NSTRUÇÕES

:
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.

Leia toda a prova com atenção antes de respondê-la.
Verifique se o instrumento de avaliação possui 14 questões.
Preencha o cabeçalho de caneta preta ou azul. Escreva seu nome completo.
Será anulada a questão de respostas duplas ou rasurada.
A prova sem identificação será anulada.
Não é permitido usar corretivo.
Uso de dicionários, calculadoras e similares, só com a permissão do professor.
O aluno só poderá entregar a prova após 30minutos do início.
Conversas paralelas e consultas a materiais e/ou colegas sem a permissão do
professor, implicará na anulação da prova.
10. Evite rasuras e borrões para que não haja a anulação da questão.
11. O preenchimento incorreto do gabarito implicará na anulação da questão ou de todo o
gabarito.

Leia o texto e responda as questões 1,2,3 .

Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto
é, se poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto o uso
vulgar seja começar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar
diferente método: a primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas
um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; a segunda é que o escrito
ficaria assim mais galante e mais novo. Moisés, que também contou a sua morte,
não a pôs no introito, mas no cabo: diferença radical entre este livro e o
Pentateuco.
(Machado de Assis, in Memórias Póstumas de Brás Cubas)
1) Pode-se afirmar, com base nas ideias do autor-personagem, que se trata:
a) de um texto jornalístico
b) de um texto religioso
c) de um texto científico
d) de um texto autobiográfico
e) de um texto teatral
2) Para o autor-personagem, é menos comum:
a) começar um livro por seu nascimento.
b) não começar um livro por seu nascimento, nem por sua morte.
c) começar um livro por sua morte.
d) não começar um livro por sua morte.
e) começar um livro ao mesmo tempo pelo nascimento e pela morte.
3) Deduz-se do texto que o autor-personagem:
a) está morrendo.
b) já morreu.
c) não quer morrer.

. Foi procurar um tatuador. E antes que ela contasse a sua tragédia resolveu interrompê-la. convidou-a para tomar alguma coisa num bar ali perto.” Ele continuou escrevendo. – Desculpe. (Moacyr Scliar. 10/03/2003. Leia o texto e responda as questões 4. – É bom você anotar – disse ela – porque não será uma mensagem tão curta como essa da inglesa. (Mundo Online. mais ganharia. eu precisaria de mais três ou quatro mulheres.).. Paulo. Como se tivesse sido ressuscitada. Uma pausa. sem dizer nada. e ela continuou: – “E não procedam à ressuscitação.O trecho da crônica que mostra que o cronista inspirou-se em um fato real é (A) a notícia.(. e como se tivesse vivendo uma nova.6.). decidiu fazer a mesma coisa..) 4.5. (C) a reprodução da conversa entre a secretária e o tatuador. Depois.. Ela continuou falando. o mundo está cheio de ingratos. que introduz a crônica.. não era inglesa (era brasileira) e não tinha 78 anos. retirada da Internet.. 7 Tatuagem Enfermeira inglesa de 78 anos manda tatuar mensagem no peito pedindo para não proceder a manobras de ressuscitação em caso de parada cardíaca. (B) as manobras de ressuscitação praticadas pelos médicos.. muito conservada. existência. E se dão bem. 4.. “favor não proceder à ressuscitação”.. e muito melhor. Era pago para tatuar. (D) a história de amor entre a secretária e o tatuador. Ela começou a chorar. e quanto mais tatuasse. Ele consolou-a como pôde.d) não vai morrer. Mas cada vez que ela vê essa tatuagem. disse. Ele apanhou um caderno e um lápis e dispôs-se a anotar. no seu próprio peito. e) renasceu. A vida é cruel. ela se sente reconfortada. 5-O fato gerador do conflito que constrói a crônica é a secretária . Nada de muito artístico (. Mesmo assim. já tinha adivinhado como terminaria a história (. – “Em caso de que eu tenha uma parada cardíaca” – ditou ela –. mas sim 42. (. Ele fez uma tatuagem especialmente para ela. Àquela altura o tatuador. homem vivido. porque não vale a pena. com o recorte da notícia. Estão vivendo juntos há algum tempo. Folha de S. 2003) Ela não era enfermeira (era secretária).). mas para eu tatuar tudo o que a senhora me contou. fev.). bela mulher. O homem não comentou: perguntou apenas o que era para ser tatuado.

Por falar nisso. Também podem acontecer óbitos fulminantes ligados a problemas pulmonares ou neurológicos. É bom lembrar. diz o fisiologista Turíbio Leite de Barros. E se dão bem”..O trecho do texto que retrata a consequência após o encontro da secretária com o tatuador é (A) “Foi procurar um tatuador. Outro é o possível uso de anabolizantes.12. pois o usuário tende a ter um aumento no nível de colesterol.” 7.Um trecho do texto que expressa uma opinião é (A) “Mesmo assim. o aquecimento excessivo do corpo. 26.” (C) “A vida é cruel.adaptado) . “Como são pessoas públicas. 11. os médicos recomendam. que algumas características do dia-a-dia dos atletas são fatores agravantes. como aparelhos adequados para ressuscitação. Mas basta a vítima ser um atleta mais conhecido [. o que compromete as funções cardíacas.9. é um deles. (B) concluir que a vida não vale a pena. eles são mais observado que um cidadão e o caso se torna maior. 6 . (C) “E antes que ela contasse a sua tragédia resolveu interrompê-la”. o mundo está cheio de ingratos. não estão aumentando”. Só que isso não rende muita notícia. que estádios e ginásios passem a contar com mais recursos. perguntou apenas o que era para ser tatuado. cerca de 160 mil pessoas sejam vítimas de mortes fulminantes. Leia o texto e responda as questões 8. essas mortes repentinas não são sempre relacionadas ao coração.” (D) “Ela começou a chorar. basta o atleta ter predisposição ou uma doença crônica. especialmente em dias de calor e de alta umidade do ar. (Mundo estranho. Mas mortes súbitas sempre aconteceram.] para o caso ganhar os jornais. ou seja.10. A hipertermia.14. Para evitar novos sustos. com o recorte da notícia”. a cada ano.(A) ser mais jovem que a enfermeira da notícia. ed.. porém. POR QUE ALGUNS ATLETAS TÊM MORTES FULMINANTES? Eles estão sujeitos a mortes súbitas na mesma frequência que indivíduos comuns e sedentários. Ele consolou-a como pôde. Publicação mensal da revista Superinteressante . decidiu fazer a mesma coisa.” (B) “O homem não comentou. Para isso. ao contrário do que se pensa. da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).13. Calcula-se que no Brasil. (B) “Ele apanhou um caderno e um lápis e dispôs-se a anotar”. (D)” Estão vivendo juntos há algum tempo. (B) achar romântica a história da enfermeira (C) ter se envolvido com o tatuador. além de exames preventivos mais rigorosos.

(C) exames preventivos mais rigorosos que estádios e ginásios passem a contar com mais recursos. (E) Atletas e indivíduos com vida sedentária têm a mesma chance de sofrer uma morte súbita. (C) pessoas sedentárias.8. A solução para o problema levantado apresentado pelo autor do texto é (A) ter predisposição ou uma doença crônica. 11. (D) um aumento no nível de colesterol. o pronome eles refere-se a(o)(s): (A) mortes súbitas. (B) indivíduos. (E) aquecimento excessivo do corpo. (D) sujeitos. Mas mortes súbitas sempre aconteceram. (C) Pessoas sedentárias têm mais chances de sofrer uma morte súbita que os atletas. . 9. (C) mortes súbitas. (B) atleta. 12. Segundo o texto: (A) Somente os atletas com predisposição ou doença crônica sofrem mortes súbitas. (E) eles – os atletas. como aparelhos adequados para ressuscitação. não estão aumentando”. (D) Óbitos fulminantes ocorrem por problemas pulmonares e neurológicos. 13. (D) indivíduos comuns. o pronome isso se refere a(o)(s): (A) frequência. basta o atleta ter predisposição ou uma doença crônica. A pergunta feita no título “POR QUE ALGUNS ATLETAS TÊM MORTES FULMINANTES?” é respondida em: (A) Para evitar novos sustos. o que compromete as funções cardíacas. Uma das características do dia a dia do atleta que agrava o problema da morte súbita é (são) a (o)(s) (A) óbitos fulminantes. (B) mortes relacionadas ao coração. (D) dias de calor e baixa umidade. (C) aumento das funções cardíacas. (E) óbitos fulminantes ligados a problemas pulmonares ou neurológicos. 10. No trecho: “Como são pessoas públicas. (E) fisiologista Turíbio Leite de Barros.”. especialmente em dias de calor e de alta umidade do ar. cerca de 160 mil pessoas são vítimas de mortes fulminantes. estádios devem contar com mais recursos. mais observada em um cidadão. eles são mais observados que um cidadão e o caso se torna maior. Em “Para isso . (B) o aquecimento excessivo do corpo. (B) A cada ano.

(E) Cerca de 160 mil pessoas são vítimas delas a cada ano.(B) Atletas estão sujeitos a elas com a mesma frequência que indivíduos comuns. 14. Qual é a tese apresentada pelo texto? _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ Gabarito: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 A A A A A A A A A A A A A B B B B B B B B B B B B B C C C C C C C C C C C C C D D D D D D D D D D D D D E E E E E E E E E E E E E "Os homens podem dividir-se em dois grupos: os que seguem em frente e fazem alguma coisa e os que vão atrás a criticar." (Sêneca) Sucesso!! . (C) Porque os anabolizantes comprometem as funções cardíacas. (D) Basta o indivíduo ter predisposição ou doença crônica.