Você está na página 1de 7

Estrategias de aprendizado

Fonte: WWW. Possibilidades.com.br

- Tudo o que aprendemos é devidamente registrado na memória;


- Quando temos que resolver determinado problema, buscamos na memória todas as informações
que temos sobre o assunto, comparamos e formulamos uma resposta. É justamente por isso que
não conseguimos pensar sobre o que não sabemos. Tente pensar num noete prateado e veja
como é difícil pra burro. Você só conseguirá pensar num noete prateado se souber o que é noete,
não é mesmo?

Acontece que a nossa memória não registra somente dados isolados, como palavras, por exemplo;
registra também procedimentos, maneiras de agir e - isto é importante - maneiras de pensar.

Quando aprendemos usar o martelo, por exemplo, registramos na memória o procedimento


completo de dar marteladas, desde como segurar o prego até o modo de bater o martelo. Por isso,
quando temos que botar um prego na parede, "recuperamos" na memória todo o procedimento
aprendido e cumprimos a tarefa naturalmente, praticamente sem qualquer esforço intelectual.

Ocorre, entretanto, que, de repente, o prego pode se recusar a entrar na parede, não é mesmo?
Daí então a inteligência nos oferece duas alternativas:
1) desistir da tarefa
2) procurar uma nova solução para o problema
Pois é aí, justamente aí, que o nosso cérebro abre uma portinha mágica que pode nos levar ao
maravilhoso mundo do "pensamento criativo". Preste atenção nisso! O "pensamento criativo" é
somente uma alternativa que a mente nos oferece para que encontremos uma solução original
para um problema teoricamente sem solução. Assim sendo, ser criativo é apenas uma opção
intelectual. E todos podem fazer esta opção. É simples, fácil, divertido e faz crescer pra burro a
nossa auto-estima.

Pensar criativamente é "pensar lateralmente". É basicamente isso. Bem... é claro que você quer
saber o que é pensar lateralmente, não é mesmo? Então veja:

Segundo Edward De Bono, "raciocínio vertical é cavar cada vez mais fundo no mesmo buraco,
enquanto raciocínio lateral é tentar de novo em outro lugar". Em termos práticos, isto quer dizer
que se não encontramos respostas satisfatórias para determinados problemas (do jeito que
estamos procurando) devemos procurá-las em outro lugar, de outra maneira, olhando sob outro
ângulo e através de outras associações. E a "chave" para pensar lateralmente é usar,
simplesmente, a expressão... "e se...?"

É isso aí, rapaziada, pensar criativamente é pensar "e se?"


- E se invés de dividir eu multiplicar?
- E se invés de pintar de verde eu pintar de vermelho?
- E se invés de ir por aqui eu for por ali?
- E se invés de deixar aqui eu puser ali?

Cara, esta é grande malandragem do pensamento criativo! Este é o primeiro passo! Esta é a
primeira regrinha pra tirar sua cuca da mesmice do pensamento vertical! Acostume-se a pensar "e
se?" e você vai ver como as idéias começam a pintar! Pense "e se?" e ouse, arrisque,
experimente! Sem "correr o risco de errar você tem poucas chances de acertar!

Veja como Sigmund Freud se referia à própria inteligência e perceba que não há grandes
exigências de ordem natural para que qualquer um, com ousadia e determinação, possa superar
suas limitações:
"Não sou realmente um homem de ciência, não sou um observador, não sou um pensador.
Nada sou senão um conquistador, por temperamento — um aventureiro — com a
curiosidade, a rudeza e a tenacidade que compõem essa espécie de ser."

..........

"Tenho capacidades e talentos muito restritos. Nenhum para as ciências naturais, nenhum
para a matemática, nada para as coisas quantitativas. No entanto, o pouco que possuo, e
que é de natureza bastante limitada, deve provavelmente ser de caráter muito intenso."
(Textos extraídos do livro O Pensamento Vivo de Sigmund Freud, de Martin Claret.)
"Penso noventa e nove vezes
e nada descubro; deixo de
pensar, mergulho em profundo silêncio
e eis que a verdade se me revela."
Albert Einstein

Cara, você pode acreditar no que eu vou lhe dizer agora: todos os grandes gênios que você
conhece ou já ouviu falar - Chopin, Van Gogh, Matisse, Pasteur, Sabin, Nijinski, Pascal, Camões,
Dante, Picasso, Cervantes - TODOS foram useiros e vezeiros em explorar o lado direito do cérebro
à procura do original, do incomum, do diferente. Porque o comum e o banal, meu irmãozinho, todo
mundo faz. O "barato" é fazer diferente. Porém um "diferente" melhor, um "diferente" bom a vida
das pessoas, bom para o mundo, bom para a vida. E esse "diferente" só se consegue à custa de
muito estudo, muita ousadia, muita determinação. A ferramenta, cara, você tem: o cérebro. É só
"brincar" com ele que você chega lá!

É preciso que se diga, contudo, que o pensamento criativo não surge do nada, não é obra do
acaso. Não adianta ficar de boreste na beira da praia esperando que um pensamento genial caia
do céu porque não cai, não! Para que o espírito criativo baixe no seu terreiro é preciso que o seu
cérebro tenha substância, ou seja, que tenha uma quantidade de informações suficientemente
grande para que as idéias possam brotar na sua mente. Depois, é só seguir o conselho do grande
Thomas Edison: "qualquer homem pode alcançar o êxito se dirigir seus pensamentos numa
direção e insistir neles até que faça alguma coisa". É isso aí, cara: insistir até que alguma coisa
aconteça!

Louis Pasteur teve um derrame cerebral aos 46 anos, ficando com todo o lado esquerdo do corpo
paralisado. Nessa época ele ainda não era um cientista famoso e ainda estudava a pebrina, uma
doença que atacava a cultura dos bichos-da-seda. Mesmo debilitado pela doença e deprimido pela
morte prematura das suas três filhas, Pasteur continuou trabalhando, pesquisando.

Como se não bastante tanta dor e tanto sofrimento, Pasteur ainda foi ridicularizado na Academia
de Medicina por suas teses sobre a esterilização dos ambientes hospitalares. Mas continuou
trabalhando, pesquisando. Até que em 1885 - quase vinte anos depois do derrame sofrido - Louis
Pasteur trata e cura, pela primeira vez na história da medicina, um garoto atacado por raiva. Ele
insistiu, ousou, não temeu o ridículo... e realizou!

Pois é isso aí, galera! É assim que a banda toca. Não importa o que você é hoje, não importa o
que você deixou de fazer, não importam as suas derrotas, nada disso importa. O que vale, cara, é
que você tem dentro da caixa craniana o mais poderoso computador do mundo. E ele é todo seu.

ESTRATÉGIAS DO PENSAMENTO
De todas as funções do cérebro humano, a mais fantástica é, sem dúvida, o "poder pensar" - ou a
"capacidade de aprender". O ser humano começa a aprender no primeiro instante de vida e não
pára mais, até a morte. E mais fantástico ainda: o cérebro pode aprender tudo o que o homem
quiser aprender, sem impor qualquer limite. Basta que o homem siga o princípio lógico de que todo
aprendizado só é possível a partir de um aprendizado anterior. Isto é fundamental: todo
aprendizado sempre decorre de um aprendizado anterior.

De um modo bem simples, podemos dizer que o ser humano tem a capacidade de produzir três
tipos de pensamentos:
- o pensamento simples, que é a reprodução mental de uma informação percebida pelos
sentidos;
- o pensamento lógico, que é o resultado de uma comparação de informações que já estão na
memória;
- o pensamento imaginativo, que é o resultado de uma rearrumação informal de dados que
também estão na memória.

Observe que estes três tipos de pensamento, entretanto, só são possíveis se a pessoa tiver algum
conteúdo pertinente armazenado na memória. Ou seja, ninguém consegue pensar sobre
alguma coisa da qual não tenha a menor informação. A consciência deste fato é fundamental
para o desenvolvimento das aptidões cognitivas.

O pensamento lógico é sempre seqüencial porém não é unidirecional. O que determina a direção
do pensamento são as "idéias fundamentais". Estas idéias funcionam como uma espécie de guia
que orienta a seqüência do pensamento. Se as idéias fundamentais são verdadeiras, o raciocínio
tende a uma conclusão lógica; se são falsas, tende a uma conclusão falsa ou erro.

O que vamos ver a seguir é um conjunto dessas idéias fundamentais. São táticas extremamente
simples mas que, com certeza, podem desenvolver a tendência para o raciocínio crítico no jovem -
o único raciocínio capaz de direcionar objetivamente a aprendizagem da vida no seu dia a dia.

ALGUNS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS


Nós só conseguimos pensar porque, desde o momento em que nascemos, acumulamos
continuamente informações na nossa memória. São estas informações - que tanto podem ser
dados isolados como procedimentos ou conceitos prontos - que compõem a nossa base
intelectual.

Isto quer dizer que só conseguimos pensar (ou imaginar) a partir dos registros que temos na
memória. Se apreendemos (e registramos) procedimentos e conceitos corretos, raciocinamos
e concluimos com exatidão; se apreendemos conceitos falsos, incorremos em erro (embora a
forma de raciocinar seja correta).

Alguns conceitos são fundamentais para o raciocínio; são aqueles que direcionam
corretamente o pensamento. Quando deixamos de apreender um fundamento correto,
tendemos a raciocinar de forma errada, e a conclusão, como não poderia deixar de ser, será
também falsa.

Dentre estes conceitos fundamentais, selecionamos, a princípio, quatro. Leia e reflita sobre
eles para melhorar a qualidade do seu raciocínio:

1 - Mesmo que você tenha "certeza absoluta", admita que todas as "certezas" são
sempre relativas ao tempo e ao espaço. A idéia de que o homem pudesse voar, até o
século XIX, era tida como "absurda". Grave isto.
2 Que a diferença básica entre "falar" e "ouvir", é que enquanto "ouve" você não erra.

3 - Que uma informação só deve ser entendida como "completa" quando satisfaz às
perguntas básicas da sua consciência: quem, onde, quando, como, por quê?

4 - Que o conteúdo de uma informação não se restringe ao texto ou às imagens comunicadas.


Na mensagem, está a "alma" de quem passa a informação. Portanto, não avalie só o que
ouve e o que vê. Uma mensagem só é "completa" quando você consegue identificar "os
propósitos de quem comunica".

Os dez passos da sabedoria


1 - Se alguém já fez, você também pode fazer. Se ninguém ainda fez, você pode ser o
primeiro a fazer. Santos Dumont pensava exatamente assim. É esta forma de pensar que
distingue o gênio das pessoas comuns.

2 - Jamais diga "vou estudar"; diga simplesmente "vou aprender". Esta simples mudança de
afirmação vai provocar uma revolução fantástica no seu cérebro.

3 - Se está difícil aprender alguma coisa, relaxe. Não esquente a cabeça. Creia que você pode
aprender tudo o que quiser porque o seu cérebro foi concebido para que você aprenda tudo. E
naturalmente. Portanto, relaxe e divirta-se, porque logo você vai aprender.

4 - Nem todas as verdades são explicadas pela razão. Há verdades que pertencem ao mundo
da imaginação e outras que pertencem ao mundo da fé. No entanto, todas são verdades.
Jamais esqueça disso antes de chamar alguém de ignorante.

5 - Tudo vai acontecer se você acreditar firmemente que vai acontecer. Assim pensava
Thomas Edison. Assim pensava o Mahatma Gandhi.

6 - A imaginação é a fonte da criatividade. E a ousadia, a fonte das realizações. Portanto, o


grande segredo é...sonhar e tentar. E quanto mais, melhor.

7 - Uma mentira - como dizia Mario Quintana - é só uma verdade que esqueceu de acontecer.
Todavia, se você repetir insistentemente essa mentira ela acabará transformando-se numa
verdade. E isto, quem disse foi Maquiavel.

8 - Só os gênios, os santos e os rebeldes dignificam a raça humana. E, destas três condições


- genialidade, santidade e rebeldia - uma você pode "disparar" agora, neste momento: a
rebeldia. Como? É simples: indignando-se profundamente contra a injustiça, contra a tirania e
contra todos os atos que reduzem - principalmente os pobres - à condição de sub-raça
humana.

Nota: Se você não se indignar profundamente com esta foto, se não sentir uma forte repulsa
contra a covardia dos poderosos que permitem - e até promovem - cenas como esta, que
reduzem a condição humana ao nível mais miserável da existência, por favor, saia desta
página, porque nada do que está aqui escrito terá o menor sentido na sua vida.

9 - O Universo está pronto. Todas as leis já foram criadas e todas as regras já foram
definidas. O que lhe cabe fazer é tão-somente descobri-las, sem jamais esquecer que
todas as leis e todas as regras foram colocadas à disposição de toda a humanidade.
Elas não foram definidas na Criação para servir a um só homem ou a uma só nação.
Elas são propriedades de toda a humanidade.
10 - Pode ser que você nunca se torne um gênio, mas isso não vai fazer a menor
diferença; você vai continuar sendo dono da sua vida e poderá desfrutá-la ao
máximo. Você poderá amar bastante pois que para amar não é preciso ser gênio. E,
se quiser, poderá dignificar a sua condição de ser humano sendo generoso e
solidário, porque a humanidade precisa muito mais de solidariedade do que de
genialidade, precisa mais de fraternidade do que de inteligência, precisa mais de
afeto do que de luz. Agindo assim, no fim da vida você sentirá a incrível sensação de
que viveu, foi feliz, fez, participou, colaborou, enfim, cumpriu sua missão de forma
genial. Pra que mais, não é mesmo?
-
A magia do pensamento lateral
Tão fundamental quanto conhecer os princípios técnicos sobre determinado
assunto, é conhecer procedimentos psicopedagógicos capazes de estimular o
pensamento criativo. Afinal de contas, a "invenção" - como dizia René
Descartes - é imprópria do pensamento racional. As idéias - segundo ele -
pertencem ao mundo da imaginação; é preciso estimular a criatividade
para que o milagre da criação seja acessível ao homem.

Vamos, portanto, fazer duas considerações importantes a respeito do cérebro


humano:

1 - Na realidade, o ser humano não tem apenas um cérebro, mas três


cérebros em um. O primeiro - cérebro reptiliano - situado na base do crânio,
é responsável por muitas das nossas funções vitais, como o controle da
pressão arterial, temperatura do corpo etc. O segundo - o sistema límbico - é
o centro das nossas emoções e da sexualidade, e exerce um papel
fundamental na memória. O terceiro - o córtex - é o centro das nossas funções
intelectuais.

2 - Anatomicamente, podemos observar que o cérebo é dividido ao meio, em


dois hemisférios: esquerdo e direito. No hemisfério esquerdo estão os centros
lógicos e analíticos; é onde se processa a linguagem, o raciocínio, os cálculos.
Já o hemisfério direito cuida das coisas abstratas, da música, da imaginação.
Unindo os dois hemisférios encontramos um feixe de células - o corpo caloso -
responsável pela transmissão de informações entre eles. É o corpo caloso
que "liga" o pensamento concreto ao pensamento abstrato.

Isto quer dizer que quando raciocinamos, quando fazemos cálculos, quando
trabalhamos com a lógica, usamos basicamente o lado esquerdo do cérebro.
Já quando cantamos, apreciamos uma obra de arte, quando deixamos a
imaginação funcionar, estamos trabalhando com o lado direito. Contudo,
podemos muito bem trabalhar com os dois hemisférios conjuntamente, ou
seja, integrar todo o cérebro no mesmo processo intelectual. Isto é que
chamamos de produzir um pensamento integral.

O professor Edward de Bono, uma das maiores autoridades no mundo em


Pesquisa da Criatividade, diz que podemos raciocinar de duas maneiras
diferentes:
verticalmente, ou seja, "cavando cada vez mais fundo sempre no mesmo
lugar", ou, lateralmente, "cavando em outros lugares quando não
achamos o que estamos procurando".

Quando raciocinamos usando fundamentalmente o lado esquerdo do cérebro,


raciocinamos verticalmente. É aquela situação em que insistimos em tirar uma
conclusão apenas a partir dos dados que dispomos e que achamos
suficientes. E a frustração, quase sempre, é inevitável.

Todavia, quando diante deste impasse, damos asas à imaginação, passamos


a raciocinar lateralmente. Ou seja, se deste jeito não dá...quem sabe se de
outro jeito não chego lá?

Um modo bastante simples e prático para ativar o lado direito do cérebro é


"descontrair" o corpo e a mente. É parar de pensar no problema por algum
tempo e ouvir música, cantar, bater papo. Quanto mais você descontrai,
melhor. É errado achar que descontrair é o mesmo que negligenciar.

Sob pressão, o raciocínio fica difícil e a imaginação bloqueada. Repare


que, quanto mais alegres e felizes estamos, mais criativos ficamos. A própria
aprendizagem - assim como o trabalho - é bem mais eficaz quando
acontecem num ambiente alegre e divertido.

É que pressionado, a comunicão entre os hemisférios cerebrais, através do


corpo caloso, fica prejudicada. Isso, além de estressar a pessoa e
impossibilitar os insights criativos, reduz o seu poder imunológico. Por isso é
que jovens adoecem nos períodos de provas e profissionais das mais diversas
categorias e funções têm febre e dores aparentemente injustificáveis quando
têm um problema sério para resolver.

Pensar lateralmente é perguntar:


E se invés de verde, eu experimentar o azul?
E se invés de subir, eu tentar descer?
E se invés de ir por aqui, eu for por ali?
E se invés de multiplicar, eu dividir?
Este é o segredo para pensar lateralmente: E SE...?

A complexidade de um problema está na forma como o encaramos e no modo


como tentamos resolvê-lo. Se achamos difícil, sem solução, ele assim será.
Afinal; nossa "opinião" a respeito do problema também é uma
informação que participa do processo intelectual: "É difícil! Não tem
solução!..." Nosso cérebro interpreta tais opiniões como verdades e responde:
"Isso mesmo, é difícil, é impossível resolver!".

O segundo passo é concentrar-se na questão proposta. É preciso entender a


regra do jogo: O que estão pedindo? O que é proibido? O que eu posso
e o que não posso fazer? Se não é proibido, é permitido. Será que assim
funciona? Vale a pena tentar?

Se você tem um problema para resolver e não encontra a solução, escreva e


reescreva o problema, refazendo as frases e mudando algumas palavras.
Quase sempre a solução está aí: na nova redação.