Você está na página 1de 11

6ª Sessão

1ª Actividade

O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (Parte


II)

Domínio D. Gestão da Biblioteca Escolar


Subdomínio D.3. Gestão da Colecção/da Informação

Escola: Agrupamento de Escolas António Sena faria de Vasconcelos

Indicadores Factores críticos de Sucesso Instrumentos de recolha de Evidências passíveis de ser recolhidas
evidências nos instrumentos referidos

Existe uma política documental Documento Política de No documento Politica de


encontra-se definida para a Desenvolvimento da Colecção (em Desenvolvimento da Colecção, é possível
D.3.1 escola/ agrupamento. curso); vislumbrar-se tendências de acordo com
Planeamento/Gestão as necessidades dos utilizadores
Essa política materializa-se num Recolha de informação sobre
da Colecção de processo integrado e contínuo de estatística de utilização da biblioteca O documento PDC foi aprovado pelo
acordo com a avaliação da colecção, na Conselho Pedagógico
inventariação das inventariação de necessidades e Inventariação/planificação de
necessidades na sua actualização sistemática aquisições das colecções do PNL Foram adquiridas colecções do PNL, e
curriculares e dos da colecção (leitura orientada) nos diversos outros fundos documentais
utilizadores da departamentos
Escola/Agrupamento. Existe uma Política de Existe uma parceria com a Biblioteca
Municipal no sentido de facultar o
Desenvolvimento da Colecção Plano Anual de Actividades empréstimo de alguns fundos
formalizada e aprovada em documentais
Conselho Pedagógico. Actas do Conselho Pedagógico;
Os fundos documentais circulam pelas
A escola/ agrupamento participa . diversas escolas do agrupamento
na definição dessa política que é
aprovada pelos órgãos de
Direcção, administração e Foi realizada a inventariação de
gestão. necessidades de aquisição de fundos
São inventariadas as A biblioteca está integrada na Rede
necessidades de informação Concelhia
decorrentes do Projecto
Educativo

Estão implementadas as práticas


de avaliação, de desbaste, de
selecção e aquisição de
documentação.

As necessidades de informação,
decorrentes do Projecto
Educativo, de projectos em
desenvolvimento, e dos perfis
curriculares dos vários
anos/matérias são inventariadas.

É anualmente afectada uma


verba para a actualização da
documentação

Indicadores Factores críticos de Sucesso Instrumentos de recolha de Evidências passíveis de ser recolhidas
evidências nos instrumentos referidos

A colecção é equilibrada em Estatísticas relativas à utilização Análise dos resultados dos diversos
quantidade, entre suportes biblioteca levantamentos estatísticos permitindo
D.3.2 (impresso e não impresso) e aferir alguns serviços,
entre as diferentes áreas Estatísticas relativas à utilização dos
Adequação dos livros fundos documentais na biblioteca Verificação de um deficit de fundo
e de outros recursos (recreativa e relacionada com o
currículo), garantindo condições documental dirigido ao 1º CEB e Pré-
de informação (no Estatísticas relativas à utilização dos Escolar
local e online) às de acesso e uso a todos os fundos documentais para
necessidades utilizadores. empréstimo domiciliário. Os departamentos preenchem um
curriculares e aos Os livros e outros recursos de formulário relativo a propostas de
interesses dos informação são adequados à aquisição de obras referenciadas pelo
utilizadores no faixa etária, à curiosidade Questionário a alunos (QD4); PNL e outros fundos
Agrupamento intelectual e aos interesses dos
Questionário a docentes (QD3); Foi atribuída no presente ano lectivo
utilizadores. uma verba pelo PNL para aquisição
Os livros e outros recursos de
informação respondem às de colecções para leitura orientada
necessidades do currículo
nacional, do Projecto Educativo Através da Política de
e dos Projectos Curriculares das Desenvolvimento de Colecção será
Turmas. possível detectar algumas carências
bem como saber de que modo a
A selecção dos fundos colecção está a satisfazer as
documentais tem em conta necessidades dos utilizadores.
necessidades identificadas junto
dos Departamentos curriculares .
e utilizadores de acordo com
critérios previamente
estabelecidos na Política de
Desenvolvimento de Colecção.

Os recursos documentais são


anualmente actualizados
respondendo em termos de
qualidade, diversidade e
relevância às necessidades dos
utilizadores

Indicadores Factores críticos de Sucesso Instrumentos de recolha de Evidências passíveis de ser recolhidas
evidências nos instrumentos referidos
A BE assegura a circulação de Estatísticas relativos aos diversos Documentos utilizados pelos
fundos documentais em todo o empréstimos (biblioteca, sala de professores e alunos no apoio ao
D.3.3 Agrupamento. aula, e domiciliário) currículo
Uso da colecção pelos A BE implementa o empréstimo Actas do Conselho Pedagógico Circulação dos fundos documentais
utilizadores do domiciliário e os fundos (estatísticas relativas ao empréstimo
Agrupamento. documentais são suficientes para Utilização dos fundos para apoio ao domiciliário e presencial)
as necessidades dos utilizadores. currículo pelos professores
Observação dos alunos relativos ao
A BE realiza um trabalho de Utilização dos fundos pelos alunos uso da BE permitindo saber o seu
valorização e motivação para o relativos ao apoio ao currículo bem grau de envolvimento
valor e uso da documentação nas como em actividades de lazer
práticas de Observação dos professores relativos
Utilização de recursos digitais ao uso da BE, no apoio ao currículo
ensino/aprendizagem.
Actas dos Conselhos Pedagógicos. Actividades desenvolvidas no âmbito
A BE forma para o uso e
integração da informação nas do PNL, permitindo saber de que
actividades diárias e de modo as colecções vão ao encontro
Questionário a docentes (QD3). das necessidades
aprendizagem.
Questionário aos alunos (QA4). Observação dos alunos em
Os alunos procuram os recursos
documentais para se recrearem actividades livres na biblioteca,
Análise da Colecção (CK2).
ou para realizarem os trabalhos constituindo normalmente o primeiro
escolares. . passo para se tornarem utilizadores
assíduos
Os docentes recorrem à
documentação para a sua
actividade lectiva e incentivam a
sua utilização apresentando
propostas de trabalho
conducentes ao seu uso.

A BE produz instrumentos de
apoio ao uso da colecção e
desenvolve competências de
pesquisa nos utilizadores.

Indicadores Factores críticos de Sucesso Instrumentos de recolha de Evidências passíveis de ser recolhidas
evidências nos instrumentos referidos

A informação está organizada Registo, classificação e catalogação Catalogação de documentos no


segundo linguagens dos fundos documentais programa Bibliobase
D.3.4 normalizadas (na catalogação,
classificação e indexação) que Análise da colecção (CK2) Pretensão de informatizar o catálogo
Organização da e disponibilizá-lo em linha
Informação. garantem uma eficaz Relatório da actividade
Informatização da recuperação da informação. Balanço trimestral da actividade
Colecção. Tratamento de cartazes permitindo aferir alguns dados e
Está implementado um sistema
de gestão bibliográfico possibilitar a reformulação de
automatizado que permite a estratégias se necessário
simplificação de um conjunto de Listagens de materiais que vão dando
processos inerentes ao circuito entrada na biblioteca, permitindo uma
do documento e à difusão e personalização de alguma informação
pesquisa da informação.
Os utilizadores recuperam a Divulgação dos dados estatísticos no
informação manualmente ou Conselho Pedagógico
através da consulta automatizada
do catálogo.

O catálogo é pesquisável online


e utiliza recursos digitais.

Indicadores Factores críticos de Sucesso Instrumentos de recolha de Evidências passíveis de ser recolhidas
evidências nos instrumentos referidos

A BE realiza actividades de Página WEB da escola Informação sistemática de diversas


apresentação/exposição de livros actividades da BE, permitindo uma
D.3.5 e outros recursos de informação. Blog da biblioteca aproximação à mesma
Difusão da A BE organiza e difunde Jornal do agrupamento Divulgação dos novos documentos
Informação. listagens de recursos de adquiridos e a adquirir
Artigos na imprensa regional sobre a
informação (documentos actividade na biblioteca
impressos, recursos digitais e Divulgação de diversos endereços em
online) adequados a temáticas Exposições diversas linha, aumentando as hipóteses de
diversas, de âmbito curricular ou pesquisa a partir de documentos
Registos de actividades em portfólio intangíveis
associadas a determinado
fotográfico
projecto. Comunicação aos pais de diversas
Informações aos pais actividades realizadas e a realizar,
A BE produz guias e tutoriais
sobre assuntos, autores e outros. Diversos placards da escola contribuindo para a valorização da
(biblioteca, área de circulação, sala BE como centro de recursos para os
A BE cria instrumentos de de professores, bar dos alunos, salas seus filhos
promoção da colecção e de de aula)
divulgação de recursos de Utilização do Blog da biblioteca
informação: folhetos, guiões de como forma de conhecer a sua
leitura, biografias, listas actividade bem como centro de
biográficas de autores, Plano Anual da BE. recursos em linha
exposições de obras no Análise da colecção (CK2).
polivalente, etc. Partilha de materiais tangíveis e
intangíveis, enriquecendo o leque de
A BE usa a página Web do metodologias de aprendizagem
Agrupamento de Escolas e a
segunda geração de serviços Promover encontros com autores
disponibilizados, nomeadamente como forma de informar os leitores
o blog, para difusão da das suas obras.
informação Divulgação a toda a comunidade
educativa de diversas actividades no
âmbito do PNL, bem o sítio deste
plano.

Divulgar as diversas iniciativas do


programa RBE, bem como
informações emanadas do seu
gabinete
2ª Actividade

O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES:


METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (Parte II)

Domínio D. Gestão da Biblioteca Escolar

Subdomínio D.3. Gestão da Colecção/da Informação

Escola: Agrupamento de Escolas António Sena faria de Vasconcelos

Parte 2 - Acções Futuras

Duas coisas que a BE deve deixar de fazer:

1 - Permitir que integrem a equipa da BE professores, aos quais lhe sejam distribuídos um ou
dois tempos lectivos. Para se realizar um trabalho profícuo, é necessário que os professores
sintam um projecto colectivo, que de modo algum se chegará a atingir, com tão pouco tempo
dedicado ao mesmo. É preferível uma equipa com menos professores mas com um maior
número de horas disponíveis do que uma equipa mais extensa mas com pouco tempo disponível.

2 – Apresentar o PAA da BE sem orçamento.

Embora exista alguma dificuldade na atribuição de uma verba por parte da direcção das escolas,
em resultado dos sucessivos cortes financeiros a que estão sujeitas, as BEs deverão realçar a
necessidade de no início do ano ter uma projecção realista de algumas necessidades, quer para a
actualização dos fundos, quer para fazer face ao desenvolvimento do plano anual de actividades

Duas coisas que a BE deve continuar a fazer:

1 – Deve continuar a manter uma boa coesão por parte da equipa da BE, com um bom ambiente
de trabalho cooperativo, em prol do desenvolvimento do Plano Anual de Actividades,
rentabilizando competências específicas de cada elemento da equipa.
2 – Realizar diversos eventos com a comunidade, envolvendo esta na dinâmica do agrupamento,
contribuindo para a valorização da BE por parte de toda a comunidade educativa. (ex Semana
da Leitura, Maratona de Contos, Serões e Tertúlias, grupo de teatro Pais & Companhia, Dia
Mundial do Livro etc)

Duas coisas que a BE deve começar fazer:

1 – Pugnar para que tenha um orçamento anual, elegendo algumas despesas relativas à
actividade da BE

2 – Participação do coordenador da equipa da BE nas reuniões de departamento ( já tem assento


no Conselho Pedagógico, e no Conselho de Docentes – 1º CEB), reforçando desta forma a
circulação da informação bem como a possibilidade de envolver todos os professores no
projecto da biblioteca da sua escola.