MEMORIAL DESCRITIVO=Texto explicativo (ideia geral sobre a concepção do

jardim);Conteúdo (informações detalhadas sobre construções de obras de arte,
implantação e manutenção dos jardins);Objetivo(Informar ao proprietário e à equipe
responsável pela implantação do projeto sobre todos os detalhes da execução do projeto;
Itens:Cabeçalho;Apresentação;Características da área;Serviços necessários à
implantação do projeto;Características vegetais;Informações sobre a construção de
estruturas físicas;Orçamento;Instruções para plantio e manutenção das espécies
vegetais;Mão de obra e outros materiais;Contrato.
ARBORIZAÇÃO URBANA: conjunto de terras públicas e privada com vegetação
predominante arbórea que uma cidade apresenta. Esta vegetação está apresentada em
áreas particulares, parques, praças e vias públicas. PROBLEMAS: falta de
planejamento;falta de critério na escolhas das espécies;uso excessivo de uma única
espécie;baixa qualidade das mudas;falta de tutoramento; podas
inadequadas.BENEFÍCIOS: beleza;absorver ruídos;atenua o calor do sol;atenua o
sentimento de opressão do homem;filtro das partículas sólidas no ar;abrigo e
alimentação para pássaros;ambiente de descanso e recreação;refresca o ambiente;capta e
absorve água da chuva;reduz/conduz ventos dominantes;reduz teor de CO2 e libera O2.
ESCOLHA DAS ESP´.: adaptabilidade clima/solo/meio urbano; porte e volume de
copas; folhas/ramos/frutos/raízes; resistência pragas/doenças; princípios
tóxicos/alergênicos. PEQ. PORTE: Grevilha-anã; Flamboyant Mirim; Astrapéia;
Hibisco; Mulungu; Urucum; Murta; Escumilha; Ipê Mirim; Espirradeira; Calistemo;
Marinheiro; MÉDIO: Cassia; Regina; Quaresmeira; Canafístula; Bálsamo; Ipêamarelo; Calicarpa; Aleluia; Jacarandá; Unha-de-vaca. ESPAÇAMENTO:
ruas/passeios estreitos(7 a 10m); ruas estreitas c/ passeios largos(7 a 10m); passeios
estreitos c/ ruas largas (10 a 15m); passeios e ruas largas (10 a 15m). PODAS: de
condução;de manutenção;de limpeza;de conformação/preventiva;de formação de copa
alta; de contenção de copa;emergencial.
PLANO DIRETOR=instrumento básico de um processo de planejamento municipal
para implantação da política de desenvolvimento urbano, norteando a ação dos agentes
públicos e privados. INVENTÁRIO=ocorrência de espécies; fitossanidade;
adaptabilidade e resistência; compatibilidade c/ edificações e redes;
beleza/porte/raridade; pesquisa.
SUBSTRATO:Mineral(solo, areia, vermiculita, cinasita);Orgânica(cascas de árvores,
casca de cereais,compostos de lixo, resíduos de fibra de coco, turfa);Sintética(espumas
fenólicas, isopor).Simples ou composto.CARACT.BIOLÓGICAS: Negativas
(Presença de fitotoxinas; taninos tóxicos em algumas madeiras de lei; compostos
fenólicos presentes em cascas de árvores); Positivas(compostos e microorganismos
antagônicos - podem auxiliar na supressão de patógenos;inoculação de micorrizas já é
uma prática comercial).
GRAMADOS: Grama batatais (Paspalum notatum-Rústica /grandes áreas verdes, solos
secos e baixa fertilidade;não resiste à sombra;baixo custo de implantação);Grama são
carlos (Axonopus compressus-Tolera meia sombra ou sol pleno e também locais úmidos
e frios;Pouca resistência à seca;Não se desenvolve bem em solos pobres; Necessita de
cortes freqüentes;);Grama esmeralda (Zoysia japônica-Tolera sol pleno com eventuais
períodos de sombra; baixa incidência de ervas daninhas); Grama santo agostinho
(Stenophrum secundatum-adapta-se bem ao litoral e áreas semi-sombreadas; bastante
rústica e resiste bem às pragas e doenças;Não tolera o frio;Grama seda (Cynodon

envolve-se a área exposta com substrato.método não recomendado por ser prejudicial ao desenvolvimento do novo indivíduo (fototropismo)).fazer subcultivos. temperatura entre 20-30°C. com a finalidade de descobrir o câmbio. eliminando-se totalmente a copa. oriundos de preferência da mesma planta).Artificial(Estaquia.pincela-se a área exposta com um pouco de pasta de lanolina para evitar infecção por agentes patogênicos. Tapetes.tratamento da planta mãe.quando a união estiver formada.deixar de 1 a 3 folhas cortadas ao meio nas estacas. Rizomas.utilizando uma forquilha ou grampo prende-se o ramo deixando a extremidade apical para fora do Solo.enterrio de pelo menos um entrenó no substrato. Grama japonesa (Zoysia tenuifolia-não tolera locais sombreados. arqueia-se o ramo alternadamente com partes abaixo e acima do solo. emprega-se a enxertia de encostia. Plugs.amarrando-se as extremidades).dactylon-alta resistência ao pisoteio e pragas. ENXERTIA DE ENCOSTIA LATERAL SIMPLES(efetua-se um corte na superfície da casca. ENXERTIA FENDA CHEIA(faz-se um corte transversal no porta-enxerto. . ENXERTIA LATERAL OU INGLESA(semelhante ao anterior. Medidas para aumentar o enraizamento em plantas:época adequada. ENXERTIA DE PONTE(É empregada para recuperar plantas que apresentam a casca danificada por doenças. usando ramos com um ano de idade.mantém-se o ápice ereto).Divisão de touceiras).roedores ou máquinas agrícolas.crescimento é lento em relação às outras gramas).aplicação de hormônios para enraizamento.enterra-o na posição invertida aproximadamente 15 cm.envolve-se o alporque com um pedaço de plástico. mudando pelo fato de ser feito um segundo corte da metade para baixo no porta-enxerto e da metade para cima no enxerto. realiza-se o corte da parte aérea do porta enxerto e do sistema radicular do enxerto. técnica utilizada para propagar plantas do tipo trepadeiras como videiras).MERGULHIA INVERTIDA OU DE PONTA(corta-se aproximadamente um terço da ponta do ramo.faz-se um corte no longitudinal com 2 a 5 cm de comprimento.introduz-se a cunha no corte do porta enxerto).Não tolera sobreamento). MERGULHIA SIMPLES(curva-se um ramo longo e flexível até o solo. Enxertia. IRRIGAÇÃO: Folhas enroladas/marca de pegadas=falta de água.Mergulhia.transporte em caixas de isopor.prende-se o ramo junto ao solo e cobre-se alternadamente.ocasionando o encaixe de ambos).faz-se uma limpeza da área danificada da casca. ou outro material similar.Micropropagação). partes de sua superfície deixando outras à luz. sombreamento. MÉTODOS DE PLANTIO: Sementes. FORMAS DE PROPAGAÇÃO: Sexuada(sementes). fazem-se dois cortes na parte basal em forma de bisel.Alporquia. ALPORQUIA(retira-se um anel de casca de um ramo lenhoso ou estrangula-se esse ramo utilizando um arame em sua volta. tempo mínimo possível entre coleta e colocação no substrato. de tal maneira que a nova planta fique constituída do sistema radicular e da copa das cultivares desejadas). no enxerto e no porta-enxerto. umidade >80%.coleta mais próxima à base do tronco possível.Estolões. Placas.no enxerto.No período da manhã ou de noite. de modo semelhante a uma cunha.MERGULHIA COMPOSTA OU SERPENTINA(abre-se um sulco longo de aproximadamente 20 cm de profundidade.unemse estas superfícies com fita de polietileno. Mudas.condições de enraizamento: substrato poroso. panos ou embalagens úmidas. não usar estacas muito velhas ou duras.Vegetativa(Bulbos/colmos.Gramados recém plantados – período quente. porém sem apresentar problemas no sistema radicular.

Em alguns casos pode-se ainda acrescentar à camada de inoculantes uma pequena quantidade de cinzas. Palmeira-azul – Bismarckia nobilis.cobrir com uma camada de materiais mais grosseiros. sendo o material resultante do processo denominado composto orgânico ou fertilizante composto. de modo que esta fique protegida pelas abas laterais do “T”. a produtividade das culturas. Papiro Cyperus papyrus (locais úmidos). com cuidado para não causar danos à mesma.?.operações de reviramento. . Podocarpus ( conífera tropical. organismos utilizam oxigênio do ar para respiração e retiram a energia dos resíduos (liberação de gás carbônico e energia-calor). deve-se inseri. Bambuzinho-de-jardim – Bambusa textilis gracilis (planta de sol.Licuala grandis. Fênix – Phoenix roebelenii (tamareira).5 m).uma de resíduos de baixa relação C/N e outra bem mais fina (3 a 5 cm) de material inoculante. cortando-se somente a casca que será desprendida do lenho. boa para muros altos). que melhora as propriedades químicas.garantir arejamento do composto. Orquídea-bambú – Arundina graminifolia (gosta de sol e é terrestre).PASSOS: marcar um retângulo com as dimensões do comprimento e largura da base.as gemas são retiradas preferencialmente da porção mediana dos ramos da última estação de crescimento. no corte efetuado no porta-enxerto. traz leveza). com um leve pressão para a frente ou lateralmente com o dedo polegar. Cipreste – Cupressus macrocarpa Flor de jade.faz-se um corte transversal da casca e. físicas e biológicas do solo e. até atingir a altura recomendada (1. Gota de orvalho Evolvulus pusillus. Salvia roxa e vermelha. apenas 1 a 2% do peso seco dos resíduos e/ou fosfato de rocha (3 kg/m3). gravetos e pedaços de madeira. Fórmio – Phormium tenax. Buxinho – Buxus sempervirens. o mais rápido possível (devido a desidratação e oxidação). Palmeira-garrafa – Hyophorbe lagenicaulis. cuidando para que a gema não seja coberta pela fita para facilitar a brotação) Palmeira-laca – Cyrtostachys renda. Na compostagem a decomposição dos resíduos ocorre na presença de ar. Palmeira-ráfis -Raphis excelsa (palmeira de interior). A decomposição depende de ar.após a retirada da gema.irrigação controlada. galhos. empilhar alternadamente uma camada de 30 cm de palha com alta relação C/N.ENXERTIA DE BORBULHIA EM T NORMAL(faz-se uma incisão na forma de “T”. Angelica. Agave – Agave americana. COMPOSTAGEM= transformação biológica de resíduos orgânicos em material rico em húmus(ação de organismos). consequentemente. Palmeira-leque .la. água e energia. fazse a retirada da gema.protege-se a gema enxertada amarrando uma fita de polietileno no sentido de cima para baixo.os cortes deverão ser feitos a uma altura de 5 a 25 cm do solo.