Você está na página 1de 6

MODELO DE AUTO -AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

Plano de Avaliação
Domínio B – Leitura e Literacia
Indicadores: B1 e B3
Indicador de Processo: B1
Indicador de Impacto: B3
B1-Trabalho na BE ao serviço da promoção da leitura na
escola/agrupamento
B3- Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências
dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia

« Não damos continuação a determinadas práticas somente por as considerarmos boas e a


alguns prazeres por serem definitivos? Não se encontra [a leitura] entre eles? Sonhei, algumas
vezes, que quando o Dia do Juízo amanhecer e os grandes conquistadores, juristas e
estadistas vierem receber as suas recompensas…o Todo-Poderoso se voltará para S. Pedro e
dirá, não sem uma certa inveja quando Ele nos vê aproximar com os nossos livros sob os
braços, Olhai, estes não precisam de recompensa. Nada temos para lhes dar. Eles amaram a
leitura. » (Virgínia Woolf )

«A investigação tem demonstrado a possibilidade de a leitura ampliar as capacidades do


cérebro, criando diferentes perspectivas de interpretação da realidade e novas competências
no manejo das emoções, contribuindo para a melhor compreensão da complexidade do
mundo.» ( Daniel Sampaio )

AEJR – Professora bibliotecária Helena Diogo

Novembro de 2009
1
Projecto - Baús Pedagógicos

Tema: Celebrar o Livro e a Leitura

Objectivos gerais: Incrementar o gosto pela leitura;

Criar oportunidades de leitura e contacto com os livros em espaço de sala de aula.

Objectivos específicos: Fomentar a Leitura pela Leitura;

Dar a conhecer obras recomendadas pelo Plano Nacional de Leitura;

Partilhar leituras.

Metodologia

Leitura de obras

Momentos de debate

Destinatários

Alunos do Agrupamento (1º,2º e3º ciclos).

Intervenientes

Professor (es) da disciplina de Área de Projecto

Recursos:

Baús pedagógicos ( contêm livros recomendados pelo PNL para o respectivo ano de
escolaridade )

Local de intervenção:

Sala de aula ( horário de Área de Projecto )

Calendarização:

Ao longo do ano ( os primeiros 30 minutos da aula serão dedicados à leitura).

Recolha de evidências: elaborar uma lista de verificação ( Checklist ), a preencher pelos


professores, com diversos itens sobre como são usadas as obras que os alunos lêem, e os
produtos produzidos.

Nota: Este Projecto – Baús Pedagógicos – implementado pela BE, reflecte a preocupação e o
empenho da biblioteca em elevar os níveis de literacia de todos os alunos, e desenvolver as
competências na área da leitura. Visa, também, implementar o PNL em articulação com a Área
de Projecto. Além disso, permite desenvolver um trabalho sistemático de promoção da leitura
em todas as turmas da escola.

2
Baús Itinerantes – Estes Baús circulam pelas escolas do 1º ciclo do Agrupamento,
a fim de possibilitar a leitura domiciliária de diversos livros. Pretende-se, assim, possibilitar
contextos diversificados de leitura nas diferentes escolas do agrupamento (1ºciclo).

Recolha de evidências: registos dos empréstimos domiciliários realizados: Quantos alunos? ;


Quantos livros efectivamente lidos?

Promoção de actividades de leitura em voz alta, aquando da visita dos alunos das
turmas do 1º ciclo da EBI João Roiz, à biblioteca;

Realização de actividades na biblioteca “À descoberta do livro”, que implicam a


localização, manipulação e descoberta de mensagens que o livro contém;

Divulgação no Blog da biblioteca de links que possibilitam o acesso ao Caminho das


Letras; à Biblioteca de Livros Digitais… ( facilitar o acesso às novas tecnologias da
informação e da comunicação, área que promove o desenvolvimento de competências
leitoras);

Utilização do espaço de leitura informal da BE para promover o diálogo informal com os


utilizadores sobre o livro e a leitura, e convidá-los a partilhar a sua leitura;

Existência na BE de uma caixa de sugestões, a fim de os utilizadores colocarem as


suas preferências quanto à aquisição de livros. Assim, aquando da realização das
avaliações periódicas da colecção, a compra de novos livros irá, na medida do
possível, ao encontro do gosto dos utilizadores ( irá ser utilizada como recolha de
evidências: análise das sugestões).

Divulgação num dos placards da BE dos “ Apanhados a ler “, onde os utilizadores são
“apanhados a ler”, através de um registo fotográfico.

Projecto (SPC)

Adaptação de alguns livros do Plano Nacional de Leitura para crianças com Necessidades
Educativas Especiais, com recurso ao Sistema Pictográfico de Comunicação (SPC).

Este projecto visa enriquecer o acervo documental da BE, com livros adaptados para alunos
com NEE.

Divulgação e incentivo à participação no Concurso Nacional de Leitura (3º ciclo);

Promoção de concursos de leitura;

3
Participação na Semana da Leitura;

Apoio ao PNL, no âmbito da animação e promoção da leitura, em articulação com os


docentes de L.P. (1º,2º e 3º ciclos);

Comemoração do Dia Mundial do Livro e dos Direitos do Autor;

Feira do livro;

Encontros com escritores...


Divulgação do Livro Digital.

À BE do século XXI está inerente uma mudança de práticas mais centradas nos outcomes
(resultados ) que essas práticas comportam e menos nos processos que são seguidos para a
obtenção desses resultados.

« Program evaluation with a focus on outcomes has become increasingly important for
nonprofits, and funders are demanding it more and more. An outcomes evaluation helps you
decide if you are really conducting the right program activities to bring about the results you
believe (…) » : Carter McNamara (pág 6)

« Medir os outcomes (Impactos) significa, no entanto, ir mais além, no sentido de conhecer o


benefício para os utilizadores da sua interacção com a biblioteca. » Texto da Sessão (pág.2)

As mentalidades estão a mudar e o factor qualidade passou a ter um papel primordial na


avaliação das BEs, que para além de disponibilizarem recursos, devem ter um impacto, que se
pretende mensurável, sobre a formação e a aquisição de competências dos seus leitores.
Devemos avaliar as Forças – Fraquezas (S-W) e as Oportunidades e Ameaças (O-T) que
envolvem um projecto ou uma tomada de decisão.

Cabe-nos melhorar a eficácia da BE, e planear um novo ciclo de avaliação, tendo como
objectivo a melhoria contínua da actividade da biblioteca escolar, baseada na recolha de
evidências. Assim, temos que identificar o domínio a avaliar; distribuir questionários aos
docentes e aos alunos; recolha dos questionários; tratamento estatístico e elaboração de
gráficos; interpretação dos dados recolhidos; tratamento de outras evidências recolhidas;
apresentação do relatório final ; discussão e aprovação em Conselho Pedagógico; divulgação à
escola e à comunidade.

AFERIR REFLECTIR MUDAR

Que evidências vou recolher?

Com que instrumentos?


Qual a calendarização?

4
Estatísticas de requisição;

Estatísticas de requisição / uso de recursos de informação relacionados com a leitura;

Estatísticas de utilização informal da BE;

Registos de Projectos desenvolvidos no âmbito da Promoção da Leitura;

Questionários aos Professores (QP2);

Questionários aos alunos (QA2); (vide Modelo de Auto-Avaliação,pág19).

Entrevistas;

Questionários professores (20%/30% do número total de professores);

Questionários alunos ( 10% em relação ao número de alunos em cada nível de


escolaridade ); vide Texto da Sessão ( pág.9 ).

Registos de observação;

Relatórios.

Alunos: Questionários, entrevistas e grelhas de observação;

Encarregados de Educação: Questionários e entrevistas;

Professores: Questionários, entrevistas; relatórios, Grelhas de observação;

Calendarização: ao longo do ano lectivo.

Interpretação da informação recolhida e elaboração de conclusões ( recorrer a outras entidades


“ Critical Friend “ ou “ Devil’s Advocat” ) Texto da Sessão (pág.5)

Realização das mudanças necessárias;

Recolha de novas evidências acerca do impacto dessas mudanças.

«O propósito da auto-avaliação é apoiar o desenvolvimento das bibliotecas escolares e


demonstrar a sua contribuição e impacto no ensino e aprendizagem, de modo a que ela

5
responda cada vez mais às necessidades da escola no atingir da sua missão e objectivos.»
Texto da Sessão (pág. 3).

Por fim, mas não por último: «Estimular o prazer de ler é pois a pedra de toque do esforço
pedagógico que procura desenvolver a literacia. E é também o ponto fulcral da actividade das
bibliotecas escolares» in Leitura, Literacia e Bibliotecas Escolares (pág.5). Isabel Alçada.