Você está na página 1de 5

Qualquer fenmeno decorre de uma diferena,

Se no h diferena, no existe o fenmeno


Neste aspecto a termodinmica pode nos ajudar ...
Para definirmos o que transferncia de massa, precisamos voltar para algumas
definies termodinmicas:
Considere um sistema fechado onde existam dois subsistemas:
A B
Os reservatrios A e B constituem-se de um Sistema isolado, ou seja
no h troca nem de energia nem de matria para o meio exterior
Transferncia de Massa
Fundamentao na termodinmica
S
A
= S
A
(U
A
, V
A
, N
A
1
, ..., N
A
i
, ..., N
A
n
)
S
B
= S
B
(U
B
, V
B
, N
B
1
, ..., N
B
i
, ..., N
B
n
)


A energia interna do sistema (U) dependente da entropia (S), volume (V) e nmero
de moles de cada espcie presente(N):
U = U (S,V,N
1
, ..., N
n
)
Onde,
U=energia interna
S= entropia
Ni = nmero de moles da espcie i

Diferenciando esta relao obteremos:
=

,,

,,

,,


Relembrando...

,,

,,

,,


Onde:

=
P= presso e T=temperatura

Assim teremos:
= +


Para analisarmos se o sistema est ou no no equilbrio termodinmico, vamos
deixar a relao anterior em funo de S:
=
1



Voltando agora para o nosso sistema, que contm os dois subsistemas A e B:
Ambos os reservatrios A e B esto na mesma temperatura, sem variao de volume.
Ambos os reservatrios possuem as mesmas espcies qumicas (ideiais). Porm esto
separados por uma membrana semi-permevel que permite a passagem apenas uma
das espcies.
Para cada subsistema teremos:







=
1

=
1



Como a entropia uma propriedade extensiva, aditiva:


Teremos:

=
1

) (


Como o sistema fechado:


Substituindo na equao da variao total de entropia ficar:

=
1


Se retirarmos a membrana que separa as molculas, o equilbrio termodinmico
ser alcanado e

= 0



No h variao de volume, dV=0
No h variao de volume, dV=0
Temperatura
constante
Porm, se
0
Pela segunda lei da termodinmica: dS 0 (entropia sempre aumenta)

Haver tendncia de matria migrar de uma regio de alto valor de potencial
qumico para menor valor de potencial qumico.
O potencial qumico representa uma tendncia de escape de matria e
deve ser traduzido em uma varivel facilmente mensurvel, como a
concentrao.
Considerando uma soluo lquida ideal e diluda da espcie qumica i, o potencial
qumico de i est associado a sua frao molar:

+ (

=
Como a soluo ideal:


Como a soluo ideal:

= 1 e portanto


OBSERVAO: Podemos utilizar RT ou kT (a diferena est no nmero de Avogadro - RT
Nmero de moles e kT nmero de molculas
Diferenciando esta equao:


ou


Multiplicando ambos os lados pela concentrao total:


Haver equilbrio termodinmico quando

= 0

o coeficiente
de atividade

a frao molar
Situao de no
equilbrio
Desta forma, quando

0, haver o fenmeno de transferncia de


matria.