Você está na página 1de 3

O NATAL NA UCRÂNIA

Uma das celebrações mais importantes da Ucrânia, incluídas no calendário dos


feriados religiosos, é sem dúvida o Natal, comemorado a 7 de Janeiro, segundo o
calendário velho.
A véspera de Natal é chamada Sviaty-Vetchir (noite santa). Neste dia, os ucranianos
dedicam-se somente à preparação da Ceia de Natal.
Muitos são os pratos que compõem a mesa festiva, confeccionados à base de
vegetais, frutas, peixe, gorduras e cogumelos. Exemplos disso são os pratos típicos:
o borstch, o varenyky, o golobtsi e muitos outros.
O primeiro prato a ser servido é o kutiá. É feito com dois ingredientes de extrema
importância: o trigo, que simboliza a eternidade e a riqueza, e o mel, a felicidade.
Antigamente, havia uma tradição ligada ao kutiá, que era o costume de lançar uma
colherada de kutiá ao tecto: se ele ficasse colado, o ano seria próspero.
Na mesa festiva, encontram-se doze pratos diferentes, que simbolizam os doze
apóstolos de Jesus Cristo ou que, em épocas pagãs, representavam os doze meses
do ano. No centro da mesa, é colocado o kolatch, um género de pão doce.
Nalgumas regiões, este pão é entrelaçado, constituído por três pães em círculo,
colocados uns sobre os outros, com uma vela no centro. Simbolizam a Trindade e a
sua forma circular significa a eternidade. A vela, por sua vez, exprime que Jesus é a
luz do mundo.
Nalgumas regiões, a mesa também é decorada com o didukh, um pequeno feixe de
trigo, centeio ou aveia, decorado de forma especial, como símbolo de prosperidade,
que é colocado na cabeceira da mesa. A Ceia começa quando aparece a primeira
estrela no céu, o que significa que Jesus nasceu e os membros da família
cumprimentam-se pronunciando a expressão “Kristos Narodevsa!”, que significa
“Cristo já nasceu!”.
Após a Ceia, a mesa é deixada com o resto dos alimentos e coberta com uma
toalha branca até à manhã de Natal. Este ritual serve para homenagear os
antepassados que, segundo a crença, devem ser lembrados nesta noite. Os pratos
devem ser saboreados, mas nunca ingeridos até ao fim, pois, segundo a tradição,
aqueles que já faleceram regressam para a Ceia.
Por todo país também podem ser ouvidas as canções populares mais antigas da
Ucrânia, que são as Koliadkas e Stchedrivkas. Podem abordar diversos temas,
dedicadas à família, à história, aos reis, etc. Na véspera do Natal, após a Ceia, a
família reúne-se e canta Koliadkas e Stchedrivkas, que têm subjacentes temas
religiosos, como o nascimento de Jesus. No dia de Natal, as crianças e os jovens
andam de casa em casa e, antes de entrarem, cantam Koliadkas e Stchedrivkas e
encenam pequenas representações teatrais que se chamam Vertep.

Igor e Iryna Dydyk,


8ºE

Vertep Kolatch

Didukh
O NATAL NA ROMÉNIA
A Roménia é um país que se situa no sudeste da Europa. Tem cerca de 19 milhões
de habitantes e a sua capital é Bucareste. Este país orgulha-se dos vários lugares
maravilhosos onde se pode desempenhar muitas actividades físicas e culturais e
saborear inúmeras iguarias.
Uma das festas mais importantes é o Natal pelo que os cidadãos romenos se
preparam para a festa do nascimento de Cristo, mas é, também, a altura certa para
as famílias e os amigos se reunirem. As músicas tradicionais, as prendas, a árvore
de Natal, a companhia das pessoas e a neve são os elementos que não podem
faltar nesta quadra. É a época mais trabalhosa para as mães e os chefes de cozinha
de todos os restaurantes. As famosas sormale não podem faltar à mesa. Este prato
é composto por carne de porco moída, cenoura, cebola e tomate que, depois, será
embrulhado em folhas de couve. A mãmãliga, carne de porco cozida e frita, a sopa
de galinha e vários tipos de bolo também estão presentes na mesa de Natal em
qualquer família romena.
Dia 6 de Dezembro, celebra-se o São Nicolau. Este dia é muito esperado pelas
crianças porque têm que preparar as botas, ou seja, devem estar bem limpas e
postas ao pé da porta, à espera do São Nicolau para ele pôr as prendas. Nesta
época também se pregam partidas. Os pais, como são os mais velhos e deixaram
de acreditar nesse santo, recebem nas suas botas batatas, cebolas e cenouras.
No dia 24 de Dezembro, as famílias fazem a árvore de Natal, preparam as
especialidades gastronómicas e as crianças vão cantar de porta em porta canções
sobre o nascimento do menino Jesus. Depois do dia de Natal, dia 25, desembrulha-
se as prendas distribuídas pelo Pai Natal que, normalmente, são doces, roupa, livros
e brinquedos. Os romenos têm o hábito de pendurar os doces na árvore de Natal.
No dia 31, o último dia do ano, as pessoas vão disfarçar-se de bichos feios, ursos,
cabras, raposas e outras personagens que as pessoas inventam. Estes vão para a
casa dos vizinhos cantar e representar o seu papel com o objectivo de encantar e,
claro, receber algum dinheiro em troca ou frutos.
As pessoas mais velhas celebram o Natal no dia 7 de Janeiro devido às velhas
tradições, mas, normalmente, o Natal é celebrado nos dias 25, 26 e 27 de
Dezembro.
Várias famílias levam o champanhe e os copos para a rua onde, normalmente, há
algum concerto na baixa da cidade. Ao tocar da meia-noite, milhares de pessoas
abraçam-se e celebram o Ano Novo.
As tradições são muito importantes para os nativos da Roménia visto que elas
nunca se perdem, são sempre transmitidas de geração em geração.
Elena Strat, 8ºE

Sormale
Mãmãliga

O NATAL EM FRANÇA
O Natal em França não será muito diferente do época festiva em Portugal: as ruas
vestem-se de luzes e as lojas enchem-se de gente.
Nas casas, debaixo do pinheiro aperaltado para a ocasião, as prendas aguardam à
espera de serem desembrulhadas ao soar da meia-noite.
A ementa da consoada é, contudo, outra. Para começar, o foie gras é presença
assídua. Enquanto o bacalhau preside nas mesas portuguesas, o peru faz as honras
na ceia francesa… de preferência recheado com castanhas.
À sobremesa, não pode faltar a incontornável bûche de Noël, ou se preferirem o
tronco de Natal, que pode ter várias versões: de chocolate, café, castanha...
E, por fim, brinda-se com champagne, como não podia deixar de ser!
No primeiro dia do ano, há que ser generoso! Manda a tradição que se distribua as
chamadas étrennes às crianças, que podem ser pequenas prendas ou dinheiro, e se
gratifique quem nos presta habitualmente serviço, tal como o carteiro.
A quadra festiva acaba no dia 6 de Janeiro, marcando a celebração da Epiphanie -
por cá, Dia de Reis. A família reúne-se à volta da tradicional galette des rois, bolo
feito de massa folhada com recheio de amêndoa. Quem encontrar a fève, o brinde
escondido neste doce, será sagrado rei ou rainha e coroado!
Ivete

Dinde farcie aux Bûche de Noël


marrons

Galette des rois