Você está na página 1de 4

Influências dos Jogos Eletrônicos na sociedade

Jesse Moura da Silva1


1
Acadêmico do Curso de Ciência da Computação
Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
jesse@inf.ufsm.br

Resumo. Este é um trabalho realizado na disciplina de Computadores e So-


ciedade da Universidade Federal de Santa Maria e tem como tema a influência
dos jogos eletrônicos na sociedade. O trabalho é uma análise dos malefícios
e benefícios que a prática dos jogos eletrônicos traz ao jogador e a sociedade.
Serão expostas algumas discussões existentes sobre o assunto, como a com-
paração entre jogos tradicionais e jogos eletrônicos, que envolvem educadores,
psicólogos e outros estudiosos. Além disso, serão vistos alguns aspectos posi-
tivos dos jogos através de exemplos.

1. Introdução
Os jogos, de forma geral, sempre foram tratados com bastante importância na cultura das
várias sociedades. Porém algumas vezes o lado ruim do jogo se sobressaia, assim como
em alguns momentos o lado bom tinha destaque, logo era e ainda é um assunto muito
discutido.
O jogo sempre foi tido como forma de aprendizado, tanto para adultos quanto para
crianças, mas com muito mais importância para crianças, pois essas aprendem a viver
através dos jogos. As práticas de jogos educativos e de entretenimento como, por exem-
plo: quebra-cabeça, memória, entre outros, são tradicionalmente os mais indicados para
fase infantil, pois eles estimulam várias habilidades das crianças. A fase da descoberta
que ocorre na infância e na adolescência é uma fase que defini muitas coisas para o indi-
víduo que está se formando e que logo será definitivamente inserido na sociedade, sendo
que é nessa fase em que está a maior preocupação dos especialistas em educação quanto
à prática dos jogos eletrônicos.
Existem vários aspectos positivos em relação à prática dos jogos eletrônicos, pois
muitos desses jogos têm características interessantes, tanto na forma de jogar quanto na
informação que pode ser transmitida durante a sua prática. Por outro lado, o conteúdo
contido em alguns e a maneira em que se age neles, como por exemplo, jogos violentos
em que o personagem do jogo tem liberdade de transitar pelas ruas e realizar várias ações
ilícitas, levantaram muitas discussões entre educadores, criadores dos jogos e a sociedade.

2. Jogos Tradicionais versus Jogos Eletrônicos


Com o avanço da tecnologia, os jogos alcançaram a forma eletrônica e a evolução foi
muito rápida. Alguns jogos eletrônicos continuam também com a mesma importância dos
jogos tradicionais, isso não se pode negar, porém as inovações da computação chegaram
ao nível em que os jogos eletrônicos tornaram-se tão realistas que algumas preocupações
surgiram. A violência nos jogos é um aspecto bastante preocupante, mas juntamente a
isso está dependência pelo jogo, pois como qualquer coisa que gera prazer às pessoas
pode trazer prejuízos.
A facilidade de se adquirir um jogo eletrônico também é um fator importantís-
simo nessa discussão, assim como a falta de cuidado dos pais com a informação que está
chegando aos filhos. Os jogos eletrônicos apresentam restrições de faixa etária em que
se pode praticá-los, porém muitas destas restrições não são respeitadas e jogos violentos
chegam facilmente a jogadores não indicados.
Como alguns jogos eletrônicos têm uma grande proximidade com realidade, as
pessoas buscam neles realizar atividades que gostariam ou não de realizar no mundo real,
sendo dessa forma muito fácil criar uma dependência dessa realidade virtual se limites
não forem impostos. Essa compulsão pelos jogos pode levar a variadas conseqüências
negativas na vida das pessoas, como problemas psicológicos, sociais e financeiros.
Muitos especialistas estudam a forma em que esses jogadores interagem durante
sua vida normal, pois eles se preocupam com essa formação psicológica que é construída
numa geração em que o computador ou videogame são companheiros inseparáveis. Uma
grande preocupação, como já foi dito anteriormente, é com jogos violentos que são pro-
duzidos e chegam facilmente nas mãos de adolescentes que recém estão aprendendo o
que é certo e o que é errado em uma sociedade civilizada. Muitos casos de violência já
foram registrados, como por exemplo, nos Estados Unidos um aluno que entrou no colé-
gio, com a arma do seu pai, atirando em seus colegas, sendo que ele era um viciado em
jogos violentos.
Porém, uma pessoa não é violenta ou age com violência apenas por praticar um
jogo com esse tipo de conteúdo, mas sim é fruto de fatores sociais como: desestruturação
familiar, ausência de limites e fatores sócio-econômicos [1].
Sobre essa discussão da violência de alguns jogos eletrônicos, vale ressaltar um
caso em que um advogado americano chamado Jack Thompson, que já processou várias
vezes empresas criadoras de jogos considerados violentos, ameaçou processar a empresa
Take2 Interactive, na tentativa de impedir o lançamento do jogo Grand Theft Auto 4. A
sua alegação seria que em um momento do jogo existe uma missão em que o personagem
principal deve matar um advogado. Segundo Thompson, a empresa estaria satirizando-o
através do jogo [2].
Além da discussão sobre violência, existem outras preocupações sobre a prática
dos jogos eletrônicos, como por exemplo, a convivência com as pessoas, coisa que al-
guns jogos desprezam, ou seja, as pessoas ficam em suas casas em frente ao computador
ou videogame e deixam de interagir com os amigos. De forma contrária, os jogos tradi-
cionais têm exatamente isso como um dos seus objetivos, a convivência. Porém, algumas
alternativas foram tomadas para manter a interação entre os jogadores, sendo uma delas a
criação das “Lan Houses”, as quais são salas cheias de computadores, onde as pessoas se
reúnem para disputar algumas partidas de jogos multiplayer (vários jogadores). Muitos
jovens preferem jogar em lugares assim, pois lá estão mais próximos de seus amigos e
assim podem discutir sobre os jogos [3].
Assim como o isolamento, outro aspecto negativo dos jogos eletrônicos é a inativi-
dade física. Este aspecto também está relacionado com a dependência e a falta de limite
da prática desse tipo de jogo. Os jogadores devem saber organizar as suas atividades,
sendo que devem reservar momentos para praticarem alguma atividade física para que
assim evitem problemas de saúde. A obesidade é uma grande preocupação relacionada a
este aspecto, principalmente pelo fato de que alguns jogadores não terem uma educação
alimentar desejável.
Além disso, o excesso de tempo jogando pode levar a problemas mais críticos
ainda, assim como aconteceu com um chinês que após jogar por três dias seguidos acabou
morrendo [4]. Sendo que, com esse fato, o governo Chinês decidiu aplicar um controle
de horas para jogadores que praticam jogos online [5].

3. Aspectos positivos da prática de jogos eletrônicos


Porém, nem só de aspectos ruins se caracterizam os jogos eletrônicos, pois existem muitas
conseqüências boas resultantes da sua prática. Existem jogos que além do jogo em si,
trazem algo mais em seu conteúdo, como por exemplo, um jogo de tiro em primeira
pessoa, chamado “Call Of Duty”, onde conta a história da segunda guerra mundial, sendo
que a cada nível o jogador vai passando por lugares onde os combates realmente existiram
e assim vai aprendendo a história, apesar de o jogo ser considerado violento. Com a
grande diversidade de jogos, muitos benefícios são adquiridos através de suas práticas,
sendo que existem muitos desses jogos que são educativos e das mais variadas faixas
etárias. Alguns desses jogos educativos são aplicados em colégios, em empresas e muitas
pessoas adquirem conhecimento através dele em sua própria casa.
Uma aplicação de jogo educativo é feita nas escolas, com jogos que ensinam aos
alunos conteúdos de sala de aula, sendo que o governo federal tem investido nesse projeto.
Existe um programa chamado Rived – Rede Interativa Virtual de Educação - da Secre-
taria de Educação a Distância - SEED que tem como objetivo a produção de conteúdos
pedagógicos digitais, na forma de objetos de aprendizagem, ou seja, jogos eletrônicos
utilizando uma tecnologia de animação.
Outro exemplo de jogo educativo é o “SimCity Societies”² que, segundo notícia
publicada no site UOL em outubro desse ano, ensinará sobre aquecimento global. O jogo
irá educar o jogador sobre o meio ambiente, ensinando sobre alternativas para produzir
energia e eletricidade evitando o impacto da emissão de gases de efeito estufa e da emissão
de dióxido de carbono, responsáveis por mudanças no clima do planeta.
Ainda dentro do aspecto educativo dos jogos eletrônicos, podemos citar o exemplo
de empresas que utilizam o jogo como aprendizado, ou seja, algumas empresas criam
jogos onde o funcionário se familiariza com o trabalho através dele, sendo que com o
andamento do jogo é explicado o funcionamento de setor da empresa. Outro aspecto
positivo é o desenvolvimento da coordenação visual e motora, que tem como exemplo
jogos de corrida que dão ao jogador melhor controle do carro, sendo que depois de jogar
a pessoa pode ter mais facilidade de dirigir um carro real [6].
Além disso, o entretenimento de um jogo eletrônico é fantástico. Com a evolução
das técnicas de realidade virtual os jogos estão cada vez mais próximos da realidade,
sendo que o jogador pode facilmente experimentar situações algumas vezes não realizadas
no mundo real. O enredo e a história envolvida nesses jogos é outro fator que chama muito
atenção dos adeptos dos jogos eletrônicos, pois o conteúdo tem definido o sucesso ou não
do jogo.
A interatividade também é outro diferencial dos jogos eletrônicos, pois com as
várias formas do jogador interagir com o jogo muitas habilidades são exercitadas. Além
disso, alguns jogos funcionam de acordo com as características de quem está jogando, ou
seja, de acordo com ações realizadas pelo jogador, o jogo interage de forma diferente com
o jogador.
Uma característica do jogo, seja ele eletrônico ou tradicional, é o desenvolvimento
do raciocínio lógico que é um objetivo muito importante para quem o pratica. Na área
eletrônica existem muitos exemplos de jogos com essa característica, sendo que esse as-
pecto do jogo eletrônico de estimular o raciocínio lógico é muito bem visto pelos edu-
cadores.

4. Conclusão
Visto que existem muitos benefícios resultantes da prática dos jogos eletrônicos, pode-se
concluir que os jogos eletrônicos têm muita importância para a cultura da sociedade atual,
já que esta vive em uma era digital onde o computador está em todos os ambientes.
Por outro lado deve-se notar que existem muitas discussões e polêmicas sobre os
jogos eletrônicos, acima de tudo sobre o conteúdo contido na maioria deles. De acordo
com as discussões existentes acerca do assunto pode-se ver que os principais proble-
mas, esses listados anteriormente, são conseqüência principalmente do mau uso dos jogos
eletrônicos no sentido da dependência causada por eles.

5. Referências Bibliográficas
[1 ] Jogos Eletrônicos e Violência — um Caleidoscópio de Im-
agens. Lynn Alves, professora da UNEB. Disponivel em:
http://www.lynn.pro.br/pdf/art_caleidoscopio.pdf
[2 ] Site Baboo. Disponível em: http://www.baboo.com.br/absolutenm/templates/
content.asp?articleid=29931&zoneid=300&resumo=
[3 ]Jogos eletrônicos e a construção do juízo moral, das regras e
dos valores sociais. Daniela Karine Ramos. Disponivel em:
http://www.comunidadesvirtuais.pro.br/seminario2/trabalhos/danielaramos.pdf
[4 ]O Globo Online. Disponivel em: http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2007/09/
17/297754289.asp
[5 ]Site O Debate. Disponivel em: http://www.odebate.com.br/index.php?option=
com_content&task=view&id=5060&Itemid=111
[6 ]UOL Jogos. Disponivel em: http://jogos.uol.com.br/gameboy/ultnot/2007/10/03/
ult530u5428.jhtm