Você está na página 1de 6

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de

operacionalização
(Parte II)

D. Gestão da BE

D.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE

Indicadores Factores críticos de sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências extraídas dos instrumentos
Evidências

D1.1 Integração/ acção da • A escola inclui a BE na formulação • Excertos das determinações contidas na  O PE referencia a BE para a consecução
BE na escola/ agrupamento. e desenvolvimento da sua missão, princípios documentação institucional que define os das metas definidas para a escola.
e objectivos estratégicos e de aprendizagem. objectivos e regula o funcionamento da  O professor bibliotecário participa no
escola/ agrupamento, referentes à BE. conselho pedagógico. (Regimento do CP).
• O professor bibliotecário tem assento no  O RI da escola contempla a BE: regula
Conselho Pedagógico. todos os serviços e o seu funcionamento,
atendendo à sua missão e objectivos.
• São desencadeadas acções com vista à partilha,  A BE integra o PCE e os PCT adequando
discussão e aprovação da missão e objectivos da objectivos, recursos e actividades.
BE
nos órgãos de administração e gestão (conselho • Aspectos contidos nos documentos que  Os planos de acção e de actividades da
geral, director, conselho pedagógico) regem o funcionamento da BE e que se BE evidenciam os objectivos e as metas do
departamentos curriculares e demais estruturas de relacionam com este item. PEE.
coordenação educativa e de supervisão
pedagógica.
 A BE reuniu com os departamentos
• O Regulamento Interno da Escola contempla os curriculares, estruturas de coordenação
seguintes aspectos: • Registos de reuniões/contactos. educativa e de supervisão pedagógica.
- Missão e objectivos da BE;
- Organização funcional do espaço;  A BE trabalhou com os docentes dos
- Organização e gestão dos recursos de departamentos curriculares e demais
informação; estruturas, de forma a articular as
- Gestão dos recursos humanos afectos à BE; actividades do plano de actividades da
- Serviços prestados à comunidade escolar no escola.

Fátima Bartolomeu – Agrupamento de Escolas de Torre de Dona Chama


O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de
operacionalização
(Parte II)

Indicadores Factores críticos de sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências extraídas dos instrumentos
Evidências
âmbito do projecto educativo;
- Regimento do funcionamento da BE.
 A BE implementou sessões formativas
para a escola (conselho pedagógico,
• A BE adequa os seus objectivos, recursos e departamentos, conselho geral…) com vista
actividades ao currículo nacional, ao projecto à integração plena da BE na vida da escola:
curricular de escola e aos projectos curriculares missão, objectivos, etc.
das turmas.

• O plano de desenvolvimento da BE acompanha,


em termos de acção estratégica, o projecto
educativo da escola e outros projectos.

• O plano anual de actividades da BE relaciona-


se,
em termos de objectivos operacionais, com o
plano
anual de actividades da escola e com outros
projectos em desenvolvimento.

D.1.2 Valorização da BE • Os órgãos de administração e gestão (conselho • Documentos de gestão da escola.  O PEE, o PAA e o RI reconhecem a BE
pelos órgãos de direcção, geral, director, conselho pedagógico) apoiam a BE como um recurso pedagógico fundamental
administração e gestão da e envolvem-se na procura de soluções promotoras para a concretização das finalidades e
escola/agrupamento. do seu funcionamento. prioridades da escola.

• Os órgãos de administração e gestão põem em • Documentos de gestão da BE.  O plano de actividades da BE


prática uma política de afectação de recursos contemplou várias actividades de
humanos adequada às necessidades de articulação com departamentos e demais
desenvolvimento da BE. estruturas educativas, bem como outros
projectos.
• Os órgãos de administração e gestão (director,

Fátima Bartolomeu – Agrupamento de Escolas de Torre de Dona Chama


O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de
operacionalização
(Parte II)

Indicadores Factores críticos de sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências extraídas dos instrumentos
Evidências
conselho pedagógico) estabelecem estratégias  Resultados do questionário CK1 – por ex.
visando a articulação entre a BE e as demais • Entrevista/ questionário ao director a BE é reconhecida (ou não) nos
estruturas de coordenação educativa e de (CK1). documentos normativos da escola. A BE
supervisão pedagógica. tem (ou não) condições para cumprir os
requisitos de funcionamento de acordo com
• A escola contempla a BE e os seus recursos nos as orientações da RBE. A BE é apoiada (ou
projectos e actividades educativas e curriculares. não) para que exista uma maior articulação
pedagógica e curricular, etc.

• Os órgãos de administração e gestão atribuem  O professor Bibliotecário reuniu com o


uma verba anual para a renovação de director para definir acções promotoras de
equipamentos, para a actualização da colecção e integração da BE na escola.
para o funcionamento da BE.

• A escola encara a BE como recurso fulcral no  A BE apresentou ao conselho pedagógico


desenvolvimento do gosto pela leitura, na • Excertos de actas de apresentação de um projecto/actividade...
aquisição das literacias fundamentais, na projectos/ relatórios ao conselho  A BE divulgou, junto dos vários
progressão nas aprendizagens e no sucesso pedagógico; determinações/ departamentos, os recursos e actividades a
escolar. recomendações do conselho pedagógico. dinamizar.
 De acordo com as recomendações do CP
• Os docentes valorizam o papel da BE e a BE elaborou, p.e. um plano de
integram--no nas suas práticas de ensino/ marketing.
aprendizagem.
 A BE promoveu uma exposição de …
• Registos de projectos/ actividades com material de divulgação e convite aos
envolvendo trabalho na/ com a BE. pais/EE.

 % de docentes e alunos que usaram a BE


• Estatísticas de utilização da BE. nas sua várias valências: apoio ao
currículo, leitura e literacias.

Fátima Bartolomeu – Agrupamento de Escolas de Torre de Dona Chama


O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de
operacionalização
(Parte II)

Indicadores Factores críticos de sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências extraídas dos instrumentos
Evidências

• A BE funciona num horário contínuo e alargado • Horário da BE.  O horário é contínuo e abrange o horário
D.1.3. Resposta da BE às
que possibilita o acesso dos utilizadores no horário de permanência dos alunos na escola.
necessidades da
lectivo e acompanha as necessidades de ocupação • Estatísticas de utilização da BE.  % de docentes e alunos que usaram a BE
escola/agrupamento.
em horário extra lectivo. nas sua várias valências: apoio ao
currículo, leitura e literacias.
• As BE no agrupamento são geridas de forma • Registos de reuniões/ contactos.  A BE reuniu com os departamentos
integrada, rentabilizando recursos, possibilidades curriculares, estruturas de coordenação
de acesso a programas e projectos. educativa e de supervisão pedagógica para
planificação e articulação das actividades.
• Os recursos e serviços da BE respondem às  As actas dos departamentos referem o
metas trabalho em parceria com a BE na
e estratégias definidas no projecto educativo, realização das actividades.
projecto curricular e outros projectos.
 A BE promoveu as seguintes actividades:
• A BE cria condições e é usada como recurso e • Registos de projectos/ actividades. exposições, feira do livro, teatro de
como local de lazer e de trabalho. fantoches, palestra, concurso literário, etc.
 A BE realizou (nº) projectos com
• A BE apoia os utilizadores no acesso à colecção, actividades desenvolvidas em articulação
aos equipamentos, à leitura, à pesquisa e ao uso da com o departamento X.
da informação.  A BE apoiou projectos e actividades
realizadas no âmbito das actividades
• A BE planifica com docentes, departamentos extracurriculares, por ex. Clube de Inglês.
curriculares e demais estruturas de coordenação
educativa e de supervisão pedagógica. • Questionário aos docentes (QD3).
 Resultados do questionário (QD3) – % de
docentes que considera a gestão da BE
• A BE desenvolve projectos com a escola / eficaz e capaz de favorecer o trabalho com
agrupamento. os alunos e a articulação como o currículo.
% de docentes que considera, p.e. as
• A BE assume-se como pólo de fomento e de condições de acesso e os recursos

Fátima Bartolomeu – Agrupamento de Escolas de Torre de Dona Chama


O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de
operacionalização
(Parte II)

Indicadores Factores críticos de sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências extraídas dos instrumentos
Evidências
difusão cultural. disponibilizados pela BE muito bom.

 A BE recolheu e respondeu, sempre que


• Livro/Caixa de sugestões/reclamações. possível, às solicitações dos seus
utilizadores.
• A BE implementa um sistema de auto-avaliação
D.1.4 Avaliação da BE na contínuo. • Informação recolhida com recurso  A BE implementou o processo de auto-
escola/agrupamento. ao sistema automatizado de gestão avaliação da BE, integrando-o nas práticas
• Os órgãos de direcção, administração e gestão bibliográfica. de gestão.
são envolvidos no processo de auto-avaliação da  A BE criou e aplicou instrumentos de
BE. • Registos de observação, questionários, recolha de informação.
entrevistas ou outros realizados no âmbito  A BE fez o tratamento dos dados
• Os instrumentos de recolha de informação, que da avaliação da BE. recolhidos.
são aplicados, de forma sistemática, e no decurso
do processo de gestão. • Excertos de documentação recolhida.  A BE fez relatórios das actividades
promovidas onde se identificam pontos
• A informação recolhida é analisada e os fortes e pontos fracos, procurando redefinir
resultados da análise/avaliação originam, quando novas estratégias.
necessário, a redefinição de estratégias, sendo
integradas no processo de planeamento.
 A BE divulgou os resultados obtidos no
• Os resultados da auto-avaliação são divulgados Conselho Pedagógico, reuniões de
junto dos órgãos de direcção e gestão (conselho departamento, blogue da BE, jornal escolar,
geral, director, conselho pedagógico), estruturas de plataforma moodle, etc.
coordenação educativa e de supervisão
pedagógica, e da restante comunidade, com o  O plano de acção e de actividades
objectivo de promover e valorizar as mais-valias contempla acções de melhoria em função
da BE e de alertar para os pontos fracos do seu da análise efectuada.
funcionamento.
 A escola integra o resumo dos resultados
• São realizadas actividades de benchmarking. de auto-avaliação da BE na auto-
• A auto-avaliação da escola integra os resultados avaliação da escola.

Fátima Bartolomeu – Agrupamento de Escolas de Torre de Dona Chama


O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de
operacionalização
(Parte II)

Indicadores Factores críticos de sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências extraídas dos instrumentos
Evidências
da auto-avaliação da BE.

Fátima Bartolomeu – Agrupamento de Escolas de Torre de Dona Chama