Você está na página 1de 10

Marcelo Queiroz Lira

Casa do Picolé | Rua conselheiro José Júlio N° 526, Sobral - CE
Análise das
modalidades
Tarifárias de Energia
Elétrica



1



Sumário
1. Introdução .................................................................................................................... 2
2. Modalidades tarifárias do sistema elétrico brasileiro ............................................. 2
2.1. Convencional ................................................................................................. 2
2.2. Horo-sazonal ................................................................................................ 3
2.2.1. Horo-sazonal Azul ......................................................................... 4
2.2.2. Horo-sazonal Verde ....................................................................... 5
2.3. Optante B ........................................................................................................... 5
3. Consumo de energia da empresa ............................................................................... 5
4. Análise das contas de energia .................................................................................... 6
5. Conclusão .................................................................................................................... 8
6. Referências bibliográficas .......................................................................................... 9




















2



1. Introdução
No presente documento é realizado um estudo das possibilidades de redução do
consumo de energia da empresa Casa do Picolé. Sendo isto feito pela análise dos dados
fornecidos pela empresa, que neste caso são suas contas de energia elétrica no período
dentre os meses de Setembro de 2013 a Agosto de 2014.
Observou-se na empresa que o consumo de energia é intenso entre os horários de
05:00 às 17:30 h, logo depois deste horário entram em funcionamento no restante do
dia, de 17:30 às 05:00 h, os seus 19 freezers e um compressor que correspondem uma
pequena porcentagem do consumo total da empresa.
Esta análise é favorável para o estudo de qual tipo aplicação tarifária utilizar, pois há
certas modalidades tarifárias de energia elétrica que obtém sazonalidades entre os
horários do dia, ou seja, em alguns horários durante o dia o custo do (quilowatt-
hora) de energia se torna bastante cara, isto ocorre no horário de 17:30 às 20:30 h, sendo
este tempo denominado de horário de ponta.
A empresa Casa do Picolé está classificada atualmente como um consumidor
pertencente ao grupo B na sub classe, COMERCIAL, SERV. OUTROS, com tensão de
alimentação trifásica com tensão trifásica 13,8 kV.
2. Modalidades tarifárias do sistema elétrico brasileiro
No Brasil as modalidades tarifárias estão subdivididas em duas classes que são o
grupo A, em que os consumidores estão a um nível de 2,3 kV e 230 kV, e o grupo B,
em que os consumidores estão a um nível abaixo de 2,3 kV.
Sendo estes grupos subdivididos em subclasses e em cada classe se encaixam os
seus tipos de consumidores. Logo a seguir serão especificadas as subclasses do grupo A,
pois no grupo B a empresa não é possível operar.
Neste grupo obtêm-se quatro tipos de subclasses tarifárias que são:
 Convencional;
 Horo-sazonal azul;
 Horo-sazonal verde;
 Optante B.

Cada uma delas tem sua especificidade e suas condições para operação, desta forma
serão explanados neste relatório o funcionamento de cada uma delas.
2.1 Convencional
Iniciando-se pela tarifa Convencional, que tem como característica a aplicação de
tarifas de consumo de energia e demanda iguais durante todo o período do dia,
independente de horário de fora de ponta e de ponta.
Sendo isto muito favorável a uma empresa que trabalha em carga plena constante.
Porém, este não é o caso da Casa do Picolé, pois o seu tempo de plena carga tem um
horário especifico durante o dia.
3



Desta forma as características da tarifa convencional se resumem nos seguintes
subtópicos:
 Tarifa única de consumo de energia elétrica ();
 Tarifa única de demanda de potência ();
 Atendimento somente para ligações de níveis de tensão igual ou superior à 13,8
kV;
 Demanda contratada mínima de 30 kW e máxima de 299 kW.

A unidade consumidora que desejar obter contrato de fornecimento de energia
elétrica nesta tarifa deve especificar um valor de demanda a ser contrato e seu
faturamento, sendo ele aplicado sobre o maior valor de demanda, entre a demanda
máxima medida e a contratada.
2.2 Horo-sazonal
A tarifa que melhor se enquadra a primeira impressão seria a horo-sazonal, que tem
como característica a aplicação de tarifas diferenciadas de consumo de energia elétrica e
de demanda de potência, conforme com as horas de utilização do dia e dos períodos
climáticos do ano.
As horas de utilização no dia são subdivididas em horário de ponta e horário fora de
ponta, sendo a diferença entre estas o consumo de energia elétrica, ou seja, o valor do
.
 Horário fora de ponta: Corresponde de 20:30 min às 17:30 min;
 Horário de ponta: Corresponde de 17:30 min às 20:30 min.
Os períodos climáticos são subdivididos em úmido e seco:
 Período úmido: Ocorre durante os meses de dezembro a abril e compreende o
período onde há maior volume de chuva;
 Período seco: Ocorre durante os meses de maio a novembro e compreende o
período onde há menor volume de chuva.
Esta tarifa subdivide-se em horo-sazonal azul e horo-sazonal verde, em que suas
diferenças são:






4



Tabela 1: Diferença entre as tarifas horo-sazonal azul e verde.
Tarifa horo-sazonal
Horo-sazonal Azul Horo-sazonal Verde
Duas Tarifas de demanda de potência,
uma no horário de ponta e outra no
horário fora de ponta
Tarifa única de demanda de potência
(Ponta e Fora de Ponta)
Atendimento em 230 kV, 69 kV e 13,8
kV
Atendimento somente em 13,8 kV
Demanda contratada mínima de 30 kW
em pelo menos um dos horários (ponta e
fora de ponta).
Demanda contratada mínima de 30 kW

2.2.1. Horo-sazonal Azul
Esta modalidade tarifaria é indicada para unidades consumidores onde a utilização
de carga (demanda) ao longo das horas do dia não se modifica bastante, ou seja, no
horário de ponta existem poucas possibilidades de haver uma redução do consumo de
energia. Pois, o seu custo da sua tarifa no horário de ponta relacionado ao horário fora
de ponta obter uma diferença pequena no preço.
A seguir as características desta tarifa:
 Duas tarifas de demanda de potência uma no horário de ponta (kW) e outra no
horário fora de ponta (kW);
 Uma tarifa de consumo para o horário da ponta úmido (kWh);
 Uma tarifa de consumo para o horário fora da ponta úmido (kWh);
 Uma tarifa de consumo para o horário da ponta seco (kWh);
 Uma tarifa de consumo para o horário fora da ponta seco (kWh);
 Obrigatória para ligações em tensão de 69 kV;
 Opcional para ligações em tensão de 13,8 kV;
 Demanda contratada mínima de 30 kW em pelo menos um dos seguimentos
horários (ponta ou fora de ponta).

A unidade consumidora que desejar obter contrato de fornecimento de energia
elétrica nesta tarifa deve especificar dois valores de demanda a serem contratados,
sendo uma para o horário de ponta e outro para o horário fora de ponta e seus
faturamentos, sendo eles aplicados sobre o maior valor de demanda entre a demanda
máxima medidas e a contratadas.



5



2.2.2. Horo-sazonal Verde
Esta modalidade tarifaria é indicada para unidades consumidoras onde a utilização
de carga (demanda) ao longo das horas do dia se modificam consideravelmente, ou seja,
no horário de ponta existem várias possibilidades de haver uma redução do consumo de
energia. Sendo isto levado em consideração por causa do custo da tarifa no horário de
ponta relacionado ao horário fora de ponta obter uma grande diferença de preço.
A seguir as características desta tarifa:
 Tarifa única de demanda de potência (kW) (Ponta e Fora de Ponta);
 Uma tarifa de consumo para o horário da ponta úmido (kWh);
 Uma tarifa de consumo para o horário fora da ponta úmido (kWh);
 Uma tarifa de consumo para o horário da ponta seco (kWh);
 Uma tarifa de consumo para o horário fora da ponta seco (kWh);
 Atendimento somente para ligações em tensão de 13.8 kV;
 Demanda contratada mínima de 30 kW.

A unidade consumidora que desejar obter contrato de fornecimento de energia
elétrica nesta tarifa deve especificar um valor de demanda a ser contrato e seu
faturamento, sendo ele realizado sobre o maior valor de demanda entre a demanda
máxima medida e a contratada.
2.3. Optante B
Nesta tarifa podem optar por faturamento com aplicação da tarifa do Grupo "B",
correspondente as respectivas classes:

 Clientes com potência igual ou inferior a 112,5 kVA;
 Clientes com instalações permanentes para a prática de atividades esportivas ou
parques de exposições agropecuárias, desde que a potência instalada em
projetores utilizados na iluminação dos locais seja igual ou superior a 2/3 (dois
terços) da carga instalada total;
 Clientes situados em área de veraneio ou turismo, que exploram serviços de
hotelaria ou pousada, independentemente da carga instalada.

É importante lembrar que essa tarifa está sendo utilizada atualmente pela unidade
consumidora Casa do Picolé.
3. Consumo de energia da empresa
Na unidade consumidora foi utilizada como dados de análise as contas de energia do
período de setembro de 2013 à agosto de 2014, a seguir os valores do consumo nestes
meses.


Tabela 2: Custo mensal da energia elétrica.
6



Dados do consumo de energia
Mês Consumo ( ) Valor(R$)
Agosto/2014 7339 3634,35
Julho/2014 8216 4177,26
Junho/2014 7013 3565,62
Maio/2014 7372 3893,37
Abril/2014 6779 3342,32
Março/2014 7348 3335,48
Fevereiro/2014 7995 3589,99
Janeiro/2014 8526 3731,23
Dezembro/2013 7716 3446,35
Novembro/2013 7907 3662,21
Outubro/2013 8598 3914,84
Setembro/2013 9535 4140,29

4. Análise das contas de energia
Os resultados das simulações para os doze meses, de setembro de 2013 a agosto de
2014, são mostrados na tabela e gráfico abaixo, onde eles demonstram o custo da
energia elétrica do cliente para o Optante B, o qual seria a atual situação da unidade
consumidora e para as outras modalidades tarifárias, Convencional, Horo-sazonal azul e
verde.

Tabela 3: Análise mensal por modalidade tarifária.
Mês Optante B Convencional
Horo-sazonal
Verde
Horo-sazonal
Azul
Agosto/2014 R$ 3634,35 R$ 4079,14 R$ 2776,22 R$ 3558,64
Julho/2014 R$ 4177,26 R$ 4435,60 R$ 3033,81 R$ 3838,21
Junho/2014 R$ 3565,62 R$ 4362,40 R$ 2962,99 R$ 3817,84
Maio/2014 R$ 3893,37 R$ 4360,06 R$ 2967,79 R$ 3802,35
Abril/2014 R$ 3342,32 R$ 3907,82 R$ 2650,38 R$ 3428,38
Março/2014 R$ 3335,48 R$ 3037,03 R$ 2677,47 R$ 3486,91
Fevereiro/2014 R$ 3589,99 R$ 3152,64 R$ 2764,95 R$ 3565,70
Janeiro/2014 R$ 3731,23 R$ 3190,56 R$ 2788,42 R$ 3569,12
Dezembro/2013 R$ 3446,35 R$ 3072,45 R$ 2700,30 R$ 3496,93
Novembro/2013 R$ 3662,21 R$ 3231,01 R$ 2835,92 R$ 3661,64
Outubro/2013 R$ 3914,84 R$ 3336,55 R$ 2914,04 R$ 3726,02
Setembro/2013 R$ 4140,29 R$ 3389,32 R$ 2942,61 R$ 3717,66






7



Tabela 4: Análise mensal de economia em relação a tarifa atual
Mês
Convencional
(R$)
Horo-sazonal
Verde (R$)
Horo-sazonal
Azul (R$)
Agosto/2014 -444,79 858,13 75,70
Julho/2014 -258,34 1143,45 339,05
Junho/2014 -796,78 602,63 -252,22
Maio/2014 -466,68 925,59 91,02
Abril/2014 -565,50 691,94 -86,07
Março/2014 298,45 658,01 -151,44
Fevereiro/2014 437,36 825,05 24,30
Janeiro/2014 540,67 942,81 162,12
Dezembro/2013 373,90 746,05 -50,58
Novembro/2013 431,19 826,29 0,57
Outubro/2013 578,29 1000,80 188,82
Setembro/2013 750,96 1197,67 422,63
Total (R$) 878,74 10418,42 763,91


Figura 1: Gráfico de dispersão das modalidades tarifárias

A Tabela 3 mostra o valor do custo da energia elétrica que a empresa Casa do Picolé
teria em cada modalidade tarifária. Os dados da Tabela 3 foram plotados para tornar mais
fácil a comparação com os custos de energia elétrica para as diferentes modalidades. A
Figura 1 mostra o resultado da plotagem, onde facilmente é visto pela tabela 4 que em
qualquer outra modalidade tarifária o cliente terá menos gastos que na modalidade Grupo
“B” (Atual modalidade do cliente).
Mas, pode ser analisado que a modalidade que mais se adequa a Casa do Picolé é a
Estrutura Tarifária Horo-sazonal Verde, onde o cliente terá reduzido seus gastos em quase
R$ 850,00 mensais. É válido ressaltar que mesmo após a regulação tarifária que ocorre todo
0.00
500.00
1000.00
1500.00
2000.00
2500.00
3000.00
3500.00
4000.00
4500.00
5000.00
Sep-13 Oct-13 Nov-13 Dec-13 Jan-14 Feb-14 Mar-14 Apr-14 May-14 Jun-14 Jul-14 Aug-14
Análise das modalidades de tarifas
Horosazonal Verde
Horosazonal Azul
Convencional
Optante B
8



ano nas concessionárias do país, que no caso na COELCE ocorreu no mês de abril, houve
uma pequena variação do custo da energia na modalidade tarifária horo-sazonal verde.
É importante ressaltar que os consumidores do Grupo “A” pagam por energia reativa
consumida. Onde este parâmetro não é possível simular, mas se os custos com energia
reativa causarem na redução do custo de energia elétrica em geral, pode-se ser realizado a
instalação de um banco de capacitores, desta forma garantido uma economia no custo com
energia elétrica demonstrados acima.
5. Conclusão
Observado os resultados das tabelas sobre cada modalidade tarifária e na figura 1,
pode-se concluir que mudar do grupo B para o grupo A, mais especificamente para a
tarifa horo-sazonal verde, seria a decisão economicamente correta a ser feita. Avaliando
todo o período analisado chegou-se a um valor economizado em termos de
porcentagem, entre a tarifa do grupo B em relação a horo-sazonal verde de,
aproximadamente de 25% (durante os doze meses). Resumindo, com a mudança de
tarifa se economizaria cerca de R$ 10.420.
Desta forma, com este estudo analisou-se a possibilidade de ser elaborado o projeto
da subestação aérea (poste com transformador) somente com o valor economizado, ou
seja o pay back da empresa ocorreria em um período de cerca de 18 meses.
Logo conclui-se que as vantagens da transferência de grupo tarifário será:
 A empresaria Casa do Picolé economizaria tal verba, com outros investimentos
em prol do seu desenvolvimento;
 Obtenção de melhor qualidade de energia à empresa, reduzindo desta forma a
manutenção das máquinas de indução, pois elas estariam operando suavemente;
 Em caso de mudança de local de trabalho pode-se transferir os equipamentos de
sua subestação aérea.










9



6. Referências bibliográficas

- Disponível em: <https://www.coelce.com.br/paraseusnegocios/alta-tensao/orientacoes-
basicas.aspx#r8 > Acesso em: 31 de agosto de 2014.
- Disponível em: <https://www.coelce.com.br/paraseusnegocios/alta-tensao/tarifas.aspx>
Acesso em: 31 de agosto de 2014.
- Disponível em:
<http://www.aneel.gov.br/biblioteca/downloads/livros/REN_414_2010_atual_REN_499
_2012.pdf > Acesso em: 31 de agosto de 2014.
- Disponível em: <http://www.aneel.gov.br/area.cfm?idArea=91 > Acesso em: 31 de
agosto de 2014.