Você está na página 1de 53

Acústica – A Raiz do Pinheiro – VI

“Brincando nos campos do Senhor...”


Construindo uma sala de audição dedicada
com alguns compromissos inevitáveis
Víctor A. Mirol

Faz algum tempo que que terminei juntando


vivo encontrando limitações para esta empreitada.
sérias com a acústica da Outro maluco que se
minha sala atual, montada incorporou, foi outro
na minha casa. Como quase amigo de décadas, Carlos
toda sala, não muito Mazzeo – engenheiro de
adequada para a tarefa de projetos – com quem
grandes audições. compartilhamos todos os
Até que num dia de hobbies mencionados
inspiração, decidi vender acima e mais longas
algumas coisas e procurar noites de delírio sobre
uma casa nova que invenções de aparelhos
permitisse resolver meus malucos (a máquina do
problemas crônicos. Gostaria movimento perpétuo, não-
de contar a vocês os passos inclusa...). Ele é o autor
que estou dando e de parte do desenho da
Figura 1. Esboço do projeto inicial (corte)
continuar até o final do que, moto Amazonas, e dos
penso, será uma bela sala outra para uma pequena oficina carros Cobra. Agora dirige
de audição e que poderá ser mecânica. a “Equipe C”, dedicada al corte de
considerada uma referência para a concreto com máquinas de sua
6. Silêncio adequado na
nossa revista. invenção. León trouxe um
vizinhança.
Os critérios que a nova casa eletricista de primeira, João
deveria reunir eram: Alguns meses de visitas a casas Cardoso, que teve várias
dos mais diversos tipos terminaram oportunidades de mostrar a que
1. Proximidade com o Hospital em
com a escolha de uma veio. E o controle de toda a parte
que atendo. solidamente construída, com vários
2. Espaço livre no fundo para de alvenaria que ficou a cargo de
seminíveis de dependências Sérgio Santos de Oliveira.
construir uma sala dedicada internas e um Continuei com o
desde o chão. fundo de 25 por núcleo da coisa: um
3. Espaço construído suficiente 11 metros com engenheiro acústico
para manter em ordem a uma edícula que para me orientar nos
poderia ser meandros práticos do
inacabável parafernália de
removida (como desenho e
objetos – em uso ou não – saberia depois,
relacionados com meus hobbies: condicionamento da
com muuuuiiito sala. O escolhido, desta
aviação, motociclismo, vela, vida trabalho...). vez, não é maluco,
ao ar livre, música, áudio, Resolvi mas, pelo contrário,
medicina, literatura, fotografia, comprar a casa e muito sério: o Eng.
marcenaria, mecânica, etc... reformá-la. Carlos Giner.
Comecei pelo Os requisitos
4. Lugar adicional para montar um
início: procurar seriam:
depósito de caixas e Esboço da sala
um arquiteto. Foi
componentes de áudio em 1. O maior nível
fácil. Meu amigo León Leiderfarb
desuso e para montar um aceitou a proposta: construir uma de silêncio interno possível.
laboratório de áudio. casa de malucos. Leon – que, com 2. Laboratório de áudio acoplado.
5. Dependências internas sua mulher, Sara – são amigos há 3. Redes de força dedicadas, tanto
suficientes para uma biblioteca mais de vinte anos, iniciou, assim, para áudio como para o
e sala de leitura, assim como a turma de loucos-por-alguma-coisa laboratório.

54 dezembro/2003
4. Blindagem e aterramento de lã de rocha. A laje de 3 x 8 x 2.5
adequados. superior seria apoiada metros. Após
5. Compatibilização com o jardim unicamente na parede começar a remoção,
interior. A parte que foi encontrado um
existente.
dá para o fundo do chão de concreto e
6. Flexibilidade de configuração da jardim teria a parede uma parede de
rede elétrica e de disposição externa completamente contenção do
de componentes. imersa na terra, e a mesmo material.
7. O menor comprometimento anterior somente até a León Leiderfarb, Carlos Guiner, Carlos Mazzeo foi
possível da qualidade sonora, metade ou, no Fernando Andrette e Ronam chamado para –
máximo, 60 % da sua Junqueira com suas máquinas
com prioridade absoluta em
altura. A laje e o de corte poderosas
relação a qualquer consideração
contra-piso seriam, então, os únicos e sua turma especializada – reduzir
estética ou decorativa. elementos de transmissão sonora tudo a “fragmentos” manejáveis de
De início, começamos trabalhando direta do meio exterior. 150 Kg. Foi levantada uma parede
com León sobre a base de uma O volume interno seria, então, a 3 metros da existente no fundo,
sala com baixo ruído interno, de 165 metros cúbicos, antes do formando uma enorme cuba de 11
acoplada a uma dependência que tratamento acústico. Sobre a laje x 3 m. Esta cuba abrigaria, numa
seria utilizada para montar um haveria uma área de lazer, como ponta, um depósito para
laboratório de áudio e outra para continuação do jardim. componentes e caixas de 3 x 3.60
depósito. León decidiu usar a parte A força seria trazida da caixa m. O resto foi totalmente
posterior do jardim, de entrada por preenchido de terra até 4 m de
colocando a sala em cabos de 25 altura e no topo re-plantadas
forma transversal. O milímetros árvores que estavam
volume ficou quadrados (duas originariamente na parte média do
estabelecido com Carlos fases e neutro) jardim. A nova parede formaria
Giner em exclusivamente uma das paredes externas da sala.
aproximadamente 180 para alimentar o Nas paredes divisórias com as
metros cúbicos, como equipamento. Outra duas casas vizinhas foram
boa relação custo- linha alimentaria o levantadas outras paredes
benefício. Eu sugeri laboratório e uma superpostas, formando a segunda e
uma forma trapezoidal Gaiola de Faraday
terceira, provinda terceira parede. Finalmente, do lado
com paredes e teto da alimentação geral da casa, seria interno, como limite do jardim, a
divergentes no sentido posterior, de dedicada a luzes e outros quarta parede que incluía um
maneira a aumentar a área utilitários. Todos os cabos dentro semicírculo de 4 m de diâmetro
transversal em uma relação áurea de canos separados de material onde seriam instalados a discoteca
da frente para trás (ver site de ferromagnético. A entrada geral foi e o computador de consulta, e
Cardas1 ), porém cálculos realizados solicitada à Eletropaulo para uma que também serviria de entrada à
– mediante software – por Carlos capacidade de 75 KW, e mereceu sala de áudio e ao laboratório.
mostraram que um teto paralelo ao um poste de concreto. Todas elas com sólidas
chão e mais alto seria uma melhor Toda a sala estaria fundações.
opção. Fizemos varias configurações envolvida com uma Finalmente, foi
até chegar à definitiva. León foi malha aterrada, formada traçado o perímetro da
quem sofreu, pois a cada por arame galvanizado sala, e colocadas as
modificação tinha que refazer as de 0.9 mm com solda fundações das paredes
plantas e as soluções arquitetônicas. ponto a ponto para internas, formando o
Como vemos na figura 1, o projeto formar quadriculado de trapézio antes
original era bastante diferente do 10 mm. Este invólucro, mencionado.
definitivo (que veremos no próximo que incluiria as quatro Num próximo
número). paredes, a laje e o número continuaremos,
O acordo final incluía uma sala contra-piso, formaria uma pois agora tenho que
de 5,50/6,50 x 7,27 x 3,93 metros. Parede dupla
gaiola de Faraday tratar de evitar que
As paredes seriam duplas, com totalmente fechada. O León sofra um infarto
separação de 13 centímetros entre chão não foi ainda definido. depois das últimas modificações
a interna (tijolo sólido de 22 cm) Parece bonito e fácil, não? que, junto com Carlos Giner,
e a externa (tijolo oco com os Perguntem a León Leiderfarb... decidimos fazer na estrutura do
espaços preenchidos com concreto) De início, foi necessário remover conjunto...
na qual iria uma capa de 50 mm a edícula que já existia no fundo, Boas audições e boa música.

1 http://www.cardas.com/search/searchlist.php?area=Insights&content_id=29&pagestring=Room+Setup+4

56 dezembro/2003
Acústica – A Raiz do Pinheiro – VI

“Brincando nos campos do Senhor...”


Parte II
Construindo uma sala de audição dedicada
com alguns compromissos inevitáveis
Víctor A. Mirol

Um mês depois do início piso completamente flutuante


das obras, estávamos ainda e um teto formado por uma
retirando terra, muita terra, para dupla laje. E assim continua
preparar o lugar onde iriam as até um exasperador infinito. E
fundações da sala de áudio. daí a necessidade de contar
Como foi mencionado em com profissionais que tenham
edição anterior, esta sala, cuja conhecimento e experiência
planta vemos na figura 1 está em construções similares.
construída dentro de uma A etapa seguinte partiu do
outra estrutura. O conjunto está exame do ambiente do bairro,
em nível –4,10 m em relação que é muito silencioso, não
ao nível da rua, e –2,30m em está em rota de aviões, nem
relação ao jardim que se tem trânsito pesado próximo.
estende à esquerda da sala e Isto atenua as exigências em
chega até o fundo da casa. Na termos de isolamento. Por
parte superior do conjunto outro lado, é necessário ter
haverá uma área de 125 m2 que muito em conta que o
incluirá uma edícula e uma projeto é de uma sala de
churrasqueira. audição e não de g r avação
ação.
Figura 1
Voltando à planta, vemos Isto faz uma diferença
nela uma sala trapezoidal, a ser em especial quando o tema não é notável., pois uma gravação que
construída em tijolo aparente da “custo não interessa”. Por este inclua algum tipo de ruído, mesmo
melhor qualidade, rodeada por último, são necessários muitos pré- que muito ocasionalmente, estará
uma outra parede externa. O projetos e muitas soluções estragada definitivamente. Já uma
espaço entre ambas se abre na alternativas que procuram não audição não. Você pode ouvir de
parte posterior, para incluir o exceder os objetivos, nem ficar novo o mesmo tema com a
espaço para um laboratório de aquém das necessidades. Por mesma configuração imediatamente,
áudio. À direita da sala, há uma exemplo, uma parede dupla ou, simplesmente, ignorar o ruído
estrutura retangular de 3 m por maximiza o isolamento do fortuito e ocasional que conseguiu
10,5 m que, em dois terços da ambiente circundante, e, para ser perceber. Outras limitações se
sua área, está cheia de terra e o totalmente coerente, deveria rodear manejam em forma similar. Poderá
outro terço, forma a extensão do completamente as paredes da sala ser argumentado que uma área de
laboratório. Na entrada está inclusa de audição com separação lazer acima da sala de audição
uma formação semi-circular, onde constante e a uma boa distância criaria ruídos que obrigariam a
ficará a discoteca. A parte superior dela como para criar um filtro uma muito boa estrutura de
será continuação do jardim e adequado para freqüências mais isolamento acústico. Porém, a outra
funcionará como área de lazer. baixas. Naturalmente no interstício solução é ser prático: nada obriga
Parece simples. Não é. A deverá haver isolantes acústicos a ter uma reunião sobre a sala e
construção de uma sala adequada (por exemplo, lã de vidro) de ao mesmo tempo, uma audição
para audição musical dedicada densidade e grossura adequadas. crítica. Somente esta solução me
inclui um enorme número de Porém, para ser “totalmente” isolada, aumenta em 130 m2 a área útil de
problemas construtivos a resolver, a sala deveria, também, incluir um que disponho, e que não estavam

34 janeiro-fevereiro/2004
sobrando. radiofreqüências e, ser os que estraguem o resultado
León conseguiu novamente, Giner final.
converter o inicial exercia seu direito Para melhor compreender a
“energúmeno” ao veto. E assim, idéia geral do projeto e as
construtivo num entre argumentos e soluções propostas, mostramos a
projeto em que difíceis negociações, figura 2 que ilustra uma
integra o complexo onde todos os perspectiva do conjunto, vista
de sala-laboratório envolvidos sabiam desde a casa, e inclui uma vista
ao visual funcional da importância de da escada que da acesso a parte
do conjunto do se encontrar superior.
jardim no fundo da soluções que Quer dificuldades? Observe,
casa. Este, que está significassem evitar então, a figura 3. Esta era a
um pouco abaixo compromissos no edícula que existia no fundo do
Figura 2
do nível do piso da rendimento acústico imóvel. Suas dimensões eram de
parte posterior da casa, continua da sala para o objetivo que se aproximadamente 10,8 m por 8,50
por cima do complexo, terminando pretendia, ia se avançando no m (incluindo a escada de acesso).
na área com árvores e grama que projeto e na construção, o que, às Antes da escada que levava à
está no fundo, como podemos ver vezes, incluía uma destruição de edícula existia uma bonita
na planta e na vista geral. A alguma parte já levantada para churrasqueira, que vemos na figura
entrada semicircular, além de incorporar uma solução melhor 4 e, ainda, uma piscina. Ambas
permitir acesso à sala e ao encontrada. Eu era o elo tiveram que ser removidas,
laboratório e de conter a encarregado de encontrar e arbitrar incluindo pesado trabalho de
discoteca, se integra visualmente as soluções definitivas, já que me demolição com cortadoras de
com a arquitetura da parte movo bem na área de acústica, de concreto, que meu amigo Carlos
posterior da edificação da Mazzeo colocou prontamente
casa. O tijolo aparente, bem à nossa disposição. Vemos
acabado, completa o visual. uma imagem do mencionado
Existe um banheiro na na figura 5 que nos dá uma
entrada do complexo (faz idéia de como ficou
de conta que Giner não finalmente o terreno, pouco
ouviu isto...) e, acima, uma depois de começar a construir
Figura 3
churrasqueira e uma as paredes do fundo. Vemos
edícula adicional com outro elétrica, de sentido comum onde estava a piscina (esquerda
banheiro. construtivo e sabia exatamente o abaixo) e a churrasqueira (direita
A dinâmica funcionou, que procurava. Porém, sem nunca abaixo), a edícula (esquerda no
inicialmente, a três mãos (sem descartar as nunca suficientemente meio), a escada de acesso (direita
contar a parte elétrica). Eu bem apreciadas opiniões do Giner no meio).
imaginava algumas alternativas de e do León, que, mesmo em Finalmente, começou-se a
formas e dimensões de sala, e conflito aparente de backgrounds, construir. Primeiramente foram
Giner calculava e vetava algumas estavam ambas baseadas em muita erguidas as paredes externas, após
delas. Com as que sobravam eu ia experiência anterior. Como veremos, construção de vigas de baldrame
a Leon e, depois de receber um posteriormente tive a muito sólidas que seriam separadas dos
sonoro “não, isso é impossível de agradável participação do
construir!”, colocava meus Engenheiro Framklim Garrido
argumentos – que incluíam Leite na parte elétrica,
conceitos acústicos inevitáveis e aterramentos e alimentação.
soluções construtivas amadoras – Conclusão: nunca tente um
recebia outros vetos para algumas projeto deste tipo, mesmo que
soluções e autorização para outras. saiba o que quer e como fazer,
Estas eu modificava, incorporava sem ajuda profissional. Mesmo
outras soluções necessárias para acertando 70% das soluções, os
obter boas condições de outros 30% são imprescindíveis,
circulação ou de isolamento para você não os conhece e podem
Figura 4

36 janeiro-fevereiro/2004
Figura 5 Figura 6 Figura 7

laje montada sobre a parede


externa em parte da estrutura e
em ambas as lajes na outra parte.
Se bem que isto – assim como o
piso flutuante só parcialmente –
implicaria em menos atenuação de
ruído externo, mas, o fato de
estarmos construindo uma sala de
audição, e não de gravação,
Figura 8 Figura 9 associado ao fato de a casa estar
um local de muito silêncio,
correspondentes à parede interna. realmente flutuante, ele deverá estar permitia esta solução. O problema
(ver figuras 6 e 7). A estrutura suportado por estruturas flexíveis era que as paredes posteriores não
que contém a terra e a extensão de modo a ter uma freqüência de tinham sido previstas com colunas
do laboratório foi também realizada ressonância baixa, da ordem dos 5 de sustentação de uma dupla laje
nesta fase, como pode ser visto na a 7 ciclos por segundo. O grande – que, na parte posterior teria um
figura 8. peso do piso – quando realizado vão de mais de dez metros – e,
Neste ponto, é bom detalhar em concreto – ajudaria a manter também, que a altura do conjunto
algumas das opções que tivemos essa freqüência de ressonância, ficaria acima da altura máxima que
que avaliar. A situação ideal para desde que os suportes flexíveis o projeto arquitetônico permitia.
isolamento sonoro é uma caixa tivessem a elasticidade certa para Mais adiante, explicaremos em mais
dentro de outra. Caixa, a constante de tempo pretendida, detalhes o esquema adotado
naturalmente, significa, neste caso, o que, assim, não seria muito definitivamente para o tratamento
sala. Entre as paredes deverá difícil. De qualquer forma, decidi do piso e do teto da sala. Vemos,
existir um espaço razoável que manter o piso fixo e deixar por na figura 9 (Esquina.jpg), um
conterá ar e mais algum isolante último a realização de bases ângulo onde podem ser vistas a
(como lã de vidro, por exemplo). flutuantes para as caixas frontais e parede externa e a interna
Para que o isolamento seja para o equipamento. Isto significou separadas.
completo, isto é, para que qualquer uma redução de custo e tempo Tudo ia muito bem até que um
ruído externo tenha que passar muito razoável e encarei, então, o sábado – todos os participantes da
obrigatoriamente por parede, ar, caso do teto duplo. A essa altura, minha equipe1 técnica se reúnem
isolante e outra parede, o piso a estrutura posterior que forma aos sábados, para avaliação da
deverá ser flutuante e o teto uma grande caixa com terra evolução geral e das soluções
também. Estes dois últimos são os dentro, e também a prolongação encontradas e aplicadas – Giner
que apresentam maiores do laboratório estava sendo que, como sempre, tudo observava,
dificuldades construtivas, de espaço montada, e isso determinou desistir percebeu que em um ângulo das
e de custo. Para que o piso seja do teto duplo e partir para uma paredes havia um tijolo

1 Arq. León Leiderfarb (Projeto e direção de obra), Eng. Carlos Giner (Acústica), Eng. Carlos Mazzeo (Corte de concreto
e estruturas metálicas). O Eng, Framklim Garrido Leite (Instalação eléctrica e aterramentos) aparece nos momentos-
chave. João Cardoso se ocupa diligente e habilmente da instalação elétrica e de rede de comunicação e Sérgio
Santos de Oliveira dirige todo o trabalho de alvenaria.

40 janeiro-fevereiro/2004
Também foram passadas as
tubulações para as redes elétricas
de ferro galvanizado. Digo “redes”
porque – como não podia deixar
de ser –, na sala chegarão três
ou quatro ramais de força
independentes, todos com cabos
adequados para as correntes
previstas de consumo (médio e
Figura 10 Figura 11. Engenheiro Framklim instantâneo). Um circuito, direto
da caixa de entrada, destinado
pertencente ao início das paredes área da cidade com maior aos equipamentos de áudio. Um
sobre os baldrames que contatava concentração de antenas emissoras, outro também, desde a entrada,
as paredes interna e externa, permitiu esta liberdade. Cada capa para o laboratório. Finalmente, um
formando um provável curto- de malha foi soldada à precedente, ou dois outros circuitos, para uso
circuito acústico. Não deu outra: e todas foram unidas com um geral (luzes, acessórios, ar
teve que refazer o início das cabo de cobre soldado, para condicionado, etc), de um quadro
paredes no ponto em questão, assegurar o contato elétrico da da instalação da casa. Foi
derrubando, previamente, parte do malha toda. A malha recobre todo solicitada – e obtida – da
já construído. Ainda bem que León o piso e a laje da sala, e também Eletropaulo, uma entrada de 75
termina sempre encontrando do laboratório, assim como todas Kw. Isto permite cabeação de
soluções para tudo. Em as paredes e foi fixada à parte suficiente diâmetro para manter
contrapartida, ele se dá, às vezes, interna da parede externa (Ver muito baixa a impedância de
ao prazer de nos mostrar que figura 10). Sobre ela foi colocada toda a rede. Também exigiu um
algumas das soluções a manta de lã de vidro, da poste de entrada de concreto de
acusticamente corretas que lhe maneira a ficar protegida de água consideráveis dimensões.
pedimos, são realmente impossíveis ou resíduos de cimento e de Na figura 13 vemos a
ou, então, que existem outras de manter sua forma original, sem colocação da manta de isolante
menor custo. compressões nem pregas. Não há sobre a malha, entre as duas
O passo seguinte foi o nenhuma parte da blindagem que paredes.
planejamento da colocação da permita emissões de
malha de ferro que blindaria a radiofreqüência adentrarem o
sala – e, também, o laboratório – ambiente. As portas de entrada da
como uma gaiola de Faraday. Optei sala e do laboratório foram
por uma malha de arame contempladas na blindagem, e
galvanizado soldado ponto a ponto, serão encapadas em ferro
com abertura entre fios de 10 mm, galvanizado ligado eletricamente ao
um pouco mais do que seria resto da malha. Neste ponto, as
aconselhável para as freqüências orientações do Eng. Framklim
atuais dos sinais de rádio de (Figura 11), que fez o
comunicações. Novamente, o fato assessoramento do esquema Figura 13
da localização da casa, longe da elétrico, foram muito proveitosas.
Framklim tem uma grande Posteriormente, daremos mais
experiência em instalações de detalhes destas estruturas, que
potência para sonorizações e um ainda poderão sofrer
profundo conhecimento do tema modificações, para angústia de
aterramento. Desta vez foi o León (que não me escute...).
eletricista João Cardoso (Figura 12) Entre outras coisas, ainda estão
que teve que sair correndo para pendentes decisões importantes
re-inventar algumas soluções sobre o difícil tema do ar
elétricas ou de aterramento. Talvez condicionado e sobre os pisos
eu consiga obter dele alguns suspensos para falantes e
Figura 12. João Cardoso artigos para a revista. equipamentos.

42 janeiro-fevereiro/2004
Acústica – Construindo uma Sala de Audição

“Brincando nos campos do Senhor...”


Construindo uma sala de audição dedicada
com alguns compromissos inevitáveis
Parte III
Víctor A. Mirol

O ambiente acústico onde participam no processo que o mesma estrutura edilícia, e


ouvimos música é um dos resultado final somente pode ser ambas as situações requerem
elementos mais importantes para julgado – tal como no caso dos diferentes enfoques. É aceito
obter uma reprodução musical equipamentos eletrônicos – na que, para situações com os
plena, seja durante um concerto audição final. E o que procuramos, máximos requerimentos de
ou durante a audição de alguma como já adivinharam, chama-se silêncio (salas de gravação, por
mídia eletrônica (LPs, CDs, fitas musicalidade. Que, para complicar exemplo), o ideal é a
analógicas ou digitais, SACD, DVD-A, ainda mais, pode implicar em construção de uma “sala dentro
etc) numa sala, seja esta um inevitáveis diferenças entre diversos de uma sala”, o que implica
ambiente da casa ou um ambiente ouvintes, dependendo de seu em paredes e teto duplos, piso
dedicado exclusivamente a esse específico gosto musical, seu grau flutuante, etc. E, naturalmente,
uso. Outros dois elementos de de exposição a diferentes tipos de portas que imponham o mesmo
suma importância para uma bela música e sua sensibilidade pessoal isolamento acústico que as
reprodução musical são, sabemos, a aos efeitos da sonoridade em si. paredes às quais servem. Muitos
instalação elétrica (com os Feitos esses comentários gerais, “curto-circuitos” acústicos podem
aterramentos e as blindagens) e o diremos que também na acústica existir através de elementos
próprio equipamento reprodutor, existem alguns conceitos facilmente dispensáveis, como
aqui inclusos temas como a claramente conhecidos, alguns frestas de portas, tubulações
correta compatibilização dos facilmente mensuráveis ou de (elétricas ou, mais
componentes, a correta distribuição cálculo prévio plenamente factível freqüentemente, de ar
das caixas acústicas, etc. e cujos resultados são condicionado), janelas, etc.
Voltando a focar o tema razoavelmente correlatos com essas Também não podemos deixar
‘acústica’ (ambiente de audição) e medições ou cálculos. Uma re- de lado cuidados especiais com
descartando salas de concertos a leitura de Leo Beranek é, nestes geradores de ruído internos (ar
fim de limitarmo-nos a salas de casos, muito refrescante, seja sua condicionado, ventoinhas,
audição eletrônica, temos que “Acústica”, seja o seu “As salas de vibrações mecânicas de
reconhecer que é este um dos concerto: como são e como soam”. superfícies planas, etc) que
itens mais caros de implementar se Alguns conceitos a serem anulariam os cuidados tomados
quisermos qualidade comparável à aplicados a uma sala de audição com o bloqueio dos ruídos
dos componentes com que são conhecidos. externos.
formamos nosso equipamento Dependendo do sistema e • Isolamento de emissões de
eletrônico. E, como também projeto construtivo, teremos: radiofreqüência, como rádios
acontece com aqueles, os temas • Requerimento do mais absoluto (comerciais, militares e policiais),
‘sala de audição’ e ‘acústica’ estão silêncio possível, o que supõe celulares, radares e todo tipo
rodeados por inúmeros conceitos, o melhor isolamento do exterior de emissões eletromagnéticas
alguns dos quais estão certos, (trânsito e aviões são fontes (EMI), especialmente as
outros errados, e, por último, outros comuns) e, também, de ruídos provindas de antenas próximas,
estão submersos numa nuvem de gerados no interior da sala, de altas potência e freqüência.
incerteza. como ar condicionado, por Tais antenas são cada vez mais
Por quê? Pelo simples motivo exemplo. Estes ruídos podem comuns e a proximidade delas
de que tantos são os fatores que ser transmitidos pelo ar ou pela implica em condições especiais

34 março/2004
para a construção de salas de
audição (além do caso das
conhecidas antenas de rádio e
TV, temos hoje as antenas de
telefone celular que estão por
toda parte). Para isto usam-se,
basicamente, blindagens
eletromagnéticas (gaiolas de
Faraday) e aterramentos
corretamente projetados. A
instalação elétrica e os
aterramentos são fatores que
devem ser previstos durante o
projeto da sala para evitar
problemas que, depois de
terminada a alvenaria, são de
difícil solução.
• Tamanho da sala compatível
com o uso pretendido. Em
geral, podemos dizer que a
partir dos 300 metros cúbicos
temos uma sala “grande”. Nesta,
há um predomínio claro da
audição de ondas sonoras
emitidas pelos alto-falantes em
forma direta quando comparado
com as ondas refletidas em
forma direta (primeiras
reflexões). O resto da
Foto 1
sonoridade ouvida consiste em
reflexões mais remotas e do comprimento de onda e posteriormente na sala. O
demoradas em tempo (tudo seus múltiplos (harmônicos). Se problema é que existem
aquém de 35 ms é considerado desenvolvermos um gráfico diversas formas e teorias
parte do mesmo som), mostrando a ocorrência das três (baseadas nas relações
formando um magma sonoro freqüências fundamentais (a das matemáticas mencionadas) que
chamado genericamente de produzidas pelas superfícies não são completamente
‘reverberação’ (a soma de todos limitantes da altura, largura e coincidentes. Uma delas é a
os sons refletidos que chegam comprimento da sala) e seus famosa golden ratio. Há outras
ao ouvinte). harmônicos, veríamos que, que têm gozado de preferência
• Dimensões da sala que dependendo das relações em diversas épocas nos últimos
“afugentem” a ocorrência de matemáticas entre as dimensões 60 ou 70 anos. Nenhuma delas
pontos do espectro tonal onde mencionadas, encontraríamos é perfeita. Os computadores,
determinadas freqüências superposição dessas freqüências pela sua velocidade de cálculo,
persistem mais tempo quando ressonantes (elas se somam ou ajudam algo na determinação
seu comprimento de onda se se agrupam em regiões tonais da linearidade da curva de
relaciona com algumas das vizinhas). Teríamos como resposta de uma sala, ou
dimensões da sala. Essas resultado “nodos” sonoros em melhor, do seu caráter “nodal”.
freqüências estão determinadas determinadas freqüências que Porém, essa é somente mais
pelo comprimento, largura e são capazes de impor cor à uma aproximação ao enfoque
altura, já que entre paredes ou música que ouvimos e que do problema.
superfícies paralelas cria-se um podem ser difíceis de anular ou Dependentes das soluções a
modo ressonante numa diminuir com elementos serem estudadas após a construção,
freqüência correspondente a ¼ acústicos colocados estão:

março/2004 35
capacidade de isolamento
acústico similar à parede. Um
item esquecido pode ser a
existência de janelas (que, em
tese e “in extremis”, não
deveriam existir) que deverão
contemplar vidros duplos de
diferentes espessuras separados
por ar e tampas isolantes que
possam ser aplicadas firmemente
no caso de se necessitar o
máximo isolamento sonoro
(audições críticas e outros casos)
• O projeto e construção do piso.
Para máximo isolamento de
ruídos gerados externamente
(especialmente os transmitidos
por estrutura sólida, como o
caso de ruído de trânsito e
outras vibrações) pode ser
Esta foto (22-11-2003) mostra-nos o início da parede interna, já sobre a sua viga de
usado um piso flutuante. Se
baldrame, e, separada, a viga de baldrame da parede externa, no ponto em que se
abre em semicírculo. Em todo o perímetro onde as paredes correm paralelas não existe não for o caso, deve se ter
outro ponto de contato entre elas, a não ser a terra existente entre as vigas de cuidado – se for de madeira –
baldrame.
com vibrações e – se for de
• O condicionamento acústico por • A finalização do projeto e cerâmica – com a qualidade
meio da disposição relativa dos construção da porta (ou portas, refletiva sonora que possa ter.
alto-falantes e do estudo e em especial se existe dupla Esse esclarecimento prévio se
colocação de acessórios a serem parede) que deverá manter uma faz necessário para leitores que,
instalados dentro da sala. Desde
que o som possa sofrer
alterações ao interagir (incide
sobre) com esses elementos, e
desde que estas alterações sejam,
basicamente, de reflexão, refração,
absorção e transmissão,
conseguiremos mudar a
qualidade de som que chega
aos nossos ouvidos por meio de
elementos que tenham em conta
esses comportamentos. Usaremos,
então, painéis absorvedores
(alguns sintonizados, para
freqüências médias e altas),
conjuntos refratores (ou
dispersores) e “armadilhas” de
freqüências (bass traps), em
especial em freqüências baixas.
• A finalização dos aterramentos
e da distribuição dos circuitos
Adivinhem (02-12-2003)! Giner descobriu que colocar duas caixinhas de terminais
elétricos. elétricos frente a frente criava um curto-circuito sonoro entre a sala e o laboratório.
• A instalação do sistema de Lá vai João para concertar e recolocar as caixas, afastando-as uma da outra...Vemos a
condicionamento de ar e malha metálica que irá soldada nela e o rolo de cabo de cobre para uni-la e manter
uma estreita ligação elétrica de baixa impedância que garantam um eqüipotencial em
controle de umidade.
toda a sua extensão.

36 março/2004
por terem perdido os
números anteriores da
Revista Áudio & Vídeo,
não acompanharam os
artigos precedentes sobre
a construção que estou
realizando em casa. Trata-
se de uma sala de som
dedicada que, com
algumas limitações para
Carlos Mazzeo, Diretor da
“Equipe-C”, o mágico do manter uma relação custo-
corte de concreto e das benefício dentro do meu
estruturas metálicas. orçamento, sirva para
estabelecer uma referência
de padrões acústicos para alguns dos testes auditivos
que a revista realiza mensalmente.
O Mundo Maravilhoso
Estamos, agora, descrevendo os passos construtivos, do Entretenimento
sem entrar em detalhes técnicos muito profundos.

Orlando
Estes serão dados uma vez que a sala esteja

Anúncio
terminada, e irão acompanhadas pelas medições que A loja de áudio e vídeo em
realizaremos na ocasião. Santos especializada em
A oportunidade deixa espaço amplo para outra
tarefa há tempo prometida aos nossos leitores: um Home Theather e High End.
laboratório de áudio com o qual pretendemos iniciar
a publicação de resultados de medições realizadas
nos componentes sob teste. Consideramos tais As melhores marcas e os
medidas um complemento – e não a base – de
qualquer teste de áudio. Esperamos poder encontrar,
melhores preços.
no futuro, semelhanças entre alguns testes-padrão
utilizados normalmente e os resultados obtidos
auditivamente. Sabemos que também encontraremos • Marantz
muitas discrepâncias, já que não somos os primeiros
em fazer essas comparações no mundo.
• Sony
Por último, esperamos poder mostrar aos leitores • Pioneer
um resumo das dificuldades construtivas e de projeto
e os resultados que podem ser esperados do correto
• Yamaha
condicionamento do ambiente de escuta e, além • Velodyne
disso, possivelmente oferecer um guia para o ouvinte
menos pretensioso poder realizar algumas
• Panamax
modificações na sua própria casa, sem ter que • Mirage
construir uma sala dedicada. Esse foi o meu caso até
agora e deve, seguramente, ser o caso da imensa • Paradigm
maioria dos leitores.
Mostraremos a seguir algumas figuras que
completam os artigos aparecidos em números anteriores,
começando com uma planta para ilustrar algumas das
considerações e comentários que serão realizados.
A sala é de forma trapezoidal, com 5.50 m x 6,60
m x 7,40m (Foto 1), com pé direito de 4m e está
dentro de outra estrutura que inclui dependências
para um laboratório de áudio. A estrutura semicircular
Áudio/Vídeo e Discos
que vemos é a área de entrada à sala de áudio, e (+13) 3284 8625
também a discoteca. R. Bahia, 190 -
Baixos Santos - SP
março/2004 37
E a construção prossegue...
Estamos completando os quatro
metros de altura de todas as
paredes. Isto é, da parede externa,
onde temos blocos de cimento
oco, recheados com concreto de
20 cm até 1,7m. A partir daí, até
os quatro metros, a construção é
de tijolo aparente de 22cm. A
parede interna é de tijolo aparente
de 22 cm.
A tarefa é difícil porque
pretendemos lograr todos os
objetivos com a maior perfeição
possível. Lembramos que em
números anteriores detalhamos
esses objetivos, dentre os quais
destacamos dois agora: isolamento
acústico entre paredes e
isolamento eletromagnético por
(10-12-2003) Vemos João acertando a conexão da malha por
médio da gaiola de Faraday, tanto trás dos canos que levam os circuitos elétricos à frente da
para a sala de áudio como para sala, por dentro da parede interna. A malha está fixada na
parede externa, que vemos em cor mais clara.
o laboratório.

Todos os encanamentos dos


circuitos elétricos estão já
embutidos nas paredes da sala e
do laboratório, assim como os
encanamentos para as caixas
laterais de altura. Os canos que
chagam à parte anterior da sala
são de ¾ e 1½ polegadas,
suficientes para cabos do calibre
necessário para os circuitos de
força de áudio, de força para
acessórios, de aterramento e outros
que forem necessários mais
adiante.
Os circuitos que alimentarão os
equipamentos de áudio e o
laboratório são dedicados, tomados
diretamente da caixa de entrada
Uma imagem (5/12/03) que dá uma idéia geral da estrutura, ainda com muito a fazer,
tomada do alto da casa. As lonas de plástico estão colocadas para evitar que entre de força. O aterramento dos
água entre as paredes e que esta possa impregnar as mantas de fibra isolante. Ao componentes e/ou da gaiola são,
fundo vemos o “caixão” de terra para jardim e o teto da extensão do laboratório,
cuja parte principal vemos à direita. A parede em tijolo aparente é a parede interna, naturalmente, separados do
e a de cor clara, a parede externa.

38 março/2004
Leon: Do planejamento... (07-9-2993)
Maestro
Anúncio

(08-11-2003) ...à perfeita arte do arquiteto na geometria da


construção. Vemos, no contra-piso, o exato cruzamento das
diagonais com a linha média da sala trapezoidal. Na realidade,
León não precisava disso. Fez somente para me mostrar... que
não devia fazer por mim mesmo e nem sequer duvidar ou
perguntar se o enquadramento estava verificado. León tem
razão... mas eu sou teimoso.

aterramento do neutro na entrada de força da


casa. Para tal fim, os canos que chegam
(conduletes de ferro) da caixa de entrada à sala
de áudio/laboratório estão interrompidos antes de
chegar nela (somente os cabos continuam, em
conduletes não-conductores) para manter os
ateramentos separados com o da entrada. Por sua
vez, a gaiola, que consta de camadas parcialmente
superpostas de malha de ferro galvanizado que
envolvem toda a construção – incluindo paredes,
teto e chão – estão soldadas capa por capa e
unidas mecanicamente com fio de cobre de 2mm,
camada a camada.
Na próxima edição, veremos detalhadamente
como foi realizada a gaiola de Faraday junto com
a laje, os problemas e soluções que surgiram.
Até o mês que vem.
Acústica – Construindo uma Sala de Audição

“Brincando nos campos do Senhor...”


Construindo uma sala de audição dedicada
com alguns compromissos inevitáveis
Parte IV
Víctor A. Mirol

Em fins de janeiro de 2004 colocada acima dela, preparando-a fio assegura a continuidade elétrica
estávamos colocando a laje, de para receber o piso de pedra de do conjunto e um ponto dele
dimensões relativamente grandes ardósia que será a etapa final. dará origem à conexão à terra.
(10,8 m por 7,5 m), já que ela Toda a tubulação elétrica de ferro São usados um soldador de
engloba a sala de áudio com a galvanizado foi instalada no chama e outro elétrico, para
sua dupla parede e o laboratório. processo junto com as caixas de assegurar a temperatura correta dos
Essa laje está montada sobre vigas luzes de teto, de maneira a ficar distintos tipos e diâmetros de
pré-tensadas de 16 cm de altura, embutida na estrutura da laje. metais. Onde a malha corre no
com tijolos ocos entre elas, de Especial atenção foi dada à espaço entre as paredes laterais
medida e forma específicas e, em colocação da malha de blindagem. (as quatro paredes), está coberta
sentido transversal às vigas pré- Esta, como comentamos pela lã de rocha que separa as
moldadas, duas canaletas permitem anteriormente, está constituída por paredes duplas.
a formação de vigas de 22 cm por um entrelaçado de aço galvanizado Nos pontos em que a malha
25 cm, em cujo interior correm soldado, de 0,9 mm de diâmetro, esgarçou, ou em pontos de
dois ferros de 12,5 mm e malha formando quadrados de 10 mm passagem de canos de água ou
de 6 mm. Sobre essa estrutura foi por lado. Ela está sendo colocada outros orifícios, colocou-se malha
instalada uma malha metálica de de forma a cobrir as quatro adicional soldada (por baixo do
6 mm como base da capa de paredes, além do contra-piso e da tubo, quando de plástico).
compressão. A espessura total será laje. Por motivos de distribuição Uma vez finalizada essa
de 27 cm. Sobre ela irá um piso dos espaços, essa malha cobre instalação, temos certeza de que
de cerâmica de 5 cm. As áreas também, o laboratório adjacente de não sobrou nenhum espaço maior
finais do projeto são: 52 m2 para áudio. Para assegurar a do que 1 cm² (área dos
a sala de áudio, 34 m² para o eqüipotencialidade de toda ela, a quadrados originais da malha) por
laboratório, 10 m² para o hall de cada 1 metro (largura do rolo em onde possam filtrar ondas
entrada, incluindo o espaço entre que vem acondicionada) superpõe- eletromagnéticas. Particular atenção
paredes interna e externa e a se uma faixa de 5 centímetros no foi dada a lugares como o
própria parede externa, totalizando metro seguinte, soldando o local encontro da laje com as paredes,
96 m², dos quais 90 m² são de tal superposição com um fio por exemplo. A malha que cobre
cobertos pela laje. de cobre. Sobre este é aplicada uma das paredes duplas foi
Finalmente, em 24 de janeiro, solda de estanho que engloba o refletida sobre o fim da parede, no
três caminhões da Engemix fio e os arames da malha. alto. Sobre ela colocou-se e
instalaram uma bomba para levar Ademais, fio de cobre nu adicional cimentou-se a laje. Posteriormente,
o concreto até o fundo da casa e de 6 mm é colocado em cada face a malha foi dobrada de maneira a
a laje terminou sendo preenchida (paredes, contra-piso e laje acompanhar o perfil externo da
com 14 m³ de concreto tipo 20. superior) na linha central. Dessa laje para ser, finalmente dobrada
Agora, João completara a reflexão maneira, ficam formados dois anéis novamente para ficar sobre a laje
da malha de Faraday nos extremos desse fio que se unem no meio terminada. Após ser completada a
da laje para estendê-la sobre a do contra-piso e da laje superior cobertura superior da laje e todas
superfície da laje recém terminada. (como se fosse um fio de as soldaduras e cabos de cobre
Após as soldas correspondentes, embrulhar um pacote de formato instalados, o contra-piso foi
uma nova capa de concreto será cubóide... Sem laço, é claro...). Esse colocado sobre ela.

34 abril/2004
(23-01-2004) Antes de concretar a laje superior, todos os (23-01-2004) ...antes de concretar a laje. Vemos a malha que,
conduítes são colocados nos seus lugares... vindo da face interna da parede externa, é refletida sobre a
borda externa da laje para cobrir a parte superior da mesma
posteriormente ao concretado.

(23-01-2004) Finalizando o preparo da laje... (24-01-2004)...que, finalmente, é coberta por concreto. Observem
a malha em todo o contorno que sobe dentro do espaço da
parede dupla. Aqui vemos a malha rebatida para o exterior.

(06-02-200) Uma vez rebatida por fora do contorno da laje (09-02-2004) ...e é estendida por cima. Observe as faixas (o rolo
recém cimentada, a malha passa sob os tijolos que formam a de malha vem com um metro de largura). Elas são unidas com
borda do terraço superior... fio de cobre nu e soldadas, procedimento realizado ...

(09-02-2004) ...com muito cuidado e pessoalmente por João. Uma vez superpostas as malhas, um fio de cobre nu de 2 mm
é usado para mantê-las unidas mecanicamente com firmeza, 35
abril/2004
após o qual...
...a solda, cuidadosamente realizada, completa a união eléctrica. ...sendo que situações especiais requerem soluções também
especiais...

Um capítulo à parte é o tema pelo menos, 50 dB cada uma. cálculos com Carlos Giner e
das portas de entrada ao conjunto Para tal, sua estrutura deve ser buscando soluções apropriadas,
e à sala de áudio. Por causa da muito sólida e oferecer a podemos já prever que serão
necessidade de permitir a entrada possibilidade de um fechamento grossas, com várias capas de
de componentes de grandes perfeito, tanto entre elas e os elementos absorvedores e bastante
dimensões (caixas acústicas, por marcos das portas como entre as pesadas. Ainda deverão ser
exemplo), elas devem ser grandes. folhas (por causa do tamanho – cobertas por uma camada de
Ao mesmo tempo, elas devem 1,2 m de largura e 2,6 mm de metal ferromagnético que dê
oferecer uma atenuação similar altura – devem ser duplas). continuidade à proteção da gaiola,
àquela das paredes, estimadas em, Embora estejamos ainda fazendo da qual devem ser uma extensão.

(20-02-2004) Vemos a entrada, com o laboratório saindo à (20-02-2004) A porta externa (e também a interna) requerem
direita e a antecâmara com a discoteca à esquerda. um batente de forma e solidez especial, devido ao peso e aos
requerimentos de solidez. Este batente está sendo construído na
própria obra...

(21-02-2004)...para finalmente ser instalado em seu lugar. (23-02-2004). A malha está sendo rebitada no marco metálico
36 abril/2004 da porta que, por sua vez, terá uma cobertura metálica. Dessa
forma, existe continuidade da gaiola mesmo sobre as portas.
muito pouca vibração que possa das caixas, absorvedores de graves,
ser transmitida pela estrutura. E eu refratores, difusores, etc). Já o
gostaria de isolar todo o conjunto acoplamento mecânico deve ser
de equipamentos de áudio para resolvido agora, na fase de
esse mesmo tipo de vibrações. construção.
Como, no fundo, os dois queremos Temos um orçamento de uma
a mesma coisa, cada um de nós a empresa muito antiga e sólida que
partir de uma ponta do problema, se dedica a tratamentos de isolação
estamos pensando em colocar, de vibrações, a GERB
GERB, cujo
tanto as caixas quanto o conjunto representante, o Eng. André (que
dos componentes de áudio, sobre nos brindou excelente atendimento,
(20-02-2004) Da mesma forma que nas
portas, as duas janelas de iluminação da respectivos pisos flutuantes. já que está muito familiarizado com
discoteca e antecâmara mantêm a malha Sei que a área que vai desde estúdios de gravação e com
afixada a um marco metálico de fixação. algo à frente da posição de audição música) passou-nos um orçamento
Sobre ele poderá ser colocado um elemento até a parede posterior será de para um pré-projeto que submeti a
adicional de isolamento acústico (ver texto).
madeira (um belo marfim claro que seu estudo. É um excelente sistema,
Uma coisa que posso sugerir a está sendo aclimatado na obra). Daí somente um pouco acima das
vocês com total convencimento é para frente, gostaria de fazer três possibilidades das minhas finanças a
não pensar em construir uma sala áreas diferentes: uma central posterior esta altura. Podemos calcular o
para áudio sem ter analisado todas para equipamentos e duas laterais sistema, sabendo que a freqüência
as soluções de antemão. A para as caixas frontais, que seriam de ressonância seria igual à raiz
complexidade e o custo das flutuantes. Isto é, um piso denso e quadrada da divisão de k (módulo
soluções que devem ser encontradas pesado apoiado em molas ou outro de elasticidade da mola, em N/m,
a cada passo, quando não antevistas material elástico, combinando uma ou número de Newton necessários
no tempo de projeto, são de inertância e elastância que ressoem para comprimir a mola um metro)
assustar. E toda mudança de rumo em freqüência baixa, digamos 4 Hz, pela massa (ou, melhor, peso ao
no meio do processo é muito formando, desta forma, um filtro nível do mar) do elemento de
onerosa, em tempo e em dinheiro. passa-altos. inércia (uma laje, por exemplo),
Alguns problemas ainda O conceito atrás disto é o de divido por 2π. Podemos fazer a laje
aguardam solução desacoplar mecanicamente as caixas suspensa do peso desejado, mas é
Um deles é o ar condicionado, dos equipamentos, o máximo difícil obter a mola que, com as
pois ainda estou esperando possível. Estes, então, estariam dimensões adequadas, tenha a
algumas propostas de solução. relacionados entre si unicamente elasticidade requerida para a
Outro problema a ser resolvido é através do ar, acusticamente (o qual freqüência desejada. Por outra parte,
a necessidade de bloquear é inevitável pois, sem ar vibrando, o resto do esquema, o sistema para
totalmente a entrada para qualquer não temos som. A única outra instalar a mola após cimentar a laje
acumulação de água na entrada. alternativa seria a de ter os e poder colocá-la (pré-tensada)
Não posso esquecer que estou a equipamentos em sala separada). depois, não é impossível de ser
mais de 4 m abaixo do nível da Sabemos que praticamente todos os realizado. O componente que a
rua. Para isso, León esta ‘bolando’ componentes de um sistema de GERB vende já pronto é muito bem
um sistema de extração de água áudio são passíveis de imprimir terminado e... estou pensando.
com uma bomba automática distorções ao sinal de áudio Seguimos em breve. Por hoje,
submersa na entrada e, também, quando submetidos a vibrações. estou do mesmo jeito que Adão, a
com uma muito mais tradicional Destas, as piores são aquelas quem vemos na foto.
solução em forma de comportas resultantes de ressonâncias
aplicáveis sobre os marcos das mecânicas, tanto pior se formarem
portas garantindo um sistema um laço de realimentação positiva.
hermético até 1,2 m de altura sobre Esta pode ter origem nas partes
o piso. sólidas dos componentes e
Ainda ficam soluções pendentes acessórios (suportes, chassis,
para o aterramento, para o qual válvulas, capacitores, caixas, etc) e
espero ainda algumas alternativas. também no ambiente acústico da
Estamos agora abocados a sala (especialmente em baixas
encontrar uma solução para o freqüências, embora possa acontecer
piso da sala. O problema é que também em freqüências mais altas).
Giner gostaria de situar as caixas Das ressonâncias acústicas nos
Adão depois de ouvir León (ou
principais muito isoladas ocuparemos com Giner através do fui eu?) falar algumas
mecanicamente do chão para gerar condicionamento interno (disposição abobrinhas...

Boas audições!
38 abril/2004
Acústica – Construindo uma Sala de Audição

“Brincando nos campos do Senhor...”


Construindo uma sala de audição dedicada
com alguns compromissos inevitáveis
Parte V
Víctor A. Mirol

Peço desculpa pela ausência do concessionária...). Bem, a garantia é caso de viajarem para o México.
mês passado. Acontece que viajei de 50.000 Km ou dois anos de Se decidirem dar uma passadinha
para o exterior e, ao retornar, uso. Por tanto, fiquem sabendo: um por lá ou esticar até Cuba,
andei muito ocupado com carro da General Motors (do Brasil) naturalmente encontrariam muitos
problemas práticos a resolver na pode quebrar o chassis com 50.001 livros, discos e outras obras de
construção da casa e, também, Km ou 24 messes e um dia que arte que gostariam de trazer. Afinal,
com outro que eu chamaria não passará de um simples viajamos para isso, não?
de...”multinacional-tupiniquim”. incidente corriqueiro, normal e Pois bem... Não!
Imaginem que, possuidor de previsível sem que a GM sinta que Se não leram a letra pequenina
uma Blazer – veículo fabricado pela algo anômalo aconteceu. Ah!, do contrato ficarão sabendo, na
General Motors do Brasil (será que procure descobrir a ruptura hora de embarcar, que uma
o “do Brasil” é o que faz a verificando todos os dias antes de passagem turística ao México só dá
diferença?) com 85.000 Km sair a andar porque se a direito a 20 Kg de bagagem. E, mais,
percorridos – ou seja, muito pouco descoberta acontecer a 120 Km/h, que cada quilo adicional será
para o tipo de carro, vendido com o problema ficará para sua família. taxado a US$ 24 – mais taxas (isto
imagem de carro forte, valente, (Um dia lembrarei para vocês a não está em letras miúdas)! Se você
construído com “alta tecnologia”, interessante história da GM e do faz um cálculo elementar, vale mais
controle de qualidade, difícil de advogado americano Ralph Nader a pena tirar passagem para o
quebrar, mesmo na quebradeira que escreveu o seu oportuno sobrepeso como se fosse um
generalizada das ruas da nossa São “Unsafe at Any Speed” – Inseguro a passageiro e colocá-lo na poltrona
Paulo... – fui informado por meu Qualquer Velocidade – em 1965. O ao lado, já que uma pessoa não
mecânico, ao verificar a causa de endereço http://www.fact-index.com/ custa esse dinheiro por quilo!
um barulho que eu estava sentindo u/un/unsafe_at_any_speed.html ou Temos que admitir que a Varig foi
há alguns dias, que ambas as uma simples busca no Google com hábil em encontrar uma ótima fonte
longarinas do chassis estavam o título do livro é muito ilustrativo). de renda adicional oriunda de
rachadas e a ponto de quebrar. Após observação, averiguação, passageiros incautos. Quando exigi
Muito surpreso, levei o carro a uma laudos, opiniões e algumas histórias, uma explicação, o funcionário – da
autorizada GM, onde me disseram fiquei sabendo que há uma peça empresa Mexicana de aviação –
que o conserto (troca de chassis) que une ambas as longarinas (e disse-me que o problema era aqui,
custaria...R$17.000,00!. Bom, o carro, que evitaria a fadiga do material no Brasil, onde a Varig havia
modelo 98, custa uns, digamos, por torsão das longarinas) que não reduzido custos com essa medida. A
R$26.000,00. Ou seja, perda total. é instalada neste modelo, porém sim partir de então, todas as outras
Naturalmente – pensei – ruptura nas viaturas da polícia, o que estou companhias são obrigadas a seguir
de chassis em um carro destes é ainda a verificar. Imaginem o tempo o mesmo procedimento para
inconcebível e a General Motors tomado, entre verificações, orçamento, protegê-la comercialmente. “Por
resolveria o problema e, ainda pediria telefonemas, e-mails de ida e volta exemplo” – disse – “esse passageiro
para não divulgar o acontecido. (muiiiitos dias depois, naturalmente), aí ao lado vai a Lima (dois terços
Sonhador que sou! documentação fotográfica, laudos da distância a São Paulo) e tem
Disseram-me que “está fora da técnicos e, após a negativa da GM, direito a dois volumes de 32 kg...”.
garantia, nada a ser feito, não é preparação da ação judicial, etc.! Isso foi o que me disseram.
problema da GM” (eu tinha enviado Mas estamos de volta. Será verdade?
um e-mail acompanhado pelas fotos De passagem, uma informação Chi lo sá! Depois do meu
do estrago e o orçamento da para vocês, que poderá servir em chassis GM de “alta tecnologia”

32 junho/2004
quebrado “normalmente” nada me sobre quatro molas e flutuando a especialmente benéfico para pick-
impressiona. 20 mm do chão. Quando em fase ups e CD players, mas também
Conclusão: voltei ao corredor de pesquisa sobre como fazer o para prés e praticamente qualquer
principal do aeroporto do México e sistema, consultei, por sugestão de outro componente. O único
desfiz-me de toda a roupa, dando-a Carlos Giner, a GERB Controle de caminho não isolado seria, então, o
para o pessoal que faz a limpeza. Vibrações e Acústica na pessoa do acústico, ou seja, o próprio som,
Salvei os discos, os livros e as amável engenheiro André Schevciw. que, por isso mesmo, não pode
esculturas e, ainda assim, por não Este, após visita, sugeriu um sistema ser eliminado.
ter conseguido cair para os 20 kg usando molas e dispositivos Giner está gostando da idéia de
exigidos, paguei US$ 250 pelo padronizados pelo própria GERB, fazer a mesma coisa com os
sobrepeso! Se eu fosse “sobrepeso”, que se especializa em sistemas de falantes para evitar que suas
pagaria uma passagem, volta amortecimento de vibrações. Eles vibrações mecânicas se propagem
somente, de México a São Paulo, consistem em diversos tipos de pelo chão até as estruturas
uns US$ 2.500! Por isso, aviso: molas pré-configuradas, de diferente vizinhas, produzindo irregularidades
cuidado com as fotos, cada rolo de elasticidade para abranger diferentes de resposta e intermodulação.
filme pesa alguns gramas. Não tire situações. Elas são vendidas em Estamos pensando em suspendê-las
muitas fotos! E volte de mãos conjunto com outros dispositivos também. Ainda temos muito que
vazias, pois cabe à você pagar a que completam o sistema, conversar. Veremos o que fazer.
passagem, já o benefício tem que permitindo fazer com que as molas No final desta série de artigos,
ser unicamente para a Varig! fiquem por dentro da laje a ser daremos a vocês especificações de
Sigamos, então, com a construção suspensa, diminuindo, assim, a altura toda a sala e, também, algumas
da sala de áudio-laboratório. total laje-molas. Basicamente, consiste fórmulas para que vocês mesmos
A estrutura básica está quase em um cilindro com saliências para façam seus cálculos. Por enquanto,
completa. Estamos agora terminando fixar na estrutura da laje, por dentro simplesmente diremos que a
a instalação elétrica (Ver figuras 1a do qual são colocados a mola e freqüência de ressonância de uma
e 1b). Um dos pontos importantes é seus suportes. Este processo é massa suspensa por uma mola (em
o aterramento. Colocamos cinco realizado após a laje estar seca, radianos por segundo, ou “ω”) é
hastes de cobre maciço no jardim utilizando-se macacos especiais que igual à raiz quadrada da constante
que está entre a casa e a sala de a suspendem. Após esta operação, da mola dividida pelo peso da
som, cada uma com sua caixa de as molas são introduzidas nos massa suspensa (ω = raiz
inspeção e sua conexão que será cilindros e completadas com (constante da mola / massa). A
soldada a quente. Entre as caixas suportes de distinta grossura até constante de elasticidade da mola é
de inspeção há conduítes que chegar à altura desejada de o quanto ela é comprimida (em
levarão o cabo entre elas e até o flutuação. Nesse momento, as molas unidades de longitude, m ou cm)
interior do laboratório, onde são fixadas – por encaixe – na quando a ela é aplicada uma força
deixamos uma caixa somente para parte superior dos cilindros e a laje (Newton ou Kg força). Se f = ω/2π,
elas. Dessa maneira, poderemos fica, assim, suspensa. O cálculo da teremos que f = raiz (N/m/Kg) / 2π.
conectar uma, várias, todas ou freqüência de ressonância do Para trabalhar com constantes de
nenhuma ao equipamento. Da sistema formado é relativamente fácil, mola expressas em kg/m, deveremos
mesma forma, o aterramento padrão bastando para isso saber o peso a saber que um kg é igual a
da companhia de força (na entrada, ser suspenso e a elasticidade da 9.8066136 Newton e um metro igual
ligada ao neutro) chega também até mola a ser empregada. No meu a 100 cm. Se a laje em questão é
esta caixa, não para ser conectado, caso, optei por uma laje de 3 m2, apoiada em quatro molas, o peso
mas somente como referência. Como de 1 m x 3 m e 20 cm de espessura, da massa suspensa por cada mola
curiosidade, encontrei uma diferença o que dá um peso suspenso de a quarta parte do total, que é o
de 0,5 volt entre ambos os 1600 kg. Com as molas sugeridas valor a ser utilizado. Este
aterramentos. Ainda estou por por André, a freqüência de razoamento pode ser aplicado a
verificar se é diferença eletrolítica ressonância final fica em menos de qualquer sistema de pesos apoiados
entre a frente da casa e o fundo quatro c/s e a capacidade de em molas ou substâncias elásticas
ou se, no momento da medição, filtragem de vibrações verticais de (por exemplo, bases de granito
havia alguma perda por perto. 87% e horizontais de 82%. apoiadas em molas ou outros
Outra tarefa que ocupou vários O que estou procurando com elásticos). Podemos ver que a
dias foi a instalação do sistema de isso? Isolar os equipamentos o freqüência de ressonância será mais
amortecimento dos equipamentos de mais completamente possível do baixa quanto maior o peso ou
áudio. Este consiste numa laje de resto da estrutura edilícia, em maior a elasticidade e vice-versa.
aproximadamente 1600 Kg suspensa especial do chão. Isso é Vejamos, a seguir, algumas fotos:

34 junho/2004
Fig 01-a: Uma das varetas de Fig 01-b: ...e com a tampa colocada. Fig 02-A: O infalível marceneiro Marzinho
aterramento com sua caixa de inspeção Todas as varetas estão conectadas entre é o mágico do acabamento do
com conduítes de ligação com as outras... si e com uma caixa de conexões dentro laboratório...
do laboratório.

Fig 02-B: …que vemos aqui em etapas finais. Fig 03: Visão panorâmica da construção que engloba a sala de
áudio e o laboratório, cuja entrada vemos à direita, descendo.

Fig 04: Esta é uma vista superior do Fig 05: …e que vemos aqui em vista Fig 06: Vemos aqui a mola e alguns
elemento que será incluído na estrutura lateral. elementos acessórios...
da laje...

Fig 07-A: que,


depois de
construída a laje,
ficarão por dentro
como mostrado na
figura
(naturalmente, a
mola e seus
componentes estão
ali somente para
ilustração: na
montagem final
irão por dentro do componente fixo na laje). Quando a laje estiver
pronta e o concreto seco, a mola será introduzida por dentro do
cilindro e fixada à parte superior dele, após o que a laje será Fig 07-B: Imagem cedida por GERB. “H” é a altura da laje, 20
elevada com um macaco especial para fazê-la a flutuar a 20 mm
36 junho/2004 cm. “Air gap” é a separação entre a base da laje e o contra-
sobre o contra-piso apoiado sobre a mola. piso após colocada sobre as molas.
Fig 08: Depois de construída a estrutura metálica da laje Fig 09: monta-se, em madeira, a caixa que conterá a estrutura
(vemos aqui a Serginho verificando o conjunto)... e o concreto.

Fig 10: Após marcar no contra-piso, a localização e medidas Fig 11: …e sobre elas o plástico que evitará que a laje fique
exatas da laje, são colocadas as bases de chapa de ferro sobre aderida ao contra-piso.
as quais as molas serão apoiadas. São elas que suportarão os
1600 kg da laje...

Fig 12: A caixa é, então, colocada sobre o plástico... Fig 13: …e cuidadosamente fixada no lugar pré-estabelecido.
Após ter sido verificado o paralelismo com a parede do fundo e
a simetria com as paredes laterais.

junho/2004 37
Fig 14: Verifica-se o perfeito posicionamento e alinhamento dos Fig 15: …o seu paralelismo com a futura superfície da laje (ou
cilindros... seja, também, o seu perfeito alinhamento vertical para permitir
que a mola trabalhe alinhada com o cilindro e apóie no chão
em forma plana)...

Fig 16: …após o que o cilindro é fixado na sua posição, Fig 17: Finalmente o conjunto é preenchido com o concreto até
mantendo os fios de referência para evitar qualquer movimento nivelar a altura dos cilindros, em cujo topo coloca-se cortiça
durante o preenchimento da laje. para evitar que o cimento entre em seu interior e dificulte a
posterior colocação das molas e seus suportes.

Fig 19: Junto com Serginho, o artífice desta jornada foi


Aguinaldo, profissional extremamente preciso e dedicado, que é
Fig 18: No segundo dia após a colocação do concreto no molde
artista da régua e do compasso...
são retiradas as madeiras do molde. Vemos aqui o lado direito
da laje de 20 cm de altura, onde identificamos a parte superior
dos cilindros da GERB, dentro dos quais serão colocadas as molas Na próxima edição
e (olhando com atenção); à esquerda, encontra-se o orifício que
corresponde a um cano de aço galvanizado de uma polegada que continuaremos mostrando algumas
será embutido no concreto. Servirá para o caso de haver das soluções aplicadas no projeto.
necessidade de movimentar a laje antes de ser suspensa. Boas audições!

38 junho/2004
Acústica – Construindo uma Sala de Audição

“Brincando nos campos do Senhor...”


Construindo uma sala de audição dedicada
com alguns compromissos inevitáveis
Parte VI

Víctor A. Mirol

Como os leitores habituais tomados e, também, um relato do números e sensações auditivas.


sabem, esta série trata da resultado auditivo final. Lembramos aos ansiosos por
construção de uma sala de Longe de nossa intenção está números “confirmatórios” ou
audição otimizada para música sugerir que todo audiófilo deva “ansiolíticos” que a maioria dos
estéreo e também multicanal. Será almejar uma sala deste tipo e, testes existentes não foram
utilizada pela Revista como muito menos ainda, que sem ela pensados para análise “numérica”
referência para audições críticas, não possa ser desfrutada uma da qualidade musical dos
assim como para simples deleite prazerosa audição musical. equipamentos, mas para a
musical deste que vos escreve. Consideramos que o interesse para qualificação dos mesmos na área
Basicamente, ela tem forma a grande maioria dos leitores seja das comunicações, o que é um
trapezoidal, possui paredes duplas a discussão e aplicação prática de outro departamento.
de alvenaria, blindagem em forma vários conceitos fundamentais – A sala está com sua estrutura
de gaiola de Faraday, aterramento que não necessariamente devem básica completa. Isto é, paredes,
com múltiplas hastes de cobre ser levados ao extremo, teto, chão, laje flutuante e aberturas.
maciço, circuito elétrico dependendo do caso, do espaço e Estamos agora na fase de
independente, ar condicionado de do orçamento – no que tange à finalização das partes
muito baixo ruído, laje flutuante acústica e a alimentação elétrica e complementares, ou seja, ar
para o equipamento de áudio e blindagem de interferências condicionado, piso de madeira,
dependências para um laboratório eletromagnéticas. portas e detalhes da instalação
de áudio. Esperamos, também, completar o elétrica e aterramento, para passar,
Em números anteriores da espaço do laboratório com os imediatamente, à análise
Revista foi descrita a seqüência equipamentos de teste necessários instrumental e auditiva do
construtiva. para iniciar tão logo seja possível condicionamento acústico.
O objetivo descritivo desta série a publicação progressiva de testes A laje suspensa, como foi
será complementado no final com objetivos que alguns leitores mostrado na edição 91 de junho
uma discussão geral sobre os acham úteis. Embora entendamos de 2004, está completa e
critérios utilizáveis para construção que talvez eles não mudem esperando a colocação do contra-
– ou adaptação – de ambientes absolutamente nada o que “os piso e do piso de madeira, o que
para escuta musical. Por ser de ouvidos ouvem” – e que, será feito nas próximas duas
difícil projeto e realização – e naturalmente, é o que interessa semanas. Na Figura 1 vemos o
custo elevado, em especial para para um ouvinte –, concordamos início do contra-piso com as
mim – o interesse maior suponho em duas coisas: que algumas travessas para fixação da madeira
que deva ser o da discussão final medições podem ajudar a escolher do piso. A Figura 2 nos mostra
mencionada, já que nele serão combinações de componentes, e parte da laje suspensa assim como
revistos os elementos de que, com o tempo, algumas vagas também três tubos que irão sob o
compromisso que deverão ser correlações poderão ser feitas entre piso destinados aos cabos de

38 agosto/2004
falantes laterais e de altura. Por contam com três degraus nos do que propriamente para secá-la).
último, a Figura 3 mostra a laje quais serão colocadas fitas de Encontramos um método muito
suspensa já no lugar definitivo. material elastomérico que fará a prático, para o qual usamos o
O ar condicionado está em fase vedação final. Das duas folhas, a ponto mais interessante da casa,
final de projeto e será instalado da direita será fixada ao batente, localizada justamente acima da
nos próximos dois meses. nos extremos superior e inferior, sala de áudio: a churrasqueira.
Basicamente, consistirá em uma com fechaduras excêntricas que Usamos duas chapas que já
seção destinada à refrigeração do irão assegurar pressão e solidez tínhamos como excedente da obra
laboratório e outra, bem mais adequadas. A outra folha, a que (e que poderiam ter sido
elaborada, que se ocupará da sala será aberta habitualmente, terá três facilmente construídas com uma
de áudio. Neste último, estão sendo ou quatro fechaduras também chapa de ferro com bordas
muito considerados conceitos excêntricas, distribuídas de cima dobradas), que nos permitiram
relacionados a ruído, tanto o para baixo, que completarão o colocar a areia úmida nelas para,
gerado pelo compressor e a fechamento por pressão. depois de seca completamente
circulação de ar, como à Vemos, na Figura 5 o conjunto pelo calor das brasas, fazê-la
transmissão do ruído provindo do das estruturas internas das portas, deslizar para dentro de recipientes
exterior que possa entrar através colocadas nos batentes. Elas de lata. Depois de fria, a areia foi
dos sistemas de tubulação. O consistem em uma estrutura colocada em sacos plásticos
compressor estará situado bem periférica com um trabeculado duplos e fechados hermeticamente.
longe da sala, em outra estrutura interno propositalmente irregular, O procedimento pode ser visto
edilícia e o evaporador também feito para distribuir as freqüências nas figuras 7 e 8. Vemos as duas
fora dela. de vibração (e absorção). Sobre chapas sobre as brasas a uma
As portas apresentam o último um dos lados é colado um “MDF” distância (e temperatura) regulável
desafio estrutural porque uma de 25 mm. O espaço oco é e, também, no momento de fazer
realização descuidada poderia posteriormente preenchido com deslizar a areia seca e quente
estragar todo o esforço e os areia muito fina cuidadosamente para uma lata onde foi esfriada
cuidados tomados nas fases seca misturada com e talco antes de ser estocada. Observamos
anteriores da construção. Estamos industrial e ambos compactados. uma grande diminuição do
montando, agora, a porta externa, Cola-se, do lado oposto, um “MDF” volume ocupado pela areia
aquela que separa o exterior do de 19 mm que completa o quando seca, talvez da ordem dos
ambiente intermediário do sanduíche. Veremos, agora, como 35 %. Esta diminuição volumétrica
laboratório e a discoteca. fizemos. corresponde, naturalmente, a um
Para esta porta, optamos por Em primeiro lugar, Figura 6, aumento proporcional do peso
madeira de alta dureza (imbuia), colocamos as folhas – com um especifico (ou densidade, se
já que Reinaldo Gomes (da Mazal dos “MDF” já colados – sobre preferirem), que era o objetivo
Esquadrias de Madeira), o suportes, para termos acesso às almejado. Na fotografia 9 podemos
construtor, nos garantiu que a duas faces, e passamos a preparar ver a clara diferença entre a areia
exatidão do fechamento seria a areia. úmida (à esquerda) e a areia já
equivalente a uma porta feita com Para obter a maior densidade seca (à direita). Uma vez
chapa de aço. Como já havia um possível, recorremos a duas conseguida quantidade suficiente
batente metálico, optamos por medidas: usar areia muito fina, de areia, convocamos um mutirão
construir outro. A porta, agora, seca sob alta temperatura, e usar para realizar a etapa seguinte de
apóia-se sobre este último. Este é pequena quantidade de talco uma vez, lembrando que as
fixado ao metálico com parafusos industrial para preencher espaços tampas de “MDF” deveriam ser
e o espaço existente entre ele e entre os grânulos de areia, que apresentadas, aparafusadas e
o anterior será vedado com normalmente ficariam ocupados pregadas antes da cola fenólica
silicone. por ar. A fase de secagem da secar.
Como vemos na Figura 4, os areia custou-nos algum tempo Começamos por colocar
contatos entre a porta e o batente (mais para encontrar como fazê-lo camadas sucessivas de areia, sobre

40 agosto/2004
as quais se distribuiu pequena areia e o talco são de granulação A Figura 17 mostra as duas
quantidade de talco químico, muito fina e ficam aderidos à folhas da porta, com o “MDF”
comprimindo-se rapidamente a madeira. Finalmente, Valdir Pílade colado por ambos os lados,
mistura com um pilão. Após ser Pinto (da Mazal Esquadrias de encasulando a areia compactada e
completada a compactação com Madeira) é mostrado iniciando a aguardando a colagem das lâminas
golpes aplicados na parte inferior aplicação da cola fenólica, na de ferro externas.
com um martelo de borracha, Figura 15. Para a porta interna, estamos
uma outra capa de areia era Após a cola estar pronta e ter pensando, juntamente com Carlos
colocada, e assim sucessivamente, sido passada em toda a Giner, em um novo esquema com
até termos eliminado superfície, a tampa é colocada e o qual esperamos obter um STC
completamente o espaço antes fixada com sargentos e travessas de 54. Esperemos para ver.
ocupado por ar. de madeira para assegurar o Na Figura 18 vemos parte do
A Figura 10 mostra uma das contato homogêneo em toda a grupo de trabalho. Da esquerda
primeiras capas de areia após superfície, evitando que a para direita vemos: o marceneiro
receber o talco industrial, sendo, a vibração da etapa seguinte Valdir, o Arquiteto León, e o
seguir, martelada por baixo (Figura (furação e colocação de eletricista João, o ajudante Adão e
11) para conseguir que a areia e parafusos) possa fazer com que pedreiro coordenador Serginho.
o talco se compactem. Como areia se infiltre na cola. A tampa Esperamos todos vocês no
resultado, a areia vibra seguindo é, agora, fixada com parafusos, próximo Hi-Fi Show da Revista,
padrões que podemos ver na complementando-se com pregos que prometo será o melhor dos
Figura 12 e, ao mesmo tempo fica generosamente distribuídos. A realizados até agora. Se tiverem
mais compactada. Após a porta é, então, deixada para secar perguntas a fazer, solicito que
colocação de cada camada, uma por um par de dias. enviem por e-mail antes do Show,
régua plana é passada para Após esse processo, pois durante o mesmo devo estar,
nivelar a superfície da areia com verificamos que o peso de cada junto com Fernando, Ronam e o
o trabeculado interno, como folha era de 132 Kg. Isto faz resto da equipe, correndo atrás do
vemos Denis fazer na Figura 13. evidente a necessidade de tempo...
Posteriormente, e após várias dobradiças adequadas para Para finalizar quero sugerir mais
seqüências como a acima suportar o peso – ver Figura 16. uma vez que não cedam à
mencionada, a superfície das Devemos ainda considerar que tentação de cair na “Audiophilia
madeiras que formam o falta colocar uma lâmina de ferro Nervosa” por causa desta série de
trabeculado interno são de 3 mm colada sobre a face artigos. Não vale a pena, não é a
cuidadosamente limpas dos restos externa das folhas e outra de 2 nossa linha de pensamento e para
de areia, para poder mm sobre parte interna. Esta isso estamos nós... E, tratando de
posteriormente colar firmemente a última irá ligada eletricamente ao fazer o trabalho no lugar de vocês,
tampa sem areia entre ela e as marco metálico e funcionará tentamos, também, vaciná-los contra
travessas. Vemos, na Figura 14 como continuação da malha de a doença.
João realizando a tarefa. Esta blindagem que existe no resto da Boas músicas!
limpeza é completada passando-se estrutura (ver números vmirol@clubedoaudio.com.br
um pano úmido. Isto porque a anteriores). v.mirol@uol.com.br

1 2 3

42 agosto/2004
4 5 6

7 8 9

J K L

M N O

P Q R

agosto/2004 43
Acústica – Construindo uma Sala de Audição – Parte VII

“Brincando nos campos do Senhor...”


Construindo uma sala de audição dedicada
com alguns compromissos inevitáveis
Parte VII

Víctor A. Mirol

Continuamos, neste número, a objetivos sobre caixas acústicas e, compatíveis com seu nível, mesmo
descrição da construção de uma naturalmente, para simples deleite porque, em geral, serão utilizados
sala de audição dedicada, que tem musical. em salas mais sofisticadas.
como intenção obter um ambiente Salas mais caras e sofisticadas Naturalmente, seguiremos testando
o mais isolado possível em termos podem ser construídas e, também, componentes: Bronze, Prata e
de ruído, vibrações, perturbações mais simples. Assim como podem alguns Ouro, em ambientes mais
provindas da linha de força e de ser comprados amplificadores ou simples e compatíveis com as
campos eletromagnéticos (ondas de outros componentes muito caros situações comumente encontradas
rádio, radar, celulares, etc.). Quando ou mais simples. Não existe uma na maioria das casas de nossos
digo “possível” refiro-me aos limites relação linear entre custo e leitores.
e compromissos construtivos complexidade de uma sala ou Voltando à seqüência de fotos
impostos – como em todo projeto componente e seu resultado que ilustram os passos seguidos
humano – por restrições musical. Sempre haverá um ponto para a construção da sala
financeiras, em especial quando na curva de custo-benefício que dedicada, vemos que ambas as
considerados critérios como a cada um escolherá como suficiente. folhas da porta exterior estão,
relação custo-benefício. Estas Este é o sentido das últimas linhas basicamente, completas. Está
limitações estão centradas, do artigo publicado no número faltando o sistema de fechamento
fundamentalmente, na decisão de anterior da Revista, que pareceu e a vedação. Uma porta consiste
limitar as paredes duplas às um pouco confuso a alguns dos em uma placa suspensa pelas
laterais e a de frente e fundo, nossos leitores. Quis dizer, dobradiças e apoiada, mediante as
aceitando uma laje de teto comum simplesmente, que tivemos o camadas de borracha de vedação,
e a falta de um piso flutuante trabalho de realizar esta sala para na parede – ou, melhor, no
completo. Como vimos relatar para os leitores aspectos de batente que, por sua vez, está
anteriormente, somente os projeto e realização – e, no final, fixado na parede. A forma como o
equipamentos estarão colocados o resultado obtido – e não para som pode passar através desta
numa laje flutuante de 1.600 kg, sugerir que seja este o mínimo porta é complexa. Por um lado, ela
de freqüência de ressonância de necessário para ouvir música possui uma massa e uma rigidez
aproximadamente 4 Hz. O resto adequadamente. O mesmo se de construção determinada, o que
dos critérios de projeto e sua aplica ao resto dos componentes a faz possuidora de uma constante
aplicação prática foram muito de áudio: testamos todos, inclusive de tempo. Dizendo isto, estamos
rigorosos. Queremos aproveitar para os mais sofisticados, sem pretender admitindo que ela vibrará a uma
destacar que o motivo principal da que estes últimos sejam os únicos freqüência igual ao inverso dessa
construção desta sala é obter um recomendáveis. Já a necessidade constante (e seus harmônicos). Por
ambiente onde o que for ouvido para quem testa os equipamentos outro lado, como a rigidez de
e julgado seja unicamente o é diferente, pois os componentes cada lâmina da porta não é
equipamento que estiver sendo mais sofisticados – em termos de uniforme (ver, em números
submetido ao teste auditivo, livre ruído, equilíbrio tonal, palco sonoro anteriores, como ela foi construída
de interferências elétricas, acústicas e organicidade, por exemplo – de maneira a ter setores de
e eletromagnéticas. Naturalmente, precisam ser testados em diferente peso em lugares distintos
servirá, também, para alguns testes condições acústicas e elétricas da superfície) ela terá padrões

44 setembro/2004
vibratórios diferentes que, ao se forem as portas, muita eficácia se esquerda, vemos o marco de ferro
combinar, darão uma resposta perderia – em termos de fixado à parede. Sobre ele (centro-
vibrátil complexa e mais difusa, isolamento e falta de vibrações acima) o batente de madeira e
menos concentrada em uma parasitas – se a sua fixação às uma das dobradiças e (acima-
freqüência única. paredes não fosse muito rígida. direita) a porta com os três
Além disso, as fixações da porta A fig # 01 nos permite ver degraus para fixação da isolação,
(dobradiças) devem ser uma das lâminas apoiadas sobre o que se correspondem com os
cuidadosamente escolhidas, para batente superior. Podemos ver os existentes no batente (centro-
não permitirem vibrações da porta três degraus sobre os quais será abaixo).
como elemento separado da colado o elastômero de vedação. As borrachas foram, a seguir,
parede. Quanto mais sólida a Também vemos a placa de ferro coladas (ver Fig # 07) e aí
união entre as lâminas da porta, o de 3 mm colada e parafusada tivemos uma pequena surpresa. As
batente e a parede, melhor as sobre ela. A espessura total desta fitas de borracha da parte da
condições de isolamento sonoro porta é superior aos 9,5 cm, e, porta onde estão fixadas as
que poderão oferecer. E quanto ao quando percutida com qualquer dobradiças devem ser colocadas
batente e à parede (ou batente objeto, percebemos uma sonoridade no sentido em que a lateral da
intermediário de ferro, como no de tonalidade mate (surda, porta fecha que, neste caso, é
meu caso), assim como toda a apagada), o que prenuncia boas apoiado contra o batente em
superfície de contato entre as características de isolamento forma lateral. O resto, pelo
lâminas e entre estas e o batente sonoro. contrário, deve ser colocado de
devem oferecer total estanqueidade forma a apoiar contra o batente
para a passagem de ar. Qualquer 1 em forma frontal.
infiltração diminuiria drasticamente Acontece que no momento em
o isolamento entre uma face e que fechamos a porta,
outra da porta. pressionando as borrachas laterais,
Os contatos entre as lâminas, e houve um leve deslocamento que
entre estas e o batente (que, como impediu o fechamento de ambas
temos visto anteriormente, consta as folhas. Tivemos, então, que lixar
de três degraus – ver foto 7) a lâmina de ferro externa e parte
estão selados com borracha da madeira da porta, já que
elastomérica de 6 mm, que ambas as folhas tinham sido
quando comprimida diminui para calculadas para fechar quase sem
3 mm. Entre o batente de madeira folga.
e o de ferro (este último está O passo seguinte foi fixar as
cimentado à parede) colocamos A figura # 2 mostra as placas de ferro internas. Para isso,
espuma expansível. dobradiças para alta carga e, foi passado cimento de contato na
É fácil perceber que, para também, o batente de ferro madeira da porta e na folha de
comprimir as três fitas de borracha cimentado à parede, e o de metal, preparados e colocados
(que para envolver uma porta de madeira parafusado nele. calços para apoiar a lâmina no
2 x 1,25 m em três níveis, precisa Posteriormente, o espaço entre início do colado. Vemos o
de aproximadamente, 28 m de fita ambos foi selado com espuma. Marcinho completando a fixação
de 2,5 cm, ou seja, 0,7 m2) a A figura # 03 mostra ambas as da lâmina (Fig # 08) e na figura
força a ser exercida sobre a folhas da porta exterior na fase #09 vemos a lâmina já colada,
lâmina que fecha deve ser muito inicial, sendo examinada pelo Arq. antes de ser parafusada através
grande, da ordem de dezenas ou Leiderfarb. Na fig # 04 vemos as das perfurações previamente feitas.
uma centena de kg-força. mesmas folhas após colocação da Finalmente, a lâmina metálica é
Para isso, desenvolvemos quatro lâmina externa de aço e na fig # fixada com parafusos (Fig # 10).
fechos de pressão para cada 05 uma outra vista do encaixe da O último procedimento desse
lâmina, do tipo de eixo excêntrico, porta nos batentes, também com a dia foi a colocação das ferragens
capazes de aplicar uma lâmina lâmina de ferro colada. previamente preparadas. Estas
sobre a outra e sobre o batente Em seguida, foi preparado o consistem em travas cilíndricas com
com suficiente força. Devemos batente para a colocação das um excêntrico no extremo (Fig #
lembrar que, independentemente de borrachas de isolação. Na Fig #6 11) que, ao ser girada a alavanca,
quão inertes, sólidas e pesadas vemos a madeira já lixada. À pressiona a porta até a medida do

46 setembro/2004
2 3 4 5

6 7 8 9

J K L M

N O P Q

48 setembro/2004
necessário. Foram colocadas quatro existiria amortecimento nenhum preparadas e inamovíveis poderia
por folha (interior e exterior que impedisse que o alto ruído ter evitado soluções que, no meio
inferiores e superiores), duas gerado por ele (assim como do caminho, foram mais
internas adicionais que pressionam vibrações) fosse transmitido à complicadas e caras. A lista deles
folha contra folha, e uma adicional estrutura da sala. Já o evaporador, é grande e, provavelmente, irei
exterior. será colocado (devidamente detalhá-la no final.
A fig # 12 nos mostra a folha suspenso por molas e rodeado de O mais interessante é que,
esquerda da porta com as ferragens uma estrutura de isolamento mesmo com todos os cuidados
inferior interna e uma das internas acústico) dentro do ambiente do que foram tomados, e as medições
intermediárias e a Fig #13, uma laboratório. As tubulações de realizadas, eu somente saberei se a
vista geral da porta, fechada, desde insuflação de ar frio, devidamente sala soará como eu quero, depois
o lado externo. A sonoridade obtida isoladas acusticamente, terminarão de ter ouvido os primeiros
quando batemos nela com os nós em três janelas na parte superior compassos de música nela. O resto
dos dedos é tão mate com o da da sala de áudio, na parede é simples probabilidade e funciona
própria parede de tijolo. posterior. As tomadas de ar serão assim: faça tudo de acordo com
Neste momento está sendo colocadas na frente, e o ar as normas estabelecidas e será
construída a outra porta, a interna, conduzido por tubulações próximas provável que tudo fique bem. Mais
que separa a sala de áudio ao teto, rodeadas por isolantes irá saber somente no final. Não
propriamente dita e a parede adequados. Desta forma, poderá ser importa quantas fórmulas tenha
externa. Também será feita em usada uma velocidade de saída de aplicado, quantas medições
madeira e com critérios parecidos, 1,5 m nas janelas de insuflação, o realizado – inclusive aquelas
embora um pouco mais pesada. que é um valor excelente e realizadas minutos antes de ouvir
Também está encaminhada a permite prever – se todo o resto a primeira música – e quantas
colocação do piso de madeira for cuidadosamente realizado – opiniões tenha recebido, o
sobre lâmina de cortiça de 3 mm. muito baixo nível de ruído. O resultado que interessa, ou seja, a
Foi feito um contra-piso com laboratório terá tubulação de qualidade musical da sala, é algo
barrotes de madeira nivelados, para insuflação independente, para evitar que somente será evidente na
apoiar e fixar as tábuas. Decidimos curto-circuito acústico entre ele e hora de ouvir.
colocar a lâmina de cortiça para a sala de áudio. É claro que se criteriosamente
impedir pequenos movimentos da A figura # 15 mostra o realizados, tanto o projeto como a
madeira que possam produzir Serginho trabalhando na abertura construção, os acertos a serem
algum ruído e, também, para criar da janela que se comunicará com feitos depois da primeira audição
mais amortecimento. Vemos, na a câmara onde será instalado o serão menores e a possibilidade
figura # 14, o contra-piso colocado. evaporador, dentro do ambiente do de acabar com algo imprestável
Ao fundo está a plataforma laboratório, porém, isolado deste será mínima. Mas tantas são as
flutuante rodeada de isopor. Este por paredes de tijolo e material de variáveis que estão em jogo, que o
será retirado após a solidificação absorção adicional. Podemos ver resultado é algo a ser conferido.
do cimento. mais nas figuras # 16 (uma das Orçamentos folgados e falta de
Também estamos iniciando a entradas de ar frio e uma das limites de espaço ou recursos em
instalação do ar condicionado, que janelas de aspiração para re- geral facilitam as coisas, em
levou muito trabalho e conversas circulação) e # 17 (vista da “casa” especial porque, em último caso,
para ser definido. O problema é do evaporador desde o pode ser tudo refeito. No entanto,
que ele é muito facilmente gerador laboratório) mesmo nessas condições, um
de ruídos (do compressor, do Aqueles leitores que fracasso retumbante ainda é
evaporador e seu ventilador, do acompanharam esta seqüência de possível. Lembro-me agora de um
fluxo de ar, etc.) ou facilitador da artigos, poderão ter percebido a caso em especial, que é o
entrada de ruídos externos ou do infindável quantidade de Carnegie Hall de Nova York.
setor entre as duas paredes (o compromissos a serem tomados, de No seminário a ser realizado
laboratório, por exemplo) e a sala detalhes a serem cuidados e da durante o Hi-Fi Show, em Setembro,
de áudio. Naturalmente, foi facilidade com que podem ser o tema deste artigo será tratado
decidido que o compressor será cometidos erros, às vezes de difícil em uma das palestras. Estão todos
colocado no corpo principal da – ou custoso – reparo. Neste caso, convidados.
casa, a uns 10 ou 12 metros da posso lembrar que um cuidadoso Até depois do Hi-Fi Show!
sala, já que estimamos que não layout prévio, com soluções já Boas audições para todos.

50 setembro/2004
Acústica – Construindo uma Sala de Audição – Parte VII

“Brincando nos campos do Senhor...”


Construindo uma sala de audição dedicada
com alguns compromissos inevitáveis
Parte VIII
Víctor A. Mirol

Continuamos, neste número, a Carlos Giner na parte acústica. do local, é um compromisso mais
descrição da construção de uma Como vemos nelas, a sala de que razoável e mostrou-se
sala de audição dedicada, que tem áudio está inserida dentro de outra satisfatório, pois a laje é muito
como intenção obter um ambiente estrutura que inclui um espaço robusta e o piso é uma estrutura
o mais isolado possível em termos destinado a laboratório de áudio, de concreto de mais de 50 cm de
de ruído, vibrações, perturbações um depósito, um banheiro e uma espessura, além da existência da
provindas da linha de força e de área de entrada, onde estará laje flutuante para os
campos eletromagnéticos (ondas de situada a discoteca. Ambas as equipamentos.
rádio, radar, celulares, etc.). O estruturas possuem paredes de A sala de áudio tem paredes
objetivo é o de facilitar a duplo tijolo sólido (22 cm), laterais oblíquas (divergindo desde
reprodução eletrônica de áudio e separadas por um espaço a parede frontal até a parede
vídeo, permitindo a melhor recheado de lã de rocha e, traseira), sendo suas medidas
percepção possível do conteúdo também, por uma malha de fio de internas 5,50 m (frente), 6,50 m
das mídias, tanto para puro deleite aço galvanizado que cumpre o (fundo), 7,48 m (antero-posterior) e
musical como para teste papel de blindagem eletromagnética 3,90 m (altura), o que equivale a
observacional de equipamentos de envolvente, já que cobre não só 45 m² de área e 175 m³ de
reprodução ou gravação. O espaço as paredes, mas o teto e o chão, volume interno. O conjunto está
destinado a um laboratório para sem deixar de incluir portas e parcial (à esquerda) ou totalmente
testes instrumentais objetivos será, janelas. Do ponto de vista acústico, (à direita) enterrado e o chão está
oportunamente, dotado dos com exceção do teto, fica a 4,2 m abaixo da linha de nível
correspondentes equipamentos de configurada uma sala dentro de da rua, o que melhora – e muito
medição acústica e eletrônica. outra, já que as fundações de – o isolamento sonoro do
Gostaria de agradecer o cada parede são separadas. ambiente circundante embora,
interesse demonstrado por Aclarando um pouco mais, sala como contrapartida, crie alguns
inúmeros leitores que conversaram dentro de sala significa um recinto desafios para proteção contra
comigo durante o Hi-Fi Show, os de audição ou gravação que está inundações (ver adiante). No
quais fizeram comentários não só contido dentro de um outro, sendo interior da sala, uma laje flutuante
em relação à Revista, mas também que todas as superfícies (paredes de 2,5 m² e 1500 kg ressonando a
sobre temas de áudio e, em e teto) são duplas com espaço de 3,8 Hz está destinada a suportar
especial, sobre esta série de ar (com ou sem absorvedores, os equipamentos de áudio e
artigos. como lã de rocha) entre elas e o vídeo.
Como informação adicional para piso é flutuante (faze-lo flutuante é A edícula substituiu construções
que os leitores se lembrem de a única forma de mantê-lo pré-existentes da casa, como
algo já mostrado nestas páginas, separado e isolado da terra, assim piscina, churrasqueira e outra
ilustramos nas figuras “A” e “B” como cada parede esta separada edícula. Parte do jardim
plantas iniciais da área da sala de da sua companheira dupla). Ou previamente existente foi replantado
áudio/laboratório. A solução seja, nossa sala tem paredes na parte superior da sala.
arquitetônica e direção da obra duplas, teto comum e chão As fotos “C” a “L” ilustram,
são dos arquitetos León e Federico parcialmente flutuante. Estritamente historicamente, alguns passos da
Leiderfarb. O projeto inicial e falando, não cumpre com o construção até chegar ao estado
coordenação geral da obra são requisito de sala em sala. Do atual da mesma.
meus, com assessoria do Eng. José ponto de vista das características A figura “C” mostra o terreno

30 novembro/2004
que foi destruído. Próximo, à paredes interna e externa e colocando a camada externa de
esquerda, estavam a piscina e o constitui a única ponte estrutural uma das janelas que dão ao
jardim. À direita, a churrasqueira. entre ambas, já que as fundações jardim. Estes tijolos, fixados com
Atrás deles havia uma edícula com são separadas. concreto, fecham completamente a
uma escada para chegar ao nível Um detalhe que vale a pena abertura da janela, o que é
inferior. No fundo, vemos uma salientar é a malha que pode ser essencial para atingir o isolamento
parede já levantada que delimita observada nas figuras “E”, “F” e “G” acústico desejado.
um espaço de três metros de no lado esquerdo e à frente. Ela A malha de blindagem foi
largura com a parede do fundo sobe por dentro das paredes e cuidadosamente colocada entre as
da propriedade. Parte deste espaço acompanha a saliência dos cantos duas camadas de tijolos de vidro,
foi recheado com terra, tendo da laje para, como vemos na como vemos nas figuras # 03 e #
altura final de quatro metros; parte figura “I”, ser posteriormente 04. Ela foi cuidadosamente
desse espaço foi deixada oca e rebatida sobre a mesma antes da acomodada no vão entre os tijolos
constitui o fundo do laboratório. colocação do contra-piso. Nas e soldada à malha da parede
Essa é a parede externa do lado figuras “I”, “K” e “L” vemos (ou, mediante um fio de cobre soldado
direito da sala. melhor, “adivinhamos”...), à direita, com estanho, como as imagens
A figura seguinte mostra as a escada que conduz à entrada mostram, com o objetivo de
paredes externas frontal e esquerda comum ao laboratório e a sala de manter uma blindagem continua,
sendo levantadas. O plástico preto áudio e, na figura “L”, a abertura sem falhas, em torno da periferia
que se vê tem por função que dá acesso ao espaço (ver da construção.
proteger da chuva a lã de vidro figura “G”) onde serão O resultado, que podemos ver
que foi colocada entre as paredes acomodados o evaporador e o nas Figuras 05 e 06, fica
interna e externa na medida em ventilador do sistema de ar esteticamente agradável e a malha
que ambas foram sendo levantadas. condicionado. fica dissimulada pela irregularidade
Também vemos o espaço O restante das figuras mostra o da superfície dos tijolos de vidro.
reservado ao laboratório e a processo de acabamento exterior O ar condicionado continuou
parede que o divide da parte da edícula e sua parte superior. sendo instalado durante esse
posterior da sala de áudio. A Vemos que o jardim cobre até a processo. Durante esses dias,
estrutura básica da entrada pode metade da altura interna da parede completamos o fechamento das
também ser reconhecida, com a esquerda da sala e, acima, o que frestas existentes entre os condutos
dupla parede se afastando para insidiosos comentários da oposição de ar resfriado e os de ar de
forma um semi-círculo destinado à dizem que é o verdadeiro motivo retorno e as passagens abertas nas
discoteca e comunicação entre a de toda esta construção: uma paredes da sala e da salinha onde
sala de áudio, o laboratório e a magnífica churrasqueira pampeana, foi fixado o evaporador. Como
entrada. construída sobre desenho próprio dissemos anteriormente, o
A figura “E” mostra as paredes (patenteado e que não mostro ou compressor foi colocado a mais
da sala de áudio atingida sua vendo para ninguém) por meu de 10 metros da edícula da sala
altura definitiva. Vemos, na parte amigo Carlos Mazzeo. Sugiro de áudio, sobre um dos terraços
próxima e esquerda da construção, comparar estas imagens com as da casa. Para o evaporador e o
a fenda entre as paredes interna e plantas das figuras “A” e “B”, ventilador centrífugo, foi construída
externa. Esta última se abre, à levando em consideração que a uma salinha dentro do laboratório
direita, na área de entrada, que direção em que foram tiradas as de onde entram e saem os
também conterá a discoteca. Mais fotografias está a 90 graus do eixo condutos de ar (figura “H”). Nas
à direita, vemos a estrutura do principal das plantas. figuras # 07 e # 08 podemos ver
laboratório sendo levantada. A Completamos, nestes dias, o os fechamentos mencionados
figura “H” mostra uma vista a fechamento das as janelas da área acima, realizados com MDF colado
partir do interior do laboratório do de entrada.. Optamos por utilizar na parede e na parte externa dos
recinto construído para albergar o uma dupla camada de tijolos de condutos, formando uma coifa
evaporador e o ventilador do vidro de 8 cm, deixando entre eles vedante.
sistema de ar condicionado. uma camada de ar e, naturalmente, Os cuidados observados no
As figuras “F”, “G” e “I” mostram a malha de blindagem magnética projeto do sistema de esfriamento
diversas fases da montagem da que rodeia toda a construção. levaram em conta,
laje. Encontra-se apoiada nas Vemos, na figura 02, o Serginho fundamentalmente, o ruído emitido

novembro/2004 31
pelo sistema. Este é, basicamente, o velocidade do ar dentro dos já que é praticamente impossível
produzido pelo ventilador de ar condutos de não mais de 1,5 distinguir se o equipamento de ar
forçado e pelo ruído originado da metro por segundo para manter a está ou não ligado, estando ele
turbulência do ar. Também é muito turbulência no mínimo possível. ventilando ou esfriando.
importante que a passagem das Um outro fator levado em conta Para completar o isolamento
tubulações que entram na sala foi o de não permitir um curto sonoro com o exterior foi
não destruam o isolamento circuito acústico por dentro dos confeccionada uma tampa e
acústico entre esta e o laboratório. tubos de injeção de ar frio e os colocada na abertura de instalação
Portanto, extremos cuidados foram de re-circulação. Para isso, foram e inspeção do ventilador. Este
tomados na vedação das projetados filtros em ambos os último é visto no momento de ser
passagens entre o exterior e o sistemas. Testes preliminares colocado nas Fig # 09 e # 10
laboratório e entre este e a sala mostram que foram alcançados O maquinário que vocês vêem
de áudio, ademais de manter uma plenamente os objetivos traçados, nas figuras anteriores foi mantido

A B

C D

E F

32 novembro/2004
suspenso no teto por meio de Um outro capítulo que mereceu de água e acessórios, cuja caixa
molas que cumprem a função de atenção durante estas semanas foi vemos na Fig # 15. Outro para
impedir – ou limitar – a a continuação do trabalho com o uso exclusivo do instrumental que
transmissão de ruído e vibrações à sistema elétrico. Como mencionado será instalado no laboratório e
estrutura da sala. em artigos anteriores, três circuitos ainda um outro para o circuito
Finalmente, a abertura, também chegam à edícula da sala de exclusivo dos equipamentos de
visível nas duas figuras áudio, dois deles vindo diretamente áudio, cuja caixa de entrada na
precedentes, tinha que ser fechada da caixa de entrada, cada um dos sala vemos na figura # 16.
de forma que, ao mesmo tempo, quais com sua caixa separada. Um O circuito destinado aos
impedisse a passagem de ruído de uso geral, para luzes, bombas equipamentos inclui várias
externo e servisse de
acesso para limpeza do
filtro e tarefas de
manutenção. Assim, foram
construídos um batente
feito de madeira dura
(angelim pedra) e uma
tampa. Ambos são vistos
na figura # 11, nas mãos
do experiente Mazinho.
No batente a ser
fixado na parede foram
colocados parafusos de 10
mm que se correspondem
com perfurações na
tampa. Esta é constituída

Anúncio
por três placas de MDF
de distintas espessuras,
formando uma parte
central oca para ser
recheada com areia fina
seca misturada com talco

Kitsom
químico. Sobre a camada
de MDF externa será
colocada uma placa de
aço de 4 mm, similar à
que foi fixada sobre as
portas de entrada. A porta
ajusta por meio de juntas
14x20,5
de borracha (Fig 11).
Para facilitar a
remoção e também a
fixação com a pressão
suficiente para comprimir
eficientemente as juntas
de borracha, foram
utilizados porcas-borboleta
e anéis tipo ‘o-ring‘ que
completam a vedação
(Fig # 13). A tampa
colocada, ainda sem a
placa de aço, é vista na
Fig # 14.

novembro/2004 33
tubulações pelas quais passam caixa de força da sala, de maneira a possibilidade de haver um
também cabos de sinal de áudio a poder configurar as saídas que aumento do nível de água na
para comunicação entre a sala e estarão disponíveis em cada entrada, que, como já citado, está
o laboratório. O circuito de força, tomada da parede. a mais de quatro metros abaixo
com 25 mm2 de seção em cada Por último, uma outra caixa de do nível da rua.
fase, está dividido em dois, de distribuição contém as conexões As medidas incluíram soluções
forma a poder colocar um de aterramentos (as seis hastes variadas.
condicionador de energia fora da enterradas no jardim), da gaiola de No piso externo à entrada (fim
sala ou nela. Ficaria, assim, um Faraday (que poderia ser deixada da escada) foi escavada uma
circuito de alimentação flutuante ou ser aterrada) e dos abertura cúbica de 0,8 m³ e nela
condicionado e outro direto, ambos equipamentos, onde diversas formas instalada uma bomba automática
conectados na entrada da casa. de conexão poderão ser testadas. com capacidade de 16 m³/hora. A
A figura # 17 mostra o Como mencionado mais acima, seguir, a própria porta externa
barramento que será instalado na foi absolutamente necessário prever forma um marco estanque. Dentro

G H

I J

K L

34 novembro/2004
do laboratório, uma outra câmara de ar condicionado é também repetições do experimento que
abriga duas bombas com uma muito baixo. mostrou que, a diferencia do chão,
capacidade total de extração de 25 Isso já era esperado por mim e que vibrava acompanhando as
m3/hora, de acionamento automático por Giner. Mas, não tínhamos idéia caixas, a laje permanecia em um
e independente. As bóias destas de como soaria antes de qualquer silêncio sepulcral.
bombas estão conectadas a um instalação acústica. Para nosso Quando o Eng. André Schevciw,
sistema visual e sonoro de alarme agrado, a sala, com os da GERB, ler isto, sei que ficará
no interior da casa, denunciando equipamentos provisoriamente contente.
que existe nível de água superior instalados, soou tão bem que Em um próximo artigo passarei
ao permitido no interior do ficamos sabendo, nesse momento, para vocês os segredos sobre
laboratório. O cano de esgoto do que o trabalho que ainda resta como calcular – e realizar a baixo
banheiro interno ganhou uma será muito pequeno. custo – bases flutuantes pequenas
válvula esférica de quatro A sala é, do ponto de vista de e realmente eficazes para todo tipo
polegadas, com giro de 90 graus. E, sonoridade, muito “saudável”. Isto é, de componente ou, também, para
finalmente, a porta interna estanque sem ressonâncias acentuadas em lajes grandes como esta que
e a própria altura da laje flutuante toda a faixa audível, com um podem ver nas fotos.
do equipamento formam os últimos equilíbrio tonal muito bom e um Como broche de ouro de esta
estágios de segurança e proteção tempo de reverberação aceitável e fase, o nosso guru, Fernando, é
do sistema de áudio e vídeo. fácil de ajustar. Claro, deveremos mostrado na fig 29.
As figuras 18 e 19 mostram a ainda acertar detalhes na região O confortável sofá em que está
válvula esférica antes de ser dos graves, polir ainda mais o sentado (eu uso uma espartana
colocada. equilíbrio tonal e acertar os palcos cadeira de RCEA... reviewer, para
A figura 20 nos permite ver a sonoros frontal, laterais e posterior. os leitores de desnecessárias
câmara antes da malha ser Mas, o grande mistério que se revistas importadas) teve que ser
colocada – a malha está acima e esconde por trás de todo projeto colocado às pressas, depois que
à esquerda. Esta tem como função acústico – como irá soar isto? - ouvimos uma expressão (voz e
estender a gaiola de Faraday do está resolvido. imagem não documentadas) que
chão, evitando descontinuidade na A sala irá requerer ajustes, mas parecia algo assim como
blindagem eletromagnética. não correções sérias. “Noooossa! Deixe-me ouvir melhor
A figura 21 mostra a instalação Estou muito contente por isso. isto!..”. A voz era, contudo, baixa e
dos canos de saída de cada bomba, Na Fig # 25 vemos alguns algo escura. Tanto que Giner afirma
de duas polegadas cada um, depois componentes sendo instalados – e faço constar essa diferença de
de colocada a malha e coberta sobre a laje flutuante para uma interpretação para registro histórico
com o contra-piso da câmara. audição preliminar (grande – que o que ele disse foi,
Finalmente, as bombas são expectativa!...) exatamente: “Oooohhhh!, olha
vistas antes (figura 22) e depois A figura # 26 mostra algum iiiiisso!...”.
(figura 23) de instaladas e a recobrimento básico e provisório Fernando não confirma nem
tampa, antes de ser colocada. instalado para realizar medições nega. Ainda está ouvindo...e não o
Finalmente, chegou a hora tão iniciais e informais. Praia predileta perturbem!
esperada de ouvir o silêncio e a de Giner, a quem vemos, na Por hoje terminamos, porque
sonoridade da sala, antes de figura 27, verificando, antes de nada, agora voltei a ficar viciado em
começar o estudo e a instalação se a laje funcionava como isolante ouvir música e tenho que instalar
do condicionamento acústico. O estrutural (ele acredita em mim o toca-discos e o novo pré
ruído medido no interior, antes de pero no mucho...) Usando um McIntosh.
instalada a porta interna, foi estetoscópio (praia predileta E, antes de tudo, completar uma
suficientemente baixo como para minha...), verifica em primeiro lugar tarefa inconclusa (Fig 30). Mais
ter problemas na leitura dos o nível sonoro de baixas amigos estão chegando...
valores. Estamos falando de menos freqüências na caixa das Dynaudio Continuaremos em breve. Não
de 20 dBA! Claro que faremos 3.3 (figura 26). Depois (fig 28) no desapareçam, pois tem muito mais!
mais medições em horários em chão, entre elas e a laje. E, por Boas audições – ou concertos!
que o ruído externo seja maior, e, último, na própria laje. A expressão P.S. A Marta Argerich andou por
também, depois de instalada a de supressa – não documentada – Sampa. Espero que algum de
porta interna. O ruído do sistema veio depois de reiteradas vocês tenha conseguido ouvi-la!!!

36 novembro/2004
01 02 03

04 05 06

07 08 09

10 11 12

13 14 15

38 novembro/2004
16 17 18

19 20 21

22 23 24

25 26 27

28 29 30

40 novembro/2004
Acústica – Construindo uma Sala de Audição – Parte IX

Acústica

“Brincando nos campos do Senhor...” 


Construindo uma sala de audição dedicada  
com alguns compromissos inevitáveis
Parte IX

Víctor A. Mirol
v.mirol@uol.com.br
vmirol@clubedoaudio.com.br

Continuamos, neste número, a para exercer uma pressão razoável abertura da porta. Usamos dois de
descrição da construção de uma sala no fechamento, para comprimir cada tipo em cada folha. Da pressão
de audição dedicada que tem como adequadamente a dupla ou tripla que você decida que uma porta
intenção obter um ambiente o mais vedação. exercerá sobre a outra, dependerá o
isolado possível. Estamos nos detalhes As figuras “A” e “B” mostram os número de elementos de pressão a
finais da construção e entrando na fechos que fiz na porta externa de serem utilizados. Neste caso utilizei
avaliação acústica, com vistas ao início. Ficaram muito fortes e eficazes, quatro elementos de pressão, sendo
seu condicionamento para obter o embora não tenham me convencido dois com alça de abertura. Desta
melhor rendimento possível. A fase totalmente. O manuseio era complicado maneira, a força necessária para
de condicionamento acústico passará e o ajuste da pressão de fechamento abrir é repartida e, também, existe
por uma fase de medições com era difícil. Por outro lado, suscitavam segurança maior no caso de uma delas
instrumentos e um posterior ajuste por problemas de segurança, já que, se quebrar.
audição direta de programa musical. fechadas por dentro, seria impossível Utilizei um calço de madeira para
Sistemas de fechamento das portas abri-las do lado de fora (com aquela deixar o fecho na altura necessária
A sala, como vocês sabem, possui grossura e as placas de aço interna para permitir a regulagem fina
duas portas: a que dá acesso ao e externa – somente os bombeiros, e posterior da mola. O resultado foi
laboratório e a que comunica este com muito trabalho). totalmente satisfatório, com – ao
com a sala de áudio. Ambas as Eu já tinha visto folhetos de mesmo tempo – grande pressão de
portas são de duas folhas, sendo fechos de geladeira industrial e voltei fechamento e muita facilidade de
que uma delas está normalmente a eles. Depois de uma visita à fábrica abertura, tanto por dentro como por
fechada e abre-se somente para entrar Fermod, onde pude verificar sua força fora. Na figura “E” a folha da direita
equipamentos grandes. As paredes onde de pressão e a possibilidade de serem é a que fica normalmente fechada
as portas estão fixadas são de tijolo ajustados, decidi encontrar uma forma com os fechos metálicos (superior
maciço de 22 cm. Estão construídas de utilizá-los. e inferior) colocados de início. As
em madeira, com a parte central Como vemos nas figuras “C” e alças de cor clara que vemos são as
preenchida com areia seca misturada “D”, o fecho consta de uma parte que que abrem a folha esquerda (móvel)
com talco industrial e forradas com contém a roda que fará a pressão, por dentro. Como vemos na figura
chapas de ferro de 2 a 3 mm de com uma mola regulável para ajuste “F”, a folha da direita, que é a que
espessura (as externas, com chapa por fino da pressão da mesma. A outra normalmente fica fechada, é fixada
ambas as faces e as internas somente parte leva o calço que, ao fechar, se por dentro com os fechos de ferro
por fora). insinuará pressionando a mola até ficar iniciais (os dois fechos de ferro que
Um dos temas que mais me encaixada atrás dela e, dessa forma, vemos do lado de fora estão fora de
ocupou a cabeça foi a decisão sobre manter o fechamento da porta. Deste uso). A lâmina esquerda (a que abre
o fechamento das portas, que, como último componente existem dois tipos. habitualmente) fecha com os quatro
vocês sabem, são muito pesadas Um simplesmente faz o mencionado e elementos de pressão que estão do
(perto de 400 kg) e foram pensadas o outro incorpora uma alavanca para lado de dentro. As alças que vemos

26  julho/2005
Acústica

na porta são para a abertura. preenchidas com areia. Para isto, foram Após a secagem, as tampas de
As portas internas deixados dois orifícios de 3 cm de MDF são coladas em ambos lados das
Com os resultados obtidos na diâmetro na parte superior pelos quais, portas, deixando o espaço central para
finalização da porta externa, e após por meio de um funil improvisado, foi ser preenchido com areia desidratada
aprender com a sua construção, decidi colocada a areia. Esta foi esquentada misturada com talco industrial e
modificar a forma de construção da previamente a 250 graus durante compactada (figura “N”), como vemos
porta interna. Após calcular que o alguns minutos em camadas finas o Francisco fazendo após as portas
peso resultante seria próximo aos para tirar toda a umidade possível estarem fixadas nas dobradiças.
400 kg, decidi começar por montar e, depois, colocada na parte central Finalmente, as portas foram
uma luva de aço para ser fixada com da porta e compactada até expulsar recobertas com lâminas de aço com
resina epóxi na abertura para a porta qualquer camada de ar residual.. banho eletrolítico por ambas faces
deixada na parede. A função desta Vemos, na figura G, a preparação fixadas com cimento de contato.
luva seria a de criar um batente de das luvas de aço antes de serem Posteriormente, percebi que as lâminas
alta resistência que poupasse a parede fixadas ao batente da parede. A luva internas eram desnecessárias e
(de tijolo a vista, de 22 cm) dos é formada por duas partes que se deixei somente a externa. Na figura
impactos do fechamento da porta que encaixam formando um “U” que se “O”, vemos o lado de dentro das
seguramente, com o tempo, terminaria adapta ao canto da parede. portas internas. A folha “fixa” está
por criar rachaduras e soltar os tijolos A figura H nos mostra as luvas aparafusada ao batente, já que está
onde deveria estar fixado o batente de já colocadas e coladas. Vemos as destinada a ser aberta ocasionalmente.
madeira. A luva foi fixada à parede duas partes da luva formando um A folha “móvel” está já com os fechos
com uma capa de resina epoxi (SICA “U” fechado por fora e por dentro da instalados. As luvas de aço serão
32) de 3 a 4 mm, com muito cuidado abertura da parede. Podemos notar, posteriormente recobertas por madeira
em não deixar nenhum espaço oco também, as nervuras que existem na e pintadas. As portas fechadas podem
para evitar ressonâncias. Sobre este luva para dar a rigidez necessária à ser vistas na figura “P” pelo lado
acabamento da abertura da parede estrutura. interno (da sala de áudio) e, na figura
foi fixado o batente construído para Na figura I vemos como as “Q” pelo lado externo (do laboratório).
as portas em angelim pedra, madeira dobradiças foram soldadas à parte Laje de gypsum
muito rígida, que também foi fixado interna das luvas (com solda elétrica) O pé direito da sala de áudio
com resina epóxi. O resultado da luva e fixadas às portas (com rebaixo e foi deixado em 3,90 m. Como teria
e do batente é de extrema rigidez e parafusos) após cuidadoso alinhamento. que ser colocada uma laje suspensa
solidez. O profissionalíssimo Macinho colocando de gypsum para complementar o
A seguir foram soldadas nove as dobradiças está na figura “J” e isolamento sonoro nessa parte da
(folha móvel) e cinco (folha fixa) reparando as ferramentas quebradas na estrutura, que, além de ser a mais
dobradiças de ferro na parte interna figura “K”. exposta ao exterior, carece de dupla
da luva de aço, após cuidadosa A montagem das portas foi estrutura, como é o caso das paredes,
determinação do alinhamento dos realizada com extremo cuidado para foi decidido colocar duas capas
respectivos eixos (as portas externas evitar irregularidades, de maneira a de gypsum de 18 e 15 mm cada
estão suportadas por cinco dobradiças obter uma aproximação das bordas uma, seguidas de outra de 18 mm
cada folha). com tolerância menor que um com uma separação de 3 mm das
Paralelamente, a porta foi milímetro ao longo das bordas de anteriores. Todas elas foram fixadas
construída sobre três capas de madeira fechamento (tanto com o batente, em estruturas “ad hoc” de lâmina
de 4 cm, uma capa externa e outra como com as folhas entre si) de aço perfilado fixadas à laje de
interna com uma parte oca central para manter uma vedação perfeita. concreto. Estes perfis permitem uma
destinada a ser preenchida com areia Para isso, as folhas foram coladas, união flexível com a laje e, ao
seca e talco industrial. As duas portas mantendo as folhas unidas durante mesmo tempo, a regulação da altura
foram montadas juntas, de maneira o processo (figura “L”). Observe os em toda a superfície de gypsum. As
a deixar um espaçamento constante separadores entre ambas folhas da camadas de gypsum foram colocadas
entre elas, destinado a acolher a junta porta. com interposição de material resiliente
de borracha destinada a criar um Finalmente, os esqueletos das de 4 mm entre elas e os perfis, e,
fechamento hermético. Finalmente, as portas são unidos e colados com também, entre elas e a parede, de
portas foram fixadas às dobradiças e prensas, como vemos na figura “M”. maneira a formar um compartimento

julho/2005  27
Acústica

fechado de 10 cm entre a camada da linha dos lábios e do conjunto – pequenos conjuntos, testes objetivos
superior de gypsum e a laje de olhos/sobrancelhas mostram um e medições e experiências diversas de
concreto. Nos lugares apropriados, a sorriso enigmático que, também, é audição e, eventualmente, gravações).
estrutura de suporte foi reforçada uma mistura que inclui ironia ... Mas Para isso, a sua construção – uma vez
para suportar trilhos metálicos com não tristeza. Mais parece um sorriso decidido o tipo a ser empregado e
parafusos sobressalentes na parte sádico. Vai saber... Deve ser por ver elaborados os cálculos correspondentes
inferior, nos quais serão fixados outros a enrascada em que a Mara e eu – inclui dispositivos que permitam sua
trilhos que permitirão que o falante estávamos para por toda a engenhoca mobilização fácil de um lugar a outro
central, a tela e o projetor possam no seu lugar. da sala, ou, inclusive, a sua remoção.
ser suspensos de tal forma que Ar Condicionado Dadas as características apresentadas
possam ser retrocedidos ou avançados A colocação dos andaimes para pela sala, parece ser necessária
para configurar o equipamento para a instalação da laje de gypsum absorção na faixa de 80 a 500 Hz
qualquer conjunto de projetor ou tela. permitiu refazer e completar detalhes e pequeno reforço acima de 8 kHz.
O falante central será acoplado a um da instalação de ar condicionado, Tudo com moderação, já que as curvas
sistema que o fará subir ou descer que tem se mostrado extremamente de resposta verificadas são bastante
segundo necessidade e a tela será, eficiente e silencioso ao extremo. lineares. A marcenaria instalada na
também, levadiça. Houve necessidade de retirar os garagem de casa e o domínio da arte
O levantamento de peso deste dutos de reciclagem de ar, cuja pelo experiente Macinho facilitam e
tipo de laje suspensa de gypsum estrutura vemos na figura C1 para agilizam o processo. Exceção foram
requer cuidadoso estudo das cargas permitir o acoplamento elástico os difusores de altas freqüências, que
e do sistema de suspensão. Em todo da laje suspensa com as paredes. foram comprados prontos.
caso, não é comum (tendo em conta Posteriormente os dutos foram Os condicionadores que utilizaremos
que o falante central deverá pesar recolocados. Simultaneamente foram a princípio são de três tipos: difusores
cerca de 40 kg). Afortunadamente, colocadas as grelhas dos dutos de de resíduo quadrático, absorvedores
contei com a ajuda e compreensão saída de ar refrigerado (figura C2) resistivos e absorvedores de membrana.
da Engenheira Mara (Figura “G6”), e regulada a vazão de ar para uma Explicações sobre como funcionam
cujo profissionalismo permitiu que as velocidade uniforme em cada uma e como serão aplicados neste caso
estruturas fossem fixadas de acordo das três grelhas de 1,5 m/segundo. serão dadas em artigo próximo. Todos
com o que eu especifiquei. Esta se mostrou uma condição eles – menos os difusores de altas
Inicialmente, após retirar todos essencial para se obter o baixíssimo freqüências (figura “D4”) – foram
os elementos frágeis da sala, foram ruído que verificamos no final. Os construídos no local.
colocados os andaimes (figura “G1”, acoplamentos das tubulações de ar Foram construídos doze difusores
após o que o pessoal a cargo da no ambiente do laboratório foram de freqüências médias (figura “D1”),
Engenheira Mara procedeu, com retocados para garantir vedação na medida de 0,60 x 1,20 m. Eles
muita rapidez e conhecimento da absoluta e impedir qualquer vazamento serão colocados sobre caixas de 0,60
tarefa, a colocação dos suportes e sonoro entre o laboratório, a sala x 0,44 m com rodas giratórias (Figuras
das sucessivas camadas de gypsum de áudio e o interior das tubulações “D2” e “D3” – esta última mostrando
(figuras “G2”, “G4”, “G5”). A figura (Figura C3). Finalmente, foi instalado mais detalhes), que têm como objetivo
“G3” mostra parte da colocação definitivamente o filtro sonoro da elevar o difusor, de maneira que seu
dos conduítes para a fiação dos tomada de ar externo, como vemos centro esteja à altura dos ouvidos.
componentes mencionados que serão na figura C4. A caixa metálica que Um objetivo secundário destas caixas
suspendidos abaixo da laje. Os vemos será posteriormente recoberta e será o de guardar LPs. Como pode ser
elementos de suspensão e os terminais pintada. visto, nas fendas laterais do difusor
da fiação podem ser vistos na figura Os condicionadores acústicos existem divisórias horizontais onde
“G8”. Os elementos de suspensão serão Um dos critérios básicos no serão colocados CDs ou DVDs, já que
fornecidos por André, da AVA Projecta. conceito desta sala é o da sua a altura desses discos é exatamente
A figura “G7” nos mostra o Eng. adaptabilidade acústica para permitir a que teriam as fendas se fossem
Giner no meio do processo. acomodá-la a diversas situações de completadas com madeira. As rodas
De que ri o Giner? uso (mudança de caixas acústicas permitem mobilizar os difusores,
Como na expressão da Mona em teste, audição em estéreo ou multiplicando, assim, sua utilidade
Lisa (ou “La Gioconda”), o estudo multicanal, audição de música ao vivo e permitindo mudar características

28  julho/2005
Acústica

acústicas da sala para acomodar


diferentes caixas de alto-falantes para
teste. Todos os componentes restantes
(absorvedores resistivos, absorvedores de
graves ou de faixa ampla) serão móveis
da mesma forma).
Continuaremos na próxima edição.
Até lá.
Boas músicas!

julho/2005  29
Acústica

30  julho/2005
julho/2005  31
Acústica

32  julho/2005
Acústica

“Brincando nos campos do Senhor...” 


Construindo uma sala de audição dedicada  
com alguns compromissos inevitáveis
Parte X

Víctor A. Mirol
v.mirol@uol.com.br
vmirol@clubedoaudio.com.br

Medindo resultados iniciais graus de liberdade). seja adequada para se obter um


Um problema fundamental na 2. O uso pretendido: estereofonia equilíbrio tonal, timbre e palco sonoro
construção de salas para áudio é e multicanal, com prioridade para adequados. Se nos graves podemos
que, na maioria das vezes, mesmo o estéreo (os requerimentos para ter uma pré-visualização razoável do
que sejam tomadas todas as previsões multicanal estão longe de serem padrão da sonoridade, em freqüências
cabíveis, a acústica final dependerá de totalmente conhecidos e ainda são mais altas – de comprimento de onda
tantos fatores que o resultado – como motivos de estudo, além do que ainda menor – as interações são tantas que
quase tudo em áudio – só poderá existe uma grande diversidade na o comportamento é quase totalmente
ser conhecido ouvindo-se o resultado. forma de serem realizadas as gravações imprevisível, salvo nos aspectos mais
Isso acontece em qualquer sistema multicanal). básicos.
que incorpore um grande número de Quando colocamos dois alto- Pelo que foi comentado até aqui
variáveis ou, em sistemas ressonantes, falantes na configuração em estéreo sobre a complicação adicional que a
vários graus de liberdade. Em especial, habitual, temos duas fontes de graves existência de duas – ou mais – fontes
quando devem ser adotados graus de separadas, que irão interagir com os de graves implica, podemos entender
compromisso (um engenheiro amigo me limites da sala, criando irregularidades que muitas vezes ouvimos algum
diz sempre que engenharia é sempre na resposta mais ou menos sérias, o audiófilo dizer que depois de tanto
solução de compromisso, de escolha que depende da resposta específica tempo ouvindo estéreo, ouvir uma
de alternativas), sejam de espaço, de do alto-falante, das distâncias do boa gravação mono é um refresco e
uso múltiplo, de custo e outros tantos. woofer à parede do fundão, à lateral uma forma muito adequada de ouvir
Neste projeto foram tomadas todas as e ao chão. Além disso, a existência de música. É que em mono podemos
precauções e foram realizados todos os duas fontes de graves fará com que colocar o alto-falante na melhor posição
cálculos prévios – na etapa de projeto existam interferências entre elas, com dentro da sala sem ter que levar em
– que foram necessários e possíveis. dificuldades adicionais e a resposta consideração outra fonte de graves, nem
Simulações computadorizadas; estimativas ouvida dependerá do local especifico a criação da imagem estéreo em médias
de diversos parâmetros acústicos em que o ouvinte decidir situar-se. e altas freqüências.
a serem atingidos; alternativas de Quando falamos de estéreo, somente Se até aqui parece complicado
adaptação ao lugar disponível e outros. os fatores enumerados são suficientes (encontrar os lugares de colocação
De todos eles, os mais complicados para que qualquer cálculo prévio seja dos falantes em estéreo e do ouvinte),
de pré-definir foram: necessariamente viciado pela enorme imaginem o que acontece quando
1. O uso de paredes laterais não complexidade da interação dos diversos pensamos em acrescentar um par
paralelas (quase todas as “fórmulas” e fatores. Para completar, mesmo que – ou mais – de alto-falantes laterais
cálculos existentes estão previstos para localizada uma situação ideal para os ou posteriores. Simplesmente teremos
salas retangulares regulares, o que faz falantes em termos de graves, teremos que encontrar posições para esses dois
mais fácil o cálculo dos modos de que fazer um compromisso para que a adicionais onde a curva de resposta
ressonância da sala por incluir menos resposta percebida no resto do espectro seja o mais similar – ou complementar

agosto/2005  23
Acústica

– com os dois do par estéreo. Isto de médios-agudos é muito complicado de maneira a não se prejudicarem entre
explica, em parte, porque do uso de e, muitas vezes, a transição entre ambas eles e, ademais, encontrar uma posição
subwoofers com falantes de resposta fica muito perceptível auditivamente. do local de escuta que fosse adequado.
limitada em graves para o resto seja Ainda faltava que o massacre auditivo O canal central me preocupava menos,
comum. Desta forma, usando-se o sobre o mercado chegasse aos níveis por sua menor importância em música.
gerenciamento de graves dos receivers atuais, onde é possível vender um O projeto final permite usar estéreo
digitais, livramo-nos do problema de mini-system barato com subwoofer de ou multicanal com possibilidades de
várias fontes de graves na mesma sala, plástico, de sonoridade insuportavelmente experimentação, já que tanto a tela
com o que o problema fica limitado, ruim e que chegasse o HT que, com quanto o projetor estarão montados
nos graves, a uma localização adequada o canal “.1” discreto, fizesse mais sobre trilhos que permitem acompanhar
do subwoofer e, no resto do espectro, a tentadora a idéia de usar subwoofer, qualquer posição escolhida dos falantes
uma localização, pensando-se unicamente em especial porque o objetivo era o frontais. O falante do canal central
no timbre e no palco sonoro (mesmo de “efeitos especiais” (vulgo, ruídos, é removível por meio de um micro-
com essa simplicidade, vemos, às vezes, explosões, etc) onde a tal interação guincho e também pode acompanhar
aberrações tão gritantes na distribuição carecia de importância. Mesmo porque a movimentações da tela e dos falantes
de caixas nas instalações de HT...). existência da tela do vídeo faz com que frontais por meio de trilhos.
No fundo, o grande problema a nossa sensibilidade para as nuances Tudo isso para dizer com que
dos sistemas multicanal reside nos menores do áudio seja muito diminuída. angústia esperei os resultados das
graves, pela profunda interação entre Conclusão: se resolvidos os problemas medições que fizemos com Giner,
as diferentes fontes de graves quando de interação entre subwoofer e falantes semanas atrás. Eu já sabia que a sala
usadas caixas de espectro completo, de médio-agudos, o uso do primeiro estava soando surpreendentemente
sem bass management. Quando mais facilitaria enormemente a instalação de bem em estéreo e em multicanal
jovem, eu acreditava muito em que sistemas de áudio multicanal. (quatro canais), apesar de certa
a divisão das freqüências graves para Isso não está claramente resolvido tendência à sonoridade “gorduchinha”
serem reproduzidas por subwoofer, para mim, ainda. Em primeiro lugar, (predominância em graves altos-médios
deixando as caixas laterais somente pela tal da faixa de cruzamento entre baixos). Não percebia modos ressonantes
para o resto do espectro e o palco os dois. Em segundo lugar, porque predominantes, e o silêncio era abissal,
sonoro era a melhor solução. Em não existe um processador analógico mesmo com o ar condicionado ligado.
grande parte, porque limitava a que consiga resolver o problema do Usando um microfone Bruel & Kjaer
excursão necessária do cone do falante gerenciamento de graves sem entrar rigorosamente calibrado, pré-amplificador
para a reprodução das freqüências no âmbito digital (o que representa ad-hoc e software de última geração,
mais graves, com sérias implicâncias um outro problema se não for feito foi inicialmente obtido o nível de ruído
como, por exemplo, o efeito doppler. adequadamente), salvo em níveis de da sala, com e sem ar condicionado. O
Tanto que o primeiro experimento com preços muito altos (onde também nível foi absurdamente baixo. Um NC
essa finalidade apareceu no mercado poderia ser resolvido o problema de de 22 (e 23 com ar condicionado) foi
brasileiro no fim da década de oitenta, uma outra forma: com equalização determinado. Chamou a atenção que o
por meio da Cygnus, a quem levei essa de graves realizada com equipamentos que impedia que o NC fosse de 17 era
perspectiva. Eles a concretizaram num adequados, uma outra possibilidade). um ruído de alta freqüência, de 8 KHz
modelo comercial depois de longas e Dessa maneira, resolvi partir para uma para cima, cuja origem não pudemos
agradáveis conversas no laboratório de sala que servisse para ouvir estéreo ou encontrar na hora.
projeto. Não houve grande resultado multicanal. Em princípio com caixas de A seguir, verificamos a curva geral
comercial. Em parte, porque o mercado faixa completa, porque nada impede da sala para pesquisar modos em baixas
já estava suficientemente invadido e usar depois um subwoofer e limitar freqüências, inicialmente com o falante
trucidado pelos mini-systems, além de eletronicamente a faixa dos outros em um canto e o microfone no canto
pouco interesse em áudio para sustentar canais. oposto, em diagonal. A curva foi muito
experiências desse tipo e, também, por Agora estava então, com o problema plana, mais do que costumamos ver
um outro problema básico: a experiência de imaginar se poderia ser encontrada nesta fase da construção, ou seja, sem
mostrou que resolver o problema da uma forma de colocar pelo menos nenhum condicionamento acústico (sala
interação do subwoofer com a(s) caixa(s) quatro falantes de espectro completo vazia, diríamos). Nesse ponto, Giner

24  agosto/2005
Acústica

ela estar ainda sem condicionamento


acústico. O mais notável é a falta de
modos ressonantes perturbadores e o
equilíbrio tonal, mesmo que exista certa
tendência “gorducha” no som que pode
ser explicada pela análise das curvas
das figuras acima. Destaco que nela
foram ouvidos não só os componentes
de reprodução mostrados na figura, mas,
também, grupos musicais (um quarteto
de cordas e o conjunto de tango “De
Puro Guapos”) com mais de dez pessoas
como público, com um resultado
extremamente agradável.
Encaramos agora a última
fase, que é o ajuste acústico fino.
Afortunadamente é “fino” por não haver
nada grave a corrigir.
Continuaremos num próximo
calculou, com esses dados, a posição as caixas laterais para ouvir música. A número, pois, agora, é hora de moleza
ideal para um par de falantes estéreo curva é mostrada na figura “A3”, onde – por alguns dias – ocupando o meu
e para o ouvinte. Quando fomos ver, vemos uma situação muito parecida, “hot spot”... (figura “A4”). Acabou de
ficamos gratamente surpresos porque a que parece muito promissora... chegar minha edição em 45 rpm do
posição do ouvinte era exatamente a Estou extremamente animado por “Mendelssohn in Scotland”, incluindo a
que eu tinha encontrado auditivamente esses resultados, que são realmente maravilhosa “Fingal’s Cave” por Peter
e a que usava habitualmente para difíceis de obter em qualquer sala Maag!! (DECCA SXL 2246 LSO, Peter
ouvir música. A dos falantes frontais nesta fase da construção. Vejo que Maag: este foi o LP com que me foi
estava com uma diferencia de 15 cm resta muito pouco a fazer em termos mostrado, na década dos 60, um dos
para trás e para dentro da que eu de condicionamento acústico e que em últimos McIntosh da época – que
tinha escolhido por audição. Gratamente breve poderei estar relatando a vocês eu só podia olhar e ouvir... na loja!
surpreendidos, decidimos verificar a as medições e os resultados auditivos Lembro que só comprei o LP, que ainda
diferença de resposta colocando o definitivos da sala. É, também muito
falante na posição ideal encontrada agradável realizar que as medições
e o microfone no local de escuta e, confirmam os resultados já percebidos
depois, passando a caixa para a posição pela simples percepção auditiva.
aproximada que eu tinha estado usando. É claro que, logo que possível,
Obtivemos muito pouca diferença. montei o conjunto de componentes
O que vemos na figura “A1” que haviam sido retirados para a
é a curva com a caixa na posição construção da laje suspensa. Vemos
encontrada auditivamente e o microfone aqui (figura “A3”) as caixas Dynaudio
no hot spot. Podemos ver que não 5.4, o pré-amplificador McIntosh C200,
existem grandes picos da resposta na os amplificadores monoblocos McIntosh
faixa dos graves (até 200 Hz) e que MC501, O CDPlayer Sony 777-ES, a
as existentes estão distribuídas. O que bandeja Rega Planar 9 com braço
admira é que a diferença de níveis R1000 e outros componentes, todos eles
entre 50 Hz e 10KHz é de somente colocados sobre a laje flutuante.
+6/-2 dB. A sonoridade da sala é algo que
Nesse ponto, colocamos a caixa surpreendeu as pessoas que tiveram a
no local em que eu havia colocado oportunidade de ouvi-la, em especial por

agosto/2005  25
Acústica

Figura A2 Figura A3

A4

Fornecedores mencionados
Gfk Forros de Gesso Ltda
Engenheira Mara Lúcia Paulino, 3208-8000
FERMOD Fechaduras Ltda
5521-0133

26  agosto/2005
Acústica – Construindo uma Sala de Audição

“Brincando nos campos do Senhor...”


Construindo uma sala de audição dedicada
com alguns compromissos inevitáveis
Parte XI

Víctor A. Mirol
v.mirol@uol.com.br
vmirol@clubedoaudio.com.br

Estaria chegando a hora de tempo de reverberação razoável Krell Resolution 1 (ver Review na
fazer um resumo de tudo o que (perto de 1,3 segundos, levado a edição 108), as surround Krell
foi realizado até agora para ajustar aprox. 0.6s) e, fundamentalmente, Resolution 33, tela de projeção da
a sala da qual nos ocupamos sem ressonâncias preocupantes nas Av a Pr ojeta (projetor e DVD player
Projeta
nesta série de artigos. Quero – e freqüências baixas. As medições estão chegando). A acústica foi
espero poder fazê-lo – publicar indicavam um baixíssimo nível de assessorada por Giner.
esse resumo nas próximas edições. ruído (as últimas, medidas por Na marcenaria montada em
Minha desculpa é a tradicional Giner, mostraram algo como 17 dB casa, foram construídos muitos
falta de tempo, ainda mais agora, com o ar condicionado desligado, absorvedores de lã de rocha,
com a nova sede, o novo site, e e 21 dB com ele ligado). difusores de resíduo quadrático de
os preparativos do Hi-Fi Show no Inicialmente, instalei nela médias freqüências (e um par de
Anhembi. Entretanto, relatarei amplificação Conrad Johnson alta), absorvedores de lamela nos
algumas experiências no Premier 12
12, pré Audible Illusions quatro cantos da sala. Houve
condicionamento acústico. Mod 3 A A, SACD Sony XA777ES
XA777ES, problemas de flutter-echo entre o
A sala nasceu já com boas caixas frontais Dynaudio 3.3 a teto e o chão que – depois de
características acústicas. As paredes surround Dynaudio 3.0 3.0. No diversas tentativas – acabei
de tijolo à vista e com paredes momento, estou usando pré resolvendo com uns maravilhosos
laterais divergentes levam, no meu McIntosh C200
C200, powers monoblocos difusores bidimensionais de resíduo
entender, parte do mérito. Desde a McIntosh MC501
MC501, pré-amplificador quadrático, que estavam em casa
primeira vez em que conectei o home-made para os canais há vários anos. A facilidade com
equipamento – ainda sem surround, alimentados por que resolvi o problema chamou
condicionamento acústico – já McCormack DNA-1 de Luxe novamente a minha atenção
soava muito bem. Isto é, com Edition
Edition. As caixas frontais são sobre esses pequenos e

46 setembro/2006
extremamente eficientes difusores. horizontalmente.
Como visto na figura 01, consistem Podemos
em pequenas saliências e identifica-los
entrâncias realizadas de acordo porque os
com cálculos, onde suas medidas elementos
(largura e comprimento, ou seja, refletivos têm
área exposta frontal) definem os forma linear (num
limites de freqüência de sua plano, um
abrangência, e as distintas sentido). Outros
profundidades das entrâncias difundem em
determinam a forma com que forma
difundirão as ondas que chegam a tridimensional
eles. Estes difusores, chamados abrangendo 360
também de “QRD”, formam parte graus hemisféricos
Figura 1: difusores 3D
de uma família de difusores que (na realidade
inclui os “MLS” (Maximum Length estrita, em dois
Sequence) e os “PRD” (Primitive planos a 90 graus um do outro), poucos e precisaria de mais
Root Difussor). Todos eles como é o caso dos da figura 1 e alguns para cobrir parte do teto
“quebram” qualquer onda sonora o detalhe na figura 2, onde os da sala e, também, para
incidente dentro das freqüências elementos são (idealmente) experimentar como difusores para
de abrangência de cada projeto pontuais formando padrões num primeiras reflexões e ainda, embora
procurando obter uma difusão de plano, dois sentidos. Quando as menos importante, para modificar o
igual intensidade num amplo placas são unidirecionais, podemos espectro tonal da reverberação da
ângulo com a menor absorção combinar várias delas em sentidos sala. Sabemos que se usarmos
possível. Desta maneira, a onda opostos para obter, no geral, um somente absorvedores – de longe
não é refletida como o seria se padrão bi-direcional. Destacamos os mais comuns elementos de
incidisse na parede e não formaria que, em geral, as dimensões das tratamento acústico de salas em
uma imagem que possa confundir protuberâncias (o topo delas) conjunto com as armadilhas de
o cérebro, como é no caso das determinam o limite superior de graves – é bem possível que
primeiras reflexões (nas paredes freqüências – quanto menores, tenhamos demasiada absorção em
laterais, nas paredes frontais e nas mais alta a freqüência – e a altas freqüências por que os
paredes posteriores, assim com no profundidade delas o limite inferior graves precisam absorvedores
teto). O efeito obtido é uma maior – quanto mais profundas, menor a maiores e mais complexos pelo
precisão na formação de imagens freqüência. longo comprimento de onda. Isto
do palco sonoro sem absorver Tempos atrás havia tentado pode criar um dilema: muita
demais freqüências medias e altas, comprar mais deles, já que possuía absorção com som apagado e
como seria o caso se graves parcialmente
fossem usados “domados” ou sonoridade
absorvedores (que é uma melhor nos agudos e
prática bastante comum). A graves incontroláveis. O
energia sonora não problema era que o
absorvida é reintegrada ao fabricante, Kreische
Kreische, tinha
meio acústico da sala interrompido a produção
contribuindo para formar o e venda há vários anos.
ambiente reverberante Eu insisti na possibilidade
difuso. A maioria de estes de obter algumas peças, e
dispositivos estão cogitei a possibilidade de
construídos de maneira a fazer moldes e injetar
difundir as ondas espuma neles, mas a
incidentes num plano (bi- empreitada revelou-se
unidimensional), vertical ou Figura 2: detalhe dos difusores 3D. complexa demais para

48 setembro/2006
poucas peças. Uma das que desejo destacar enfaticamente: matemático que é, justamente, o
características que mais chamava o usuário terá peças (placas de que fará que as ondas incidentes
minha atenção era que o peculiar nn x mm cm) com furações e sejam refletidas não como imagem
desenho destes difusores permitia adaptadores que permitirão montar plana com ângulo de emergência
que, quando colocadas várias conjuntos de difusão/absorção, igual ao de incidência, mas em
peças lado a lado, formava um tanto de médias como de altas direções múltiplas dentro do plano
outro padrão de difusão que freqüências, de modo a adaptar a que coincide com o maior
incluía freqüências menores, o que sua sala de forma específica. Ou comprimento (transversal às
aumentava a sua eficácia em poderá, se preferir, usar a versão endentações). Á diferença dos
partes importantes das freqüências “mobiliada”, que consiste nas multidimensionais, as bordas são
médias. mesmas placas colocadas dentro arredondadas, o que pode alargar
Observando a figura 01 de uma caixa com acabamento a faixa de freqüências úteis.
podemos ver dois grupos de menos “profissional” e mais Ambas são montadas sobre
absorvedores na parede frontal da adaptáveis a salas de estar. Como placas de madeira que possuem
sala, atrás dos falantes (a superfície os tamanhos são pequenos, a furações nos cantos para serem
em detalhe pode ser vista na adaptabilidade é máxima. Um utilizadas em conjunto com
figura 02) e à frente dos usuário curioso poderá por as parafusos, porcas e placas de
absorvedores. Observem que a mãos na massa e montar seu união, para formar conjuntos de
agrupação de difusores (neste caso, próprio sistema de absorção/ peças. Podemos ver o detalhe na
quatro por painel) cria um outro difusão e, melhor ainda, figura 04 e o nosso mestre
padrão de saliências de tamanho experimentar com ele, que é a marceneiro Mazinho montando um
muito maior. As pequenas melhor maneira de aprender coisas grupo de difusores de freqüências
saliências fracionam as ondas de que parecem muito complicadas médias na figura 05.
pequeno comprimento, enquanto o de abordar teoricamente, como a Na figura 03 pode ser visto que
padrão maior fraciona as ondas de acústica da sala. Neste artigo o difusor mostra uma similaridade
comprimento maior, alargando a focalizo os difusores e, dentro com o das figuras 01 e 02 no
faixa útil do dispositivo para deles, os desprovidos de móvel. sentido de protuberâncias
incluir freqüências médias. Vemos, na figura 3, uma placa irregulares que obedecem a um
Se, até aqui, der a impressão difusora e, de lado, uma placa padrão matemático. Porém, como já
de que amo estes difusores...é por absorvedora, ambas para dizemos, há uma diferença: no
que, realmente, são excelentes. Têm freqüências altas. primeiro caso, esses padrões
feito maravilhas na minha sala e Podemos observar que o podem ser vistos em ambas as
serão usados para difusão geral no absorvedor, de espuma de baixa direções da placa, enquanto na
teto de gipsum. densidade, possui um padrão de figura 03 observamos que as
Agora a notícia boa: a Kreische endentações simétrico, que atuam protuberâncias são lineares. Isto
decidiu re-introduzir os difusores, como lamelas. Já o difusor possui mostra que a difusão destas placas
agora com nova concepção e um perfil de endentações que é num sentido (o da maior
formato, com uma particularidade obedecem a um padrão dimensão) sendo que nas

Figura 3: placa difusora e absorvedora Figura 4: ensamble de placas. Figura 5: montagem de uma coluna de
de freqüências médias difusores de freqüências medias.

50 setembro/2006
primeiras é nos dois sentidos. Por bidimensional destinado a difundir O conjunto pode ser
isso veremos, mais adiante, que as primeiras reflexões. As duas observado na figura da abertura
pode ser conveniente misturar as placas inferiores e as duas desta matéria. Vemos, da esquerda
posições das placas quando se superiores mediais difundem para direita, um grupo difusor
monta um conjunto, de maneira a horizontalmente. As dos extremos lateral, um difusor de canto na
obter difusão em dois sentidos, se súpero-laterais, verticalmente. Vemos, frente do absorvedor de lamelas,
for necessário. também, um dos difusores de o grupo frontal, o outro difusor
Se você instalasse um grupo de canto, formado por quatro pares de canto e lateral. Observe que,
placas no teto – ou no fundo da de difusores de médias freqüências. nos conjuntos laterais, uma das
sala –, por exemplo, você poderia Estes difusores são também placas difusoras está substituída
preferir uma difusão bidimensional utilizados no conjunto de placas por uma placa absorvedora. Vemos
e usar placas colocadas com do painel frontal. o CD player Sony XA777ES
XA777ES, os pré
sentido alternado (a maior A figura 07 mostra o clássico e power McIntosh
McIntosh, dois
dimensão alternando a 90 graus). recurso de um espelho paralelo à monoblocos Audiopax
Audiopax, um MSB
Já se o objetivo for difundir as parede para encontrar o ponto em Platinum Plus
Plus, o pré caseiro
primeiras reflexões nas paredes que deve ser colocado o difusor sobre a plataforma oscilante. As
laterais, poderiam ser utilizados (ou absorvedor, se for o caso) caixas são as Krell Resolution 11.
grupos de placas num sentido só. dessas reflexões. Na extrema esquerda, um
Neste caso, buscaríamos a difusão Como vemos, o centro do absorvedor de umidade (procuro
horizontal e as placas seriam painel cobre as imagens de ambos manter a temperatura entre 18 e
colocadas com a sua dimensão os falantes frontais. Ondas sonoras 21 graus e a umidade em torno
maior no sentido horizontal. provindas deles serão difundidas de 60/65%). Os absorvedores
Numa primeira aproximação, (no caso, predominantemente no laterais e frontal estão sobre
utilizei a sugestão do incansável e sentido horizontal), fazendo com caixas que contém LPs, que
dedicado Kreische
Kreische: um padrão que não possa ser formada uma constituem um componente
bidimensional nas laterais da sala, imagem acústica deles no ponto absorvedor adicional, embora
difusores de médios nos cantos e de escuta. Isto, como sabemos, poderiam ser colocadas
uma composição de difusores de melhora muito o foco e a diretamente no chão, já que entre
altas e difusores de médios na claridade do palco sonoro e das os acessórios fornecidos, existem
frente da sala. Desta maneira, toda imagens nele contidas. suportes (pés) para esse fim.
a parte frontal da sala é difusora. Na figura 08 vemos um detalhe Independentemente de um
Posteriormente farei uma criteriosa do painel frontal que contém um review específico a ser realizado,
audição para determinar qual seria grupo de placas difusoras de esse conjunto de difusores e
a melhor combinação de difusão/ médios, rodeado por placas absorvedores cativou minha
absorção para minha sala. difusoras de altas freqüências atenção pela inovação de
Na figura 06 vemos um detalhe orientadas em forma bidimensional conceito em dois sentidos: em
de um painel lateral com difusão (verticais e horizontais). primeiro lugar, uma forma criativa

Figura 6: painel lateral bi-dimensional e difusor Figura 7: posicionamento do painel lateral. Figura 8: detalhe do painel frontal.
de canto de médios.

52 setembro/2006
e bem estudada de desenhar os acoplar uns aos outros para apareceram num momento muito
difusores, onde diferentes formar diversas combinações de apropriado do setup da sala. Agora
dimensionamentos são combinados difusão, absorção, ou ambos irei experimentar à vontade.
com bordas arredondadas, o que combinados, em qualquer sentido, Seguimos experimentando com
– previsivelmente – deve melhorar tanto para freqüências médias e multicanal, com resultados muito
o comportamento nas freqüências graves altas, como de médias e satisfactórios. Neste Hi-Fi Show
limite da banda de ação. Por altas. O mais importante, a meu estarei passando algumas
outra lado, a existência de duas ver, é a facilidade com que o impressões sobre o tema para
versões – com diferente visual audiófilo curioso pode montar leitores interessados.
estético e os mesmos diferentes conjuntos de A sala está quase pronta e
componentes – o que permite dispositivos e pesquisar, usando está sendo utilizada cada vez mais
uma escolha adequada para cada seus prezados ouvidos, para para testes e comparações. Uma
caso. As versões “bem determinar com certa facilidade a vez instalado o sistema de vídeo
comportadas” permitem o melhor combinação para seu caso servirá, também, para esse fim já
empilhamento com facilidade, sem particular. Ao mesmo tempo, que ela está concebida para ser
necessidade de ferramentas, e se permite experimentar os conceitos completamente configurável em
adaptam muito bem a ambientes básicos de acústica de salas, distâncias e luminosidade
comuns. As “profissionais” são observando o efeito sobre a ambiente. A próxima tarefa será
mais leves e, portanto, podem ser sonoridade de cada combinação. montar uma Metodologia para
colocadas em paredes ou tetos Segundo Kreische
Kreische, estes reviews de vídeo e iniciar a
com facilidade, já que vêm componentes estarão disponíveis montagem do laboratório de
dotadas de orifícios para fixação. no Hi-Fi Show. testes.
Esses mesmos orifícios, junto com A primeira impressão que tenho Boas músicas e bons
os acessórios fornecidos, permitem deles é muito favorável e experimentos!

54 setembro/2006