Você está na página 1de 32

NATAL 2009

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 33


CULTURA

“Contos ao Vento AGENDA CULTURAL


BRAGANÇA
Cinema
Forum Theatrum

Com Demónios Dentro”


2012
Até dia 16 de Dezembro, Sala 1
Pandemia
Até dia 16 de Dezembro, Sala 2
Playboy Americano
Até dia 16 de Dezembro, Sala 3
Música
Teatro Municipal
Concerto de Piano - Domingos António
Dia 18 de Dezembro, às 21h30
Concerto de Natal
Dia 19 de Dezembro, às 21h30
Férias com Música
Dias 22, 23, 29, 30 e 31 de Dezembro
Diversos
Piscina Municipal
7a Festa de Natal Aquática
Dia 16 de Dezembro, às 17h30
Auditório Paulo Quintela
Festa de Natal dos Idosos
Dia 15 de Dezembro

FREIXO DE ESPADA À CINTA


Cinema
Auditório Municipal
Ponyo - À Beira da Praia
Dia 18 de Dezembro, às 21h00
Exposição
Auditório Municipal
O Silêncio das Cegonhas
De 2 a 30 de Dezembro

MACEDO DE CAVALEIROS
Música
Centro Cultural
Concerto de Natal
Dia 19 de Dezembro, às 21h30
Alexandre Parafita apresentou livro infantil na Escola Augusto Moreno
MIRANDELA
TERESA BATISTA tância popular no processo de cresci- A figura do diabo está presente na Música
mento. “ As crianças, na medida que maioria dos contos, para que as crian- Auditório do Centro Cultural
Concerto de Natal - Esproarte
Livro de Alexandre Parafita conviverem com estes conteúdos di- ças possam distinguir, a brincar, o bem
Dia 18 de Dezembro, às 21h30
dácticos, vão sentir o apelo das raízes, e o mal. “Nas histórias do maravilho-
perpetua contos recolhidos da identidade, da memória e vão sen- so popular, onde entra o demónio, as
Exposição
Museu da Santa Casa da Misericórdia
nas aldeias da região tir-se mais felizes”, salienta o autor da bruxas ou almas penadas, consegui- Pintura de Paulo Martinez Teixeira
Até dia 31 de Janeiro
obra infantil. mos encontrar sempre o lado negativo
As histórias retidas na memó- Numa região que tem “uma me- e o lado positivo e a criança vai, certa- VIMIOSO
ria dos idosos que vivem nas aldeias mória oral fabulosa”, Alexandre Pa- mente, rever-se na mensagem trans- Cinema
transmontanas foram readaptadas rafita sente-se na obrigação de passar mitida pelas personagens positivas da Casa da Cultura
por Alexandre Parafita para as trans- para os mais novos o saber dos mais história”, realça o escritor. Durante a Orgulho e Glória
Dias 19 e 20 de Dezembro, às 21h30
mitir aos mais novos. O livro “Con- velhos. “Faço muita recolha no âmbito apresentação, dois grupos de crianças
Exposição
tos ao Vento com Demónios Dentro”, do meu trabalho de investigação e há dos agrupamentos Augusto Moreno Galerias de Exposição da Casa da Cultura
apresentado na passada quarta-feira, histórias que valem para toda a gente, e Paulo Quintela dramatizaram dois Exposição de peças em vidro “Cor de Luz”
na Escola Augusto Moreno, em Bra- mas valem sobretudo para as crianças. contos do livro. De 29 de Novembro a 11 de Janeiro
gança, reúne um conjunto de histó- Na medida que tomo conhecimento A cerimónia encerrou com uma
TORRE DE MONCORVO
rias da cultura popular que são, agora, destas histórias no convívio com os palestra proferida por Alexandre Pa-
Cinema
perpetuadas e vão contribuir para o idosos, acho que tenho a obrigação de rafita, subordinada ao tema “O que se Cine-Teatro
desenvolvimento das crianças. transportá-las para o universo infan- pode aprender com os contos tradi- As minhas adoráveis ex-namoradas
Alexandre Parafita realça a impor- til”, enfatiza o escritor. cionais”. Dia 17 de Dezembro, às 21h30
Max e Companhia
Dias 18, às 10 e 15h00,

VOZES
e 19 de Dezembro, às 21h30
Exposição
Museu do ferro & da Região de Moncorvo
Presé-pios
Ana Afonso - 9 anos Ana Garcia - 8 anos João Salgado - 9 anos Dia 19 de Dezembro

VILA FLOR
“Contei a “Gosto mui- “ Repre- Diversos
história do dia- to de ler. Costu- sentei o papel Auditório Adelina Campos
bo e da cabaça, mo ler livros de do diabo. Para Festa de natal das Crianças
do Jardim de Infância
em que o diabo contos, de fábu- mim foi fácil, Dia 19 de Dezembro
fez-se pobre las... Todos os porque costu-
e foi pedir es- dias, pego num mo participar VILA REAL
mola a casa de livro para ler ao nos teatros da Exposições
uma velhinha, chegar a casa. escola. A histó- Teatro de Vila Real - Sala de Exposições
Colecção de Arte do Teatro de Vila Real
que lhe deu No teatro inter- ria é gira e en- De 6 de Novembro a 31 de Dezembro
caldo e lhe dis- pretei o papel da graçada, mas Museu do Som e da Imagem
se que a cabaça aquecia. Ele levou velhinha, que enganou o diabo. Achei não gostei quando a velhinha enga- Vila Real vista do Céu:
Oito décadas de fotografia aérea
uma para aquecer os pés, só que em muito divertido”. nou o diabo, porque a minha perso- De 7 de Novembro a 31 de Dezembro
vez de aquecer congelou-lhe os pés. nagem acabou por sair derrotada”. teatro
No final, o diabo ficou furioso por Teatro de Vila Real - Grande Auditório
ter sido enganado”. Retalhos em Viagem
Dia 18 de Dezembro, às 22h00

34 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


CULTURA

Contas da minha Toga


tos da Minha Toga” é assinado pelo
escritor, poeta e romancista bragan-
çano, Fernando Calado, que, para
além de amigo do autor, colaborou
nalguns trabalhos em que ambos
certa forma, enquadrar a lição que se participaram ao longo da sua vida.
propunha dar aos presentes, na sua Que não fique por aqui a escrita.
já conhecida faceta de modéstia. Novos tempos trarão novos livros.
Após a reforma,
Narciso Pires enveredou
pela escrita, desta feita
com retalhos de estórias
de vida de um advogado
de província, relatadas à
boa maneira transmon-
tana. Contas de vidas
que a sua experiência
como causídico foi ou-
vindo ao longo do tem-
po em que vestiu a toga,
e relatadas em episódios
como “O Tribunal é para
os teimosos”, “Eu vou
a outro advogado” ou
“Um bruxo no meu es-
Fernando Calado (à dir.) assina o prefácio da obra
critório”.
O livro é dado à es-
ORLANDO BRAGANÇA “Contas da minha Toga”. O lança- tampa sob o pseudóni-
mento decorreu na Livraria Roda d´ mo Artur Zava, já vem
Douro, em plena Praça da Sé, com a do tempo de estudante,
Narciso Pires apresenta o presença de muitos amigos e familia- quando Narciso Pires
segundo trabalho literário res do escritor. se dispunha a escrever
A conhecida “história da vaca” umas linhas sobre as
Narciso Pires, conhecido advoga- que fez correr muita tinta, dinheiro histórias que a vida de-
do na cidade de Bragança, apresentou e lágrimas foi aqui trazida à liça para senhou.
o seu mais recente livro, intitulado ilustrar a vida de um advogado e, de O prefácio de “Con-

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 35


CULTURA

“Despedimo-nos, então…” Bragança


Sarau Medieval
O.B. transfronteiriço
Cerca de 90 figurantes, trajados a
Maria Idalina Brito apre- rigor, de grupos de teatro de Zamora
senta livro romanceado (Espanha) e do Grupo de Teatro da
em Bragança Associação Bragança História par-
ticiparam, no passado sábado, num
“Despedimo-nos, então…” é o tí- Sarau Medieval, que decorreu na ci-
tulo de um livro de autoria de Idali- dade de Bragança.
na Brito, que conta a história de dois No espectáculo, que decorreu
adolescentes, Lara e António, que durante a Ceia, no Restaurante Tu-
partem para Lisboa para estudar no rismo, foram apresentadas pequenas
ensino superior. Lara é natural de representações teatrais de Gil Vicen-
Trás-os-Montes e António do Alente- te, onde o estilo trovadoresco esteve
jo. Na flor da idade vão à descoberta em destaque.
de novos mundos, quando as suas Esta iniciativa inseriu-se no pro-
vidas se cruzam pelos estudos e daí grama de intercâmbio que tem vindo
nasce um grande amor. a ser desenvolvido entre a associação
A autora, que se revê no papel de bragançana e os grupos teatrais de
poetisa, deixou patente a sua obra Zamora.
Poseia é uma das paixões de Idalina Brito
de há dezenas de anos, que estava
guardada no baú da saudade. Eis o No final da história, Lara reco- Ódio por ele? Não… se o amei
que apelida de sonho “sonhado”, e nhece a sua vida perdida de um amor tanto,
que agora, todos estes anos passados, que julgava eterno e diz: “Não te Se tanto bem lhe quis no meu
franqueou ao público que gosta da quero encontrar, reencontrar mais! passado,
sua escrita. Mesmo no infinito… Despedimo-nos, Se o encontrei depois de o ter
A obra já tinha sido apresentada então…” sonhado,
na Fundação “Os Nossos Livros”, no No final, Idalina Brito remata Se à vida assim roubei todo o
passado mês de Setembro, e na sexta- com uma frase de Florbela Espanca: encanto…”
feira foi a vez de o lançar na livraria “e se lhe perguntarem se alimenta
Rosa D´Ouro, em Bragança. ódio por ele, dirá: Fica a sugestão literária. Trechos de história encenados

36 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


Tierra, Giente i Lhéngua

GEADA 2009
13h00 - Almuorço Tradecional
15h00 - Colóquio de Natal
17h00 - Atuaçon de l Grupo de Paulitei-
ricas de Miranda de l Douro
L friu retorna i cul chega tamien la 17h00 - Ouficina de Bailes i Strumientos
segunda eidiçon de l berdadeiro festibal Mirandeses
d’ambierno... L “GEADA 2009 - II Fes- 20h00 - Jantar Tradecional
tibal de Cultura Tradecional de las Tier- 22.00h -Baile Tradecional: Pauliteiros
ras de Miranda”, ye yá ne ls próssimos de la Cidade de Miranda de l Douro;
dies 26, 27 i 28 de Dezembre, an Miran- Roncos do Diabo; Pé na Terra; Projecto
da de l Douro. Trepja.

L GEADA 2009 ye ua eniciatiba de la Die 28


Associaçon Recreatiba de la Mocida- 09h30 - Passeio a pie: “Na rota de l
de Mirandesa - ARJM i de l Grupo de cuntrabando”
Pauliteiros de la Cidade de Miranda de 13h00 - Almuorço Tradecional ne l San
l Douro. Juan de las Arribas
Na sue 2ª eidiçon, l GEADA tenerá 14h00 - Cumbíbio an Aldé Nuoba
cumo oubjetibos percipales: festejar i 17h00 - Ouficinas de Danças i Strumien-
dibulgar la cultura, la lhéngua i las tra- tos Galhegos
diçones de ambierno de las Tierras de 20h00 - Jantar Tradecional
Miranda i comemorar ls “10 Anhos de 22h00- Baile Tradecional: Coro Anfantil
Oufecializaçon de la Lhéngua Mirande- de l ABE de Miranda de l Douro; Tuttis
sa”. Catraputtis; Lenga Lenga
Al lhargo de l festibal, ls partecipan-
tes ban a tener la possiblidade de coincer Mais anformaçones: festival-
alguas de las mais guapas tradiçones de geada@gmail.com; Fernando Silva
ambierno de l Praino Mirandés. - 915088034; http://festivalgeada.
Antre la prainada i las arribas de las blogspot.com
Tierras de Miranda, qualquiera poderá
beilar al redror de la tradecional fogueira Mirandesa - INOVART”.
de l galho i al sonido de las mais gua- Tal cumo l lhema de l festibal andica
pas gaitas de fuolhes, beilar pauliteiros i - “BAMOS DERRETIR L CARAMBE-
música tradecional mirandesa, tocar stru- LO!” - la fiesta promete calcer i spalhar-
mientos tradecionales, çcubrir la lhengua se un pouco por to la cidade de Miranda
mirandesa, cumbibir nas típicas adegas de l Douro, bien cumo por alguas aldés
de l centro stórico de Miranda de l Dou- de l praino.
ro, passear por alguas de las mais guapas De la nuossa parte pormetemos que
aldés de l praino pula Rota de l Cuntra- cada partecipante, al lhargo destes trés
bando, fazer i probar anchidos, i deliciar- dies de berdadeira fiesta, çfruitará neste
se culs sabores de la gastronomie trade- houmilde canto de Pertual, de bibéncias
cional mirandesa. einesquecibles, i tenrá la possiblidade
L GEADA ambolbe música i quan- única de bibir i coincer por drento las
do se fala de música tradecional, l praino mais guapas tradiçones de l Praino Mi-
mirandés ten muito para amostrar, gru- randés, cunfraternizando bien d’acerca
pos cumo “Lenga Lenga”, “Anda Cami- culas gientes de las Tierras de Miranda.”
no”, “Grupo de Pauliteiros de la Cidade
de Miranda de l Douro”, “Pauliteiricas de Porgrama Cumpleto
Miranda de l Douro”, “Coro Anfantil de Die 26
l ABE de Miranda de l Douro” i ls “Gai- 14h00 - Abertura de las anscriçones
teiricos de Miranda” prométen calcer la (Junto a la Fogueira de l Galho - Lhargo
fiesta. D.João III)
Benidos de l mundo ancantado de las 14h15 - Einouguraçon de a 2º INO-
gaitas, de ls bombos i de las tradiçones BART- Sposiçon Artística de la Mocida-
aterraran inda an Miranda de l Douro de Mirandesa
alguns de ls melhores grupos de músi- 14h15 - Arruada cun: Grupo de Caretos
ca tradecional de l momiento, tal cumo, de Podence i Grupo de Bombos de São
ls “Pé na Terra”, “Tuttis Catraputtis”, ls Sebastião de Darque
“Roncos do Diabo”, l “Grupo de Caretos 21h00 - Adegas-Papper
de Podence”, ls minhotos “Ares da Raia” 00h00 - Gaitas i Chouriças a la suolta na
i l “Grupo de Bombos de São Sebastião Fogueira (Lhargo D.João III): Gaiteiri-
de Darque” i ls galegos “Projecto Tre- cos de Miranda de l Douro, Ares da Raia
pja”, un eiletrizante porjeto de música , Anda Camino
tradecional eiletrónica.
L’ourganizaçon de l GEADA preten- Die 27
de tamien amostrar l que de melhor se faç 9h00 - Einouguraçon de la “Mostra As-
por Tierras de Miranda, decorriran anto- sociatiba de las Tierras de Miranda”
ce, an paralelo al festibal la “I Mostra 9h30 - Cunferéncia: 10 anhos de Ou-
Associatiba de las Tierras de Miranda” i ficializaçon de la Lhéngua Mirandesa
la “II Sposiçon Artística de la Mocidade - FALAR YE BIBIR

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 37


LA FUOLHA MIRANDESA

MENSAIGES DE NATAL DE LS ALUNOS DE L 2º ANHO DE L AGRU-


PAMIENTO BERTICAL DE SCUOLAS DE MIRANDA L DOURO
L Pai Natal fui a an Malhadas cun mie armana i cun la mie mundo.
família. Se houbir niebe bou a fazer bolas
mie casa i atiro-le cun eilhas a mie armana. You Inês Cristal
tamien gusto de l Pai Natal. L Natal ye l
L Pai Natal fui a mie
melhor tiempo que hai. L die de Natal
casa i truxo-me siete
prendas. A mie armana
Tomás Igreja
truxo-le seis. El bieno Nós festejamos l die de cunsoada l L Pai Natal
cun tantas prendas que até se le rumpiu die 24 de Dezembre i l Pai Natal trai-me
l saco. I las prendas caírun-se-le todas i L Natal an Miranda muitas prendas. Nesta altura fai muito L Pai Natal fui a mie casa i truxo-
quedórun strampalhadas pula casa. A mi friu i tamien cai muita niebe i muito gra- me muitas cousas. You gusto muito deste
gusta-me muito l Natal. L Pai Natal questuma dar-me muitas niço. You atiro cun bolas de niebe a miu tiempo de Natal. You passo l Natal cun
prendas. L Pai Natal bieno campante pul pai i çpuis jogo psp. L die 25 de Dezem- la mie família. Ne l Natal hai niebe. You
Bruna Pinto chupon de la mie casa. L Pai Natal ye bo- bre questumo ir a comer a casa de miu bou a jogar cun miu armano pa la niebe.
nito. Neste die tamien anfeito la arble de abó.
Natal. You gusto muito de l Natal i de l Pai Inês Rodrigues
Un die de Natal A mi gusta-me muito l Natal. Natal.
L Pai Natal fui a mie casa i truxo-me
Cátia Pinto Emanuel Bernando
Prendas
muitas prendas. L Pai Natal bibe ne l Polo
Norte, que ye mi friu. L Pai Natal tamien You neste Natal querie pedir muitas
purpara las renas pa l die de Natal. L miu Natal an L Natal prendas al Pai Natal. Bun Natal para to-
L Natal ye un die guapo, hai muita Miranda dos.
alegrie i a las bezes hai niebe. L Pai Natal L Natal ye un tiempo bonito. L Pai Guilherme Garrido
abaixa pul chupon de las casas i dá las You ne l Natal fago Natal bai a mie casa. Questumo ir para
prendas als ninos. casa de ls mius abós a passar l Natal. Pul
bolas de niebe i atiro-las a
Natal questuma haber niebe.
L Natal
mie mai. L Pai Natal ben pul miu chupon
Pedro Raposo i trai-me trés prendas. Gusto muito de l Ne l Natal, die 25 de Dezembre, te-
Natal. Henrique Martins
nemos ua arble. Anfeitamos-la cun boli-
L Natal cas, cun lhuzes, cua streilha a la puonta
Eduardo Fernandes, 2º anho; L tiempo de Natal de riba i ambaixo fazemos l presépio. La
Nesta fiesta tan alegre you querie co- família ajunta-se toda para cenar. No Na-
nhecer l Pai Natal. Un bun Natal. L Natal ye un tiempo guapo Ne l Natal anfeitamos la arble de tal tamien recibo prendas.
Natal i l Pai Natal bai a las casas a dar
Vitor Pinto L Natal ye un tiempo guapo porque las prendas. L Pai Natal tamien bai a mie Rúben Sil
hai muitos anfeites i lhuzes por todo casa. L Pai Natal ye mui bonito. Pul Na-
tal tamien hai niebe por toda la parte.
La queluobra guapa l lhado. Neste Natal querie recebir ua Habie un home
prenda.
Simão Ovelheiro
Era ua beç ua queluobra mi guapa. Habie un home de barbas brancas
Pensaba que era la mais guapa de la flo- Ana Maria Martins que bibie ne l Polo Norte. Un die decidiu
resta. Tenie uas scamas mi amarelhicas. Nesta Fiesta ser l Pai Natal para çtribuir prendas puls
Eilha metie ambeija a todos ls anima- L Pai Natal stá bielho ninos de la tierra. Ls ninos stában a spera
les, principalmente al alifante. Ua beç la Nesta fiesta tan bonita quiero desear del, na cozina, a purparar la mesa i todo
queluobra guapa achegou-se al alifante i L Pai Natal stá bielho i cheno de ale- un Bun Natal para todos. pa l Pai Natal.
dixo-le: grie. Ye die de Natal, l Pai Natal a la ua Noa Martins
- Quieres fazer ua corrida? de la manhana entra pul chupon, anquan- Bruno Fernandes
I la queluobra cuidaba que le iba a to you stou a drumir. Deixa la prenda an L Natal ye l melhor die
ganhar, mas fui l alifante quien ganhou la pie de la arble de Natal. Yá se acabou l L Pai Natal
corrida. La queluobra quedou triste por- Natal. L Natal ye l die que a mi más me gus-
que, a las bezes, nien só ls mais guapos L Pai Natal fui ta. L Pai Natal ye amigo de ls ninos. An
ye que gánhan. Rúben Pires a la mie casa i dou- nuossa casa anfeitamos la arble cun bo-
me muitas cousas las, lhuzes i ua streilha. Tamien fazemos l
Henrique Lopes mui bonitas. You presépio. Cenamos an família i comemos
L Natal an Urrós passo l Natal an aqueilhas cousas típicas que se cómen
L Natal ye l melhor tiempo You passo l Natal an Urrós, na casa
San Martino, cun la mie família. Pul Na- pul Natal i tamien fritas i arroç doce.
tal costuma haber niebe. You gusto muito
que hai de ls mius abós, cun la mie família. A mi de l Natal. Maria Figueira
gusta-me muito este tiempo.
You gusto muito de l Natal. Passo-lo Bun Natal para todos ls ninos de l Luisa Gonçalves (Cuntina ne l próssimo númaro)

38 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 39
OPINIÃO

Frio no Natal
Armando Fernandes

Estamos desesperados: não há pónia e não a assaltar casas mesmo carro de bois a atravessar o rio, no eles a fome no Mundo seria muito
frio. Assim dizia o meu amigo José nas aldeias, o que além de ser uma entanto, alguns mais afoitos pas- maior, em tempo de avolumar de
Burnay importante industrial de vergonha, é um péssimo exemplo seavam-se nele, certamente, com o carências, apesar de mitigadas devi-
produtos hortícolas e frutas na zona para os meninos. Adeptos do co- credo na boca não fosse o carambelo do a sistema social diferente, impor-
Oeste. Homem dinâmico, empeder- pianço, damo-nos ao luxo de esque- estalar. A pender das árvores a ca- ta lembrar que a meia-vida estriba-
nido caçador, sempre bem-humo- cer o Menino-Jesus, uma vergonha, rambina batida pelo sol tornava-se da em fome encoberta não foi assim
rado, o bisneto de Ramalho Ortigão preferindo o velhote barbudo, que feérica lançando raios de todas as há tanto tempo, levando a actos de
naquele dia mostrava-se pessimis- apesar de simpático significa desde cores, mesmo os difíceis arroxea- generosidade realizados dentro de
ta, porque – não fazia frio! Percebi há séculos uma ruptura centrada na dos. Ao anoitecer voltei a observar rigorosa discrição a ponto da mão
as razões da sua inquietação tendo velha pugna entre civilização e cul- os patinadores despojados de abafos esquerda não ver aquilo que a mão
em conta as transformações sofri- tura. No dia 10 de Dezembro, passei a contrariarem o velho dito: Deus direita entregava. Atacar a moléstia
das por aquele sector, longe vão o dia em Évora, estava soalheiro, ra- dá o frio conforme a roupa vestida. da fome deve ser imperativo de to-
os tempos das carroças repletas de paziada em meia-manga provocou- Todos quantos viveram a infância e dos os dias por parte de todos quan-
legumes conduzidas pelos saloios me admiração pela largueza de ges- a meninice no terrunho transmon- tos puderem, já o frio em tempo de
a fim de abastecerem os lisboetas. tos enquanto deslizava na pista de tano sabem quão importante é a Natividade não pode desaparecer
Também em tempos idos nas hor- gelo montada na Praça do Geraldo. friagem para dar elevação e sentido – acentua o espírito do presépio
tas existentes na Coxa as couves e as Uma advertência porventura supér- à quadra natalícia, daí perceber o la- – ou não fossem o burro e a vaca as
rabas adquiriam um gosto especial flua – enquanto observo e perscruto mento do meu amigo. As mulheres e naturais fontes de calor a aquecer o
devido ao gelo amaciador. Agora, díspares visões do mundo, o carri- homens das aldeias gabavam as ge- Menino. Lembro-os no “grandioso”
utiliza-se o truque de as colocar na lho da memória leva-me a Bragan- adas pelo seu positivo efeito na cura presépio da Sé vigiado de soslaio
arca frigorífica, mas não é a mesma ça e a Lagarelhos, às vezes de forma das carnes recém colocadas nas sal- pelo Senhor Machado pois os me-
coisa, aquele frio natalício tinha um excessiva. Desta feita a pista de gelo gadeiras, o progresso estribado na ninos faziam tolices, mais perto do
efeito grácil nos vegetais a lembrar activou-me retentivas e reminiscên- ciência e na técnica alterou hábitos Menino no mitigado de Lagarelhos
o riso de um menino ao receber cias do Fervença gelado a suportar e modos de produção e conservação repleto de musgo e pedrinhas bem
inesperado presente deixado pelo pedras e calhaus atirados do jardim dos produtos, embora adepto da sa- longe da magnificência dos presé-
Menino-Deus, pois nesse tempo, o no propósito de deslizarem pelo gelo zonalidade, entendo perfeitamente pios barrocos, ou das violentas ilu-
Pai Natal só andava de trenó na La- fora. Nunca vi nenhuma carroça ou a validade dos novos métodos. Sem minações de agora. Bom Natal.

40 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


Desporto e comunidade
te da disciplina de “Organização de
Eventos Desportivos”. “Estes dois
projectos estão direccionados para as
crianças. Um pretende unir a família
em torno do desporto e o outro se-
em torno do desporto e de uma ali- gue mais “uma filosofia de Jogos sem
mentação saudável. “Para além do Fronteiras, mas adaptado ao mundo
atletismo, irão desenvolver-se outras desportivo, com atletismo e futebol”,
actividades lúdicas e desportivas que adianta a responsável.
visam a promoção de bons hábitos Há ainda um terceiro projecto
alimentares, com a inclusão de alu- que é apoiado pela Câmara Munici-
nos de dietética. Para agradar aos pal de Macedo de Cavaleiros e que
pais, estes irão integrar também os já vem sendo realizado nos últimos
jogos tradicionais, as danças e pintu- anos, com desportos aquáticos e de
ras faciais”. aventura realizados na Albufeira do
Azibo.
Azibo volta a ser palco Celina Gonçalves, a presidente do
de desportos de Aventura júri, explica o porquê da selecção da-
queles que se sagraram vencedores.
Outro dos projectos apresentados “Os alunos fizeram um estudo de via-
deverá ser realizado na mesma altu- bilidade dos projectos no concelho de
ra, perto das comemorações do Dia Bragança e concluiram que os selec-
Mundial da Criança, e com o apoio cionados, além de viáveis, terão gran-
da Câmara Municipal de Bragança, de adesão por parte do público-alvo”,
Vitor Lopes e Celina Gonçalves (ao centro) abriram o seminário como desvenda Carla Araújo, docen- explica Celina Gonçalves.
BRUNO MATEUS FILENA e Celina Gonçalves, foram divulga-
das as várias iniciativas que serão
desenvolvidas ao longo do corrente
Entre sete projectos des- ano lectivo. O primeiro evento des-
portivos idealizados por portivo apresentado foi o “IPB Cup”,
alunos do 2º ano do Curso seguindo-se “Ioga com um sorriso”,
“Heptatlo Revolution”, “Jogos de cor
de Desporto e sujeitos a e fantasia”, “Tribal Indoor”, “Azibo
votação, apenas três foram Challenger” e “Mover Bragança”.
Depois da sua apresentação, os
escolhidos sete projectos de âmbito regional,
organizados por alunos do curso de
O auditório da Escola Superior Desporto do Instituto Politécnico de
de Educação de Bragança (ESEB) foi Bragança (IPB), foram a votos e três
palco do Seminário “Choose the best deles foram mesmo aprovados, dois
and leave all the rest”, organizado dos quais serão apoiados pelos mu-
pela unidade curricular “Organização nicípios de Bragança e Macedo de
de eventos desportivos”. Cavaleiros. Carla Mendes, porta-voz
Na III Apresentação dos Projec- de um dos grupos vencedores, afirma
tos de Evento Desportivos, que teve que o seu projecto, agendado para 5
lugar na passada 4ª feira, e depois de de Junho, pretende unir a comunida-
uma sessão de abertura levada a cabo de, mais concretamente, pais e filhos,
por Conceição Martins, directora da contando com cerca de 200 crianças
ESE, e pelos professores Vítor Lopes do primeiro ciclo do ensino básico,

Docentes do IPB agendam actividades para o novo ano

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 41


NATAL 2009

42 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


NORDESTE DESPORTIVO

III Divisão Série A 1 MACEDO


VALENCIANO 0
Estádio Municipal de M. de Cavalei-
ros - Árbitro: João Pinto (A. F. Braga)

Esquecer Eduardo?! Hugo Magalhães


EQUIPAS

Didácio
Victor Nuno
Fusco
Corunha Hélder
FERNANDO CORDEIRO Branco Luís Carlos
Eurico (cap) Nuno Gomes
Toninho Braima
Partida altamente com- (Luizinho 86’) Tiago Lenho
petitiva, em que o equilíbrio Eduardo (Luís Ramos 78’)
predominou ao longo dos 90’ Luís Gancho David
de jogo e na compensação. As Bernardino Ruizinho
equipas foram tacticamente (Tomané 65’) Tchocamar
perfeitas, utilizando sistemas Nuno Meia Everton
Luís Carlos (Francês 68’)
muito idênticos, encaixan-
(Huguinho 80’)
do muito bem uma na outra.
Ambas as turmas se respei- TREINADORES
taram demasiado, mais pre- Rui Vilarinho Berto Fernandes
ocupadas em não errar do
Golos: Eduardo 90’+3’
que em arriscar, esperando e
Disciplina: Luís Gancho 24’, Braima 21’,
procurando o erro adversário Tchocamar 87’.
para conseguir a vantagem.
Como consequência de
tantas cautelas e todo o equi- pelo Clube Atlético que a sou-
líbrio, as situações de emi- be procurar. Por outro lado,
nência de golo também foram pode, de algum modo, sen-
poucas, apenas, duas para tir-se ressarcido da falta de
Macedo não desperdiçou oportunidades estrelinha de alguns jogos em
cada lado, com a última já na
fase final da compensação e a tanos, o Valenciano propor- cia na eficiência. No mesmo para marcar. que foi nitidamente superior
ser decisiva. Eduardo quan- cionou a defesa da tarde a número de oportunidades O empate traduziria mui- e não conseguiu sair vitorio-
do tem a mais leve hipótese é Victor Nuno, negando o golo, dos forasteiros, estes não fo- to melhor aquilo que ambas so.
matador. e a Eduardo o tento contabi- ram capazes de dar o melhor as equipas produziram no Quanto aos árbitros, fize-
Nas duas oportunidades lístico dos 3 pontos e os índi- caminho à bola, desperdiçan- jogo, embora a sorte do jogo ram um trabalho de qualida-
conseguidas pelos trasmon- ces de 50 por cento de eficá- do os dois excelentes ensejos não deixe de ser merecida de.

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 43


NORDESTE DESPORTIVO

III Divisão Série A 2 MIRANDELA


MARINHAS 1
Estádio de S. Sebastião, em Mirandela
Árbitro: Pedro Afonso (A. F. da Guarda)

Guarda-redes em grande
EQUIPAS
Norinho Paulo Cunha
Jonas Tomé Gomes
Nana K Miguel (cap)
Bom jogo de futebol com (Ivo Calado 83’) Libra
vencedor justo, embora o Adriano Sobrinho
Álvaro Nuno Gonçalves
resultado pudesse ter uma
Igor (Nuno Gomes int)
expressão maior no número (Breno 88’) Palheiras
de golos, mas para isso con- Rui Lopes (cap) Gil
tribuíram as excelentes exi- Rui Borges, (Ochora 80’)
bições dos dois keeper’s e a Aires Ruben
falta de sorte na finalização Vaguinho Paulo Novoa
dos locais. (Couto 69’) (Bertinho 65’)
Maktar Rodrigo
A primeira parte foi lenta,
apesar de muito bem jogada TREINADORES
e tacticamente irrepreensível. Carlos Correia Mário Souto
Ambas as equipas procuraram
o golo, mas com demasiadas Golos: 1-0 Álvaro 18’, 2-0 Aires 88’, 2-1
Sobrinho 90’+4’
cautelas para não serem sur-
Disciplina: Vaguinho 28’, Couto 84’,
preendidas. Proporcionaram Adriano 90’+4 (g.p.), Norinho 90’+5’,
excelentes momentos de fu- Palheiras 43’ e 78’ (c.v. p/acum), Bertinho
tebol de bonita arquitectura 77’, Ochora 82’, Paulo Cunha 85’
colectiva e excelentes níveis
técnicos individuais, em que Mirandela foi um justo vencedor voltou a ser grande ao defen-
o 0-1 castiga a pontaria dos der mais um castigo máximo,
avançados e premeia as exi- a tranquilidade e o Mari- errasse para marcar e concre- de penetração de parte a par- ainda que na recarga tenha
bições dos goleiros. nhas para tentar contrariar tizar os objectivos. te, por isso o jogo foi muito dado o golo do Marinhas.
No regresso do descanso, o prejuízo mas nada se alte- Só que das intenções não mais lutado que jogado. Quanto aos árbitros, um
esperava-se que as equipas rou tacticamente em relação se passou porque a organiza- Resultado e vencedor jus- trabalho tranquilo com quali-
pudessem arriscar um pouco à primeira etapa. Especiais ção defensiva estava perfeita. tos pela produção global. dade, em que o lance da gran-
mais. cautelas para não errar e de- No meio terreno não havia li- O Mirandela conseguiu de penalidade foi a excepção
O Mirandela jogou para pois esperar que o adversário nhas de passe e muito menos alguma supremacia e Norinho que confirmou a regra.

44 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


NORDESTE DESPORTIVO

AF Bragança 2 ARGOZELO
LAMAS 0 AF Bragança 0 MILHÃO
SENDIM 2
Campo do Argozelo Campo do CEE

Entrar e resolver
Árbitro – Rui Sousa (Bragança)
EQUIPAS Frio em Árbitro – Rui Domingues (Bragança)
EQUIPAS

tudo
Pedro Vila Bitola Tó Carlos
Adolfo João (Fevereiro 31”) Filipe
Nuno Luís Cândido Alves
Zamalek Aguiar David David
Ricardo Diz Ernesto Coelho António
Luizinho Eduardo Moreira Moisés
Pedro Martins Victor L Filipe Hélio
Jorginho Nuno Tino Sa Paulo Zé
Serginho Ventura Nuno Paulinho
Kita Marco Victor Dinis
Samuel Manteigas Tito Alex
Rochinha JP Kaka Tozé
Joel Jarrete Emanuel Leo
JP Filipe
Rui
TREINADORES
TREINADORES
A Teixeira Jekas
L. F. Santos F. Pires
Argozelo só sofreu um golo desde o início do Campeonato Golos: Pedro Martins 9”, Kita 14” Milhão ainda não pontuou
Golos: Dinis 31”, David 81”
Foi um bom jogo de fute- recer o golo a Pedro Martins. Um jogo que não foi mui- Disciplina: Tó (31”)
bol na casa do líder, com fu- O extremo do Argozelo correu jogo controlado não entra- to bonito por causa do frio.
tebol a que o Argozelo já nos quase meio campo com a bola ram em pânico. O Milhão queixou-se de
habituou. Entrou e resolveu o e arrancou um passe mortal. Resta dizer que o Argoze- Rui Domingues e promete O certo é que o Sendim
jogo, para depois trocar a bola Depois foi a vez de Kita fazer lo ainda só sofreu um golo no recorrer ao Conselho de Ar- ganhou por dois golos e ain-
e fazer entender ao adversário o habitual gosto ao pé com campeonato, logo na primei- bitragem, coisa já habitual da teve margem para dilatar a
que tem que correr à procura muito à vontade e técnica de ra jornada, e tem uma defe- neste Campeonato Distrital vantagem, mas sem sucesso.
do prejuízo. Daí os locais es- primeira classe. sa que faz poucas faltas. Por da AFB. Nota-se que o juiz é Com esta derrota, o es-
perarem e dispararem contra O Lamas encaixou no jogo isso, Pedro Vila está para en- muito calmo tecnicamente, treante Milhão soma 8 jogos
ataques mortíferos, em que da equipa da casa, partiu para trar para a história do campe- mas terá que rever a parte da sem ganhar e, mesmo que
oportunidades não faltaram. o ataque mas não teve gran- onato distrital, se somar 100 disciplina, embora não fos- aponte erros às arbitragens,
Aos 9”, grande jogada des oportunidade de golo. Ao minutos sem sofrer golos. sem alguns erros a contribuir não poderá responsabilizá-
de Jorginho, que passou por invés, os donos do terreno O juiz Rui Sousa está num para a derrota da equipa do las, totalmente, pela má pres-
toda a gente e acabou por ofe- falharam muito, mas com o grande momento de forma. concelho de Bragança. tação no Campeonato.

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 45


NORDESTE DESPORTIVO

Juniores B
CLASSIFICAÇÕES

Liga Sagres Liga Vitalis III Divisão Série A AFB
0 CACHÃO
VIZELA 6
Campo do Cachão
13ª. Jornada 13ª. Jornada 10ª Jornada 8ª Jornada Árbitro – N. R. (Guarda)
Classificação Classificação Classificação Classificação EQUIPAS
Clubes P J Clubes P J Clubes P J Clubes P J
1 Maria da Fonte 23 10 1 Argozelo 22 8 Ricardo Eirado
1 Sp. Braga 30 13 1 Santa Clara 24 13
2 Benfica 30 13 2 Beira-Mar 23 13
2 Montalegre 22 10 2 Rebordelo 21 8 Furos André
3 Mirandela 20 10 3 FC Vinhais 17 8
3 FC Porto 29 13 3 Portimonense 22 13
4 Macedo de Cavaleiros 19 10 4 Vila Flor 17 8 Rafael Fábio
4 Nacional 21 13 4 Feirense 21 13
5 Rio Ave 19 13 5 Estoril Praia 19 13
5 Bragança 18 10 5 Mirandês 17 8 R Martins Gilberto
6 Limianos 16 10 6 Alfandeguense 13 8
6 Marítimo 19 13 6 Trofense 18 13
7 Valenciano 11 10 7 Mogadourense 12 8 Freixieda Faria
7 Sporting 18 13 7 Fátima 17 12
8 Marinhas 10 10 8 Sendim 12 8 Fábio Gutti
8 U. Leiria 17 13 8 Chaves 17 13
9 Amares 10 10 9 Talhas 11 8
9 Naval 15 13 9 Desp. Aves 17 13
10 Fão 8 10 10 Carção 9 8 Ruça Silva
10 P. Ferreira 14 13 10 Gil Vicente 16 13
11 Santa Maria FC 7 10 11 Vimioso 4 8 Carlitos Rui André
11 Académica 13 13 11 Oliveirense 16 12
12 Morais FC 7 10 12 GD Poiares 3 8
12 V. Guimarães 13 12 12 Sp. Covilhã 15 13 Mourão Vieirinha
13 CCR Lamas 1 8
13 Belenenses 10 12 13 Varzim 13 13
14 GD Milhão 0 8
14 Leixões 10 13 14 Penafiel 12 13 Resultados Tozé Rui Costa
15 Freamunde 11 13
15 Olhanense 9 13
Resultados Isco Garcia
16 V. Setúbal 8 13 16 Carregado 10 13
Montalegre  2-0  Santa Maria FC Vila Franca Monteiro
Resultados Resultados Fão  0-1  Bragança
Maria da Fonte  3-1  Morais FC
Carção  2-1  Talhas
Micael Craniço
GD Milhão  0-2  Sendim
Sp. Braga  0-0  Naval Penafiel  0-2  Beira-Mar Amares  0-3  Limianos
Rebordelo  6-1  Vimioso
Académica  2-0  Leixões Carregado  1-2  Chaves Macedo de Cavaleiros  1-0  Valenciano
Mirandês  7-1  GD Poiares
TREINADORES
Sporting  0-1  U. Leiria Portimonense  1-0  Feirense Mirandela  2-1  Marinhas
Vila Flor  1-1  FC Vinhais
Olhanense  2-2  Benfica Santa Clara  3-1  Trofense
Alfandeguense  3-3  Mogadourense
Hermínio David Carlos
FC Porto  2-0  V. Setúbal Fátima  0-0  Varzim
Belenenses  14/12  V. Guimarães Desp. Aves  0-1  Estoril Praia Próxima Jornada Argozelo  2-0  CCR Lamas
Golos: Rui André 23”, 65”, 77”, 80; Gutti
Marítimo  0-1  Rio Ave Sp. Covilhã  1-1  Oliveirense
Próxima Jornada
P. Ferreira  2-1  Nacional Gil Vicente  1-1  Freamunde Santa Maria FC  20/12  Fão 25”, Vieirinha 33”
Bragança  20/12  Maria da Fonte
Próxima Jornada Próxima Jornada Morais FC  20/12  Amares
Mogadourense  27/12  Talhas
Sendim  27/12  Carção
Santa Clara  20/12  Gil Vicente Limianos  20/12  Macedo de Cavaleiros

Continuar
V. Guimarães  20/12  Rio Ave Vimioso  27/12  GD Milhão
Beira-Mar  20/12  Desp. Aves Valenciano  20/12  Mirandela
V. Setúbal  20/12  Marítimo GD Poiares  27/12  Rebordelo
Freamunde  20/12  Carregado Marinhas  20/12  Montalegre
Benfica  20/12  FC Porto FC Vinhais  27/12  Mirandês
U. Leiria  20/12  Belenenses Trofense  20/12  Penafiel Alfandeguense  27/12  Argozelo
Leixões  20/12  Olhanense Oliveirense  20/12  Feirense CCR Lamas  27/12  Vila Flor
Naval  20/12  Sporting
Nacional  20/12  Académica
P. Ferreira  20/12  Sp. Braga
Varzim  20/12  Portimonense
Estoril Praia  20/12  Fátima
Chaves  20/12  Sp. Covilhã com honra
Nacional Juniores C Nacional Juniores A
III Divisão Série B Nacional Juniores B 12ª. Jornada 14ª Jornada
10ª. Jornada 13ª. Jornada Classificação Classificação
Classificação Classificação Clubes
1 V. Guimarães
P
34
J
12
Clubes P J
1 V. Guimarães 40 14
Clubes P J Clubes P J 2 Sp. Braga 26 12 2 Sp. Braga 32 14
1 Vila Meã 24 10 1 Padroense 30 13 3 Varzim 25 12 3 Varzim 26 14
2 Fafe 20 10 2 V. Guimarães 28 13 4 Bragança 23 12 4 Bragança 26 14 A
3 Amarante 17 10 3 Varzim 27 13 5 Vizela 21 12 5 Vizela 24 14
4 Freamunde 27 13 6 Gil Vicente 20 12
4 AD Oliveirense
5 Joane
16
14
10
10 5 Sp. Braga 23 13 7 AD Barroselas 19 12
6 Gil Vicente
7 AD Barroselas
23
23
14
14
Um jogo que serviu para
6 Torre Moncorvo 13 10 6 Diogo Cão
7 Vizela
19
19
13
13
8 Famalicão
9 Marinhas
13
11
12
12
8 Famalicão 13 14 ganhar alguma prática em pro-
7 Rebordosa 12 10 9 Marinhas 12 14
8 Leça 12 10 8 Rio Ave 19 13 10 Chaves 8 12 10 Chaves 8 13 vas nacionais. Apesar de não ter
9 Fafe 13 13 11 Ribeirão 7 12
9 Famalicão
10 Serzedelo
12
10
10
10 10 Régua 11 13 12 ARC Paçô 0 12
11 Ribeirão
12 ARC Paçô
8
3
14
13
pontos, o Cachão lutou sempre
11 Infesta 8 10 11 Limianos
12 GD Cachão
8
0
13
13
e conseguiu criar perigo.
12 Pedrouços 3 10
Resultados Resultados O jogo morreu na primeira
Resultados Resultados
Ribeirão  0-4  Sp. Braga
parte devido aos muitos golos
Marinhas  0-0  Ribeirão
Amarante  2-1  AD Oliveirense
Infesta  4-1  Pedrouços Limianos  2-1  Régua Marinhas  0-0  Bragança
Famalicão  0-3  Sp. Braga sofridos, mas nem tudo é mau.
Padroense  1-0  Rio Ave Famalicão  0-4  V. Guimarães
Serzedelo  0-2  Vila Meã
Diogo Cão  0-1  V. Guimarães Gil Vicente  8-0  ARC Paçô
Gil Vicente  1-0  Bragança
Chaves  0-3  V. Guimarães
A equipa tem, agora, mais
Joane  2-1  Famalicão
Rebordosa  1-0  Torre Moncorvo Freamunde  3-1  Fafe Chaves  1-2  AD Barroselas
Varzim  2-0  Vizela
Varzim  0-1  ARC Paçô tarimba para a próxima prova
GD Cachão  0-6  Vizela AD Barroselas  2-0  Vizela
Leça  0-1  Fafe
Sp. Braga  2-1  Varzim inserida no nacional de junio-
Próxima Jornada Próxima Jornada Próxima Jornada
res e, mesmo, no distrital.
Pedrouços  20/12  Amarante Rio Ave  20/12  Régua Vizela  06/12  Ribeirão Próxima Jornada Devido ao protocolo, há jo-
Fafe  20/12  Infesta
Torre Moncorvo  20/12  Leça
V. Guimarães  20/12  Padroense
Fafe  20/12  Diogo Cão
Sp. Braga  06/12  Marinhas gadores que podem ir para Mi-
Bragança  06/12  Famalicão Vizela  20/12  Marinhas
Famalicão  20/12  Serzedelo Vizela  20/12  Freamunde V. Guimarães  06/12  Gil Vicente Ribeirão  20/12  Famalicão randela e outros para o Vitória
AD Oliveirense  20/12  Joane Varzim  20/12  GD Cachão
Vila Meã  20/12  Rebordosa Sp. Braga  20/12  Limianos
ARC Paçô  06/12  Chaves
AD Barroselas  06/12  Varzim
Sp. Braga  20/12  Gil Vicente
Bragança  20/12  Chaves
de Guimarães.
V. Guimarães  20/12  Varzim O campo do Cachão é bom,
ARC Paçô  20/12  AD Barroselas
mas falta uma vitória para dar
Resultados
mais motivação a uma equipa
Futsal - I Divisão Freixieiro  4-2  SL Olivais
que deu luta.
14ª. Jornada
Boticas  11-3  Onze Unidos
Belenenses  9-0  AAUTAD/Real Fut Futsal Distrital Viu-se um bom trabalho
Mogadouro  4-2  Ins. D.João V
Vila Verde  0-2  AD Fundão 8ª Jornada do juiz que deixa o futebol em
Classificação Alpendorada  4-5  Sporting
FJ Antunes  4-4  Benfica Classificação boas mãos.
Clubes P J Clubes P J Clubes P J
1 Belenenses 36 14 8 Boticas 19 14 Próxima Jornada 1 Vila Flor 18 8
2 Benfica 36 14 9 FJ Antunes 18 14 2 C. Ansiães 17 8
3 Sporting 32 14 10 Alpendorada 17 14 Benfica  19/12  Freixieiro
3 SC Moncorvo 16 8
Futebol
4 Ins. D.João V 25 14 11 SL Olivais 10 14 SL Olivais  19/12  Boticas
4 GD Poiares 14 8
5 Mogadouro 24 14 12 AAUTAD/Real Fut 7 14 Onze Unidos  19/12  Belenenses
5 FC Mirandela 14 8
6 AD Fundão 23 14 13 Vila Verde 6 14 AAUTAD/Real Fut  19/12  Mogadouro
6 Torre D. Chama 12 8
7 Freixieiro 23 14 14 Onze Unidos 5 14 Ins. D.João V  19/12  Vila Verde
AD Fundão  19/12  Alpendorada
Sporting  19/12  FJ Antunes
7 GDC Roios
8 Stº Cristo
9 UD Felgar
11
7
3
8
8
8
“Cromos”
10 CA Carviçais 3 8
do Cachão
Resultados Resultados O GD Cachão preparou
Paredes  6-2  Amanhã Criança
Futsal - III Divisão - Série A Contacto  6-5  Macedense SC Moncorvo  7-2  FC Mirandela uma caderneta com todos os
Chaves Futsal  3-2  Barranha SC UD Felgar  2-5  Vila Flor jogadores das várias equipas
10ª. Jornada Monte Pedras  4-2  Santa Luzia GDC Roios  7-5  CA Carviçais
Gualtar  5-2  A.R.C.A. Torre D. Chama  7-3  Stº Cristo de formação com vista à anga-
Pioneiros Bragança  3-4  Guimarães Futsal
Classificação Mondim de Basto  3-2  Junqueira
GD Poiares  4-7  C. Ansiães
riação de fundos para as deslo-
Clubes P J Clubes P J cações.
1 Chaves Futsal 28 10 8 Gualtar 13 10 Próxima Jornada Próxima Jornada Segundo o presidente do
2 Contacto 24 10 9 Guimarães Futsal 13 10 Paredes  19/12  Contacto
3 Monte Pedras 20 10 10 A.R.C.A. 9 10 Macedense  19/12  Chaves Futsal C. Ansiães  19/12  SC Moncorvo clube, Pedro Grilo, a caderne-
4 Mondim de Basto
5 Junqueira
20
19
10
10
11 Macedense
12 Amanhã Criança
9
6
10
10
Barranha SC  19/12  Monte Pedras FC Mirandela  19/12  UD Felgar ta de cromos estará disponível
Santa Luzia  19/12  Gualtar Vila Flor  19/12  GDC Roios
6 Barranha SC 17 10 13 Santa Luzia 5 10 A.R.C.A.  19/12  Pioneiros Bragança CA Carviçais  19/12  Torre D. Chama através da internet para todos
7 Paredes 15 10 14 Pioneiros Bragança 1 10 Guimarães Futsal  19/12  Mondim de Basto Stº Cristo  19/12  GD Poiares
Amanhã Criança  19/12  Junqueira
os interessados em adquiri-la.

46 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 47
NORDESTE DESPORTIVO

Juniores A 1 BRAGANÇA
TAIPAS 4
Campo do CEE
Árbitro – Hugo Geraldes (Guarda)

Manutenção mais difícil


EQUIPAS
Nelson Ferreira
Nélio Figueiredo
Francisco Porto
Jaime Paulo
para os minhotos e é fruto de V Hugo C Lopes
uma má exibição da equipa Eddas R Martins
da casa. Capello V Sousa
Valentim Cerqueira
Embora Eddas marcas-
Ricardo Afonso
se aos 8”, que não perdoou Guerra Luís
frente a Ferreira, tudo pare- Padrão Carlos
cia bem encaminhado para a Valdo C Gomes
vitória, quando a equipa dos Castilho Tiago
Caçadores das Taipas bene- Ruben Costa
ficiou de um livre e C. Lopes TREINADORES
carregou para o golo do em-
M Alves e J P. Ferreira (Adjunto)
pate. Genésio
Ainda na primeira parte,
o Bragança deu um ar da sua Golos: Eddas 8”, C Lopes 24”, Tiago 62”,
graça, mas não conseguiu o 90+4, Luís 69”

segundo golo.
O banco minhoto mexeu
e ganhou o jogo muito à von- do por construir uma vitória
tade. muito justa. Perante esta der-
Num jogada bonita de rota, a equipa do duo Marcelo
Luís, Tiago marcou à boca Alves e Genésio passou para
da baliza e foi o pior que po- a 11ª posição e terá que mos-
dia ter acontecido aos locais. trar mais valor fora de casa
Taipas castigou Bragança na sua própria casa A equipa desorganizou-se, para lutar pela manutenção.
perdeu o miolo e deu muitos Há jogadores em má for-
O Bragança perdeu uma mais perto da zona de manu- casa com o Taipas por 4-1. espaços aos taipenses que fo- ma e a derrota mostrou isso.
grande oportunidade de ficar tenção directa, ao perder em Este resultado é justo ram somando golos, acaban- O juiz esteve brilhante.

48 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


Juniores C 1 GIL VICENTE
BRAGANÇA 0
Campo do Gil Vicente

Muito bem jogado Árbitro – Rui Fernandes (Viana Castelo)


EQUIPAS
Pedro André Reis
Um golo, uma derrota e a equipa do Bra- Costa Saraiva
gança a jogar em Barcelos de peito aberto fren- JP Ivo
te à turma dos galos, que ganhou com justiça. Ricardo Esteves
O golo nasce de uma desatenção da defesa, Diogo I Filipe
que permitiu que Loureiro colocasse o marca- DiogoII Luís Lisboa
Zé Gonçalo
dor em 1-0. O Bragança reagiu de imediato, jo-
Loureiro Luís Trigo
gou no campo todo, mas não conseguiu bater o Paulo Nuno
guarda-redes, Pedro. Leandro Rui Alves
Viu-se, assim, uma boa propaganda ao fu- Bananas Zé Lopes Portugal
tebol, numa jornada muito curiosa. Márcio Luís Silva
O Bragança mantém a terceira posição no Eria Chiquinho
Campeonato Nacional e a manutenção certa. Edu Sérgio
As entradas de Chiquinho, Luís Silva e TREINADORES
Sérgio forçaram o Gil Vicente a ter mais aten- Zé Manuel Betinho Antas
ção à sua defesa.
Não foi possível empatar, mas a turma da Golos: Loureiro 24”
casa ganhou com mérito. Desta vez, também
se viu uma grande arbitragem.

Barcelos cantou de galo perante os jovens brigantinos

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 49


NORDESTE DESPORTIVO

Distrital Juniores C 2 MÃE D’ÁGUA


MIRANDELA 2
Boa imagem
do futebol
No Estádio Municipal, o Os visitantes estiveram
Mãe d’ Água e o Mirandela com a vitória bem perto, já
deram uma grande lição de que conseguiram ir para a
futebol. frente 2” do fim.
No Distrital de Junio- Quando todos espera-
res C, viu-se um grande vam uma vitória, o Mãe d’
jogo que chegou ao interva- Água marcou o golo por
lo com o resultado de 0-0, César que acabou por ser o
mas com muita vontade de homem do jogo com duas
dar aos espectadores um es- concretizações.
pectáculo. Foi um grande espectá-
Na 2ª parte apareceram culo com miúdos que deram
os golos. ao futebol de Bragança uma
O Mirandela marcou boa imagem.
primeiro por Zé Luís aos Ambos os treinadores,
40”, enquanto que, mais Valdemar Barreira e Ricar-
tarde, o Mãe d’ Água empa- do Gomes, deram conta do
tou por César. recado. Mirandela empata jogo no Estádio Municipal de Bragança

Distrital Infantis 0 MÃE D’ÁGUA


MIRANDELA 3
Árbitro: Rui Sousa

Campeões e está tudo dito EQUIPAS


Miguel Pinto·
Luís Gonçalves
Jorge Branquinho
Francisco Patatas
Rodrigo Afonso André Pontes
JOSÉ RAMOS da, os técnicos da equipa da
Diogo Ramos Mário Andrade
Princesa do Tua mexeram em Ricardo Afonso Francisco Costa
A equipa forasteira en- alguns sectores da estrutura João Moreira Luís Brêa
trou bem na partida e foi com da equipa, mas a equipa não Gonçalo Raposo Tiago Morais
esta entrega que estes atletas se ressentiu em nada com as Tiago Fernandes José Ramos
foram campeões em Escoli- alterações, vindo, mesmo, a Frederico Passas
marcar mais dois golos nesta António Alves
nhas na época transacta.
José Pereira
A equipa do Mãe d’Água 2º parte.
de tudo fez para impedir o Não fosse algum azar e TREINADORES
adversário de marcar o pri- a falta de pontaria por par- Victor Machado Ricardo Gomes Vaz
meiro golo, que, apesar de te dos alvi-negros, o Mãe Pinto
ter tido várias oportunida- d’Água teria sofrido mais go-
Golos: Mário Andrade 27, 17” Francisco
des, só conseguiu inaugurar los. Costa 29”
o marcador aos 27’ minuto A equipa de arbitragem
da 1ª parte. esteve bem, não se notando a
Alvi-negros foram mais rápidos Na 2ª metade da parti- sua presença em campo.

50 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


NORDESTE DESPORTIVO

Campeonato Distrital de Escolas


Veteranos 3 BRAGANÇA
CINFÃES 1 Montes de Vinhais – 2 / Mirandês – 1

Um jogo brilhante Campeonato Distrital de Infantis


Montes de Vinhais – 5 / Mirandês – 8

O bem tratado campo do


Instituto Politécnico de Bra-
gança (IPB) recebeu um jogo
de boa qualidade, principal-
Sortes diferentes
mente, na primeira parte,
com o 0-0 a permanecer e a Os jogadores de Escolas e logo a seguir ao golo forastei-
dar vontade às equipas de Infantis do Montes de Vinhais ro o árbitro concluiu o jogo.
inaugurar o marcador. defrontaram as equipas dos Já na categoria de Infan-
Na verdade, o Bragança mesmos escalões do Miran- tis, o jogo começou muito re-
tentou, mas tinha pela frente dês em dois jogos distintos. partido, com oportunidades
uma equipa muito organiza- O primeiro foi equilibra- de golo em ambas as balizas,
da. do a meio campo, com os vi- tendo o Mirandês marcado
Na 2ª parte, vieram os nhaenses a serem superiores, por duas vezes. Mas os Mon-
golos por Xaninha, aos 55”, construindo algumas jogadas tes de Vinhais nunca baixa-
Tó Parente, aos 57”, Rui, aos bonitas com oportunidades ram a cabeça e foram atrás do
76”, o golo de honra do Cin- Paulo Afonso no ataque para marcar. O Montes de Vi- prejuízo, conseguindo virar o
fães foi obra de Hernâni, aos nhais conseguiu marcar por resultado de 0 – 2 para 4 – 2.
78”. Boa condição física dos coube a João, da equipa da grande momento, o jogo es- duas vezes, enquanto que o Após o intervalo, a equipa
jogadores das duas equipas e, casa, com uma monumental teve sempre brilhante, mas a Mirandês rematou, apenas, mirandesa veio com vontade
naturalmente, boas jogadas estirada, que não deu tempo terceira parte foi a mais bem uma vez à baliza dos da casa de mudar o resultado crian-
de ataque. A defesa da tarde para a foto da tarde. Com este tratada. e sem perigo, chegando ao in- do algumas oportunidades
tervalo com o resultado de 2 de golo, terminando a partida
– 0. com o resultado de 5 – 8 a fa-
Rectificação Na segunda parte, houve vor dos forasteiros.
mais equilíbrio e podia ter A equipa de arbitragem
Na página 20 da edição anterior, a foto que ilustra a notícia “Revolta no Planalto” não aparecido o golo para ambas agiu com correcção, demons-
corresponde à do árbitro que apitou o jogo Sendim-Rebordelo. Na verdade, a imagem é de as partes, já ao cair do pano o trando um grande profissio-
Rui Paulo, quando o juiz que desencadeou as críticas do clube sendinês foi Nelson Ramos. mirandês reduziu para 2 – 1 e nalismo.
Pelo lapso aqui fica um pedido de desculpas a Rui Paulo.

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 51


NORDESTE DESPORTIVO

Escolas 4 MÃE D’ÁGUA


MIRANDELA 3 Escolas 7 BRAGANÇA
POIARES 0
Campo do CEE
Árbitro – Rui Mouta (Bragança)

Superioridade Árbitros – Rui Sousa


EQUIPAS Natural- EQUIPAS

tri-color
Tefinha
Rodrigo
Rafa
Duarte
PePe
Ventura
mente Pedro I
Duarte
Rui
Ricardo
Portela
Rui Mendes
Bruninho Nascimento Nuno CO
Xico Morais Ricardo Leo I
Canelão Miguel Didi Leo II
Eduardo Sanhudo Filipe II Eustácio
Duda Reboredo André Alex
Paulinho Taveira Ricardinho Ângelo
Queirós Marujo Refoios Vasconcelos
Inácio Pedro Pedro II Taborda
Ryan Mane Luís Pinto
TREINADORES
TREINADORES
Xaninha
Careca e Mário Ricardo Gomes
João Fair-play em campo Golos: Pedro II 2”,34”,45”, Ricardo 9”,22;
Golos: Canelão 4”, Bruninho 11”, Rafa Duarte 47”, Filipe 50”.
Foi uma alegria ver os mi-
18”(gp), 50”, Pepe 25”,Miguel 32”,Morais
35”.
údos do Poiares a aplaudirem
o último golo do Bragança, fez mossa na equipa, agravada
num remate de Filipe para o pelo frio, acabou por influen-
emoções muito fortes perante buraco da agulha. ciar os jogadores ao longo da
o público no campo do CEE. O encontro foi facilitado partida, que foi um pouco
Dertby em ponto pequeno, mas grande nos lances
No último minuto viu-se para o G. D. Bragança A, pela mais lenta do habitual.
Grande jogo de futebol as bolas paradas são a essên- o momento do jogo, quando forma como entraram dispos- O Poiares jogou muito
para miúdos de tenra idade. cia do futebol. Rafa passou por toda a gente tos a resolver o jogo. O treina- bem e entregou-se. Já o Bra-
A equipa de Bragança Com 3-0 ao intervalo, e deu a vitória aos donos da dor do Poiares, V. Massano, gança tem jogadores muito
entrou muito bem e chegou pensou-se o pior para o Mi- casa. conhecia bem as dificuldades bons tecnicamente e acabou
ao 3-0 com um bom remate randela, mas foi exactamente Foi um grande jogo que que iria enfrentar, pelo que por ganhar sem qualquer di-
de Canelão, aos 4”, um livre uma revolução que depois se meteu inveja a profissionais. deixou os seus pupilos joga- ficuldade.
directo de Bruninho e uma deu. Os juízes acompanharam rem à vontade. A dupla de árbitros foi,
grande penalidade de Rafa. Chegou o 3-3 e o sonho as jogadas com muita atenção Uma longa de viagem de notoriamente, uma ajuda
Hoje, mais do que nunca, de virar o resultado. Houve e o futebol ganhou. dezenas quilómetros também para os craques.

52 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


NORDESTE DESPORTIVO

Infantis 1 MONCORVO
MACEDO 2 Escolas 5 MONCORVO A
MACEDO 2
Campo Dr. Camilo José Sobrinho

Mais uma polémica E já vão três!


(Moncorvo)
Árbitro – Nélson Ramos (AF Bragança)

EQUIPAS

Quanto ao jogo, nenhu- Lucas Tó


ma das equipas praticou bom Rui Paulo Ricardo
Daniel João
futebol, embora a equipa da
Álvaro Miguel
casa criasse mais oportunida- Álvarinho Alcino
des para marcar. Samuel che- Cadete Eduardo
gou ao golo através de uma Sérgio Senane
grande penalidade ainda no Carlitos Diogo
primeiro tempo. Pedro Branco Correia
Na segunda parte jogou- Zé Manuel João Pedro
Amendoeira
se muito no meio campo, mas
Pedro
com o Macedo a tentar chegar Sandro
à igualdade. Gonçalo
Conseguiu-o a dez minu-
tos do final, num remate fora TREINADORES

da área, que apanhou de sur- Empenho do Macedo não deu para bater superioridade moncorvense Sílvio Afonso Hugo Ribeiro
presa a defensiva de Moncor- Carvalho

Jogo deu que falar vo. Vítor Aleixo teira do marcador, partindo
Golos: Álvaro 12´´; Miguel 13´´; Cadete
Mas, já nos instantes fi- em vantagem para a segunda 22´´; Carlitos 24´´ e 31´´;
V.A. nais, o defesa do Macedo Foi a terceira vitória con- parte. Zé Manuel 28´´ e Diogo 42´´;
atrasa a bola com o pé para o secutiva da equipa das Esco- Os segundos vinte e cin-
A turma forasteira che- guarda – redes e este agarra o las A do GD Moncorvo, num co minutos apenas serviram
gou ao golo nos minutos fi- esférico com as mãos, atraso jogo onde a turma da casa foi para confirmar o favoritismo mostrando um bom conjun-
nais, o árbitro da partida não que o árbitro não assinala. sempre superior ao adversá- que o Moncorvo levou para os to. Já o Macedo fez o que po-
assinalou um atraso ao guar- Desse erro surge o golo rio, mas a pecar no capítu- balneários. Carlitos e Zé Ma- dia. Mostrou empenho, mas
da – redes macedense, e no do Macedo, através de uma lo da finalização. Contudo, nuel confirmaram o terceiro não conseguiu inverter a su-
enfiamento dessa mesma jo- grande penalidade. No final depois de sofrer o primeiro triunfo consecutivo dos mon- premacia da equipa da casa,
gada assinala uma grande pe- os ânimos estavam exaltados, golo, o Macedo ainda reagiu corvenses que começam a dar que pressionou durante todo
nalidade a favor do Macedo, com os adeptos do Moncorvo e restabeleceu a igualdade a mostras de que estão em fase o jogo.
o que gerou grande polémica a contestarem a equipa de ar- um, mas o Moncorvo rápido ascendente no campeonato, A equipa de arbitragem
nas hostes moncorvenses. bitragem. voltou a colocar-se na dian- praticando melhor futebol e teve uma actuação regular.

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 53


NORDESTE DESPORTIVO

Futsal I Divisão 4 MOGADOURO


INSTITUTO 1
Pavilhão da Junta de Mogadouro

Instituto chumbado
Árbitros – Nb e CD (Porto)
EQUIPAS
Pina Sousa
Maniche Eli
ta, que ficou atravessada na Boi Miguel Fábio
garganta, pelo que era pro- Ricardinho Nuno
messa mostrar que a primei- Mancuso Fábio
ra jornada não passou de um Parada Castro
momento infeliz e recuperá- Ney Bata
vel. Boi, aos 9 minutos, abriu Bruno Ciro
Toquinha
o marcador, fazendo o 1-0,
Din
resultado que seguiu para o
TREINADORES
segundo tempo.
A Pereira On
Aos 26 minutos, Man-
cuso aumentou a vantagem Golos: Boi 9”,31”, Din 26”, 40”, Maniche
para 2-0, mas, 4 minutos 26”, Ney 40”
depois, o forasteiro Pimpo-
lho faz o primeiro golo do D. ra, fechando o placar final em
João V e o 2-1. Os dois últi- 4-2.
Pina é uma peça fundamental na equipa do Planalto
mos minutos do jogo foram O CAM terminou bem a
Depois da equipa trans- bom futsal da turma de Artur e Ciro) foram, na época pas- mais densos, daí os 3 golos primeira volta e somou a se-
montana ter sofrido uma Pereira. sada, jogadores do grémio finais. Boi aos 39 minutos faz gunda vitória. Na jornada 15,
goleada de 0-5 na primeira Talvez ironia de ter que mogadourense..   o 3-1 e Fábio Aguiar reduz no um derby transmontano le-
volta, poderia esperar-se, em jogar em casa, contra uma A verdade é que a equipa mesmo minuto para 3-2. Foi vará a equipa de Mogadouro
casa, um resultado mais cla- equipa em que três dos atle- do CAM abriu o campeonato Ney, mesmo aos 40 minutos, a Vila Real, para defrontar a
ro, o que aconteceu devido ao tas do Instituto (Eli, Tukinha desta época com uma derro- que carimbou o golo de hon- AAUTAD.

Futsal III Divisão 6 CONTACTO


MACEDENSE 5
Pavilhão Municipal de Cabeceiras
de Basto

Um difícil Contacto Árbitros: Joaquim Martins e Bruno


Castro (A. F. de Viana do Castelo)

EQUIPAS

FERNANDO CORDEIRO período de luxo, conseguin- denses terminam avassalado- Christophe Nisga
Juninho Play
do remeter o Contacto para res, chegando ao fim da par-
Nuno Lima Leite Leonardo (cap)
Impróprio para cardíacos uma defensiva muito atenta, tida com o prejuízo mínimo Jala Ricardinho
este hino ao futsal, que fez as mas acerta mais no poste e, por culpa própria, deixando Zé Rui (cap) Nelson Pika
delícias dos privilegiados que apenas, uma nas malhas, re- sérias dúvidas de poderem Luis Serra Estrela
estiveram no pavilhão. duzindo para 3-1. ter marcado. No mínimo o Duarte Nuno Camané
Começaram melhor os Do intervalo, as equipas empate, caso tivessem inicia- Zé Ricardo Patrick
homens da casa, sabendo regressam ainda melhor, do a fúria final uns minutos Mário Lino
Diogo
aproveitar muito bem as li- conseguindo elevar os altos mais cedo.
Ruben
nhas de penetração que con- níveis do futsal praticado na Apesar da derrota ser pe- Paxa
seguiram construir. Benefi- primeira parte, mantendo- sada, castigo para a atitude
TREINADORES
ciaram da falta de pontaria se o equilíbrio e a eficácia da e futsal praticado pelos “en-
Resultado foi injusto Rui Basto Costinha
dos forasteiros, a rematar ao eficiência, com os anfitriões a fants terribles” de Costinha,
lado, e no excesso da mesma fracturar as situações de rup- e o empate a traduzir melhor concretizadora também me- Golos:Zé Rui 2’ e 3’, Jala, Ricardinho 19’,
pontaria a acertar no ferro da tura construídas e os forastei- o equilíbrio evidenciado na rece ser premiada. Zé Rui 23’, Play 24’, Zé Rui 29’, Leonardo
baliza anfitriã. ros a manter o acerto ao fer- análise global. A vitória local Quanto aos árbitros, fize- 37’, Zé Rui 38’, Ruben 39’, Play 39’.
A 2 minutos do intervalo, ro, repetindo-se o filme da 1ª não escandaliza, porque em ram um trabalho de qualida-
o Macedense subscreve um parte. Novamente os mace- alta competição a capacidade de.

54 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


NATAL 2009

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 55


PUBLICIDADE

Jornal Nordeste – semanário Regional de Informação Nº 686 de 186, 4° Esq., Bragança; Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 686 de 15 6- Prédio rústico, sito em Corso, freguesia de S. Julião de Palácios,
15 de Dezembro de 2009 Carlos Manuel Borges Dias, residente na Rua Alferes João Batis- de Dezembro de 2009 concelho de Bragança, composto por Cultura, com a área de quinhen-
ta, Edf. Nova Era, Bloco 4 – 5 A, Chaves. tos metros quadrados, a confrontar do norte com Manuel António Ro-
MODALIDADE DA VENDA: drigues, do nascente com Leonor da Purificação Afonso, do sul com
Proposta em carta fechada. Caminho e do poente com Cândido Augusto Galvão, não descrito na
Carla Pereira Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz
VALOR BASE:
Solicitadora de Execução respectiva, sob o artigo 11810 sendo de 1,26 euros o seu valor patrimo-
4.100,00 euros (quatro mil e cem euros).
nial, a que atribuem o valor de cinco euros.
VALOR MÍNIMO DAS PROPOSTAS:
7- Prédio rústico, sito em Casa do Prado, freguesia de S. Julião de Pa-
Serão aceites as propostas iguais ou superiores a 2.870,00€ (dois
Tribunal do Trabalho de Bragança, lácios, concelho de Bragança, composto por cultura e três castanheiros,
mil oitocentos e setenta euros), correspondente a 70% do valor
Processo: 185/07.5TTBGC-A, Secção Única com a área de três mil e trinta metros quadrados, a confrontar do norte
base. com António Augusto Gonçalves, do nascente com Manuel António do
Valor: 3.508,82 €
FIEL DEPOSITÁRIO: EXTRACTO/JUSTIFICAÇÃO Cubo, do sul com Maria de Lurdes Prada Frutuoso e do poente com
Referência interna: PE/8/2008
É fiel depositária do veículo, Carla Pereira, com domicílio na Rua CERTIFICO, narrativamente, para efeitos de publicação, que por es- António Augusto Gonçalves, não descrito na Conservatória do Registo
5 de Outubro, n°34°, 1° dto. Frt., em Bragança. critura lavrada no dia nove de Dezembro de dois mil e nove no Cartório Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respectiva, sob o artigo
ANÚNCIO DE VENDA EM PROCESSO EXECUTIVO
As propostas enviadas pelo correio deverão conter, sob comina- Notarial a cargo do notário Lic. João Américo Gonçalves Andrade, sito 10702 sendo de 7,29 euros o seu valor patrimonial, a que atribuem o
ção de não serem consideradas, fotocópia do bilhete de identida- na Avenida Dr. Francisco Sá Carneiro, 16 em Bragança, exarada de valor de dez euros.
1ª Publicação
de e número de contribuinte do proponente e/ou seu legal repre- cento e doze a folhas cento e quinze verso do livro de notas para es- 8- Prédio rústico, sito em Casa do Prado, freguesia de S. Julião de Palá-
sentante, bem como telefone de contacto. Os proponentes devem crituras diversas número “Setenta e dois – A” ROGÉRIO DE JESUS cios, concelho de Bragança, composto por cultura e dez carvalhos, com
CARLA PEREIRA, Solicitadora de Execução com a Cédula n.°
juntar à sua proposta, como caução, um cheque visado à ordem CAVALEIRO e mulher MARIA TERESA FERNANDES CAVALEI- a área de mil e seiscentos metros quadrados, a confrontar do norte com
4234, com escritório na Rua 5 de Outubro, n° 34, 1° em Bragan-
do solicitador de execução no montante correspondente a 20% do RO, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, ele natural da António Augusto Gonçalves, do nascente com Manuel do Nascimento,
ça, faz saber que se encontra designado o dia 12 de Janeiro de
valor base dos bens, ou garantia bancária no mesmo valor. freguesia de S. Julião de Palácios e ela da freguesia de Babe, ambas do sul com António Frutuoso e do poente com José Rodrigues, não
2010, pelas 09H30, no Tribunal do Trabalho de Bragança, sito
Sendo a proponente pessoa colectiva, deverá a referida proposta do concelho de Bragança, residentes na mencionada freguesia de São descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito
na Praça Cavaleiro Ferreira, em Bragança, para abertura de pro-
ser acompanhada por documento onde se possa aferir, sem mar- Julião de Palácios, NIFS 162 943 466 e 162 943 458, fizeram as de- na matriz respectiva, sob o artigo 10717 sendo de 4,15 euros o seu valor
postas que sejam entregues até esse momento na Secretaria deste
gem para dúvidas, que quem a representa tem poderes para o clarações constantes desta certidão, que com esta se compõe de cinco patrimonial, a que atribuem o valor de cinco euros.
Tribunal, pelos interessados na compra do seguinte bem móvel:
acto. laudas e vai conforme o original. 9- Prédio rústico, sito em Rato, freguesia de S. Julião de Palácios,
BEM A VENDER
Nos termos do n° 5 do artigo 890° do CPC, não se encontra pen- Bragança, Cartório Notarial, nove de Dezembro de dois mil e nove. concelho de Bragança, composto por cultura, com a área de dois mil e
Verba Única – Veículo automóvel ligeiro de passageiros, matrícu-
dente nenhuma oposição à execução ou à penhora. A Colaboradora Autorizada seiscentos metros quadrados, a confrontar do norte com Manuel José
la 43-41-MN, marca Suzuki, modelo (EGC 11 S) Baleno 1.3 4D, Bernardete Isabel C. Simões Afonso Alves e Outros, do nascente com Joaquina Ferreira, do sul com Joa-
cilindrada 1298, branco, gasóleo, do ano de 1998. quina Ferreira e do poente com José do Nascimento, não descrito na
A Solicitadora de Execução
EXECUTADOS: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz
Carla Pereira
Ana Cristina Soares Mendes, residente na Av. Sá Carneiro, Lote seguintes bens: respectiva, sob o artigo 10081 sendo de 13,20 euros o seu valor patri-
1- Prédio rústico, sito em Casa do Prado, freguesia de S. Julião de Pa- monial, a que atribuem o valor de quinze euros.
lácios, concelho de Bragança, composto por Vinha, com a área de mil 10- Prédio rústico, sito em Casa do Prado, freguesia de S. Julião de


metros quadrados, a confrontar do norte com Evaristo António Miran- Palácios, concelho de Bragança, composto por cultura, com a área de
da, do nascente com Maria de Lurdes Prada Frutuoso, do sul com José dois miil e seiscentos metros quadrados, a confrontar do norte com Ma-
Rodrigues e do poente com Maximino Augusto Alves, não descrito na nuel do Nascimento Teles, do nascente com Manuel João Fernandes,
Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz do sul com Joaquina Ferreira e do poente com Manuel João Cubo, não
respectiva, sob o artigo 10703 sendo de 7,17 euros o seu valor patrimo- descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito
nial, a que atribuem o valor de dez euros. na matriz respectiva, sob o artigo 10719 sendo de 6,16 euros o seu valor
2 - Prédio rústico, sito em Casa do Prado, freguesia de S. Julião de patrimonial, a que atribuem o valor de dez euros.
Palácios, concelho de Bragança, composto por Cultura e dois carva- 11- Prédio rústico, sito no Rato, freguesia de S. Julião de Palácios,
lhos, com a área de dois mil seiscentos e cinquenta metros quadra- concelho de Bragança, composto por cultura, com a área de dois mil
dos, a confrontar do norte com caminho, do nascente com Manuel dos e quinhentos metros quadrados, a confrontar do norte com Edite da
Santos Alves, do sul com Evaristo António Miranda e do poente com Conceição Carvalho, do nascente com Joaquina Ferreira, do sul com
Adérito dos Santos Alves, não descrito na Conservatória do Registo Evaristo António Miranda e do poente com Joaquina Ferreira, não des-
Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respectiva, sob o artigo crito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na
10701 sendo de 6,28 euros o seu valor patrimonial, a que atribuem o matriz respectiva, sob o artigo 10084 sendo de 5.91 euros o seu valor
valor de dez euros. patrimonial, a que atribuem o valor de dez euros.
Recorte e entregue ou envie este cupão devidamente preenchido para: 3- Prédio rústico, sito em Rato, freguesia de S. Julião de Palácios,
concelho de Bragança, composto por cultura, com a área de mil e
Que entraram na posse dos referidos prédios, em mil novecentos e
oitenta e quatro, por compra verbal que deles fizeram a António do
cem metros quadrados, a confrontar do norte com Joaquina Ferreira, Espírito Santo Freitas, António Acácio, Manuel do Nascimento, Ma-
do nascente com Edite da Conceição Carvalho, do sul com Joaquina ria de Lurdes Prada Frutuoso, Adriano Augusto Cordeiro, José Maria

Jornal Nordeste Ferreira e do poente com António dos Espírito Santo Freitas, não des-
crito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na
matriz respectiva, sob o artigo 10082 sendo de 5,66 euros o seu valor
patrimonial, a que atribuem o valor de dez euros.
Lino, Eduardo da Assunção Carvalho, Manuel Nascimento, residentes
na mencionada freguesia de São Julião de Palácios, sem que no entanto
ficassem a dispor de título formal que lhes permita o respectivo regis-
to na Conservatória do Registo Predial; mas, desde logo, entraram na
4- Prédio rústico, sito em Rato, freguesia de S. Julião de Palácios, posse e fruição dos identificados prédios, em nome próprio, posse que
concelho de Bragança, composto por cultura, com a área de três mil assim detêm há muito mais de vinte anos, sem interrupção ou ocultação
Rua Alexandre Herculano, Nº 178, 1º - Apartado 215 e quinhentos metros quadrados, a confrontar do norte com José do
Nascimento, do nascente com Joaquina Ferreira, do sul com Junta de
de quem quer que seja.
Que essa posse foi adquirida e mantida sem violência e sem oposição,

5300-075 BRAGANÇA - Tel.: 273 329 600 - Fax: 273 329 601 Freguesia e do poente com Joaquina Ferreira, não descrito na Conser-
vatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respec-
ostensivamente, com o conhecimento de toda a gente em nome próprio
e com aproveitamento de todas as utilidades dos prédios, nomeadamen-
tiva, sob o artigo 10083 sendo de 17,73 euros o seu valor patrimonial, te, amanhando-os, adubando-os, cultivando-os e colhendo os seus fru-
a que atribuem o valor de vinte euros. tos, agindo sempre por forma correspondente ao exercício do direito de
Território Nacional: 25,00 euros Europa: 50,00 euros 5- Prédio rústico, sito em Vale de Abreu, freguesia de S. Julião de Pa-
lácios, concelho de Bragança, composto por Lameiro, cultura e qua-
propriedade, quer usufruindo como tal os imóveis, quer beneficiando
dos seus rendimentos, quer suportando os respectivos encargos, quer

Resto do Mundo: 75,00 euros tro carvalhos, com a área de nove mil seiscentos e cinquenta metros
quadrados, a confrontar do norte com Manuel Joaquim Serrano, do
ainda pagando as respectivas contribuições e impostos, mantendo-os
sempre na sua inteira disponibilidade.
nascente com Caminho, do sul com Evaristo do Nascimento e Outros e Que esta posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública, conduziu
do poente com José do Nascimento e outros, não descrito na Conserva- à aquisição dos imóveis, por usucapião, que invocam, justificando o seu
Enviem-me o jornal para: tória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respectiva,
sob o artigo 11694 sendo de 34,44 euros o seu valor patrimonial, a que
direito de propriedade, para o efeito de registo, dado que esta forma de
aquisição não pode ser comprovada por qualquer outro título formal
atribuem o valor de trinta e cinco euros. extrajudicial.

Nome ________________________________________________
Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 686 de Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 686 de
Endereço _____________________________________________ 15 de Dezembro de 2009 15 de Dezembro de 2009

Localidade ________________________ C.P. ________________ NOTARIADO PORTUGUÊS

NOTÁRIA LIC. MARIA DE FÁTIMA


País __________________________________________________ TEIXEIRA DA COSTA BARREIRA
Telefone: ____________________ Nº Contr. _________________ ANÚNCIO DE VENDA (1ª Publicação) CARTÓRIO NA RUA LUÍS DE CAMÕES,
15/21, R/C ELEVADO
Modalidades de pagamento: Processo 88/07.3TBVMS OVAR
Execução Comum
Junto cheque nº _______________ à ordem de Jornal Nordeste Ref. Interna: PE- 184/2007
Tribunal Judicial de Vimioso – Secção Única
Certifico, para efeitos de publicação que, por escritura de JUS-
TIFICAÇÃO, lavrada em dois de Dezembro do corrente ano, de

sobre o Banco _________________________________________ Data: 10-12-2009 fls 104 e seguintes do Livro 107-M, de escrituras diversas do
Cartório deste Notário, MARIA JUDITE TEIXEIRA DE AL-
MEIDA e marido TOBIAS DOS SANTOS ALMEIDA, casados
Junto Vale Postal nº ____________ à ordem de Jornal Nordeste Exequente(s): Granitos Martins & Martins, Lda.
Executado (s): José Raimundo Rodrigues Meirinho
sob o regime de comunhão geral de bens, naturais de, respectiva-
mente, Meirinhos, Mogadouro e Sendim da Serra, Alfândega da

Assinatura ___________________________________________ Agente de Execução, Alexandra Gomes CPN 4009, com en-
dereço profissional Av. João da Cruz, 70, Ed. S. José, 2° Esq
Fé, residentes na Rua Almirante Cândido dos Reis, n°.45, 2°, na
cidade de Aveiro, os quais declararam que são donos e legítimos
possuidores, com exclusão de outrem, do seguinte bem imóvel:
Ft. 5300-178 Bragança Prédio urbano, composto de casa destinada a habitação, com
Nos termos do disposto no artigo 890° do Código de Processo dois andares, sito na Rua da Ponte, actualmente em virtude de
Civil, anuncia-se a venda dos bens adiante designados: alteração toponímica, denominada, Rua 1° de Maio, freguesia
de Meirinhos, concelho de Mogadouro, com a superfície coberta
Bens em Venda de quarenta metros quadrados, a confrontar do norte com An-
tónio Brandão, sul com José Joaquim Morais, poente com An-
TIPO DE BEM: Veiculo tónio Neto e do nascente com Rua Pública, inscrito na matriz
DESCRIÇÃO: Veiculo Automóvel ligeiro de mercadorias, de respectiva sob o artigo 24, com o valor patrimonial de 272,75
matricula 89-89-ZB, de marca Citroen, modelo Jumber Four- €, omisso na competente Conservatória, a que atribui o valor de
gon (233B52), a gasóleo de cor Branco, com o n° de quadro quinhentos euros.
VF7233B5215629602. Que, o prédio, veio à posse deles justificantes, por compra ver-
PENHORADO EM : 10-01-2008 bal, a António Manuel Fresco Ferreira e esposa Maria Regina
INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: Afonso Cordeiro Ferreira, casados sob o regime da comunhão
geral de bens, no ano de mil novecentos e oitenta e oito;
EXECUTADOS: José Raimundo Rodrigues Meirinho, BI n°
Que, em face do exposto, não são os justificantes detentores de
5799080, residente em Vimioso.
qualquer título formal que legitime o domínio do referido pré-
MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante propostas
dio;
em carta fechada, a serem entregues na Secretaria do supra
Que, assim, impedidos estão os justificantes de pelos meios
mencionado Tribunal, pelos interessados na compra, ficando extrajudiciais fazer a prova do direito que legitimamente se ar-
como data para abertura das propostas o dia 07 de Janeiro de rogam e que por este meio justificam para efeitos de Registo
2010, pelas 14:00 Horas. Predial.
VALOR BASE DA VENDA: 2000.00 euros Que porém usufruem o mesmo prédio, gozando de todas as uti-
Será aceite a proposta do melhor preço, acima do valor de lidades por ele proporcionadas, colhendo os respectivos frutos,
1.400,00€, correspondente a 70% do valor base. pagando os correspondentes impostos, com ânimo de quem
exercita direito próprio, sendo reconhecidos como seus donos,
A sentença que se executa está pendente por toda a gente, de uma forma pacífica, contínua, de boa fé, com
de recurso ordinário Não conhecimento geral e sem oposição de quem quer que seja, há
Está pendente oposição à execução Não mais de vinte anos, pelo que o adquiriram por usucapião.
Está pendente oposição à penhora Não Ovar, 10 de Dezembro de 2009.

Agente de Execução A Colaboradora da Notária, com delegação expressa,


Alexandra Gomes Cristina Maria Cantinho Pinto Rodrigues

56 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


RODAS & MOTORES

Diversão armada
BRUNO MATEUS FILENA frio entre a chuva que caía amíude e
a lama que se fazia sentir. Servia de
consolo a jovens e graúdos o facto de
PaintBall, besta e tiro com empunharem uma “arma” (marca-
arco apaziguaram um dia dor) com a qual podiam e desferiram
repleto de aventura e golpes certeiros contra os “alegados”
adversários. Programadas várias ac-
adrenalina tividades para um sábado repleto de
entusiasmo, o paintball ocupou gran-
No dia 5 de Dezembro, os 24 par- de parte da quota horária, bem até à
ticipantes madrugaram para um dia hora de almoço, quando se obtiveram
cheio de acção no ponto-de-encontro os vencedores, depois de duas elimi-

Tiro com arco e o descanso do guerreiro

Lopes, Pedro Minhoto, Rui Santos de 600 a.c. e que, na Antiga Grécia,
e Sérgio Pereira, venceram aguerri- era uma das principais modalidades
dos tamanha competição, onde o gás dos primeiros Jogos Olímpicos.
teimava em falhar. Depois de des-
cobertos os primeiros classificados,
ao redor da lareira, uniram-se ven-
cedores e vencidos, num ambiente
acolhedor, para saudar o espírito de
convívio. Um cozido à portuguesa,
a lume brando, e regado a bom tin-
to, e um diploma para os inscritos
como digestivo, aguentou as hostes
para uma tarde que se adivinhou
“Vitória”, dizem eles
preenchida. As cartas aguentaram os
inscritos e amigos dentro do Clube
O grupo de aguerridos combatentes de Caça e Pesca, mas outros fizeram
frente ao anoitecer e aventuraram-se
do Clube de Caça e Pesca. A manhã natórias que deram acesso à final.
com as armas do antigamente, besta
não inspirava grande confiança, com André Sendas, Filipe Quina, Mário
para uns, arco e flecha para outros.
Mas todos satisfeitos, quer acertas-
sem fora, ou dentro, do alvo... O dia
só acabou para alguns, muito depois
da noite chegar!
Carlos Mendes, presidente da As-
sociação Torriense de Lutas e Despor-
tos Radicais (ATLDR), é o proprietá-
rio da empresa, sedeada na Torre de
D. Chama, que permite às pessoas
com iniciativa levar a bom porto este
tipo de actividades. “Para além do
Paintball, desenvolvemos actividades
que passam por montanha, rappel,
slide e tiro com arco”, explica o tam-
bém Mestre de PANKRATION, uma
Uma guerra sem quartel que acaba sempre em paz arte de combate grega que vinga des- Entrega de prémios

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 57


NATAL 2009

Natal 2009 e, faz, salta.


Vê, ouve, mex
a p re n d e, salta!
O Jornal Nordeste c reve,
Vai, estuda, es
lança hoje a 1ª edi-
s a l t a r n o I P B !
ção “Especial Natal Vem
2009”, que terá con-
tinuidade na próxi-
ma semana, 22 de Ensino Superior Público de qualidade
Dezembro, de modo www.ipb.pt

a publicar novas
mensagens de Boas Boas
Festas de empresas, Festas Feliz
instituições, autar- 2010
quias e organismos
públicos.

58 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


PUBLICIDADE

Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 686 de 15 de Dezembro de 2009

Astrólogo Curandeiro CARTÓRIO NOTARIAL DE ALFÂNDEGA DA FÉ

JUSTIFICAÇÃO

Prof. SALOMÉ Certifico, para efeitos de publicação, que por escritura de justificação, lavrada neste Cartório na data de hoje, exarada a folhas sessenta e três,
do Livro de Notas para Escrituras Diversas número cento e vinte e quatro- “D”, FRANCISCO ANTÓNIO PARADA, NIF. 105218170 e mulher
LUCINDA DE JESUS, NIF. 105218189, casados no regime da comunhão geral, naturais ele da freguesia de Ferradosa, ela da freguesia de Parada,
ambas do concelho de Alfândega da Fé, onde residem na Rua das Flores, declararam que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possui-
dores dos seguintes prédios sitos na freguesia de Parada, concelho de Alfândega da Fé:
N°1 Terra com amendoeiras, sito em Marruça, com a área de dois mil e trinta metros quadrados, a confrontar do Norte com Francisco António
Especialista dos casos amorosos, resolução Cancela, Nascente e Sul com Alfredo Emílio Rodrigues, Poente com Joaquim Camelo, inscrito na matriz sob o artigo 610, com o valor patrimonial
igual ao atribuído de três euros e quarenta e quatro cêntimos.

969209609 em uma semana dos casos mais desespera- N°2 - Terra para trigo, centeio, com oliveiras e videiras, sito em Marruça, com a área de três mil oitocentos e vinte metros quadrados, a confrontar
do Norte com Albino dos Santos Ferreira, Nascente com Manuel Freitas, Sul com António dos Santos Gouveia, Poente com caminho público,
inscrito na matriz sob o artigo 615, com o valor patrimonial igual ao atribuído de dez euros e setenta e sete cêntimos.
dos tais como: Amarração, Afastamento, N°3 – casa de habitação térrea, sito em Rua dos Carrasquinhos, com a superfície coberta de sessenta e três metros quadrados, a confrontar do Norte
e Nascente com Filipe dos Santos Valpereiro, Sul com António Gouveia, Poente com caminho, inscrito na matriz sob o artigo 133, com o valor
934074237 Problemas Profissionais e Familiares, patrimonial igual ao atribuído de quinhentos euros e noventa cêntimos.
Que tais prédios não se encontram descritos na Conservatória do Registo Predial de Alfândega da Fé.

Negócios, Sorte, Justiça, Doenças estranhas Que os prédios vieram à sua posse por partilha verbal que fizeram com os demais interessados, por volta do ano de mil novecentos e setenta e
quatro, por óbito de sua sogra e mãe Rosa da Assunção Valpereiro, residente que foi em Parada, Alfândega da Fé, não tendo nunca sido celebrada
917049293 e crónicas, e Impotência sexual.
a competente escritura.
Que, assim, possuem os prédios, há mais de vinte anos, em nome próprio, de boa fé, na convicção de serem os únicos donos e convencidos de que
não lesavam quaisquer direitos de outrem, à vista de toda a gente e sem a menor oposição de quem quer que fosse desde o início dessa posse, a
qual sempre exerceram sem interrupção, cultivando-o, plantando-o colhendo os frutos dos prédios rústicos, habitando e reparando o prédio urbano,
pagando as respectivas contribuições, tudo como fazem os verdadeiros donos, sendo por isso uma posse de boa fé, pacífica, continua e pública,

BRAGANÇA Não fique na Sombra pelo que os adquiriram por usucapião, não tendo todavia, dado o modo de aquisição, documento que lhes permita fazer prova do seu direito de
propriedade perfeita.
Está conforme o original, na parte transcrita.
Cartório Notarial de Alfândega da Fé, 30 de Novembro de dois mil e nove
PAGAMENTO APÓS RESULTADO A Ajudante
Maria Luísa Fonseca Lopes Legoinha

VENDE-SE
res nem divisões susceptíveis de utilização independente. Casa
Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação nº 686 de
de habitação composta de cave ampla para garagem, R/Chão
Bem situado. No Loteamento 15 de Dezembro de 2009
com 3 assoalhadas, cozinha, casa de banho, corredor, despensa
e varanda. 1° andar com 3 assoalhadas, 2 casas de banho, corre-

Boa Oportunidade! Laranja, Nº 4, paralelo dor e varanda, com quintal; confronta a norte com Lote 40, a sul
rua pública, a nascente com lote32 e a poente com lote 30. Sito
à Avª. do Sabor, junto ao novo na Urb. Urbimira, 3°fase - Rua Cesário Verde, lote 3l Mirande-
la. Inscrito na matriz do Serviço de Finanças de Mirandela sob
T3, T4 e Duplex Lar da Obra Padre Miguel, o art.° 5657 e descrito na Conservatória do Registo Predial de
ANÚNCIO DE VENDA (2ª e última Publicação) Mirandela sob o n° 1650/19930909.
Cozinha, casas de banho em Bragança PENHORADO EM : 2007-12-27.
Processo 820/07.5TBMDL INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM:
mobiladas. Aquecimento Mirandela - Tribunal Judicial - 1° Juízo EXECUTADOS: Miguel Ângelo Marques dos Santos e mulher

completo. Garagens individuais, Calmo como se fosse um Execução Comum



Ref..lnterna: PE-190/2007
Data: 30-11-2009
Paula Cristina Parafita Lopes dos Santos, casados na comunhão
de adquiridos, residentes em Mirandela; Humberto Manuel
Exequente: Banco Santander Totta, S.A. France Batista dos Santos e mulher Maria de Fátima Ribeiro
com bons acessos. condomínio fechado. Executado (s): Humberto Manuel France Batista dos Santo, Marques dos Santos, casados na comunhão geral, residentes em
Bons acabamentos. Miguel Ângelo Marques dos Santos, Paula Cristina Parafita Lo-
pes dos Santos e Maria de Fátima Ribeiro Marques dos Santos.
Mirandela.
MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em
carta fechada, a serem entregues na Secretaria do supra men-
Prédio só com 3 andares Contacto: 964 648 090 Agente de Execução, Solicitador de Execução, Alexandra cionado Tribunal, pelos interessados na compra, ficando como
Gomes CP 4009, com endereço profissional em Av. João da data para abertura das propostas o dia 28 de Janeiro de 2010,
Cruz, n.° 70, Edifício S. José - 2.° Esq. Frente, 5300-178 Bra- pelas 14:00 Horas.
gança. VALOR BASE DA VENDA: 95.000,00€
Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de

Farmácias
Nos termos do disposto no artigo 890° do Código de Processo 66.500,00€, correspondente a 70% do valor base.
Civil, anuncia-se a venda dos bens adiante designados:
A sentença que se executa está pendente
Sexta - Soeiro Bens em Venda de recurso ordinário Não

de Serviço
Está pendente oposição à execução Não
Sábado - Confiança TIPO DE BEM: Imóvel Está pendente oposição à penhora Não
ARTIGO MATRICIAL: 5657 - Finanças de Mirandela.
Solicitador de Execução
Domingo - Vale d’Álvaro DESCRIÇÃO: Prédio urbano em propriedade total, sem anda-
Alexandra Gomes

- Bragança - Segunda- Bem Saúde

Hoje: Bem Saúde


Amanhã - M. Machado Mais informações em
Quinta - Mariano www.jornalnordeste.com

Leia,
assine
e
divulgue

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 59


PUBLICIDADE

Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação º 686 de 15 de Dezembro de 2009 Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação º 686 de 15 de Dezembro de 2009

Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 686 de 15 de secção A, com o valor patrimonial correspondente à fracção de 12,41€, tória do Registo Predial deste concelho sob o número vinte e dois mil composto de vinha e cultura arvense, com área de oito mil trezentos e
Dezembro de 2009 e o atribuído de trezentos euros; novecentos e oitenta e dois, a folhas cento e noventa e duas, do Livro B setenta e quatro metros quadrados, a confrontar de norte e nascente com
Que a restante parte do identificado prédio pertence a Guilhermina Au- – Cinquenta e sete, não se mostrando porem registada a aquisição da dita António Joaquim Curralo, sul com caminho público, e de poente com
CARTÓRIO NOTARIAL DE MOGADOURO gusta Oliveira, casada, residente na referida freguesia de Brunhozinho, parte indivisa a favor de ninguém, inscrito na respectiva matriz sob o ar- José da Assunção Machado, inscrito na respectiva matriz sob o artigo
NOTÁRIA : FÁTIMA MENDES e a Maria Helena Oliveira Fonseca, casada, residente em São Paulo, tigo 462 da secção A, com o valor patrimonial correspondente à fracção 140 da secção D, com o valor patrimonial correspondente à fracção de
no Brasil, pessoas com quem têm vindo a exercer a posse sobre o dito de 7,61€, e o atribuído de cento e trinta e cinco euros; 10,76€, e o atribuído de duzentos e sessenta euros;
EXTRACTO PARA PUBLICAÇÃO prédio; Que a restante parte do identificado prédio pertence a Maria Helena Que a restante parte do identificado prédio pertence a António Joaquim
Seis - Prédio rústico, sito em Carvas, composto de cultura arvense, com Oliveira Fonseca, viúva, residente em São Paulo, no Brasil, pessoa com Curralo, casado, residente na referida freguesia de Brunhozinho, e a
Certifico, para efeitos de publicação, que no dia três de Dezembro de área de quatro mil quinhentos e três metros quadrados, a confrontar de quem tem vindo a exercer a posse sobre o dito prédio; Maria José de Jesus Curralo, viúva, residente nesta vila de Mogadouro,
dois mil e nove, no Cartório Notarial de Mogadouro, sito no Palácio norte com Manuel Paulo Machado, sul com caminho público, e de nas- Treze - Metade indivisa do prédio rústico. sito em Penas da Raposa, pessoas com quem têm vindo a exercer a posse sobre o dito prédio;
da Justiça, na freguesia e concelho de Mogadouro, de fls. 78, a fIs. 84, cente e ponte com Irene de Jesus Martins, inscrito na respectiva matriz composto de vinha, com área de três mil cento e oitenta e sete metros Vinte - Prédio rústico, sito em Vale de Sendim, composto de prado na-
verso, do livro de notas para escrituras diversas número Sessenta e um, sob o artigo 192 da secção A, com o valor patrimonial de 29,67€, e o quadrados, a confrontar de nascente e sul com caminho público, poen- tural, com área de quatro mil quatrocentos e trinta e sete metros quadra-
foi lavrada uma escritura de justificação, na qual compareceram como atribuído de seiscentos e noventa e cinco auras; te com herdeiros de António Augusto Oliveira, e de norte com Artur dos, a confrontar de norte e sul com Irene de Jesus Martins, nascente
outorgantes, IRENE DE JESUS MARTINS, NIF 214 327 809, e marido Sete - Prédio rústico, sito em Carvas, composto de cultura arvense, com Figueira, descrito na Conservatória do Registo Predial deste concelho com caminho público, e de poente com Maria Justina Moreira Pires
FRANCISCO ANTÓNIO OLIVEIRA, NIF 209 295 694, casados sob área de sete mil cento e sessenta e dois metros quadrados, a confron- sob o número vinte e dois mil novecentos e setenta e quatro, a folhas Sampaio e José Luís Martins, inscrito na respectiva matriz sob o artigo
o regime da comunhão de adquiridos, ambos naturais da freguesia de tar de norte e sul com caminho público, nascente com Irene de Jesus cento e oitenta e oito, do Livro B – Cinquenta e sete, não se mostrando 143 da secção D, com o valor patrimonial de 31,17 €, e o atribuído de
Brunhozinho, concelho de Mogadouro, onde residem e os quais decla- Martins e José Luis Meleiro, e de poente com Irene de Jesus Martins, porem registada a aquisição da dita parte indivisa a favor de ninguém, setecentos e trinta euros;
raram: inscrito na respectiva matriz sob o artigo 193 da secção A, com o valor inscrito na respectiva matriz sob o artigo 29 da secção B, com o valor Vinte e um -- Prédio rústico, sito em Vale de Sendim, composto de pra-
Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos patrimonial de 11,94€, e o atribuído de duzentos e oitenta euros; patrimonial correspondente à fracção de 8,87€, e o atribuído de duzen- do natural, com área de dois mil e sessenta e dois metros quadrados, a
seguintes bens imóveis, todos sitos na freguesia’ de Br unhozinho, con- Oito - Prédio rústico, sito em Carvas, composto de cultura arvense, com tos e dez euros; confrontar de norte com Irene de Jesus Martins, sul Junta de Freguesia
celho de Mogadouro: área de três mil quatrocentos e dois metros quadrados, a confrontar de Que a restante parte do identificado prédio pertence a Guilhermina Au- de Brunhozinho, nascente com caminho público, e de poente com Ma-
Um - Prédio rústico, sito em Vale da Urze, composto de cultura arvense, norte e sul com caminho público, e de nascente e poente com Irene de gusta Oliveira, casada, residente na referida freguesia de Brunhozinho, nuel de Deus Martins, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 144 da
com área de dois mil cento e vinte e cinco metros quadrados, a confron- Jesus Martins, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 194 da secção e a Maria Helena Oliveira Fonseca, viúva, residente em São Paulo, no secção D, com o valor patrimonial de 26,27€, e o atribuído de seiscentos
tar de norte com Eduardo Martins e António Augusta Oliveira, sul com A, com o valor patrimonial de 8,42€, e o atribuído de cento e trinta e Brasil, pessoas com quem têm vindo a exercer a posse sobre o dito pré- e vinte euros;
Manuel de Jesus Meleiro, nascente com caminho público, e de poente cinco euros; dio; Vinte e dois - Prédio rústico, sito em Nave da Cruz, composto de cultura
com Eduardo Martins, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 56 da Nove - Metade indivisa do prédio rústico, sito em Barreiros, composto Catorze - Prédio rústico, sito em Penas da Raposa, composto de cultura arvense, com área de vinte mil e quinhentos metros quadrados, a con-
secção A, como valor patrimonial de 13,96€, e o atribuído de trezentos de cultura arvense, com área de dois mil setecentos e sessenta metros arvense, com área de quatro mil. cento e oitenta e sete metros quadrados, frontar de norte com Irene de Jesus Martins, sul com Manuel António
e trinta euros; quadrados, a confrontar de norte com António Maria Martins, sul com a confrontar de norte com José Luís Meleiro, sul e poente com caminho Martins, nascente com caminho público, Maria Justina Moreira Pires
Dois - Metade indivisa do prédio rústico, sito em Carvas, composto de José Joaquim Martins, nascente com Junta de Freguesia de Brunhozi- público e de nascente com José Francisco Moreno, inscrito na respectiva Sampaio e Irene de Jesus Martins, e de poente com Arminda Leite e
cultura arvense e prado natural, com área de oito mil duzentos e quatro nho, e de poente com caminho público, inscrito na respectiva matriz matriz sob o artigo 54 da secção B, com o valor patrimonial de 7,04€, e Carminda dos Anjos Lopes, inscrito na respectiva matriz sob o artigo
metros quadrados, a confrontar de norte e sul com caminho público, sob o artigo 419 da secção A, com o valor patrimonial correspondente à o atribuído de cento e sessenta e cinco euros; 267 da secção D, com o valor patrimonial de 20,24€, e o atribuído de
nascente com José Valdemar Manso e Manuel António Felgueiras, e de fracção de 9,05€, e o atribuído de duzentos e quinze euros; Quinze - Prédio rústico, sito em Leona, composto de prado natural, com quatrocentos e oitenta euros;
poente com Manuel António Martins, inscrito na respectiva matriz sob o Que a restante parte do identificado prédio pertence a Carminda dos área de cinco mil e sessenta e dois metros quadrados, a confrontar de Vinte e três -- Metade indivisa do prédio rústico, sito em Nave da Cruz,
artigo 150 da secção A, com o valor patrimonial correspondente à frac- Anjos Lopes, divorciada, residente na dita freguesia de Brunhozinho, norte com José Augusto Martins, sul com Abílio Augusto Machado, composto de prado natural, com área de seis mil quatrocentos e trinta e
ção de 20,74€, e o atribuído de quatrocentos e noventa euros; pessoa com quem têm vindo a exercer a posse sobre o dito prédio; nascente com Junta de Freguesia de Brunhozinho, e de poente com José sete metros quadrados, a confrontar de nascente e norte com caminho;
Que a restante parte do identificado prédio pertence a José dos Anjos Dez - Metade indivisa do prédio rústico, sito em Carvoiços, composto Luis Meleiro e Maria Justina Moreira Pires Sampaio, inscrito na res- poente com terreno público, e de sul com herdeiros de Justina da Con-
Rodrigues, casado, residente na mencionada freguesia de Brunhozinho, de vinha e cultura arvense, com área de onze mil duzentos e quarenta pectiva matriz sob o artigo 109 da secção B, com o valor patrimonial de ceição Pinto, descrito na Conservatória do Registo Predial deste conce-
pessoa com quem têm vindo a exercer a posse sobre o dito prédio; e nove metros quadrados, a confrontar de norte com Manuel Luís Mar- 22,25€, e o atribuído de quinhentos e vinte e cinco euros; lho sob o número dezanove mil duzentos e vinte e dois, a folhas cento
Três – Prédio rústico, sito em Lamélios, ou Lanélios, composto de cul- tins e Irene de Jesus Martins, sul com Maria Olímpia Meleiro, nascente Dezasseis - Prédio rústico, sito em Bandeira, composto de cultura ar- e duas do Livro B Quarenta e oito, não se mostrando porem registada a
tura arvense, com área de seis mil seiscentos e vinte e cinco metros com Maria Justine Moreira Pires Sampaio, e de poente com caminho vense, com área de seis mil cento e vinte e cinco metros quadrados, aquisição da dita parte indivisa a favor de ninguém, inscrito na respecti-
quadrados, a confrontar de norte com Manuel Vicente Machado, sul público, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 437 da secção A, com a confrontar de norte com caminho público, sul com Manuel Luís Pi- va matriz sob o artigo 273 da secção D, com o valor patrimonial corres-
com António Maria Romano e Francisco Maria Martins, nascente com o valor patrimonial correspondente à fracção de 21,31€, e o atribuído mentel, nascente com Irene de Jesus Martins, e de poente com António pondente à fracção de 7,73€, e o atribuído de cento e noventa euros;
António Maria Romano, e de poente com Joaquim do Anjos Machado, de quinhentos euros; Maria Martins, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 207 da secção Que a restante parte do identificado prédio pertence a Maria de Lurdes
inscrito na respectiva matriz sob o artigo 169 da secção A, com o valor Que a restante parte do identificado prédio pertence a José Valdemar B, com o valor patrimonial de 6,04€, e o atribuído de cento e quarenta Martins, viúva, residente na dita freguesia de Brunhozinho, pessoa com
patrimonial de 6,66€, e o atribuído de cento e cinquenta e cinco euros; Manso, casado e a Manuel Joaquim Machado, casado, residentes na dita e cinco euros; quem têm vindo a exercer a posse sobre o dito prédio;
Quatro - Prédio rústico, sito em Carves, composto de cultura arvense, freguesia de Brunhozinho, pessoas com quem têm vindo a exercer a Dezassete - Prédio rústico, sito em Bandeira, composto de cultura arven- Vinte e quatro - Metade indivisa do prédio rústico, sito em Montes Ala-
com área de cinco mil oitocentos e dezoito metros quadrados, a con- posse sobre o dito prédio; se, com área de seis mil oitocentos e setenta e cinco metros quadrados, res, composto de cultura arvense e prado natural, com área de sete mil
frontar de norte e sul com caminho público, e de nascente e poente com Onze - Prédio rústico, sito em Carvoiço ou Carvoiços, composto de a confrontar de norte com António Maria Domingues, sul e poente com duzentos e cinquenta metros quadrados, a confrontar de norte, nascente
Irene de Jesus Martins, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 171 da cultura arvense, com área de três mil trezentos e doze metros quadra- Manuel Luís Pimentel, e de nascente com caminho publico, inscrito na e poente com Junta de Freguesia de Brunhozinho, e de sul com José
secção A, com o valor patrimonial de 38,09€, e o atribuído de oitocentos dos, a confrontar de norte com Maria Olímpia Meleiro, sul com Irene respectiva matriz sob o artigo 219 da secção B, com o valor patrimonial Luís Curralo, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 66 da secção E,
e noventa e cinco euros; de Jesus Martins e José Valdemar Manso, nascente com Maria Justina de 6,79€, e o atribuído de cento e sessenta euros; com o valor patrimonial correspondente à fracção de 3,96€, e o atribuído
Cinco – Cinco oitavos indivisos do prédio rústico, sito em Touça Escu- Moreira Pires Sampaio, e de poente com Manuel Joaquim Machado e Dezoito -- Prédio rústico, sito em Gamardos, composto de cultura de cem euros;
ra, composto de horta, com área de seiscentos e setenta e dois metros José Valdemar Manso, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 440 arvense, com área de treze mil trezentos e doze metros quadrados, a Que a restante parte do identificado prédio pertence a Maria Alice Mar-
quadrados, a confrontar de nascente, norte e sul com caminho público, e da secção A, com o valor patrimonial de 5,53€, e o atribuído de cento confrontar de norte com Manuel Maria Pantaleão, sul com Manuel Do- tins, viúva, residente nesta vila de Mogadouro, pessoa com quem têm
de poente com José Venâncio Araújo, descrito na Conservatória do Re- e trinta euros; mingos Machado, nascente com António Lázaro Gomes, e de poente vindo a exercer a posse sobre o dito prédio;
gisto Predial deste concelho sob o número vinte e dois mil novecentos e Doze – Metade indivisa do prédio rústico, sito em Caminho de Figueira, com caminho público, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 77 da Vinte e cinco – Metade indivisa do prédio rústico, sito em Quebrados, ou
setenta e dois, a folhas cento e oitenta e sete do Livro B -- Cinquenta e composto de cultura arvense, com área de seis mil setecentos e cinquen- secção C, com o valor patrimonial de 21,87€, e o atribuído de quinhen- Quebradas, composto de cultura arvense, com área de onze mil seiscen-
Sete, não se mostrando porem registada a aquisição da dita parte indivi- ta metros quadrados, a confrontar de nascente e poente com caminho, tos e quinze euros;
sa a favor de ninguém, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 183 da de norte e sul com José Joaquim Martins Júnior, descrito na Conserva- Dezanove – A quinta parte indivisa do prédio rústico, sito em Canada,
>>

60 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


PUBLICIDADE

>>
tos e vinte e cinco metros quadrados, a confrontar de norte com Manuel
Maria Pantaleão e Maria de Deus Morgado, sul com José Maria Lopes, e
de nascente e poente com caminho público, inscrito na respectiva matriz
sob o artigo 58 da secção F, com o valor patrimonial correspondente à
fracção de 9,62€, e o atribuído de duzentos e trinta euros;
Que a restante parte do identificado prédio pertence a Ester dos Santos
Curralo, casada, residente na freguesia e concelho de Mogadouro, pes-
soa com quem têm vindo a exercer a posse sabre o dito prédio;
Vinte e seis - Prédio rústico, sito em Pericote, composto de prado na-
tural, com área de vinte mil cento e oitenta e sete metros quadrados, a
confrontar de norte com Carminda dos Anjos Lopes e Armindo Leite,
sul com Irene de Jesus Martins, nascente com Manuel Maria Machado
e Maria Justina Moreira Pires Sampaio, e de poente com caminho pú-
blico, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 118 da secção F, com o
valor patrimonial de 48,14€, e o atribuído de mil cento e trinta euros; e
Vinte e sete - Prédio rústico, sito em Serrado das Covas, composto de
cultura arvense, com área de novecentos e trinta e sete metros quadra-
dos, a confrontar de norte com José Venâncio Araújo, sul e poente com
José António Pinto Cordeiro, e de nascente com ribeiro, inscrito na res-
pectiva matriz sob o artigo 15 da secção G, com o valor patrimonial de
6,28€, e o atribuído de cento e cinquenta euros.
Que, com excepção dos prédios identificados nas verbas números cinco,
doze, treze e vinte e três, que se encontram descritos na Conservatória
do Registo Predial de Mogadouro, conforme mencionado nas respec-
tivas verbas em que se identificam, nenhum dos restantes prédios se
mostra descrito na Conservatória do Registo Predial de Mogadouro, a
cuja área pertencem, e somam todos os bens imóveis supra identificados
o valor patrimonial global de 422,40€, e o atribuído de nove mil oito-
centos e setenta euros.
Que os bens imóveis supra identificados nas verbas números cinco,
doze, treze e vinte e três viram à posse dos justificantes, já no estado de
casados, por volta do ano de mil novecentos e setenta, por partilha me-
ramente verbal a que com os demais interessados procederam por óbito
dos pais do justificante marido, António Augusto Oliveira e Evangelina
do Céu Machado, residentes que foram na dita freguesia de Brunhozi-
nho; e os restantes bens imóveis foi por partilha também verbalmente
feita por volta do ano de mil novecentos e setenta e seis, por óbito do pai
da justificante mulher, José Maria Martins, casado que foi com Justina
Maria Curralo, residente na referida freguesia de Brunhozinho, não ten-
do nunca porém sido celebradas as respectivas escrituras de partilha.
Que assim, os justificantes possuem todos os ditos bens imóveis há mais
de vinte anos, em nome próprio, na convicção de serem os únicos do-
nos e plenamente convencidos de que não lesavam quaisquer direitos
de outrem, à vista de toda a gente e sem a menor oposição de quem
quer que fosse desde o início dessa posse e compasse, a qual sempre
exerceram sem interrupção, gozando todas as utilidades por eles propor-
cionadas, com o ânimo de quem exerce direito próprio, nomeadamente
neles lavrando, plantando, semeando, sulfatando, tratando e colhendo os
respectivos frutos, como, uvas, cereal, batatas, e os mais diversos pro-
dutos hortícolas, cortando mato e silvas e procedendo a outros actos de
limpeza, neles apascentando animais e usufruindo de todos os proventos
e utilidades proporcionados pelos referidos bens imóveis, praticando
assim os mais diversos actos de uso, fruição e defesa dos mesmos, à
vista de toda a gente e portanto de eventuais interessados, tudo como fa-
zem os verdadeiros donos, sendo por isso uma posse de boa fé, pacífica,
contínua e pública, pelo que, dadas as enumeradas características de tal
posse, adquiriram por usucapião os identificados bens imóveis, figura
jurídica que invocam, por não terem documentos que lhes permitam
fazer prova do seu direito de propriedade, pelos meios extrajudiciais
normais, dado os referidos modos de aquisição.
Está conforme o original, na parte transcrita, o que certifico.
Mogadouro e Cartório Notarial, em 3 de Dezembro de 2009.

A Notária,
Fátima Mendes

Soluções do Passatempo
de 8/12/2009

Sudoku

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 61


LAZER

TECNOLOGIA & INTERNET PASSATEMPOS

Retratos , Sudoku

vinhaenses
O objectivo é preen-
cher um quadrado
9x9 com números
de 1 a 9, sem repetir
números em cada
linha e cada coluna.
Também não se pode
repetir números em
cada quadrado de
3x3.

http://fotosvinhais-raulcoelho.blogspot.com
Vinhais é retratado a cores e a sépia por Raul Coelho que, através do en-
dereço http://fotosvinhais-raulcoelho.blogspot.com, dá a conhecer algum do
património mais emblemático daquele concelho.
Os interessados podem, assim, ver de perto as gentes e tradições que dão
vida a Vinhais e às suas freguesias.
Soluções no próximo número

HORÓSCOPO Por Maysa

CARNEIRO GÉMEOS LEÃO BALANÇA SAGITÁRIO AQUÁRIO


Louco Mago Papa Ermita Roda Fortuna Papisa
Semana em que terá que se organizar A combinação planetária favorece parti- Talvez tenha chegado a hora de fazer Semana em que o isolamento, lhe poderá Experimente fazer algo de diferente, te- Uma avaliação equivoca dos seus
interiormente, já que os seus senti- cularmente os relacionamentos, em que uma analise da sua vida e das metas que ser útil, proporcionando-lhe uma maior nha coragem para soltar a sua imagina- próprios sentimentos, ou dos senti-
mentos oscilam entre extremos do existe muitas diferenças. Se deixar de pretende atingir. Existe uma certa ansie- nitidez de pensamentos e de acções, a ção, deixe que o seu interior se liberte, mentos dos outros, e ainda, a dife-
optimismo e do pessimismo. Saiba lado a timidez, e tentar sem medos apro- dade pela rotina, que deixou instalar na nível sentimental. Qualquer incerteza ou aproveite para falar dos seus sentimen- rença entre o que é a realidade ou
viver as situações de modo diferen- ximar de alguém terá bons resultados. sua relação. É importante que discre- segredo ou ainda encapotamento da rea- tos, de tudo aquilo que lhe vai na alma. acha que deveria ser, poderá provo-
te, procurando não dar relevância as Neste momento a sua auto-estima está tamente, saiba planear um projecto de lidade, poderão levá-lo a uma perda de Verá que tudo será bem mais fácil. car em si uma certa irritação, já que
experiências negativas. Evite os atri- em alta e desse modo, será bem mais remodelação da sua vida afectiva. confiança, que não lhe será muito útil. Semana em que deverá controlar o seu terá que reprimir mais uma vez o seu
tos, já que estes lhe poderão causar fácil expressar os seus sentimentos, as A nível laboral a comunicação será me- Uma maior planificação da sua activida- impulso consumista, travar os seus ím- lado sensível sonhador, que está em
tensões que serão desnecessárias. suas ideias, logo a sua relação será bem nos perceptível, com colegas de trabalho de, poderá trazer-lhe novas soluções. petos, procurando analisar a situação evidencia, mas que neste momento
O ambiente profissional com algu- mais tranquila. ou superiores. Cuidado com as suas costas, procure financeira, antes que esta se possa vir a não será aconselhável.
mas armadilhas, mantenha-se atento Deve manifestar claramente a sua opi- Altura ideal para fazer viagens, e com adoptar posições correctas. deteriorar. Momento favoravel, para novos
e dê volta á situação, e desse modo nião sobre qualquer assunto, e de prefe- elas recuperar energias. Algumas oscilações de humor projectos, qualquer que seja a sua
conseguirá ultrapassar as questões. rência clarificar certas situações, evitan- natureza, pois aquilo que conseguir
Procure descansar para poder fazer do atritos a sua volta. investir neste momento ser-lhe-á
face a vida agitada, em que neste Procure relaxar, ler um bom livro e se proveitoso para o futuro.
momento se encontra. poder viajar. Equilibre a sua alimentação.

TOURO CARANGUEJO VIRGEM ESCORPIÃO CAPRICÓRNIO PEIXES


Lua Morte Carro Amantes Julgamento Mundo
Passa por um momento em que ins- Avizinha-se um novo ciclo na sua vida, A nível sentimental, sentirá grande capa- Semana, que será marcado por evoluções Semana em que deve fazer uma reflexão A nível sentimental, poderá apai-
piração a sensibilidade e a intuição e com ele muitas alterações que não cidade de conquista, mas é pena porque sentimentais favoráveis, desde que abdi- sobre o seu relacionamento amoroso, xonar-se, com uma certa facilidade,
continuam em evidência. Mas a sua estariam previstas, mas que serão uma a tendência, é exactamente para o alvo que do seu egocentrismo. Poderá dispor procurando que este tenha uma evolu- deixando fluir as suas emoções,
mente encontra-se um pouco mais optima ajuda para o seu crescimento errado. Faça uma analise da sua vida, e de energias muito válidas, que facilitarão ção mais profunda. É importante que sem pretender impor o controlo do
confusa e com algum receio as res- pessoal. Faça uma limpeza nas suas das metas que pretende atingir, de forma a sua acção, mas deverá olhar para fora ambos saibam exprimir sentimentos, e seu lado racional. Se souber apro-
ponsabilidades. Procure não escon- emoções, procure pensar mais para si, e objectiva e equilibrada. Só assim terá ca- de si e reconhecer as necessidades dos que conflitos que se possam instalar sir- veitar estes poderão ser momentos
der mais as situações sentimentais sobretudo, não adie tomadas de posição pacidade para perceber se é esse o cami- que o rodeiam. vam, para ultrapassar de forma positiva decisivos com evoluções benéficas
em que está envolvido, seja hones- ou decisões, que serão muito importan- nho ideal para si. Não tenha receio de mostrar as suas ca- e criativa as dificuldades. para si.
to para consigo e principalmente tes para o futuro. Poderão surgir alguns conflitos por in- pacidades profissionais, pois o momento Alguma inquietação, devido a pequenas Não perca oportunidade de se afir-
com os outros de modo a poder ser Talvez chegue á conclusão que é mais compatibilidades de ideias e acções. Mas é excelente para projectar a sua imagem contrariedades para resolver problemas mar, já que a conjuntura lhe é favo-
apoiado. A sua comunicação, poderá proveitoso e obterá maior rendimento, não tenha medo arregaçe as mangas e perante os outros, e consolidar o seu po- de ordem legal ou questões burocráti- rável. No que refere a finanças terá
ser menos clara e por esse motivo se deixar que terceiros interfiram e for- deite mãos á obra. sição. cas, que conseguirá ultrapassar se tiver que ter um pouco de mais cuidado,
sentir pouca compreensão por parte mulem as suas opiniões, nas decisões Se conduzir deverá fazê-lo com alguma A parte emocional não anda muito equi- um pouco de calma. para não fazer gastos superiores, ás
dos outros, para os seus projectos e que tiver de tomar. precaução. librada, procure aliviar a tensão, passe- O sono poderá ser prejudicado por ex- suas possibilidades actuais.
ideias. Faça uma alimentação mais saudavel. ando ao ar livre, ou praticando algum cesso de inquietação. Não faça esforços exagerados.
Cuidado com pequenos acidentes, Dedique-se actividades física (uns sim- desporto.
pois estes poderão trazer-lhe compli- ples passeios) poderão ajudá-lo imenso.
cações a nível de ossos.

62 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE


INZONICES

INCLINÓMETRO
O
Pelourinho
POSITIV
“Dias Sem Carros” - Parabéns à Câmara de Bragança por ter conse-
O
N EGATIV guido reduzir, drasticamente, os níveis de poluição na Av. General Humber-
to Delgado. Às vezes até parece o Dia Europeu Sem Carros e nem é preciso
fechar a avenida ao trânsito. Bastou complicar o acesso ao Mercado Munici-
pal, à PSP, à Segurança Social ou à própria Câmara … Congestionamentos e
pandemónios só mesmo à beira das esco-
las, na hora de entrar e sair…

Meter água – Só neste País é que se


Vale da Vilariça consegue realizar uma comédia como a do
Túnel do Marão. O Estado que meta mão
Câmara Municipal O plano de regadio está concluído nisto, porque basta de mortes no IP4 e só
a auto-estrada resolve o problema. A água
de Bragança e as potencialidades do vale não pas-
sam ao lado do líder da Sonae, Belmi- do Marão já anda a fazer cá uma azia…
ro de Azevedo. Novos ventos sopram
É certo que decorriam alguns a favor duma zona que tem tudo para
eventos em paralelo, mas nada jus- “Vitores” – É Vítor Alves que vai
ser o expoente máximo da agricultura
tifica a ausência do presidente ou do Nordeste Transmontano. para a coordenação do Agrupamento de
vereadores da Câmara Municipal de Centros de Saúde ou é Vítor Pereira que
Bragança na Gala do INATEL. Ainda troca o IPJ pela Saúde e entrega a Juven-
mais tratando-se de uma instituição
tude a Vítor Alves? Falta saber o apelido,
que gere um Parque de Campismo
do município e que prevê criar um pois nos corredores da Saúde ainda nin-
Centro de Férias nesse mesmo lo- guém tem conhecimento da nomeação de
cal, sinónimo de um bom número de Vítor Alves. Volta face?
postos de trabalho.

Da Câmara não está nin-


guém... Será por eu ter sido E logo hoje que eu queria
dizer ao Jorge Nunes que
foto
Novela
candidato do PS à Junta de
Santa Maria? pode esperar sentado pelo
Centro de Férias.

Ao menos podia ter vindo Que grande bronca.


o novo Chefe de Gabinete do Quantas cadeiras vazias
Presidente da CMB... na 1ª fila...

15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE 63


Última Hora
Marão
Túnel suspenso
por tempo
indeterminado

Túnel está parado há um mês

As obras de construção do Túnel


do Marão, obra integrada no tro-
ço de auto-estrada Amarante/Vila
Real, vão continuar paradas por
tempo indeterminado, por decisão
do Tribunal Administrativo e Fiscal
de Penafiel, apurou o Marão Online
junto de várias fontes.
A obra do Túnel do Marão está
suspensa desde 10 de Novembro,
por decisão do juiz do Tribunal Ad-
ministrativo e Fiscal de Penafiel de-
vido a uma providência cautelar in-
terposta no início de Novembro pela
empresa Água do Marão, que alega
que a perfuração do túnel vai preju-
dicar a exploração da água.
A concessionária Auto-Estrada
do Marão e o consórcio construtor
(Infratúnel) recorreram da provi-
dência cautelar, mas o tribunal man-
teve a decisão de parar o túnel.
No último mês, a suspensão do
túnel ainda não afectou as restantes
frentes da obra – o alargamento do
IP4 para perfil de auto-estrada entre
o termo da A4, em Geraldes e Gon-
dar, a frente do lado de Vila Real e a
construção dos diversos viadutos do
troço –, mas a decisão judicial pode-
rá arrastar a suspensão da constru-
ção da auto-estrada.
Recorde-se que esta auto-estra-
da era a única, das várias conces-
sões rodoviárias, que não tinha sido
chumbada pelo Tribunal de Contas,
o que torna esta situação ainda mais
insustentável.
Na tentativa de desbloquear o
problema, tanto a concessionária
da obra, a Auto-Estrada do Marão,
como o consórcio construtor, a In-
fratúnel, apresentaram as suas justi-
ficações ao Tribunal Administrativo,
algumas das quais baseadas nos es-
tudos que permitiram avançar com a
construção do Túnel do Marão.

64 15 de Dezembro de 2009 JORNAL NORDESTE