Você está na página 1de 2

A) A Doutrina Monroe foi proferida pelo presidente James Monroe no dia

02 de dezembro de 1823, no Congresso norte-americano. Em seu


pronunciamento, James deixou claro que o continente não deveria aceitar
nenhum tipo de intromissão europeia sobre quaisquer aspectos, isto é,
“América para os americanos”.

A ideologia da doutrina estava baseada em três princípios básicos: a


impossibilidade de criação de novas colônias ao longo do continente,
intolerância à interferência de nações europeias em questões internas e a
não participação norte-americana em conflitos envolvendo países
europeus.

A doutrina se colocava contra o colonialismo em terras do continente


americano, isso é tão verdade que os Estados Unidos foram os primeiros a
reconhecer a independência dos países anteriormente colonizados pela
Espanha.

O que motivou tal doutrina foi a ameaça por parte da Santa Aliança
(composta por países europeus como Áustria, Rússia, e França) de voltar a
colonizar os países americanos.

Aparentemente, os Estados Unidos estavam fazendo frente à Europa para


defender os países latinos, no entanto, o que estava sendo defendido
eram somente os interesses norte-americanos.

B) O Big Stick (grande porrete) foi uma frase de efeito usada para descrever o estilo de diplomacia
empregada pelo presidente norte-americano Theodore Roosevelt, como corolário da Doutrina
Monroe, a qual especificava que os Estados Unidos da América deveriam assumir o papel de polícia
internacional no hemisfério ocidental.

As intenções desta diplomacia eram proteger os interesses econômicos dos Estados Unidos na
América Latina. Estas idéias levaram à expansão da U.S. Navy e a um maior envolvimento nas
questões internacionais. Tudo isso levou à Diplomacia do Dólar, que se seguiu à administração
Roosevelt e que pode ser encarado como uma versão tardia da Diplomacia das canhoneiras.

C) Europa Ocidental e os Estados Unidos repartiram o mundo entre si e organizavam


poderosos ... Essa forma de penetração é conhecida como imperialismo financeiro, ....
Surgem, assim, as empresas multinacionais, de que é um exemplo típico a indústria ....
PARTILHA DA ÁFRICA – No fim do século XIX e início do século XX

D) O processo de independência das nações latino-americanas, ao longo do


século XIX, deu origem a uma série de Estados independentes em sua
maioria influenciados pelo ideário iluminista. No entanto, a obtenção
dessa soberania política não foi capaz de dar fim à dependência
econômica que submetia tais países aos interesses das grandes potências
econômicas da época. Ao mesmo tempo, a consolidação da democracia
ainda era prejudicada pela ação de governos tomados por uma elite
conservadora e entreguista.

No século XX, a desigualdade social e a exclusão econômica ainda eram


questões que permaneciam pendentes nas várias nações latino-
americanas. Contudo, a ascensão de forças reformistas e nacionalistas
passou a se contrapor à arcaica hegemonia caudilhista das elites. A
insistência em manter as classes populares excluídas do jogo político e, ao
mesmo tempo, preservar a economia nacional atrelada aos interesses dos
grandes centros capitalistas começou a sofrer seus primeiros abalos.
Após a Segunda Guerra Mundial, a instalação da ordem bipolar e o
sucesso do processo revolucionário cubano inspiraram diversos
movimentos de transformação política no continente americano. Em
contrapartida, os Estados Unidos – nação que tomava a dianteira do bloco
capitalista – preocupava-se com a deflagração de novas agitações políticas
que viessem a abalar a hegemonia política, econômica e ideológica
historicamente reforçada nos combalidos Estados latino-americanos.

Nesse contexto, ao longo das décadas de 1960 e 1970, os diversos


movimentos de transformação que surgiram em nações americanas foram
atacados pelo interesse das elites nacionais. Para tanto, buscavam o
respaldo norte-americano para que pudessem dar fim aos movimentos
revolucionários que ameaçavam os interesses da burguesia industrial
responsável por liderar essas ações golpistas. Com isso, a ingerência
política dos EUA se tornou agente fundamental nesse terrível capítulo da
história americana.

A perseguição política, a tortura e a censura às liberdades individuais


foram integralmente incorporadas a esses governos autoritários que se
estabeleceram pelo uso da força. Dessa forma, os clamores por justiça
social que ganhavam espaço no continente foram brutalmente abafados
nessa nova conjuntura. Ainda hoje, as desigualdades sociais, o atraso
econômico e a corrupção política integram a realidade de muitos desses
países que sofreram com a ditadura.

Você também pode gostar