Você está na página 1de 60

Relatório

eContas
2006
Índice
Nota de Abertura 5

Relatório de Gestão
ConsideraçõesGerais 9
HSSE&Q 10

Unidades de Negócio
Retalho 13
Lubrificantes 14
CommercialFuels 15
LPG 16
AirBP 18
BPMarine 19
ISTeLogística 20

Funções
FC&A 21
C&EA 22
RecursosHumanos 23
DCT 24

Situação Financeira 25

Demonstrações e Resultados
Balanço 28
DemonstraçãodeResultados 30
Anexos 33
CertificaçãoLegaldasContas 56
Os
nossos
valores
GREEN
Demonstraliderança
anívelambiental

PERFORMANCE
Orientadaparaaobtenção
deresultados

INNOVATIVE
Fornecesoluções
inovadoras

PROGRESSIVE
Procurasempre
umaabordagemnova
emaiseficaz
GREEN
Demonstrando liderança
a nível ambiental

Unidosemtornodeumavisãodeliderança
ambientaledoreconhecimentodeque
odesafiodedesenvolverenergiasmais
limpasdeveseralcançadocomotratamento
proactivoeresponsáveldosrecursosnaturais
donossoplanetaecomodesenvolvimento
defontesdeenergiacomteores
decarbonomaisbaixos.
Relatório e Contas 2006 Nota de Abertura 5

Nota Em2006voltouaverificar-seumaconjunturamacroeconómicafavorável
anívelmundial,comcrescimentosimultâneoemtodasasgrandes
economias.Oaspectomaisrelevantevoltouaseroaumentodopesorelativo
deAbertura daseconomiasemergentes,particularmenteaChinaeaÍndia.Daqui
resultouumapressãonaprocuradematérias-primas,nomeadamentena
áreadaenergia,provocandonovosaumentosdopreçodopetróleoque
atingiuumpicode78USD/barrilemAgosto.Daíatéaofinaldoano
verificou-seumadescidaparacercade59USD/barril,cifrando-seovalor
médiode2006significativamenteacimadoanoanterior.Osconflitos
regionaiseaameaçadoterrorismointernacionalcontribuírampara
onervosismodomercadoamplificandoapressãonospreços.

A BP saúda esta iniciativa, Aquestãodasalteraçõesclimáticas,relacionadascomoconsumode


revendo-se na maioria combustíveisfósseis,associadosàpercepçãodeumafaltadeconfiança
dos seus objectivos. nasegurançadoabastecimento,levaramosGovernoseaopiniãopública
acolocaremaenergianocentrodasagendas.Assistiram-seanumerosos
debatessobreotema,eàconsciencializaçãodanecessidadecrescente
derevermosomodelodedesenvolvimentoquetemsustentado
ocrescimentoeconómicodoúltimoséculo.Arecenteproposta
daComissãoEuropeia,endossadaemlinhasgeraispelaCimeira
daPrimavera,consagraestaspreocupaçõesapontandopistasemetas
paraasuaresolução.ABPsaúdaestainiciativa,revendo-senamaioria
dosseusobjectivos.

Nestequadro,oGrupoBPteveumanocomalgumascontradições.Por
umladoobteveresultadosfinanceirosrecorde,emboraaquémdoque
poderiateratingido,nãoforaaindisponibilidadedealgunsequipamentos
importantesquenãonospermitiramcaptarnatotalidadeosbenefícios
doselevadospreçosnaproduçãoenarefinação.Poroutroladodefrontou-se
comalgunsproblemasdereputaçãoresultantesdosfactosocorridosnos
últimosdoisanosnosUS,particularmenteotrágicoacidentedeTexasCity
em2005.Asliçõesretiradasdessesincidentesestãoaserrapidamente
interiorizadasepartilhadaspelasnossasoperaçõesemtodoomundo,

Daesquerdaparaadireita:

José Saturnino Sul Serrano Gordo


Administrador

Cristovão Aleixo Cunha Coimbra


Administrador

Alfredo António Barrios Prieto


Administrador

António Manuel Patrício Comprido


PresidentedoConselhodeAdministração

Joana Ferreira Malaquias


SecretáriodaSociedade

José Francisco Cardoso Gonçalves Vieira


Administrador
6 Nota de Abertura Relatório e Contas 2006

eacreditamospodersaircomanossaposiçãoreforçada,emfacedas
medidas jáadoptadasouaimplementarnofuturopróximo.
Continuaremosparalelamenteamelhorarasboaspráticaseresultados
deacordocomosnossosvalores,osobjectivosestratégicosdefinidos
eoscompromissosparacomasactuaisefuturasgerações.

Portugalcomeçouaemergirdeumperíododeestagnaçãoeapraz-nos
registaroprogressoconseguidonaconsolidaçãodascontaspúblicaseno
crescimentodoPIB.Obviamentequenãopodemosdeixar-nosiludir,pois
muitofaltafazerparamanterestatendência,nomeadamenteacelerando
econsolidandoasreformasentretantoanunciadasoujáemcurso.Apesar
destasmelhorias,omercadodoscombustíveiselubrificantesmantevea
tendênciaderetracçãodosúltimosanos.Comexcepçãodocombustível
paraaaviação,todososoutrossectoresviramomercadoencolher.A
agravarasituação,aenormediferençadoregimefiscalentreEspanhae
Portugal,emsededeISPeIVA,levouaquevolumescrescentesse
transfiramparaopaísvizinho,comprejuízoclaronasreceitasfiscais
enosresultadosdosoperadoresnacionais.

NestecontextoaBPPortugaliniciouaimplementaçãodeumprograma
deracionalização,anunciadoem2005,equeficaráconcluídoem2007,que
levouàreduçãodecercade100efectivoseàreorganizaçãodasdiversas
áreasdenegócioefunções,comvistaàutilizaçãomaisracionaldos
recursoseàmelhoriadoserviçoaprestaraosnossosclientes.Este
programaincluiaimplementaçãodeumnovoERP,bemcomareengenharia
deprocessos.Apraz-nosregistaraapostadoGrupoemPortugal,
elegendo-noscomoumdosprimeirospaísesaencetaresteesforço
demodernização.

Foinesteambientedifícil,emqueseconjugaramfactoresexternos Com o fortíssimo empenho de todos


resultantesdeummercadoemretracçãoecadavezmaiscompetitivo, os nossos colaboradores e adequados
comoprogramademudançainterna,queconduzimosanossaactividade processos de gestão da mudança,
em2006.Comofortíssimoempenhodetodososnossoscolaboradores conseguimos obter a maioria dos
eadequadosprocessosdegestãodamudança,conseguimosobtera objectivos a que nos propusemos.
maioriadosobjectivosaquenospropusemos,mantendoanossaposição
nomercadoeonossocompromissoparacomacomunidadeemque
nosinserimos.

Comacertezaqueemergiremosem2007maisfortesemelhorpreparados
paracompetirecumprirosnossoscompromissosparacomasnossas
pessoasetodososparceirosdenegócio,querofinalizarcomumapalavra
deapreçoparatodososquenosdeixaramnesteanodifícil,desejando-lhes
amelhorsortenanovafasedassuasvidas,dealentoparacomtodos
osquecontinuamconnoscoedeagradecimentoaosnossosclientes,
fornecedores,parceirosdenegócioetodasasorganizaçõescom
queinteragimos.

António Comprido
PresidentedoConselhodeAdministração
PERFORMANCE
Orientada para a obtenção de
resultados a nível global

Estabelecemososnossosobjectivos
corporativosefinanceirosaumaescala
global,atravésdaconfiançaqueédepositada
naquiloqueprometemosecumprimos.Estes
vãoparaalémdoâmbitofinanceiro,incluindo
asáreasdoambiente,dasegurança,
dasatisfaçãodosnossosclienteseparceiros,
bemcomodetodosaquelesque
trabalhamnaBP.
Relatório e Contas 2006 Relatório de Gestão 9

Relatório Aagendapolíticaem2006foimarcadapelaeleiçãodonovoPresidente
daRepúblicaPortuguesa,oProfessorAníbalCavacoSilva.

deGestão Oambienteeconómicoportuguêsem2006apesardealgumamelhoria,
tevereflexosnegativosemváriossectores.
ConsideraçõesGerais
Aevoluçãodaeconomiafoicondicionadaaoobjectivoacordadocom
aComissãoEuropeiadebaixarodéficeorçamentalde4,6%em2006
para3,9%em2007.Dadosoficiaisindicamqueesteobjectivofoiatingido
comumanodeavanço:odéficefoide3,9%em2006eoGoverno
corrigiupara3,3%odéficeorçamentalprevistopara2007.

A redução do défice deveu-se, Areduçãododéficedeveu-se,fundamentalmente,aoaumentodas


fundamentalmente, ao aumento receitasfiscaisedodesinvestimentopúblico,enãotantoàredução
das receitas fiscais e do dasdespesascorrentesdoEstado(nomeadamentecomaAdministração
desinvestimento público. Pública),quealiástêmcrescido.

OcrescimentodaEconomiafoimodesto:1,3%.Odesempregoaumentou
porforçadasmedidasadoptadasparacombaterodéfice.

Estaevolução,apesardepositiva–oPaísparecetersaídodeumperíodo
deestagnação–teveimpactonegativonomercado(exemplo:queda
navendadeveículosautomóveis).

Para2007,prevê-seumcrescimentodaEconomiaaindamodesto(1,8%).
Oinvestimentoprivadodeverásituar-senos1,9%contra-0,2%em2006.

PortugalassumeaPresidênciadaUniãoEuropeianosegundosemestre
de2007.Terá,designadamente,aresponsabilidadedecontinuar
osprocessosdefinidosparaocicloiniciadocomaPresidênciaAlemã.
10 Relatório de Gestão Relatório e Contas 2006

OdesenvolvimentodasactividadesdaBPemPortugal,noâmbito
daHigiene,Segurança,AmbienteeQualidade,noanode2006, Relatório
mantiveram-sefortementeinfluenciadaspordirectrizesinternas,
emanadasdoGrupoBP,aindaesemprenasequênciadas“lições deGestão
aprendidas”comoacidenteocorridonoiníciode2005,naRefinaria
daCidadedoTexas,nosEUA. HSSE&Q
Poroutrolado,aprofundareestruturaçãoporquepassouaBPem
Portugal,duranteoanode2006,exigiudetodos,dotopoàbase
daorganização,umredobradoesforçonosprincípiosevaloresbásicos
daCompanhiacomenfoquenaSegurança.Sócomesseempenhoecom
aaplicaçãopráticadeprocessosadequadosde“GestãodaMudança”foi
possível,numanomarcadoporprofundasalterações,cumprirnaquase
totalidadeoplanodeobjectivostraçados,noiníciodoano,sem
registarmosqualquerincidenterelevante.

NocampodaSegurançaRodoviáriarealizaram-se36sessõesdeformação
emConduçãoDefensivaabrangendo235participantes,tendosido
aorganizaçãoemPortugaldoDOTY(DriveroftheYear)Ibérico,
competiçãoparacondutoresdeveículospesadosdetransporte
decombustíveis,umadasacçõesmaisrelevantesde2006.

ContinuouaparticipaçãodequadrosdaBPemdiversasacçõesexternas,
queremclientesquernoutrasentidades,versandovariadostemas
naáreadeHSSE.

Concretizaram-sediversasauditoriasdeSegurança,Qualidade
eAmbiente,noestritocumprimentodalegislaçãodeHSE,eminstalações
operacionaiselocaisdetrabalho.

AoníveldaQualidadeeAmbiente,garantimosamanutençãodos Ao nível da Qualidade e Ambiente,


Certificadosemvigor,edesenvolvemososnossosesforçosna garantimos a manutenção
prossecuçãodeumamelhoriacontínuanosnossosSistemasdeGestão. dos Certificados.
Relatório e Contas 2006 Relatório de Gestão 11

NoqueserefereaossistemasdegestãodoGrupoBP,iniciou-sedeforma
efectivaaimplementaçãodosnovosStandards:ControlofWork(COW),
quesefocanasexecuçãoseguradasactividadesnolocaldetrabalho;e
doIntegrityManagement(IM),relacionadacomaintegridadedociclo
devidatotaldasOperaçõesdaBPatravésdeprojecto,construção,
operação,manutençãoeretiradadeserviçodequalquerinstalação.Em
2007deveráiniciar-seofuturoSistemadeGestãodeHSEdoGrupo-
OperationManagementSystem(OMS),queiráintegrartodososnovos
processos,devendoestaactividadeprolongar-seatéfinaisde2008.

Nenhum acidente; Écomestasferramentasqueprocuraremosmantereaperfeiçoaros


nenhum dano para as pessoas; nossosprocessos,práticaseatitudesnosentidodamelhoriacontínua
nenhum dano para o ambiente. ealcançarosobjectivosdaOrganização:“nenhumacidente;nenhum
danoparaaspessoas;nenhumdanoparaoambiente”.
INNOVATIVE
Fornecendo soluções inovadoras

Usandooknow-how criativodosnossos
colaboradoreseodesenvolvimento
eaplicaçãodetecnologiasdeponta,
procuramosnovasoportunidadespara
oferecersoluçõesinovadorasatodos
osnossosclientes.
Relatório e Contas 2006 Unidades de Negócio 13

Unidades Oanode2006foicaracterizadoporumafortecontracçãodomercado
decombustíveisvendidosaretalho.Areferidacontracçãoresultou
daescaladadopreçodocrudenosmercadosinternacionais,comimpacto
deNegócio directonoaumentodopreçodevendaaopúblicodosprodutos
disponibilizadosnospostosdeabastecimento.VivendoPortugalumambiente
Retalho macroeconómicomarcadoporalgumadebilidade,apropensãoparao
consumofoinaturalmenteenfraquecidafaceaoagravamentodospreços
doscombustíveis.Contribuindotambémparaacontracçãodomercado,
assistimosaoagravamentodadistorçãofiscalexistenteentrePortugale
Espanhanoqueconcerneaoscombustíveis,tendosidoporissopotenciada,
aolongode2006,atransferênciadeconsumoparaEspanha.

Confrontadocomocontextoeambientecompetitivoanteriormente
descritos,odepartamentodeRetalhodaBPPortugal,redesenhouasua
geometriacompetitiva,tendoactuadofortementedoladodoscustos
eganhosdeeficiênciasestruturais,acompanhandoestapolíticade
ganhosdeeficiênciacominiciativasclarasemarcantesaoníveldagestão
deprodutosdiferenciadosedagestãodinâmicadoseuportfólio
deactivosfixosinerentesàrespectivarededepostosdeabastecimento.

Também,eapesardascircunstânciasadversas,osegmentodaslojasde
conveniênciavoltouamanifestarumbomdesempenhoatravésdamelhoria
contínuadaoferta,dagestãodaactividadepromocional,dassoluçõesde
merchandisingedoreforçodaactividadeedorelacionamentocomosnossos
fornecedoreseclientes.Nestaáreasalienta-seocrescimentosustentadoda
áreade“fastfood”tendoporbaseumacontinuaapostanainovação.

Conscientesdequeoêxitodequalqueractividadederetalho,
eparticularmenteaáreadeconveniência,residenacapacidadedecada
vezmaisconstituirmosa“primeiraescolha”dosconsumidores,concentrámos
osnossosesforçosnaintroduçãodeacçõesdeCRMquenosirãopossibilitar
ummelhorconhecimentodequemsãoosnossosclientesedasuacada
vezmaiorexigênciaquantoaosbenseserviçosqueadquirem.

CertosdequeosconsumidoresPortuguesessãotambémigualmente
exigentesaoníveldaeficiênciadoserviço,aBPcontinuaainvestirna
formaçãodetodoopessoalqueoperanospostosdeabastecimento
atravésdeacçõesfocalizadasnoconhecimentodosprodutosque
comercializamos,nasegurançaenaobtençãodeumpadrãodemelhoria
continuadosníveisdeatendimentoexigidos.Destemodo,aolongo
doanode2006,nonossocentrodetreinodoRamalhãodemosformação
aoscolaboradoresdaBPGest24edarestanterededepostosBP.

A execução rigorosa das iniciativas Aexecuçãorigorosadasiniciativassubjacentesàsáreasanteriormente


subjacentes às áreas anteriormente descritas,tiveramcomoresultadoparaoRetalho,ofortalecimentoda
descritas, tiveram como resultado respectivaquotademercadoanívelnacionalassimcomoaduplicação,
para o Retalho, o fortalecimento da versus2005,damargemdecontribuiçãodoRetalhoparaoresultadoglobal
respectiva quota de mercado. daBPPortugalS.A.
14 Unidades de Negócio Relatório e Contas 2006

Oanode2006foimarcadoporumaenormeinstabilidadedocustodas
matérias-primasutilizadasnofabricodosLubrificantes.Sóporsi,este Unidades
factodesencadeouumambientealtamentecompetitivonosmercados
eexigiuumpermanentefocusaoníveldanossapoliticadepreçoseao deNegócio
níveldoposicionamentodasnossasmarcasegamasdelubrificantes.Só
assimfoipossívelassegurarosdesejadosníveisderentabilidade Lubrificantes
esperadosdecadaprodutoeaomesmotempogarantirníveis
decompetitividadequenospermitiramumaoperaçãoadequadaajustada
ànossaquotademercado.

Otransportepesadodemercadoriaseavendasdeveículosligeiros
ecomerciaissãoosfactoresquemaisinfluenciamadinâmicadeste
negócioeoanode2006teveumcrescimentomoderado.Como
consequênciaimediata,observou-seumadiminuiçãosignificativa
dovolumetotaldevendasdelubrificantesconsumidospelomercado.

Areformulaçãodoscanaisdevenda,suportadaporumadefiniçãoprecisa
datipologiadeclientesesegmentosdemercados,nosquaisnos
devemosfocar,assimcomoumagestãocriteriosadosrecursos
financeirosehumanos,permitiram-nosobterresultadosrazoáveis
ecumprirosobjectivosestratégicosemrelaçãoàgestãodacarteira
declientespreviamentedefinidos.

Osbonsresultadosobtidosduranteoanode2006foram,semdúvida, Os bons resultados obtidos durante o


frutodeumaforteorientaçãoestratégicaeobjectivosmuitoclaros ano de 2006 foram, sem dúvida, fruto
centrados,essencialmente,numamelhoriadaperformanceassociada de uma forte orientação estratégica
acadacliente,suportadoporumaclaraevoluçãonomercadodemaior e objectivos muito claros.
valor,emdetrimentodomercadodemaiorvolume.Também,ocontínuo
desenvolvimentodasrelaçõescomerciaiscomosnossosclientes,em
queosaspectosdaeficiênciaedasatisfaçãodassuasnecessidadessão
umaprioridade,suportadopelapermanenteliderançaaoníveltecnológico,
semdescoraraSegurançaeoAmbiente,permitiramumaconsolidação
dessasrelações,asquaisformamumasólidabasedecontinuidadee
crescimentoparaofuturo.

Onegóciodelubrificantescaracteriza-setambémporumaintensa
necessidadedeactividadesdemarketing.Anossaliderançafoiclara
eafirmou-seatravésdeumconjuntodepatrocínioseacçõespromocionais
quecontribuíramparaumaconsolidaçãodaimagemdasdiversasMarcasque
comercializamos.SãoderealçarasvitóriasconseguidasnoCampeonato
MundialdeRalliescomaFordenoWTCC-WorldTourismCarChampionship,
comaBMW.Estivemostambémpresentescomopatrocinadores
noCampeonatodomundodemotoGPcomaequipaGresiniHonda,
ondeatingimosexcelentesresultados.

Porúltimoecomoprincipaldestaque,oanúncioformaldopatrocínioao
EURO2008arealizarnaÁustriaeSuiça,iráseguramenteimpulsionar
todoumconjuntodeactividadesquepermitirãooreforçoeconsolidação
danossapresençanomercadodelubrificantesnospróximostempos.
Relatório e Contas 2006 Unidades de Negócio 15

Unidades OCommercialFuelsnasceem2006frutodafusãodedoisdepartamentos,
oEFSeoWRS,passandoagerirtodaacarteiradeclientesexistente
equeécompostapor:
deNegócio
-ClientesdeCartãoFrota
CommercialFuels -PostosdeCombustíveisBrancos
-PostosdeCombustíveisdeMarcaPrópria
-Revendedoresdegasóleodeaquecimento(MazootePlus)
-Reasellers

Como projectos principais ComoprojectosprincipaispodemosdestacaroCRMcomoferramenta


podemos destacar o CRM deprospecçãodeclientesatravésdeacçõesdeTelemarketingeoacordo
como ferramenta de comaAssociaçãoNacionaldeFarmáciasparaavendadecombustíveis,
prospecção de clientes. comcartão,aassociados.

Importaaindadestacarodesenvolvimentodeumanovaofertapara
ocartãoBPPluseaproduçãodeummapadasestradasemparceria
comdoisclientesleasing,aALDeaFinlog.

Comonotafinalpoderemosdizerqueoanode2006foicaracterizadopela
perdasignificativadeclientesdetransporteinternacional,motivadapela
deslocaçãodassuascomprasparaEspanha.
16 Unidades de Negócio Relatório e Contas 2006

Oanode2006manteveatendência,verificadaemanosanteriores,de
umdecréscimodomercadodoLPGemPortugalemconsequênciada Unidades
continuaçãodaexpansãodoGásNaturaledoproteccionismofiscaldado
aalgumasenergiasalternativasaestenossoproduto. deNegócio
Responsáveisporestareduçãodemercadoforamigualmenteadistorção LPG
fiscalexistenteentrePortugaleEspanha,favorecendoatransferência
devolumesparaestePaísemzonasdefronteira,easubidadas
temperaturasmédiasregistadasduranteesteano.

Apesardesteambientemenosfavorável,onegóciodegásdaBPregistou
umresultadobastantepositivonoquerespeitaaovolumedevendasbem
como,nasegurançadasnossasoperações.

Nummercadocomooqueacabámosdecaracterizar,éfundamental É fundamental inovar os nossos


inovarosnossosprodutoseserviçoscomoformadenosdiferenciarmos produtos e serviços como forma
danossaconcorrência. de nos diferenciarmos
da nossa concorrência.
Sãoexemplosdestainovaçãoediferenciação,aexpansãodasvendasda
nossagarrafaBPGasLight,tantoaníveldoterritórioportuguêscomo
emvolumedevendas,oreforçodanossaposiçãonosegmento
deaquecimentodomésticocomolançamentodoprimeiroaquecedor
catalíticodecorado,aentradanosegmentodelazercomosaquecedores
deesplanadaeosbarbecueseodesenvolvimentodeduasnovasofertas
paraoMini-graneldomésticoeempilhadores.Éigualmenteimportante
assinalaroaumentodasvendasdeAutogásimpulsionadaspelolançamento
emPortugaldedoismodelosdeautomóveishíbridoseainda,pela
campanhadedivulgaçãoepromoçãodesteproduto,promovida
pelaIndústriaatravésdasuaassociação(APETRO).
Relatório e Contas 2006 Unidades de Negócio 17

Também,aníveldasnossasinstalações,foramdadospassosimportantes
naprocuradaexcelênciaoperacionalcomaimplementaçãodeumnovo
conceitodegestãodeestaçõesdeabastecimento.
Naáreadoserviçoaoclienteéderegistaraimplementaçãodoprojecto
deautomaçãodeentregasdegás(EasyBiz).

Para o negócio de gás ParaonegóciodegásdaBPasegurançaéaprimeiraprioridade.


da BP a segurança Realizaram-se diversasacçõesdeconduçãodefensivaeváriasreuniões
é a primeira prioridade. sobresegurançacomosnossosclienteseparceirosdenegócio,
duranteoano.

Porfim,em2006onegóciodegásdaBPviuser-lherenovada
aCertificaçãonaáreadoSistemadeGestãodaQualidadedeacordo
comaNormaISO9001:2000,comoreconhecimentodaexcelência
dosnossosprocessoseprocedimentosnagestãodestenegócio.
18 Unidades de Negócio Relatório e Contas 2006

Em2006,aoníveldeaviaçãocomercial,aAirBPestabeleceucomoobjectivo
principalaconsolidaçãodasuaposiçãonomercadoPortuguês,muito Unidades
emboraestesejaumsectorquetemvindoaregistarbaixosníveis
decrescimento.Nofinaldoano,conseguimosumcrescimentonovolume deNegócio
devendasnaordemdos12%e,consequentemente,atingimosonosso
objectivo,umavezqueesteresultadoconsolidaanossaposiçãonomercado. AirBP
Umdosprincipaisfactoresquecontribuiuparaestedesempenhofoia Conseguimos um crescimento
renovaçãodocontratocomoGrupoSATA,porumperíododemaisdois no volume de vendas
anos.Numanoemqueopreçodosprodutospetrolíferosatingiurecordes na ordem dos 12%.
históricos,comasconsequentesrepercussõesaníveldoscustos
dasviagensaéreas,estavamcriadasascondiçõesparaocrescimento
dascompanhiasLowCost.Semperderaoportunidade,aAirBPassinou
contratoscomalgumasdestasempresasaoperaremPortugalmarcando
destemodoasuapresençanestesegmentodenegócio.

Maisumavez,nosegmentodeAviaçãoGeral,conseguimosgarantiruma
forteposiçãonomercadodaaviaçãoligeiraenofornecimentoaaeródromos
ebasesoperacionaisdecombateaincêndiosflorestais.Nosegmentomilitar,
aForçaAéreaPortuguesatemcadavezmaiorparticipaçãoemactividades
noâmbitodaNatoedasNaçõesUnidaspeloque,temvindoaexigiruma
maiordisponibilidadedonossosectordeoperaçõesnosaeroportos.Estas
solicitaçõesforamrespondidascomsucessoesemprecomoaltonívelde
serviçoaquehabituámososnossosClientes.

AsoperaçõesaeroportuáriasdeabastecimentoaaeronavesemLisboa,
FaroePontaDelgadaatingirammaisumanosemacidentes,derramesou
errosdeabastecimentoegarantiramumavezmaisumelevadograude
eficiêncianoserviçodaAirBP,prestadoaosseusclientesnestesaeroportos.

Estesresultadosforampossíveisdevidoaoprofissionalismoecapacidade
deiniciativadaequipaIbéricadaAirBP,semprecomoapoiodosserviços
daBPemPortugalecomacolaboraçãodaAirBPInternacional.
Relatório e Contas 2006 Unidades de Negócio 19

Unidades Oano2006foimarcadopordesastresnaturaisepelavolatilidadedos
mercados,comimpactosaoníveldadisponibilidadedeprodutoecustos
elevados.Tratou-se,porisso,deumdosanosmaisdifíceisdaindústria
deNegócio delubrificantesparaaMarinha.Apesardisso,aM&ELBU(Marine&Energy
Lubricants)obteveexcelentesresultadosem2006,comumcrescimento
BPMarine emvolumedevendasdelubrificantesanívelglobal.

Aviamarítimacontinuaaseramaisutilizadanotransportedemercadorias
entreosváriospaísesdomundo.Comnovaseconomiasemergentes,
sobretudonaÁsia(ChinaeÍndia)eonúmerodeconstruçõesaaumentar,os
navios,paraalémdeseremmaioresestãotambémmaissofisticadose,
consequentemente,maisexigentescomosseusfornecedores
delubrificantes.

Apesardasdificuldadesdomercadoemdisponibilizarproduto,aM&EL
estevepermanentementeàalturadecumprircomtodasasencomendas.

Procedemos a uma segmentação Em2006procedemosaumasegmentaçãoclaradeclientes,comoobjectivo


clara de clientes, com o delhesproporcionarofertasforteseclaras,eimplementámosoEasyBiz
objectivo de lhes proporcionar (simplificaçãodeprocessosdebackOffice).Comestasiniciativasmantivemos
ofertas fortes e claras. osactuaisclientes,renovámoscontratosdefornecimentoeconquistámos
novosclientes.Destaqueparaoscontratosestabelecidoscomosclientes
internacionaisPortline,“WorldCruises”,GenmareogrupoNaveiro.

EmNovembrode2006renegociámosocontratocomdoisimportantes
clienteslocais-RebonaveeReboport-detentoresdafrotaderebocadores
queoperamnoportodeLisboa,SetúbaleSines.

MaisumavezmantivemosumaperformanceelevadaaníveldeHSSE,
ousejazeroacidentes,zeroderrames.
20 Unidades de Negócio Relatório e Contas 2006

Omercadoem2006voltouacairpelosegundoanoconsecutivo.Asrefinarias
nacionaispuderamassimassegurarofornecimentodeprodutoauma Unidades
maiorpercentagemdomercado,afectandoassimasnossasvendas
aoutrosoperadores. deNegócio
Noscombustíveislíquidos,apesardadiminuiçãodevolumescomprados IST&Logística
emaproximadamente7%,oaumentodopreçodosprodutoslevouaque
omontantedispendidonacomprafosse5%superioraodoanotransacto.

Oanode2006foitambémumanodeintegraçãodasnovasestruturas
organizativasassumindoparticularrelevânciaparaoIST,aintegraçãodo
CO(CommercialOptimisation)queveiopotenciarumainterfacemaisfluida
comasáreasde"pricing"dosnegóciosdemarketing.Foiassimmaisfácil
empreenderumadiferenciaçãodeofertabaseadanopreço,sendo
oprojecto-pilotodaTanquiporumexemplodoqueacabamosdedizer.

AUltimateGasolina100foidescontinuadagradualmentenasegunda
metadedoano,sendoexemplodaoptimizaçãodosprocessosinternos
eadequaçãodaofertaàsnecessidadesdosnossosclientes.

Emparceriacomoutrooperadorfoipossívelalargargeograficamente
aofertadegasóleodeaquecimentodesuperiorqualidadebemcomo,
reforçarasgarantiasdeabastecimentodesteprodutoimportado.

Foitambémdesenvolvidaarenegociaçãodoscontratoscomarefinadora Renegociação dos contratos


nacionaldemodoaasseguraracompetitividadedosfornecimentos com a refinadora nacional
nomercadonacional. de modo a assegurar
a competitividade
dos fornecimentos
no mercado nacional.
Relatório e Contas 2006 Funções 21

Funções Oanode2006foiumanodegrandestransformaçõesnacompanhiaque
sereflectiramtambémnoFinantialControl&Accounting.Are-estruturação
operadatevecomofinalidadefundamentalconcentrartodososrecursos
FC&A queestavamdispersosnaorganizaçãonumconceitoaglutinadordeCOE
–CentreofExpertise–comoobjectivodenormalizarpráticas,simplificar
processoseefectivarumagestãomaiseficienteeeficaz
dosrecursosexistentes.

Na migração do sistema AimplementaçãodoProjectoCASSIS(CommonAccountingSystemsfor


anterior ISPA para SAPIndustrySolutions)queseconsumounamigraçãodosistema
o SAP Financials. anteriorISPAparaoSAPFinancialsequefazpartedeumprojectomais
alargado–ProcessFitness–queiráserdesenvolvidoduranteoanode
2007equevisanãoapenasasimplificaçãoenormalizaçãodeprocessos
mastambémaimplementaçãodosmódulosSaleseMovementsdoSAP.
Quandoterminada,estaseráaplataformaERPqueseráosustentáculo
dasoperaçõesdaBPemPortugalintegrando-seamesmanasolução
adoptadapeloGrupoBP.

NasequênciadaimplementaçãodoprojectoCASSISfoiefectuadauma
revisãoatodooprocessodecontrolointernoemconformidadecom
alegislaçãoSarbanes-OxleyAct(SOX).
22 Funções Relatório e Contas 2006

AComunicaçãoé,naBP,umaferramentafundamental.Tantointerna,
comoexternamente,estatemsidoumaregrafundamentalcomvistaa Funções
aumentaranotoriedadedamarcajuntodacomunidade,dedifundiras
politicasevaloresdoGrupo,bemcomopartilharainformaçãorelevante C&EA
entreossectoresdaCompanhia.

DevidoaoProgramadeRacionalizaçãodasActividadesdeComercialização Estratégia de Comunicação


naEuropa-EEP(EuropeanEfficiencyProgram)-queenvolveuPortugal,o transparente, clara e objectiva junto
ano2006foiumanoalgoconturbadoparaanossaorganização.OC&EA dos diversos públicos – interno
implementouumaEstratégiadeComunicaçãotransparente,clara e externo.
eobjectivajuntodosdiversospúblicos–internoeexterno–com
resultadosfrancamentepositivos.

AníveldaComunicaçãoExterna,aatitudedetransparênciaeorigorda
informaçãoprestada,tevecomoresultadoumasignificativaexposição
mediática.Dedestacaroencontroquevisaaapresentaçãodorelatório
anualdeenergiaaosMedia–BPStatisticalReviewofWorldEnergy–que
setornoujáummarco,nãosóparaaCompanhiacomoparaospróprios
ÓrgãosdeComunicaçãoSocial.

Em2006continuámosaparticiparemCongressos,Seminários,Fóruns,
eoutros,convictosdequepelapartilhadevalores,experiências
econhecimentosassociadosànossaactividade,todospodemos
beneficiar.OenvolvimentodaBPjuntodeONG’s,Academias,
Associações,OrganismoseComunidadeEmpresarial,temvindo
aassumirumpapelcadavezmaispreponderante.

NanossarelaçãocomaComunidade,oano2006foiumanomarcado
pelopatrocínioSocialao‘RockinRio-Lisboa’,eventonoqualaBPteve
umaparticipaçãoactiva,comumagrandeprojecção.Talcomoaconteceu
em2004,o‘RockinRio-Lisboa’assumiuumafortecomponentesocialde
ajudaacriançasnecessitadas.Aediçãode2006nãofoiexcepçãoemais
umavezfoiumdosfocusdaatençãodoprojecto.

NoquerespeitaàComunicaçãoInterna,eparaalémdasactividades
desenvolvidasnoâmbitodoEEP,destaqueparaareuniãogeralde
empregadoscomvistaàapresentaçãodaEstratégiaparaoAno2007.
Destareuniãoresultouumapartilhadeconhecimentoeumcompromisso
reforçado,porpartedetodosaquelesquefazemestaorganização.

AnossapresençanaInternettemvindoaacompanharasexigências
domercado.Conseguimoscrescer7%faceaoanoanterior.
Relatório e Contas 2006 Funções 23

Funções AactividadedeGestãodeRecursosHumanospauta-seporserumelemento
chavenaestratégiadaCompanhia,consistindonãosónoassegurardastarefas
desuporteinerentesàgestãocontinuadepessoas,masacimadetudo,
RecursosHumanos participandonaimplementaçãodeProjectoscruciaisparaodesenvolvimento
donegócio.

Oano2006foiumanomarcanteparaoGrupoBPemgeraleparaaBP
Portugalemparticular,consequênciadoProgramadeRacionalizaçãodas
ActividadesdeComercializaçãonaEuropa–EEP,noqualPortugalfoium
dospaísesenvolvidos,levandoaumareduçãosignificativadosefectivos
daCompanhia.

Estamos certos de que sairemos Trata-sedeumprocessodifícilparatodos,masestamoscertosdeque


mais fortes e determinados sairemosmaisfortesedeterminadosemmanteraposiçãodeliderança,
em manter a posição de liderança, inovaçãoequalidadequetemostidoaolongodosúltimosanos.
inovação e qualidade que temos tido
ao longo dos últimos anos. Parafazerfaceaestasituação,osRecursosHumanoslevaramacabodiversas
sessõesdeformaçãoespecíficasnasáreasdeGestãodaMudançaeGestão
doStress,queabrangeramtodososcolaboradoresinteressados.Destemodo
permitimosaosnossosempregadosumamelhorpreparaçãoparaoperíodode
mudançadecorrente,bemcomo,paraosdesafiosqueseavizinhamnanova
organização,tantodopontodevistainternocomoexterno.

ParaalémdestetreinoespecíficoaCompanhiamanteveaindaoutrasacções
deformaçãodasquaissedestacamaFormaçãoemSistemasnoâmbitoda
implementaçãodoSAP-FI.CadaempregadodaBPPortugalperfez,emmédia,
trêsdiasdeformaçãoporano.

Emlinhacomoqueaconteceuem2005voltámosaparticipar,em2006,
nosegundomegaeventoderecrutamentoqueaBPAngolaorganizouem
Portugal,cujafinalidadefoi,umavezmais,recrutartalentosquecontribuam,
atravésdaBPemAngola,paraodesenvolvimentodeumpaís
emfrancaascensão.

Oanode2006ficouigualmentemarcadopelaaprovaçãodoNovoPlano
dePensõesdaBP,porpartedoInstitutodeSegurosdePortugal,oque
nospermitiuimplementarumPlanomodernizadoquecontribuiupara
aumentarasvantagensparaosempregadoseumamaiorcompetitividade
daBPemrelaçãoaomercado.
24 Funções Relatório e Contas 2006

ABPassinouem2006umcontractodeoutsourcingcomaSiemens
Communications,paraoserviçodesuportedeTelecomunicaçõesdoseu Funções
DepartamentodeTIC.Paraalémdareduçãodecustosprevistos,este
novomodelostandardtevetambémcomoobjectivoasimplificaçãode DCT
processos,agestãodeumúnicoSLA(servicelevelagreement)e
aimplementaçãodenovosserviçoseferramentasquegarantam
acontinuaoperacionalidadedosNegóciosemtodooPaís.

Dos10PaísesdaEuropaqueaderiramaestemodelo,foiemPortugal Foi criado o Service Desk central,


que,duranteomêsdeAgosto,seimplementouotestepiloto.Como capacitado para responder
resultadodesteteste,foicriadooServiceDeskcentral,capacitado às diferentes solicitações
pararesponderàsdiferentessolicitaçõesepedidosdealteração e pedidos de alteração
dosutilizadoresemlínguanativa,einteragircomasdiferentesequipas dos utilizadores.
internaseexternas,semprequenecessário.

OmodelodesuportedeTelecomunicaçõescaracteriza-seainda,pela
existênciaderecursoslocaiscomconhecimentostécnicosquepermitem
asseguraramanutençãoedesenvolvimentodeacçõesplaneadas
enãoplaneadas,contactocomosoperadoresdetelecomunicações
eimplementaçãodeprojectosdemediadimensão.
Relatório e Contas 2006 Situação Financeira 25

Situação Nofinaldoanode2006oActivoLíquidodacompanhiacifrou-seem
cercade729.884milharesdeeuro.Desalientarqueoinvestimentoglobal
atingiucercade28milhõesdeeuroequepelofactodenofinaldoano
Financeira opreçodocrudeteratingidoníveismaisbaixosnosmercados
internacionaisquandocomparadocom2005,aliadocomofactoda
EGREPterasseguradopelaprimeiravez30diasdestocksobrigatórios,
talpermitiuqueovalordasreservasobrigatóriasdecrescessecerca
de37milhõesdeeuro.

Proposta Aplicação Resultados

Oexercíciode2006encerroucomumresultadolíquidonegativonovalor
de€10.252.253,45paraoqualsepropõeaseguinteaplicação:

ParaReservasLivres……………………………………(€ 10.252.253,45)

Agradecimentos

Comojáfoireferido,ossucessosalcançadospassamobrigatoriamente
pelaspessoasesósãopossíveisatravésdeumextraordinárioempenho,
dinamismo,capacidadedeinovarecompetênciadetodososnossos
colaboradores,paraelesosnossosagradecimentos.

OnossoelevadoagradecimentoeestimaparatodososnossosClientes
eConcessionáriosquecontinuaramademonstrarapreferênciapelos
nossosprodutoseserviços,tendo-secimentadopordiversasvezes,
relaçõesqueextravasamosaspectosmaismateriaisdeumarelaçãocomercial.

AosnossosPrestadoresdeServiçoseFornecedoresumagradecimento
pelacontinuadacolaboraçãomantida.

ÀAPETROumreconhecimentopelaformacomotemlidadocom
questõesqueafectamglobalmenteonossosector,comparticular
realceàsquestõesligadasàSegurança.

O Conselho de Administração
AntónioManuelPatrícioComprido
AlfredoAntónioBarriosPrieto
CristóvãoAleixoCunhaCoimbra
JoséFranciscoCardosoGonçalvesVieira
JoséSaturninoSulSerranoGordo
PROGRESSIVE
Procurando sempre uma
abordagem nova e mais eficaz

Somosumaempresamoderna,ágileflexivel,
lideradadeummododinâmico,quepretende
sempreprogredir.Atravésdocontactocom
osclienteseparceiros,comasociedadeeas
comunidadesondeoperamosestamos
sempreàprocuradenovasemelhores
formasdefazerascoisas.
Relatório e Contas 2006 Demonstrações e Resultados 27

Demonstrações
eResultados
28 Demonstrações e Resultados Relatório e Contas 2006

valoresexpressosemmilharesdeEuro

BALANÇO A 31 DE DEZEMBRO DE 2006


ACTIVO NOTAS 31-12-2006 31-12-2005
AB AA AL AL
IMOBILIZADO:
Imobilizaçöes incorpóreas:
Despesasdeinstalaçäo 39.091 39.091 - 25
Propriedadeindustrialeoutrosdireitos 20.754 14.091 6.663 7.588
Trespasses 235.658 157.150 78.508 97.363
8,10 295.503 210.332 85.171 104.976
Imobilizaçöes corpóreas:
Terrenoserecursosnaturais 30.096 - 30.096 31.561
Edifícioseoutrasconstruçöes 125.936 76.957 48.979 55.460
Equipamentobásico 245.505 212.186 33.319 36.784
Equipamentodetransporte 3.725 2.312 1.413 551
Equipamentoadministrativo 41.216 36.280 4.936 6.731
Outrasimobilizaçöescorpóreas 25.671 23.461 2.210 2.295
Imobilizaçöesemcurso 39.025 - 39.025 31.176
Adiantamentosporcontadeimobilizaçöescorpóreas - - - -
10,12,13,14 511.174 351.196 159.978 164.558

Investimentos financeiros:
Partesdecapitalemempresasdogrupo 2.525 - 2.525 9.587
Partesdecapitalemempresasassociadas 30.652 - 30.652 24.137
Títuloseoutrasaplicaçõesfinanceiras - - - -
16 33.177 - 33.177 33.724

CIRCULANTE:
Existências:
Mercadorias 21,22 34.869 80 34.789 41.021

Dívidas de terceiros-médio e longo prazo 25 1.404 - 1.404 2.148

Dívidas de terceiros-curto prazo:


Clientes,c/c 133.280 - 133.280 151.846
Clientes-títulosareceber 126 - 126 453
Clientesdecobrançaduvidosa 21,23 26.151 26.151 - -
Empresasparticipadaseparticipantes - - - -
Adiantamentosafornecedores 134.367 - 134.367 171.322
Estadoeoutrosentespúblicos 48.a) 9.292 - 9.292 6.016
Outrosdevedores 48.b) 7.383 - 7.383 11.997
310.599 26.151 284.448 341.634
Depósitos bancários e caixa:
Depósitosbancários 9.431 - 9.431 125.534
Caixa 286 - 286 87
Outrasaplicaçõesdetesouraria 64.515 - 64.515 -

74.232 - 74.232 125.621

ACRÉSCIMOS E DIFERIMENTOS
Acréscimosdeproveitos 4.137 - 4.137 2.272
Custosdiferidos 48.c) 42.673 - 42.673 44.182
Impostodiferido 6 9.875 - 9.875 15.786
56.685 - 56.685 62.240

Totaldeamortizações 561.528

Totaldeajustamentos 26.231

TOTAL DO ACTIVO 1.317.643 587.759 729.884 875.922


AB=ActivoBrutoAA=AmortizaçõeseAjustamentosAL=ActivoLíquido
Relatório e Contas 2006 Demonstrações e Resultados 29

valoresexpressosemmilharesdeEuro

BALANÇO A 31 DE DEZEMBRO DE 2006


CAPITAL PRÓPRIO E PASSIVO NOTAS 31-12-2006 31-12-2005

CAPITAL PRÓPRIO:
Capital 9.000 9.000
Reservas
Reservaslegais 1.800 1.800
Reservasreavaliação 35.338 35.338
Reservaslivres 10.389 43.691
Reservadefusão 10.495 10.495
Ajustamentos de partes de capital em filiais e assoc. 8.281 8.281
Prestações acessórias 89.500 89.500
Resultados transitados - -
Resultado líquido do exercício (10.252) (33.301)
Total do capital próprio 40 154.551 164.804

PASSIVO:
Provisões 34 17.515 48.831
Benefícios de reforma 31,34 21.640 23.215
Dívidas a terceiros - médio e longo prazo 29 293.559 293.559
Dívidas a terceiros - curto prazo:
Fornecedores,c/c 29.732 36.687
Fornecedores-facturasemrecepçãoeconferência 71.356 88.440
Fornecedoresdeimobilizado,c/c 1.860 6.632
Estadoeoutrosentespúblicos 48.a) 76.100 78.764
Dívidasainstituiçõesdecrédito - 80.247
Empresasdogrupo 6.688 -
Clientes-adiantamentosp/cvendas 18.406 16.955
Empresasparticipadaseparticipantes - 251
Outroscredores 48.d) 9.772 13.919

213.914 321.895

ACRÉSCIMOS E DIFERIMENTOS
Acréscimosdecustos 48.e) 27.119 19.772
Proveitosdiferidos 593 609
Impostodiferido 6 993 3.237

28.705 23.618

Total do passivo 575.333 711.118

TOTALDOCAPITALPRÓPRIOEDOPASSIVO 729.884 875.922

O Conselho de Administração
AntónioManuelPatrícioComprido
JoséFranciscoCardosoGonçalvesVieira
AlfredoAntonioBarriosPrieto
JoséSaturninoSulSerranoGordo
CristovãoAleixoCunhaCoimbra

O Técnico de Contas
HumbertoManuelSerranoRodrigues
30 Demonstrações e Resultados Relatório e Contas 2006

valoresexpressosemmilharesdeEuro

DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2006


CUSTOS E PERDAS NOTAS 2006 2005

Custo das mercadorias vendidas e das matérias consumidas 41 1.719.899 1.656.272


Mercadorias
Fornecimentoseserviçosexternos 131.532 129.198

Custos com o pessoal: 43


Remunerações 20.443 20.712
Encargossociais:
Pensöes 11.055 2.410
Outros 7.746 7.274
39.244 30.396

Amortizações do imob. corpóreo e incorpóreo 10 44.660 47.473


Ajustamentos 7.687 -
Provisões 34 663 39.097
53.010 86.570
Impostos 4.364 2.509
Outros custos e perdas operacionais 2.177 5.672
6.541 8.181
(A) 1.950.226 1.910.617
Juros e custos similares: 45
Amortizaçõeseajustamentosdeaplicações
einvestimentosfinanceiros - -
Outros 14.629 14.629 13.652 13.652

(C) 1.964.855 1.924.269


Custos e perdas extraordinários 46 11.657 12.942

(E) 1.976.512 1.937.211


Imposto sobre o rendimento do exercício 6 6.430 (1.096)

(G) 1.982.942 1.936.115


Resultado líquido do exercício (10.252) (33.301)

1.972.690 1.902.814

PROVEITOS E GANHOS

Vendas: 44
Mercadorias 1.925.238 1.852.411
Prestaçöesdeserviços 5.467 5.881
1.930.705 1.858.292

Proveitos suplementares 12.960 14.682


Outros proveitos e ganhos operacionais 8.638 9.090
Reversões de amortizações e ajustamentos 7.357 2.893
28.955 26.665

(B) 1.959.660 1.884.957

Rendimentos de participações de capital 4.844 3


Outros juros e proveitos similares: 45
Outros 3.804 11.087
8.648 11.090

(D) 1.968.308 1.896.047


Proveitos e ganhos extraordinários 46 4.382 6.767

(F) 1.972.690 1.902.814

Resultados operacionais:(B)-(A) = 9.434 (25.660)


Resultados financeiros:(D - B) - (C - A) = (5.981) (2.562)
Resultados correntes: (D)-(C) = 3.453 (28.222)
Resultados antes de impostos: (F)-(E) = (3.822) (34.397)
Resultado líquido do exercício: (F)-(G) = (10.252) (33.301)
Relatório e Contas 2006 Demonstrações e Resultados 31

valoresexpressosemmilharesdeEuro

DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS POR FUNÇÕES DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2006


2006 2005

Vendaseprestaçõesdeserviços 1.930.705 1.858.292


Custodasvendaseprestaçõesdeserviços (1.760.512) (1.693.121)
Resultados brutos 170.193 165.171

Outrosproveitoseganhosoperacionais 58.921 39.399


Custosdedistribuição (43.155) (73.995)
Custosadministrativos (93.822) (98.407)
Outroscustoseperdasoperacionais (91.242) (63.895)
Resultados operacionais 895 (31.727)

Custoliquidodefinanciamento (9.562) (7.794)


Ganhosemfiliaiseassociadas 4.845 5.124
Resultados correntes (3.822) (34.397)
Impostosobreosresultadoscorrentes (6.430) 1.096
Resultados correntes após impostos (10.252) (33.301)
Resultadolíquidodoexercício (10.252) (33.301)

O Conselho de Administração
AntónioManuelPatrícioComprido
JoséFranciscoCardosoGonçalvesVieira
AlfredoAntonioBarriosPrieto
JoséSaturninoSulSerranoGordo
CristovãoAleixoCunhaCoimbra

O Técnico de Contas
HumbertoManuelSerranoRodrigues
32 Demonstrações e Resultados Relatório e Contas 2006

valoresexpressosemmilharesdeEuro

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA EM 31 DE DEZEMBRO 2006 - MÉTODO DIRECTO


2006 2005

ACTIVIDADES OPERACIONAIS
Recebimentosdeclientes 1.953.859 1.847.479
Pagamentosafornecedores (1.824.443) (1.780.607)
Pagamentosaopessoal (56.766) (29.795)
Fluxos gerados pelas operações 72.650 37.077

Recebimentodeimpostos/rendimento (5.890) 1.727


Outrosrecebimentos/(pagamentos)relativosàactividadeoperacional (7.820) 2.261
Fluxos gerados antes das rubricas extraordinárias 58.940 41.066

Recebimentosrelacionadoscomrubricasextraordinárias 1.007 1.234


Pagamentosrelacionadoscomrubricasextraordinárias (10.372) (9.531)
Fluxos das actividades operacionais 49.575 32.769

ACTIVIDADES DE INVESTIMENTO
Recebimentosprovenientesdeimobilizaçõescorpóreas 5.897 5.533
Recebimentos/(pagamentos)respeitantesadividendos 4.231 3.520
Pagamentosrespeitantesainvestimentosfinanceiros 1.160 (117)
Pagamentosrespeitantesaimobilizadocorpóreo (29.818) (28.005)
Recebimentosprovenientesdeimobilizadoincorpóreo 964 1.140
Fluxos das actividades de investimento (17.566) (17.929)

ACTIVIDADES DE FINANCIAMENTO
Pagamentosrespeitantesajurosecustossimilares (9.588) (6.904)
Pagamentosrespeitantesadividendos - -
Recebimentos/(pagamentos)respeitantesaempréstimosobtidos - -
Recebimentos/(pagamentos)respeitantesaempréstimosconcedidos 6.437 144
Fluxos das actividades de financiamento (3.151) (6.760)

Variaçãodecaixaeseusequivalentes 28.858 8.080

Efeitodasdiferençasdecâmbio

Caixaeseusequivalentesnoiníciodoperíodo 45.374 37.294

CAIXA E SEUS EQUIVALENTES NO FIM DO PERÍODO 74.232 45.374

2.Discriminaçãodoscomponentesdecaixaeseusequivalentes:

ANEXO À DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA


2006 2005

Numerário 285 87
Depósitosbancáriosimediatamentemobilizáveis 73.947 125.534
DisponibilidadesconstantesdoActivo 74.232 125.621
DescobertosBancários-ApresentadosnoPassivo - (80.247)
DisponibilidadesconstantesdoPassivo - (80.247)
Disponibilidadesconstantesdobalanço 74.232 45.374

Asrestantesnotasnãoestãoincluídasnesteanexopornãoseremaplicáveis.

O Conselho de Administração
AntónioManuelPatrícioComprido
JoséFranciscoCardosoGonçalvesVieira
AlfredoAntonioBarriosPrieto
JoséSaturninoSulSerranoGordo
CristovãoAleixoCunhaCoimbra

O Técnico de Contas
HumbertoManuelSerranoRodrigues
Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 33

Anexoàs NOTAINTRODUTÓRIA

A BP PORTUGAL - COMÉRCIO DE COMBUSTÍVEIS E LUBRIFICANTES S.A.


Demonstrações ("Empresa")éumasociedadeanónima,comsedeemLagoasPark-
Edifício3,Oeiras,equetemcomoobjectosocialacomercialização
Financeiras decombustíveiselubrificantes.

em31deDezembro AsnotasqueseseguemrespeitamanumeraçãodefinidanoPlanoOficial
deContabilidade.Asnotascujanumeraçãoseencontraausentedeste
de2006 anexonãosãoaplicáveisàEmpresaouasuaapresentaçãonãoé
(ValoresexpressosemmilharesdeEuro)
relevanteparaacompreensãodasdemonstraçõesfinanceirasanexas.

Dispensa de elaborar demonstrações financeiras consolidadas

NostermosdoArtigo4ºdoDecreto-Leinº238/91,aEmpresaestá
dispensadadeelaborardemonstraçõesfinanceirasconsolidadasdado
fazerpartedogrupoBPplc,queporsuavezefectuaconsolidaçãocom
assuassubsidiáriasdirectaseindirectas.Asdemonstraçõesfinanceiras
consolidadasdogrupoBPplcencontram-setraduzidasemlíngua
PortuguesaedisponíveisnasededaBPPortugal-Comércio
deCombustíveiseLubrificantesS.A..

3.BASESDEAPRESENTAÇÃOEPRINCIPAISCRITÉRIOS
VALORIMÉTRICOS

Asdemonstraçõesfinanceirasanexasforampreparadasapartirdoslivros
eregistoscontabilísticosdaEmpresa,mantidosdeacordocomprincípios
decontabilidadegeralmenteaceitesemPortugal.

Assim,forampreparadassegundoaconvençãodoscustoshistóricos,na
basedacontinuidadedasoperaçõeseemconformidadecomosprincípios
fundamentaisdaconsistência,prudência,especializaçãodosexercícios,
substânciasobreaformaematerialidade.Osproveitoseoscustossão
reconhecidosquandoobtidosousuportados,sendoincluídos
nasdemonstraçõesfinanceirasdosperíodosaquerespeitam.

Oscritériosvalorimétricosdemaiorrelevânciasãoapresentadosnos
pontosseguintesesãoconsistentescomosusadosnosanosanteriores:

a) Imobilizações incorpóreas
Asimobilizaçõesincorpóreas,quecompreendemessencialmente
trespasses,epropriedadeindustrialeoutrosdireitos,encontram-se
registadasaocustodeaquisiçãoesãoamortizadaspelométodo
dasquotasconstantesduranteumperíodoquevariaentre5e20anos.
34 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

b) Imobilizações corpóreas
Asimobilizaçõescorpóreasadquiridasaté31deDezembrode2006
encontram-seregistadasaocustodeaquisiçãoouaovalorreavaliado
deacordocomasdisposiçõeslegais(Nota12),combaseemcoeficientes
oficiaisdedesvalorizaçãomonetária.

Asreintegraçõessãocalculadaspelométododasquotasconstantes,
exceptoemrelaçãoaalgunsbensadquiridosentre1990e1996queestão
aserreintegradossegundoométododequotasdegressivas,deacordo
comasseguintesvidasúteisestimadas:

ANOS

Edifícioseoutrasconstruções 3-50
Equipamentobásico 3-25
Equipamentodetransporte 4-7
Equipamentoadministrativo 3-10
Outrasimobilizaçõescorpóreas 3-10

Asgarrafasdegás,queestãoincluídasnarubricadeequipamentobásico,
sãototalmentereintegradasnoanodeaquisição.

c) Investimentos financeiros
Osinvestimentosfinanceirosemempresasdogrupoeassociadassão
registadospelométododeequivalênciapatrimonial,sendoasparticipações
inicialmentecontabilizadasaocustodeaquisição,oqualfoiacrescidoou
reduzidopeladiferençaentreocustodeaquisiçãoeovalorproporcionalà
participaçãonoscapitaisprópriosdessasempresas,reportadoàdatada
aquisiçãooudaprimeiraaplicaçãodométododeequivalênciapatrimonial.
Asdiferençasentreocustodeaquisiçãodosinvestimentosfinanceiros
nessasempresaseovalorproporcionalàparticipaçãodaEmpresanos
capitaispróprios,àdatadeaquisiçãooudaprimeiraaplicaçãodoreferido
método,foramregistadasnarubrica"AjustamentosdePartesdeCapital",
incluídanoscapitaispróprios,comexcepçãodediferençasapuradas
naaquisiçãodestasempresas,asquaisforamregistadasnarubrica
de"Trespasses".

Deacordocomométododeequivalênciapatrimonial,asparticipações
sãoajustadaspelovalorcorrespondenteàparticipaçãonosresultados
líquidosdasempresasdogrupoeassociadas,porcontrapartidadeganhos
ouperdasfinanceirosdoano,eporoutrasvariaçõesocorridasnosseus
capitaispróprios,porcontrapartidadarubrica"AjustamentosdePartesde
Capital".Adicionalmente,osdividendosrecebidosdessasempresassão
registadoscomoumadiminuiçãodovalordosinvestimentosfinanceiros.
Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 35

Osinvestimentosfinanceirosemoutrasempresasparticipadas,outras
aplicaçõesfinanceiraseosempréstimosconcedidosaempresas
participadasencontram-seregistadosaocustodeaquisiçãoouaovalor
nominal,oqualéinferioraorespectivovalordemercadoou
derecuperação.

Osrendimentosresultantesdeinvestimentosfinanceirosemoutras
empresasparticipadas(dividendos)sãoregistadosnademonstraçãodos
resultadosdoexercícioemqueédecididaeanunciadaasuadistribuição.

d) Existências
Asmercadoriasencontram-sevalorizadasaocustodeaquisição,
utilizando-seoFIFOcomométododecusteioparavalorizaçãodassaídas.

Ocustodeaquisiçãoincluitambémasdespesasincorridasatéao
armazenamento,nomeadamentecustocomtransportedasmercadorias.

e) Ajustamentos a dívidas de cobrança duvidosa


Oajustamentoadívidasdecobrançaduvidosafoicalculadocombasena
avaliaçãodasperdasestimadaspelanãocobrançadascontasareceber
declienteseoutrosdevedores.

f) Especialização de exercícios
AEmpresaregistaassuasreceitasedespesasdeacordocomoprincípio
daespecializaçãodeexercíciospeloqualasreceitasedespesassão
reconhecidasàmedidaemquesãogeradas,independentemente
domomentoemquesãorecebidasoupagas.Asdiferençasentreos
montantesrecebidosepagoseascorrespondentesreceitasedespesas
geradassãoregistadasnasrubricasdeacréscimosediferimentos.

g) Benefícios de reforma
AEmpresaprocedeàcontabilizaçãodosbenefíciosatribuídos
aempregadospormotivodasuareformadeacordocomodisposto
naDirectrizContabilísticanº19.

AEmpresatemaresponsabilidadedeconcedercomplementosde
pensõesdereformaporvelhiceesobrevivência,calculadosemconformidade
comPlanosdePensõespróprios.Taiscomplementossãoatribuídosna
partequeexcedemovalordaspensõespagaspelaSegurançaSocial.

ParaesteefeitoaEmpresatemconstituídodoisFundosdePensõesjunto
daESAF(ex-Tranquilidade)-BPPortugaleBPPortugalII(criadonofinaldo
ano)-paraosquaisforamtransferidasatotalidadedasresponsabilidades
36 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

passadasexistentes.AEmpresadotouem2006oFundodePensõesBP
Portugalcomomontantede€ 472milharesdeEuro.

ExisteumterceiroFundodePensões-PensõesHorizonteValorização
(ex-Mobil)-paraoqualnãohouvequalquercontribuiçãonoexercício,
umavezqueesteFundoseencontrasuperavitário.

OstrabalhadoresdaEmpresatêmapossibilidadedeoptarpelapassagem
àsituaçãodereformaantecipada,quandoseencontrememdeterminadas
condiçõesdeidadeeantiguidadepré-definidas.

Asresponsabilidadesemergentesdestasituaçãoestãoreflectidasnuma
provisãocriadaparaoefeito.

Ocustodosserviçospassadosparafazerfaceareformasantecipadas,
calculadoàdatade31deDezembrode2006eabrangendoopessoalno
activo,estáaseramortizadoporumperíodode20anos.Asvariações
anuaisdestaprovisãosãolevadasacustodoano.

h) Imposto sobre o rendimento


Oimpostodoexercíciosobreorendimentoécalculadocombasenos
resultadostributáveisdaEmpresadeacordocomasregrasfiscaisem
vigoreconsideraatributaçãodiferida,deacordocomodisposto
naDirectrizContabilísticanº28.

Osimpostosdiferidossãocalculadoscombasenométododa
responsabilidadedebalançoereferem-seàsdiferençastemporáriasentre
osmontantesdosactivosepassivosparaefeitosdereportecontabilístico
eosseusrespectivosmontantesparaefeitosdetributação.

Osactivosepassivosporimpostosdiferidossãocalculadoseanualmente
avaliadosutilizandoastaxasdetributaçãoqueseesperaestaremem
vigoràdatadareversãodasdiferençastemporárias.

Osactivosporimpostosdiferidossãoregistadosunicamentequando
existemexpectativasrazoáveisdelucrosfiscaisfuturossuficientespara
osutilizar.Nadatadecadabalançoéefectuadaumareapreciaçãodas
diferençastemporáriassubjacentesaosactivosporimpostosdiferidosno
sentidodereconheceractivosporimpostosdiferidosnãoregistados
anteriormentepornãoterempreenchidoascondiçõesparaoseuregisto
e/ouparareduziromontantedosimpostosdiferidosactivosregistados
emfunçãodaexpectativaactualdasuarecuperaçãofutura.
Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 37

i) Médio e Longo prazo


Osactivosrealizáveiseospassivosexigíveisamaisdeumanodadatado
balançosãoclassificadosamédioelongoprazonobalanço.

j) Férias e subsídio de férias


Asfériasesubsídiodefériassãoregistadoscomocustodoanoemque
osempregadosadquiremodireitoaoseurecebimento.Emconsequência,
ovalordefériasesubsídiodefériasvencidoenãopagosàdata
dobalanço,foiestimadoeincluídonarubricaacréscimosdecustos.

l) Saldos e transacções expressos em moeda fora do espaço Euro


Todososactivosepassivosexpressosemmoedasqueseencontramfora
doespaçoEuroforamconvertidosparaEuroutilizando-seastaxasde
câmbiovigentesnasdatasdosbalanços.

Asdiferençasdecâmbio,favoráveisedesfavoráveis,originadaspelas
diferençasentreastaxasdecâmbioemvigornadatadastransacções
easvigentesnadatadascobranças,pagamentosounadatadobalanço,
foramregistadascomoproveitosecustosnademonstraçãoderesultados
doexercício.

4.ACTIVOSEPASSIVOSEXPRESSOSEMMOEDAESTRANGEIRA

Ascotaçõesdecâmbioutilizadasparaaconversãodossaldosareceber
eapagaremmoedaestrangeira,existentesnadatadobalançoforam
asseguintes:

MOEDA CÂMBIO

USD 1.31441
GBP 0.67074
NOK 8.24443

6.IMPOSTOS

Deacordocomalegislaçãoemvigor,asdeclaraçõesfiscaisestãosujeitas
arevisãoecorrecçãoporpartedasautoridadesfiscaisduranteumperíodo
dequatroanos(cincoanosparaaSegurançaSocial).Destemodo,as
declaraçõesfiscaisdaEmpresarelativasàqueleperíodopoderãovirainda
asersujeitasarevisão.
38 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

AAdministraçãodaEmpresaentendequeascorrecçõesresultantesde
revisões/inspecçõesporpartedasautoridadesfiscaisàquelasdeclarações
deimpostosnãoterãoumefeitosignificativonasdemonstrações
financeirasem31deDezembrode2006.

AEmpresaregistanassuascontasoefeitofiscaldecorrentedas
diferençastemporáriasqueseverificaramentreosresultadosanuais
determinadosnumaópticacontabilísticaenumaópticafiscal,deacordo
comodispostonaDirectrizContabilísticanº28eNormaInternacionalde
Contabilidadenº12.Oimpostosobreorendimentonoexercíciode2006,
queapresentaumvalorde6.430milharesdeEuro,incluioefeito
doimpostodiferidonomontantede3.667milharesdeEuro,geradopelas
diferençastemporáriasabaixoreferidas.

a) Decomposição dos activos e passivos por impostos diferidos,


por tipo de diferença, à data do balanço

TOTAL DR
DESCRIÇÃO 2005 RECLAS. REDUÇÕES AUMENTOS 2006 2006

Diferençastemporáriasqueoriginaramactivos
porimpostosdiferidos

Provisõesnãoaceitesfiscalmente 57.404 30.184 7.145 34.365 (23.039)


Benefíciosdereforma(*) - - 1.545 1.545 1.545

TOTAL I 57.404 30.184 8.690 35.910 (21.494)

Diferençastemporáriasqueoriginarampassivos
porimpostosdiferidos

Reavaliaçãodeactivosimobilizados 1.396 175 - 1.221 175


Benefíciosdereforma(*) 7.326 7.326 - - (7.326)
Diferimentodetributaçãodemaisvalias 3.050 659 - 2.391 659

TOTAL II 11.772 8.160 - 3.612 (6.492)

Valoresreflectidosnobalanço
Activosporimpostosdiferidos (15.786) (8.301) 2.390 9.875 (5.911)
Passivosporimpostosdiferidos 3.237 2.244 - 993 (1.785)

(
*) Ossaldosiniciaisdeimpostosdiferidosassociadosabenefíciosdereformaeprovisõesforam
reclassificadospassandoaevidenciarospassivos,cujabaseestáreconhecidaemcontasde
acréscimosediferimentoseosactivosqueintegramosaldodasprovisõesparabenefícios
dereformatributada.
Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 39

b) Reconciliação do imposto do exercício e do imposto corrente

2006

I Impostodoexercício 6.430
II Gastos(proveitos)deimpostosdoexercícioreconhecidos
nesteexercícioeanteriormentereconhecidoscomo
impostosdiferidosprovenientesde:
1.Impostosdiferidoscomorigememdiferençastemporárias 2.390
2.Impostosdiferidospelareversãodediferençastemporárias (6.057)
(3.667)

IIIGastos(proveitos)deimpostosnãoreconhecidos
anteriormentecomoimpostosdiferidosprovenientesde:
1.Ajustamentosdeimpostoscorrentesdeexercíciosanteriores -
-
IVImpostodiferido(II+III) (3.667)

V Imposto corrente (I + IV) 2.763

7.NÚMEROMÉDIODEPESSOAL

OnúmerodeempregadosaoserviçodaEmpresaem31deDezembro
de2006e2005foide330e424,respectivamente.

8.DESPESASDEINSTALAÇÃOEPROPRIEDADEINDUSTRIAL

Em31deDezembrode2006,estasrubricastinhamaseguinte
composição:

2006

Despesas de instalação:
Comparticipaçõesatribuídasaclientes,nasequênciadecontratos
defornecimentodeprodutose/ouserviçosrelacionados
comosmesmos -

Propriedadeindustrialeoutrosdireitos:
Direitosdesuperfíciesobreterrenos/Contratosarrendamento 6.663

6.663
40 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

10.MOVIMENTODOACTIVOIMOBILIZADO

Duranteoexercíciofindoem31deDezembrode2006omovimento
ocorridonovalordasimobilizaçõesincorpóreas,imobilizaçõescorpóreas
einvestimentosfinanceiros,bemcomoasrespectivasamortizações
acumuladaseprovisões,foioseguinte:

ACTIVO BRUTO
RUBRICAS SALDO INICIAL AUMENTOS ALIENAÇÕES TRANSF. E ABATES SALDO FINAL

IMOBILIZAÇÕES INCORPÓREAS:
Despesasdeinstalação 39.269 - (101) (77) 39.091
Propriedadeindustrialeoutrosdireitos 20.803 - (49) - 20.754
Trespasses 236.545 - - (887) 235.658

296.617 - (150) (964) 295.503

IMOBILIZAÇÕES CORPÓREAS:
Terrenoserecursosnaturais 31.561 - (1.465) - 30.096
Edifícioseoutrasconstruções 128.320 301 (4.746) 2.061 125.936
Equipamentobásico 236.893 8.433 (2.318) 2.497 245.505
Equipamentodetransporte 3.506 - - 219 3.725
Equipamentoadministrativo 40.253 171 (495) 1.287 41.216
Outrasimobilizaçõescorpóreas 23.522 520 (78) 1.707 25.671
Imobilizaçõesemcurso 31.176 16.113 - (8.264) 39.025
Adiantamentosp/cimobiliz.corpóreas - - - - -

495.231 25.538 (9.102) (493) 511.174

INVESTIMENTOS FINANCEIROS:
Partescapitalempresasgrupo 9.587 - (554) - 9.033
Partescapitalempresasassociadas 24.137 1.263 (1.256) - 24.144
Títuloseoutrasaplicaçõesfinanceiras - - - - -

33.724 1.263 (1.810) - 33.177

825.572 26.801 (11.062) (1.457) 839.854

AMORTIZAÇÕES E AJUSTAMENTOS
RUBRICAS SALDO INICIAL REFORÇO ANUL. E REVERSÃO TRANSFERÊNCIAS SALDO FINAL

IMOBILIZAÇÕES INCORPÓREAS:
Despesasdeinstalação 39.244 - (102) (51) 39.091
Propriedadeindustrialeoutrosdireitos 13.215 925 (49) - 14.091
Trespasses 139.182 17.968 - - 157.150

191.641 18.893 (151) (51) 210.332

IMOBILIZAÇÕES CORPÓREAS:
Edifícioseoutrasconstruções 72.860 7.422 (3.216) (109) 76.957
Equipamentobásico 200.109 14.240 (1.598) (565) 212.186
Equipamentodetransporte 2.955 316 - (959) 2.312
Equipamentoadministrativo 33.522 3.232 (454) (20) 36.280
Outrasimobilizaçõescorpóreas 21.227 734 (28) 1.528 23.461

330.673 25.944 (5.296) (125) 351.196

522.314 44.837 (5.447) (176) 561.528


Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 41

Arubricadetrespassesincluiodiferencialdosvalorescontabilísticospara
ojustovalordosactivosadquiridos:

ACTIVO BRUTO ACTIVO LÍQUIDO

Ex-MobilOilPortuguesa 146.000 37.110


Ex-SLIL 90.544 41.398

236.544 78.508

12.REAVALIAÇÕESDEIMOBILIZAÇÕESCORPÓREAS(LEGISLAÇÃO)

AEmpresaprocedeuemanosanterioresàreavaliaçãodassuas
imobilizaçõescorpóreasaoabrigodalegislaçãoaplicável,nomeadamente:

-Decreto-Leinº219/82,de2deJunho
-Decreto-Leinº399-G/84,de28deDezembro
-Decreto-Leinº118-B/86,de27deMaio
-Decreto-Leinº111/88,de2deAbril
-Decreto-Leinº49/91de25deJaneiro
-Decreto-Leinº264/92,de24deNovembro
-Decreto-Leinº31/98,de11deFevereiro

13.QUADRODISCRIMINATIVODEREAVALIAÇÕES

Odetalhedoscustoshistóricosdeaquisiçãodeimobilizaçõescorpórease
investimentosfinanceirosecorrespondentereavaliaçãoem31de
Dezembrode2006,líquidosdeamortizaçõesacumuladas,éoseguinte:

CUSTOS HISTÓRICOS REAVALIAÇÕES VALORES CONTABILÍSTICOS REAVALIADOS

IMOBILIZAÇÕES CORPÓREAS:
Terrenoserecursosnaturais 16.624 13.472 30.096
Edifícioseoutrasconstruções 46.240 2.739 48.979
Outrasimobilizaçõescorpóreas 41.846 601 42.447

104.710 16.812 121.522


42 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

14.IMOBILIZAÇÕESCORPÓREAS(Informaçãoadicional)

Relativamenteàsimobilizaçõescorpóreas,importafazerreferência
àseguinteinformaçãoadicionalrelativaaoexercíciofindoem31
deDezembrode2006:

2006 2005

Empoderdeterceiros
Corpóreas(valoresactivobruto) 356.409 453.520
Reintegraçõesdeimob.corpóreas (279.054) (362.263)

CORPÓREAS (VALORES ACTIVO LÍQUIDO) 77.355 91.257

Empropriedadealheia
Corpóreas(valoresactivobruto) 157.652 143.067
Reintegraçõesdeimob.corpóreas (117.925) (105.391)

CORPÓREAS (VALORES ACTIVO LÍQUIDO) 39.727 37.676

16.EMPRESASDOGRUPOEASSOCIADAS

a)Em31deDezembrode2006,asempresasdogrupoeassociadas
eramcomosegue:

31 DE DEZEMBRO DE 2006 FRACÇÃO DE CAPITAL DETIDO

SEDE CAPITAL ACTIVOS CAPITAL RESULTADO % VALOR DE BALANÇO


SOCIAL SOCIAL PRÓPRIO LÍQUIDO (NOTA 10)

EMPRESAS DO GRUPO
BPGEST24-Soc.Unipessoal.Lda. (a) Lisboa 25 14.964 2.525 2.474 100.0% 2.525
Fuelplane-Soc.Abastecedora
Aeronaves.Lda. (b) Lisboa 5 208 15 10 100.0% 2
SociedadeQuintadoLoureiro.S.A. (c) Lisboa 6.155 7.167 6.507 120 100.0% 6.507
9.034
Provisãoparainvestimentos
financeiros -
9.034

EMPRESAS ASSOCIADAS
Sigás-ArmazensdeGás.ACE (b) Lisboa - 33.331 - - 35.0% 10.106
SABA-SociedadeAbastecedora
deAeronaves.Lda (c) Lisboa 8 266 (125) (140) 25.0% 2
CLC-CompanhiadeLogística
deCombustíveis.S.A. (a) Lisboa 25.000 198.994 67.561 11.833 20.0% 13.512
Dourogás-CompanhiaProdutora
eDistribuidoradeGás.S.A. (d) Porto 2.000 n.d. n.d. n.d. 10.0% 196
CerâmicasEstaco-Estatutária
ArtísticadeCoimbra.S.A. (d) Coimbra n.d. n.d. n.d. n.d. 2.0% 326
OutrasParticipações 1
24.143
Provisõesparainvestimentos
financeiros -
24.143

33.177

(a)Demonstraçõesfinanceiras(auditadasmasnãoaprovadas)disponíveisrelativas
a31Dezembro2006
(b)Demonstraçõesfinanceiras(nãoauditadas)disponíveisrelativasa31Dezembro2005
(c)Demonstraçõesfinanceiras(nãoauditadas)disponíveisrelativasa31Julho2005
(d)Demonstraçõesfinanceirasindisponíveis
n.d.nãodisponível
Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 43

Asinformaçõessuprareferidasrelativasàsempresasdogrupoeassociadas
foramextraídasdasrespectivasdemonstraçõesfinanceirasnasdatasindicadas.

Osinvestimentosfinanceirosencontram-seregistadospelométodode
equivalênciapatrimonialcomexcepçãodaempresaFuelplaneedaqueles
cujaparticipaçãoéinferiora20%.

c) Saldos e transacções com empresas do grupo, associadas


e participadas
Ossaldosem31deDezembrode2006eastransacçõesefectuadascom
empresasassociadaseparticipadas,noexercíciofindonaqueladata,são
osseguintes(expressosemmilharesdeEuro):

TRANSACÇÕES SALDOS

COMPRAS VENDAS FSE CLIENTES C. EMPR. FORNE. C. EMPR.


CORRENTES OBTIDOS CORRENTES CONCEDIDOS

OUTRAS EMPRESAS DO GRUPO


BPCORPNORTHAMERICA - - - - - 2 -
AIRBPAUSTRIA - - 5 - - - -
BPAUSTRIAMARKETINGGMBH - - 13 - - - -
ARALOILGERMANY 25 - 36 - - 104 -
DEUTSCHEBPAGAVIATION - 1 91 1 - - -
DEUTSCHEBPMARINE - - - - - 2
BPAMOCOPLC - - 904 - - 1.050 -
BPOILGERMANY-LUBESCO 340 - 112 - - 51 -
BPOILGERMANY-FUELSCO 307 - 2 - - (23) -
BPPRODUCTSNORTHAMERICA - - - - - (16) -
BPSCHARTERING - - 174 - - - -
BPEASTERNMEDITERRANEANLTD - - (8) 8 - - -
BPESPANAAVIATION 321 - 27 - - - -
BPESPANAMARINE - - 1.388 - - - -
BPOILSPAIN-FUELSCO 69.321 248 679 245 - 1.041 -
CASTROLUK 469 - 2.543 122 - 211 -
BPITALIASPA 492 - 580 - - 365 -
BPOILGREECE-FUELSCO - - 259 121 - 213
BPTURKIYEOEU. - 1 42 65 - 42 -
NORDICLUBRICANTSA/SDENMARK - - 45 - - - -
BCJAPANMARINE - - - - - 1 -
CASTROLBV(CUBAJV) - 11 (7) - - - -
BPOILGERMANY-INDUSTRIE 143 - 5 - - 10 -
CASTROLSLOVENIA - - (8) 8 - - -
CASTROLCROATIA - - (6) 6 - - -
BCCHINATRADGUANGZ - - - 3 - - -
BPOILFRANCE-FUELSCO 403 - 1.825 33 - 446 -
BCJAPANASPAC-LSCLOG 19 - - - - - -
BPNETHERLANDBV - - 10 - - - -
BPSHIPPINGLTD - - 44 - - - -
UKFUELSCO - - 4.397 - - 801 -
BPOILHEADOFFICE - - 26 - - 131 -
BPOI-ISTHOCOSTS - - 891 (144) - 275 -
BPOILPOLAND-FUELSCO
TOBPPOLSKASP.ZO.O. - - 11 9 - - -
BPOILBELGIUMNV 3.350 - 244 - - 270 -
BPOILINTERNATIONAL-T/S(ITD) 163.784 867 772 864 - 2.722 -
AIRBPUKBPIBRANCH 814 - 72 - - - -
BPINTERNATIONALBANK - - - 33 - - -
BPOICRTNEREFCO 10.196 - - - - - -
AIRBPLTD 26 - 403 539 - 357 -
ICCFUELSCO - 869 - 60 - 2.439 -
BPINTERNATIONALLIMITED - - 2.834 145 - (209) -
BPASIAPACIFICHOLDINGSLIMITED - - - - 293.559 - -
BPMARINELTD - 1.806 17 (50) - - -
BPGEST24 - 271.305 - 7.043 - - -

TOTAL 250.010 275.108 18.422 9.111 293.559 10.283 -


44 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

21.AJUSTAMENTOSARUBRICASDOBALANÇO

AjustamentosocorridosàsrubricasdoActivoCirculantedurante
oexercíciode2006:

SALDO INICIAL REFORÇO REGULARIZ. REVERSÃO SALDO FINAL

Existências-mercadorias 110 - - (30) 80


Dividasdeterceiros-clientescobrançaduvidosa 21.368 7.687 (2.915) 11 26.151

21.478 7.687 (2.915) (19) 26.231

22.EXISTÊNCIASEMTRÂNSITO,CONSIGNADAS
OUÀGUARDADETERCEIROS

Em31deDezembrode2006,existiamforadaEmpresaasseguintes
existências:

2006 2005

Emtrânsito 41 2.901


Àguardadeterceiros 17.954 23.600

17.995 26.501

23.DÍVIDASDECOBRANÇADUVIDOSA

Em31deDezembrode2006e2005,asdívidasdecobrançaduvidosa
erespectivosajustamentosascendiamaosseguintesvalores:

2006 2005

Dívidasdeterceiros-clientescobrançaduvidosa 26.151 21.368


Ajustamentosadívidasdecobrançaduvidosa (26.151) (21.368)

0 0

25.DÍVIDASACTIVASEPASSIVASCOMOPESSOAL

Em31deDezembrode2006e2005,aEmpresatinhaasseguintes
dívidasactivasepassivascomopessoal:

2006 2005

Dívidasdeterceiros-médioelongoprazo 487 613


Dívidasdeterceiros-curtoprazo 307 161
Dívidasaterceiros-curtoprazo (26) (44)

768 730
Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 45

28.DÍVIDASEMMORACOMO"ESTADOEOUTROSENTESPÚBLICOS"

Àdatade31deDezembrode2006nãoexistiamdívidasemmora
aoEstadoeOutrosEntesPúblicos,deacordocomoDL236/95.

29.DÍVIDASATERCEIROSAMAISDECINCOANOS

Em31deDezembrode2006,existiaumadívidasemprazodevencimento
comaempresadogrupoBPAsiaPacificHoldingsLtd,novalortotal
decercade293.559milharesdeEuro.

31.VALORGLOBALDECOMPROMISSOSFINANCEIROS

AEmpresaatribuibenefíciosdecomplementodereforma,reforma
antecipada,invalidezesobrevivênciaaosseusempregados.

Nofinaldoanode2006foiconstituídoumnovofundodepensões-
FundodePensõesBPPortugalII-comactivostransferidosdofundo
queexistiaanteriormente,comoobjectivodefazerfaceaoprocesso
dereestruturaçãoquefoilevadoacabo.

Estesbenefíciosencontram-seconsagradosemplanosdepensões
debenefíciodefinido,cujasresponsabilidadesactualmenteprojectadas
paraasdatasprevistasdereformasão,em31deDezembrode2006,de:

- no que respeita a Complementos de Pensões de Reforma


FundodePensõesBP+FundodePensõesII 55.289
FundodePensõesHorizonte 3.914

- no que respeita a responsabilidades a transferir do F. P. Horizonte


Valorização para o F. P. da BP 1.672

- no que respeita a reformas antecipadas


Ex-BPPortuguesa 18.025
Ex-BPLubs 2.682

- no que respeita a ex-SLIL 933


46 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

Noqueconcerneaofinanciamentodasmencionadasresponsabilidades:
-ComplementosdeReformaeResponsabilidadesatransferirpara
oFundodePensõesdaBP-doisPlanosdePensõescomfundo
constituído,nãoincluídonoactivoegeridoporterceiraentidade;
-ReformasAntecipadaseex-SLIL-PlanosdePensõessemfundoconstituído.

Fundo de pensões BP Portugal - ESAF (ex-Tranquilidade)

AresponsabilidaderespeitanteaComplementosdePensõesdeReforma,
noFundodePensõesBPencontra-separcialmentefinanciadaporactivos
doFundodePensões(29.117milharesdeEuro)encontrando-seodeficit
(26.172milharesdeEuro)reconhecidonopassivo,emconformidadecom
aDirectrizContabilístican.º19.

Fundo de pensões BP Portugal II - ESAF (ex-Tranquilidade)

AresponsabilidaderespeitanteaComplementosdePensõesdeReforma,
noFundodePensõesBPPortugalIIencontra-sefinanciadaporactivosdo
FundodePensõesnovalordecercade5.759milharesdeEuro.

Âmbito
Elegibilidade
TrabalhadorespertencentesaoquadropermanentedaBPPortugal
eex-trabalhadoresnasituaçãodereformaantecipada.

Beneficiários
Osactuaisreformados,pensionistaseosparticipantesquandoadquirem
odireitoàspensõesestabelecidasnoplanodepensões.

Idade normal de reforma


IdadeestabelecidapelaSegurançaSocial,ouseja,os65deanosdeidade.

PRESSUPOSTOS FINANCEIROS %

Taxadecrescimentosalarial 3%
Taxadecrescimentosalarialparacálculodastemporárias 1%
Taxaderevalorizaçãosalarialdasegurançasocial 1%
Taxaanualderendimentodofundodepensões 5%
Taxadecrescimentodaspensões 0%
Taxadejurotécnica 4,5%

OUTROS PRESSUPOSTOS

Tábuademortalidade TV73/77
Tábuadeinvalidez SuisseRe2001
Percentagemdecasados 85%
Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 47

Métodos de cálculo:

Reformados e reformas antecipadamente -Capitaisdecobertura


daspensõesempagamentocalculadoscombaseemanuidades
vitalícias/temporárias,pagasmensalepostecipadamente.
Activos -Asresponsabilidadesporserviçospassadoseacontribuição
porserviçosfuturosforamcalculadospelo"projectedunitmethod".

Asresponsabilidadesdecorrentesdobenefíciode"sobrevivênciaimediata"
foramapuradasutilizando-seométodode"PrémiosNivelados".

OdetalhecontabilísticoquerepresentaosresultadosdagestãodoFundo
dePensõesdeacordocomaDirectrizContabilístican.º19em31
deDezembrode2006éoseguinte:

ACRÉSCIMOS DE CUSTOS - BENEFÍCIOS DE REFORMA A LIQUIDAR

Benefíciosdereformaaliquidarem31deDezembrode2005 (171)
Cortesnoplano -
Custodosserviçoscorrentesepassados 453
Retornorealdosactivosdofundo (1.310)
Perdasactuariais 26.387
Custodosjuroscomactivos 1.285
Contribuiçãodoexercício (472)
Ajustamentoaovalordofundo -
Ajustamentonosbenefíciosdereformaaliquidar -

Benefícios de reforma a liquidar em 31 de Dezembro de 2006 26.172

CUSTOS DIFERIDOS - CUSTOS DE BENEFÍCIOS DE REFORMA A AMORTIZAR

Benefíciosdereformaaamortizarem31deDezembrode2005 5.539
Amortizaçãodoexercício (462)

Benefícios de reforma a amortizar em 31 de Dezembro de 2006 5.077

Estesmontantesenglobamaamortizaçãoderesponsabilidadesincluídas
noFundo,bemcomodaprovisãoparapensõesdereformaantecipada.

Fundo de Pensões - Horizonte Valorização

RelativamenteaoFundodePensõesHorizonteValorização,aresponsabilidade
encontra-setotalmentecobertaporactivosdoFundodePensões
(5.857milharesdeEuro),encontrando-seosuperavitdeactivos
(271milharesdeEuro)reconhecidonopassivo(comsaldodevedor),
emconformidadecomaDirectrizContabilístican.º19.
48 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

Âmbito
Elegibilidade
TrabalhadorespertencentesaoquadropermanentedaBPPortugale
ex-trabalhadoresnasituaçãodereformaantecipada.

Beneficiários
Osactuaisreformados,pensionistaseosparticipantesquandoadquirem
odireitoàspensõesestabelecidasnoplanodepensões.

Idade normal de reforma


IdadeestabelecidapelaSegurançaSocial,ouseja,os65deanosdeidade.

PRESSUPOSTOS FINANCEIROS %

Taxadecrescimentosalarial 3%
Taxadecrescimentosalarialdasegurançasocial-atéaos60anos 3%
Taxadecrescimentosalarialdasegurançasocial-apósos60anos 1%
Taxaderevalorizaçãodossalários 1%
Taxaanualderendimentodofundodepensões 5%
Taxadecrescimentodaspensões 0%
Taxatécnica(rendimentoconsideradonasrendasvitalíciasimediatas) 4,5%

OUTROS PRESSUPOSTOS

Tábuademortalidade TV73/77
Tábuadeinvalidez EVK80
Percentagemdecasados 85%

Métodos de cálculo:
Reformados - Valoractualdoprémioúnicoderendasimediatas,vitalícias
outemporárias,com13pagamentosnoano.
Activos - Asresponsabilidadesreferentesàpensãodevelhice
esobrevivênciadiferidaforamcalculadospelo"projectedunitcredit",
enquantoapensãodeinvalidezécalculadapelocustoanual.

OdetalhecontabilísticoquerepresentaosresultadosdagestãodoFundo
dePensõesdeacordocomaDirectrizContabilístican.º19em
31deDezembrode2006éoseguinte:

ACRÉSCIMOS DE CUSTOS - BENEFÍCIOS DE REFORMA A LIQUIDAR

Benefíciosdereformaaliquidarem31deDezembrode2005 (271)
Cortesnoplano -
Custodosserviçoscorrentes 121
Retornorealdosactivosdofundo (220)
Ganhosactuariais (121)
Custodosjuroscomactivos 188
Contribuiçãodoexercício -
Ajustamentoaovalordofundo -
Ajustamentonosbenefíciosdereformaaliquidar -

Benefícios de reforma a liquidar em 31 de Dezembro de 2006 (303)


Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 49

CUSTOS DIFERIDOS - CUSTOS DE BENEFÍCIOS DE REFORMA A AMORTIZAR

Benefíciosdereformaaamortizarem31deDezembrode2005 1.345
Amortizaçãodoexercício (91)

Benefícios de reforma a amortizar em 31 de Dezembro de 2006 1.254

Estemontantesenglobamaamortizaçãoderesponsabilidadesincluídas
nofundo,bemcomodaprovisãoparapensõesdereformaantecipada.

Benefícios financiados directamente pela BP


Aresponsabilidadeencontra-seintegralmentereconhecidaemprovisão
criadaparaoefeito.

PROVISÕES PARA RISCOS E ENCARGOS - BENEFÍCIOS DE REFORMA

Benefíciosdereformaaliquidarem31deDezembrode2005
Ex-BPPortuguesa 18.025
Ex-BPLubs 4.127
Ex-SLIL 1.063

Custodoexercício(reforçodaprovisão)
Ex-BPPortuguesa -
Pagamentodepensões
Ex-BPLubs (1.445)
Ex-SLIL (130)

Transferênciadaprovisãoparaoutrosriscoseencargosda
Ex-BPLubs -

Benefícios de reforma a liquidar em 31 de Dezembro de 2006 21.640

Noexercícioforamreconhecidososseguintescustos(proveitos)naconta
decustoscomopessoal:

CUSTOS (PROVEITOS) OPERACIONAIS DO FUNDO

Custodosserviçoscorrentes 453
Custodosjuroscomactivos 1.285
Retornorealdosactivosdofundo (1.310)
Ganhoseperdasactuariais 8.362
Outros:
Fundodepensões-quotapartedosbenefíciosdereformaaamortizar 553
Reforçodaprovisãoparabenefíciosdereformaaliquidar -
Ajustamentoaovalordofundo -

Total dos custos operacionais do Fundo em 31 de Dezembro de 2006 9.343

RelativamenteàreformatemporáriadostrabalhadoresdaBP,portempode
serviçonaMobilnodecorrerdaJoint-Venture,aresponsabilidadedaMobil
foiassumidapelaExxon,peloquenãoseráregistadaqualquerprovisão.
50 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

32.GARANTIASPRESTADAS

Em31deDezembrode2006,aEmpresatinhaassumidoresponsabilidades
porgarantiasbancáriasecontascaucionadas,comosegue:

2006

BCP 44.830
BES 193
BBVA 165
CGD 110
BNP 160
Tranquilidade 60
MapfreCaucionyCredito 500

46.018

34.MOVIMENTOSOCORRIDONASPROVISÕES

Duranteoexercíciofindoem31deDezembrode2006,ocorreram
osseguintesmovimentosnasrubricasdeprovisões:

SALDO INICIAL AUMENTO REGULARIZ. REDUÇÃO SALDO FINAL

Provisõesparariscoseencargos 48.831 1.161 - (32.477) 17.515


Provisãoparabenefíciosdereforma 23.215 - - (1.575) 21.640

Provisãoparaaplicaçõesfinanceiras - - - - -

72.046 1.161 - (34.052) 39.155

36.COMPOSIÇÃODOCAPITALSOCIAL

Em31deDezembrode2006ocapitaldaEmpresa,totalmentesubscrito
erealizado,eracompostopor1.800.000acçõescomovalornominal
de5Eurocada.

37. IDENTIFICAÇÃODEPESSOASCOLECTIVASCOMMAISDE20%
DOCAPITAL

ABPGlobalInvestmentsLtd.,comsedenoReinoUnido,detém
aproximadamente100%docapitalsocialdaEmpresa.
Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 51

40.MOVIMENTOSOCORRIDOSNASRUBRICASDECAPITALPRÓPRIO

Omovimentoocorridonasoutrasrubricasdecapitalprópriodurante
oexercíciode2006foicomosegue:

MOVIMENTOS NO EXERCÍCIO
RUBRICAS SALDO INICIAL AUMENTOS TRANSFERÊNCIAS SALDO FINAL

Capital 9.000 - - 9.000


Reservas:
Reservalegal 1.800 - - 1.800
Reservasreavaliação 35.338 - - 35.338
Reservaslivres 43.691 (33.302) - 10.389
Reservadefusão 10.495 - - 10.495
Ajustamentosdepartesdecapitalemfiliaiseassoc. 8.281 - - 8.281
Prestaçõesacessórias 89.500 - - 89.500
Resultadostransitados - - - -
Resultadolíquidodoexercício (33.301) (10.252) 33.301 (10.252)

164.804 (43.554) 33.301 154.551


(176) 561.528

Reserva legal: Areservalegalestáconstituídadeacordocomalegislação


comercialemvigor,queestabeleceque,pelomenos,5%doresultadolíquido
anualtemdeserdestinadaaoreforçodareservalegalatéqueestarepresente
pelomenos20%docapital.Estareservanãoédistribuívelanãoseremcaso
deliquidaçãodaEmpresa,maspodeserutilizadaparaabsorverprejuízos
depoisdeesgotadasasoutrasreservas,ouincorporadanocapital.

Reserva de reavaliação: Estarubricaresultadareavaliaçãodoimobilizado


corpóreoefectuadanostermosdalegislaçãoaplicável(Nota12).Deacordo
comalegislaçãovigenteeaspráticascontabilísticasseguidasemPortugal,
estasreservasnãosãodistribuíveisaosaccionistaspodendoapenas,em
determinadascircunstâncias,serutilizadasemfuturosaumentosdocapital
daEmpresaouemoutrassituaçõesespecificadasnalegislação.

PordeliberaçãodaAssembleiaGeraldaEmpresa,realizadaem27deMarçode
2006,aaplicaçãodosresultadoslíquidosdoexercíciode2005,foicomosegue:

Reservaslivres (33.302)

41.CUSTODASMERCADORIASVENDIDAS

Ocustodasmercadoriasvendidasnoexercíciode2006e2005,
foideterminadocomosegue:

2006 2005

Existênciasiniciais 41.131 32.770


Compras 1.713.637 1.664.633
Existênciasfinais (34.869) (41.131)

1.719.899 1.656.272
52 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

43.REMUNERAÇÃODOSMEMBROSDOSORGÃOSSOCIAIS

Asremuneraçõesatribuídasaosmembrosdosórgãossociaisnos
exercíciosde2006e2005,foramrespectivamente:

2006 2005

Conselhodeadministração 623 651

623 651

44.VENDASEPRESTAÇÕESDESERVIÇOSPORACTIVIDADE
EMERCADOSGEOGRÁFICOS

OvalorlíquidodasVendasedasPrestaçõesdeServiços,distribuí-se
comosesegue:

Vendas Prestações de serviços Total

Mercadointerno 1.875.647 5.467 1.881.114


Mercadoexterno 49.591 - 49.591

1.925.238 5.467 1.930.705

OvalordasvendasincluioImpostosobreosprodutospetrolíferos(ISP),
nomontantede692.929milharesdeEuro,cujocustoseencontra
reflectidonarubricadeCustodasMercadoriasVendidasnaDemonstração
dosResultados.

45.DEMONSTRAÇÃODOSRESULTADOSFINANCEIROS

Osresultadosfinanceirostêmaseguintecomposição:

CUSTOS E PERDAS 2006 2005

Jurossuportados 11.172 7.796


Diferençasdecâmbiodesfavoráveis 2.473 5.067
Descontosdeprontopagamentoconcedidos 176 144
Ajustamentosdeaplicaçõesfinanceiras - -
Outroscustoseperdasfinanceiras 808 645
14.629 13.652
Resultadosfinanceiros (5.981) (2.562)

8.648 11.090

PROVEITOS E GANHOS 2006 2005

Jurosobtidos 1.584 890


Ganhosemempresasdogrupoeassociadas 4.840 5.121
Rendimentosdetítulosdeparticipação 4 3
Rendimentosdeimóveis 66 92
Diferençasdecâmbiofavoráveis 2.154 4.959
Reversõeseoutrosproveitoseganhosfinanceiros - 25

8.648 11.090
Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 53

46.DEMONSTRAÇÃODERESULTADOSEXTRAORDINÁRIOS

Osresultadosextraordináriostêmaseguintecomposição:

CUSTOS E PERDAS 2006 2005

Donativos 285 155


Dívidasincobráveis 8 1.167
Perdasemimobilizações 1.286 3.411
Multasepenalidades 27 9
Correcçõesrelativasaexercíciosanteriores 4.748 5.467
Outroscustoseperdasextraordinários 5.303 2.733
11.657 12.942
Resultadosextraordinários (7.275) (6.175)

4.382 6.767

PROVEITOS E GANHOS 2006 2005

Restituiçãodeimpostos - 18
Recuperaçãodedívidas - -
Ganhosemimobilizações 3.375 5.533
Correcçõesrelativasaexercíciosanteriores 361 1.198
Outrosproveitoseganhosextraordinários 646 18

4.382 6.767

48.OUTRASINFORMAÇÕESRELEVANTES

a) Estado e outros entes públicos


AcontaEstadoeoutrosentespúblicosdecompõe-secomosegue:

SALDOS DEVEDORES 2006 2005

IRC-areceber 7.547 4.689


IRC-capitais 174 -
IRC-prediais 13 -
IVAarecuperar 3 3
Direcçãogeraldealfândegas - 69
Fundoregionaldeabastecimento-Açores 1.555 1.255

9.292 6.016

SALDOS CREDORES 2006 2005

IRC-EstimativadeIRC - -
IRS-Retençõesnafonte 404 331
IRC-capitais 140 177
IRC-prediais 1 20
IRC-pensões 1 -
IRC-outrosrendimentos 2 72
IVAapagar 47.205 51.288
Taxasocialúnica 385 453
Direcçãogeraldealfândegas 27.963 26.423

76.100 78.764
54 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 Relatório e Contas 2006

b) Outros devedores
Em31deDezembrode2006e2005,osaldodestarubricatinha
aseguintecomposição:

2006 2005

Remuneraçõesapagar 2 -
Adiantamentosaopessoal 370 117
Outros 7.011 11.880

7.383 11.997

c) Custos diferidos
Narubricadecustosdiferidososaldodecompõe-sedaseguinteforma:

2006 2005

Custosdebenefíciosdereforma 6.331 6.884


Contratosdeexclusividade 28.763 31.622
Outros 7.579 5.676

42.673 44.182

d) Outros credores
Osaldocredordestacontadivide-senasseguintesrubricas:

2006 2005

Sindicatos - 15
Cauçõesemdepósito - -
Garantiasgarrafasdegás 7.366 8.566
Outroscredores 2.406 5.338

9.772 13.919

e) Acréscimos de custos
Em31deDezembrode2006e2005,osaldodestarubricatinhaa
seguintecomposição:

2006 2005

Benefíciosdereformaaliquidar(Nota31) 7.876 (442)


Rappel-exercíciocorrente 2.276 2.353
Remuneraçõesaliquidar 5.175 5.916
Outros 11.792 11.945

27.119 19.772
Relatório e Contas 2006 Anexo às Demonstrações Financeiras em 31 Dezembro de 2006 55

f) Demonstração dos resultados por funções - reclassificações


Ademonstraçãodosresultadosporfunçõesfoipreparadaem
conformidadecomoestabelecidopelaDirectrizContabilístican.º20,a
qualapresentaumconceitoderesultadosextraordináriosecustolíquido
definanciamentodiferentedodefinidonoPlanoOficialdeContabilidade
(POC)paraapreparaçãodademonstraçãodosresultadospornatureza.

Assim,ovalordosresultadosextraordinários(-7,275milharesdeEuro)
apresentadonademonstraçãoderesultadospornatureza,foi
reclassificadoparaasrubricasde"outrosproveitoseganhosoperacionais"
e"outroscustoseperdasoperacionais"(4,382milharesdeEuroe-11,657
milharesdeEuro,respectivamente),assimcomoosaldolíquidodas
diferençasdecâmbioeoutroscustoseperdaseoutrosproveitos
eganhosquenãorespeitamafinanciamentoscontraídospelaEmpresa
(315milharesdeEuro),peloqueproporcionaasseguintesdiferenças
nasdiversascontasderesultados:

POR NATUREZA RECLASSIFICAÇÃO POR FUNÇÕES

Resultadosoperacionais 9.434 (8.539) 895


Resultadosfinanceiros (5.981) 1.264 (4.717)

Resultados correntes 3.453 (7.275) (3.822)

Resultadosextraordinários (7.275) 7.275 -


Impostosobreorendimento (6.430) - (6.430)

Resultado líquido do exercício (10.252) - (10.252)

g) Reorganização
Conformeplaneadodecorreuduranteoanode2006oprocessode
reestruturaçãodaorganização,inseridonumasériedeacçõesqueoGrupo
BPencetoucomoobjectivodetornaraorganizaçãolocalmaiságilemais
competitivatendoemcontaumamelhoradequaçãoàscondições
demercadoactuais.

Nasequênciadestainiciativaefectivou-seduranteoanoumaredução
de94efectivos,prevendo-seaindadurante2007umareduçãoadicional
decercade20.

O Conselho de Administração
AntónioManuelPatrícioComprido
CristóvãoAleixoCunhaCoimbra
JoséFranciscoCardosoGonçalvesVieira
JoséSaturninoSulSerranoGordo
AlfredoAntonioBarriosPrieto

O Técnico de Contas
HumbertoManuelSerranoRodrigues