Você está na página 1de 17

Brasília-DF - 2009

Pr. Clayton – Min. Luz aos Povos


É o segundo livro do Pentateuco e, conseqüentemente, da Bíblia Sagrada.
Autor: Moisés
Data: 1450-1410 a.C., aproximadamente a mesma data do livro de Gênesis.
Local que foi escrito: No deserto, durante as peregrinações de Israel, em algum lugar da península
do Sinai.
A palavra êxodo significa saída, sair, e o livro recebeu este nome justamente por causa da saída dos
filhos de Israel do Egito.

Em Êxodo Jesus é o Cordeiro Pascal – Ex. 12:3

Mensagem: Redenção pelo sangue

Podemos dividir o livro de Êxodo em duas partes principais:


Primeira parte: Histórico – Caps. 1-19

a) - Escravidão – Caps. 1-2


I. A multiplicação do povo é a causa da escravidão – 1:7-12
II. Nasce o libertador: Moisés – 2:1-10
III. Os primeiros 40 anos de Moísés – Cap 2:11-15
b) - Redenção – Caps. 3-15:22
I. 40 anos no deserto de Mídia – Cap. 3
II. A chamada de Móisés – Caps. 3-7
III. O juízo de Deus sobre o Egito – Caps. 7-12
IV. Deus liberta Israel – Caps 12-13
V. Deus elimina o exército de Faraó – Cap. 14
c) - Educação – Caps. 15:23 ao Cap. 19
I. O Deserto é a escola de Deus – 15-17
II. Deus é o General do seu povo – 17:8-16
IV. Israel chega ao Monte Sinai – Caps. 19

Segunda parte: Legislação – Caps. 20-40

a) - Consagração – Caps. 20-23


I. A lei é dada como fundamento da vida consagrada – Cap. 20
II. Leis diversas – Caps. 21-23
III. Deus ordena Moisés a construir o Tabernáculo com todos os seus utensílios – Caps. 25-27
IV. Deus escolhe os filhos de Arão para oficiarem o Sacerdócio – Caps. 28-29
V. Deus escolhe os artífices para a obra do Tabernáculo – Caps. 31, 35:30-39
VI. Deus manda Moisés levantar o Tabernáculo – Cap. 40
Resumo de fatos importantes
Abaixo temos um mapa com a possível rota dos israelitas ao saírem do Egito até a terra de Canaã

a) – A Escravidão – Caps. 1-2


I. A multiplicação do povo é a causa da escravidão – vv. 7-14
i) - aqui vemos a promessa de Deus se cumprindo – veja Gn 13:16; 15:5; Nm 23:19; Jr 1:11, 12
ii)- quanto mais perseguição, mais o povo aumentava – vv. 12; At. 2:47; 4:4; 5:14
iii)- a ordem para matar os meninos hebreus preanunciava a ordem de Herodes – vv. 15-22;
comparar com Mt 2:16; Ap. 12:4, 5

II. Nasce o libertador: Moisés – Cap. 2


i)- Filho de pais levitas – v.1, 2
ii)- Mesmo tendo a ordem de Faraó para matar os meninos, seus pais não temeram – Hb 11:23
ii.i)- assim o crente não pode temer mandamentos humanos, mais a Deus – At 4:19; 5:29
iii)- Moisés dentro de um cesto é lançado no rio – vv. 3, 4
iii.i)- aprendemos aqui que devemos confiar sempre em Deus, mesmo em circunstâncias difíceis –
v.4; Sl 37:3-7; 125:1, 2; Mc 5:26-29
iv)- Deus salva Moisés – vv.5, 6
iv.i)- A descida da filha de Faraó ao rio foi ato da soberana ação de Deus – v.5 – E a filha de Faraó
desceu a lavar-se no rio, e as suas donzelas passeavam, pela margem do rio; e ela viu a arca no meio dos juncos, e
enviou a sua criada, que a tomou.
iv.ii)- A compaixão que moveu o coração dela, também era obra de Deus – v.6 - E abrindo-a, viu ao
menino e eis que o menino chorava; e moveu-se de compaixão dele...
iv.iii)- A pergunta, sugestão que agradou a filha de Faraó – v.7 - Então disse sua irmã à filha de Faraó: Irei chamar
uma ama das hebréias, que crie este menino para ti? v. 8 - E a filha de Faraó disse-lhe: Vai. Foi, pois, a moça, e chamou
a mãe do menino.
v)- A fé que gerou uma grande recompensa – v. 9; comparar com Hb 11:6
v.i)- foi por meio dela que seus pais entregaram a vida da criança nas mãos de Deus e receberam a
recompensa – v. 9.
v.i.i) – pois, criou o menino e ainda recebeu salário – v.9
v.i.ii) - devolvendo-o quando já crescido sendo adotado pela filha de Faraó – v.10

III. Os primeiros 40 anos da vida de Moisés – Cap. 2:11-15


1. Quem era Moisés?
i)- Homem instruído em toda ciência egípcia – At 7:22
ii)- Era poderoso em Palavras e obras – At 7:22

2. Moisés e seu povo – v.11 - E aconteceu naqueles dias que, sendo Moisés já homem, saiu a seus
irmãos, e atentou para as suas cargas; e viu que um egípcio feria a um hebreu, homem de seus irmãos.
i)- três atitudes de Moisés em relação ao seu povo:
1º. Ele saiu - ... saiu a seus irmãos... v.11 (atitude de alguém que queria mudança)
a. isto demonstra inconformismo com a situação dele em relação ao seu povo
a.a. enquanto Moisés teve a atitude de sair do conforto do Egito, muitos crentes estão querendo ficar no
“Egito”, pois, amam a vida aqui na terra – IJo 2:15-17
a.b. enquanto Moisés saiu para ver as coisas lá fora, tem crente que nunca saiu do seu status (está tudo
bem comigo, isto é que importa, pois, nada posso fazer por meu irmão, meu próximo).
a.c. enquanto Moisés saiu da glória do palácio real egípcio, da mesa real, tipificando a Cristo (Fp 2:5-
10), nós só queremos comer assentado á presença do Rei e viver uma vida de abundância – Ec 11:1, 2
b. outras coisas das quais devemos sair: da preguiça, do comodismo, do medo e das minhas opiniões
formadas (pois, na sua maioria não estão de acordo com a Bíblia e ela é a regra da nossa vida e não as nossas
opiniões ou conceitos humanos)
2º. Ele atentou - ... e atentou para as suas cargas... v.11 (atitude de quem
a. Seu povo estava em grande sofrimento
b. Seu povo estava em uma vida de amargura – 1:14
c. Seu povo não tinha liberdade, só opressão – 1:14
d. Seu povo estava sendo dizimado – 1:9, 10
e. Tem crente que nunca atentou para o sofrimento e escravidão alheia, por isto não faz nada – Jo
15:16; Mt 9:36, 37
3º. Ele viu - ...e viu que um egípcio feria a um hebreu, homem de seus irmãos – v.11
a. Moisés queria libertar seu povo por meio humano – v. 12; isto demonstra que o mesmo não estava
preparado para a obra de Deus
i)- Muitas vezes nossas atitudes e decisões são precipitadas e fora da vontade de Deus – v.1
ii)- Por isto fazemos de forma que ninguém descubra – v.12
ii.i)- Só que Deus tudo vê – Sl 139:7
ii)- Se tentarmos fazer a obra de Deus confiando em nossa capacidade humana não teremos êxito –
vv.11, 12
ii.i) - Tem muito crente que acha que é capacitado para alguma obra porque fez um curso ou já chefiou
pessoas.
ii.i.i)- Só que ser líder na obra de Deus é diferente de qualquer liderança secular, e curso nenhum nos
habilita para isto, ajuda, mais não é requisito essencial.
ii.ii)- A atitude de Moisés fez Faraó buscar a sua morte, logo o mesmo teve que fugir para Midiã – v.15

b) - Redenção – Caps. 2:15 ao 15:22


I.40 Anos em Mídia – Cap. 2:15 ao Cap. 4
a. Moisés vai morar em Mídia na casa de Jetro, Sacerdote de Mídia – vv.21-25
i)- Em Midiã ele constitui família – vv.21, 22
ii)- Em Midiã ele se torna homem do campo – cap. 3, verso 1
iii)- Em Midiã ele chega ao Monte Horebe e recebe a chamada de Deus – Cap.3 e 4
II. A Chamada de Moisés – Caps. 3 e 4
a. Aqui aprendemos algumas verdades para nossas vidas
1º. Deus nos chama num momento em que não imaginamos – 3:10 comparar com 2:12-14; At
7:24, 25
i. Moisés pensou que o tempo de Deus para libertar o povo era quando estava no Egito – At 7:24, 25
i.i. Assim acontece conosco, pois, devido às circunstâncias achamos que o tempo chegou, mais quem
determina o tempo é Deus – Ec. 3:1; At. 13:1-3; Mt 4:19; At. 1:8
i.ii. Noé aguardou 120 anos para entrar na arca e ver o fim da impiedade – Gn 6:3
i.iii. José esperou 13 anos para a realização dos seus sonhos – Gn 37:2 comparar com 41:46
i.iv Davi foi ungido Rei, mais esperou até aos 30 anos de idade para tomar posse do reino – I Sm 16:11,
13; 17:55; II Sm 5:4
i.v. Moisés esperou 40 anos para voltar ao Egito e libertar o povo de Israel – Ex. 2:11 comparar com At.
7:23
i.vi. Jeremias foi chamado para o ofício de profeta ainda novo – Jr 1:5-7
i.vii. Os apóstolos e discípulos andaram três anos e meio com Cristo e, só depois do revestimento de
poder é que começaram a cumprir o ide de Jesus – At. 1:8; 2:1-4, 37, 38
ii. Devemos entender que Deus só cumprirá algo em nossas vidas se fizermos a nossa parte
1. Obedecer – I Sm 15:22. 23
I.Ficai em Jerusalém até à visão celestial... – At. 26:19
II. Porquanto Abraão obedeceu à minha voz... – Gn 26:5
III. O fracasso de Saul e sua rejeição como Rei deu-se mediante a desobediência – I Sm 13:13, 14; 15:20-
23, 26-28
2. Esperar – Sl 40:1; Sl 37:7
I. Isaque esperou cerca de 20 anos para Rebeca engravidar – Gn 25:20, 21
II. Jó esperou no seu Redentor – Jó 19:25
III. Daniel esperou 21 dias para receber a resposta de Deus – Dn 10:12-14
IV. Barnabé e Paulo esperaram o chamado de Deus – At. 13:1-3 comparar com At. 9:15; 26:17, 18
V. Não importa suas condições, apenas espere – Jl 2:28, 29
3. Suportar – I Pe 4:12
I. Jó suportou as provas – Jó 1:20-22; 2:10; 19:25: 13:15
II. Abraão suportou à prova – Gn 22:1, 2; Hb 11:17-19
III. Paulo suportou todo tipo de provas – II Co 11:23-27
IV. O verdadeiro servo deve primeiro ser provado para ser aprovado – I Tm 3:6, 10 , 13

2º. Deus capacita e chama, chama e capacita – Ex. 3:10-12; 4:2, 10-17
i. Moisés relutou diante da chamada de Deus com algumas desculpas:
i.i. Não sei o seu Nome – e eles me disserem: qual é o seu nome? Que lhes direi? – Ex. 3:13-15 –
Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.
i.i.i. Eu Sou Deus dos seus antepassados – Gn 1:28; 2:15-17; 3:8, 9; 6:13; 12:1-3; 26:2; 28:13
i.i.ii. Eu Sou Deus Criador – Gn 1:1; Sl 33:6, 9; Is. 42:5; Hb 11:3
i.i.iii Antes que houvesse dia Eu Sou – Is. 43:13; Hb 13:8; Jo 8:58
i.i.iv Eu Sou o Senhor e fora de mim não há Salvador – Is. 43:11
i.i.v Eu Sou o que te formou, e te chamei, consagrei – Jr. 1:5; Gn 2:7
i.i.vi Foi Ele (o EU SOU) que te criou e te chama, este é o nome dEle para sempre – Ex. 3:15
i.ii. Não crerão... ...porque dirão: O Senhor não te apareceu – Ex. 4:1-9
i.ii.i. A Palavra tem que estar acompanhada de sinais que evidenciam o poder de Deus – Lc 10:19; I Co
2:4, 5
i.ii.ii. A igreja precisa buscar os dons e o fruto do Espírito Santo – I Co 12:7-11; 14:24, 25; Gl 5:22, 23
i.ii.iii. A igreja primitiva vivia na autoridade da Palavra e do Espírito – At. 4:33
i.iii. Ah! Senhor eu não sei falar habilmente – Ex. 4:10-12
i.iii.i. Tens a bíblia hoje, estude-a – Sl 1:1-3; 119:9, 11, 105; Jo 5:39; II Tm 2:15; 3:16, 17
i.iii.ii. Não é preciso ser um erudito para pregar , falar da Salvação, basta se dedicar a ler, orar e aprender
nos cultos – At. 17:10-12; Jo 14:26; 16:13 (Pedro, André, Tiago e João eram pescadores comparar com At.
4:13).
i.vi. Ah! Senhor! Envia a pessoa certa – Ex. 4:14-17
i.vi.i. Não podemos questionar a vontade de Deus em nossas vidas – Is. 45:9
i.vi.ii. Abrão partiu sem saber para aonde ia e não questionou – Hb 11:8
i.vi.iii. Eliseu deixou tudo para seguir Elias e, também, não questionou – I Rs 19:19-21
i.vi.iv. Sigamos o perfeito exemplo de Jesus Cristo – Mt 26:39, 42, 44
III. O juízo de Deus sobre o Egito – Caps. 5-12
a. Deus envia dez pragas sobre o Egito – Caps. 7 ao 12
i. É bom entendermos que as pragas que Deus enviou, dentre outras razões, é porque Faraó tinha um coração
duro – vejamos cap. 5, versos 1, 2, 4-8; 7:13, 14, 22; 8:15, 19, 32; 9:35
i.i. Pois, o mesmo desprezou o Deus de Israel - ... “quem é o Senhor, cuja voz eu ouvirei, para deixar ir
Israel?” – 5:2
i.i.i. Faraó não conseguiu enxergar que a própria vida de Moisés revelava o poder soberano de Deus – 7:7
i.i.i.i. Infelizmente muitos crentes estão desprezando a Deus por não darem ouvidos à sua voz – Mt 12:38;
João 8:47
1. Preferem satisfazerem seus desejos – Gn 3:6, 7 comparar com 2:16, 17; Gn 4:6-10
2. Preferem satisfazerem a vontade pecaminosa dos amigos, etc. – I Sm 15:24; Nm 22:32-35; Ap. 2:14
comparar com Nm 25:1-3; 31:15, 16; II Pe 2:15
3. Cercam-se de “mestres” segundo suas cobiças – II Tm 4:3, 4
i) - Estamos vivendo dias de muitas denominações “à gosto do freguês” – Mt 24:4 – E Jesus
respondendo, disse-lhes: acautelai-vos, que ninguém vos engane, ...não é pelas manifestações dos dons que se conhece
uma igreja e, sim pelo caráter de Cristo nela – Jo 15:16; Mt 7:15-21 (acautelai-vos), que são as virtudes do fruto do
Espírito Santo – Gl 5:22-24
4. São crentes que não querem submeter-se aos líderes, de fato, constituídos por Deus – I Co 1:12, 13;
Hb 13:17
4.1. Coré, Datã e Abirão sofreram o juízo divino por se oporem a Moisés – Nm 16:1-3, 31-33
4.2 A geração de 20 anos para cima que saíram do Egito, todos pereceram por causa da suas intensas
rebeldias – Nm 14:28-31
4.3 Saul foi rejeitado como rei de Israel e, conseqüentemente, por Deus por perseverar na rebeldia – II
Cr. 20:20; I Sm 13:13, 14; 15:22-24
4.4 Deus abomina a rebelião porque Lúcifer foi seu agente originário, levando uma terça parte dos anjos
(Ap. 12:4) e o ser humano (Gn 3:5, 6); Pv 6:16-19
4.5 Deus nos alerta que não tenhamos raiz de amargura para não cairmos em condenação – Hb 3:12, 15
4.6 Melhor do que ficar com ressentimentos é tratá-lo em oração e dirigir-se a pessoa e resolver o
problema... ...mais é resolver mesmo – Mt 18:23-27
ii. É porque Deus o levantou para revelar nele o seu poder em toda terra – Ex. 9:16; Rm 9:17
1. Fato que devia ser lembrado pela nação israelita por suas gerações – Ex. 12:17; 12:42; 13:3, 14
2. Balaque ficou atemorizado – Nm 22:3, 5, 6
3. O povo de Jericó estava apavorado – Js 2:9-11
iii. As pragas eram o juízo divino para reduzir a nada os deuses do Egito, os poderes dos magos e a
divinização de Faraó
iii.i. Rio torna-se em sangue – Ex. 7:20-23 comparar com Ap. 8:8-11; 16:3, 4
iii.ii. Praga das rãs – Ex. 8:6-8; comparar com Ap. 16:13, 14
iii.iii. Praga dos piolhos (os magos não puderam fazer o mesmo) - Ex. 8:16-19
iii.iv. Praga das moscas – Ex. 8:21-25 (sobre o povo de Israel não veio esta praga – Só Ele é Deus!!!)
iii.v. Morte do gado e demais animais egipcios – Ex. 9:3-7
iii.vi. Sarna que arrebentavam em úlceras – Ex. 9:8-12; comparar com Ap. 16:2,10, 11
iii.vii. Saraiva de pedras por todo o Egito – Ex. 9:18-26; comparar com Ap. 16:21
iii.viii. Praga dos gafanhotos – Ex. 10:13-15 comparar com Ap. 9:1-11
iii.iv. Terra do Egito em densas trevas – Ex. 10:21-23 comparar com Ap. 8:12; 16:10
iii.v. A Morte dos primogênitos – Ex. 11:4-7; 12:23, 29, 30 comparar com Ap. 9:1-6

iv. O juízo de Deus é algo real e muito sério, firmado em sua justiça – Rm 2:2, 6-8;
iv.i. Podemos vê-lo em vários aspectos, sempre sobre a maldade e o pecado:

IV. Deus Liberta Israel – Caps. 12 e 13


a. A instituição da Páscoa – Cap. 12
i. Foi instituída quando Israel se encontrava ainda no Egito – vv. 11, 12
ii. Era a festa que comemorava a libertação do Egito e o livramento divino – vv. 12, 13, 17, 23
ii.i. Nesta festa eles sacrificariam um cordeiro ou cabrito por família – vv. 3-5
ii.ii. Nada tem a ver com a páscoa que se comemora nos dias de hoje
1º. Porque o termo páscoa no hebraico pesah significa: “pular além da marca”; “passar por cima”; “ou
poupar”.
a. foi o que aconteceu, Deus disse que passaria por cima e não haveria entre eles pragas de mortandade –
vv. 12, 13
2º. Na páscoa, os judeus sacrificavam e comiam o cordeiro ou um cabrito, ovo de páscoa é invenção –
v.5
b. Chega ao fim 430 anos de opressão – v. 40
i. Resumo da história do Povo de Israel
1º. Surge a partir da chamada de um casal: Abraão e Sara – Gn 12:7; 13:14, 15; 15:4, 5
1. O surgimento da nação de Israel é um milagre de Deus e a mesma só existe porque o Senhor é Deus
2. Sarai era estéril – Gn 16:2; mesmo nesta condição o Deus Todo-Poderoso permitiu ela engravidar
aos 89 anos de idade – Gn 21:1-7
3. De Isaque veio Jacó e dele seus doze filhos, sendo que no tempo de grande fome desceram 66
pessoas da casa de Israel para o Egito – Gn 46:26; José desceu primeiro e com sua família contavam 75
pessoas – At. 7:14. 430 anos depois eles eram 600 mil homens, fora as crianças, podemos imaginar que
havia pelo menos 2 a 3 milhões de pessoas – Ex. 12:37
3.1 Aqui vai alguns ensinos importantes para nós.
1º. Para Israel Deus tem uma promessa aqui na terra, ou seja, possuir a terra prometida – Gn 12:7; 15:5,
7, 18-21. Nesta briga milenar entre Israel e seus vizinhos somente Jesus Cristo cumprirá a conquista
total da Terra para seu povo. A promessa da igreja é superior – Jo 14:1-3; I Ts 4:13-18; Fp 3:20, 21
4. Israel não tem do que se gloriar, pois, deve sua existência a Deus – Is. 49:15
5. Quantas vezes tentaram dizimar este povo mais Deus nunca permitiu e jamais permitirá
4.1 Os egípcios tentaram e foram derrotados – Ex. 1:8-22; 14:26-31
4.2 Seom e Ogue tentaram e todos seus exércitos foram destruídos – Sl 135:11, 12
4.3 Balaque até tentou amaldiçoar o povo, mais Deus inverteu esta tentativa em benção – Nm 23:20-23
4.4 No Séc. XX Hitler tentou eliminá-los, mais Deus não deixou – Foram 6 milhões de Judeus mortos.

V. Deus elimina o exército de Faraó – Cap. 14


a. Mesmo depois de seu primogênito morrer, faraó endurece seu coração e persegue o povo de
Israel – v.5. Isto revela a obstinação de Faraó, o mesmo se considerava um deus e os deuses do
Egito os maiores como nenhum outro, logo dá para entender que, simplesmente, não queria se
dobrar diante de Deus e reconhecer que o Deus dos hebreus era o Senhor Todo-Poderoso.
b. Partiu com seu exército todo preparado contra Israel – vv. 6, 7, 9
c. O agir de Deus
1º. Deus ordena Moisés a abrir o Mar tocando com sua vara para Israel atravessar – vv. 16, 21,
22
2º. O Anjo de Deus e a coluna de nuvem se coloca entre o povo e os egípcios – vv. 19, 20
3º. Os egípcios morrem dentro do Mar Vermelho – vv. 23-28
d. Aprendemos algumas verdades dentro do que estudamos até aqui
1º. O Egito representa o mundo
i) – Assim como os israelitas estavam escravizados no Egito, Jesus nos tirou da escravidão do mundo
Jo 17:14
i.i) – Logo, o crente é ordenado a não amar o mundo - I Jo 2:15-17;
i.ii) – A não ser amigo do mundo - Tg 4:4;
i.iii) – A não se conformar com o mundo - Rm 12:1, 2
i.iii.i) – para isto temos que oferecer nossas vidas abnegadas ao Senhor, sempre agradável e santo – v.1
i.iii.ii) – e sermos sempre renovados, nos padrões bíblicos sob a unção do Espírito Santo, em nossa
maneira de pensar com o intuito de AGRADAR A DEUS – v.2
i.iv) – pois, este mundo tem um príncipe – Jo 12:31; 14:30; 16:11 comparar com Lc 4:5, 6
2º Faraó tipifica satanás
i) – Assim como os israelitas tinham um rei tirano (Faraó) que os escravizava, Jesus nos libertou
de satanás – Ef. 2:1, 2
i.i) - Ele prende as pessoas com enfermidades – Lc 13:13, 16; comparar com Jó 2:7, mais Jesus
carregou nossas enfermidades – Is. 53:4
i.ii) - Ele prende as pessoas com sua possessão – Mc 5:1-5 – Mais Cristo Liberta – At. 10:38
i.iii) - Ele prende a mente dos incrédulos – II Co 4:4 – mais Jesus, por meio do seu evangelho
liberta Rm 1:16
i.iv) - Ele escraviza as pessoas numa vida dissoluta – Ef. 2:2 – Mais Jesus liberta – Lc 7:47-50;
Mt 4:16
i.v) - Ele veio para matar, roubar e destruir – Jo 10:10a; Hb 2:14, 15 – Mais Cristo veio para dar
vida – Jo 10:10b; Jo 14:6; 3:16; 7:37, 38

ii) – Assim como Deus julgou e condenou a Faraó, da mesma forma condenou o diabo – Jo 16:11
ii.i) - Ele é o criador do pecado – Ez. 28:15-17; Is. 14:12-14
ii.i.i) - pecou por se achar Deus – Ez. 28:17; Is. 14:13, 14
ii.i.ii) - seduziu e atraiu uma terça parte dos anjos – Ap. 12:4
ii.i.iii) - enganou Eva no jardim do Éden – Gn 3:1-7
ii.i.iv) - Ele é o nosso incansável acusador – Ap. 12:10 comparar com Jó 1:9-11; 2:4, 5
ii.i.v) - Deus o expulsou do céu – Lc 10:18; Ez. 28:17
ii.i.vi) - em breve será derrubado na terra – Ef. 6:12; Ap. 12:10, 13; 13:1
ii.i.vii) - na dispensação milenial será preso no abismo – Ap. 20:1-3
ii.i.viii) – por fim, após o milênio será lançado no lago de fogo – Ap. 20:10
c) - Educação - Caps. 15:23 ao Cap. 19
I. O Deserto é a escola de Deus:
1º. Para o povo aprender a depender de Deus – Dt 8:2, 3
i) – Águas de Mara (águas amargas) – vv.23-27 – nos ensina duas coisas:
i.i) – Primeiro: Que a vida dos israelitas era dura, amarga no Egito mais Deus muda o amargo em doce
– ...e as águas tornaram-se doce. Deus os tirou da amargura para a doçura de sua presença (que
proporciona liberdade – Jo 8:32, 36; Jo 10:10)
i.ii) – Segundo: Que servir a Cristo é doce e amargo – Mt 11:28-30; 16:24 – Isto mesmo! Quando
aceitamos a Cristo aprendemos o fundamento da sua Palavra e ficamos maravilhados com a vida
eterna, o céu, a glória de Deus, as recompensas e tantas outras coisas que nos foi prometida e, isto é
doce para nosso paladar, mais quando vem às provações, tentações, e tantos outros problemas como
perseguições, etc., ela se torna amarga em nosso ventre neste sentido. Assim, vemos que Israel ficou
alegre ao saber que iriam sair do Egito, mais bastou a primeira prova para sentirem que servir a Deus
não é somente receber bênçãos e sim passar por provas e saber que em todas elas o Senhor tem um
propósito estabelecido. Veja Ez. 3:3; Ap. 10:8-11. Se desejarmos aperfeiçoamento, devemos estar
cientes do que a Bíblia diz sobre vida cristã e aceitar a vontade de Deus em nossas vidas.
ii) - Pão do céu – Cap. 16 – aprendemos coisas importantíssimas aqui e vamos colocá-las em
ordem
ii.i) – o povo volta a pensar no Egito – v. 3 “disseram-lhes os filhos de Israel: Quem nos dera
tivéssemos morrido pela mão do Senhor, na terra do Egito...”
ii.i.i) – isto demonstra que eles saíram (fisicamente) do Egito mais não foram libertos do Egito.
Qualquer prova já era motivo para os mesmos se lembrarem do Egito. Quantas pessoas aceitam a
Cristo mais quando o Senhor permite a provação começam a se lembrar do mundo e dizem para o
Senhor que quando estavam no mundo suas vidas era bem melhor. Mais isto é lógico, pois, antes não
éramos odiados pelo mundo, mais agora somos, vamos esperar o quê? Veja Jo 15:19; 16:20, 33
ii.i.i.i) – Além do mais este século tem um príncipe: Satanás – Jo 12:31; 14:30; 16:11
ii.i.i.ii) – tem um deus – II Co 4:4
ii.i.i.iii) – tem um reino – Lc 4:5, 6 (que ele usurpou, tomou do homem por meio do pecado – Gn 3:1-
7)
ii.i.i.iv) – não devemos amar este mundo (sistema) – 1Jo 2:15-17
ii.ii) – panelas de carne – v.3 “...quando estávamos sentados junto às panelas de carne...”
Logo o que os israelitas desejaram? Carne! Moralmente falando, carne é sinônimo de natureza caída,
pecado, obras carnais. Infelizmente, na sociedade hodierna o que tem prevalecido é a carnalidade em
todas as esferas, em todas as áreas da vida humana e, pior é que isto tem entrado em muitas igrejas.
Quantos crentes carnais há hoje? As brigas, contendas, facções, disputas, irmão que leva outro perante
a justiça, outros ávidos por bens materiais só pensam em si mesmos, etc., o que é isto se não
carnalidade. Sem falar de pecados sexuais. Vejamos o que revela a bíblia sobre a carne e suas
variantes: os versos abaixo somente demonstram nossa natureza humana, pecaminosa.
ii.ii.i) – Deus disse que seu Espírito não agiria para sempre no homem porque o mesmo é carnal – Gn
6:3.
ii.ii.ii) – O que é nascido da carne é carne... – Jo 3:6
ii.ii.iii) – vós julgais segundo a carne – Jo 8:15
ii.ii.iv) – falo como homem, pela fraqueza da vossa carne... – Rm 6:19
ii.ii.v) – Porque, quando estávamos na carne... ...fruto para a morte – Rm 7:5
ii.ii.vi) - ...na minha carne, não habita bem algum... – Rm 7:18
ii.ii.vii) - ...mas com a carne à lei do pecado – Rm 7:25
ii.ii.viii) - ...que não andam segundo a carne... – Rm 8:1
ii.ii.ix) - ...porque a inclinação da carne é morte... – Rm 8:6
ii.ii.x) - ...porque a inclinação da carne é inimizade contra Deus... – Rm 8:7
ii.ii.xi) - ...estão na carne não podem agradar a Deus... Rm 8:8
ii.ii.xii) – para que nenhuma carne se glorie perante Ele – I Co 1:29
ii.ii.xiii) - ...entregue a satanás para destruição da carne... – I Co 5:5
ii.ii.xiv) - ...que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus... – I Co 15:50
ii.ii.xv) - ...não useis então da liberdade para dar ocasião a carne... – Gl 5:13
ii.ii.vxi) - ...os que são de Cristo crucificaram a carne... – Gl 5:24
Creio que estes já são suficientes para entendermos que nossa natureza humana é terrivelmente
corrupta (veja Jr 17:9), é pela graça de Cristo e a vida no Espírito que somos vencedores – Ef. 2:8, 9;
Gl 5:16
ii.iii) – vamos morrer de fome! – “...e comíamos pão a fartar! Pois nos trouxestes a este deserto, para
matardes de fome toda esta multidão” – v.3 – Para os israelitas era melhor ficar escravizado, em
intenso sofrimento do que “morrer de fome” (veja e analise o cap. 1, versos 13, 14 que relata a
intensidade do sofrimento do povo). Na verdade, a fé do povo era fraca e temporária, não conseguiam
crer que Deus estava no meio deles. Tanta coisa para pensar! Eles pensaram em morte! Diante dos
sinais que o Senhor revelara aos olhos dos israelitas só restava a eles crerem de fato que o Senhor iria
sustentá-los. Isto demonstra como eles estavam distantes de Deus, Ele estava tão próximo mais o povo
tão distante.
ii.iii.i) – A vida é dom de Deus, logo se o povo pensava em morte é porque não gozavam desta fé no
Senhor – Gn 2:7; Rm 3:23; Jo 10:10; Jo 3:16
ii.iii.ii) – Jesus venceu o que tinha o poder da morte para nos livrar da morte (eterna) e do medo dela –
Hb 2:14, 15; Fp 1:21
ii.iii.iii) – as portas infernais não prevalecem contra a igreja do Senhor – Mt 16:18; Lc 12:4, 5
ii.iii.iv) – se estás com medo de morrer por causa de suas duras provas. Se o Senhor Deus tem lhe
provado quanto à alimentação, apenas dando-lhe o diário, não temas Ele cuida de você – Mt 6:25-34.
ii.iv)- Deus prometeu sustentar o povo e, assim testar-lhes a obediência – Ex. 16:11, 12
ii.iv.i)- Nem todos obedeceram a ordem de Deus: deixavam para o outro dia – Ex. 16:4, 19, 20
ii.iv.ii)- Somente na sexta deveriam pegar porção dobrada – vv.5, 27, 28
ii.iv.ii.i)- Da mesma forma, hoje existem crentes que não conseguem obedecer a palavra de Deus, se
tornando rebeldes ao Senhor. Vejamos algumas características deste tipo de crente:
ii.iv.ii.i.i)- Orgulhosos – isto mesmo! Não se submete à liderança, gostam de se opor e querem fazer
as coisas conforme acham melhor. Não era isto que estava acontecendo! Deus ordenou que ao sexto
dia o povo pegasse maná em dobro, pois, o sétimo dia era o dia de descanso. Mais alguns não
quiseram obedecer, ensoberbecidos, resolveram sair e foram repreendidos e, conseqüentemente,
envergonhados diante da congregação. É isto que acaba acontecendo com crente que não gosta de se
submeter acaba sendo envergonhado diante das pessoas
ii.iv.ii.i.ii)- Não querem reconhecer a liderança – vv.4, 5, 19, 20, 25-27
Em outras palavras podemos imaginar aqueles rebeldes olhando para Moisés pensando: quem é ele!
Ou quem ele pensa que é? Não conhecemos sua família? Não sabemos que é da casa de Levi? Não
esteve ele conosco no Egito mais sem ter passado pelo que passamos? Não era ele filho adotivo da
filha de Faraó? E o que ele fez por nós? Agora ele aparece depois de quarenta anos e quer ser o nosso
líder usando o nome de Deus? Não vamos obedecer este Moisés, vamos fazer o que achamos correto.
É claro que é muito difícil fazer uma declaração real do que passava na cabeça dos desobedientes,
mais para quem é líder, ou seja, pastor de uma igreja sabe muito bem que estas coisas acontecem hoje
em nosso meio. Muitos pastores já passaram e enfrentaram oposições em sua caminhada ministerial,
por isto é relevante imaginarmos isto. Deixando claro que isto não está escrito no relato bíblico, é
apenas uma provável situação que deveria estar ocorrendo na liderança de Moisés. Isto fica evidente
para nós no relato da rebelião de Coré e seus aliados – veja Nm 16:1-5. Só porque conheciam Moisés
não era motivo suficiente para se rebelar contra ele, mais quando alguém está cheio de si mesmo é
muito difícil se submeter aos líderes colocados por Deus.
ii.iv.ii.i.iii)- geralmente são crentes isolados que criam seus próprios conceitos em servir a Deus –
v.20
Esta é uma triste realidade que enfrentamos hoje. É claro que isto sempre existiu. Mais o que temos
visto de crentes que só faltam dizer que tem uma carteirinha de cristão independente, não é
brincadeira. São aqueles que se metem em tudo para colocar sua perniciosa opinião. Julgam-se,
conhecedores de Deus e da sua Palavra. Comunhão, só de fachada, pois, os que se opõem a sua
maneira de ver as coisas são errados e não servem para ter sua amizade. São peritos em criticar a
liderança, os irmãos que são fiéis e a obra do Senhor, mais evangelizar e contribuir que é bom nada.
Na verdade estes tipos de pessoas só querem aparecer e se mostrarem muito sabedores das coisas
quando não sabem é nada. Como Coré que disse que toda a congregação era santa e que Moisés e os
demais líderes estavam se engrandecendo sobre o povo (Nm 16:3). Qual foi o fim dele e dos demais?
ii.iv.ii.i.iv)- são pessoas materialistas – vv.20, 25-27 – entenda-se que materialista não é somente
aqueles que só buscam coisas materiais e, sim todos os que não crêem na providência divina, estes
também são considerados pessoas materialistas, isto porque tais “crentes” vivem a mercê do visível, do
palpável, do que é comum a razão humana, assim não podem crer em milagres, duvidando do poder de
Deus para trazer provisão diária. Devemos tomar muito cuidado, pois, Cristo deixou uma indagação e
afirmação em Lucas 18:8b dizendo: Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé
na terra? Vivemos dias em que a fé genuína em Deus está desaparecendo de muitos cristãos. Podemos
observar que estão mercantilizando a crença em Deus, ou seja, as pessoas, na sua maioria, querem um
Jesus que resolva seus problemas materiais, pessoais, etc., e não uma proposta de um Salvador
amoroso que veio com o objetivo de salvar a raça humana da condenação eterna. Devido as propostas
da teologia da prosperidade, movimento da fé, muitos crentes abandonaram sua crença bíblica em
Deus seduzidos e atraídos pelo passageiro, fútil, que de fato, não pode satisfazer a alma humana
sedenta de Deus. Deste tipo de pessoas e doutrinas devemos nos afastar, pois, não nos leva a ter um
compromisso com Deus e sua vontade e, sim tentar fazer de Deus “o fictício gênio da lâmpada” (longe
dEle tal coisa) que está pronto a fazer o que for pedido. A verdadeira fé tem Jesus como centro e
Senhor (Hb 12:2) e a Palavra de Deus como regra de conduta (Sl 119:105). Sem estes dois pilares não
há como dizer que somos cristãos.
iii)- A murmuração do povo – Cap. 17
iii.i) – a contenda do povo contra Moisés – vv.2, 3
iii.i.i)- era um povo que murmurava por tudo – v.3 – infelizmente, hoje temos crentes que são
verdadeiros murmuradores, não estão satisfeitos com nada
iii.i.i.i)- murmuram da liderança em geral
iii.i.i.i.ii)- murmuram das suas dificuldades como se fossem os únicos que passam por provações
iii.i.i.i.iii)- murmuram se não tem oração e se tem murmura por causa do horário
iii.i.i.i.iv)- se alguma coisa não está de acordo com aquilo que acha que é certo, só sobra murmurações
iii.i.i.i.v)- o murmurador muitas vezes existe porque tem gente para apoiá-lo e quem o faz está pecando
também
iii.i.i.i.vi)- o murmurador murmura porque só fica procurando erros dos outros e se esquece dos seus –
Mt 7:3-5
iii.i.i.i.vii)- quem murmura está caído – “Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia” – I Co
10:12. Assim nesta condição está em pecado – I Tm 2:14 ...caiu em transgressão (desobediência a
Palavra de Deus. Está escrito para não murmurarmos, logo se o fazemos estamos transgredindo a
Palavra do Senhor – I Co 10:10
iii.i.i.i.viii)- Deus não ouve oração de quem está em pecado – Is. 59:1, 2
iii.i.i.i.ix)- porque o mesmo está separado de Deus – Rm 3:23
iii.i.i.i.x)- o fim de todo murmurador é sofrer o juízo de Deus – “Nem murmureis, como alguns deles
murmuraram e foram destruídos pelo exterminador” – I Co 10:10
iii.i.i.i.xi)- a ordem divina é para não murmurarmos – I Co 10:10 Nem murmureis...
iii.ii) – o povo tentou a fidelidade de Deus – v.7 - E chamou o nome daquele lugar Massá (provocação)
e Meribá (contenda), por causa da contenda dos filhos de Israel e porque tentaram ao Senhor, dizendo:
Está o Senhor no meio de nós ou não?
iii.ii.i)- se Deus está no meio de nós porque então está faltando o básico? Eu glorifico ao Senhor
porque esta passagem é uma evidência clara de que prosperidade financeira, material, não é requisito
para provar que Deus está com uma pessoa. Em vez de murmurar, colocar Deus à prova devemos é dar
glória e lançar sobre Ele nossas necessidades, pois, é fiel para nos sustentar – Mt 6:25-34
iii.ii.ii)- Satanás incitou Jesus para que o mesmo tentasse a Deus – Mt 4:3, 6 e Cristo o venceu pela
Palavra – vv.4, 7
iii.ii.iii)- um crente que não estuda a Palavra de Deus e a pratica é presa fácil de Satanás e de seus
enganos, pois, o mesmo tem a função de distorcer a Santa Palavra com o objetivo do crente duvidar da
bondade, fidelidade de Deus – Gn 3:1, 4, 5
iv)- Moisés aprende a dividir a carga – Cap. 18
iv.i)- a responsabilidade dele – vv.18-20
iv.i.i)- representar o povo perante Deus – v.19 - ... representa o povo perante Deus, leva as suas
causas a Deus...
iv.i.i.i)- Moisés deveria ser o mediador entre Deus e o povo. Neste sentido Moisés é um tipo de Jesus
Cristo, pois, nosso Salvador é o único mediador entre Deus e os homens – I Tm 2:5
iv.i.i.i.i)- intercedendo – ver Ex. 32:11-14
iv.i.i.i.ii)- levando as causas do povo perante Deus – v.19 - ...leva as suas causas a Deus... – aqui
aprendemos grandes verdades sobre liderança:
iv.i.i.i.ii.i)- primeiro: todo líder e crente deve saber que decisões acerca da igreja do Senhor deve ser
tomada sob a direção e orientação do Espírito Santo – ver: At. 15:28, 29; 13:1-4. O que temos
observado hoje é que muitas denominações tomam decisões conforme desejam (pois, tem membros
que querem mandar na igreja e na liderança e líder que só quer fazer sua própria vontade) e não como
Deus quer. Usam estratégias do mundo para “ganhar almas”; usam recursos puramente humanos para
atrair pessoas para suas denominações. O pior é que se gloriam de estar fazendo a obra de Deus. É por
isto, também, que o batismo no Espírito Santo tem sido algo quase que raro em nossas igrejas. A frieza
tem tomada de conta de muitas vidas, pois, trocamos a unção do Espírito Santo pelos métodos
humanos.
iv.i.i.i.ii.ii)- segundo: temos que agir segundo a sabedoria divina e não somente no conhecimento que
adquirimos – II Cr 1:7-12. Muitas vezes exageramos achando que só porque somos líderes ou já
lideramos por algum tempo, temos experiência suficiente para realizar a obra de Deus e tentamos
impor o mesmo ritmo de trabalho para outra obra da qual fomos incumbidos de realizar. A verdade é
que cada situação é diferente, ainda que muitas coisas sejam iguais, as estratégias nem sempre, ou na
maioria das vezes, serão as mesmas. É evidente que quem lidera há muito tempo tem mais experiência,
maturidade do que outro que começou recentemente, mais isto não garante sucesso no ministério. O
que fará toda diferença é a dependência do Espírito Santo – Jo 14:26, 15:26; 16:13
iv.i.i.i.ii.iii)- terceiro: até para disciplinar temos que fazê-lo segundo a justiça de Deus. Nisto muitos
erram, porque não estudam a disciplina bíblica e nem oram também pedindo a Deus graça, até porque,
é ser humano disciplinando outro – Hb 12:6
iv.i.i.i.ii.iv)- quarto: quem está liderando (ou deseja) deve ter certeza que tem chamada de Deus para
isto
iv.i.i.i.ii.iv.i)- Moisés tinha e relutou com Deus
iv.i.i.i.ii.iv.ii)- Deus escolheu Davi. Aparentemente, ou na visão humana, Eliabe, era o mais preparado.
Pois, o mesmo tinha todas as características de um rei: Boa aparência, estatura, além de fazer parte do
exército de Israel. Mais Deus escolhe segundo sua justiça e não pelo que temos, pelas habilidades (são
boas e úteis mais, nunca pré-requisito para chamada) – I Sm 16:6, 7.
iv.i.i.i.ii.iv.iii)- Arão, no primeiro momento em que ficou com a responsabilidade do povo se deixou
levar – Ex. 32:1, 2, 21, 22
iv.i.ii)- ensinar os estatutos e as leis – v.20 – ensina-lhes os estatutos e as leis... - Este era mais um
dever de Moisés. Assim todo pastor ou obreiro que esteja pastoreando deve saber que uma das suas
principais funções é ensinar a Palavra de Deus – At 6:2, 4. Uma igreja perde muito em crescimento
quando o líder da mesma tem que se ocupar com coisas secundárias. É claro que um pastor pode
realizar serviços materiais, mais esta não é a principal função do mesmo. Por isto, é bom que cada
crente, procure aliviar o líder para que o mesmo possa se dedicar ao estudo da Palavra. Outro fator
relevante é que, devido a alguns exageros, legalismo de certos teólogos, muitos líderes não aceitam
com bons olhos a necessidade de se fazer um bom curso de teologia. E o pior, se realizássemos uma
pesquisa, ou um tipo de crivo com grande parte de obreiros dirigentes e até mesmo os que auxiliam,
para que estes servos, pelo menos citassem quais as principais doutrinas da bíblia, creio que uma boa
parte não saberia explicar e, acabaria fazendo uma grande mistura. Tenho observado que alguns não
sabem nem explicar a trindade, fazendo confusão entre natureza e personalidade. Isto é sério para
deixarmos de lado. Não que todos irão, de fato, se formar, se tornarem mestres, mais precisamos fazer
cada líder entender que teologia nada mais é do que “estudo acerca de Deus”, e que a mesma se revela
quando começamos a estudar a bíblia (pois, é ela que nos revela o Deus que adoramos e servimos).
Vejamos algumas boas razões para um líder se dedicar ao ensino da Palavra:
iv.i.ii.i)- habilita os fiéis a se guardarem de ensinos contrários a bíblia – I Tm 4:6, 11, 13, 16 (vide o
contexto para maior entendimento). Um líder deve transmitir a Palavra de Deus de forma que cada
crente em Jesus possa ser guardado das heresias.
iv.i.ii.ii)- habilita os fiéis a entender o plano de Deus em relação ao ser humano, mundo, etc. – II
Tm 2:15; 3:15, 16. Muitos crentes não entendem nem o que é salvação, ou seja, não sabem explicar
porque não entendem o plano de salvação. Certa feita, em um evangelismo dominical, me aproximei
de um grupo de adolescentes, depois da apresentação inicial, começamos a discorrer um pouco sobre
salvação, num dado momento, antes de prosseguir questionei para as jovens se elas sabiam o que
significava salvação (não o termo em si mais a obra de Cristo Jesus) uma delas me respondeu que não,
as outras se calaram e, depois de dar uma explicação acerca desta obra, a que havia dito que não sabia
me disse que era crente. Sai dali triste por ver que temos adolescentes, jovens, irmãos que há muito
tempo estão congregando, participando de cultos mais não tem, de fato, aprendido ensinos básicos a
vida cristã. Assim pude ver que era grande a responsabilidade de ensinar. É fato que não podemos
dizer que seja falta de ensino nas igrejas e, sim que muitos não estudam a bíblia e não gostam de
escola dominical (as que ainda tem) e cultos de ensino (que algumas denominações excluíram de suas
programações). Precisamos de ensinadores, mestres, obreiros compromissados em ensinar a verdade.
iv.i.ii.iii)- habilita os fiéis a serem ativos, sempre abundantes na obra do Senhor – I Co 15:58. Deus
nos convocou para trabalhar e realizar sua vontade. Quando ensinamos sobre isto, temos irmãos que
são despertados a trabalharem e se tornam verdadeiros cooperadores da obra e deslancham no
ministério – veja Ag. 1:2-14. Maravilhoso quando analisamos este livro e, uma igreja onde o líder
enfatiza o ensino da Palavra Deus gera despertamento e, conseqüentemente, as bênçãos do Senhor
caem sobre a vida do povo.
iv.i.ii.iv) – habilita os fiéis a viverem em santidade – I Ts 4:3; I Co 3:16, 17; 6:19, 20; I Pe 1:15, 16
Que possamos entender que santidade nada mais é do que uma vida dedicada a Deus. Isto parte de
um coração transformado pelo Espírito Santo. Muitas vezes achamos que santidade é ser radical, ou
melhor, extremistas em tudo, do tipo que condena tudo sem ter compaixão e misericórdia dos erros
alheios. Concordar com o pecado jamais devemos, mais temos que tomar o cuidado de não nos
tornarmos santarrões aos olhos das pessoas, pois, isto será uma grande barreira para se pregar o
evangelho. Santidade é estar separado para Deus. Esta separação quem nos mostra como deve ser é o
Espírito Santo pela Palavra de Deus, vejamos isto:
iv.i.ii.iv.i) – Deus é o nosso modelo infalível de santidade – I Pe 1:15, 16; Lv 19:1, 2
iv.i.ii.iv.i.i) – pois, seus padrões morais são elevados, são perfeitos – Gn 6:3, 5, 6; Mt 5:20 ver ainda
dos versos 21 ao 48. Nestes versos iremos ver como nossa justiça deve exceder a dos escribas e
fariseus. Ainda tem gente que brinca com a graça de Jesus com pretexto de que estamos na graça, mais
pelo exposto nos versos fica evidente que a graça é mais exigente quanto nossas atitudes, devem ser
elas diferenciadas, divina e perfeita (v. 48). Sabe porque isto? Porque a lei tentava eliminar o pecado
dando um julgamento no ato: matou morre, adulterou morre, feriu será ferido, etc, mais a graça não ela
trata do pecado, da procedência deste que é na natureza humana e carnal. Enquanto na lei o homicida
era levado a julgamento (pelo ato consumado), Jesus Cristo mostra que o fato de se irar contra um
irmão é motivo de julgamento. Logo a graça não é mais tolerante com o pecado e, sim ela trata do mau
que está no coração antes deste se exteriorizar. Assim Jesus nos mostra que o pecado se revela não é
no ato consumado e, sim no momento em que se projeta no coração – Mt 15:19, 20; Pv 4:23;
iv.i.ii.iv.i.i.i) – Só podemos alcançar este nível de santidade por meio do Espírito Santo – I Co 3:16; Gl
5:16
iv.i.iii) – Constituir obreiros para auxiliar – v.22 - E tu dentre todo o povo procura homens capazes,
tementes a Deus, homens de verdade, que odeiem a avareza; e põe-nos sobre eles por maiorais de mil,
maiorais de cem, maiorais de cinqüenta, e maiorais de dez;
É fato que ninguém trabalha sozinho é sempre bom ter do nosso lado pessoas que possam nos
ajudar a realizar um trabalho. Assim, também aconteceu com Moisés. Ao ver a forma que seu genro
tratava com o povo, devido a imensidão do mesmo (cerca de 3 milhões), Jetro aconselha Moisés a
dividir a carga senão o mesmo iria desfalecer. Da mesma forma, na obra de Deus há trabalhos para
todos. O Pastor não pode trabalhar sozinho, ele necessita de ajuda, de auxiliares que o ajudem a
carregar a carga. Veremos agora fatos importantes para àqueles que desejam auxiliar na obra do
Senhor:
1º. Precisa ter visão – Ex. 18:14 - Vendo, pois, o sogro de Moisés tudo o que ele fazia ao povo, disse: Que
é isto, que tu fazes ao povo? Por que te assentas só, e todo o povo está em pé diante de ti, desde a manhã até à
tarde?
Hoje é comum em nosso meio os crentes em geral ter visão do que acontece dentro da igreja, mais o
que é lamentável é que muitos vêem os erros e em vez de ajudarem o líder fazem uso daquele erro para
falar mal. Parece que criticar é a melhor forma para esses irmãos que na maioria das vezes são viciados
nesta prática. Na obra de Deus não há lugar para críticos destrutivos. Se observarmos alguma falha
num determinado setor da igreja nosso dever é ajudar para que a falha ou falta seja sanada. Exemplo:
se na congregação que estamos não tem ninguém que se interessa pela área social, em vez de dizer que
o líder parece não estar nem aí para isto, tome a atitude de levantar este departamento, setor. Ajude!
Pois, dentro da igreja o que não vai faltar é serviço e o Pastor não consegue fazer tudo sozinho.
Aprendamos com os exemplos abaixo.
1. Jesus – Mt 9:36 – O Senhor Jesus viu uma multidão e teve grande compaixão dela, pois, eram
como ovelhas que não tinham pastor. Em outras palavras estavam perdidas!!! Jesus teve visão da situação
desgraçada, pecaminosa da raça humana (cuidado espiritual, destino das almas).
2. Neemias – Ne 2:13 – Neemias, um servo do Rei Artaxerxes, copeiro, não tinha ele nenhuma
função sacerdotal ou religiosa, mais se interessou pelo bem estar de seu povo e de sua terra. Procurou saber
como estavam os que ficaram em Jerusalém e a real situação da cidade, depois das más notícias orou e clamou
a Deus para que o mesmo alcançasse favor perante o rei sabe por quê? O mesmo estava decidido a fazer algo
pela sua NAÇÃO. Deus lhe concedeu o desejo do seu coração e quando chegou na cidade saiu a noite e teve
uma visão completa da situação dos muros de Jerusalém. A Cidade estava sem seus muros e portas, mais em
vez de Neemias criticar os líderes, os nobres, os magistrados, os sacerdotes, ele tomou a atitude de fazer
alguma coisa e Deus o abençoou. É isto que Jesus espera de todos nós!!! Em lugar de ficar falando mal,
reprovando tudo, faça algo que vai abençoar a todos os irmãos! Saiba que isto não depende de função ou
cargo eclesiástico tem muitos que estão abarrotados de títulos mais pra quê não fazem nada! Para realizar a
obra de Deus o crente não precisa esperar que o Pastor o convoque para tal, mais o próprio pode tomar uma
atitude diferenciada. É evidente que para alguns setores da igreja o líder irá escolher (pelo Espírito Santo)
aqueles (as) que estarão liderando, tais como Mocidade, Senhoras, Missões, etc. Só que existem serviços que
o membro só necessita avisar o Pastor e rogar a benção de Deus. São serviços que parecem ser muito simples
mais são tão importantes como qualquer outro. Um exemplo: uma irmã, um jovem, pode simplesmente tomar
a atitude de ficar na porta recepcionando os irmãos e visitantes, anotando os nomes dos mesmos que o Pastor
possa apresentá-los! Parece não ter nenhum valor, mais para Deus e o líder é algo de suma importância. Será
que isto eu preciso ir perguntar para o Pastor se ele quer que fique na porta realizando este maravilhoso
trabalho? Com certeza não, falo isto por mim mesmo e creio que muitos pastores achariam uma atitude
maravilhosa. Neemias teve uma visão da condição da condição dos muros de Jerusalém (cuidado material).
3. Isaías – Is. 6:1-6 – Isaías, um dos maiores profetas do Antigo Testamento, antes de sua missão
teve uma visão da maravilhosa glória de Deus. Será que existe algo mais tremendo do que contemplar a glória
de Deus! O Ap. João em seu evangelho destaca que ele, juntamente com os demais apóstolos, viram a glória
do unigênito Filho de Deus – Jo 1:14. Infelizmente em nossas igrejas o que temos observado que grande parte
dos crentes não se importam com a glória de Deus. Ficam dentro do templo como simples espectadores
aguardando o final do culto. Estamos congregando somente para marcar ponto, ou ter na mente que o dever
foi cumprido. Mais não é isto o que Deus quer. Ele deseja revelar-se para nós! A bíblia é o livro da revelação
de Deus ao homem, nos mostrando como se deu esta revelação. E pelas suas doutrinas entendemos como
agradar este Deus, e firmamos nossa fé. Sendo assim devo entender que Deus é um ser pessoal que quer ter
comunhão conosco, falar aos nossos corações, andar ao nosso lado, viver dentro de nós (I Co 3:16; Gl 5:16).
Ter visão da glória de Deus não é como alguns possam imaginar que é necessário eu ver Deus como Ele é ou
o Senhor ter que se apresentar na minha casa em toda sua glória (até porque, ainda, não temos condição para
isto por causa do pecado), mais é sentir o mover dEle em nós, a ponto de nos humilharmos e adorarmos. É
algo tão tremendo que cada crente deve ter sua experiência. Todas as vezes que alguém contemplou a glória
de Deus algo bem comum a todos aconteceu: todos se humilharam (Ex. 3:3-6; Is. 6:1, 6; Lc 5:8; Ap. 1:12-17).
Quando vejo um crente dentro da igreja se humilhando na presença de Deus (não por ter pecado ou por
necessidade materiais, mais pelo prazer de servir a Deus) em verdadeira adoração chego a conclusão de que o
mesmo está no caminho certo da adoração, isto porque o mesmo sente a glória de Deus em sua vida. Na igreja
ele não tem tempo para olhar para o relógio, nem para as vestes dos irmãos, não se importa se alguém o acha
fanático, o que interessa é que o mesmo está debaixo da graça de Deus.
4. O servo do homem de Deus – II Rs 6:16, 17 – Temos aqui uma visão maravilhosa dos exércitos
celestiais. Enquanto Eliseu contemplava um imenso exército celestial, o servo do homem de Deus tremeu
diante dos exércitos do rei da Síria. É difícil mais vivemos dias onde as visões do reino são bem escassas (veja
I Sm 3:1), as supostas visões hoje gira em torno do ter, da satisfação do ego humano, as pessoas estão vendo
“muitos anjos”, “chaves de casa e carro”, “portas de empregos”, etc. e o reino de Deus está sendo deixado de
lado. Precisamos tomar posição de servos de Deus e orar para que o Senhor abra-nos os olhos. Precisamos ter
visões acerca das coisas divinas. Ter visão é enxergar sob a ótica de Deus e isto não vem do homem, vem do
próprio Deus – At. 2:17
2º. Precisa prover solução – v.19 – “Ouve agora minha voz...”
Criticar é muito fácil, mais prover uma solução, poucos conseguem. Quem deseja trabalhar na obra do
Senhor deve saber, estar ciente de que o mesmo precisa, sob a graça de Deus, prover solução para os diversos
problemas que surgem. Um pastor não está interessado em alguém que só saiba falar mal, ou seja, do tipo que
só toma atitude quando é solicitado. O obreiro (a) precisa ser dinâmico, ativo, interessado pelo bem-estar da
obra do Mestre. Tem irmãos que só pensam em posição. Deseja ser diácono/diaconisa, ou auxiliar, mais não
querem trabalhar, trazer soluções. Já pensou se Jetro tivesse simplesmente criticado Moisés! Chamado o
mesmo de centralizador de trabalho! Ou egoísta! Em vez de lançar este tipo de acusação, depois de ver a
situação de seu genro dá-lhe uma solução para que o mesmo tenha alívio e possa ter auxiliares que o ajudem a
carregar a responsabilidade sobre o povo. Uma verdadeira estrutura administrativa. Tem crente que diz: “é pra
Deus mesmo”, como se o Senhor devesse algo a nós, ou que o trabalho a Ele não tem tanta importância.
Assim como na vida cotidiana a mãe e o pai provê meio para sustentar sua casa, educar os filhos, suprir as
necessidades físicas, reservar tempo para o divertimento das crianças, na obra de Deus precisamos ter a
mesma seriedade, responsabilidade. Procurando sempre fazer o melhor para Deus, mediante nossa dedicação
e submissão ao Espírito Santo. Somente desta forma poderemos prover soluções eficazes na obra de Deus.
Vejamos alguns exemplos bíblicos de personagens que proveram solução:
1. ‘José, filho de Jacó – Gn 41:33-36 – Além de interpretar os sonhos de Faraó, José proveu, por
meio de ciência divina, o escape, ou como se resguardar da fome universal que duraria sete anos. Quando o
Rei do Egito ouviu todas as palavras de José ficou impressionado e reconheceu que José possuía uma
sabedoria advinda do Espírito de Deus (Gn 41:38). Que maravilha! José não foi somente um interpréte, ou um
revelador do problema. Não olhou para Faraó depois da interpretação e saiu pelas portas do palácio sem
deixar uma solução viável, ou melhor, não jogou o “pepino” nas mãos de Faraó, como quem diz: não é
problema meu, resolva, não posso fazer nada, nem daqui eu sou, não sou o Faraó, ele que resolva esta questão
da fome, eu quero é ir embora. Infelizmente é isto que muitos crentes fazem e, principalmente, obreiros. Mais
Faraó pode ter um motivo de grande alegria, pois, um desconhecido no seu reino trouxe uma palavra de
solução para a questão dos sete anos de fome que se seguiriam após os sete de fartura e, como recompensa
José foi elevado ao cargo (comparado com o de nossos dias) de primeiro ministro (Gn 41:39-46). Trazer
soluções é o dever de todos os crentes em Jesus.
2. Jesus
O Senhor Jesus é o maior exemplo de alguém que sempre proveu uma solução para os problemas a fim de
favorecer as pessoas, vejamos algumas dessas soluções:
a. Cinco pães e dois peixes para quase cinco mil homens, além de mulheres e crianças Mt 14:14-21.
Tal quais os discípulos para nós seria bem mais fácil despedir a multidão e deixar cada um se virar para
conseguir seu alimento (v.15), mais para Cristo não. Ele queria despedir a multidão, mais que a mesma tivesse
condições de chegar a seus lares. Milagre não é atributo do homem, não temos como realizar milagres, mais
devemos estar cientes que Jesus Cristo deseja que sempre tenhamos uma solução para os problemas e que Ele
fará os milagres que forem necessários para glorificar seu nome e abençoar vidas.
b. Falta de obreiros para a seara – Mt 9:35-38. O Senhor Jesus conhece quem são, de fato, seus
obreiros! O homem pode enganar quem ele quiser aqui na terra mais não conseguirá, jamais, enganar a Deus.
Diante da situação de perdição das almas, descaminhadas, desgarradas, andando por caminhos errôneos, o
Mestre amado sentiu grande compaixão, pois, as via caminhando para o abismo eterno, assim Ele trouxe uma
solução, ou o meio para que pudéssemos sanar esta falta de obreiros na sua seara: rogar ao Pai para que Ele
enviasse mais obreiros para sua seara. Não seria a falta de intercessão, consagração, que está atrasando de o
reino de Deus chegar na Arábia, Irã, Iraque, Israel, países dominados pelo islamismo, budismo, hinduísmo,
etc? Vem-me a memória o verso 1 ao 3 de Atos dos apóstolos, capítulo 13, onde lemos que a igreja de
Antioquia era bem abastada de obreiros capacitados, mais o que chama atenção é que o Espírito Santo chama
Saulo e Barnabé para a obra missionária, isto porque os mesmos, com certeza estavam orando, não só eles,
mais creio que toda aquela igreja. O desejo missionário fazia parte do coração de cada irmão ali. Mediante
oração e Jejum, Saulo e Barnabé foram enviados. Só conseguiremos suprir esta falta de obreiros na seara do
nosso Senhor Jesus quando nos importarmos em orar, rogar, clamar ao Pai que levante novos obreiros para
esta grande obra. Nada adianta reclamar, aliás, só trará discussões que para nada resolve o problema do
mundo por evangelizar. Jesus nos deu o meio, a provisão para novos obreiros!
3º. Precisa ter capacidade visível e usá-la – v.21 - E tu dentre todo o povo procura homens
capazes...
Tenho a plena convicção que quando Jetro se refere a homens capazes não está se referindo em pessoas
melhores do que as outras, mais homens que tem possibilidades de desempenharem certa função. A obra de
Deus sofre por conta de algumas pessoas dentro da igreja não moverem uma palha. Os pastores vêem até uma
chamada, vêem que ele ou ela pode desempenhar bem certa função na igreja, mais infelizmente os mesmos
não atentam para isto. Tenho certeza que todos os crentes tem capacidade para realizar um trabalho dentro da
casa do Senhor, mais certos trabalhos exigem um tempo determinado por Deus para acontecer na vida de um
servo (a) dEle. Assim, se você crê que tem uma chamada e ela arde no seu coração, pode esperar, orando,
jejuando, estudando a bíblia e fazendo a vontade de Deus onde Ele te concedeu congregar, que a tua hora irá
chegar. Foi assim no Passado com Noé (teve o momento certo de construir a arca e de entrar nela); Com
Abrão (Foi chamado aos 75 anos de idade e viveu 175 anos, teve ainda um século para servir e viver a
chamada de Deus); com Eliseu (I Rs 19:16, 19-21); com Paulo (At. 13:1-3) e assim será com cada um de nós.
Só que isto não quer dizer que iremos ficar parados olhando o tempo passar, precisamos trabalhar, ajudar,
auxiliar nosso pastor nos trabalhos da igreja.
Moisés necessitava de auxiliares para julgar o povo, quem viu isto foi o seu sogro. Talvez Moisés já havia
sentido esta necessidade, mais diante dos problemas que o povo apresentava não teve o tempo suficiente para
pensar e tomar uma atitude em relação a isto. Mais de qualquer forma seu sogro o ajudou e muito. Só que a
tarefa para Moisés neste momento não era muito fácil. Além de liderar aquele povo, ao qual tinha que dar
tudo nas mãos, agora seu sogro lhe dá um conselho para procurar dentre o povo homens capazes. Para uma
multidão de 600 mil homens (somente homens sem contar mulheres e crianças – Veja Ex. 12:37) não seria
fácil encontrar homens com as qualidades que Jetro expõe a Moisés, até porque são requisitos divinos
(veremos os mesmos mais adiante).
Assim como Moisés, os líderes necessitam de auxiliares para ajudarem no bom andamento da obra de
Deus. O que não estamos tendo hoje em dia. Poucos se dispõem a fazer o trabalho do Senhor. Porque nem
todos querem sofrer, mais todos querem bênçãos. Você acha correto a obra do Senhor Jesus sofrer por tua
causa? Sabemos que nada merecemos agora um crente em Jesus que não trabalha na obra do Senhor deve
ganhar alguma coisa de Deus? Você sabia que quando está parado, é um crente sem o devido compromisso
estás prejudicando o corpo de Cristo? Imagine uma parte do seu corpo sem possibilidade de ser utilizado?
Imagine se te faltasse um dos teus dedos, ou um pé, uma mão, uma orelha, ou nariz? Por mais simples que
seja o crente em Jesus ele é importante da mesma forma. Como sentiríamos falta de uma parte de um membro
do corpo físico, causando sobrecarga a todo o corpo, da mesma forma se um dos membros do corpo de Cristo
está parado, não cumpre sua missão todo o corpo (que é a igreja) sofre – leiamos e analisemos I Coríntios
12:12-31. Deus não tem nenhum prazer em um servo parado, vejamos abaixo:
a. Aos desocupados perguntou o motivo de estarem quase o dia todo parado – Mt 20:6
i) – Jesus nos chamou para trabalhar perto do fim do dia (hora undécima), mais mesmo assim
“estamos muito ocupados”, nosso tempo é pouco para nossos problemas ou para resolver nossas vidas.
Ficar nos Salmos 40:1, Pv 16:3; Mt 6:19-34; Dt 8:3 não queremos. Há provisão divina para quem
trabalha para Ele – Mt 10:9, 10
b. Jonas, fujão da chamada de Deus, o Capitão do navio perguntou: “que tens dormente? Levanta-te...”
– Jn 1:6. Ficar esperando alguma coisa acontecer para depois fazer é perigoso e pode nos colocar em uma
verdadeira rua sem saída. Jonas quase morreu por ser desobediente a uma ordem divina. Se ele não tivesse
ouvido a voz do capitão, como fora o próprio Deus falando teria perecido junto com o navio. Á atitude de
acordar e se levantar é nossa, deixemos o demais com Deus – Ez. 2:1
c. Ao servo que recebera um talento chamou-o de mau (que se distingue pelo caráter ruim, moralmente
condenável. Cujo desempenho deixa a desejar, sai mal naquilo que faz) e negligente (indiferente, que não há
zelo, descuidado) servo – Mt 25:26
4º. Precisa temer a Deus - v.21 ...tementes a Deus...
Esta é uma qualidade indispensável para quem deseja servir ao Deus Todo-Poderoso. Vejamos alguns
versos sobre este assunto:
a. O temor do Senhor é o princípio da sabedoria – Pv 1:7; Jó 28:28, logo quem é sábio teme a Deus.
b. O temor do Senhor é fonte de vida que livra dos laços da morte – Pv 14:27
c. Quem teme ao Senhor está seguro, firme, inabalável – Pv 14:26
d. O Temor do Senhor satisfaz a alma do ser humano – Pv 19:23
e. Devo temer a Ele porque é Tremendo – Is. 8:13
f. Devemos servi-lo com temor – Sl 2:11
g. Olhar para Ele com temor – Ex. 3:6
Mais o que é temer a Deus? Em resposta bem simples podemos dizer que é respeito reverente a Deus pelo que
é e pelo que faz, logo por ser Todo-Poderoso, Santo, Santo, Santo, Eterno, Imutável, Transcendente, Único.
Para que possamos temer a Deus precisamos conhecer Ele, ou melhor, ter em nossa vida a convicção de que
Ele é tudo o que a bíblia relata acerca de sua personalidade. Crente que não estuda a bíblia está mais
vulnerável a pecar, e mesmo que estude mais se não tiver temor de Deus de nada adiantará.
i) - Temer a Deus é não pecar por amor a Ele – Gn 39:9
ii) - Temer a Deus é reconhecer que só Ele é digno de adoração – Dn 3:16, 17, 28; Mt 4:10; é adorá-lo e
servi-lo acima de tudo e todos – Mt 6:24, 21.
iii) - Temer a Deus é ter uma postura diferenciada – Jn 1:9; Ml 3:16-18
iv) - Temer a Deus é fazer a vontade dEle – Gn 2:16, 17; Mt 16:24
v) - Temer a Deus é batalhar pela união entre os irmãos – Sl 133; At. 2:43
vi) – Temer a Deus é trabalhar com responsabilidade porque fomos chamados para isto – Mt 25:14-28
5º. Precisa ser crentes comprometidos com a verdade – v.21 - ...homens de verdade...
Como confiar algo a uma pessoa que não tem compromisso com a verdade? Seria inviável. Deus confiou
a cada um de nós uma grande responsabilidade você sabia disto? Pense! Analise sua vida e responda para ti
mesmo! Se você fosse seu chefe teria coragem de confiar as mãos toda a sua fortuna, bens para que
administrasse? Creio que a resposta seria não! Mais Deus, mesmo sabendo que somos tendenciosos a pecar,
depois de ter nos salvado e justificado em Cristo nos chamou para realizarmos sua vontade, trabalhar na sua
seara (veja Mt 20:1-9), Ele confiou em nossas mãos seus bens – Mt 25:14, 15! Cristo espera de nós que
tenhamos uma atitude de fé, de amor, de coragem, firmado na verdade para realizarmos aquilo para o qual nos
convocou. Ele nos chamou não é porque merecemos, mais por sua misericórdia. Ele nos confiou a missão de
representá-lo aqui na terra, sendo embaixadores do seu reino – II Co 5:20. Até onde você está comprometido
com a verdade? Pode dizer acerca de você que és uma crente de verdade! Já notou que os verdadeiros servos
(as) de Deus são notados pelas pessoas e as mesmas afirmam que os tais são crentes de verdade! Por que?
Analisando a vida dos mesmos chegaremos a seguinte conclusão:
1º. Se converteram de fato a Cristo – Mt 4:17
2º. Sua vida esta centrada em agradar a Deus – Ap. 2:4
3º. É um crente que tem compromisso/responsabilidade na sua congregação (até porque tem certeza que
está ali porque o Pai o colocou) – Hb 10:25; At. 2:46
4º. É um estudioso da Palavra de Deus – Sl 1:1-3
5º. Gosta de orar – I Ts 5:17
6º. Ama o culto de ensino e a EBD – II Tm 3:15-17
7º. Logo sua vida só pode ser diferente mesmo – Rm 12:1, 2
A este crente podemos dizer que é um (a) servo (a) de verdade e são estes que o Pai está procurando para
serví-lo – Jo 4:23, 24. Este é o servo que vive a verdade, pois, a conhece e está livre – Jo 8:32, 36; segue-
a – Jo 14:6; testifica dela – Jo 14:17; 15:26.
Para nós que vivemos em Cristo a verdade não pode ser uma opção a ser seguida e vivida, mais uma
atitude de caráter de quem foi transformado pela graça de Deus, mediante o Espírito Santo – Ef 6:14, ela faz
parte da vida de todo soldado de Cristo. Agora é com você, deves decidir se queres, de fato, ser do exército
divino cumprindo o requisito da verdade ou continuar sendo um crente nominal que, muitas vezes só
atrapalha, a decisão é sua.
6º. Crentes que trabalhem com amor e por amor – v.21 - ...que aborreçam a avareza...
Os dias atuais são momentos de grande avanço tecnológico. Nunca vimos em toda a história da
humanidade o ser humano avançar no conhecimento como os dias atuais. Mais graças a nosso Deus Ele já
havia predito isto – Dn 12:4. Diante deste avanço surgiu também de forma impetuosa o capitalismo com suas
propostas do ter, possuir. Nesta geração capitalista observamos a humanidade desesperada pela aquisição dos
bens materiais. Cidadãos que trabalham mais de 8 horas por dia para conseguirem seus objetivos nesta vida.
Até as mulheres entraram nesta tendência, deixando a vida no seu lar para aumentar a renda financeira da casa
e, infelizmente, em muitos casos a custa da criação dos filhos que ficam sob a responsabilidade de terceiros e
os prejuízos são enormes. A situação é tão terrível que os nossos adolescentes de hoje, principalmente das
capitais, ficam ansiosos para terem seu primeiro emprego para comprarem aquilo que seus olhos desejam. Até
nossas crianças são atacadas e atingidas por isto. A situação é muita séria e perigosa para a igreja. Precisamos
nos acautelar, tomar cuidado, vigiar e aguardar a providência divina – Mt 6:25-34. E o que isto tem a ver com
o trabalhar com amor e por amor! Se analisarmos o que está acontecendo em nosso meio hoje tem tudo a ver.
O materialismo está cada vez mais entrando pelas portas de muitas denominações, principalmente por culpa
de seus líderes. Pastores, pregadores que outrora combatiam este modo de anunciar o evangelho resolveram
adotar o mesmo sistema. Hoje para se conseguir certos pregadores para ministrarem em nossos templos é
preciso ter um bom dinheiro, caso contrário, o mesmo não virá. E isto não é só uma tendência dos pregadores,
mais tem se mostrado mais enfático no meio da música evangélica. Não preciso adentrar em pormenores,
pois, todos nós estamos cientes desta situação. A verdade é que hoje tudo gira em torno do dinheiro. Se não
tomarmos uma atitude diferenciada daqui a alguns anos pouquíssimos irmãos estarão pregando nos hospitais,
nas penitenciárias, nas ruas, etc. Isto porque o dinheiro se tornou o deus desta geração! Isto é evidente. Tudo o
que fazemos gira em torno disto. Ainda mais dentro da igreja! Só fazemos algo sob alguma condição
financeira! Estamos tentando barganhar com Deus! É um tal no dia em que eu tiver... ...no dia em que o
Senhor me der... ...Senhor deixa primeiro conseguir isto ou aquilo... etc.. Isto é certo? É claro que não! E bem
sabemos disto! E por que não fazemos o correto? Porque estamos acostumados a dar uma resposta fajuta e
sem sentido nenhum que não minimizará em nada o justo juízo de Deus: “é mais é difícil”. Temos que
arrancar isto do nosso coração e da nossa boca! Esta desculpa esfarrapada não serve para nada a não ser
demonstrar que tipo de servo eu e você somos! Relaxado, preguisoço, egoísta, e que se continuar deste jeito
não irá, em hipótese alguma morar com Jesus. Nosso mundo é totalmente materialista e isto gera o egoísmo. E
os crentes estão tomando o mesmo caminho que leva a perdição – I Tm 6:10.
Jesus quer que façamos sua obra, mais isto deve estar centrado no amor. Não estou dizendo que um
Pastor, Missionário, ou obreiro que vive somente a favor da obra não deva receber seu salário, pois, o
trabalhador é digno de receber o mesmo, isto é um princípio divino Lc 10:7; I Tm 5:18, o que está em ênfase
aqui é a avareza que permeia nossa sociedade inclusive muitos ditos crentes. Jesus não pode contar com
alguém que quer fazer sua obra para se dar bem na vida material, ou seja, tirar proveito. Como uma pessoa
desta pode realizar a obra do Senhor se a mesma só pensa quanto virá dentro da salva ou envelope de dízimo
de cada irmão. Precisamos fazer a obra de Deus sabendo que temos direitos como obreiros mais temos
deveres e tudo deve ser feito com amor – I Co 13.
Vejamos alguns exemplos de como proceder em relação aos bens materiais:
a. Balaão morreu porque deu conselhos ímpios a Balaque para que o povo de Israel fosse destruído –
Nm 31:16; II Pe 2:15
b. Acã pereceu porque tomou de bens que foram amaldiçoados por Deus – Js 7:1, 21, 25
c. Por causa de luxo Salomão jogou uma carga tributária muito grande sobre seu povo que já não
podiam suportar e isto se tornou o motivo da divisão do reino – I Rs 12:4, 14-16
d. Por causa da vaidade dos bens o homem rico desprezou a Lázaro – Lc 16:20, 21
e. Jesus nos adverte para que sejamos cautelosos afim de não ficarmos sobrecarregados com as
inquietações desta vida – Lc 21:34
f. Ele nos ensina que a nossa vida não se limita aqui – Lc 12:15
g. Para não ajuntarmos tesouros na terra, pois, onde estiver nosso tesouro aí estará nosso coração – Mt
6:19-21.
h. Devemos nos lembrar da mulher de Ló – 17:31, 32
i. Se esperarmos em Cristo somente aqui somos os mais miseráveis de todos os homens – I Co 15:19
j. Devemos tomar cuidado com os falsos ensinos dos falsos profetas – II Pe 2:1-3; Mt 7:15-21
k. Nossa prioridade, ou a de quem nasceu de novo, é buscar as coisas lá do alto – Cl 3:1-3; II Co 4:18
l. É buscar o reino de Deus e sua justiça que as DEMAIS COISAS serão acrescentadas, oh, glória!!! –
Mt 6:33
m. Porque quem busca estas coisas, quem as prioriza são os gentios – Mt 6:32
n. O que possuímos é para glória do Senhor e benefício do meu irmão necessitado – I Jo 3:17, 18; At.
2:45, nisto é revelado o amor de Deus – I Jo 3:16.
o. Jesus tinha 5 pães e 2 peixinhos mais repartiu para toda aquela multidão – Mt 14:17-20 – façamos a
nossa parte com fé em Deus porque o milagre Ele providencia, oh, glória!!!