Você está na página 1de 1

15

Umuarama, domingo, 20 de dezembro de 2009

O Melhor Presente por Ângela Russi

Qual é o melhor

“Foto por Thiago Casoni”


presente de na-
tal?
Estrela cadente,
 Quando eu era criança adorava assistir as propagandas
na época do natal. Todas eram tão lindas. É claro que o
intuito era vender, porém, raramente alguma falava sim-

sentinela
plesmente de preços e ofertas. Havia sempre uma história
feliz e emocionante que me fazia sentir que aquela data
era mágica. Uma delas, em particular, era minha favorita.

fremente!
Era do antigo Banco Bamerindus. Lembro-me de que uma
mulher caminhava com um bebê nos braços cantando uma
canção mais ou menos assim: “Uma criança por amor vai
renascer. Traz nas mãos uma esperança e sorri, pois é natal.
por Caroline Guimarães Gil  E no céu uma mesma canção de amor e paz que se faz
tão doce como o amanhecer. Quem me dera o ano inteiro
  Costumava sentar na varanda de casa e observar o céu o natal dentro de nós e para toda gente a mesma canção
na expectativa de deparar-me com uma estrela cadente que e a mesma voz. Pois a festa mais bonita é viver, é querer
pudesse realizar os meus sonhos enaltecedores. Nesta época bem. O presente mais bonito é viver, é querer bem.”
do ano - no natal - fazia muito este tipo de ação. E lá de fora, no  Ao me lembrar dessa propaganda fui buscá-la no YouTube
fundo de casa – na escuridão - observava a família reunida. As e achei. Ao ouvi-la fechei os olhos e me vi novamente criança,
mulheres na cozinha, com seus titubeares de talheres e louças, na sala de casa, assistindo TV com minha família. De olhos
a repassar receitas e cordialidades, com uma alegria escanda- fechados parecia real. O sentimento que me envolveu foi
losa. Ah! As mulheres parecem homens vestidos de mulheres mágico como o próprio natal. Revivi aqueles momentos em
quando aglomeradas! O vigor fica tão manifesto, que parecem que não tinha preocupação com o futuro e o passado era
aves de rapina que transpassam pelo céu, rasantes. O som dos tão próximo que não dava para ter saudade. Eu queria bem
aparelhos elétricos de uso caseiro, fazendo com que mal elas a minha família e minha família queria o meu bem. Sentia
próprias consigam se entender, diante tanto zunzunzum. Mas amor e segurança. Simples assim. Minha vida era ali, aquele
mesmo assim, conversam e mudam e demudam de assunto a momento, esperando pelo natal. Senti uma paz muito grande,
cada segundo! Numa liberdade que aviva, numa beleza que a paz de ser criança.  
causa inveja de se ver. O natal deveria ser isso, apenas paz. Paz para toda a
  Os homens, todos na sala, com suas cervejas nas mãos, gente. Paz que deveria estar dentro de nós o ano inteiro.
discorrendo sobre a política, que o governo isso e aquilo, cada Paz que as crianças amadas sentem.
um com sua tese e sua antítese do universo. E a televisão ligada, Conforme os anos passam acabamos sendo adultos
passando o capítulo final de alguma novela, que ninguém dá em tempo integral. As responsabilidades cotidianas nos
a mínima atenção. Ora e outra passa uma criança correndo obrigam e sobreviver é preciso. É comum respondermos
pela sala com algum brinquedo na mão, ou mesmo chorando quando somos questionados sobre quem somos com a
e reclamando que o outro não o deixa brincar. Tem também os resposta clássica: sou professor, sou médico, trabalho na
jovens que se encontram na outra sala, falando sobre música loja tal, etc. E assim, nos apresentamos adultos, pessoas
e tocando um violão. As meninas no quarto que divagam sobre responsáveis, aquelas que são fortes e sérias, sem direito a
seus amores e contam a última novidade do verão! brincadeiras bem ao estilo dos personagens que aparecem
  Quer saber?! Também quero tomar parte desta alegria es- na jornada do Pequeno Príncipe entre seu planeta e a Terra.
candalosa! Ultimamente deixei de invejar, e passei a participar Ninguém tem tempo para ser descontraído e impulsivo. E
deste júbilo extravagante. Outro dia, finalmente vi uma estrela não sobra tempo para ser nada mais além de adulto. da cidade brilham para todos? Porque sempre entramos no ingrato
cadente, e entorpeci de emoção. Era tamanha a formosura do   Por amor, uma criança precisa renascer todos os anos dentro amigo secreto? Porque queremos cear e passar a noite do dia 24
rastro que aquele luminoso deixava que esqueci de fazer o da gente: a nossa criança interior. Aquela que faz com que o natal acordados e cercados de pessoas que amamos?
pedido! Ah! Tanto tempo esperando por ela, e quando surge, seja uma época boa, tempo de nos perdoar pelas besteiras feitas Penso que é porque natal é o aniversário de uma criança eterna
mal pude soletrar um “a” diante sua presença! Entristeci-me durante o ano que está chegando ao fim. Alguém já viu criança se que nos proporciona todos os anos celebrar o nosso próprio renasci-
por um breve momento, porém refleti que havia feito jus a culpando o ano inteiro? Elas superam e vão em frente. mento em seu aniversário. Como renascer? Tornando-se criança como
sua beleza! Compareci em mim ao demonstrar que diante O natal nos oferece essa oportunidade única todos os anos. É Ele se tornou. Sem orgulho, sem imaturidade, apenas criança.
tanta magnitude da realidade, às vezes o que tanto se espera a chance de nos sentirmos crianças novamente, pois natal é coisa Natal é uma época mágica e os dias que o antecedem operam
é verdadeiramente uma ação sincera. E a minha, foi aquele de criança. Tudo no natal foi feito por uma criança para as crianças. milagres. O melhor presente de natal é estar em paz consigo mesmo.
deslumbramento. Sem falar nada, juntei meu cobertor e fui Ganhar presente? Coisa de criança. Esperar o Papai Noel? Coisa Paz interior gera paz exterior. Podem pensar que sou otimista de-
para dentro me entregar, me oferecer àquela algazarra. de criança.  Esperar comer melhor nessa data? Coisa de criança.  mais, entretanto nessa época até os pessimistas sorriem, mesmo
Vibrar ao ver a cidade iluminada? Coisa de criança. Mergulhar no que discretamente.
espírito de esperança e felicidade do natal? Coisa de criança. Enfim,   Natal é a data em que nos lembramos que vale a pena sorrir e
natal é uma data para criança curtir. consequentemente cantar:
Então, porque o ar parece diferente para todos? Porque as luzes “O melhor presente é viver, é querer bem.”

Há 23 anos atrás,
em Umuarama...
Dos Amores Prováveis por Tiago Lobão
por Tiago Lobão
Aos domingos ele saia de casa para andar a esmo pela cidade. noites, nos bate papos da vida, nos eventos da empresa, a conhecia
O dia 22 de dezembro de 1986 ficaria registrado como A semana era tão barra pesada no seu trabalho que eram raros os detalhadamente em sua imaginação. E era tudo sempre bom. “Ah,
“O Dia do Linchamento” na história da Capital da Amizade, sábados com disposição para caminhadas. Sábado era dia para lavar se ela gostasse...”.
quando a população enfurecida e insana tirou três crimi- a alma nos livros, nos filmes e no Jazz, seus benditos vícios. As semanas se passaram e suas caminhadas dominicais não eram
nosos, que haviam estuprado uma moça e assassinado seu Naquele domingo ia caminhando solitário e pensativo, como mais à esmo, elas tinha roteiro e objetivo. Sentia-se inspirado, caminhava
namorado, de dentro de uma cela da Delegacia de Polícia de sempre, até que se deparou com a mulher da sua vida. Congelou feliz e sorria ainda mais quando a via pelas ruas, mas não podia chegar
Umuarama e, além de os matar espancados, arrastaram os e tremeu de baixo à cima. Ela estava bem na usa frente, sorrindo até ela. Resumia-se a admira-la e partir. “Que lástima” – pensava.
corpos pelas ruas, através da Avenida Paraná, até a Praça o mais belo sorriso do mundo, com o mais lindo olhar do mundo, e Mais algum tempo se passou e a situação foi mudando, piorando.
Miguel Rossafa onde atearam fogo nos cadáveres. despertava nele as melhores sensações e intenções do mundo. De Não encontrava mais aquela moça tão bela, sua paixão, com tanta faci-
Saiba mais sobre esse fato histórico de nossa cidade à longe, a olhou por alguns minutos e pensou : “Que pena que não posso lidade. Durante a semana não a via mais no caminho para o trabalho e
partir do dia 22 de Dezembro, terça-feira, no www.lobserv- falar com ela...seria tão bom...” e continuou sua caminhada. nem nos atalhos; aos domingos, à pé, rareavam as vezes em que olhar
ando.blogspot.com Durante a semana começou a ver a garota em mais partes da mais lindo do mundo lhe acariciava o coração. Até que chegou o dia em
cidade. No trajeto para o trabalho, ao mercado, nos atalhos e rotas que nunca mais a viu. Para sua completa infelicidade, ela não estava
alternativas que pegava para fugir da rotina... ela estava por ali, mais em lugar algum.
sempre saltando a seus olhos. Com o coração partido, demorou à perceber, ou não queria
Pensava ele: “Será que ela iria gostar de mim? Será que ela acreditar. Não podia conceber que nunca mais veria a mulher da
gosta de Quintana, Coltrane...quem sabe Tarantino, um bom vinho... sua vida uma outra vez, nunca mais teria a chance de olhar para a
whisky, sushi... palavras cruzadas?”. Imaginava-se com ela pelas garota do Outdoor.

Leia e assine
o Jornal
Umuarama Ilustrado
3621-2500

Interesses relacionados