Você está na página 1de 49

Cidade do Saber

Cidade da transformação

Cidade do Saber

Cidade da transformação

C idade do S aber Cidade da transformação 2013
C idade do S aber Cidade da transformação 2013

2013

C idade do S aber Cidade da transformação 2013
C idade do S aber Cidade da transformação 2013

Concepção do Projeto Instituto Professor Raimundo Pinheiro

Coordenação Editorial Ascom Cidade do Saber Carolina Dantas Claudia Magnólia Daniel Quirino Elba Coelho

Estagiários:

Camila São José Eric Belinelli Janine Brandão

Coordenação Executiva AG EDitora

Pesquisa e Textos Lais Santos (Metta Comunicação)

Edição de Textos Ana Cristina Barreto

Revisão de textos José Egídio

Projeto Editorial João Soares (Metta Comunicação)

Capa

João Soares

Fotografias Ascom Cidade do Saber Ascom Prefeitura Adeilson Carvalho Marilton Trabuco Paulo Macedo

Impressão Gráfica Santa Marta

© 2013. Direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial deste livro sem a autorização prévia da Prefeitura Municipal de Camaçari

a autorização prévia da Prefeitura Municipal de Camaçari Prefeito Luiz Carlos Caetano Secretarias Municipais

Prefeito Luiz Carlos Caetano

Secretarias Municipais Mantenedoras

Secretaria do Esporte e Lazer Geraldo Pereira

Secretaria da Cultura Vital Vasconcelos

Geraldo Pereira Secretaria da Cultura Vital Vasconcelos Diretoria Geral Ana Lúcia Silveira Diretoria de

Diretoria Geral Ana Lúcia Silveira

Diretoria de Desenvolvimento do Saber Arnoldo Valente

Diretoria de Infraestrutura Utilan Coroa

Diretoria do Teatro Vadinha Moura

11

53 Centro de Eventos

Diretoria do Teatro Vadinha Moura 11 53 Centro de Eventos Histórico 17 O que é a

Histórico

17

O que é a Cidade do Saber

 

21

Atividades

 

57

Histórias de Sucesso

 

Cultura e arte Esporte e Lazer Projeto pedagógico

23

Um sonho que virou realidade Do balé à Ginástica, o corpo fala No ritmo da Música Uma experiência inesquecível Palco revela talentos da Cidade história de superação Cadeira cativa no teatro Brincar de ser ator Teatro na vida da família Performance e interatividade Obras que ganharam o mundo

60

28

61

31

62

 

63

64

35

 

66

Projetos Especiais

 

67

Educação musical e orquestra Memorial Ponto móvel Museu SCFV

37

68

 

39

69

41

70

43

71

45

Socialização e qualidade de vida

72

 

Um novo olhar, uma nova atitude

73

 

75

 
Amigos dentro e fora das quadras Grupos culturais que surgiram

Amigos dentro e fora das quadras Grupos culturais que surgiram

76

 

78

O que dizem da gente

 

47

Responsabilidade

83

Linha do Tempo

 

Compartilhada

Sonhei. Continuo sonhando Eu tive um sonho. Sonhei com um centro modelo de cultura e

Sonhei. Continuo sonhando

Eu tive um sonho. Sonhei com um centro modelo de cultura e prática de esportes na cidade de Camaçari, dirigido especialmente a crianças e jovens. Sonhei que uma obra e um projeto voltados para a cultura e esportes poderiam ser, também, prioridade de governo e ter a acolhida da população, num município, à época, tão carente de intervenções físicas e tão deficitário nas áreas sociais básicas, de saúde e educação. Sonhei, por fim, que Camaçari, num dia não muito distante, seria uma cidade reconhe- cida no estado e no país como importante centro de educação esportiva e de cultura, de geração e formação de talentos. Era o ano de 2005 e era o momento de sonhar e construir um programa de governo que, ao final, fosse ratificado pelo povo. Sabia, por experiência, que não bastava sonhar. Se sonhar certo já é muito difícil para o administrador público, muito mais difícil é tornar realidade esse sonho. E fomos à luta. Em 2005, no primeiro ano de governo, concluímos projeto arquitetônico e, em paralelo, o Projeto de Desenvolvimento Institucional (PDI). Obra licitada, demos início à construção. Em março de 2007, inauguramos a Cidade do Saber, um complexo esportivo-cultural numa área de 22 mil m 2 , incluindo um grande teatro, o segundo maior da Bahia, piscina semiolímpica, quadra poliesportiva, salas de aulas, inteiramente ambientadas para moda- lidades diversas da arte-educação e da prática do esporte, dança, ensino de idiomas, artes plásticas, música, teatro, entre outras. Ao abrirmos as matrículas para os cursos e oficinas de cultura e esporte, milhares de camaçarienses nos surpreenderam, postando-se à frente desse equipamento público em busca das vagas oferecidas. Era um início entusiástico e alvissareiro e um indício forte de que o sonho era certo quando apostamos na arte-educação e na educação pelo esporte em grande escala. Agora, não nos resta qualquer dúvida de que fizemos o que o povo queria. Os números mostram: entre 2007 e 2011 foram prestados quase 55 mil atendimentos diretos e mais de 200 mil indiretos. Nos dois últimos anos, a média de alunos matriculados chegou perto de 10 mil por ano nas diversas modalidades de esporte e nos cursos e oficinas de artes e idio- mas. Além de uma série de músicos, artistas plásticos e atores de teatro formados em nível semiprofissional, são inúmeros alunos que concluíram, com o grau intermediário, cursos de idiomas (inglês e espanhol). Nesse período também são quase 250 jovens atletas for- mados em ginástica rítmica, voleibol, handebol, futsal, basquetebol, boxe, natação, futebol de campo e mais de 7.900 adultos que frequentaram sessões de hidroginástica e natação. O corolário desse esforço, regular e de larga escala, cedo produziu surpreendentes fru- tos. Entre os alunos existem campeões estaduais, nacionais e até sul-americanos, neste último caso na modalidade de karatê e natação paraolímpica. Oito alunos do curso de balé clássico foram selecionados para o Ballet Bolshoi. Equipes de Camaçari, inexistentes até 2007, passaram a figurar com destaque em competições estaduais e nacionais nas cate- gorias olímpica e paraolímpica de voleibol, futsal, boxe, basquete, handebol, natação e futebol de campo. Longe, contudo, de serem esses resultados os seus maiores méritos, o equipamento pú-

Cidade da Transformação

9

C idade da T ransformação 9 Luiz Caetano Prefeito de Camaçari de 2005 a 2012 blico

Luiz Caetano

Prefeito de Camaçari de 2005 a 2012

blico Cidade do Saber ostenta conquistas muito mais relevantes. A primeira é sua apropria- ção pelos munícipes, que, desde o começo, o encararam como um equipamento seu. Não há registro de um único caso de vandalismo, ainda que inexista força militar ou paramilitar vigiando a arrojada estrutura. Não há também caso de violência praticado por educandos contra seus pares ou terceiros e, muito menos, contra educadores, ainda que seja em gran- de escala o ensino de lutas marciais. Impera espontâneo clima de paz e cidadania. Mas não é só. Nas suas áreas internas transitam, livremente, milhares de crianças e jo- vens, seus pais e amigos, fazendo do espaço público um local de nova e intensa convivência social, das 6h às 22h, todos os dias, inclusive nos fins de semana. No que pese seu papel de executora de políticas públicas, a Cidade do Saber cumpre função fundamental de instituição inclusiva por vocação e estratégia finalística. Daí a gra- tuidade dos seus serviços, daí suas práticas e métodos, baseados na pedagogia de inclu- são. A construção de uma metodologia própria e auxiliar aos métodos conteudistas, sob medida para a sua escala e dimensões, tem sido um desafio permanentemente superado. Casa de cidadania e inclusão social, a Cidade do Saber é, pois, muito mais do que uma escola de educação não formal, de arte-educação ou educação pelo esporte. E é isso que fez que faz a diferença. Não basta ensinar, muitos fazem isso. Não basta ocupar, lúdica ou produtivamente, o tempo ocioso de jovens e crianças, muitos também, assim, o fazem. É preciso ir além! Ao tempo em que educa, a Cidade do Saber acolhe, escuta, reconstrói e constrói novos laços afetivos e familiares. E é por isso que continuo sonhando! Sonhando em chegarmos ao ano 2032, vinte e cinco anos após a inauguração da Cidade do Saber, quando então Camaçari é conhecida e reconhecida, não só pelo polo industrial múltiplo, mas também, e principalmente, por ser um dos mais importantes centros esportivos e culturais do país. São muitas as cidades que um dia se destacaram na cultura e no esporte. Difícil, contu- do, é saber, anos depois, quando e como tudo começou. Em Camaçari não haverá dúvidas daqui a 20 ou mais anos. Tudo começou num sonho do povo, que foi ouvido e se transfor- mou. Virou Cidade do Saber no ano de 2007, quando o começo do sonho virou realidade.

Cidade de portas abertas para o saber

Obra física concluída, era hora de ocupar os espaços, formar a equipe e fazer o projeto funcionar. Como todo começo, havia muita ansiedade e expectativa em torno do acolhi- mento e aceitação por parte da comunidade de Camaçari. Era para essa comunidade que se destinavam todos os esforços empreendidos na elaboração das partes pedagógica e conceitual, gestadas juntamente com a evolução da construção. Era hora, então, de fazer as ideias saírem do papel e ganharem alma. Apesar de ser um projeto imponente, nosso objetivo era que as pessoas entendessem que se tratava de uma casa que abria as suas portas para a vivência da cidadania, através do acesso à criação e ao consumo artístico, de práticas para uma melhor qualidade de vida, da formação de consciência crítica. Portanto, um espaço de direito para a população. Toda aquela estrutura, na qual se primava pela qualidade, era direcionada prioritaria- mente aos mais carentes, com menores oportunidades de inclusão socioecononômica. Também às crianças e jovens, como via de fortalecimento do processo educacional, no contraturno escolar, e do preenchimento de uma lacuna no lazer produtivo, evitando que meninos e meninas buscassem o caminho da ociosidade, da pouca perspectiva ou da vio- lência. Por outro lado, era importante estimular um ambiente de valorização da diversidade e consequente respeito pelo outro. Para isso, direcionar o projeto para toda a família, envol- vendo pessoas da mais ampla faixa etária e de diferentes realidades de vida. Na nossa caminhada, sempre perseguimos a excelência de nossas ações num projeto inédito à época, o que foi constatado no momento da sua concepção. Buscamos modelos em outros estados e criamos o nosso, próprio e com a nossa cara. Antes da inauguração fizemos uma sondagem, ouvindo a população e explicando o que pretendíamos oferecer. E nossa expectativa era que cerca de cinco mil pessoas manifes- tassem interesse pelas atividades. E, em menos de uma semana, fomos procurados por 19 mil. Percebemos que estávamos no rumo certo, que havia uma população ansiosa e carente de algo nessa direção, o que nos fortaleceu e nos ajudou a seguir. Anualmente, temos conquistado vários prêmios de responsabilidade social e até prê- mios fora do Brasil, o que vem somar ao trabalho de total dedicação que a gente faz. No entanto, nossa maior conquista é, sem dúvida, a aceitação popular e a consolidação de um projeto verdadeiramente transformador e voltado para a inclusão social com arte, educa- ção, esporte e lazer. Essa é a proposta maior da nossa cidade, que conta com uma equipe totalmente comprometida e coesa em torno da proposta e começa a entrar numa fase mais madura. Nesta publicação especial, apresentamos um pouco do nosso dia a dia, conquistas, ino- vações, planos e de como construímos nosso caminhar na direção da inclusão e da cida- dania. Pode entrar, a casa é nossa. Seja bem vindo à Cidade do Saber!

Pode entrar, a casa é nossa. Seja bem vindo à Cidade do Saber! Ana Lúcia Silveira

Ana Lúcia Silveira

Diretora Geral da Cidade do Saber

Histórico 1

Histórico

1

Cidade da Transformação

13

C idade da T ransformação 1 3 D o sonho à realiDaDe mplantar um projeto -
C idade da T ransformação 1 3 D o sonho à realiDaDe mplantar um projeto -

Do sonho à realiDaDe

mplantar um projeto - ou vários - que fizesse a diferença, que trabalhasse o social em grande escala, disseminando cultura, educação, esporte e lazer por todos os

cantos de Camaçari. Esse foi o princípio do sonho de Luiz Caetano, quando assumiu a ges- tão do município, em 2005.

E como pano de fundo para a viabilização da ideia, a situação socioeconômica de Ca-

maçari contribuiu para que essa convergência de necessidades e vontades resultasse nesse complexo educacional produtor e disseminador de conhecimentos, que foi abraçado pela comunidade. Apesar de possuir o segundo maior PIB da Bahia – R$ 10 bilhões - e ser responsável por 35% das exportações do estado, à época da implantação da Cidade do Saber (CDS), Cama- çari ocupava a sexta posição no Índice de Desenvolvimento Econômico estadual. Os baixos índices de desenvolvimento socioeducacional contrastavam com o avanço econômico do município, consolidado com a implantação do Polo Industrial na década de 1970. Diante do cenário de altas taxas de analfabetismo e de evasão escolar e com 65% da população vivendo abaixo da linha de pobreza, após muitas conversas e entendimentos com a comunidade e com a equipe técnica que abraçou a iniciativa, o sonho da “cidade de saberes” virou realidade, numa experiência sem precedentes no Brasil.

A priori, se pensava em criar alguns centros de cultura pelos bairros. Depois, o amadu-

recimento da ideia culminou na criação de um instrumento que trabalhasse educação, cul-

tura e esporte e que tivesse como pilares: transformação da sociedade, melhoria do perfil da educação e incentivo ao desenvolvimento da cultura e do esporte. Além do esmero na parte conceitual, a equipe também cuidou para que o projeto arqui- tetônico primasse pela qualidade e grandiosidade. As obras foram iniciadas em 2005 e as portas da cidade foram abertas em 2007. No pri- meiro mês, 19 mil inscrições. De fato, havia uma demanda reprimida e a população estava carente de saber, de educação, de cidadania.

E a equipe comemora o fato de a Cidade do Saber estar consolidada e se ampliar aos

horizontes, sendo um modelo para outras cidades porque é um patrimônio público da sociedade, destinado a aglutinar saberes, mesclar linguagens e ampliar diálogo com a co- munidade, instituições e setores.

A Cidade do Saber é reconhecida como um dos melhores instrumentos de inclusão

social e de cidadania do Estado da Bahia, proposta que a sociedade aplaude, que é orgulho de Camaçari, que funciona e dá resultados.

Perfil socioeconômico de Camaçari

Município de maior território da Região Metropolitana de Salvador, com 784,65 km 2 e 42 km de faixa costeira (Salvador: 313 km 2 ).

242,9 mil habitantes (censo do IBGE 2010).

Está a 48 km de Salvador, a 36 km do aeroporto internacional da capital baiana, a 45 km do Terminal de Aratu, a

36 km do Terminal de Madre de Deus e a

27 km da Refinaria de Mataripe (RLAM).

Referência no setor econômico brasileiro, com maior PIB industrial do Nordeste (R$ 6 bilhões) e segundo maior PIB da Bahia (R$ 10,4 bilhões) - dados da Prefeitura de Camaçari.

Abriga o maior complexo industrial integrado do hemisfério sul, com

90 empresas (nas áreas químicas,

petroquímicas, celulose, têxtil, metalúrgica de cobre, automobilística, bebidas e serviços) com investimento total de US$ 12 bilhões/ano, faturamento de US$ 15 bilhões/ano.

Contribui com o ICMS de R$ 1 bilhão/ano para a Bahia e é responsável por grande parte da receita tributária de Camaçari;

Responsável por 35% das exportações do estado: US$ 2,3 bilhões/ano;

PIB per capita a preços correntes:

R$ 51.837,56 (2009).

Cidade da Transformação

15

C idade da T ransformação 1 5 Contrastes no setor social (2000 – 2005) • 15
C idade da T ransformação 1 5 Contrastes no setor social (2000 – 2005) • 15

Contrastes no setor social (2000 – 2005)

• 15 a 19% de evasão escolar

(Fonte: Perfil e Diagnóstico Camaçari,

2000-2005);

• 56ª posição (BA) no Índice do Nível de Educação (INE) – Fonte: SEI 2006;

• 6ª colocação no Índice de

Desenvolvimento Humano da Bahia

(0,734).

no Índice de Desenvolvimento Humano da Bahia (0,734). Quem foi Raymundo Pinheiro? Apesar de ter desempenhado

Quem foi Raymundo Pinheiro?

Apesar de ter desempenhado inúmeros cargos públicos no município de Camaçari, onde foi vere- ador, secretário municipal e gestor de órgãos do Executivo, o administrador de empresas Raymundo Martins Pinheiro empresta seu nome à Cidade do Saber pelo papel de educador que vivenciou por mais de 30 anos. Falecido em 2004, o professor não teve oportunidade de ver o projeto, mas a reper- cussão de sua obra justifica a homenagem feita à época da inauguração do complexo. Além de ter le- cionado por 23 anos em diversas escolas da cidade, Raymundo Pinheiro fundou a Creche Nossa Senhora das Graças e a Escola Comunitária São Paulo, que atende a 250 crianças e adolescentes.

O que é a Cidade do Saber 2

O

que é a

Cidade do Saber

2

Cidade da Transformação

19

C idade da T ransformação 1 9 m espaço mantido pela Prefeitura Municipal de Camaçari, vol
C idade da T ransformação 1 9 m espaço mantido pela Prefeitura Municipal de Camaçari, vol

m espaço mantido pela Prefeitura Municipal de Camaçari, vol- tado à construção da cidadania e inclusão social através do tripé arte, educação e esporte.

Essa poderia ser uma breve definição da Cidade do Saber - Instituto Professor Raimundo Pinheiro, mas, para descrever a instituição na sua estrutura, frentes de atuação, resultados e no seu modelo institucional (inédito na Bahia até o momento da sua implantação), ca- bem mais palavras.

A Cidade do Saber é um programa sociocultural e esportivo, com sede no centro do mu-

nicípio de Camaçari. Em um terreno de 22.000m 2 (sendo 10.000m 2 de área construída), o complexo reúne dois prédios, com 28 salas para atividades educativas, o segundo maior te- atro baiano, ginásio poliesportivo, piscina semiolímpica, espaços de visitação (museu, me-

morial, brinquedoteca e gibiteca). Possui, ainda, uma estrutura itinerante, o Ponto Móvel Cidade do Saber, que percorre as dezenas de localidades da orla e zona rural de Camaçari, algumas distantes a mais de 40 km do centro, levando arte, educação e entretenimento. Idealizado pela gestão municipal, o programa foi elaborado e instituído por uma equipe técnica formada por servidores públicos, quadros de instituições de ensino superior da Bahia e por profissionais com vasta experiência em administração pública. As instalações físicas foram viabilizadas com 100% de recursos municipais.

A gestão da Cidade do Saber é feita por uma entidade privada, sem fins lucrativos, o

Instituto Professor Raimundo Pinheiro, qualificado como Organização Social (OS) no âm-

bito do município, através do Decreto Municipal 4367/2007, que tem como base a Lei Municipal 749/2006. O dispositivo permite que, através de licitação, organizações não- -governamentais (ONGs) executem serviços não exclusivos do Estado, a exemplo das áreas de arte, cultura e esporte. Neste modelo, a execução e o cumprimento das metas estabelecidas em contrato de

gestão são responsabilidades da ONG e a formulação de tais metas e a fiscalização do tra- balho executado fica sob responsabilidade dos órgãos públicos dirigentes das áreas.

A adoção do formato por parte da Prefeitura foi um dos elementos a tornar o programa

uma referência, garantindo maior flexibilidade na gestão, com a formação de quadro de funcionários especializados e a prerrogativa da captação de recursos para a dinamização e

ampliação de projetos com o setor privado.

O grande diferencial, no entanto, está na missão e método definidos para a iniciativa:

democratizar o acesso a bens culturais e esportivos, permitindo que pessoas das mais di- versas realidades tivessem a mesma oportunidade diante da oferta variada de cursos e oficinas. Inclusão em larga escala e estrutura para atingir, ao mesmo tempo, milhares de pessoas, de idades, classes sociais, interesses diferentes, com garantia de qualidade no processo de aprendizagem e trocas de experiências. Sem economia de esforços, essas oportunidades de desenvolvimento social e redução de desigualdades concretizam-se através de atividades gratuitas em diversas modalidades, com duração de até dois anos, e a partir de uma estrutura integrada voltada à formação do ser cidadão, capaz de conviver com as diferenças e transformar realidades.

Capacidade para atender a mais de

5 mil

pessoas diariamente

Em 5 anos,

54.859

pessoas atendidas diretamente e mais de 200 mil de forma indireta

atendidas diretamente e mais de 200 mil de forma indireta Os cursos e oficinas da Cidade

Os cursos e oficinas da Cidade do Saber possibilitam condições de acesso mais igualitárias às diferentes classes e a pessoas de diversas idades, que aprendem a lidar melhor com as diferenças e a potencializar seus talentos.

Atividades 3

Atividades

3

Cidade da Transformação

23

C idade da T ransformação 2 3 1 Cultura e Arte Tendo a arte como o

1

Cultura e Arte

Tendo a arte como o centro das transformações pessoais e sociais, a Cidade do Saber

promove cursos e oficinas com vistas a estimular a criatividade, o pensamento crítico e a promover inclusão social, além de revelar talentos.

As atividades são voltadas a pessoas de todas as idades, de crianças a idosos, e os anos

de atuação da CDS provam que a educação através da arte amplia os horizontes, interfere diretamente na autoestima e permite que os educandos se expressem através de lingua- gens verbais e não-verbais, como dança, teatro e música.

O trabalho com arte-educação no processo de inclusão permite que os alunos se desen-

volvam criticamente e contribuam com a construção da cidadania, através da mobilização

e atuação dentro das próprias comunidades.

O processo é gradual, mas os frutos já vêm sendo colhidos em Camaçari, município

de vasto potencial cultural e artístico da Bahia. Através da sensibilização e da inserção no

mundo das artes alguns alunos dos núcleos de Teatro e Música, por exemplo, despertaram

o interesse pela área e seguiram estudando em cursos técnicos e até universitários. Isso revela que o trabalho estimula pessoas a encontrarem a arte não como meio apenas de formação de cidadania e do potencial criativo, mas como um meio de vida.

O reconhecimento da população também pode ser confirmado ao final de cada ano,

através do Cidade em Cena, momento em que os educandos dos projetos apresentam à comunidade e às famílias o que aprenderam durante as atividades. São sete dias de espe-

táculos no teatro e sete dias de casa cheia. Até agora já foram feitos mais de 40 números de balé, teatro, música, dança moderna e de salão.

A vibração, os olhares e os aplausos dos expectadores atestam o orgulho de todos os

que participam e os que prestigiam a transformação e o crescimento dos alunos.

Cursos e Oficinas

As matrículas para os cursos de idiomas e artes cênicas são precedidas de processos seletivos. A avaliação também funciona como um momento em que os candidatos per- cebem seu próprio interesse e sua vocação para o curso escolhido. Para as artes cênicas, a seletiva consiste em uma aula de avaliação vocacional dos

“O processo de educação através da arte é lento. Nosso trabalho será visto

efetivamente a médio

e longo prazos,

embora tenhamos casos pontuais. Temos

alunos de artes cênicas que hoje estão em cursos técnicos e superiores. Então, se já temos esses frutos, daqui a 15, 20 anos teremos o dobro, o triplo. Com a arte- educação, queremos contribuir para que esses cidadãos sejam criativos, mobilizadores, atuantes em suas comunidades

e que possam exercitar

esse fazer artístico, mas, sobretudo, agindo criticamente na

sociedade”

Débora

Bittencourt

Diretora do Núcleo de Cultura e Arte

24 Cidade do saber

Matrículas

Para fazer parte desse mundo de saberes, é necessário observar o calendário de matrículas de cada atividade e apresentar os documentos: identidade, comprovante de residência, identidade do responsável (se menor de idade), atestado escolar. Residir em Camaçari, apresentar o cartão do Bolsa Família (caso possua) são os passos básicos para a matrícula.

candidatos, quando são observados critérios como criatividade, musicalidade, ritmo, co - ordenação motora, senso de direção, postura e interesse. Nesse segmento, o curso de balé está entre os mais concorridos. São oferecidas 16 turmas por ano e a demanda ainda é superior à oferta. A seleção, que dura um dia e é feita no ginásio de esportes, funciona como um teste de aptidão. O mesmo acontece para os cursos de dança de sa- lão, dança moderna e teatro. Além dos cursos regulares de dança e teatro, são realizadas oficinas com demandas da própria população, como, por exemplo, aulas de dança de salão direcionadas a defi - cientes visuais. Para os cursos de idiomas o processo seletivo acontece através de uma prova de portu- guês para avaliar os conhecimentos básicos da língua-mãe, indicativos do futuro desempe- nho dos alunos nos cursos de língua estrangeira. Ministrados em parceria com a escola de idiomas Fisk (CNA até o 1o semestre de 2012), os cursos de línguas funcionam como uma ferramenta para inserção do jovem em faculda- des e no mercado de trabalho, favorecendo a conquista de novas oportunidades e reduzin- do desigualdades socioeconômicas. Para as artes visuais, os candidatos são dispensados de seleção. Nessa área, são ofere- cidos cursos e oficinas que incluem atividades específicas também para o público infantil, como a Oficina Brincarte. No campo da música, os alunos matriculados cursam um semestre introdutório e te- órico e, só depois, fazem a opção pelo instrumento que desejam aprender, como violão, guitarra, bateria, etc. Lançado em 2011 e distribuído gratuitamente, “O Fruto” é o nome do primeiro CD do Núcleo de Música da Cidade do Saber. Todas as atividades estão voltadas a pessoas de todas as idades, de crianças a idosos.

a pessoas de todas as idades, de crianças a idosos. Teatro Cidade do Saber A inauguração
a pessoas de todas as idades, de crianças a idosos. Teatro Cidade do Saber A inauguração
a pessoas de todas as idades, de crianças a idosos. Teatro Cidade do Saber A inauguração
a pessoas de todas as idades, de crianças a idosos. Teatro Cidade do Saber A inauguração

Teatro Cidade do Saber

A inauguração do Teatro Cidade do Saber (TCS), o segundo maior do estado, marcou

definitivamente a cena cultural de Camaçari. O equipamento público destinado a apresen-

tar as manifestações artísticas inaugurou uma nova fase no município. Trouxe espetáculos de grande porte e também contribuiu com a formação e potencialização de grupos locais.

A Cidade do Saber amplificou a voz dos artistas e disseminou o prazer de fazer arte,

mostrando que é possível ajudar a formar um cidadão com arte e através da arte. Com o teatro, a cidade – que já possuía uma casa de menor porte, inativa quando da inauguração do TCS – foi definitivamente inserida nos circuitos regional, estadual e até nacional de exibição de espetáculos cênicos e musicais. Hoje, inúmeros espetáculos são atraídos para o teatro através de parcerias com instituições e festivais, como o Ballace - Festival Nacional de Dança. Com seus 568 lugares, o teatro estreou em Camaçari e, desde então, começou a con- solidar sua plateia. Foi na Cidade do Saber que muitos moradores foram ao teatro pela primeira vez e passaram a ter acesso a obras de maior destaque na produção baiana e nacional. Desde a inauguração, mais de 138 mil pessoas experimentaram o papel de es- pectadores. Aos poucos, essa plateia - de idosos, adultos, jovens e crianças - foi aprendendo a apre- ciar e valorizar a arte cênica. E o teatro virou um verdadeiro ponto de encontro na “cidade dentro da cidade”. Com o passar dos anos, a população está descobrindo que o entretenimento vai muito além do que a indústria de massa oferece, aguçando a sensibilidade e provocando uma mudança de olhar sobre a arte. E essa sensibilidade pode ser comprovada com o público equilibrado para os mais diferentes perfis de atração, da comédia ao drama, da música popular à erudita e das peças com atores famosos às produções locais. Além de levar as comunidades ao teatro, o teatro também vai às comunidades, por meio de atividades de capacitação profissional e de revelação de talento com os projetos Boca de Cena e Palco da Cidade.

de talento com os projetos Boca de Cena e Palco da Cidade. C idade da T

Cidade da Transformação

25

Alguns espetáculos que passaram por aqui.

Teatro

A noviça mais rebelde

A

noviça mais rebelde

Namíbia, não

Namíbia, não

Vixe Maria “Deus e o diabo na Bahia”

Vixe Maria “Deus e o diabo na Bahia”

Esse Glauber

Esse Glauber

1,99

1,99

A Bofetada

A

Bofetada

Rádio Biruta FM

Rádio Biruta FM

O Vôo da Asa Branca

O

Vôo da Asa Branca

Auto da Barca do Inferno

Auto da Barca do Inferno

Ó Paí Ó

Ó

Paí Ó

Renato Piaba em Bastidores do Carnaval

Renato Piaba em Bastidores do Carnaval

A Gema do Ovo da Ema

A

Gema do Ovo da Ema

Decameron

Decameron

O Indignado

O

Indignado

Os Cafajestes

Os Cafajestes

7 Conto

7 Conto

Cabaré da RRRRaça

Cabaré da RRRRaça

Os Mentirosos

Os Mentirosos

Los Catedrásticos

Los Catedrásticos

Teatro local

A Bruxinha que era Boa

A

Bruxinha que era Boa

Emília, a Boneca Tagarela

Emília, a Boneca Tagarela

As Bondosas

As Bondosas

Cowboy Fora da Lei

Cowboy Fora da Lei

Farinha Pouca, Meu Pirão Primeiro

Farinha Pouca, Meu Pirão Primeiro

O Rato

O

Rato

Mansão Veit

Mansão Veit

Musicais

Bamuca in ConcertMeu Pirão Primeiro O Rato Mansão Veit Musicais Concertos da Sinfônica Popular e Orquestra Jovem de

Concertos da Sinfônica Popular e Orquestra Jovem de CamaçariO Rato Mansão Veit Musicais Bamuca in Concert Coral e Sociedade Filarmônica 28 de Setembro Concertos

Coral e Sociedade Filarmônica 28 deda Sinfônica Popular e Orquestra Jovem de Camaçari Setembro Concertos Intinerantes - Neojibá e Osba Orquestra

Setembro

Concertos Intinerantes - Neojibá e Osbade Camaçari Coral e Sociedade Filarmônica 28 de Setembro Orquestra Rumpilezz Arthur Moreira Lima Banda de

Orquestra Rumpilezz28 de Setembro Concertos Intinerantes - Neojibá e Osba Arthur Moreira Lima Banda de Boca Ricky

Arthur Moreira LimaConcertos Intinerantes - Neojibá e Osba Orquestra Rumpilezz Banda de Boca Ricky Vallen Vander Lee Chico

Banda de Boca- Neojibá e Osba Orquestra Rumpilezz Arthur Moreira Lima Ricky Vallen Vander Lee Chico César Vânia

Ricky Vallene Osba Orquestra Rumpilezz Arthur Moreira Lima Banda de Boca Vander Lee Chico César Vânia Abreu

Vander Leee Osba Orquestra Rumpilezz Arthur Moreira Lima Banda de Boca Ricky Vallen Chico César Vânia Abreu

Chico Césare Osba Orquestra Rumpilezz Arthur Moreira Lima Banda de Boca Ricky Vallen Vander Lee Vânia Abreu

Vânia Abreue Osba Orquestra Rumpilezz Arthur Moreira Lima Banda de Boca Ricky Vallen Vander Lee Chico César

Zéu Britoe Osba Orquestra Rumpilezz Arthur Moreira Lima Banda de Boca Ricky Vallen Vander Lee Chico César

Edy Voxe Osba Orquestra Rumpilezz Arthur Moreira Lima Banda de Boca Ricky Vallen Vander Lee Chico César

26 Cidade do saber

PROjETOS dO TEATRO

Para incrementar suas ações, o Teatro Cidade do Saber, através do Núcleo de Produção, idealiza, elabora e inscreve os projetos em editais de cultura e faz captação de recursos e de apoio. Além disso, alguns projetos são desenvolvidos de forma fixa para reforçar e ga- rantir a continuidade do processo de formação de plateia:

rantir a continuidade do processo de formação de plateia: “O projeto da Cidade do Saber faz

“O projeto da Cidade do Saber faz a gente se apaixonar. Temos um

grupo de profissionais que têm o desejo de fazer as coisas acontecerem. Sou muito feliz de estar aqui e ver que o meu trabalho, o meu ofício, está podendo, de alguma forma, ajudar

a cidade a crescer

culturalmente. Para mim,

é meu maior ganho”.

Vadinha Moura

Diretora do Teatro

Máquina do Som (2008)

O projeto teve patrocínio do Governo do Estado, através do Programa Estadual de Incen-

tivo à Cultura, e da Caraíba Metais. Através da Máquina do Som, alunos das redes particular

e pública (municipal e estadual) de Camaçari tiveram oportunidade de apresentar suas apti-

dões no ramo da arte e cultura. De apresentações de música e teatro à leitura de poesias autorais, o programa com for- mato de auditório contribuiu para a revelação de talentos e para o fomento da produção artística nas escolas de Camçari, incluindo unidades de ensino da orla e do município de Dias D’Ávila.

Concertos Itinerantes da Osba e Neojibá (2008 - 2010)

Em parceria com o Teatro Castro Alves, através da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba),

o projeto teve como objetivo contribuir para o acesso da população à música clássica eru-

dita. Além de executar as obras, os regentes, alguns convidados de outros países, discor-

riam acerca da história dos compositores e das circunstâncias sob as quais as obras foram compostas. Foram sete concertos da Osba e cinco da Neojibá. Os ingressos eram vendidos ao preço simbólico de R$1.

Série de Concertos da Orquestra Sinfônica Popular Brasileira

Em 2011 foi criado o grupo Residente no Teatro Cidade do Saber. A Sinfônica Popular conta com 46 instrumentistas que, sob a batuta do maestro Bira Marques, têm como mis-

são aproximar a população da música orquestral, executando peças que reúnem o clássico

e o popular, promovendo o incentivo à formação de plateia.

Teatro de Portas Abertas

Além da formação de plateia, busca estimular e fortalecer o gosto pela arte. É realizado em parceria com produções, espetáculos e artistas que tiveram seus projetos aprovados por leis e editais de incentivo à cultura, com apoios financeiros. Os espetáculos são apresentados gratuitamente para alunos das escolas municipais e estaduais, através de articulação entre o núcleo de produção e direção das escolas e a co- munidade em geral. Após as apresentações, acontece um debate entre o elenco e plateia. Oficinas artísticas também são oferecidas gratuitamente à comunidade.

Ballace

O Festival Nacional de Dança, realizado pela Ballace Produções Artísticas, promove um

grande encontro de grupos de dança do Brasil. Além de mostrar seus trabalhos, os inte- grantes das companhias participam das oficinas informativas e técnicas e mesas de discus- são sobre dança, trazendo para o município profissionais do balé de todo o país. Durante as cinco edições realizadas na Cidade do Saber, houve a descoberta de jovens talentos que provavelmente nunca teriam sido revelados sem esta iniciativa. Entre os re- sultados do festival, destaque para os oito bailarinos da CDS que foram selecionados e recebem bolsa-auxílio para estudar na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, em Joinville (SC).

Palco da Cidade

Uma espécie de show de calouros, com direito a apresentador-comediante. O modelo descontraído adotado foi pensado para promover a desinibição dos candidatos, além de funcionar como atrativo para os mais diversos públicos, divulgando o trabalho artístico lo- cal. O Palco da Cidade é uma ação itinerante e as suas seletivas são realizadas também em comunidades fora da sede de Camaçari. Parte do orçamento do projeto foi financiado através do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, da Secretaria de Cultura do Estado, sendo o restante auferido através de apoio da Secretaria Municipal de Cultura, de parceiros locais e recursos da Cidade do Saber.

Grupo de Teatro Residente da Cidade do Saber/Boca de Cena

Tem como objetivo a implantação da Companhia Residente do Teatro Cidade do Saber,

fomentando a arte e a cultura na cidade de Camaçari, com o estímulo artístico e profissio- nal entre a comunidade local. Na primeira etapa foram realizadas oito oficinas, contemplando áreas técnicas da pro- dução cênica, oferecidas gratuitamente para estimular a geração de mão-de-obra para o mercado artístico da cidade e região. Para enriquecer a proposta, a CDS trouxe personalidades de diversas áreas do teatro baiano para ministrar os cursos. Fernando Guerreiro, Elisa Mendes, Virgínia Da Rin, Irma Vidal, Jarbas Bitencourt, Euro Pires, Aninha Franco e Rino Carvalho compartilham conhe - cimentos com mais de cem camaçarienses inscritos nas oficinas de direção, interpretação, produção, iluminação, direção musical, cenografia, dramaturgia, figurino e maquiagem.

O projeto Boca de Cena teve sua primeira etapa patrocinada pela RIP Serviços Indus-

triais, através da Lei Rouanet.

Cidade da Transformação

27

Alguns espetáculos que passaram por aqui.

dança

Cia Jovem do Balé Bolshoi2 7 Alguns espetáculos que passaram por aqui. dança Espetáculo: Ballet de Londrina Ballace (seis edições)

Espetáculo: Ballet de Londrinaque passaram por aqui. dança Cia Jovem do Balé Bolshoi Ballace (seis edições) O Carvalho Enquanto

Ballace (seis edições)Cia Jovem do Balé Bolshoi Espetáculo: Ballet de Londrina O Carvalho Enquanto seu lobo não vem

O CarvalhoEspetáculo: Ballet de Londrina Ballace (seis edições) Enquanto seu lobo não vem Alaketu Balé TCA Dados

Enquanto seu lobo não vemBallet de Londrina Ballace (seis edições) O Carvalho Alaketu Balé TCA Dados do teatro de 2007

Alaketu(seis edições) O Carvalho Enquanto seu lobo não vem Balé TCA Dados do teatro de 2007

Balé TCAedições) O Carvalho Enquanto seu lobo não vem Alaketu Dados do teatro de 2007 a 2012

Dados do teatro de 2007 a 2012

340

Total de espetáculos

107

Total de espetáculos e eventos de Camaçari (Produtores local)

439

Total de apresentações

99.375

Total de público dos espetáculos

595

Total de eventos

122.946

Público total dos eventos

28 Cidade do saber

“A maior conquista

é a autoestima. As

crianças e adolescentes que saem daqui saem

diferentes, com um algo mais. Temos relatos de pais que contam como o comportamento do jovem muda. Essa transformação interna

é o maior benefício

conseguido pela Cidade

do Saber. Alguns

eram marginalizados

e hoje são campeões.

Trabalhamos muito para que eles consigam

levar esses valores para

a casa, para a escola, para a vida”.

Júlio César Pinheiro

Coordenador do Núcleo de Esportes

2 Esporte e Lazer

Escolinhas de iniciação esportiva, desenvolvimento de talentos e promoção da saúde. As atividades complementam-se e proporcionam socialização, inclusão e melhoria da qua- lidade de vida para crianças, jovens, adultos e pessoas da terceira idade, além de revelar jovens talentos. Como estratégia de inclusão e socialização, o projeto utiliza o conhecimento construído através dos esportes e os jovens são convidados a participar da iniciação esportiva nas es- colinhas. O movimento, a história de cada modalidade, as regras e a estrutura do esporte despertam o interesse dos alunos e são utilizados como elementos mediadores do proces- so educativo. Com o trabalho, as vocações naturais são despertadas, os talentos são lapidados e sur- gem os jovens atletas. Não é por acaso que Camaçari já figura nos cenários estadual e nacional como um celeiro de talentos, com medalhistas em todas as modalidades, embora não seja este o objetivo primordial do projeto. Quando tudo começou, os esportes mais procurados eram futebol e futsal, que já es-

tavam incorporados à cultura da cidade. No entanto, com a oferta de novas atividades até então pouco praticadas na cidade, a maior demanda agora fica por conta das aulas de Gi- nástica Rítimica, com 800 alunos inscritos, e Karatê, com cerca de 700 crianças e adolescen- tes atendidos. Além disso, há turmas de xadrez, boxe, capoeira, vôlei, basquete, handebol e natação infantil. Para desenvolver as atividades, a Cidade do Saber dispõe de um Ginásio de Esportes que abriga as aulas das escolinhas, treinamentos e competições e torneios de pequeno, médio e grande portes.

A estrutura conta com uma quadra - com dimensões oficiais e arquibancada para 700

pessoas - equipada com piso especial amortecedor, que reduz o impacto no momento dos treinos.

A piscina tem dimensões semiolímpicas e é utilizada de 6h às 22h, de terça a sexta-feira.

Além de abrigar as atividades das escolinhas, também é destinada à promoção da saúde, sendo utilizada por praticantes de hidroginástica e natação, muitas vezes encaminhados por recomendação médica.

O trabalho na área de esporte é dividido em três etapas:

Escolinha

Através do lazer produtivo, é voltada à inclusão social de crianças de 6 a 16 anos que dispõem de 11 modalidades.

Talentos

Dentro do trabalho da escolinha, técnicos identificam os jovens que se diferenciam na modalidade. A partir daí, os alunos são trabalhados de maneira individualizada, numa espécie de lapidação do talento, sendo treinados para as competições.

Promoção da saúde

A partir dos 17 anos, o objetivo é proporcionar maior qualidade de vida. Nesse grupo também estão incluídos idosos, pessoas com algum comprometimento físico ou portadoras de problema crônico de saúde.

Cidade da Transformação

29

Aula pública

De olho na promoção da saúde da população, a Cidade do Saber oferece aulas de ginástica às segundas, quartas e sextas-feiras, às 6h. As aulas são abertas à comunidade e os interessados não precisam estar matriculados em atividades regulares. A ação foi motivada pela grande quantidade de pessoas que utilizavam as áreas livres do complexo para praticar exercícios físicos (corridas e caminhadas).

de pessoas que utilizavam as áreas livres do complexo para praticar exercícios físicos (corridas e caminhadas).

30 Cidade do saber

ATIVIdAdES

A partir dos 5 anos e até a idade em que houver disposição. Essa é a faixa etária atendida pela Cidade do Saber, que contempla atividades de artes cênicas, artes visuais, esporte, idiomas, música, promoção da saúde ou simplesmente lazer. Conheça nossas atividades:

ARTES CêNICAS

Balé (8 a 11 anos)

Dança de salão (a partir de 15 anos)

Dança moderna (15 a 35 anos)

Teatro - criança (9 a 12 anos)

Teatro - adolescente (12 a 18 anos)

Teatro - adulto (a partir de 19 anos)

Oficina de Dança livre

(a partir de 13 anos)

Oficina de Forró

(a partir de 15 anos)

Oficina de Zouk (17 a 35 anos)

Oficina de Tango

(a partir de 16 anos)

Oficina de Salsa

(a partir de 15 anos)

Oficina de Jazz

(a partir de 13 anos)

ARTES VISuAIS

Escultura (a partir de 17 anos)

Desenho (a partir de 17 anos)

Pintura (a partir de 17 anos)

Artesanato 1 e 2 (a partir de 15 anos)

Artesanato em recicláveis

(a partir de 18 anos)

Brincarte (7 a 14 anos)

Cenário e adereços

(a partir de 18 anos)

Desenho artístico 1

(a partir de 15 anos)

Desenho infantil (8 a 14 anos)

HQ, Comics e Mangá (15 a 18 anos)

Modelagem em machê

(a partir de 15 anos)

Pintura (a partir de 18 anos)

Pintura em tecido (a partir de 18 anos)

Oficina de Dança clássica para adultos (a partir de 16 anos)

Oficina de máscaras teatrais

(a partir de 16 anos)

Oficina de teatro com bonecos

(a partir de 16 anos)

PROMOçãO dA SAúdE

Hidroginástica (a partir de 17 anos)

Natação - adolescente (9 a 18 anos)

Natação - adulto (a partir de 19 anos)

Oficina Brincarte (8 a 12 anos)

Oficina de Patchwork

(a partir de 15 anos)

Oficina de pintura em tecido e estamparia (a partir de 15 anos)

Oficina de história em

quadrinhos, Comics e Mangá

(a partir de 14 anos)

Arte em recicláveis

(a partir de 15 anos)

Curso de desenho e pintura para crianças (8 a 13 anos)

Curso de desenho para adolescentes e adultos (a partir de 14 anos)

LAzER

Brinquedoteca (5 a 12 anos)

Gibiteca (5 a 12 anos)

ESPORTES

Basquete (8 a 16 anos)

Boxe (a partir de 6 anos)

Capoeira (6 a 16 anos)

Futebol de campo (6 a 16 anos)

Futsal (6 a 16 anos)

Ginástica Rítmica (6 a 16 anos)

Handebol (6 a 16 anos)

Karatê (6 a 16 anos)

Vôlei (8 a 16 anos)

Xadrez (6 a 16 anos)

MúSICA

Musicalização (a partir de 12 anos)

Canto - coral (a partir de 19 anos)

Bateria (a partir de 12 anos)

Contra baixo (a partir de 12 anos)

Guitarra (a partir de 12 anos)

Percussão (a partir de 12 anos)

Teclado (a partir de 12 anos)

Violão (a partir de 12 anos)

IdIOMAS

Inglês (15 a 24 anos)

Espanhol (15 a 24 anos)

3

Projeto Pedagógico

Formação de indivíduos através da arte e do esporte dentro de uma perspectiva socio-

cultural. Essa é a proposta central da metodologia adotada em todos os projetos pedagó- gicos da Cidade do Saber.

A linha de ação considera como aspectos inerentes à construção do sujeito o fortale-

cimento e reconhecimento da sua identidade, fomentando a autoestima; a preparação e

estímulo à convivência humana democrática e ao respeito à diversidade; e educação para

a cidadania, considerando como fatores estruturais a conscientização sobre a liberdade e interdependência; a tolerância e o respeito mútuo; a iniciativa e a cooperação.

A proposta pedagógica tem o diferencial de considerar parte essencial do processo de

aprendizado não apenas os aspectos técnicos, mas também o desenvolvimento das habili-

dades sociais necessárias à adaptação ativa, ao êxito social e à construção e ampliação da consciência de que todo sujeito é um ser social, imbuído de direitos e deveres.

A Cidade do Saber “entende” o processo de educar como uma unidade que envolve o

físico, biológico, psíquico, cultural, social e histórico. A partir daí, os projetos pedagógicos

são elaborados considerando que o processo de inclusão social, que é a sua função maior,

é estruturado principalmente pelo conhecimento, reconhecimento e fortalecimento dos

potenciais humanos. Os projetos das diversas modalidades são construídos para documentar e sistematizar os processos de ensino, fazendo com que todas as ações sejam desenvolvidas e reaplica- das de maneira uniforme no que diz respeito a conteúdo técnico, metodologia de ensino e objetivos pretendidos. Sistematicamente, a CDS promove ações de desenvolvimento profissional e pessoal dos recursos humanos para fortalecer o fazer pedagógico, garantindo a formação de compe- tências para responder aos desafios inerentes ao processo de educação para a cidadania, preparando crianças e jovens para a convivência humana.

Cidade da Transformação

31

32 Cidade do saber

desenvolvimento Pessoal e Social (dPS)

O programa de Desenvolvimento Pessoal e Social (DPS) busca cuidar do ser, nos seus

aspectos pessoais e sociais.

O programa trabalha aspectos ligados à formação e à relação do indivíduo com o outro

e com o mundo. É a parte vivencial da proposta, dentro de um conteúdo trabalhado em prol do desenvolvimento humano. Procura responder a questões e proposições, como:“Quem sou eu”, “Eu e os Outros”, “Eu vivo em grupo”, “Cooperar ou competir?”,”Como eu quero ser no futuro”, entre outros. Nesse contexto, foi iniciado um trabalho piloto e direcionado ao atendimento das de - mandas de cada turma. Noventa e sete educadores foram capacitados para desenvolver o piloto, orientados e supervisionados pela CDS e por uma consultoria externa. Os resultados foram positivos, com grande engajamento dos educadores nas atividades vivenciais.

jornada do Saber

Momento de encontro entre todos os educadores das diversas modalidades, a capaci- tação dos docentes acontece durante a Jornada do Saber. A atividade tem duas etapas: no início de cada ano e na retomada das atividades, no segundo semestre. Sempre baseada numa temática, a capacitação trabalha com questões pedagógicas para homogeneizar a atuação pedagógica e avançar na capacitação do capital humano.

Cidade da Transformação

33

para homogeneizar a atuação pedagógica e avançar na capacitação do capital humano. C idade da T
para homogeneizar a atuação pedagógica e avançar na capacitação do capital humano. C idade da T

Projetos Especiais

4

Cidade da Transformação

37

C idade da T ransformação 3 7 Educação Musical e Orquestra O objetivo da iniciativa, implantada
C idade da T ransformação 3 7 Educação Musical e Orquestra O objetivo da iniciativa, implantada
C idade da T ransformação 3 7 Educação Musical e Orquestra O objetivo da iniciativa, implantada
Educação Musical e Orquestra
Educação Musical e Orquestra

O objetivo da iniciativa, implantada em 2011, foi criar uma orquestra sinfônica em que

os músicos também fossem professores de crianças e adolescentes do município. Quinze escolas da rede pública do município - chamadas de polos musicais - participam do projeto da Secretaria Municipal da Educação, executado pela Cidade do Saber. Duas vezes por semana alunos do ensino fundamental têm aulas de teoria, canto e coral, além de aulas com instrumentos de orquestra. A meta é expandir o projeto para jovens acima de 16 anos. Atendendo à legislação brasileira, que torna obrigatório o ensino de música nas escolas

públicas, o projeto busca trabalhar a sensibilidade, a concentração e a expansão mental, facilitando o aprendizado e desenvolvendo valores que ajudam na formação da cidadania.

A Orquestra Sinfônica Popular Brasileira, a primeira sinfônica a representar um municí-

pio no estado da Bahia, reúne 46 músicos e mantém um diálogo direto com a população através do repertório de música pop e MPB, com uma orquestração de caráter sinfônico. As apresentações normalmente contam com o teatro lotado, o que é creditado à iden-

tificação do público com o repertório. A orquestra une arranjos orquestrais a obras de artistas populares, o que garante a aproximação com a plateia.

O primeiro concerto foi para uma plateia de educadores convidados. O segundo, aberto

ao público, contou com a participação do cantor e compositor Gerônimo. Sucesso de público, outras apresentações contaram com participações especiais como Carol Assemany e Paulo Carrilho, talentos que representam a arte de Camaçari, além de Matheus Aleluia, Netinho e Saulo Fernandes.

ESTREIA EM GRANdE ESTILO

Um ano depois da implantação da Sinfônica Popular, foi possível dar um passo ainda mais largo. No dia 3 de outubro de 2012 foi realizado o I Concerto da Orquestra Sinfônica Jovem e do Coral Infanto-Juvenil de Camaçari, no Teatro Cidade do Saber, com entrada franca. Após muitos ensaios com os músicos da orquestra, que também são professores do Projeto de Iniciação Musical, os educandos viveram a magia do primeiro espetáculo sinfô- nico de suas vidas. Cerca de 100 estudantes camaçarienses, integrantes das unidades de ensino contempladas com o projeto, executaram peças musicais em conjunto ou individu- almente, harmonizando os sons dos diferentes instrumentos que aprenderam a tocar – nos naipes de cordas, madeiras, metais e percussão.

O concerto contou com a apresentação do coral infanto-juvenil formado por cerca de

80 alunos e com a participação especial da Orquestra Sinfônica Popular Brasileira, cujos integrantes são educadores dos músicos mirins.

“Vejo em cada olhar da plateia não só a novidade, mas aquela música que entra, aquela música É como se você estivesse dentro de um sonho! A recepção do público é maravilhosa. O pop é o tema, porém a música é sinfônica”.

Bira Marques Maestro da Orquestra Sinfônica Popular Brasileira
Bira Marques Maestro da Orquestra Sinfônica Popular Brasileira

Bira Marques

Maestro da Orquestra Sinfônica Popular Brasileira

Bira Marques Maestro da Orquestra Sinfônica Popular Brasileira

Cidade da Transformação

39

C idade da T ransformação 3 9 Memorial A ideia de implantação do Memorial do Polo
C idade da T ransformação 3 9 Memorial A ideia de implantação do Memorial do Polo
C idade da T ransformação 3 9 Memorial A ideia de implantação do Memorial do Polo
Memorial
Memorial

A ideia de implantação do Memorial do Polo em Camaçari foi concretizada em julho

de 2008, no planejamento das comemorações pelos 30 anos do complexo industrial. O

espaço surgia da necessidade de se criar uma alternativa de comunicação e aproxima- ção entre o Polo e as comunidades vizinhas. Neste contexto, a parceria do Comitê de Fomento Industrial de Camaçari com a Ci- dade do Saber tornou-se fundamental para a implantação do projeto, uma vez que a organização tem bem definidos propósitos educacionais e de inclusão social.

O espaço é um centro de referência e informações sobre o passado, o presente e o

futuro do Polo de Camaçari, que evidencia os benefícios socioeconômicos proporciona- dos por suas empresas, através da geração de emprego, renda e de produtos e serviços. Uma das propostas do Memorial é ampliar o acesso das comunidades a essas infor- mações, o que se dá através de painéis, vídeos, jogos e recursos interativos, que ajudam a estabelecer uma comunicação clara e objetiva com os visitantes. As visitas podem ser feitas diariamente, mediante agendamento.

visitas podem ser feitas diariamente, mediante agendamento. “A Cidade do Saber tem um valor inestimável para
visitas podem ser feitas diariamente, mediante agendamento. “A Cidade do Saber tem um valor inestimável para
visitas podem ser feitas diariamente, mediante agendamento. “A Cidade do Saber tem um valor inestimável para

“A Cidade do Saber tem um valor inestimável para Camaçari e comunidades próximas, o que transcende a funcionalidade e eficácia dos equipamentos que dispõe, por se tratar de um espaço permanente de educação e inclusão social, de um centro difusor de conhecimento, cultura, esporte e lazer”.

Érico Oliveira

Superintendente de Desenvolvimento e Comunicação do Cofic, parceiro da Cidade do Saber no Memorial do Polo.

Cidade da Transformação

41

C idade da T ransformação 4 1 Ponto Móvel Apesar de oferecer todas as atividades num
C idade da T ransformação 4 1 Ponto Móvel Apesar de oferecer todas as atividades num
C idade da T ransformação 4 1 Ponto Móvel Apesar de oferecer todas as atividades num
Ponto Móvel
Ponto Móvel

Apesar de oferecer todas as atividades num equipamento multifuncional que ocupa uma área de 22 mil m 2 na sede de Camaçari, a Cidade do Saber também atua de forma des- centralizada, indo ao encontro das famílias que vivem fora do centro. E é o projeto Ponto Móvel que permite à CDS chegar a cada cantinho de Camaçari. A cada dia da semana e em ciclos de três meses, há sempre uma comunidade sendo visitada e seus moradores são convidados a conhecer e participarem dos projetos pedagó- gicos e culturais, que estimulam a construção da cidadania. Estão entre as comunidades visitadas Barra do Pojuca, Monte Gordo, Barra do Jacuí- pe, Jauá, Arembepe, Areias, Pé de Areias, Parque das Mangabas, Machadinho, Parafuso, Cordoaria, Senhor dos Passos, Catu de Abrantes, Gleba H, Cristo Redentor, Fonte da Caixa, Coqueiro de Arembepe, Jardim Limoeiro e Cajazeiras de Abrantes. No Ponto Móvel, que utiliza a estrutura de um caminhão-baú adaptado, além das se- des de associações de moradores, as atividades socioculturais da Cidade do Saber ganham outro formato e também atendem às demandas locais através do diagnóstico feito na che- gada. Diferentes modalidades de cada área de atuação são levadas às comunidades. Na área do esporte, por exemplo, são oferecidos futebol e futsal. Entre as atividades culturais estão as aulas de percussão, musicalização, música, dança e artes plásticas, além de um trabalho que incentiva a leitura através das oficinas literárias.

que incentiva a leitura através das oficinas literárias. “A importância do Ponto Móvel está em levar
que incentiva a leitura através das oficinas literárias. “A importância do Ponto Móvel está em levar

“A importância do Ponto Móvel está em levar para as comunidades menos favorecidas e de difícil acesso a possibilidade de ter contato com a leitura, informática, lazer e cultura, contribuindo para o desenvolvimento do entorno do nosso projeto, visando ao desenvolvimento social, educacional e cultural da comunidade ao qual estaremos inseridos no futuro”.

projeto, visando ao desenvolvimento social, educacional e cultural da comunidade ao qual estaremos inseridos no futuro”.

Anunciada de Moraes

Diretora de Recursos Humanos da Sol Meliá Hotels International, rede parceira da Cidade do Saber no Ponto Móvel.

Cidade da Transformação

43

C idade da T ransformação 4 3 Museu Um ano após o início das atividades, o
C idade da T ransformação 4 3 Museu Um ano após o início das atividades, o
C idade da T ransformação 4 3 Museu Um ano após o início das atividades, o
Museu
Museu

Um ano após o início das atividades, o Museu de Ciência e Tecnologia UNICA – Universo da Criança e do Adolescente, localizado na Cidade do Saber, trouxe para seus visitantes mais uma novidade: o Espaço de Química. O novo ambiente é resultado de uma parceria com o Instituto de Química da Universidade Federal da Bahia (Ufba). No espaço, é possível conhecer a Mostra de Cheiros e Sabores e participar de experi- mentos que aproximam a Química do cotidiano. O jogo “Que cheiro é este?” oferece aos alunos o contato com diversos aromas, despertando o interesse para conhecer as carac- terísticas do material, o constituinte químico e a estrutura que dão origem ao cheiro. De forma lúdica, interativa e divertida, visitantes também têm acesso a filmes e jogos relacio- nados à Química.

Sobre o uNICA

Dividido em quatro partes (química, eletricidade e magnetismo, óptica e ondas, mecâ- nica e energia), o UNICA funciona como um laboratório para os estudantes, com ênfase na

Física. O museu funcionava em Salvador, na ONG Organização do Auxílio Fraterno (OAF), e seu acervo foi adquirido pela Cidade do Saber.

O museu ocupa uma área de 300 m 2 que abriga cerca de 40 diferentes experimentos

de eletricidade e magnetismo, óptica e ondas, mecânica e energia e mais de 50 jogos ma- temáticos, quadros de ilusão de óptica e experimentos da Química. As visitas são guiadas

por mediadores e educadores que ajudam a descomplicar a ciência aprendida em sala de aula, permitindo sua experimentação pelos alunos, estimulando a curiosidade e a prática da pesquisa. Continua sendo, na Bahia, o único espaço em que os segredos da ciência são

desvendados de forma interativa e atrativa, com foco no público infanto-juvenil, direciona- do para a promoção e democratização do acesso à cultura científica.

É dirigido a estudantes do ensino fundamental ao nível superior, que experimentam

uma nova forma de aprender. A proposta é transmitir conhecimento de forma lúdica desde

a chegada, quando o visitante já é recebido por um grupo de teatro, com encenação volta- da ao conhecimento científico. Além de ser um espaço aberto para visitação, o UNICA tem beneficiado milhares de jo-

vens e adolescentes da rede pública municipal através do programa de Iniciação Científica da Secretaria de Educação, em parceria com a Cidade do Saber. Mais de oito mil crianças

e adolescentes já visitaram o museu, gerido pela Cidade do Saber com o patrocínio da Braskem. Ao final do expediente de cada turno, o museu é aberto à comunidade de Camaçari, que também pode participar dos experimentos, das 11h às 12h e das 16h às 17h.

“A Cidade do Saber tem um papel fundamental para Camaçari, pois permite a formação de crianças, jovens e adultos em diversas modalidades artísticas e esportivas, além de oferecer uma programação cultural e científica importante. Por isso, a Braskem é uma das empresas parceiras desse projeto significativo e de impacto positivo para a sociedade”

significativo e de impacto positivo para a sociedade” Emmanuel Lacerda Relações Institucionais da Braskem na

Emmanuel Lacerda

Relações Institucionais da Braskem na Bahia, empresa parceira da Cidade do Saber no Museu Unica.

44 Cidade do saber

Algumas atrações do Museu

Eletromagnetismo

do s aber Algumas atrações do Museu Eletromagnetismo Teste dos Nervos Mostra o princípio do eletromagnetismo

Teste dos Nervos Mostra o princípio do eletromagnetismo a partir de um circuito simples formado por um fio condutor de cobre retorcido por onde passa um anel de metal conectado a um fio maleável protegido por uma capa isolante.

Óptica e Ondas

maleável protegido por uma capa isolante. Óptica e Ondas Parabólicas Mostra o princípio da propagação das
maleável protegido por uma capa isolante. Óptica e Ondas Parabólicas Mostra o princípio da propagação das

Parabólicas Mostra o princípio da propagação das ondas sonoras (mecânicas), a partir de duas antenas parabólicas.

janela de Vidros e Espelhos Uma janela com espelhos e vidros distribuídos de forma aleatória é capaz de demonstrar os conceitos de reflexão, refração, absorção e difração da luz.

Mecânica e Energia

absorção e difração da luz. Mecânica e Energia Bicicleta Eólica Mostra a transformação da energia

Bicicleta Eólica Mostra a transformação da energia mecânica em energia eólica (energia mecânica atrelada à cinética do ar atmosférico), os conceitos de força, movimento e velocidade, na transformação da energia mecânica.

e velocidade, na transformação da energia mecânica. Girotec Simula a ausência da força de gravidade devido
e velocidade, na transformação da energia mecânica. Girotec Simula a ausência da força de gravidade devido

Girotec Simula a ausência da força de gravidade devido aos eixos dos anéis, que permitem giros em todas as direções. O segredo para o equilíbrio está no centro de massa do corpo, ponto de concentração da massa.

Cadeira Giratória Mostra o princípio da conversão da energia e do momento angular, a partir de conceitos como velocidade e inércia.

Química

a partir de conceitos como velocidade e inércia. Química Mostra dos Cheiros e Sabores De forma

Mostra dos Cheiros e Sabores De forma lúdica e interativa, aproxima a Química das experiências do cotidiano.

jogo “Que cheiro é esse?” Oferece aos alunos o contato com diversos aromas, despertando o interesse para conhecer as características do material, o constituinte químico e a estrutura que dão origem ao cheiro.

Cidade da Transformação

45

SCFV
SCFV

Como parte da sua política de descentralização, que significa uma forma de atuar dife- rente e num espaço fora da sede e mais próximo da comunidade, durante três anos a Cida- de do Saber executou o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo Familiar (SCFV), que surgiu a partir do antigo Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), do governo federal, através de um contrato com a Secretaria de Desenvolvimento Social de Camaçari. O convênio foi firmado em 2009, com 14 unidades na sede, orla e zona rural, e 1.200 crianças e adolescentes contemplados, entre 6 e 15 anos. No último ano de execução, em 2011, de acordo com a reformulação do projeto, a Cidade do Saber passou a concentrar sua atuação em sete pontos da orla, com 350 crianças atendidas. Através do SCFV, as atividades e projetos eram levados às localidades da orla de Cama- çari para ampliar trocas culturais e de vivência, desenvolver o sentimento de pertencimen- to e de identidade, fortalecer vínculos familiares, incentivar a socialização e a convivência comunitária. Capoeira, dança, artesanato, karatê, boxe e percussão estavam entre as prin- cipais atividades socioeducativas.

Capoeira, dança, artesanato, karatê, boxe e percussão estavam entre as prin - cipais atividades socioeducativas.
Responsabilidade Compartilhada 5

Responsabilidade

Compartilhada

5

Cidade da Transformação

49

C idade da T ransformação 4 9 ara potencializar as atividades, métodos e projetos, cumprindo sua
C idade da T ransformação 4 9 ara potencializar as atividades, métodos e projetos, cumprindo sua

ara potencializar as atividades, métodos e projetos, cumprindo sua missão de democratizar o acesso a bens culturais, esportivos e educacionais, a Cidade do Saber - mantida pela Prefeitura Municipal de Camaçari - também estabelece parcerias com em- presas e instituições privadas com práticas voltadas à responsabilidade sociocultural.

Desde a sua criação, a relação da CDS com as instituições foi ampliada e fortalecida. En- tre os parceiros técnicos estão a Ebateca e as escolas de idiomas Centro Norte Americano (CNA) e Fisk (a partir do 2 o semestre de 2012).

A rede Sol Meliá Hotels & Resorts, o Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic),

Braskem, Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e Petrobras estão entre os patrocinado-

res de projetos da Cidade do Saber.

EBATECA
EBATECA

Parceiros técnicos

Com 50 anos de atuação, a Ebateca – primeira escola de balé do Norte/Nordeste do

país – é parceira no curso de balé, implantado após pesquisa de interesse feita nas escolas públicas de Camaçari. Logo no primeiro momento, três mil candidatos inscreveram-se para preencher as 200 primeiras vagas oferecidas. Além de possibilitar aos educandos o aprendizado através do método de uma das esco- las mais tradicionais da Bahia, a Cidade do Saber fornece gratuitamente todo o uniforme padrão dos alunos da escola, desde a rede de cabelo para as meninas à sapatilha que per- mite a execução de cada passo aprendido.

A concentração e a disciplina necessárias ao bom desempenho do balé imprimem dedi-

cação e seriedade. Com esses ingredientes básicos, as crianças apaixonam-se pela arte e se deixam envolver pela dança e pela música clássica. Novos hábitos e rotina geram mudanças que se refletem em casa e na própria vida escolar, aguçando a sensibilidade e contribuindo

para a formação de cidadãos mais conscientes, antes mesmo - e independentemente - de transformá-los em bailarinos.

Número de atendimentos do balé 2007 300 2008 258 2009 342 2010 2011 273 2012
Número de
atendimentos
do balé
2007
300
2008
258
2009
342
2010
2011
273
2012
317

344

“A Ebateca apoia a

Cidade do Saber porque tem a dança na alma;

e

descobrir talentos

e

oportunizar o seu

desenvolvimento são as nossas maiores metas! Encontrar parceiros

como a Cidade do Saber

e pessoas de visão como

Ana Lúcia Silveira, que comunga do nosso ideal, potencializa os interesses

e o desenvolvimento da

comunidade em geral”.

potencializa os interesses e o desenvolvimento da comunidade em geral”. AnnaCristinaGonçalves Diretora do Grupo Ebateca

AnnaCristinaGonçalves

Diretora do Grupo Ebateca

50 Cidade do saber

Não por acaso, os resultados do investimento no balé clássico levaram à seleção de oito crianças da Cidade do Saber para estudar na tradicional Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, em Joinville (SC). Mais uma vez, o sonho torna-se realidade na vida dos jovens e das famílias que vivem na casa mantida pelo projeto, no Sul do Brasil. É mais um viés da Cidade do Saber, que promove igualdade de oportunidades e revela talentos, abrindo um novo horizonte para os jovens de Camaçari, que se preparam para novos e constantes desafios dentro e fora do país.

FISk
FISk

Com mais de 50 anos dedicando-se ao ensino de idiomas, a Fisk tornou-se parceira da Cidade do Saber em 2012. O centro de ensino oferece cursos de idiomas para instru- mentalizar e capacitar o cidadão camaçariense, facilitando sua inserção e manutenção no mercado de trabalho. Nos cursos gratuitos e com dois anos de duração são oferecidos aos

alunos quatro semestres (básico 1 e 2 e intermediário 1 e 2) de Inglês e Espanhol. Estão sob

a responsabilidade da escola o projeto pedagógico e treinamento dos docentes.

Após os níveis básico e intermediário, os alunos que desejarem seguir estudando con- tam com vantagens oferecidas aos egressos da CDS. Além disso, a escola também concede bolsa de estudos integral para o concluinte que, comprovadamente de acordo com critérios do franqueado, não tenha condições de custear a continuidade do curso. Ao aluno também

é dada a oportunidade de tornar-se um educador do núcleo, de acordo com o surgimento

de vaga. Para isso, o candidato a professor passa por um treinamento específico. De 2007 a 2011, os cursos de idiomas da Cidade do Saber eram oferecidos a partir de convênio com o Centro Norte Americano (CNA).

“Os alunos que têm uma segunda língua, principalmente o inglês, multiplicam as chances de ingressar no mercado de trabalho. Já podemos notar alguns resultados. Muitos alunos, que não tinham condições financeiras para investir em um curso de idiomas, conseguiram empregos em Camaçari graças à formação promovida por nossa parceria”

Jorge Prata (in memoriam)*

Ex-coordenador do CNA

* Jorge Prata faleceu durante a elaboração deste livro em homenagem à Cidade do Saber. Registranos aqui os nossos sinceros agradecimentos pela dedicação e parceria mantidas em prol da formação dos nossos alunos.

e parceria mantidas em prol da formação dos nossos alunos. SOL MELIá Parceiros C idade da
SOL MELIá
SOL MELIá

Parceiros

Cidade da Transformação

51

A rede espanhola Sol Meliá Hotels & Resorts é parceira da Cidade do Saber no Projeto

Ponto Móvel. A escolha foi feita quando a rede recebeu uma verba para ser investida em um projeto voltado para educação e cultura e que estivesse no entorno da futura área de atuação da rede hoteleira. Após inúmeras entidades avaliadas, a Cidade do Saber foi escolhida pelo grupo, que doou recursos para aquisição do caminhão-baú do Ponto Móvel, responsável por levar as atividades a comunidades fora da sede de Camaçari.

BRASkEM E uFBA
BRASkEM E uFBA

Parceira em outras iniciativas da CDS, a Braskem reafirmou seu apoio ao projeto quan- do o Museu do Universo da Criança e do Adolescente (UNICA) foi instalado no comple - xo. O objetivo da empresa foi colaborar com o estímulo à criatividade e com o interesse

do público infanto-juvenil nas disciplinas relacionadas às ciências, de forma a despertar a curiosidade, incentivar a investigação e demonstrar a existência dos fenômenos científicos na vida prática.

O UNICA é um dos exemplos de sucesso dessa parceria entre a Braskem, a Cidade do

Saber e a Prefeitura Municipal de Camaçari. Em 2012, a parceria foi ampliada com o apoio do Instituto de Química da Universidade Federal da Bahia (Ufba) na implantação do Espaço

de Química. COFIC
de Química.
COFIC

No Memorial do Polo Petroquímico, a Cidade do Saber é parceira do Comitê de Fomen- to Industrial de Camaçari (Cofic), que idealizou e financiou a implantação do projeto. O Me- morial do Polo, inaugurado em 2008, é um centro permanente de referência e informações sobre o Polo Industrial.

Centro de Eventos 6

Centro de Eventos

6

C idade da T ransformação amaçari dispõe de um dos mais completos centros de eventos

Cidade da Transformação

C idade da T ransformação amaçari dispõe de um dos mais completos centros de eventos da

amaçari dispõe de um dos mais completos centros de eventos

da Região Metropolitana de Salvador. E esse centro, no coração do município, faz parte da estrutura da Cidade do Saber.

A localização privilegiada do Centro de Eventos, perto do Polo de Camaçari e a 40km do

Aeroporto Internacional de Salvador, é um diferencial importante para as mais de três mil empresas do complexo industrial, que podem utilizar os espaços para cursos, treinamen- tos, workshops, seminários, entre outros. Desde 2007, mais de 210 mil pessoas já passa- ram pelo centro, numa média de 40 mil por ano.

A estrutura reúne quatro auditórios totalmente equipados, sala de reunião, o segundo

maior teatro da Bahia e foyer. Toda a receita arrecadada através da locação dos espaços é revertida para o principal foco de atuação da Cidade do Saber: a inclusão social, a partir da arte, cultura, esporte, educação e promoção da cidadania entre crianças, jovens, adultos e idosos.

Principais

Clientes

Prefeitura Municipal de Camaçari, Universidade Aberta, Odebrecht, Braskem, Natura, Avon, Fortlev, O Boticário, MCE Engenharia, Clínica Santa Helena, Agepom - escola de preparação para ingresso militar, Cosmo Brasil, Coelba, Concessionária Bahia Norte.

militar, Cosmo Brasil, Coelba, Concessionária Bahia Norte. TEATRO Com 568 lugares, também dispõe de cadeiras
militar, Cosmo Brasil, Coelba, Concessionária Bahia Norte. TEATRO Com 568 lugares, também dispõe de cadeiras

TEATRO

Com 568 lugares,

também dispõe de cadeiras especiais para pessoas com obesidade

e área para cadeirantes.

É o segundo maior teatro

da Bahia em capacidade.

FOyER

Com capacidade para receber 600 pessoas durante exposições ou

lançamento de produtos,

o espaço é climatizado e dispõe de bar-café.

produtos, o espaço é climatizado e dispõe de bar-café. CAMARINS Quatro camarins estão disponíveis para dar
produtos, o espaço é climatizado e dispõe de bar-café. CAMARINS Quatro camarins estão disponíveis para dar

CAMARINS

Quatro camarins estão

disponíveis para dar suporte aos artistas que utilizam o teatro. São dois para duas pessoas

e outros dois para dez pessoas.

AudITÓRIOS

Espaços climatizados

e equipados com data

show, microfones, telão, caixa amplificada, quadro branco, flipchart.

Auditório 1: 150 pessoas Auditórios 2 e 3: 80 pessoas Auditório 4: 130 pessoas Sala de reunião: 15 pessoas

55

7 Histórias de Sucesso

7

Histórias de Sucesso

epois que a Cidade do Saber chegou a Camaçari, muita coisa já mudou na vida
epois que a Cidade do Saber chegou a Camaçari, muita coisa já mudou na vida

epois que a Cidade do Saber chegou a Camaçari, muita coisa já mudou na vida de milhares de crianças, jovens, adultos e idosos que passaram a fazer

parte desse mundo de saberes, cultura, entretenimento, esporte e lazer. Apesar de ainda estar na primeira infância, a Cidade do Saber já é responsável pela for- mação e transformação de milhares de cidadãos.

A mudança não está ligada apenas aos talentos revelados - estes são, de fato, uma grata

consequência dos investimentos no ser humano -, mas a todas as pessoas que já percebem uma transformação da sua própria realidade a partir dos instrumentos oferecidos por este celeiro do conhecimento. Há que se fazer uma referência especial à interferência da Cidade do Saber na vida das mulheres (e meninas) de Camaçari, sobretudo no resgate da autoestima. Através dos contornos da dança, em particular, as meninas e mulheres passaram a exte-

riorizar seu potencial na execução de cada movimento da Ginástica Rítmica (GR), do balé , dança moderna ou de salão. E, mostrando que é possível realizar uma elaborada coreogra- fia, elas revelam também que a transformação precisa ser interna para ser percebida ex- ternamente e em qualquer situação de suas vidas. Isso faz parte do processo de mudança, através da valorização do sujeito-cidadão e do incentivo à participação popular.

A Cidade do Saber entende que o público tem que ser o sujeito da ação e somente com

a participação popular é possível se atingir a mobilização, responsável pela transformação

interna que leva à transformação social.

Cidade da Transformação

59

60 Cidade do saber

um sonho que virou realidade

A oportunidade de se expressar através do corpo faz de Danilo Henrique da Silva, 9 anos, um garoto com uma vida bem diferente dos meninos da sua idade. Entre 357 jovens de todo o país, ele foi um dos 40 novos selecionados para fazer parte da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Junto com a mãe Marluce e a irmã Beatriz, no dia 1º de fevereiro de 2012 ele mudou de vida e de endereço. Foi para Joinville (SC), bem longe da Bahia, alimentar o sonho que acabara de virar realidade. Danilo começou a fazer balé aos 6 anos, dois anos depois de despertar o interesse pelos passos que sua irmã, já matriculada, ensaiava em casa. Bia, 13 anos, é portadora de Síndro- me de Down e começou a fazer balé para melhorar a coordenação motora.

“Estava no cinema no dia que eu soube que havia sido selecionado. O telefone tocou e nos avisaram sobre o resultado. Todo mundo gritou, ninguém acreditava que era isso mesmo. Fiquei muito feliz! Quero continuar dançando por muito tempo”.

Danilo Henrique

do balé à Ginástica, o corpo fala

Quetelin Silva, 15 anos, entrou na aula de ginástica rítmica (GR) por acaso. Seu sonho inicial era o balé. No entanto, seu envolvimento com a GR é tão grande que hoje nem pensa em trocar de curso. Dona de várias medalhas, Quetelin já participou de campeonato nacional. A adolescente conta com o apoio da família, que incentiva a ginasta a seguir na modalidade esportiva.

que incentiva a ginasta a seguir na modalidade esportiva. C idade da T ransformação 6 1

Cidade da Transformação

61

Casa social acolhe futuros bailarinos

Há seis anos, a Cidade do Saber e a Prefeitura de Camaçari mantêm a Casa Social, em Joinville (SC), onde vivem meninos e meninas selecionados para estudar balé na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. A banca examinadora do Bolshoi participa do Ballace - festival anual de balé sediado na CDS - e já selecionou oito crianças do município baiano. Os alunos ficam sob os cuidados da “mãe social” dos futuros bailarinos.

“Além de garantir a forma e promover uma boa saúde, a GR também me trouxe benefícios educacionais. Através das aulas, por exemplo, aprendi a lidar com as pessoas, aprendi a ganhar e a perder”.

Quetelin Silva

62 Cidade do saber

No ritmo da Música

Ele participou do Cidade em Cena em duas oportunidades. No primeiro ano, cantou uma música de autoria própria: “Pra você”. No segundo, se apresentou em grupo. Esse é Neto Menezes, 16 anos, que toca violão e guitarra, está matriculado no 2º ano do ensino médio e acaba de concluir o curso de dois anos de música. De tão entrosado com o grupo e feliz com as apresentações, ele pensa em seguir com a banda e fazer shows em outros locais. Neto conta que a paixão pela música vem de exemplos da própria família. No entanto, ele está estudando com afinco para investir numa carreira profissional. “Nasci numa família em que várias pessoas tinham um violãozinho. Ninguém era músico profissional. Tocavam só por diversão, mas quero seguir carreira”, diz.

“Depois que comecei o curso, vi que precisava fazer parte do meio da música porque é enriquecedor para a cultura e para o caráter. Música, quando é bem feita, traz uma paz, amor. A música é como uma parceira, uma amiga. Sempre quero estar nesse meio, fazendo e ouvindo”.

Neto Menezes

quero estar nesse meio, fazendo e ouvindo”. Neto Menezes C idade da T ransformação uma experiência

Cidade da Transformação

uma experiência inesquecível

Com duas apresentações no Cidade em Cena, uma cantando, outra tocando, Adongi- valdo Galiza (Dinho), 24 anos, é outro exemplo de amor à música. Aluno do curso de violão, ele diz que a primeira experiência de subir ao palco e cantar foi “emocionante e inesquecí- vel”. Ele se encontrou na música e diz que tem planos de continuar tocando e aprendendo.

e diz que tem planos de continuar tocando e aprendendo. “Em termos de música, hoje a

“Em termos de música, hoje a Cidade do Saber representa tudo para mim. Tudo o que sei aprendi aqui. Eu sabia tocar, mas era bem básico. Tenho o sonho de viver de música, de trabalhar com isso porque eu gosto de música, está no sangue”.

Adongivaldo Galiza

63

64 Cidade do saber

uki,

Palco revela talentos da Cidade

O Projeto Palco da Cidade é responsável pela revelação e confirmação de inúmeros talentos de Camaçari. A partir das apresentações itinerantes, a cidade descobre cantores, músicos, artistas e também dançarinos, que, antes, eram só uma promessa. Muitos dos novos talentos aproveitam a oportunidade para ganhar outros palcos dentro e fora de Ca- maçari, interferindo na agenda cultural de cada praça por onde passam. Um claro exemplo dessa mudança de vida pode ser conferido com Orlando Freitas, 21 anos, e Gerleidson Bonfim, 24, mais conhecidos como Primata e Ki-suco. Os irmãos, que ganharam popularidade após as apresentações no Palco da Cidade, têm algo mais em comum além do laço familiar: a paixão pela dança. E foi essa paixão que fez a dupla conquistar o primeiro lugar na edição 2012 do projeto, que teve 18 finalistas. A coreografia vencedora misturava hip hop, música clássica, dança moderna e contemporânea. Famosos pelas habilidades no break e hip-hop, os irmãos fazem parte do grupo F.D.T. Crew, que significa “Filhos do Trovão”. A dupla já se apresentou duas outras vezes no Palco da Cidade, o que a estimulou a seguir em frente e representar o município de Camaçari em Salvador, Vitória da Conquista e Jequié. A popularidade cresceu e agora o objetivo é viver do break e construir o que eles cha- mam Casa da Nação Hip Hop em Camaçari. Os “irmãos do break” organizam campeonatos em vários pontos de Camaçari e querem expandir a cultura hip-hop não só com a dança, mas com os MCs, os DJs, os grafiteiros. Carlito França, 37 anos, é outro artista que experimentou mudança de vida após as apresentações no Palco da Cidade. Ele levou o segundo lugar na edição de 2012 e fez sua estreia no palco em 2010, quando apresentou uma composição própria e ficou entre os finalistas. À época, ao mesmo tempo em que Carlito estreava no palco, a mãe dele sentia a emoção de estar numa plateia de teatro pela primeira vez. A iniciativa de ser músico partiu de um conselho do pai, que é compositor, mas o Palco da Cidade foi forte motivador para que ele seguisse a carreira vivendo da música. Com shows regulares num estabelecimento na Praia do Forte, Carlito também já sentiu o gostinho de cruzar os limites da Bahia e fazer shows em outros estados. Agora, a meta mais breve é lançar um CD. Elly Nascimento, 27 anos, foi a cantora vencedora da edição 2010 do Palco da Cidade, com a música de sua autoria: “Então não era o amor”. Elly gosta de cantar black music e MPB e tem quase tudo pronto para gravar um CD. Aluna do Núcleo de Música, participou da gravação do primeiro CD do grupo “O Fruto”, em 2011. Na visita da presidente da Repú- blica Dilma Roussef à Cidade do Saber, em 31 de janeiro de 2012, cantou o Hino Nacional, o que já fez em outros eventos da própria Prefeitura e de empresas privadas.

eventos da própria Prefeitura e de empresas privadas. “Queria muito ganhar o Palco da Cidade, mas
eventos da própria Prefeitura e de empresas privadas. “Queria muito ganhar o Palco da Cidade, mas
eventos da própria Prefeitura e de empresas privadas. “Queria muito ganhar o Palco da Cidade, mas

“Queria muito ganhar o Palco da Cidade, mas não tinha muitas pretensões. Esse prêmio ampliou minha visibilidade e aumentou os convites para apresentações”.

Elly Nascimento

Cidade da Transformação

“Não foi fácil a rotina de ensaios, mas foi maravilhoso ouvir o resultado. Não sabia se gritava, se chorava, se pulava Espero que cada vez mais artistas se revelem nessa vitrine que é o Palco da Cidade”.

Ki-suco

“Parece que Deus vai abrindo as portas e isso começou no primeiro palco que eu subi: o Palco da Cidade. Sou negro, tenho cabelo rasta e o concurso mudou a visão que alguns tinham de mim. Hoje, o meu vizinho vê que sou um artista”.

Carlito França

65

66 Cidade do saber

“Além da reabilitação, decidi fazer natação para melhorar o desempenho na vida social. Tenho melhorado minha circulação, meu dia a dia. Ninguém vive sem exercício físico, imagine uma pessoa que está sentada 24 horas por dia”.

Genivaldo Barbosa

Cidade da Transformação

história de superação

Para Genivaldo Barbosa da Silva, 34 anos, a cadeira de rodas que o acompanha há 11 anos não é obstáculo para crescer na natação. Para ele, o que falta é conseguir patrocínio para continuar participando de treinos e de competições do esporte que pratica há quatro anos e já lhe rendeu vários títulos, inclusive em outros estados. Em Natal (RN), em 2008, ficou em 2º lugar nos 50m livre. A partir daí, Genivaldo passou

a treinar com mais foco, cerca de duas a três horas por dia, e conheceu os melhores do mundo, sendo incluído na natação paraolímpica. Entre outros títulos que conseguiu, em 2010, foi vice-campeão brasileiro dos 100m livre

e 3º melhor dos 50m peito. Em 2011, foi campeão Norte-Nordeste em duas modalidades (100 e 50m livres) e vice-campeão Norte-Nordeste em três modalidades (200m medley, 50m peito e 50m costa).

Cadeira cativa no teatro

Nascida em Inhambupe, Maria Ester Tavares, 78 anos, já morou em Alagoinhas e em Salvador. Há quatro anos está em Camaçari e foi lá que teve o primeiro contato com o mun- do das artes cênicas, ainda que como espectadora na plateia. Ester conheceu a Cidade do Saber em 2011, através do amigo e vizinho Juraci, por quem foi convidada para ir ao teatro. De lá para cá, tornou-se uma frequentadora assídua e já assistiu a vários espetáculos, incluindo apresentações de orquestras. Além do teatro, Ester, que teve quatro filhos e é viúva, faz aulas de ginástica, o que aju- da a cuidar da saúde e manter o corpo e a mente em atividade.

a cuidar da saúde e manter o corpo e a mente em atividade. “Faço ginástica para
a cuidar da saúde e manter o corpo e a mente em atividade. “Faço ginástica para

“Faço ginástica para me sentir mais disposta porque eu ficava muito tempo em casa. Além disso, venho para qualquer evento que tem aqui no teatro, junto com os amigos. O teatro representa tudo para Camaçari”.

Maria Ester Tavares

67

68 Cidade do saber

Brincar de ser ator

Embora tivesse se interessado desde muito pequeno, quando assistia a novelas e tenta- va refazer as cenas, seu primeiro contato com a arte de representar foi em 2002, na escola. Depois, quando o teatro foi definitivamente inserido em sua vida através da Cidade do Saber, Katson Freitas, 21 anos, descobriu uma verdadeira paixão e seguiu carreira. Decidido a viver como artista e arte-educador, ele cursa Licenciatura em Artes Cênicas na Univer- sidade Federal da Bahia e, a todo momento, fala da importância da Cidade do Saber em sua vida e do vínculo que mantém com a instituição que lhe fez crescer, sobretudo como cidadão.

instituição que lhe fez crescer, sobretudo como cidadão. “Comecei em 2007. Fiz três anos do curso

“Comecei em 2007. Fiz três

anos do curso de teatro, depois dança moderna, oficina de dança contemporânea e balé clássico. Hoje, participo dos eventos artísticos como convidado porque ainda não consegui cortar o cordão umbilical. A Cidade do Saber

é minha casa. Aqui dei um

grande salto, amadureci. Resumo em uma palavra

o que a Cidade do Saber

representa para Camaçari:

oportunidade”.

Katson Freitas

Cidade da Transformação

Teatro na vida da família

Além de representar durante dois anos nos cursos e oficinas da Cidade do Saber, Jéssica Menezes, 22 anos, aprendeu a fazer produção, sonoplastia, cenário, figurino e adereços. Hoje integra o grupo de teatro Pasta Azul, que surgiu a partir das atividades no complexo, e já realizou uma montagem baseada no conhecido texto “Vestido de Noiva”, de Nelson Rodrigues. O sonho de Jéssica, que também integra a Companhia Swing Hum & Meio – Malabares, Entretenimento e Intervenções Teatrais (outra proposta que nasceu na Cidade do Saber), é seguir carreira no teatro, sobretudo o teatro de improviso. Para isso, conta com o apoio da família, na qual vários são os exemplos de talentos para as artes. O irmão, Marvin Menezes (que já foi monitor do Museu Unica), é ator. O pai é fotógrafo e também já foi músico.

é ator. O pai é fotógrafo e também já foi músico. “Para mim, o teatro representa

“Para mim, o teatro representa meu trabalho, meu amante, meu oxigênio. Ingressei na Faculdade de Teatro por causa da necessidade de estudo, conteúdo e aprofundamento de um hobby que passou a virar trabalho”.

Jéssica Menezes

69

70 Cidade do saber

Performance e interatividade

Desde que a Cidade do Saber nasceu, ela começou a fazer teatro. Além disso, também fez dança moderna. Quando o Museu de Ciência e Tecnologia - UNICA foi implantado, Geci Cavalcanti, 20 anos, foi selecionada entre os alunos do teatro para recepcionar o público de forma lúdica. Ela integra o grupo que apresenta um espetáculo de cinco minutos para orientar o visitante sobre como se comportar no museu interativo, o que pode e o que não pode ser feito lá dentro, os cuidados com a segurança pessoal e dos equipamentos. São feitos alguns acordos para a visita ao acervo e a interatividade começa já na chegada. O UNICA também conta com o trabalho da ex-aluna e monitora Tatiane de Jesus, 19 anos, que fez aulas de teatro, dança, ginástica rítmica e artes plásticas. Para ela, “a Cidade do Saber é para Camaçari um valioso instrumento de transformação”.

“O museu é uma forma de os alunos aprenderem na prática. Ser monitora depois de ter sido educanda significa uma grande responsabilidade, é uma experiência totalmente diferente. A Cidade do Saber é para Camaçari uma espécie de milagre”.

Tatiane de Jesus

“A CDS dá um empurrão em Camaçari, que era caracterizada como uma cidade industrial. Em 2007, o complexo chegou e tudo mudou. Veio oferecendo coisas bem interessantes para as crianças, esporte, lazer, cultura e até educação. Foi uma alavanca para Camaçari”.

Geci Cavalcanti

Cidade da Transformação

Obras que ganharam o mundo

De Camaçari para Roma, na Itália. Esse foi o caminho de duas telas da artista plástica Uvilânia Silva, 28 anos, ex-aluna do curso de pintura. Em 2010, ela participou de um con- curso promovido pela Prefeitura de Camaçari e conquistou o terceiro lugar com as obras “Mari” e “Decisão”, que integraram a exposição italiana “Aos olhos do mundo”. Depois da exposição, Uvilânia, que sempre gostou de pintar e desenhar, continua se dedicando à arte e sonha em montar um ateliê para se inspirar, pintar e vender sua obra, que já é procurada e reconhecida na cidade.

sua obra, que já é procurada e reconhecida na cidade. “Comecei o curso de pintura para

“Comecei o curso de pintura para aprender as técnicas e fazer uma tela para o meu quarto. Passei a amar a arte. Desenvolvi uma linha com pinturas abstratas dentro da personalidade de pessoas. Meu sonho é me dedicar à arte”.

Uvilânia Silva

71

72 Cidade do saber

“Procurei a Cidade do Saber porque me bateu uma depressão. Ficava sempre sozinho e resolvi botar um freio nisso, me soltar mais. Quando cheguei à CDS, encontrei os professores e o pessoal que faz hidroginástica. Isso me fez muito bem. Eles são muito ‘pra frente”.

José Carlos Gonzaga

Socialização e qualidade de vida

José Carlos Gonzaga tem 65 anos e está aposentado. Atento aos cuidados com o corpo e com a mente, em 2009 ele se matriculou na turma de hidroginástica, com aulas duas vezes por semana. Além de se sentir muito sozinho, o aposentado procurou a atividade para ajudar na reabilitação de movimentos comprometidos em 2006, depois de um acidente vascular ce- rebral, que causou paralisia no lado direito do corpo. Em 2005 ele também descobriu que tinha diabetes, o que o incentivou ainda mais a praticar uma atividade física e perseguir hábitos de vida saudáveis.

atividade física e perseguir hábitos de vida saudáveis. C idade da T ransformação um novo olhar,

Cidade da Transformação

um novo olhar, uma nova atitude

Prepará-los para viver bem e encarar as adversidades com sabedoria, disciplina e res- peito pelo outro. Esses são os principais objetivos dos professores das diversas modalida- des esportivas praticadas na Cidade do Saber. Além de aprender as técnicas, trabalhar o condicionamento físico e cuidar da saúde, os alunos participam de momentos de troca de experiências com os educadores, conversam sobre o dia a dia, violência, sexualidade, escolhas, entre outros assuntos de interesse dos jovens. Os próprios educandos relatam as mudanças do seu corpo e, o melhor, em seu com- portamento, já que a atividade esportiva estimula a disciplina, concentração e competiti- vidade saudável. Um desses exemplos é Rebeca Andrade, 18 anos, que pratica karatê há cinco anos e assegura que o esporte mudou sua vida, seu jeito de ser. Ela aprendeu a apreciar a mo- dalidade dentro da sua própria família e diz que vai seguir a carreira de enfermeira, mas continuará se dedicando ao esporte. Com mais de dois metros de altura (2,06m), Ícaro Nauan Santos, 18 anos, logo foi visto como uma promessa para o basquete. Acreditando na possibilidade, ele passou a se de- dicar ao esporte desde 2008 e hoje treina três horas por dia, três vezes por semana. Com planos de treinar nos Estados Unidos, Ícaro disputa partidas representando o time de Ca- maçari nas categorias sub-19, sub-22 e adulto. Em uma modalidade que mexe muito com o raciocínio, Douglas Sardinha, 11 anos, já se considera um bom jogador de xadrez. No início, foi só curiosidade. Depois, ele se envolveu, participou de campeonatos e conquistou várias medalhas de ouro, graças à experiência de dois anos que teve na Cidade do Saber. A goleira do time de futsal feminino da Cidade do Saber tem 28 anos e faz parte da história da instituição desde o início. Sua paixão pelo futebol vem desde a época da escola, há mais de 15 anos, mas é na CDS que Cássia Bispo Brandão treina três vezes por sema- na, duas horas por dia. Para Cássia, a maior dificuldade encontrada pela equipe de futsal feminino é a falta de patrocínio, principalmente para apoiar as viagens (passagens, hospe- dagem, alimentação, etc) da equipe para outras cidades e estados, a fim de participar de campeonatos.

cidades e estados, a fim de participar de campeonatos. “Meu pai e meus irmãos eram karatecas

“Meu pai e meus irmãos eram karatecas e isso me motivou. Estou há cinco anos aqui. Eu era muito antissocial, entrava e saía e não falava com ninguém. Depois do karatê, comecei a amolecer o coração”.

Rebeca Andrade

73

74 Cidade do saber

“O futsal de Camaçari tem muitos talentos e já é reconhecido como um dos melhores da Bahia. Algumas meninas vêm de outras cidades querendo treinar com

a gente. Hoje o futsal para mim

também é sinônimo de superação. Passei por algumas dificuldades, meu rendimento caiu e cheguei a ficar no banco de reservas, mas agora sou titular”.

Cássia Brandão

“Encaro o basquete como uma profissão. Pretendo continuar.

O time me elogia porque sou um atleta que joga nas três categorias e sou sempre titular. Tenho que me preparar física

e taticamente para continuar atuando bem”.

Ícaro Nauan Santos

“É preciso ter raciocínio rápido. Nisso, o xadrez me ajuda na escola também. Meu raciocínio rápido faz com que eu tenha melhor desempenho nas aulas e nas provas”.

Douglas Sardinha

desempenho nas aulas e nas provas”. Douglas Sardinha Amigos dentro e fora das quadras Todos se
desempenho nas aulas e nas provas”. Douglas Sardinha Amigos dentro e fora das quadras Todos se
desempenho nas aulas e nas provas”. Douglas Sardinha Amigos dentro e fora das quadras Todos se

Amigos dentro e fora das quadras

Todos se conheceram nas aulas de vôlei da Cidade do Saber e, deste encontro, surgiu uma grande amizade e a busca por objetivos semelhantes dentro do esporte. O grupo começou a se reunir após as aulas para aprimorar as técnicas e ensaiar jogadas, já con- quistou posições de destaque em campeonatos, como o 2º lugar na Copa Bahia de 2011, e também já revelou alguns talentos individuais. Além de alimentar a vontade de seguir carreira, alguns jogadores já sonham em poder dar continuidade ao trabalho com outras crianças e jovens, que, como eles, poderão se descobrir como um talento esportivo, tendo mais uma oportunidade de garantir sua in- clusão social. Independentemente do esporte, os amigos criaram fortes laços de amizade e se encon- tram com frequência na Cidade do Saber, quando conversam, trocam ideias, combinam o lazer do final de semana e fazem planos para o futuro.

o lazer do final de semana e fazem planos para o futuro. C idade da T

Cidade da Transformação

75

“Pode-se dizer que a Cidade do Saber é um refúgio da população. Aqui, acontece a culminância de algumas manifestações culturais, é aqui que o povo se encontra com o esporte, um meio de fugir de uma realidade talvez não tão boa, é aqui que o jovem e o adolescente encontram sua identidade e se identificam como cidadãos camaçarienses”.

Caique Brito

76 Cidade do Saber

Grupos culturais que surgiram

Companhia de dança de Salão

Formada por alunos e ex-alunos do curso de dança da Cidade do Saber, a Companhia de

Dança de Salão de Camaçari reúne 18 integrantes, entre 15 a 40 anos. O pré-requisito para fazer parte do grupo é gostar de dançar e se dedicar.

A iniciativa de montar a companhia, em 2010, partiu de Carlei Daltro, apaixonado pela

dança e disposto a divulgar a arte. Além de bailes mensais, o grupo se apresenta em

eventos especiais em Camaçari e em outras cidades, incluindo Salvador. No 4º aniversá- rio da Cidade do Saber, em 2011, a companhia foi um dos destaques da programação.

O trabalho também já rendeu prêmios, como o 1º Lugar no II Festival de Dança em Feira

de Santana (2011), o 2º Lugar no II RV Bahia - Festival de Dança no Teatro Diplomata (2011), e o 3º lugar a nível nacional na Grande Final do II RV, no Teatro Brigadeiro Farias em São Paulo (2011).

Pasta Azul

Os integrantes do Pasta Azul sentiram a necessidade de inserir, cada vez mais, a arte cênica no cotidiano de cada um. Formado inicialmente por 16 pessoas, entre elenco e equipe técnica, o grupo montou e encenou, no Teatro Cidade do Saber, a peça “Vestido de Noiva”, do consagrado dramaturgo Nelson Rodrigues. Apesar de fazer montagens esporádicas, a maior parte do grupo continua envolvida com

o teatro. Os jovens Jéssica Menezes e Katson Freitas, por exemplo, cursam a Faculdade

de Teatro da Ufba e integram outras companhias. Além deles, outros 13 membros do elenco de“Vestido de Noiva” seguem dividindo a magia do teatro com diversas plateias.

Teatro Pavê

A Cia Teatro Pavê estreou em 2011 com o espetáculo “Farinha Pouca Meu Pirão Primei- ro”, apresentado no Teatro Cidade do Saber e no Theatro XVIII, em Salvador.

O nome do grupo é um trocadilho com a palavra Pavê (para ver) e com a sobremesa,

trazendo a ideia do teatro como uma coisa gostosa de ver.

O elenco é formado de acordo com a necessidade de cada peça e o grupo está aberto

à participação de todos que desejam se profissionalizar em teatro, embora exista uma

equipe fixa de quatro pessoas, que dividem as funções artísticas e de produção, como diz Tato Tavares, coordenador do grupo.

Companhia umadaoutra

As publicitárias Fernanda Crescencio e Kátia Letícia (foto pág. 77) iniciaram suas ativi- dades teatrais em 2007, na Cidade do Saber. A paixão pelas artes cênicas fez a dupla buscar formação na Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia. Em 2010, as jovens atrizes criaram a Companhia Umadaoutra, que já recebeu prêmios e busca co- locar em pauta os pequenos conflitos humanos que formam uma sociedade moderna altamente teatral. Além de montar e atuar nos espetáculos, Fernanda e Kátia escrevem seus próprios tex- tos. E, como não poderia ser diferente, o município de Camaçari já foi retratado no texto que deu origem ao espetáculo “Cowboy Fora da Lei”, como mostra do projeto Boca de Cena, coordenado pelo diretor Fernando Guerreiro. A peça revela os aspectos sociocul- turais de Camaçari sob a perspectiva da formação híbrida de sua gente.

Camaçari sob a perspectiva da formação híbrida de sua gente. As publicitárias Fernanda Crescencio e Kátia

As publicitárias Fernanda Crescencio e Kátia Letícia

O que dizem da

gente

O que dizem da gente “Eu ouvia falar na Cidade do Saber, mas não sabia o

“Eu ouvia falar na Cidade do Saber, mas não sabia o tamanho da estrutura que existe até visitar e conhecer o projeto. Fiquei muito feliz por saber que a cidade tem tudo isso. Quando comecei a jogar, não tinha essa estrutura. Esse modelo deveria ser passado para outras pessoas, reproduzido em outras cidades. O espaço deve ser mantido e melhorado cada vez mais para que as crianças e os adolescentes possam agradecer por mais essa oportunidade de evoluir”.

Formiga

(Miraildes Maciel Mota), jogadora da Seleção Brasileira de Futebol Feminino

Cidade da Transformação

79

de Futebol Feminino C idade da T ransformação 7 9 “Gostaria de dar os meus parabéns

“Gostaria de dar os meus parabéns pela maneira como a Cidade do Saber vem trabalhando desde a sua inauguração, pela cultura e pelo bem-estar da população de Camaçari. Pessoalmente, estou muito honrado por participar dessa instituição na função de conselheiro. Minhas congratulações por mais um aniversário”.

Hans Leusen

Cônsul da Holanda em Salvador e membro do Conselho da Cidade do Saber

“Tenho 29 anos de carreira e 26 espetáculos no currículo. Já me apresentei em mais de 50 teatros e posso dizer que o Teatro Cidade do Saber é um dos melhores do Brasil! Com uma estrutura de palco perfeita, dimensões excelentes, aparelhagem e uma equipe exemplar, é um dos que eu mais gosto de me apresentar, porque, além disso tudo, tem um público fiel, respeitoso e ávido por artes cênicas! Parabéns Camaçari, parabéns Teatro Cidade do Saber! E muito obrigado por sempre me receberem tão bem! Neste aniversário, o grande presente é este teatro existir”.

Frank Menezes

Ator

80 Cidade do saber

80 C idade do s aber “Voltada para o aprimoramento da construção da cidadania, a Cidade

“Voltada para o aprimoramento da construção da cidadania, a Cidade do Saber nasceu para desenvolver projetos sociais que englobam o complexo integrado de educação, esporte, cultura e lazer, plenamente justificados nos prêmios que tem recebido pelo reconhecimento. Prêmios esses que exaltam a dedicação de todos aqueles que não medem esforços no cumprimento de tão nobre ocupação. Pelos muitos frutos produzidos, quero parabenizar a todos os ‘habitantes’ da Cidade do Saber, enaltecendo a função de povoar de cidadania onde ela precisa, efetivamente, fincar raízes. Parabéns a toda a equipe que consegue, de uma forma muito especial, registrar a Cidade do Saber na história da Bahia”.

Fátima Mendonça

Primeira-dama do Estado

da Bahia”. Fátima Mendonça Primeira-dama do Estado “A Cidade do Saber é “Durante pelo menos quatro

“A Cidade do Saber é

“Durante pelo menos quatro anos fui professor titular da Escola de Teatro Célia Helena, em São Paulo, onde pude me interessar muito pelo ofício de dar aulas, e foi um prazer enorme reviver esses momentos no encontro que tive com os alunos e interessados na Cidade do Saber, onde, além de uma estrutura maravilhosa, eles se sentem motivados e ávidos por conhecimento. Foi um bate papo maravilhoso! Eu que já havia feito espetáculo no Teatro Cidade do Saber e sentido sua maravilhosa e excepcional estrutura para receber espetáculos, tive uma grande surpresa ao saber que, na questão qualidade, eles estão à frente de muitos centros culturais e esportivos espalhados pelo Brasil. Senti que de fato o trabalho lá tem surtido excelentes resultados. Parabéns a todos”.

Luís Miranda

Ator

a

e

um projeto maravilhoso que traz oportunidade de desenvolvimento para os jovens de Camaçari e cidades vizinhas, promovendo a inclusão social. Sem dúvida, esta iniciativa deve ser fortalecida e festejada por todo o povo baiano, além de

merecer servir de exemplo para muitas outras. É por isso que deixo aqui os meus parabéns

todos os envolvidos. E

parabéns a Camaçari, uma

cidade da qual gosto muito

que abriga este projeto tão grandioso! Viva à Cidade do

Saber!”

Margareth

Menezes

Cantora

Viva à Cidade do Saber!” Margareth Menezes Cantora C idade da T ransformação 81 “Numa visita

Cidade da Transformação

81

“Numa visita à Cidade do Saber fui presenteado com um

CD produzido por alunos do Núcleo de Música. Tocamos

juntos e pude sentir o brilho no olhar de jovens e crianças

que estão tendo uma oportunidade única de ter esse encontro com a arte, com a musicalidade, despertando dentro de si uma paixão que pode mudar definitivamente

suas vidas. A Cidade do Saber é um complexo educacional

que fomenta educação e cultura. É exemplo a ser seguido.

Parabéns à Cidade do Saber, parabéns a Camaçari”.

Luiz Caldas

Músico e cantor

parabéns a Camaçari”. Luiz Caldas Músico e cantor “Quando pequeno, morei no orfanato Irmã Dulce, em

“Quando pequeno, morei no orfanato Irmã Dulce, em Simões Filho. Então, quando entrei na Cidade do Saber, a primeira coisa que veio na minha memória foi minha infância. Visitando os espaços, fui me identificando com as crianças. A Cidade do Saber dá estabilidade e projeção a elas. É uma casa que me transmite esperança. Você vê a luz nos olhos daquelas crianças. Fiquei emocionado com tudo o que vi”.

Marcelo Trovoada

Boxeador e capoeirista

“A Bahia é um dos poucos estados onde é possível ter formação teatral gratuita ou com baixos custos e de qualidade. Temos excelentes profissionais no mercado que se disponibilizam a fazer isso, é um privilégio. Eu tive minha formação gratuita no Bando de Teatro Olodum e isso me ensinou a importância da dedicação. Desejo que os alunos da Cidade do Saber aproveitem as oportunidades, que não são muitas, e invistam em seus sonhos. Ser ator não é só estar no palco ou na televisão. É preciso experimentar”.

Lázaro Ramos

Ator

Linha do Tempo 8

Linha do Tempo

8

84 Cidade do saber

2005

8 4 C idade do s aber 2005 Outubro Início da edificação da Cidade do Saber.
8 4 C idade do s aber 2005 Outubro Início da edificação da Cidade do Saber.

Outubro

Início da edificação da Cidade do Saber.

2006

Abril

É criada, em abril de 2006, a Comissão para Elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional da entidade (PDI), com a participação de quadros da Universidade Estadual da Bahia e das secretarias municipais de Educação, Cultura e Esporte.

2007

municipais de Educação, Cultura e Esporte. 2007 Março A Cidade do Saber é inaugurada e o
municipais de Educação, Cultura e Esporte. 2007 Março A Cidade do Saber é inaugurada e o

Março

A Cidade do Saber é

inaugurada e o evento integra a programação da 2ª Semana de Cultura de Camaçari/ Apresentação do 1ª temporada de espetáculo no Teatro Cidade do Saber, com “Vixe, Maria! Deus e o Diabo na Bahia”.

Maio

Começam as aulas das atividades esportivas oferecidas gratuitamente à população e beneficiando cerca de quatro mil pessoas por ano.

junho

Início das aulas das atividades de cultura e arte; cerca de 1.800 educandos matriculados por ano.

Realização do Ballace - Encontro Nacional de Dança, reunindo bailarinos de todo Brasil, em seu primeiro ano na Cidade do Saber (e em sua 2ª edição).

Outubro

Primeira grande festa do Dia das Crianças realizada pela Prefeitura Municipal de Camaçari na Cidade do Saber.

dezembro

A Cidade do Saber vence o

Top Social Regional, com

o case: “Um Modelo de

Educação para a Cidadania”.

Acontece o 1º Cidade em Cena, mostra pedagógica anual resultante das atividades de cultura e arte realizadas pelos educandos da Cidade do Saber.

2008

e arte realizadas pelos educandos da Cidade do Saber. 2008 Fevereiro Para anunciar a parceria com
e arte realizadas pelos educandos da Cidade do Saber. 2008 Fevereiro Para anunciar a parceria com
e arte realizadas pelos educandos da Cidade do Saber. 2008 Fevereiro Para anunciar a parceria com
e arte realizadas pelos educandos da Cidade do Saber. 2008 Fevereiro Para anunciar a parceria com

Fevereiro

Para anunciar a parceria com a Braskem, Tigre, Universidade do Sul e Cidade do Saber no projeto para aulas de vôlei “Educação pelo Esporte”, Giovanne Gávio visita a CDS. Com grande repercussão e sediando eventos de grande porte, no mesmo ano o complexo recebe outras

visitas ilustres, como a de ex- atletas e atletas de seleções brasileiras, como Marcelo Negrão (vôlei) e Elaine (futebol), respectivamente; de intelectuais como Frei Betto e Leonardo Boff;

e diversas autoridades,

algumas de outros países.

Abril

O Núcleo de Idiomas da

Cidade do Saber firma parceria, para os cursos

de inglês e espanhol, com

a franquia local da rede

CNA de Camaçari, escola que integra a rede CNA,

referência no ensino de

língua estrangeira em todo

o

país.

Maio

Camaçari passa a integrar a seletiva estadual da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, quando oito crianças são pré-selecionadas para a etapa nacional, na qual concorrem a bolsas de curso de balé.

nacional, na qual concorrem a bolsas de curso de balé. A Cidade do Saber vence o

A Cidade do Saber vence o

Top Social Nacional e é a única instituição do Norte/ Nordeste a receber o prêmio.

2008

instituição do Norte/ Nordeste a receber o prêmio. 2008 julho Em parceria com o Comitê de
instituição do Norte/ Nordeste a receber o prêmio. 2008 julho Em parceria com o Comitê de
instituição do Norte/ Nordeste a receber o prêmio. 2008 julho Em parceria com o Comitê de

julho

Em parceria com o Comitê de Fomento Industrial de Camaçari – Cofic (parceiro idealizador e financiador), é inaugurado o Memorial do Polo Petroquímico na Cidade do Saber, primeiro espaço de visitação do complexo.

Agosto

A educanda da escolinha de karatê da Cidade do Saber, Paloma Nunes, torna-se campeã sul-americana do feminino de Karatê. Muitos outros talentos esportivos, entre educandos ou atletas treinados na Cidade do Saber, destacam- se nos cenários estadual e nacional neste ano, com a conquista de medalhas em esportes como o boxe, o próprio karatê e o vôlei.

Outubro

Quatro educandos da Cidade do Saber são classificados na seletiva nacional da Escola de Teatro Bolshoi e são contemplados com bolsas gratuitas para curso regular (duração de 8 anos) em Joinville (SC).

dezembro

1º Festival de Escolinhas Esportivas da Cidade do Saber. O evento do segmento de cultura e arte, Cidade em Cena, é realizado em sua 2ª edição.

Cidade da Transformação

85

do segmento de cultura e arte, Cidade em Cena, é realizado em sua 2ª edição. C
do segmento de cultura e arte, Cidade em Cena, é realizado em sua 2ª edição. C
do segmento de cultura e arte, Cidade em Cena, é realizado em sua 2ª edição. C

86 Cidade do saber

2009

8 6 C idade do s aber 2009 Fevereiro As quatro crianças de Camaçari, ex-educandas da

Fevereiro

As quatro crianças de Camaçari, ex-educandas da Cidade do Saber e bolsistas da Escola Bolshoi mudam-se para a Casa Social de Camaçari em Joinville (SC), residência mantida pela Cidade do Saber e Prefeitura Municipal de Camaçari.

Março

Ao completar dois anos de inaugurada, a Cidade do Saber recebe o Troféu Orgulho de Camaçari, concedido por um dos veículos de comunicação de maior audiência da cidade, a partir de enquete realizada entre os seus leitores.

julho

Com patrocínio da rede hoteleira Sol Meliá, a Cidade do Saber inicia as atividades do seu Ponto Móvel Cidade do Saber, um caminhão baú adaptado para serviços culturais e esportivos que percorre 12 comunidades de Camaçari, atendendo a aproximadamente quatro mil pessoas por ano.

1ª edição do Palco da Cidade, festival de talentos artísticos, realizado pelo Núcleo de Produção do Teatro Cidade do Saber. Seletivas são realizadas em comunidades diversas de Camaçari (sede, orla e zona rural), enquanto a semifinal e final são realizadas no Teatro Cidade do Saber.

2009

Agosto

Firma-se convênio entre

a Secretaria Municipal de

Desenvolvimento Social (Sedes) e a Cidade do Saber para que a entidade, com a sua expertise nos segmentos da arte e cultura, passe a executar as atividades sócio educativas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, ação do governo federal, gerida pela Sedes no Município.

2010

Fevereiro

Mais duas crianças, ex- educandas da Cidade do Saber, chegam à Casa Social de Camaçari, aprovadas na seleção nacional da Escola de Teatro Bolshoi.

Março

Para celebrar seus três anos,

a

Cidade do Saber realiza

o

evento “Troféu Coruja de

Ouro”, que homenageia publicamente os funcionários da instituição.

Maio

O

cineasta Walter Webb,

um dos participantes ativos do movimento que originou

o

“Cinema Novo”, ao lado

de Glauber Rocha, Roberto Pires e Rex Schindler, visita a Cidade do Saber.

Roberto Pires e Rex Schindler, visita a Cidade do Saber. 2010 2011 junho É lançado o
Roberto Pires e Rex Schindler, visita a Cidade do Saber. 2010 2011 junho É lançado o
Roberto Pires e Rex Schindler, visita a Cidade do Saber. 2010 2011 junho É lançado o

2010

2011

junho

É

lançado o primeiro número

da Revista Ponto Móvel Cidade do Saber, em Barra do Pojuca. No decorrer do ano, foram lançadas mais seis revistas para cada localidade da orla (Monte Gordo, Barra do Jacuípe, Arembepe, Areias, Jauá e Vila de Abrantes).

julho

A

Cidade do Saber conquista

o

prêmio “Onore Al Merito

Sociale”, reconhecimento internacional concedido pela entidade italiana Associazione Chiara per i bambini Del mondo, que

identifica iniciativas de cunho socioinclusivo para dar apoio

e

visibilidade, tornando-

as exemplo a ser seguido por outras instituições no mundo.

Setembro

Acontece o pré-lançamento do Museu Unica - Universo da Criança e do Adolescente, evento de apresentação do equipamento a diretores e coordenadores escolares, pedagogos e outros integrantes da comunidade acadêmica e científica da Bahia.

dezembro

O

Núcleo de Música da

Cidade do Saber finaliza a produção do CD “O Fruto”, que traz repertório de domínio público, aliado

a

canções cedidas por

músicos baianos. Todas as

faixas interpretadas (vocal

instrumentalmente) por educandos.

e

Fevereiro

A Casa Social de Camaçari

em Joinville recebe a sétima criança de Camaçari aprovada na etapa nacional no mês de novembro do ano anterior.

Março

O quarto ano da Cidade do

Saber é comemorado com

o evento “Os Frutos”, uma

homenagem da instituição a todos os seus educandos.

Abril

O Teatro Cidade do Saber

alcança a marca de 75 mil espectadores para as mais

destacadas produções da Bahia, além de produções nacionais e número crescente de produções locais.

junho

O Ballace tem sua quinta

edição consecutiva realizada em Camaçari, o que

transforma, por alguns dias,

a cidade na capital nacional da dança.

Tem início o projeto Boca de Cena, uma realização do Teatro Cidade do Saber para

ofertar iniciação profissional

à comunidade local, em

diversas áreas técnicas da engenharia de produção de espetáculos teatrais. Fernando Guerreiro, Aninha Franco, Elisa Mendes, dentre outros nomes destacados da cena teatral baiana estão entre os professores de

oficinas.

Cidade da Transformação

87

outros nomes destacados da cena teatral baiana estão entre os professores de oficinas. C idade da

88 Cidade do saber

2011

8 8 C idade do s aber 2011 junho É realizado o primeiro concerto da Orquestra

junho

É realizado o primeiro

concerto da Orquestra Sinfônica Popular de Camaçari. No evento, é também lançado o Projeto de Iniciação Musical, através do qual músicos da orquestra serão também professores de instrumentos sinfônicos nas escolas públicas municipais.

O Museu de Ciência e

Tecnologia (Unica) é aberto ao público. O espaço passa

a receber o Programa

de Iniciação Científica e Tecnológica da Secretaria Municipal de Educação, para beneficiar quatro mil alunos da rede pública municipal de ensino por ano.

Agosto

1ª etapa do Campeonato Baiano de Ginástica Rítmica na Cidade do Saber. Durante todos os anos anteriores, etapas de campeonatos estaduais e regionais de diversas modalidades foram sediadas no ginásio esportivo da instituição, como também foram realizados muitos eventos internos, abertos ao público, a exemplo de batizados de capoeira e o Festival de Escolinhas Esportivas.

2011

Outubro

A

atleta da Seleção Brasileira

de Futebol Feminino, Formiga, visita a Cidade do Saber. Neste mesmo ano, assim como em anos anteriores, personalidades destacadas em diversas áreas, como as da educação, arte e cultura, esporte, demonstram o interesse em conhecer e prestigiam em visitas o complexo, a exemplo de artistas como Lázaro Ramos, Wagner Moura, Margareth Menezes, Carlinhos Brown, Luiz Caldas, Gilmelândia, dentre outros.

dezembro

A

Cidade do Saber recebe o

Troféu “Você e a Paz”, que anualmente homenageia

personalidades e instituições que contribuem para a construção da paz e da harmonia social. O prêmio

é

concedido pelo médium

e

conferencista Divaldo

Pereira Franco e é uma ação associada ao “Movimento

Você e a Paz”, lançado no ano de 1998 e difundido no Brasil e outros países.

O

Cidade em Cena, mostra

pedagógica resultado dos

cursos e oficinas de cultura

e

arte, chega à 5ª edição.

O

Festival de Iniciação

Esportiva é realizado pelo

quarto ano.

2012

janeiro A Presidente da República, Dilma Roussef, primeira na história a visitar a cidade de
janeiro
A Presidente da República,
Dilma Roussef, primeira na
história a visitar a cidade de
Camaçari (outros já haviam
participado de eventos no
Polo Petroquímico) conhece o
Museu Unica e Memorial do
Polo Petroquímico, ambos na
Cidade do Saber. É ciceroneada
pelo Prefeito Luiz Caetano e pela
diretora geral da instituição,
Ana Lúcia Silveira.
Fevereiro
Mais um educando da Cidade
do Saber viaja para Joinville,
a partir da seleção nacional
para bolsistas ocorrida no ano
anterior, integrando o grupo
de meninas e meninos que
já residem na Casa Social de
Camaçari em Joinville.

2012

já residem na Casa Social de Camaçari em Joinville. 2012 Março A Cidade do Saber completa
já residem na Casa Social de Camaçari em Joinville. 2012 Março A Cidade do Saber completa

Março

A Cidade do Saber completa

cinco anos, com grande comemoração pelos resultados alcançados, com destaque para os intangíveis, que se relacionam com a identidade cultural do município, a autoestima da população, os efeitos das oportunidades e com um presente e futuro para diferentes gerações renovados de esperanças.

A Orquestra Sinfônica Popular

Brasileira inicia mais uma temporada de concertos. Na ocasião, é realizada, também, a cerimônia de entrega do troféu Coruja de Ouro, evento que integra as comemorações pelo aniversário de cinco anos da Cidade do Saber.

maio

A Bamuca (Banda Municipal

de Camaçari), considerada patrimônio cultural de Camaçari, realiza mais uma edição do Bamuca In Concert, lotando o Teatro Cidade do Saber, sendo aclamada pelo público.

julho

Acontece a final da terceira edição do projeto Palco da Cidade, uma espécie de show de calouros que oportuniza apresentações das mais variadas modalidades artísticas e se firma como uma grande vitrine para os artistas de Camaçari.

Cidade da Transformação

89

artísticas e se firma como uma grande vitrine para os artistas de Camaçari. C idade da
artísticas e se firma como uma grande vitrine para os artistas de Camaçari. C idade da

90 Cidade do Saber

2012

9 0 C idade do S aber 2012 agosto A Cidade do Saber recebe a visita

agosto

A Cidade do Saber recebe a

visita do premiado artista plástico Bel Borba, que se mostra encantado com a Instituição e o trabalho que aqui é realizado.

O Museu de Ciência e

Tecnologia da Cidade do Saber,

o UNICA, amplia seu campo de

atuação inaugurando o Espaço

de Química.

setembro

A Cia Jovem do Ballet Bolshoi

no Brasil se apresenta pela primeira vez no Teatro Cidade do Saber. Na oportunidade, o Bolshoi homenageou o prefeito de Camaçari, Luiz Carlos Caetano, pela parceria firmada

entre a Prefeitura do Município,

a CDS e o Bolshoi, contribuindo

para que jovens da cidade realizem o sonho de se tornar bailarinos profissionais, estudando gratuitamente na sede do Bolshoi no Brasil, localizada em Joinville, Santa Catarina.

A Orquestra Sinfônica

Popular Brasileira realiza o concerto Vozes da Cidade, que homenageia Camaçari pelo seu 254º aniversário e abre espaço para artistas locais.

2012

aniversário e abre espaço para artistas locais. 2012 outubro Auane Ferreira, nove anos, é a mais
aniversário e abre espaço para artistas locais. 2012 outubro Auane Ferreira, nove anos, é a mais
aniversário e abre espaço para artistas locais. 2012 outubro Auane Ferreira, nove anos, é a mais
aniversário e abre espaço para artistas locais. 2012 outubro Auane Ferreira, nove anos, é a mais

outubro

Auane Ferreira, nove anos, é

a mais nova aluna de Balé da

Cidade do Saber a conseguir uma bolsa de estudos na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil.

Cerca de 100 educandos do Projeto de Iniciação Musical realizam o I Concerto da Orquestra Sinfônica Jovem no Teatro Cidade do Saber. Apresentação do Coral Infanto-Juvenil de Camaçari e participação especial da Orquestra Sinfônica Popular Brasileira.

Concerto África visita África conta com participações especiais de cantores angolanos. Qualidade do evento agrada até os mais criteriosos espectadores.

novembro

O Teatro Cidade do Saber

recebe, pela primeira vez, o espetáculo Los Catedrásticos, sucesso de público no cenário nacional e aplaudido com entusiasmo pela população.

dezembro

Mostra Cidade em Cena e Festival de Escolinhas encerram com chave de ouro o quinto ano de atuação da Cidade do Saber.

Mostra Cidade em Cena e Festival de Escolinhas encerram com chave de ouro o quinto ano
Mostra Cidade em Cena e Festival de Escolinhas encerram com chave de ouro o quinto ano
Mostra Cidade em Cena e Festival de Escolinhas encerram com chave de ouro o quinto ano
Mostra Cidade em Cena e Festival de Escolinhas encerram com chave de ouro o quinto ano

Mais Cidade

do Saber

Mais Cidade do Saber Cidade do Saber é uma criação de Luiz Caetano, prefeito de Camaçari

Cidade do Saber é uma criação de Luiz Caetano, prefeito de Camaçari a quem, após dois mandatos consecutivos, estou sucedendo com muito orgulho e entusiasmo. A ele coube, além da ousadia da criação, cuidar da sua estru- tura e consolidação. Recebo a Cidade do Saber, pronta e em franca ascensão, como um em- preendimento social vitorioso, reconhecido e querido por toda a população de Camaçari e cujo êxito repercute para muito além das fronteiras do município. Como Caetano, acredito que é possível fazer da cultura, esporte e lazer prioridades de um governo, ao lado da saúde e educação. E vem daí meu compromisso de continuar a expandir e aprimorar as ações desse equipamento público por todo o município. Voltada para a educação não formal – arte-educação e educação pelo esporte –, a Ci- dade do Saber tem íntima relação com as ações da rede pública municipal de ensino, que hoje enfrenta o desafio posto pelos governos de oferecer aos alunos uma educação inte- gral que supere a formação por conteúdos, desenvolva o cidadão e preencha o tempo livre de crianças e adolescentes. Expandir as ações da Cidade do Saber através da rede pública municipal de ensino é, portanto, caminho natural e uma interrelação perfeita. O município de Camaçari, após a atuação da Cidade do Saber, mostrou ao estado e ao país que é possí- vel fazer a educação não formal em grande escala e com qualidade. Já parceiros, hoje através do vitorioso projeto de Iniciação Musical e Científica operado em 15 escolas municipais, a Cidade do Saber e a Secretaria de Educação de Camaçari terão sua agenda comum intensificada nos próximos quatro anos. Aproveitando as característi- cas de uma rede formada por mais de 50 mil alunos, de suas estruturas física e operacional já instaladas, levaremos a Cidade do Saber para bem mais longe e para muito mais gente no município, especialmente crianças e adolescentes.

Cidade da Transformação

município, especialmente crianças e adolescentes. C idade da T ransformação Ademar Delgado Prefeito de Camaçari 9

Ademar Delgado

Prefeito de Camaçari

93