Você está na página 1de 2

 Onomatopeias: imitação ou reprodução de

sons ou ruídos produzidos por animais, objectos  Anáfora — Consiste na repetição de uma
LÍNGUA PORTUGUESA – 8º ANO ou outros fenómenos da natureza. palavra ou palavras no início de versos ou
frases sucessivos.
FICHA INFORMATIVA – RECURSOS Chuva, porque cais?
EXPRESSIVOS Vento, aonde vais? Inútil definir este animal
Pingue... Pingue... Pingue... aflito.
Vu... Vu... Vu Nem palavras,
Recursos Expressivos a nível fónico (os que se nem cinzéis,
baseiam na sonoridade das palavras): nem acordes,
Matilde Rosa Araújo nem pincéis,
são gargantas deste grito.
 Rima : igualdade ou semelhança de sons (não  Ritmo: Processo que consiste na sucessão
de letras) no final ou no interior dos versos de alternada de sons tónicos e átonos, repetidos António Gedeão
uma estrofe. regularmente, cujo objectivo é impressionar o
ouvido.
Queria que o mundo soubesse  Enumeração — Consiste na apresentação
Que a dor que tortura a vida Vou depressa sucessiva de vários elementos. O último, ou o
É quase sempre sentida Vou correndo primeiro, pode ser uma palavra que os sintetiza
Por que menos a merece Vou na toda a todos.
Que só levo
António Pouca gente
Aleixo Pouca gente Professor, médico, comerciante, todos se vendiam.

Fernando Namora
 Refrão: repetição de um verso ou vários no Manuel Bandeira
final de cada estrofe.

Se flores jamais me deres,  Aliteração: repetição do mesmo som


Se eu rir e tu não rires, consonântico em duas ou mais palavras dentro
Se quando eu chegar fingires... do mesmo verso ou estrofe.
...Ninguém me dirá que me queres!...
Passa ponte
Se tu ocultar puderes Passa poste
O que há nesses olhos teus Passa pasto
E que é tão igual nos meus-
...Ninguém me dirá que me queres!... Manuel Bandeira

Com o seu colar de coral


Reinaldo Ferreira Carolina
Corre por entre as colunas da colina

Cecília Meireles
Recursos Expressivos a nível semântico (os que se  Personificação — Consiste em atribuir
baseiam no sentido das palavras): características próprias de pessoas, a animais,  Adjectivação
coisas ou ideias.
...um fio de água, brotando entre rochas, caía sobre uma
 Comparação — Consiste em estabelecer uma O vento soluça e geme (...) vasta laje escavada onde fazia como um tanque, claro e
relação de semelhança através de uma palavra quieto...”
ou expressão comparativa ou de verbos a ela António Nobre
equivalentes (parecer, lembrar, sugerir, etc.). Eça de Queirós

A noite descia,  Hipérbole — Consiste no emprego de termos


Como um cortinado, exagerados, para realçar determinada realidade.
Sobre a erva fria
Do campo orvalhado. Está um tempo torvo, gelado. Chove a potes.
Carlos Queirós Vitorino Nemésio

Santa Maria, até se me puseram os


E a Lua lembra o circo e os cabelos em pé ao eco do nosso brado,
jogos malabares. ali no meio do ermo!
Aquilino Ribeiro
Cesário Verde

Nota: A hipérbole é frequente na linguagem falada, em


expressões como: "porem-se os cabelos em pé", "não se
 Metáfora — É uma espécie de comparação ver um palmo à frente do nariz", "estar um sol de
abreviada, pois deu-se o desaparecimento da rachar", etc.
palavra ou expressão comparativa. Existe assim
um certo efeito de surpresa, porque a palavra
passa a ter, no contexto, um significado que vai
mais além do que o que lhe é habitual.  Apóstrofe ou invocação — Consiste na
interpelação a alguém ou a alguma coisa
personificada. É frequente o recurso ao
A casa é uma concha abandonada pela maré. vocativo acompanhando o discurso directo.
Luísa Dacosta Ó serra das divinas madrugadas,
Das estrelas, das nuvens e do vento...
E todo o mundo é um grande livro aberto... Teixeira de Pascoais
Fernando Pessoa