Você está na página 1de 8
DISTRIBUIÇÃO GRATUITA www.redebrasilatual.com.br LIMEIRA Jornal Regional de Limeira jornal brasil atual
DISTRIBUIÇÃO
GRATUITA
www.redebrasilatual.com.br
LIMEIRA
Jornal Regional de Limeira
jornal brasil atual
jorbrasilatual
nº 29
Setembro de 2014
artigo
educação

cuidado na urna

Adesão dos bancos e dos caciques do PSDB a Marina Silva escancara o que está em jogo na eleição presidencial:

avançar no desenvolvimento com distribuição de renda e inclusão social retroceder ao tempo em que
avançar no desenvolvimento com distribuição
de renda e inclusão social
retroceder ao tempo em que o mercado estava
acima dos empregos e da cidadania
em que o mercado estava acima dos empregos e da cidadania são Paulo a locomotiVa que
em que o mercado estava acima dos empregos e da cidadania são Paulo a locomotiVa que

são Paulo

a locomotiVa que saiu dos trilHos

Escândalos de corrupção, falta de planejamento e insegurança marcam o governo Geraldo Alckmin

Pág. 4

e insegurança marcam o governo Geraldo Alckmin Pág. 4 TEMPo inTEGRAL Novo modelo favorece protagonismo de

TEMPo inTEGRAL

Novo modelo favorece protagonismo de estudantes da periferia

Pág. 3

sustentaBilidadefavorece protagonismo de estudantes da periferia Pág. 3 FEiRA oRGÂnicA Produtores rurais limeirenses oferecem

de estudantes da periferia Pág. 3 sustentaBilidade FEiRA oRGÂnicA Produtores rurais limeirenses oferecem

FEiRA oRGÂnicA

Produtores rurais limeirenses oferecem produtos saudáveis

Pág. 6

rurais limeirenses oferecem produtos saudáveis Pág. 6 esPorte MoTocRoSS Emoções radicais em duas rodas

esPorte

limeirenses oferecem produtos saudáveis Pág. 6 esPorte MoTocRoSS Emoções radicais em duas rodas marcam o

MoTocRoSS

Emoções radicais em duas rodas marcam o aniversário da cidade

Pág. 7

2

2 Limeira

Limeira

2 Limeira editorial Há uma novidade positiva na política, que é a obrigatorie- dade de os
editorial

editorial

Há uma novidade positiva na política, que é a obrigatorie- dade de os candidatos apresentarem seus programas. E cres- cem as entidades e os órgãos públicos que fiscalizam a apli- cação do programa. Como se vê, além do jeito e da história do candidato, os eleitores podem conhecer as propostas reais daqueles que pretendem tornar-se funcionários públicos. Focando nas eleições presidenciais, o debate vem ultrapas- sando ainda mais as características pessoais de cada um. Ao analisar o que foi registrado ou apresentado nas propagandas, é possível distinguir que, embora sejam três os principais can- didatos na disputa pelo Palácio do Planalto – Dilma Rousseff, Marina Silva e Aécio Neves –, são formulados apenas dois grandes conceitos de administração do Estado. Um dos conceitos é o do crescimento econômico com in- clusão social dos pobres, representado por Dilma na continui- dade dos últimos três governos. O outro é o modelo neoliberal, radical na figura de Marina, que vem, programaticamente, su- gando as ideias dos antigos governos tucanos, e incorporando novidades testadas pelos neoconservadores norte-americanos. As diferenças são brutais. Enfrentam-se: o programa de erradi- cação da miséria, de crescimento econômico com investimentos em educação, saúde e transporte, contra o programa de mercado, com participação mínima do Estado e grupos capitalistas que privatizam tudo: petróleo, bancos, saúde, educação, transporte e segurança. Desde sempre, o Brasil Atual faz a opção no dia a dia pelo programa da inclusão social. E para aqueles que se iludem com pessoas, é preciso entender o perigo de entregar o Brasil nas urnas a uma nova sanha neoliberal.

de entregar o Brasil nas urnas a uma nova sanha neoliberal. trânsito Passarela na sP-151 é

trânsito

Passarela na sP-151 é inaugurada

Trecho da Limeira/Iracemápolis também foi duplicado

A passarela sobre a rodovia João Mendes Júnior (SP-151), conhecida como Limeira/Ira- cemápolis, foi inaugurada em agosto, após quase 30 anos de espera, principalmente dos moradores do bairro Nossa Senhora das Dores e de estu- dantes do Instituto Superior de Ciências Aplicadas (Isca). A obra, orçada em R$ 5,2 milhões, também incluiu a du- plicação de um trecho de 800 metros de pista e demorou seis meses para ser concluída.

Segundo a diretora do Isca, Maria Célia Pressinatto, a construção da passarela facili- tou o acesso dos universitários

à instituição. “Muitos alunos

precisam pegar ônibus para voltar para casa e atravessar

a pista. A passarela evita os

acidentes que aconteciam an- teriormente”, afirma. Antes da passarela, os pe- destres corriam muitos riscos,

GiovAnni GioconDo
GiovAnni GioconDo

sobretudo à noite, já que a iluminação do trecho também era precária. Em 2011, a re- pórter do Brasil Atual Dalva Radeschi foi atropelada quan- do fazia uma matéria a respei- to do tema.

Em nota, o Departamen- to de Estradas de Rodagem (DER) informou que as obras

se iniciaram após estudos técnicos demonstrarem a ne- cessidade de garantir maior segurança aos pedestres e mo- toristas. “A duplicação tam-

bém tem o objetivo de oferecer melhor trafegabilidade para a via”, diz. A duplicação já ajudou a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), próxima à rodovia, reduzindo o fluxo de trânsito nos horá- rios de entrada e saída dos alu- nos. Porém, o ponto de ônibus que atendia aos funcionários continua em reforma “e não há previsão de quando ele será finalizado”, diz o gerente ad- ministrativo Dirceu Belançon.

Videogame limeira no mundial de lol Kabum e-Sports ganhou seletiva disputada nos EUA A Kabum

Videogame

limeira no mundial de lol

Kabum e-Sports ganhou seletiva disputada nos EUA

A Kabum e-Sports, atual campeã brasileira do jogo de computador League of Le- gends (LOL), venceu a Inter- national Wild Card Tourna- ment, disputada em Seattle (EUA), em 29 de agosto. A vítima desta vez foi a Pineapple Express, equipe la- tino-americana formada por

GiovAnni GioconDo
GiovAnni GioconDo

três argentinos, um uruguaio

e um peruano. Os limeirenses

venceram por 3 X 0, na dis-

puta melhor de cinco. Com o triunfo, os garo- tos vão disputar o Mundial de LOL. A primeira fase da

competição acontece entre 25

e 28 de setembro, em Cinga-

pura, no Sudeste Asiático.

Limeira

Limeira 3

3

Limeira 3 educação escolas de tempo integral valorizam crianças da periferia Alunos ganham protagonismo com

educação

escolas de tempo integral valorizam crianças da periferia

Alunos ganham protagonismo com atividades esportivas, lúdicas e reforço no aprendizado

Desde que o Plano Nacio- nal da Educação foi promul- gado, no início de 2014, a uni- versalização do tempo integral de ensino passou a ser um ca- minho e um compromisso a serem seguidos pelas escolas públicas brasileiras. De acordo com o docu- mento do Ministério da Edu- cação (MEC), cada um dos sistemas de ensino do país (fe- deral, estaduais e municipais) terá de ter 50% das escolas em tempo integral até 2024, com ao menos 25% dos estudantes dessas redes matriculados sob a nova diretriz. Em Limeira, essa estraté- gia já começou a ser montada.

Apenas neste ano, 14 escolas municipais aderiram ao siste- ma, que visa, em um primeiro momento, atender alunos com dificuldades de aprendizado. Mas experiências feitas em duas escolas localizadas em áreas de vulnerabilidade so- cial mostram que a ideia pode ser ampliada. Maria Elieti Luchesi é di- retora de uma delas, a Escola Municipal Aracy Nogueira Guimarães, no Jardim Odécio Degan. Lembra que o fato de os colégios estarem nessa re- gião leva os educadores a ter outro olhar no atendimento às crianças. “Nós somos as escolas do

GiovAnni GioconDo
GiovAnni GioconDo

município que têm o menor Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), e ado- tamos essa tática de oferecer atividades no contraturno para conseguir minimizar a defasa- gem dos alunos”, explica.

Os estudantes podem fazer aulas de dança, esportes, músi- ca, meio ambiente, informática e “contação” de histórias, que são desempenhadas em parce- ria com as secretarias muni- cipais da Cultura, do Esporte

e com o Centro de Promoção

Social Municipal (Ceprosom), que forneceram profissionais e estrutura ao projeto. As atividades extracurri- culares acontecem em centros

comunitários, localizados nas proximidades das escolas, que estavam abandonados há anos

e foram reformados pelos fun-

cionários. “São instituições públicas, que foram construídas com o patrimônio público, com os impostos pagos pela popula- ção. Portanto, o uso deve ser revertido para a população”, ressalta Luciana Coutinho, diretora pedagógica da Secre- taria Municipal da Educação.

implantação do novo modelo

Luciana conta que a Se- cretaria de Educação orien- tou as escolas do município sobre os critérios de seleção dos alunos, com base nas di- retrizes do Plano Nacional de Educação, que leva em consi- deração a defasagem nas dis-

ciplinas tradicionais. Atualmente, 1.410 alunos, com idades entre 4 e 10 anos, participam do projeto-piloto.

GiovAnni GioconDo
GiovAnni GioconDo

“Aqui nós temos crianças mais agressivas do que em ou-

de, seja ela esportiva, cultural, lúdica ou tecnológica. Para a realização do novo modelo, a Secretaria forneceu 12 professores a mais para cada uma das duas escolas. Em breve, o atendimento in- fantil também será ampliado com a construção de nove creches, que também funcio- narão em tempo integral. A adesão ao programa Mais Educação, do MEC, ainda de- pende de análise da documen- tação enviada pelas escolas.

A

maior parte deles vem

tras escolas. E não se trata de

da

Escola Municipal Maria

eliminar essa agressividade,

Apparecida de Luca Moore

mas de empoderar, dar con-

(a outra escola em questão),

fiança para que elas se sintam

no

Jardim Ernesto Kuhl, con-

importantes e possam protago-

siderado um dos mais pobres de Limeira. Para a diretora Adriana Ijano Motta, a prioridade do

nizar uma atividade de maneira digna”, observa. Em 2015, a ideia das dire- toras é aumentar ainda mais o

tempo integral de ensino deve

atendimento no período integral.

ser

fortalecer o período regu-

Para isso, elas devem dividir os

lar

e aprimorar o comporta-

centros comunitários dos bairros

mento dos alunos da escola.

em “estações” para cada ativida-

a vez dos estudantes

Uma das crianças inse- ridas nessa nova realidade educacional é Rogério Ceni Almeida, de 6 anos. A ho- menagem do pai ao goleiro do São Paulo não signifi- ca que o menino é somente apaixonado pelo futebol. São os livros que o cativou. “Quando eu comecei a ler, eu vi que era bom. Aí eu li muitos livros, não parava de ler. Eu venho na biblio- teca, pego o livro, levo para casa, leio, e no outro dia de- volvo”, conta. Já Fábio de Oliveira, de 7 anos, explica que junta as letras na cabeça para formar as palavras e “arrumar as ideias, que estavam bagun- çadas”, brinca. Para Maria Eduarda de Souza, de 8 anos, os números são mais atrativos. Em um

programa on-line, ela supe- ra os desafios das primeiras operações matemáticas com desenvoltura. “No computa- dor, eu aprendo muito mais, e isso me ajuda no dia a dia da escola”, revela. As três crianças são es- tudantes da Escola Maria Aparecida de Luca Moore. Em parte do contraturno, elas e os colegas executam as tarefas de casa com ajuda dos docentes. A professora Ana Paula Cominato sente que o aprendi- zado de sua turma melhorou. “Quanto mais tempo dentro da escola, melhor para o de- senvolvimento das crianças.” Ela também elogia as visi- tas externas ao teatro, Horto Florestal e o zoológico. “Eles dificilmente teriam essa ex- periência em casa”, explica.

DivuLGAção

4

4 Limeira

Limeira

DivuLGAção 4 Limeira são Paulo sucateamento do estado mina acesso a serviços públicos Governador Alckmin responde

são Paulo

sucateamento do estado mina acesso a serviços públicos

Governador Alckmin responde às críticas dos movimentos sociais com violência Por Giovanni Giocondo

A gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB) tem sido marcada por uma série de ações prejudiciais ao trabalha- dor paulista. Serviços básicos, como transporte, saúde, sa- neamento e segurança, torna- ram-se artigos de luxo para a população.

torna- ram-se artigos de luxo para a população. DivuLGAção E a reação aos que criticam esse
DivuLGAção
DivuLGAção

E a reação aos que criticam esse modelo é uniforme: a re- pressão. Nesta reportagem, Brasil Atual traz um resumo das ações adotadas por Alck- min nos últimos quatro anos, para administrar crises em se- tores estratégicos do Estado de São Paulo.

cartel do metrô

Em julho de 2013, a mul- tinacional alemã Siemens denunciou ao Conselho Ad- ministrativo de Defesa Eco- nômica (Cade) a existência de um cartel nas licitações do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropo- litanos (CPTM). O esquema existia desde 1997, durante a gestão do também tucano Mário Co- vas, e consistia na combina- ção dos preços das obras en- tre as empresas, com aval de autoridades do governo esta- dual. O valor final do serviço ficava até 20% mais caro. Segundo a Siemens, di- retores das empresas públi- cas, secretários, políticos e servidores públicos rece- biam propina para “autori- zar” a irregularidade. Entre os beneficiários estava o atual presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Robson Marinho. Em junho de 2014, os metroviários entraram em greve para questionar as irre- gularidades e exigir melho- rias na infraestrutura do sis- tema, além da pauta salarial.

EDSon LoPES JR/A2
EDSon LoPES JR/A2

O protesto foi reprimido pela tropa de choque da PM. Após cinco dias de paralisa- ção, 40 metroviários foram demitidos sob acusação de “vandalismo”. Para o diretor-geral do Sindicato dos Metroviários, Alex Fernandes, “o governo só agrediu e demitiu traba- lhadores para desviar o foco da corrupção”. Ele acredita que o governador manipu- lou informações para jogar a população contra os fun- cionários. Alckmin diz ser “víti- ma” do esquema, mas três companhias acusadas de in- tegrar o cartel doaram R$ 4 milhões à campanha do go- vernador à reeleição.

saúde

pública

Em 2013, uma pes- quisa feita pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) em 71 prontos-socorros no Estado mostrou que em 57,7% deles havia pa- cientes aguardando por atendimento em macas nos corredores, todos com equipes médicas in- completas.

a crise da água

O Estado de São Paulo vive a maior crise hídrica de sua história. O Sistema Canta- reira, que abastece 8,8 milhões de pessoas na região metropo- litana, entrou em colapso. Em 1º de setembro, o reservatório operava com 10,8% da capa- cidade, com a água sendo ex- traída da reserva técnica que fica abaixo do solo. A pior seca dos últimos 84 anos, porém, não é a principal responsável pelo mau uso da água. Segundo a Secretaria Estadual de Recursos Hídri-

cos, São Paulo perdeu, em 2013, 25,7% de sua água tra- tada por problemas no sistema de distribuição. Para o geólogo Samir Bar- cha, a crise está ligada à falta de planejamento. “O abaste- cimento de água está atrelado ao crescimento da população, do parque industrial e das con- dições climáticas, fenômenos previsíveis. Se esses aspectos fossem considerados, com a criação de fontes alternativas e de um programa de redução de perdas, o impacto seria menor.”

a política de segurança pública

Dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública de São Pau- lo (SSP/SP) revelam que 322 ho- micídios foram registrados no Es- tado em julho de 2014. O governo Alckmin, no entanto, contempori- za, pois o índice segue abaixo dos 10 a cada 100 mil habitantes – nú- meros “toleráveis” pela Organiza- ção Mundial de Saúde (OMS). Na contramão do combate ao crime, os movimentos sociais so- frem com a violência do Estado. Em janeiro de 2012, o governa- dor enviou um exército de poli- ciais para São José dos Campos, para retirar à força 7.000 morado- res da comunidade Pinheirinho,

à força 7.000 morado- res da comunidade Pinheirinho, de 120 famílias de uma ocupação no Centro

de 120 famílias de uma ocupação no Centro da capital. “Esse é o modus operandi da PM. Eu me sinto impotente, por- que, no dia seguinte, um jovem negro é morto pela polícia na pe- riferia, mas seu caso também será esquecido. Não há punição, mas incentivo à violência.”, lamentou.

há punição, mas incentivo à violência.”, lamentou. que viviam lá desde 2003. A ação foi rechaçada

que viviam lá desde 2003. A ação foi rechaçada por órgãos interna- cionais de direitos humanos. Em junho deste ano, o advo- gado Benedito Barbosa também foi vítima de arbitrariedade da PM, quando foi espancado e deti- do por soldados após ter se iden- tificado, quando mediava a saída

Limeira

Limeira 5

5

Limeira 5 artigo marina silva e PsB assumem agenda neoliberal tucana Compromissos históricos com os trabalhadores

artigo

marina silva e PsB assumem agenda neoliberal tucana

Compromissos históricos com os trabalhadores são esquecidos em nome do mercado financeiro

Por Paulo Donizetti de Souza

A adesão do mercado finan- ceiro à candidatura de Marina Silva foi instantânea. E o pro- grama do PSB, já com a can- didata na cabeça de chapa após

a morte de Eduardo Campos,

torna nítida essa aliança em te- mas relacionados a mercado de trabalho, direitos dos trabalha- dores e condução da economia. Diz o programa de Marina:

“A terceirização de atividades leva a maior especialização produtiva, a maior divisão do trabalho e, consequentemen- te, a maior produtividade das empresas”. É essa a linguagem utilizada pelas empresas e ban- cos quando substituem seus

quadros de funcionários por serviços terceirizados para eco- nomizar com salários e direitos, e desorganizar categorias. E são esses os argumentos

da bancada empresarial no Con-

gresso desde 2004, na tentativa de aprovar um projeto de lei (o PL 4330) que escancara as por- tas da legislação trabalhista para essa fraude na subcontratação de mão de obra. Atualmente, as empresas perdem na Justiça do Trabalho os processos contes- tando essa prática. E com um programa desses, podem acabar com a “insegurança jurídica”. O objetivo de “reduzir os custos” do trabalho no Bra- sil não é novo. Um projeto de lei com esse fim foi aprovado pela Câmara dos Deputados em 2002, último ano de gover- no FHC. Quando Lula tomou posse, em 2003, retirou o pro-

jeto, que já estava no Senado, e

AyRTon viGnoLA/AE
AyRTon viGnoLA/AE

enterrou sua tramitação. De lá para cá, o Brasil conviveu com um processo de desenvolvimen- to que apostou no fortalecimen-

to do mercado interno, permitiu

a criação de empregos e o au-

mento da renda. Para retomar aquela agenda que havia sido superada, Ma- rina precisará de uma coalizão

neoliberal conservadora no

Congresso, nos moldes daque-

la que deu sustentação às polí-

ticas da era FHC. Com o dis- curso da “nova política”, vai precisar de adesões do pior da “velha política” para cumprir seus “compromissos”. Seu programa defende a in- dependência do Banco Central,

o que significa retirar do Estado

o papel de regulador da econo-

mia e deixar ao sabor do merca- do a regulação dos juros, do cré- dito e do câmbio, por exemplo. Não por coincidência, estão entre os gurus econômicos do PSB uma das donas do Itaú,

Não por coincidência, estão entre os gurus econômicos do PSB uma das donas do Itaú, Maria Alice Setúbal, e os economistas de alma tucana Eduardo Giannetti e André Lara Resende

Maria Alice Setúbal, e os eco- nomistas de alma tucana Eduar- do Giannetti e André Lara Re- sende. Por meio da candidata,

propõem superávits primários (sobras de caixa para arcar com o pagamento de juros da dívida pública) mais elevados que os atuais. Mesmo que ao preço de

conduzir a economia brasileira a um forte arrocho fiscal, levan-

do à redução dos investimentos

públicos e dos gastos sociais.

O programa de Marina para

a política comercial também

repete o ideário neoliberal que prevaleceu no Brasil durante os anos 1990, e que destruiu economias em todo o mundo. Os acordos bilaterais propostos

pela candidata do PSB contra- riam a tendência de fortaleci- mento dos blocos econômicos como o Mercosul. A diminuição da importância do pré-sal tam-

bém é um dos anseios da “nova” aliança, o que anularia os enor- mes investimentos em pesqui- sa e tecnologia feitos para que

o Brasil assumisse posição de

protagonista no campo energé-

tico mundial. E prejudicaria o retorno desses investimentos, já previstos em lei, para a educa-

ção e a saúde. Outra curiosidade do cader- no de projetos do PSB para o Brasil é destinar cinco páginas à importância do agronegócio,

e de se garantir seu crescimen-

to; e somente três parágrafos à agricultura familiar, que res- ponde pelo emprego de 74% da mão de obra na área rural, por aproximadamente 38% da pro- dução nacional, e por 60% da produção de alguns itens bási- cos da alimentação brasileira. O programa reserva ainda a redução do papel do BNDES e dos bancos públicos, tanto no que diz respeito ao crédito de longo prazo quanto ao consu- midor. Marina propõe acabar com crédito direcionado, aque- le que financia casa própria, agricultura, pequenos e médios empresários e industriários. Em benefício dos bancos pri- vados, que poderiam cobrar juros mais altos na concessão desse tipo de empréstimo, que hoje é regulamentado. Os riscos desse receituário são conhecidos dos brasilei- ros: recessão de fato (muito além da “recessão técnica”) e a volta do desemprego. Um cenário dos anos 1990, que en- fraquece os trabalhadores e di- minui sua capacidade de pro- mover a distribuição de renda por meio de aumentos reais em seus acordos coletivos. Com o fracasso do PSDB em se firmar como braço político da elite econômica, no plano na-

cional, o PSB e Marina aceitam assumir essa agenda. Ela une sua fome de ganhar uma elei- ção com a vontade do mercado de devorar o projeto de desen- volvimento com distribuição de renda e inclusão social que vem sendo construído desde 2003 ao longo dos governos Lula e Dil- ma. É isso o que está em jogo no

dia 5 de outubro.

6

6 Limeira

Limeira

6 Limeira sustentaBilidade Pequenos agricultores oferecem alimentos saudáveis Com foco em artigos orgânicos, Feira

sustentaBilidade

Pequenos agricultores oferecem alimentos saudáveis

Com foco em artigos orgânicos, Feira dos Produtores Rurais faz sucesso no Parque da Cidade

A Feira dos Produtores Ru- rais de Limeira começa a ga- nhar corpo no Parque da Cida- de. O espaço é montado todas as quartas-feiras, das 17 às 21 horas, e tem o objetivo de ofe- recer à população uma alter- nativa na venda de legumes, verduras e cereais orgânicos. A proposta é boa tanto para a população, como para os peque- nos agricultores, que têm garan- tido maior renda e nova perspec- tiva alimentar aos limeirenses.

GiovAnni GioconDo
GiovAnni GioconDo

GiovAnni GioconDo

um jornal, uma entidade e a feira

O trabalho começou em 2004, a partir de uma ideia que, inicialmente, não tinha ligação direta com a feira.

O comunicador social

Marcel Minconi montou um

com a feira. O comunicador social Marcel Minconi montou um coni, que na feira vende pães

coni, que na feira vende pães e pizzas fabricados com cereais integrais.

O bairro dos Pires, por

coincidência, concentra os sí-

tios dos pequenos agriculto- res, muitos descendentes de alemães, que começaram a vir

jornal com destaque para no- tícias relacionadas à agricul- tura e ao meio ambiente. A publicação também criticava a falta de estrutura básica e de serviços públicos no bair- ro dos Pires, para onde havia acabado de se mudar. “Percebemos que apenas o jornal não seria suficiente para cobrar por melhorias, então montamos a associa- ção Viva Pires”, relata Min-

para Limeira no fim do sé- culo XIX. Em 2013, a Viva Pires tornou-se uma associação

de produtores rurais e parti- cipou pela primeira vez de uma concorrência pública, quando venceu a licitação para fornecer suco de laran-

ja in natura às escolas pú-

blicas municipais. O sucesso se repetiu no início deste ano, quando

a entidade foi selecionada

para incrementar a meren- da escolar com verduras e legumes. Em junho, o auge deu-se com o início da feira no Parque da Cidade.

GiovAnni GioconDo

Produção orgânica

Antes de se tornarem produtores de hortaliças, os pequenos agricultores plan- tavam somente frutas cítri-
Antes de se tornarem
produtores de hortaliças, os
pequenos agricultores plan-
tavam somente frutas cítri-
cas, principalmente a laran-
ja. Mas sofreram um duro
golpe no início dos anos
2000. Na época, o Ministé-
rio da Agricultura proibiu o
plantio de mudas de laranja
diretamente no solo devido
ao risco de contaminação
por uma série de doenças.
Uma das produtoras que
atravessou a crise foi Lisbet

Schnoor Segundo, de 42 anos. Em um primeiro mo- mento, Lisbet, seu marido e seu irmão, com quem tra- balha no sítio, fizeram mu- das de laranjas e as levaram para estufas. Mas os custos elevados de manutenção obrigaram a família a de- sistir da citricultura e criar uma alternativa ao pomar. “Como a gente já tinha investido nas estufas, pen-

samos nas hortaliças, que produzem rápido e, com essa proteção (das estufas), podem ser formadas sem agrotóxicos”, relata. A agricultora está muito

satisfeita com o resultado da feira, já que agora repassa seus produtos diretamente ao consumidor e obtém mais renda – se comparada com a mediação dos supermerca- dos. “Estou conseguindo até pagar a faculdade da minha filha”, comemora. A professora de educa- ção infantil Carine de Melo, de 28 anos, diz que vai à feira porque encontra pro- dutos mais frescos, além de valorizar o produtor rural de Limeira. Ela também comemora o fato de poder oferecer ao filho uma alimentação mais saudável. “Eu trago ele aqui para que conheça alimentos novos, diferentes, e se inte- resse por comer de tudo”, comenta.

reforma Política Plebiscito Popular recolhe 3.291 votos em limeira Maioria dos votantes é favorável a

reforma Política

Plebiscito Popular recolhe 3.291 votos em limeira

Maioria dos votantes é favorável a uma Constituinte Exclusiva sobre o Sistema Político

Em Limeira, o Plebisci-

to Popular por uma Assem- bleia Constituinte Exclusi- va para a Reforma Política obteve 3.164 votos favorá-

veis, 109 contrários, 17 em branco, e um voto nulo.

A votação ocorreu entre

os dias 1º e 7 de setembro,

em diversos pontos da ci-

dade. De acordo com os or- ganizadores, a experiência

mostrou que a participação da comunidade pode ser cada vez mais relevante nas deci-

sões do país. As entidades que encabe- çaram a iniciativa pretendem angariar até 10 milhões de votos favoráveis para pres-

sionar o Congresso Na- cional, considerado pouco democrático e representa- tivo, a convocar o proces- so de reforma.

inFoRME PuBLiciTÁRio

Limeira

Limeira 7

7

inFoRME PuBLiciTÁRio Limeira 7 esPorte motocross despeja adrenalina de presente para limeira No aniversário da

esPorte

motocross despeja adrenalina de presente para limeira

No aniversário da cidade, 20 mil pessoas assistiram a 5ª etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross

No dia em que Limeira

completou 188 anos, o presen-

te veio com contornos radicais

na alta rotação das motos e nas

disputas eletrizantes da 5ª eta- pa do Campeonato Brasileiro de Motocross. A competição reuniu 153 pi- lotos, que dividiram roda a roda

o circuito do Horto Florestal,

que foi reformado para o even-

to – desde 2007, quando houve

uma etapa do Campeonato Pau- lista da modalidade, não havia competições no local. Cerca de 20 mil pessoas acompanharam o evento, or-

ganizado em conjunto pela Confederação Brasileira de Motociclismo (CMB) e pela Prefeitura Municipal, nos dias 13 e 14 de setembro. Em cinco anos, foi a pri- meira vez que uma cidade paulista recebeu uma etapa do torneio nacional, conside- rado o mais competitivo da

KELSon REnE/cBM
KELSon REnE/cBM

América Latina. Além dos brasileiros, também participa- ram pilotos latino-americanos, norte-americanos e europeus. O equatoriano Jetro Sa- lazar, de 22 anos, foi um dos estrangeiros que competiram. Bicampeão latino-americano, Jetro disputa pela primeira vez o Campeonato Brasileiro – atualmente é o líder da ca- tegoria MX1, a principal do

motocross –, que acredita es- tar crescendo no continente. Tanto é que hoje ele vive em Curitiba, onde tem apoio para disputar as competições. Mas em Limeira ele não levou a melhor. Ficou em 3º lugar na primeira bateria e na segunda, após se chocar com o espanhol Carlos Campano, caiu e teve de fazer uma cor- rida de recuperação, ficando

apenas em 11º. Apesar disso, Jetro segue em primeiro no geral, com 201 pontos. “Meu

objetivo e o da equipe é estar na briga pelo título, e eu acho que isso induz a um grande su- cesso até agora”, disse. Na categoria MX2, Thales Villardi assumiu a liderança do campeonato após bom de- sempenho em Limeira. O pau- listano de 23 anos obteve a 2ª colocação na primeira bateria

e venceu a segunda. Com o

resultado, Thales ultrapassou

o português Paulo Alberto na

classificação geral, chegando

a 200 pontos, contra 186 do

piloto europeu. “No ano passado, eu fui vi- ce-campeão, e a cada ano está ficando mais difícil, o pessoal está evoluindo muito. Ainda haverá mais quatro etapas. O campeonato está aberto”, re- vela o brasileiro, que já parti- cipou de etapas do Mundial de

Motocross no Brasil, na Vene- zuela, no Uruguai, no Equador e nos Estados Unidos. Para o presidente da Con- federação Brasileira de Mo- tociclismo, Firmo Henrique Alves, a realização da etapa em Limeira foi um marco para o Estado, que possui o maior número de pilotos inscritos no circuito. “Como é um esporte radical, atrai bastante a aten- ção das pessoas com os saltos

e obstáculos”, diz em referên- cia ao crescimento do esporte

no Brasil. O dirigente confia que o

motocross continuará man- tendo alto nível, mesmo não sendo um esporte de massa. “Apesar da dificuldade em realizar outros esportes no Brasil que não sejam ligados ao futebol, eu acredito que o retorno comercial, esportivo e técnico tem sido muito positi- vo”, pondera Firmo.

PARA SÃO PAULO MUDAR E O BRASIL MELHORAR AINDA MAIS CNPJ: 20.559.269/0001-10, valor da inserção:
PARA SÃO PAULO MUDAR E O BRASIL MELHORAR AINDA MAIS
CNPJ: 20.559.269/0001-10, valor da inserção: R$ 270,00
Coligações: COM A FORÇA DO POVO: PT, PMDB, PR, PRB, PROS, PDT, PCdoB, PP, PSD | PARA MUDAR DE VERDADE: PT, PCdoB, PR | Coligação Federal: PT, PCdoB

8

8 Limeira

Limeira

f o t o s í n t e s e – fonte luminosa

foto síntese fonte luminosa

GiovAnni GioconDo
GiovAnni GioconDo

sudokuí n t e s e – fonte luminosa GiovAnni GioconDo © Revistas COQUETEL www.coquetel.com.br 8

© Revistas COQUETEL www.coquetel.com.br 8 1 7 3 6793 5 2 1839 1329 8 8
© Revistas COQUETEL
www.coquetel.com.br
8
1
7
3
6793
5
2 1839
1329
8
8
2417
5
7
3
6
Solução R EP M ODIDNEFED RARURASO ADIVERTID LADOMOC IIARUD SAONACL A O V Ã O
Solução
R
EP
M
ODIDNEFED
RARURASO
ADIVERTID
LADOMOC
IIARUD
SAONACL
A
O
V
à O
MR
LOP
R
ACACES
O
B
NALLAIO
A
SOAD
OCS
L E
ATNALAM
ODONIAD
SABRARREF
B NALLAIO A SOAD OCS L E ATNALAM ODONIAD SABRARREF 354829176 281765394 679314528 546271839 897653241
354829176 281765394 679314528 546271839 897653241 132948765 968532417 425197683 713486952 6000538 Solução
354829176
281765394
679314528
546271839
897653241
132948765
968532417
425197683
713486952
6000538
Solução
Vale o que Vier

Vale o que Vier

As mensagens podem ser enviadas para jornalbrasilatual@gmail.com ou para Rua São Bento, 365, 19º andar, Centro, São Paulo, SP, CEP 01011-100. As cartas devem vir acompanhadas de nome completo, telefone, endereço e e-mail para contato.

PalaVras cruzadas diretas

PalaVras cruzadas diretas

www.coquetel.com.br © Revistas COQUETEL Adicional de (?): é pago ao trabalhador exposto a condições de
www.coquetel.com.br
© Revistas COQUETEL
Adicional de (?): é pago
ao trabalhador exposto a
condições de risco
Refúgio;
Norma de
Protegido;
recinto
conduta
amparado
Mineral
Benefício
Norma, em inglês
radioativo
A fala do
bebê
Pôr em
um mes-
mo nível
(fig.)
Alegre;
Esse, em
recreativa
espanhol
Continua
Tipo de
a existir
verbo
A ilha-
Uma das
refúgio do
alternati-
Partida de
rei Artur
vas do
um carro
(Lit.)
plebiscito
Símbolo
Barcos de
grego de
índios
beleza
Brado do
masculina
toureiro
Fútil;
Ricky Mar-
frívolo
tin, cantor
Antônimo
Construtor
de "lá"
de diques
Falta de
Adjetivo
chuvas
inicial de
Animal do
cartas
arado
afetivas
Edgar (?)
Lubrifican-
Poe, poeta
dos EUA
te de mo-
tores (pl.)
Criar asas
Pedro (?),
Cidade
economista
paulista
do governo
Ar, em
FHC
inglês
Tempero
do caviar
Conto, em
inglês
Nióbio
De + aí
(símbolo)
D
A
I
Fanfarrão;
Saliência
faroleiro
(Med.)
BANCO
23
moralismo.—9/ferrabrás8/rasourar.6/avalon.modal.—5/allantale.—4/normese.—3/air
faroleiro (Med.) BANCO 23 moralismo.—9/ferrabrás8/rasourar.6/avalon.modal.—5/allantale.—4/normese.—3/air