Você está na página 1de 8

FOC – FAITER Desenho Industrial

História da Arte e da Tecnologia II

Prof. Maria Heloísa M. Marmo

Obra : Intervenção do plano

2VX

Danielle Leonel R.A. 9112047

13 de Novembro , 2013

Arte Concreta

Conceito

A arte concreta busca a separação completa da abstração da forma, da realidade, da interferência intelectual temporal e busca a forma exata, concreta e geométrica. Sempre integra e descomplicada, não me referindo a informação conXda ou interferência usada pra criar a obra e sim da linguagem visual ópXca que tende a fluir; que seja como os princípios matemáXcos, exatos, precisos, sequênciados ou no mínimo interligados.

A arte concreta é herdeira das pesquisas do grupo de SXjl [O esXlo], 1917/1928, de Piet Mondrian (1872-1944) e Van Doesburg , que busca a pureza e o rigor formal na ordem harmônica do universo. Na América LaXna, após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) passa por um grande desenvolvimento industrial e logo após no Brasil são fundados o MAM no RJ e SP, o Masp e a Bienal Internacional de Pão Paulo.

Em 1950, o suiço max bill , arXsta, arquiteto, designer gráfico e de interiores vem ao brasil trazendo consigo a concepção plasXca da arte. Ele faz uma exposição no masp e, no ano seguinte, sua escultura unidade triparXda ganha o 1º prêmio na 1ª bienal

internacional de são paulo , fato que influencia os caminhos da arte no brasil. Em 1952,

o grupo ruptura, integrado por Anatol

Wladyslaw (1913-2004), Lothar Charoux (1912-1987), Féjer (1923-1989), Geraldo de Barros (1923-1998), Leopold Haar (1910-1954), Luiz Saciloqo (1924-2003),Gliderado por Waldemar Cordeiro (1925-1973), realiza exposição no MAM/SP. O

grupo compila um manifesto em que diz que a arte é "um meio de conhecimento deduzível de conceitos", e reafirma seu conteúdo objeXvo.

A Exposição Nacional de Arte Concreta,

realizada em 1956/1957, reúne, além dos arXstas do grupo Ruptura, alunos de Ivan Serpa (1923-1973), que leciona pintura no MAM/RJ e de onde surge o grupo frente, formado por Décio Vieira (1922-1988), Rubem Iudolf (1932-2010), César OiXcica (1939) e Hélio

OiXcica (1937-1980). ParXcipam também, entre outros, Lygia Pape (1927-2004), Lygia Clark (1920-1988), Amilcar de Castro (1920-2002) e Franz Weissmann (1911-2005). O críXco Mário Pedrosa (1900-1981) - que em 1949 escreve tese pioneira sobre a relação entre arte e psicologia da Gestalt, que muito alimenta os arXstas concretos - publica arXgo sobre a exposição e observa a diferença entre paulistas, que seriam mais teóricos e dogmáXcos, e cariocas, intuiXvos e empíricos. Em 1959, liderados por Ferreira Gullar (1930), os cariocas assinam o manifesto neoconcreto, que consisXa rever as posições teóricas adotadas até então em face da arte concreta, uma vez que nenhuma delas “compreende” saXsfatoriamente as possibilidades expressivas abertas por estas experiências, sendo a arte possuidora de sensibilidade, expressividade, subjeXvidade, indo além da pura geometria. Quer dizer, superar a teoria da criação e possibilitar a existência de novos aspectos criados no novo espaço, construido ou desconstruido .

Inspiração

Observando as obras de Max Bill, Três metades de um círculo e VariaXon e assim como as obras do arXsta brasileiro Luiz Sacioloqo . Os arXstas brincam com formas conhecidas, como o circulo e o quadrado e pelo preenchimento de linhas e cores de contraste ou complementares trás a tona alusões ópXcas de movimento, plano e estranhamento que ainda assim em sua maestria carrega um quê harmônico, equilibrado.

em sua maestria carrega um quê harmônico, equilibrado. ^ Max Bill, como mencionado acima respecXvamente e

^ Max Bill, como mencionado acima respecXvamente e um móvel.

Luiz Sacioloqo >

um quê harmônico, equilibrado. ^ Max Bill, como mencionado acima respecXvamente e um móvel. Luiz Sacioloqo
um quê harmônico, equilibrado. ^ Max Bill, como mencionado acima respecXvamente e um móvel. Luiz Sacioloqo
um quê harmônico, equilibrado. ^ Max Bill, como mencionado acima respecXvamente e um móvel. Luiz Sacioloqo
um quê harmônico, equilibrado. ^ Max Bill, como mencionado acima respecXvamente e um móvel. Luiz Sacioloqo

Quanto a criação

Processos

Ficou eminente no aprofundar da pesquisa para a realização da obra o querer explorar princípios básicos da forma geométrica, linhas, triângulos, quadrados; suas variáveis e seus possíveis planos. Empregando cores puras e variando a composição em saturação (cinza e branco) para criar planos dentro de uma mesma forma. A cor amarela foi escolhida, sendo esta uma cor que as vezes se comporta como quente e as vezes como fria. Dentro da composição foi usado tons de amarelos acinzentados, amarelos esverdeados, amarelo esbranquiçados e cinza. A forma de um cubo é extensamente explorada em variedades óXcas de fechamentos e aberturas pela justaposição das cores acima mencionadas, trazendo assim dinamismo e novas possibilidades de composição visual.

Técnico

O programa do Artboard , Photoshop e Ilustrator foi usado para a criação da obra gráfica. Primeiramente, no programa Artboard , foi feito um quadrado e a parXr deste um cubo com faces percep}veis a direita do cubo. A face frontal e traseira foi preenchida de cor cinza e a superior e lateral vazada. A parXr da célula do cubo, vários cubos foram duplicados e dispostos a formar uma colmeia de cubos. Depois de posicionar os cubos, estes foram agrupados e transferidos para o programa Photoshop e converXdo de RGB para CMYK e os tratamento de cor e efeitos começam a ser feitos. Uma camada inferior lisa foi criada e em seguida colorida em gradiente (degrade) customizado de tons cinza, amarelo acinzentado, amarelo maXz, amarelo claro e branco respecXvamente. Acima desta camada gradiente, a camada de cubos foi tratada e mesclada ate aXngir os efeitos almejados. Os cubos a parXr deste momento começam a ser desconstruídos, recebendo tons da camada inferior gradiente (de fundo) sob seus quadriculados, as linhas recebem um ton amarelo acinzentado e é mesclado com a camada de fundo. Após finalizar a arte no Photoshop esta é transferida para o Ilustrator afim de finalizar o arquivo e fazer o fechamento para impressão.

A obra então recebe um nome: Intervenção do plano. O nome deriva do fato de um cubo já ser um plano por si só e pela intervenção de um terceiro (a cor) alterar sua dinâmica.

Imagens do processo

Principio à
Principio
à

Desenvolvendo

à

intervenção de um terceiro (a cor) alterar sua dinâmica. Imagens do processo Principio à Desenvolvendo à
intervenção de um terceiro (a cor) alterar sua dinâmica. Imagens do processo Principio à Desenvolvendo à

Finalizando

intervenção de um terceiro (a cor) alterar sua dinâmica. Imagens do processo Principio à Desenvolvendo à

Bibliografia

ühqp://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_ic/

index.cfm?fuseacXon=termos_texto&cd_verbete=377

ühqp:// arteconcreXsta.blogspot.com.br/

2010/09neoconcreXsmo.html

ühqp ://Xpografos.net/design/ bill.html

ühqp ://www.mac.usp.br/ mac/ templates/projetos/ seculoxx / modulo1/construXvismo/ max_bill / index.html

ühqp://juliamirandaarruda.blogspot.com.br/2012/12/arte- concreta.html