Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO DO SUL

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

EPIDEMIOLOGIA - FISIOTERAPIA
PROF
a
: Dra. Eliane Piranda – eliane.piranda@ufms.br

EXERCÍCIOS I – 30/04/2013


1. Entre os recrutas que se apresentaram para prestar serviço militar em Mato
Grosso do Sul, a cada ano, foram encontrados os seguintes resultados da
sorologia positiva para a Doença de Chagas: 15% (1985), 13% (1986), 11%
(1987), 10%(1988), 8%(1989), 5% (1990). Responda:
a) Qual o índice de frequência apresentado?
b) Monte um gráfico epidemiológico e interprete.

2. Campanhas O que pode se esperar da taxa de prevalência desta
enfermidade em população previamente estudada?

3. Entre 500 soldados acometidos de malária, 25 faleceram mesmo com a
intervenção medicamentosa imediata. Calcule o coeficiente relacionado aos
óbitos. Como denominamos este índice?

4. Ao se avaliar os laudos de 300 necropsias de indivíduos não reconhecidos
no IML, foram observadas as seguintes freqüências: 75% traumas, 15%
doenças cardiovasculares, 5% neoplasias e 5% demais etiologias. Qual
índice de frequência apresentado?

5. Uma fábrica de cerâmica realiza, através do serviço de saúde do trabalhador, um
“check-up” dos empregados a cada 5 anos de atuação na empresa. A avaliação
dos resultados durante 10 anos de implantação dessa rotina revelou que, dos
500 empregados examinados ao Raio X, 100 tinham lesões suspeitas de
silicose. A medida acima se trata de um coeficiente de:
a) incidência.
b) prevalência.
c) letalidade.
d) Tendência

6. No ano de 2000, em um Município que possui uma população canina
estimada em 61.841 animais, foram registrados 1778 casos de Leptospirose
canina, com diagnóstico confirmado através da prova de soroaglutinação
microscópica, dos quais 20 morreram. Calcule os índices de morbidade,
letalidade e mortalidade por Leptospirose, expressos em percentual.


7. Por ser uma doença de notificação compulsória, todo caso suspeito e/ou
confirmado de dengue deve ser comunicado ao Serviço de Vigilância
Epidemiológica. A coleta e o fluxo dos dados devem permitir o
acompanhamento da curva endêmica, com vistas ao desencadeamento
e avaliação das medidas de controle.


Considere a curva endêmica do dengue em série histórica de cinco anos, no
município de Belo Horizonte. Avalie o comportamento da doença no ano de
2002, quando foram registrados 201, 918, 1.082, 975, 680 e 193 casos da
doença nos primeiros seis meses do ano, respectivamente. Pelo exposto, é
CORRETO afirmar:
a) Os meses de março, maio e junho foram considerados meses
epidêmicos.
b) Nos meses de janeiro, fevereiro e abril, a doença esteve sob controle.
c) Nos meses de março e maio, o número de casos se manteve na zona de
alerta da curva endêmica.
d) Nos meses de março, maio e junho, a doença se apresentou abaixo do
índice endêmico.

8. Em uma determinada região, foram notificados 150 casos de
leishmaniose em um ano. A população da área contava no mesmo período com
100.000 habitantes. O índice de frequência observado é:
a) Taxa de incidência =15/1.000 habitantes.
b) Taxa de incidência =1,5/1.000 habitantes
c) Taxa de prevalência =150/1.000 habitantes.
d) Taxa de prevalência =1,5/1.000 habitantes.


J an Fev Mar Abr Mai J un
1Q 0 0 8 19 38 10
Med 23 61 62 68 157 28
3Q 24 149 1.199 371 876 159
0
200
400
600
800
1000
1200
1400
N
ú
m
e
r
o
d
e
c
a
s
o
s
Curva endêmica de dengue, primeiro semest re
1996 a 2001, BH, MG

9. Observe o gráfico, e intérprete com base nos seus conhecimentos
epidemiológicos.
Casos de AIDS segundo anos de diagnóstico


Dados hipotéticos sobre a distribuição de casos de AIDS em 5 anos de
observação.


10. Observe os dados de Hanseníase no Brasil de 1983 a 2000. E intérprete
com base nos seus conhecimentos epidemiológicos.