dando sequência então aos atos de
fala e ) comunicação. ,e essas condiç*es são i"noradas, o resultado é a incoerência pra"mática.
♣ Coerência estilística: . coerência estil#stica exi"e que, ao lon"o de um texto, um /nico tipo de
lin"ua"em seja mantido. ,e a lin"ua"em formal for contemplada, ela deverá ser preservada até o
final da composição, o mesmo serve para a lin"ua"em coloquial. . incoerência estil#stica não
afeta o entendimento de um texto, no entanto, o ideal é manter um padrão de lin"ua"em /nico,
sobretudo que esteja adequado ) situação lin"u#stica.
♣ Coerência genérica: . coerência "enérica é a escol%a adequada do "ênero textual de acordo
com o conte/do anunciado. . ruptura com esse padrão s é admitida nos textos que adotam a
lin"ua"em literária, nos quais é comum encontrar determinado "ênero apresentando
caracter#sticas prprias de outros "êneros, fen0meno que c%amamos de %ibridismo lin"u#stico.
--------
Os seis tipos de coerência textual aqui apresentados contribuem para a construção de
enunciados aceitáveis, seja do ponto de vista sem+ntico, sintático, estil#stico, temático, "enérico
ou pra"mático. . coerência é fator indispensável nos atos de comunicação, nos quais %á um
esforço conjunto entre emissor e receptor para que exista, de fato, compreensão. 'sse empen%o
pode ser identificado no texto através dos tipos de coerência anteriormente apresentados.
1m texto pode ser incoerente em ou para determinada situação se seu autor não conse"ue inferir
um sentido ou uma ideia através da articulação de suas frases e pará"rafos e por meio de
recursos lin"u#sticos 2pontuação, vocabulário, etc.3.
. coerência textual é a relação l"ica entre as ideias, pois essas devem se complementar, é o
resultado da não contradição entre as partes do texto.
. coerência de um texto inclui fatores como o con%ecimento que o produtor e o receptor têm do
assunto abordado no texto, con%ecimento de mundo, o con%ecimento que esses têm da l#n"ua
que usam e intertextualidade.
$ode&se concluir que texto coerente é aquele do qual é poss#vel estabelecer sentido4 é entendido
como um princ#pio de interpretabilidade.
5eja o exemplo! 6.s crianças estão morrendo de fome por causa da riqueza do pa#s.7
6.doro sandu#c%e porque en"orda.7
.s frases acima são contraditrias, não apresentam informaç*es claras, portanto, são
incoerentes.