Você está na página 1de 1

Comentário sobre o artigo “A ressurreição do corpo nas epístolas de Paulo”

O artigo está em: http://www.ultimato.com.br/?pg=show_artigos&artigo=1547&secMestre=1649&s...

Por Ruy Porto Fernandes

Embora o escritor tenha captado a essência da posição de Paulo a respeito da


ressurreição do corpo, no artigo encontrado no site acima, eu não posso concordar com a sua
desastrosa afirmação no final do mesmo, que diz: “mas a biologia do corpo da ressurreição
final será outra, impossível, agora, de ser estudada, investigada e entendida!”

Um momento! Como não podemos investigar e entender que o corpo ressuscitado será
de carne e osso! Ora, de que carne e osso Jesus Cristo e o apóstolo João estavam se referindo?

Digo com toda a certeza, fé e conhecimento, que é da mesma carne e osso dos nossos
próprios corpos atuais! Sim, o corpo ressuscitado é constituído de átomos, células e órgãos
idênticos aos nossos corpos atuais. A nossa fisiologia será a mesma tanto nesta vida como na
vida eterna.

Jesus tem boca, língua e dentes, pois pediu comida e comeu. Mastigou, salivou e
deglutiu alimento constituído de átomos. Átomos deste universo! O alimento foi para o seu
estômago para ser digerido e, após processado no intestino, ser incorporado ao seu corpo
ressuscitado! Ele via e ouvia com os mesmos órgãos que os nossos.

Para falar tem que respirar, então Jesus possuí pulmões! Ora, se tem pulmão também
tem coração, e sangue, e sistema circulatório e linfático. Neste caso a respiração também se
faz necessária para incorporar oxigênio ao seu corpo e também para eliminação do gás
carbônico gerado pelo metabolismo celular! Assim, Jesus está vivendo sob uma atmosfera
gasosa semelhante a nossa, em um sistema físico tridimensional de mesma geologia e espaço
sideral. Portanto, neste mesmo universo! A diferença para com o nosso espaço é a ausência do
Mal, Satanás foi expulso dali e lançado aqui (Ap 12.7).

A renovação celular é vital para que o corpo ressuscitado viva eternamente sem
envelhecer e adoecer. Portanto, a diferença entre os dois tipos de corpos está na estrutura do
ADN, que carrega a instrução para o funcionamento da célula e todo o corpo. E este código
instrutor, como o seu verbo, é quem distingue cada possuidor. Aleluia!

Com certeza podem dizer: Está errado, pois o corpo ressuscitado de Cristo atravessa
paredes! E pelo que nós sabemos ninguém atravessa parede. Mas se esquecem que em Atos
dos Apóstolos, capítulo 8, está registrado que Felipe, no corpo ainda não ressuscitado, após
batizar o eunuco, foi transportado de um local para outro, distante! E para isto o Espírito
Santo utilizou o mesmo processo que usou para com Jesus, no corpo ressuscitado. A
desmaterialização de toda a estrutura corpórea, com roupa e tudo, e sua nova materialização
em outro local sem qualquer perda de substância ou informação.

Niterói, 17 de maio de 2009.