Você está na página 1de 64

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO N.

º 1
ÍLHAVO, 11 DE JANEIRO DE 2009

HOMEM DO LEME

BOLETIM INFORMATIVO DO LIONS CLUBE DE ÍLHAVO


ANO LIONÍSTICO 2008 - 2009
HOMEM DO LEME
FICHA TÉCNICA / ÍNDICE

FICHA TÉCNICA
BOLETIM “HOMEM DO LEME” PROPRIEDADE:
BOLETIM INFORMATIVO SEMESTRAL LIONS CLUBE DE ÍLHAVO
LIONS CLUBE DE ÍLHAVO RUA DR. MARQUES MOURA, 13
3830 - 192 ÍLHAVO
ANO LIONÍSTICO 2008-2009
N.º 1 - JULHO / DEZEMBRO 2008 DIRECÇÃO AL 2008 / 2009
CL ANTÓNIO ROCHA
DIRECTOR: CL ANTÓNIO ROCHA CL MANUELA BRITO ROCHA
antónio.lemos.rocha@gmail.com CL ELVIRA ALMEIDA
CL ANTÓNIO NOVO
EDITORA E TRATAMENTO GRÁFICO: CL DIANA NOVO - CL SUSANA RINO
arqt.diananovo@gmail.com
ÍNDICE
 EDITORIAL - CL DIANA NOVO p. 3  SIMPÓSIO DA FAMÍLIA - CL TERESINHA NOVO p. 34
 MENSAGEM DO PRESIDENTE DO CLUBE - CL p. 4  RESUMO DAS ACTIVIDADES AL 2008/2009 - CL p. 35
ANTÓNIO ROCHA ELVIRA ALMEIDA
 O FAROL DO LIONISMO EM ÍLHAVO VAI PASSAR p. 7  FERMENTO OU MASSA INERTE? - CL JOÃO p. 43
A TER MAIS BRILHO! - CL PAULO FERREIRA MARTA
 NASCEU UM CLUBE LION! - CL DG LUCINDA p. 8  COMISSÃO DE ACTIVIDADES PARA A SAÚDE - p. 45
FONSECA CL ODETE MARQUES
 NATIVIDADE - CL PID RUI TAVEIRA p. 9  VEMOS, OUVIMOS, LEMOS… E SENTIMOS - CL p. 46
AGÍLIO ABRANTES
 LIONISMO… UMA ESCOLHA… - CL CC AVELINA p. 10  SOLIDARIEDADE - A CAMINHADA PARA QUE p. 48
ANGEIRAS SEJA SEMPRE NATAL - CL CRISTINA CARDOSO
 ESTIMADOS COMPANHEIROS LIONS - P.C.M. DE p. 11  A PACIÊNCIA É UMA GRANDE VIRTUDE - CL p. 50
ÍLHAVO ENG. RIBAU ESTEVES BALTAZAR MENDES
 MENSAGEM - P.C.M. DE CAMINHA DRA. JÚLIA p. 12  MOMENTO DE LAZER BRINCANDO COM COI- p. 51
PAULA SAS SÉRIAS - CL MANUELA ROCHA
 VIVER O LIONISMO COM AMOR - CL MANUEL p. 13  PROCURANDO - CL ISABEL CASTRO p. 52
AMIAL
 A SINOPSE DE UM SONHO QUE SE TORNOU p. 15  A ESPERANÇA NO FUTURO - CL ANTÓNIO p. 53
REALIDADE - CL TERESINHA NOVO NOVO
 CAROS AMIGOS… - CL PDG SINTRA COELHO p. 19  É PRECISO RENASCER - CL ELVIRA ALMEIDA p. 54
 RECORDANDO - CL ISABEL CASTRO p. 21  A MÚTUA DOS LIONS - A SOLIDARIEDADE p. 55
COMEÇA PELOS NOSSOS - CL PDG CARVALHO
LOPES
 A CRISE - CL CARRETO LAGES p. 22  VIVEU-SE NATAL - CL ANTÓNIO ROCHA p. 56
 DE NÚCLEO A LIONS CLUBE - CL MANUELA p. 24  DIPLOMA - FUNDAÇÃO DO NÚCLEO FAROL DA p. 58
ROCHA BARRA
 ANGARIAR PARA DISTRIBUIR - CL ANTÓNIO P. 26  LISTA DE PRESENÇAS NA FUNDAÇÃO DO p. 59
NOVO NÚCLEO FAROL DA BARRA - CL ANTÓNIO
ROCHA
 O SEGREDO - CL ELVIRA ALMEIDA p. 27  MEMBROS DO CLUBE p. 62
 DIFICULDADES - CL PCC NEIVA SANTOS p. 31  GALHARDETE DO CLUBE - CL DIANA NOVO p. 63
 NÚCLEO FAROL DA BARRA / LIONS CLUBE DE p. 32
ÍLHAVO - CL PDG SERRA CRUZ
 UM FAROL A SEGUIR - CL PDG CARVALHO LOPES p. 33

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 2


HOMEM DO LEME
EDITORIAL C L D IA N A NOVO

A vida dos Lions é um constante desafio!

Um desafio à inovação, ao empenhamento e ao serviço.

Embora recém admitida neste Barco da Solidariedade que é o Lions Clube de


Ílhavo, já fui chamada a assumir tarefas, como mandam as boas regras do nos-
so Movimento.
Não se vá perder o entusiasmo e a ilusão de quem decidiu abraçar o Lionismo!

O desafio para ser a editora desta nossa Revista.

Uma tarefa que não sendo fácil, não podia recusar, já que o exemplo de empe-
nhamento no Lionismo que tenho em casa não me permitia grandes alternati-
vas. Por isso, aqui estou a dar os primeiros passos!

Com a força e o entusiasmo da minha juventude e de quem está habituada a


idealizar e a concretizar projectos, um jeito que me ficou do meu curso de
arquitectura.

Mas como a perfeição absoluta nunca é atingível e porque a humildade deve


ser uma característica dos Lions, devo reconhecer as insuficiências do meu tra-
balho e implorar a benevolência dos nossos leitores.

Sendo este o meu primeiro editorial ao leme desta Revista devo agradecer a
confiança em mim depositada e testemunhar o meu agradecimento aos cola-
boradores desta edição (em especial à minha mãe pelas noitadas a trabalhar-
mos em conjunto…), que enriqueceram e tornaram viável este projecto.

Por fim gostaria de referir o prazer que sinto em pertencer ao Lions Clube de
Ílhavo! Não só pela amizade e companheirismo que se vive entre a tripulação
desde Barco da Solidariedade, mas também porque a Ílhavo me ligam fortes
laços familiares que me moldaram o carácter, me incutiram a responsabilidade
de estar ao leme e me iluminam o caminho da vida!

E como estamos no dealbar de um Ano Novo desejo êxito e ventura para todos.

CL Diana Maria da Bela Novo


Editora
Ílhavo, Janeiro 2009

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 3


HOMEM DO LEME
MENSAGEM DO PRESIDENTE DO
CLUBE C L A N TÓ N IO RO CH A

Quando estas linhas estiverem a ser lidas, o Núcleo Farol da Barra do Lions Clu-
be de Vila Praia de Âncora estará a viver o momento histórico mais importante
da sua vida depois da sua criação – a passagem a Clube, dando origem ao Lions
Clube de Ílhavo.

Este importantíssimo passo, concretização do sonho da CLª Teresinha Novo,


cujos desígnios estavam traçados desde o 1º momento, foi possível fruto de
um trabalho contínuo e aturado de todas as Companheiras e Companheiros
que se juntaram ao Grupo Fundador (CLS António Rocha, Cristina Cardoso,
Manuela Brito Rocha, Ermelinda Manso, Isabel Castro, Sãozinha Lages e José
Carreto Lages), impulsionado pelas Equipas Dirigentes dos últimos 3 anos e
motivadas por um Grupo alargado de Personalidades Lionísticas a título indivi-
dual e colectivo que ambicionavam pela chegada deste momento.

Alguns dirão que tardou muito, outros dirão que ainda não era o momento; na
minha opinião, penso ser a altura adequada por várias razões:

 Conseguimos atingir e ultrapassar o número mínimo de sócios necessários à


formação do Clube (23)

 Contamos com um Grupo de Companheiras e Companheiros com níveis de


experiência lionística diversos de modo a se motivarem reciprocamente.

 Temos um conjunto de actividades que nos identificam, algo inovadoras, que


se têm vindo a consolidar na Comunidade Ilhavense e de que nos podemos
orgulhar.

 As nossas Acções de Serviço são reconhecidas e valorizadas pelas Instituições


que apoiamos e que nos vêem cada vez mais como Parceiros

 Passámos no “exame de admissão”das Entidades Oficiais não Lionísticas para


as quais temos demonstrado que somos uma Instituição reputada, credível,
desinteressada e com valor acrescentado nas acções de serviço que desenvol-
vemos.

 Existe uma envolvente em crescendo no seio do Movimento para avançarmos


neste sentido.

Numa frase, e tal como escrevi nos Objectivos do Programa para este AL
2008/2009,

“ Criar as Condições para a futura criação do Lions Clube de Ílhavo”


(sic)

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 4


HOMEM DO LEME
MENSAGEM DO PRESIDENTE DO
CLUBE (CONT.) C L A N TÓ N IO RO CH A

Nas páginas seguintes, daremos conta do Balanço das Actividades desenvolvidas pelas diversas
Comissões neste 1º Semestre. Não irei repeti-lo neste espaço, mas não deixarei de salientar o
entusiasmo, a disponibilidade e a dedicação da generalidade das Companheiras e Companhei-
ros em cumprir com as acções delineadas no Plano de Actividades, demonstrando que o Servi-
ço é também um meio para construir e consolidar a Amizade.

Este Boletim, que será o 1º a ser editado com a “prata da casa”, fechará o ciclo – Núcleo e abri-
rá o ciclo – Clube.

É pois o momento de endereçar ao nosso Amigo e Editor das 10 Edições anteriores do Boletim
– o CL Manuel Amial, pela sua dedicação, pelo seu saber, pela motivação que empreendeu à
participação das Companheiras e Companheiros do Núcleo e fora dele na elaboração do Bole-
tim, o nosso Muito Obrigado. Esperamos que esta edição mantenha o nível das edições ante-
riores; seria a prova provada de termos sido Bons Alunos e de termos tido um óptimo Profes-
sor

AO CL E AMIGO MANUEL AMIAL DEDICAMOS ESTA EDIÇÃO DO BOLETIM.

Antes de terminar, como Coordenador do Núcleo neste AL 2008/2009, sinto-me honrado por
vir a ser o 1ºPresidente do Recém-Nascido Lions Clube de Ílhavo, mas esta honra faço questão
de a partilhar em 1º lugar pelos Coordenadores que me antecederam - a CLª Isabel Castro e o
CL José Carreto Lages e em 2º lugar por todas as Companheiras e Companheiros do Núcleo,
pois só com o contributo de todos, este feito seria possível.

Não seria justo encerrar esta Mensagem sem deixar uma palavra de apreço a todos os que
estiveram na génese do Núcleo, que se comprometeram e interessaram pelo projecto: CL ª
Teresinha Novo, CL Sintra Coelho, CL Manuel Amial, CL Serra Cruz, CL Neiva Santos, CL Carvalho
Lopes, CL ª Teresa Gama Brandão, CL Luís Xavier.

De igual modo, cumpre-me deixar uma palavra de reconhecimento aos nossos CLS E Amigos
Padrinhos do Lions Clube de Vila Praia de Âncora por tudo o que fizeram por nós.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 5


HOMEM DO LEME
MENSAGEM DO PRESIDENTE DO
CLUBE (CONT.)
C L A N TÓ N IO RO CH A

Este momento de “corte do cordão umbilical”não é nem nunca será sinónimo de separação,
porque os laços que nos unem vão muito para lá da relação Clube Afilhado/Clube Padrinho;
vão mesmo muito para lá da Amizade.

Os Faróis que nos uniram continuarão a dar a luz necessária para vermos e navegarmos ainda
mais longe nos mares da Solidariedade, da Amizade e do Serviço.

A nossa responsabilidade a partir de agora apresenta-se acrescida.


Não iremos defraudar as nossas e vossas expectativas.

CL António Rocha
Janeiro, 2009

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 6


HOMEM DO LEME
O FAROL DO LIONISMO EM ILHAVO VAI
PASSAR A TER MAIS BRILHO! C L PAU LO F E R R E IR A

Com o Ano Novo de 2009 nasce mais um novo Clube Lion no nosso Distrito.
Desta feita em Ílhavo!

Uma conversão natural do Núcleo Farol da Barra que o nosso Clube em boa
hora formou naquele concelho no início de 2006, no mandato do nosso Com-
panheiro Francisco Presa.

Uma iniciativa que foi primeira no nosso Distrito e que serviu de farol e guia às
iniciativas que se lhe seguiram.

O Lions Clube de Vila Praia de Âncora não se tem poupado a esforços para
garantir ao Núcleo de Ílhavo todo o apoio de que tem precisado para o sucesso
deste projecto e reconhece o trabalho incansável do nosso Companheiro
Manuel Amial que, desde o início, tem sido o seu elo de ligação.

O nosso Clube sente-se muito honrado


com o desempenho do Núcleo Farol da
Barra e reconhece o empenhamento e o
esforço de todos os seus companheiros,
de forma particular dos que têm tido a
responsabilidade de liderança, nomeada-
mente a CL Isabel Castro, o CL José Carre-
to Lages e o CL António Rocha.

Em nome do nosso Clube e no meu pró-


prio, desejo ao novo LIONS CLUBE DE
ÍLHAVO os maiores êxitos lionísticos, a
certeza de que o Clube Padrinho de Vila
Praia de Âncora continuará sempre dis-
ponível para tudo o que necessitarem e a
vontade de que a vivência e a colabora-
ção do presente se mantenha e se forta-
leça no futuro.

Com a amizade do

CL Paulo Manuel Torrão Ferreira


Presidente do Lions Clube de Vila Praia de Âncora
Janeiro 2009

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 7


HOMEM DO LEME
NASCEU UM CLUBE LION! C L D G L U C INDA FO N S E CA

Um nascimento representa um princípio - é o milagre do presente e a esperan-


ça do futuro.

Hoje nasce um Clube, renasce a esperança e a música volta a tocar. É dia de


festa, é dia de desejar todas as boas coisas que a vida contém. É um dia para
recordar!

Hoje as flores têm uma cor especial, os pássaros cantam mais, o sol brilha com
uma nova luz e esta noite as estrelas sorrirão pelo nascimento do Lions Clube
de Ílhavo.

O Distrito Centro Norte, sente a alegria que todas as famílias conhecem quando
nasce uma criança. Ficou maior, mais forte e com a certeza de um futuro mais
seguro.

Sabemos todos que em cada dia, o novo Clube travará uma luta pela sobrevi-
vência, porque não basta nascer, é preciso permanecer. É a lei da vida, é o
desafio dos Homens.

Mas a vantagem de ser um Clube, a vantagem de ser um grupo de pessoas é


que serão muitos a lutar, serão muitos a reforçar o desenho de cada projecto e
a construir os caminhos para o sucesso.

Desejo que cada um de vós, sinta a força do grupo, pelo aconchego dos mais
experientes e pela ousadia dos mais jovens e acredite que juntos podem cons-
truir os castelos de areia e transformá-los em sólidas estruturas.

Desejo que permaneçam no Movimento para sempre e distribuam na comuni-


dade pedacinhos do vosso coração, como semente da solidariedade e do Servi-
ço!

“… Bom mesmo é ir à luta com determi-


nação,
abraçar a vida e viver com paixão,
perder com classe e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se
atreve
e a vida é muito para ser insignificante.”

Chaplin

DG Lucinda Fonseca
Governadora do Distrito 115CN

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 8


HOMEM DO LEME
NATIVIDADE C L P ID RU I TAV E IR A

Ainda sob a auréola da celebração da Natividade 2008, damos vida a mais um


membro da nossa Família: o Lions Clube de Ílhavo, apadrinhado pelo Clube de
Vila Praia de Âncora.

Momento de exaltação lionística, pois que dar à luz um Lions Clube é, na


minha opinião, “Actividade Maior”.

O universo do Lionismo tem vindo a definhar nos últimos anos – em termos de


número de associados - sem embargo de levar a cabo as maiores Actividades
de sempre, através da Fundação Lions Clubes Internacional .

Mas, na verdade, se não há Lions, em especial de qualidade, como pode haver


Actividades?

É por isso, Companheiros de Vila Praia de Âncora, que o Lionismo louva e


agradece o esforço de acolherem o Núcleo de Farol da Barra, que agora se
converte no Lions Clube de Ílhavo.

É por isso que sois bem-vindos, Companheiros do novel Clube. O mundo pre-
cisa de Homens e Mulheres com a vossa generosidade e determinação de SER-
VIR, no Lionismo.

Estais a entrar como “membros de parte inteira” numa Associação de Clubes


de Serviço que é, não apenas a maior mas, verdadeiramente, a mais eficaz e
poderosa no apoio aos necessitados.
Parabéns, Companheiros.
Com Amizade e grande expectativa vos acolhemos no seio do Distrito Múltiplo
e do Distrito 115 CN.

Temos um Código de Conduta (Ética) e Objectivos para nos guiarem nesta


caminhada, cujo primeiro passo agora dais. Tomai-os como REFERENCIAL.
Se assim o fizerdes, integrar-vos-eis na nossa Família Lionística, que vos apoia-
rá ao longo de uma vida, que se espera longa e testemunho de VOLUNTARIA-
DO UNIVERSAL, atributo da ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE LIONS CLUBES.

Creiam-me orgulhoso e feliz por vos ter como membros da minha Família e
Companheiros de Caminhada.

CL PID Rui Taveira

Oeiras, Janeiro de 2009

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 9


HOMEM DO LEME
LIONISMO... UMA ESCOLHA... C L C C AV EL IN A A NG E IR A S

Quando aderimos ao Lionismo, levamos connosco valores, hábitos, capacida-


des e muita vontade de ajudar outros que precisam de alguém.
Sabemos que, cada dia será um desafio à nossa capacidade de ser altruísta,
generoso e entusiasta, mas escolhemos SERVIR sem servilismo, com humanida-
de e, por isso, não desistimos perante dificuldades ou desatenção de tantos
que vivem, porque o tempo passa.
Os Lions transformam o seu tempo em dádiva e os seus lazeres em momentos
postos, algumas vezes, ao serviço de quem sofre. Por tal o nosso Presidente
Internacional nos apelida de Heróis do Quotidiano e não há clube lion que dei-
xe de realizar actividades ao sábado, domingo…porque todos sentem que o
Companheirismo e a Solidariedade não têm horas marcadas, simplesmente
acontecem quando necessários.

A experiência de um Núcleo devia ser obrigatória para todos os novos clubes,


pois não é novidade formar – se um clube e meses depois vermo – lo esvaziar –
se sem quase haver justificação … mas há … a vida em grupo tem obrigações e
devoções e nem sempre são bem explicadas. Um Núcleo já construiu, em con-
junto, memórias, já teceu laços de harmonia, já se auto – estudou e sabe quais
os caminhos a partilhar para mudar a vida de alguém.
Tenho a certeza que, como LC de Ílhavo, (o Farol da Barra) vai continuar a apos-
tar na harmonia, qualidade nos serviços à comunidade e no espírito são de um
Lionismo sério, construtivo e motivador.

Todos quantos apoiaram este passo estão de parabéns.


Que os amanhãs que virão vos encontrem sempre com a mão estendida pronta
a ajudar, com as cabeças cheias de ideias para dar respostas aos muitos proble-
mas que afligem tantos outros e o coração aberto para amar esses outros que
sofrem provações de toda a espécie.

Obrigada por poder fazer parte deste vosso momento tão especial, também eu
construirei convosco estas memórias neste ano de “ Renovar a Alegria de Ser
Lion”.

CC Maria Avelina Angeiras

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 10


HOMEM DO LEME
ESTIMADOS COMPANHEIROS P RE SID ENT E D A CÂ MARA MU NI CI PAL D E ÍLH AV O
LIONS ENG . RIBAU ES TEV ES

A dois dias de se completarem 111 anos da Restauração do Município de Ílha-


vo, é fundado o Lions Clube de Ílhavo, dando seguimento a um trabalho do
Lions Clube de Vila Praia de Âncora pelo seu Núcleo Farol da Barra.

A Câmara Municipal de Ílhavo congratula-se com este passo de crescimento do


“Lions International”, associando-se ao acontecimento e disponibilizando-se
para vir a desenvolver acções de cooperação em nome dos princípios, que par-
tilhamos, da Solidariedade, da Amizade e do Serviço.

Sendo a vida das Instituições idêntica à vida das Pessoas, com permanente
crescimento e luta por melhor prestação, nos tempos de dificuldade acrescida
que vivemos, todos os passos de boa vontade dados no sentido da disponibili-
zação à Comunidade de mais e melhores capacidades Humanas, vão segura-
mente conduzir à criação de novas e mais capazes respostas.

A Âncora e o Farol são elementos da maior importância na nossa vida: como


referências para os Homens do Mar, pelo apoio à identificação da terra que
tem “O Mar por Tradição”, como instrumentos conjugados de progresso para
quem Caminha a cada dia na construção de mais e melhor futuro.

Deixo nestas breves palavras um agradecimento pela aposta e pelo crescimen-


to, e um incentivo ao novo Lions Clube de Ílhavo e a todo o movimento de
Lions International, para que sejam parte activa da construção de melhor
Município de Ílhavo e melhor Mundo, no qual o Homem seja sempre e verda-
deiramente o elemento principal do ecossistema Terra.

Parabéns.
Bem Hajam e Bom Trabalho.

José Agostinho Ribau Esteves


Presidente da Câmara Municipal
de Ílhavo

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 11


HOMEM DO LEME
P RE SID ENT E D A CÂ MARA MU NI CI PAL D E CA MINH A
MENSAGEM D R A. JÚ LI A P AU LA

As boas notícias são sempre de saudar e de enaltecer. A passagem do Núcleo


do Lions Farol da Barra de Ílhavo à categoria de clube é uma das melhores notí-
cias deste início de ano, que começa com uma turbulência que urge contrariar.

Com esta transição, sinónimo por certo de amadurecimento e de maturidade,


assistimos a um reforço dos princípios da solidariedade, tão importante nos
tempos que correm. É uma solidariedade de valor acrescido, porque assenta no
voluntariado, na entrega sem nada esperar em troca. Por isso é ainda mais
importante.

Para o Concelho de Caminha ficará para sempre na memória esta transição,


que tem uma simbologia própria, pelos laços que já nos unem e que, com cer-
teza, continuarão a unir-nos no futuro, com mais força, com novos laços de
cooperação e com maior convicção.

Este novo clube teve como padrinho o nosso Lions Clube de Vila Praia de Ânco-
ra, facto que muito nos honra e que nos anima na luta pelo crescimento a nível
social, na busca constante por uma coesão que não pode ser apenas uma pala-
vra, e para a qual têm de contribuir, lado a lado, de mãos dadas, os poderes
públicos, mas também as instituições, os movimentos, as mulheres e os
homens de boa vontade.

Entre Ílhavo e a nossa belíssima Vila há muitas semelhanças físicas e culturais.


O farol, o mar, a arte piscatória e toda a comunidade que a envolve.
Com o novo clube de Ílhavo, fortalecem-se também os valores comuns e enri-
quece-se um movimento internacional que soma cerca de 1,35 milhões de
sócios, homens e mulheres, em aproximadamente 45.000 clubes, dispersos por
duas centenas de países e regiões.

“Deus quer, o homem sonha, a obra nasce” - escreveu Fernando Pessoa. Foi
assim no início do movimento lionistico, no princípio do século passado, quan-
do Melvin Jones acreditou e defendeu que os interesses comerciais não
podiam esquecer o bem-estar das pessoas.

Podíamos lembrar, a propósito, Wolfgang Amadeus Mozart, que disse (e quem


não concorda?) que para fazer uma obra de arte não basta ter talento; não
basta ter força; é preciso também viver um grande amor.
São assim os Lions.

Resta-me desejar as maiores felicidades ao novo clube. A tarefa que abraçam é


grandiosa, é exigente. Mas que melhor aposta se pode fazer, senão busca da
compreensão entre os povos da terra, a defesa de uma educação cívica eleva-
da, a luta pelo bem-estar cívico, cultural, social e moral da comunidade; a pro-
cura da amizade e do companheirismo.
A força do querer tudo pode. É bom contar com os Lions.

Júlia Paula Costa


(Presidente da Câmara Municipal de Caminha)

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 12


HOMEM DO LEME
VIVER O LIONISMO COM AMOR! C L M A NU EL A M IAL

Quando abraço uma causa, costumo abraçá-la com amor!


Foi o que aconteceu com a fundação do Núcleo Farol da Barra em Ílhavo!

Um sonho que começou por ser da Teresinha Novo, então Presidente da


Região D, e que teve o condão de saber cativar para essa causa os responsá-
veis distritais do nosso Movimento.

Na altura o meu Clube detinha através da minha pessoa a Assessoria ACEL de


Retenção de Sócios.

Das soluções então equacionadas e ponderadas, que passavam pela retenção


de sócios já com provas dadas no Lionismo, entendeu-se que uma solução
associada ao meu Clube seria a mais desejável.

E assim nasceu o Núcleo do Farol da Barra do Lions Clube de Vila Praia de


Âncora!

Como experiência inovadora no nosso Distrito ela acolheu uma grande adesão
e expectativa por parte dos Lions Clubes do nosso Distrito, que se fizeram
representar amplamente na cerimónia da sua apresentação pública em Ílhavo
em 11.01.2006.

Mas como em tudo, também não faltaram os “Velhos do Restelo”!

Mas a prática veio demonstrar a justeza da nossa decisão, a que não foi alheia
uma pedagogia sistemática e convincente, acabando os mais resistentes à
mudança de se vergarem perante as evidências.

E daí nasceu a semente!

O Farol do Lionismo em Ílhavo começou a iluminar novas terras e novos hori-


zontes. Desde logo Viseu, mais tarde o Porto Universitário e agora na calha
talvez chegue Oliveira de Frades!

A liderança e a postura do Núcleo Farol da Barra ajudaram a consolidação e


credibilidade deste projecto e, o seu crescimento sustentado prova a bondade
e a justeza do caminho percorrido.

Ao perfazer três anos de vida o Núcleo vai converter-se no


LIONS CLUBE DE ÍLHAVO!

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 13


HOMEM DO LEME
VIVER O LIONISMO COM AMOR!
(CONT.) C L M A NU EL A M IAL

Uma evolução natural, consciente, responsável e perfeitamente ajustada ao espírito de missão


que tem pela frente.

O Lions Clube de Vila Praia de Âncora sente-se muito honrado por ter sido o “eleito” para esta
experiência inovadora, espera ter estado à altura das suas responsabilidades e teve muito gos-
to em partilhar esta experiência com pessoas de grande humanidade, de grande sensibilidade
social e com um elevado e apurado sentimento lionístico.

E como não podia deixar de ser, testemunhar que o “sonho” da Teresinha valeu a pena

Graças à sua generosidade e ao seu empenhamento, não se furtando a sacrifícios pessoais,


perseguindo denodadamente o mote de que “o sonho comanda a vida” e acreditando sempre
que era possível.

Foi também este acreditar que “a sorte protege os audazes” que granjeou à Teresinha, no final
desse ano lionístico de 2005-2006, o prestigiado galardão de LION DO ANO DO D115CN.

Um reconhecimento justamente merecido!

Resta-me desejar ao novo LIONS CLUBE DE ILHAVO e aos seus Companheiros os maiores êxi-
tos, com a certeza da nossa amizade e do nosso apoio.

E dizer que quando abraçamos uma causa com amor só poderemos vir a colher bons frutos!

CL Manuel Amial
Vila Praia de Âncora, Janeiro 2009

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 14


HOMEM DO LEME
A SINOPSE DE UM SONHO QUE SE
TORNOU REALIDADE! C L T E R ES IN H A N OVO

O tempo vai passando mas a memória fica!

E quando essa memória encerra um sonho que valeu a pena ser vivido, relem-
brar essa memória é voltar a viver momentos lindos de grande empenhamento
e de grande luta por um ideal.

Já lá vai o AL 2005-2006!

O ano em que tive o privilégio de ser nomeada Presidente de Região D pelo


então Governador João Sintra Coelho.
O ano em que tive a sorte de encontrar uma Equipa ACEL motivada e empe-
nhada em dar resposta aos problemas de crescimento social então suscitados.
O ano em que tive a oportunidade de dar vida a um sonho antigo de colocar
um Farol do Lionismo na minha terra, a cidade e concelho de Ílhavo.

Na verdade, como filha de um velho lobo do mar ilhavense, o Capitão Carlos


Bela, herdei do meu pai aquela têmpera de luta pelas convicções, de viver a
vida apaixonadamente e de contribuir para o bem da terra que nos serviu de
berço.

Uma terra nobre e plena de beleza e de tradições, de gente bonita e trabalha-


dora, que encontra no Mar e na Ria a beleza e o brilho do seu olhar, que lhe
tempera a cor da pele e lhe modela o seu querer e determinação de gente boa
e solidária.

Uma terra de turismo, de excelente


gastronomia, de moliceiros apruma-
dos, de poentes de encantar, terra
de heróis marinheiros como bem
reza a Canção de Ílhavo de João Mar-
ques Ramalheira, numa paleta de
cores que faz desta “terra maruja”
uma das mais bonitas de Portugal e
do mundo.

Pela mão da generosidade do Lions Clube de Vila Praia de Âncora e do seu


Companheiro Manuel Amial, que na altura detinha a Assessoria ACEL de Reten-
ção de Sócios e foi sensível ao meu apelo, foi possível em 20.12.2005 criar em
terras de Ílhavo o primeiro Núcleo Lion do nosso Distrito, que tomou o nome
do Farol da Barra, uma referência dos faróis portugueses e um ex-libris desta
terra.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 15


HOMEM DO LEME
A SINOPSE DE UM SONHO QUE
SE TORNOU REALIDADE! (CONT.) C L T E R ES IN H A N OVO

Graças também a um punhado de sete “magriços” que nunca baixaram os braços, que tinham
o espírito lionístico bem entranhado no seu coração e que quiseram dar as mãos por um pro-
jecto inovador – os companheiros António Rocha, Cristina Maria Cardoso, Ermelinda Manso,
José Carreto Lages, Maria Conceição Lages, Maria Isabel Castro e a Maria Manuela Brito Rocha.
Honra e glória para eles!

A apresentação pública do Núcleo Farol da Barra do Lions Clube de Vila Praia de Âncora ocor-
reu com toda a dignidade do dia 11.01.2006, perante uma ampla plateia de entidades lionísti-
cas, civis, religiosas e várias associações representativas da sociedade ilhavense, destacando as
presenças do então Presidente do Conselho Nacional de Governadores Luís Xavier, do então
Governador João Sintra Coelho e ainda a alta representação das autarquias envolvidas de Ílha-
vo e Caminha.

A realçar a similitude das duas comunidades envolvidas neste projecto – Caminha (Vila Praia de
Âncora) e Ílhavo – em que a pesca, a gastronomia e o turismo são o denominador comum, tive-
mos na altura a palavra fluente e sábia do Dr. Francisco Sampaio, Presidente da
Região de Turismo do Alto Minho.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 16


HOMEM DO LEME
A SINOPSE DE UM SONHO QUE
SE TORNOU REALIDADE! (CONT.) C L T E R ES IN H A N OVO

Ao leme desta novel estrutura lionística ficou a nossa Companheira Maria Isabel Castro, cuja
capacidade de liderança, sensatez e saber lionístico foram determinantes para a sua consolida-
ção.

A pouco e pouco, graças a iniciativas e parcerias encetadas, a afirmação dos Lions na sociedade
ilhavense foi crescendo e a sua capacidade de prestação de serviços à comunidade foi sendo
reconhecida.

Um trabalho que teve continuidade no mandato seguinte do Companheiro José Carreto Lages.

Uma prática que concitou o interesse e a adesão de novos sócios, fortalecendo um grupo em
que a amizade e o pendor do voluntariado são o seu traço de união.

Quis o destino que a minha participação neste projecto tivesse assumido foros de maior repre-
sentatividade ao ser convidada para integrar o seu quadro social.
Um convite irrecusável que me encheu de orgulho e que me permite estar agora no mesmo
barco saboreando a brisa e a claridade da Ria, apreciar o feitiço dos seus poentes e ser parte
desta gente encantadora que vive e sonha em construir em Ílhavo e na sociedade em geral um
mundo melhor.

O Núcleo Farol da Barra está prestes a comemorar o seu 3.º aniversário que irá ter lugar no dia
11 de Janeiro de 2009, este ano sob a batuta do Companheiro António Rocha.

Uma altura ideal para se emancipar e se converter no LIONS CLUBE DE ÍLHAVO!

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 17


HOMEM DO LEME
A SINOPSE DE UM SONHO QUE
SE TORNOU REALIDADE! (CONT.) C L T E R ES IN H A N OVO

Assumindo assim o seu próprio destino e a responsabilidade plena perante a comunidade ilha-
vense.
E como não podia deixar de ser pela mão do nosso padrinho o Lions Clube de Vila Praia de
Âncora.
Uma referência que nunca esqueceremos!

Que saibamos ser dignos do passado, estar à altura do presente e que continuemos unidos e
empenhados para ganhar o futuro!

São os votos de alguém que teve um sonho, que lutou por ele e que o conseguiu realizar!

E agora permitam-me que brinde à memória do Núcleo Farol da Barra pelo excelente trabalho
realizado e ao futuro do LIONS CLUBE DE ÍLHAVO pela determinação em continuar a servir
cada vez com mais empenho a comunidade ilhavense.

Com a amizade da

CL Teresinha Maria Ribeiro da Bela Novo


Ílhavo, Janeiro de 2009

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 18


HOMEM DO LEME
CAROS AMIGOS... C L P D G S IN T R A C O ELH O

Há três anos, um grupo de Lions pelo coração, dispersos e sem regras estabele-
cidas, aceitaram o convite do Lions Clube de Vila Praia de Âncora para se cons-
tituíram em Núcleo daquele Clube, em Ílhavo, ficando ligados por um vínculo
que os identificava – o mar. O mar que tanto sacrifica os homens como lhes
traz a fartura, o mar que deixa sempre a sensação de distância, mas ao mesmo
tempo nos une porque não tem barreiras.

E isso molda a alma, os costumes e o sentimento de solidariedade por quem


está em perigo, qualquer que ele seja.

Tudo foi sendo preparado e no dia 11.01.2006 tive a grande alegria de assistir à
apresentação pública da formação do Núcleo Farol da Barra do LC Vila Praia de
Âncora, que assim deu oportunidade a um conjunto de 7 homens e mulheres,
para pôr em prática toda a sua vontade de assistir aos outros, desde a indis-
pensável trivialidade de os vestir e alimentar, até à complexidade de lhes aliviar
a alma.

Era dia de São Teodósio, o santo que por volta de 1.585 nasceu no estranho
maciço da Capadócia da longínqua Turquia, e que viveu uma vida de excepcio-
nal caridade e humildade, conseguindo construir um mosteiro e três hospitais
para atender a todos os necessitados e dando com estas e outras obras, exem-
plo singular de solidariedade e amor ao próximo.

Um bom augúrio para o novo Núcleo, o primeiro que nascia no Distrito 115
Centro Norte. Quem o constituía era gente com grande experiência lionística,
que conhecia a casa e cedo começaram a apresentar obra.

E assim, desde que se formou há três anos, o Núcleo tem apoiado a “Obra da
Criança de ÍIhavo”, angariando e oferecendo roupas, mobiliário, louças, brin-
quedos e livros, organizando também lanches-convívio com as crianças e pes-
soal da Instituição.

As famílias carenciadas do concelho têm beneficiado do apoio do Núcleo, atra-


vés de ofertas de cabazes de Natal, roupas, géneros alimentícios etc., tendo o
Núcleo contribuído também com 1 000 € para a edificação de uma casa para
apoio a uma família pobre.

No âmbito da sua actividade de serviço, foram ainda realizados rastreios visuais


à população local, efectuadas recolhas de óculos usados e entregue 500 € à
campanha Sight First II. A realização de actividades lúdicas e culturais consta-
ram dos programas do Núcleo, que nesse domínio realizou pales-
tras, jantares de convívio e de recolha de fundos, e passeios cultu-
rais abertos à comunidade.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 19


HOMEM DO LEME
CAROS AMIGOS… (CONT.) C L P D G S IN T R A C O ELH O

Hoje, 11.01.2009, o pequeno Núcleo que entretanto crescera e já regista 23 sócios, deu-me
uma nova alegria, constituindo-se em Clube com o nome de Lions Clube de Ílhavo, por carta
constitutiva outorgada pelo Presidente Internacional.
No horóscopo das árvores, está escrito pelos celtas, que o cedro é a arvore que se identifica
com a personalidade dos nascidos em 11 de Janeiro,

Tal como essa bela árvore sempre verde, várias vezes centenária, símbolo de força e de eterni-
dade, um Lions Clube é um organismo vivo, que depois de plantado sobrevive em regra a tudo
que lhe ataca a raiz, e lhe impede o crescimento.

Caros Amigos, plantem um cedro no principal jardim de Ilhavo como testemunho do nascimen-
to do vosso Clube, e que ambos cresçam bem alto, para que os vossos descendentes ao procu-
rarem uma sombra acolhedora, se resguardem debaixo dessa árvore magestosa, que imutável
e serena vai espalhando a sua fragância na perenidade dos tempos!

E sejam felizes e um exemplo para todos nós...

CL PDG Sintra Coelho

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 20


HOMEM DO LEME
RECORDANDO C L IS AB E L C A S T RO

Recordo com saudade prazerosa uma quarta-feira de Novembro de 2005 em


que, durante um jantar de Companheiros Lions, um desafio nos foi lançado –
formar em Ílhavo um Núcleo de Lions, tendo como CLUBE\MÃE o Lions Clube
de Vila Praia de Âncora. Quem assim nos desafiava eram os membros da ACEL,
CCLL Carvalho Lopes, Manuel Amial, Neiva Santos, Serra Cruz, Teresa Gama
Brandão e a Presidente da Região D, Teresinha Novo, que deixei propositada-
mente para o fim porque integra hoje as fileiras do ainda Núcleo do Farol da
Barra.

Éramos sete e entreolhámo-nos, não sei se estupefactos, se procurando nos


olhos do outro a confirmação de uma vontade que, indómita, despoletava o
nosso ser e querer lionísticos. E anuímos.

Apresentado publicamente o Núcleo a 11 de Janeiro de 2006, começámos a


trabalhar e outras vontades de outros elementos valiosos vieram juntar-se à
nossa no prosseguimento de uma senda onde a AMIZADE e o SERVIÇO nor-
teiam os nossos passos.

No tactear do terreno fomos descobrindo que havia muito a fazer e fomos


caminhando, dando pequenos passos e consolidando internamente uma estru-
tura estável que fortalecesse o nosso Núcleo dando-lhe a credibilidade indis-
pensável para progredir.

Neste recordando breve não posso deixar de referir três companheiros que ao
meu lado lutaram com um ânimo e tenacidade notáveis na fase de arranque do
Núcleo: em Ílhavo, as CCLL Manuela Brito Rocha e Cristina Cardoso e em Vila
Praia de Âncora, o CL Manuel Amial, sempre disponível para esquecer os quiló-
metros que nos separavam e juntar os faróis de Vila Praia de Âncora e da Barra
como se estivessem colocados na mesma praia.

CL Maria Isabel Castro


Past Coordenadora

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 21


HOMEM DO LEME
A CRISE C L C A RR E TO L AGE S

Há palavras que o tempo desgasta.

Do uso excessivo injustificado ou até mesmo que justificado, banaliza-se o ter-


mo, a expressão ou a simples palavra, desvaloriza-se o seu significado, chega
mesmo a adulterar-se a ideia e o conceito que a sua origem etimológica encer-
ra, gangrenando a palavra com a crise.

Há organizações políticas que surgem como emanação de projectos e de


anseios comunitários, que são acolhidas com ondas de vibrante entusiasmo,
que arrastam multidões, que sublevam povos e que pela sua prática seguidista
e rotineira perdem a chama e caiem no menosprezo, no esquecimento, na
maledicência ou até no escárnio.

Os movimentos de cariz social, mesmo que brotando de uma cruzada de gene-


rosa solidariedade se enredarem em manifestações supérfluas, em quixotescas
quezílias ou folclóricos rituais de vivência dos seus associados, depressa a
sociedade deles se alheia, por neles não encontrar fundamento que lhe sirva e
neles deixar de acreditar.

Vem isto a propósito do movimento Lion que no seu seio, e, se calhar, até fora
dele, tem suscitado interrogações e reflexões de vária índole, ao ponto de nele,
preocupadamente, se congeminarem meios utilizados comummente na esfera
da selecção de pessoas para práticas de desempenho de cariz comercial.

Na realidade o movimento, para ser movimento, tem que ser activo e criativo,
adaptando-se passo a passo à exegese dos propósitos que pretende alcançar
junto dos povos que pretende servir. O movimento tem que desencadear activi-
dades que se enquadrem nas actuais pretensões sociais de modo a induzir as
pessoas, dentro dele e fora dele, a participarem nas suas actividades.

Se o movimento se envolve em festas mais ou menos folclóricas, em celebrar


todos os aniversários com pompa numérica de participações de associados
estranhos, estamos a fomentar uma feira de ilusórias virtualidades do movi-
mento.

Esse é o caminho mais perverso para a decadência do movimento, para o esgo-


tamento estafado de energias e de recursos.

Se das reuniões não saem deliberações objectivas a executar, com definição de


meios, de métodos e de prazos, ficamos no domínio das considerações, mais ou
menos louváveis, remetidas para um saco que de antemão se sabe
ser de fundo roto.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 22


HOMEM DO LEME
A CRISE (CONT.) C L C A RR E TO L AGE S

Antes de agendar questões, ponha-se o movimento, através dos clubes a efectuar inquérito
junto das pessoas do seu meio, perscrutando o que elas sentem que necessitam hoje e ama-
nhã. É a formação dos filhos? É a assistência aos mais idosos? É o conhecimento e a participa-
ção numa cidadania activa? É a criação de actividades e o modo de formação de actividades
que geram emprego?

A descrença no movimento é muito gerada no seu interior. Ao lançar-se qualquer ideia activa,
ouvem-se muitos assobios e vêm-se os olhares dirigidos para as nuvens
O movimento tem que se agigantar e dar novos passos em frente. Formação, muita formação
e estar menos sentado à mesa e mais de pé, a andar, nas ruas cheias de problemas mas tam-
bém de vida.

CL J. Carreto Lages

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 23


HOMEM DO LEME
DE NÚCLEO A LIONS CLUBE C L M A NU EL A RO C HA

Sete “leõezitos”, mais propriamente cinco leoas e dois leões, de seus nomes
Conceição, Cristina, Ermelinda, Isabel, Manuela, António e José, estavam de
férias prolongadas, desocupados, sem direito a “recibo verde”, com “termo de
identidade” e sem “termo de residência”.

Amigos e solidários, uns deuses Lions entenderam que a “ociosidade é a mãe


de todos os vícios” e que os seres atrás referidos ainda tinham reconhecidas
capacidades de trabalho e muito para dar aos outros.

Prestes a terminar o ano civil de 2005, convocam-nos para um Consílio, não no


Olimpo, mas no Solar das Estátuas, em Aveiro.

Os deuses nortenhos descem à Veneza de Portugal, vindos de Barcelos, Guima-


rães, Matosinhos, Ovar, Trofa e Vila Praia de Âncora.

Consílio pacífico onde iria decidir-se o futuro destes leões sem “termo de resi-
dência”. Sempre protegidos pela Vénus, deusa de Ovar, e acarinhados pelos
outros deuses, ali mesmo foi traçado o caminho a seguir. Um caminho de futu-
ro e que veio a ser um caminho de sucesso.

Os “leõezitos” foram adoptados: o pai, o C/L Manuel Amial e a mãe, o Lions


Clube de Vila Praia de Âncora.

Júpiter, deus de Viana do Castelo, aprovou e apoiou a decisão. E assim nasceu


um Núcleo Lions que iria desenvolver a sua acção por terras de Ílhavo, ilumina-
do pelos faróis das duas localidades - NÚCLEO DO FAROL DA BARRA DO LIONS
CLUBE DE VILA PRAIA DE ÂNCORA. A sua apresentação pública teve lugar no
dia 11 de Janeiro de 2006 e foi um momento histórico na vida do Lionismo.

Começou, depois, a árdua caminhada, sempre com o objectivo de transformar


o Núcleo em Clube. Era um grande desafio. Era preciso muita coragem, força,
trabalho e persistência. Calmamente, sem pressas, foi-se desbravando o cami-
nho e preparando o terreno para construir o próprio “habitat”.

As pedras foram sendo colocadas no local certo — esperança, fé, paciência,


perseverança, solidariedade, companheirismo, amizade…

Os braços de trabalho aumentaram. De 14 passaram a 46. A penosa tarefa tor-


nou-se mais fácil, mas sempre agradável e motivadora.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 24


HOMEM DO LEME
DE NÚCLEO A LIONS CLUBE
(CONT.) C L M A NU EL A RO C HA

A casa foi concluída. O objectivo final foi alcançado. Passados 3 anos, precisamente no dia 11
de Janeiro de 2009, nasce o Lions Clube de Ílhavo.

O cordão umbilical com a família adoptante nunca será cortado. Ílhavo e Vila Praia de Âncora
ficarão sempre ligados pela GRATIDÃO e pela AMIZADE. Pai e Clube - Mãe serão, respectiva-
mente, Padrinho Físico e Clube Padrinho do novo Clube — LIONS CLUBE DE ÍLHAVO.

Que orgulho! Um Pai exemplar, sempre presente e um Clube-Mãe amigo, afável e muito aco-
lhedor. A luz dos dois faróis vai continuar a iluminar os muitos caminhos que ainda há a percor-
rer. Muito OBRIGADA.

Obrigada a todos os que se solidarizaram connosco, nos apoiaram, nos deram força para
continuar e acreditaram nas nossas potencialidades. Todos contribuíram para a realização de
um sonho e, consequentemente, para o engrandecimento e extensão do Movimento Lionísti-
co.

Vice - Coordenadora/ Vice-Presidente


CL Maria Manuela Brito Rocha

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 25


HOMEM DO LEME
ANGARIAR PARA DISTRIBUIR! C L A N TÓ N IO NOVO

Os Lions procuram cumprir a sua missão angariando fundos junto da comuni-


dade para depois os distribuir aos pobres e excluídos, ajudando-os a terem
uma vida mais digna e mais humanizada.

Reflectindo sobre esta temática dei por mim a recordar a figura mítica do Robin
dos Bosques Português - o famoso Zé do Telhado - que este ano comemora o
190.º aniversário do seu nascimento e que roubava aos ricos para dar aos
pobres.

A sua bandeira a favor dos pobres teve muitos admiradores e está bem patente
no extracto do poema de António Nobre no seu Livro “IN SÓ”:

…. Ladrões! Ó sonho! Ó Maravilha!


Fazer parte duma quadrilha,
Rondar. À Lua, entre pinhais!
Ser capitão! Trazer pistolas
Mas não roubando - dando esmolas
Dependuradas dos punhais …

Se o propósito era meritório, temos de crer que os fins não justificam os meios!
Há muitas formas bem mais pacíficas de sensibilizar as pessoas e as empresas
para serem solidários com quem mais precisa.

São as vias do apelo à cidadania, à solidariedade, à generosidade e ao despren-


dimento.

Tem sido este o nosso caminho!


Um caminho imbuído no nosso espí-
rito de missão de cidadãos compro-
metidos com os valores da cidadania
e do Lionismo, no estar atentos aos
sinais de exclusão, na procura em
minorar as carências sociais e no
colocar o interesse colectivo acima
do nosso próprio interesse.

E, felizmente, a resposta que temos recebido tem sido muito positiva, provan-
do a generosidade das pessoas e a consciência social das empresas. Por isso
não somos apologistas dos métodos do Zé do Telhado!

CL António João Rodrigues Novo


Tesoureiro
Ílhavo, Janeiro 2009

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 26


HOMEM DO LEME
O SEGREDO C L E LV IR A AL M E IDA

Quando me convidaram para fazer parte da grande família mundial, a Família


Lions, através do NUCLEO FAROL DA BARRA DO LIONS CLUBE DE VILA PRAIA DE
ANCORA, a primeira dúvida que se me colocou foi: “Porquê Barra (quem diz
Barra, diz Ílhavo), em Vila Praia de Âncora?

Afinal de contas eu “já tinha ouvido falar de Lionismo” na altura em que a


minha vida era vivida em outro planeta de conhecimentos, de experiencias, de
sentimentos, de trabalho, de dores e de alguns risos…. faz muito, muito tempo,
portanto! Mas só ouvia falar do Lions Clube de “aqui”, outro Lions Clube de
“Ali”, mais outro em “Acolá”, mas todos de seu sítio, sem distância…

Daí que o longe me mereceu ponderação, primeiro com alguma suspeição,


depois só dúvida já meia curiosidade porque tinha a certeza que meus amigos
de longa data não me “iam meter numa coisa duvidosa…”

Até que veio a explicação, mais ou menos administrativa, do foro interno da


Organização que, embora não percebendo muito bem, aceitei. E vim.

Porém, uma coisa aconteceu: não sei porquê, mas não deixei de pensar no
assunto. Até porque eu sou daquelas que “sabe” que nada acontece por acaso,
e se tinha que ser Barra / Vila Praia de Âncora, bem lá no fundo da razão do
nosso desconhecimento, tinha de haver um motivo e eu podia muito bem ir à
procura do Porquê!

E segundo rezam as crónicas de Ílhavo, foi mais ou menos assim:


A primeira referência documental que se encontrou, remonta a meados do
século XI, pela época da tomada definitiva de Coimbra aos Mouros, mas com
indícios de que a já chamada de Vila (Vila Iliavo) era mais antiga, talvez da 1ª
reconquista cristã, e que se constituía em unidade rural.

Há quem defenda que a nossa cidade tenha tido a sua origem em colónias
pelágicas, fenícias e ítalo-gregas, mas que, sem provas, apenas a tradição diz
que Baco, filho de Semele, acompanhado de muitos gregos, aportaram à Lusi-
tanea, por volta do ano 1372 a.C., entraram pela foz do Vouga e se estabelece-
ram nas suas margens. Dessa colónia descenderão os Ilhavenses que conser-
vam alguns traços helénicos de graciosidade e elegância. Alguns!

Achando que o local estava bem povoado, D. Diniz concede a Ílhavo o seu 1ª
foral, com regalias expressas em Carta Régia, em 13 de Outubro de 1296.

Muito mais tarde, já no reinado de D. Manuel I e com a reforma dos Forais, é


concedido a Ílhavo o seu 2º foral que viria a ser o Guia da vida do povoado até
à extinção dos forais em 1832, com Mouzinho da Silveira.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 27


HOMEM DO LEME
O SEGREDO (CONT.) C L E LV IR A AL M E IDA

A sua jurisdição passou por vários donatários até se fixar na Família dos Borges Pereira de
Miranda, jurisdição essa que acabou por se extinguir com a morte do último donatário. E foi
por decreto de 9 de Novembro e de 31 de Dezembro de 1836 que foi criado o Concelho de
Ílhavo.

Em 1895, o Concelho foi anexado ao de Aveiro o que, naturalmente, causou grande desconten-
tamento entre os Ilhavenses. A luta não parou e apenas 3 anos depois, em 1898, voltou a
haver Concelho em Ílhavo.

Foi preciso passar um século para que a Vila (como já era chamada nos documentos do século
XI) se visse elevada a Cidade, em 13 de Julho de 1990, fruto do seu desenvolvimento e cresci-
mento Urbano (de que a Barra terá sido um dos pólos importantes, com as suas praias a apelar
ao turismo, em expansão).

De povoado rural do século XI, desde cedo as gentes de Ílhavo se viraram para o mar – aqui tão
perto - para garantir parte da sua sobrevivência económica. No princípio do Século IXX alguma
industria também aqui se fixou, com grande destaque para a industria do vidro, primeiro e
depois da porcelana, com a instalação da Fábrica da Vista Alegre - ainda hoje presente à mesa
de Reis - e para onde, durante os meus últimos quase 15 anos de actividade profissional, dirigi
os meus passos, o meu tempo, a minha atenção e todo o meu empenho e me deixei gravar no
coração as emoções do que por lá vivi. Mas era o mar… o apelo era o mar.

Ninguém negará a grande importância que os Ilhavenses, capitães e pescadores, tiveram na


grande epopeia da Pesca do Bacalhau nas águas frias e longínquas da Terra Nova, um dos mar-
cos na memória colectiva dos portugueses. Quem não se lembra da concentração de navios
bacalhoeiros frente à Torre de Belém para a Benção Cardinalícia, antes de se fazerem à aventu-
ra da perigosa faina da pesca do “fiel amigo”, tão do agrado da gastronomia nacional?

ÍLHAVO TEM O MAR POR TRADIÇÃO…

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 28


HOMEM DO LEME
O SEGREDO (CONT.) C L E LV IR A AL M E IDA

Mas o Futuro, esse, será escrito por mãos divinas ou apenas diferentes. Mas o mar continua
aqui tão perto… é preciso saber amá-lo e sobretudo respeitá-lo! Ou ele nos dará de volta ape-
nas a fome…

Mas as Crónicas de Vila Praia de Âncora, dizem que o mais remoto documento encontrado
data do século X, e a freguesia era então chamada de Gontinhães. Até ser a Vila Praia de Ânco-
ra de hoje, assim chamada só depois de 1924, esta freguesia de Santa Maria de Gontinhães
teve de atravessar mais de 1000 anos de História.

Ou muito mais porque a arqueologia não mente e os ricos vestígios deixados pelo vale do
Âncora têm chamado a atenção da comunidade científica. Na Lapa dos Mouros, ergue-se aque-
le que é, certamente, o Dolmen mais importante da pré-história em Portugal (o Dolmen da
Barrosa).

Ainda nos finais do século passado, foi dada a conhecer uma povoação castreja, hoje chamada
de “Cividade de Âncora”, situada num monte com uma localização tão privilegiada que se pen-
sa ter sido lugar de missões defensivas, entre o mar e o castro, e foi habitada, ao que se supõe,
até ao ano I d.C.

A lenda do nome de Vila Praia de Ancora, tem versões várias: pode ter sido por os romanos
usarem a foz do rio para embarcar e desembarcar, por ter sido cenário de uma vingança pas-
sional perpetrada pelo rei Ramiro, afogando a sua esposa adúltera na foz do rio, com uma mó
atada ao pescoço, como se fosse uma âncora, ou mesmo ser o próprio rio – já assim se chama-
ria – a dar-lhe o nome que hoje conhecemos.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 29


HOMEM DO LEME
O SEGREDO (CONT.) C L E LV IR A AL M E IDA

Cobiçado pela sua localização, a foz do rio Âncora, terá sido ancoradouro de romanos que ali
desembarcavam as suas tropas, exploravam metais nas minas de Ribó e Gondar e embarcavam
os minérios para o resto do império; foi objecto de constantes ataques de piratas normandos e
serviu de cenário a desastrosas razias muçulmanas… Certo é que o ancoradouro dava para um
vale que sendo fértil e rico, era frequentemente assaltado e devastado.

Mas hoje a actividade económica de Vila Praia de Âncora apoia-se no equilíbrio entre a terra -
actividade Rural que ainda circunda a Vila e se estende desde o Monte do Calvário, pelo Lugar
da Rocha (tipicamente rural e artesanal), até ao Lugar da Lameira, com hortas e vinhedos - e o
rio e o mar, que controlam o resto da sua actividade, alimentando os Serviços e o Turismo, ver-
dadeira vocação dum pequeno, lindo e tão diversificado País como é o nosso.

Bem e depois disto, muito resumidamente, ilustrando “os antes” e “os agoras” destas duas
atractivas terras da beira-mar, qual foi o segredo que as juntou?
O MAR, que lhes molha os pés, para o bem e para o mal, sem dúvida; A FERTILIDADE DAS TER-
RAS cobiçadas por todos os povos que as cruzaram, sim; mas principalmente a força da AMIZA-
DE, o próximo como a si mesmo, a disponibilidade das suas almas colectivas, o sorriso de cada
coração que cresceu e viu que dar não arranca bocado; pelo contrário, abre mais uma fresta na
porta do Paraíso de cada um de nós.
Pode ter havido estratégia administrativa interna da Organização Lions com dedo nisto, mas o
segredo do seu sucesso foi, indubitavelmente, A FRATERNIDADE.

Agora, já entendi!

CL Elvira Almeida

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 30


HOMEM DO LEME
DIFICULDADES C L P C C N E IVA S A N TOS

Dificuldades, muitas dificuldades, continuam a existir no movimento Lions,


nomeadamente no que concerne ao aumento do número de membros e no
que respeita ao crescimento do número de Clubes.

Tem sido difícil superá-las e, por isso, cada vez é mais sentido o abandono de
alguns sócios, quando tal se verifica.

A formação de Núcleos é uma boa maneira de superar tais casos. Tem uma
dupla vantagem:
permite evitar que alguns membros saiam do movimento;
permite a extensão possibilitando, assim, que o Lionismo surja mais forte, por
mais membros e por, em outras terras, estar mais próximo.

Foi o que aconteceu, com o Núcleo do Farol da Barra, como pioneiro dos
núcleos, uma vez que foi o primeiro constituído no DM 115, e que hoje já é o
Lions Clube de Ílhavo. Boa a hora em que a situação foi pensada e a solução
encontrada.

O êxito alcançado deve-se, ainda, ao acompa-


nhamento que, de muito perto, teve do Clube
Padrinho – o Lions Clube de Vila Praia de
Âncora, – para além da vontade patente em
parte dos seus membros de hoje, que já
tinham sido Lions, o pretenderem continuar a
ser.

É importante, também, não esquecer a for-


mação/acompanhamento que lhes deve ser
dada. É necessário que tudo esteja garantido.
Se o acompanhamento já o está, a formação
deverá ser objecto de atenta e atempada
programação, o que deve ser devidamente
pensado pela equipa ACEL.

Este é um exemplo acabado, por força da


experiência vivida e do êxito alcançado, do
bom caminho que é a constituição de
Núcleos. Pensemos neste aspecto com o
devido cuidado.

Parabéns Lions Clube de Ílhavo


Parabéns Lions Clube de Vila Praia de Âncora

CL José Neiva Santos

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 31


HOMEM DO LEME
NÚCLEO FAROL DA BARRA /
LIONS CLUBE DE ÍLHAVO C L P D G S E R R A C RUZ

O Núcleo Farol da Barra, que agora dá lugar ao aparecimento do Lions Clube de


Ílhavo, deixa uma marca muito positiva no movimento lionístico português,
nomeadamente no Distrito Múltiplo 115 e Distrito 115 Centro Norte.

Uma vez constituído como Núcleo, os seus elementos logo arrancaram com
actividades que deram visibilidade positiva ao grupo e aos Lions em geral.

A simpatia que os membros do Núcleo Farol da Barra transmitiam depressa


cativou outros Companheiros/as. Assim, nas reuniões e actividades desenvolvi-
das, pudemos assistir ao crescimento quer do número de elementos quer das
actividades com projecção no Distrito.

Vários companheiros estiveram desde a primeira hora com o grupo inicial do


Núcleo, mas há um elemento que merece ser destacado pela sua dedicação e
disponibilidade, o incansável Manuel Amial.

Agora como Lions Clube de Ílhavo, esperamos o mesmo dinamismo e que a sua
força seja contagiante para que alguns Clubes Lions que estão menos activos,
voltem a sentir o entusiasmo e a força do movimento lionístico.

Às Companheiras e Companheiros do Núcleo Farol da Barra / Lions Clube de


Ílhavo parabéns pelo excelente contributo que deram ao nosso movimento
numa altura particularmente difícil para este tipo de associações. As maiores
felicidades para todos os membros do Lions Clube de Ílhavo.

Com Amizade

CL PDG A.Serra Cruz

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 32


HOMEM DO LEME
UM FAROL A SEGUIR C L P D G C A RVAL HO LOP E S

O dia 11 de Janeiro de 2009 é um dia muito especial para todos nós. O primeiro
núcleo de um Lions Clube formado em Portugal, vai se tornar neste dia num
Clube Lions. Todos os que acreditaram neste projecto estão presentes neste
evento, para testemunhar o importante momento da entrega da Carta Consti-
tutiva a este Lions Clube formado por um grupo de cerca de vinte Companhei-
ros Lions, que pouco a pouco foram consolidando a amizade entre os seus
membros que começaram por ser sete, aquando da formação do Núcleo Farol
da Barra há três anos atrás.

Este Clube será mais um importante porto de abrigo para as gentes de Ílhavo,
do qual se devem sentir orgulhosas. Todas as localidades que têm um Lions
Clube se devem sentir honradas e felizes, pois junto dos seus habitantes existe
um grupo de homens, mulheres e jovens que, com o seu prestígio, o seu empe-
nho, a sua visão, a sua disponibilidade de tempo, que nem sempre é muita,
mas que com a sua grande capacidade de trabalho em prol dos outros conse-
guem, em momentos de dificuldade, servir a sua comunidade, lançando inicia-
tivas com as mais diversas actividades junto da sociedade civil para angariar
fundos para instituições ou e pessoa necessitadas que de outra forma não seria
possível, assim como promover eventos de caris social, tão importantes neste
mundo em que vivemos.

Tenho o maior dos prazeres em ter sido um dos vários Lions que trabalharam
para que fosse possível fundar este Núcleo, lidar com tão boa gente, desde o
grupo dos sete magníficos, até à sua verdadeira consolidação e passagem a clu-
be com os actuais membros.

O Núcleo do Farol da Barra do Lions Clube de Vila Praia de Âncora em Ílhavo


formou-se lentamente, convidando as pessoas certas para integrarem o seu
grupo, ajudando a construir um clube sólido, um clube onde reine a amizade,
caminho para o serviço. Presto aqui a merecida homenagem ao grupo no seu
todo, mas quero evidenciar os sete primeiros elementos do Núcleo na pessoa
da CL Conceição Carreto Lages, CL Cristina Cardoso, CL Ermelinda Manso, CL
Manuela Brito Rocha, que sempre apoiaram os Coordenadores do Núcleo, CL
Isabel Castro, CL José Carreto Lages e CL António Rocha. Estou certo do sucesso
lionístico deste novo Clube. Parabéns.

A região de Aveiro e Ílhavo, cidades muito próximas estão muito bem servidas
de Clubes Lions, com LC de Aveiro, LC Santa Joana Princesa e LC Ílhavo. Não
estaria na hora de todos os clubes repensarem a sua existência e tentarem for-
mar um Núcleo como este do Farol da Barra numa localidade próxima? Vale a
pena pensar nisso. Parabéns e felicidades para o novo Clube.

CL PDG José M. Carvalho Lopes


Dez 2008

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 33


HOMEM DO LEME
SIMPÓSIO DA FAMÍLIA C L T E R ES IN H A N OVO

Lions Internacional tem vindo insistentemente a apelar desde 2005 ao contri-


buto das Famílias no Serviço à Comunidade integradas no nosso Movimento.
Para dinamizar esse objectivo começou este ano a patrocinar junto dos Clubes
a realização de Simpósios para Famílias.

Um apelo que se seguiu à admissão das mulheres nos nossos Clubes, procuran-
do assim trazer a sensibilidade feminina para os grupos de trabalho em equipa,
dando-lhes novas oportunidades, novas ideias e novos impulsos.

Também na altura, em 2003, Lions Internacional passou a patrocinar a realiza-


ção de Simpósios para Mulheres em Lions.
Tive o privilégio de realizar o 1.º Simpósio para Mulheres em Lions em
12.05.2007 em Ovar cujas conclusões foram na altura amplamente divulgadas
e que concitaram muito interesse das mulheres, das entidades locais e da
comunicação social.

Perante essa experiência, que teve ampla receptividade, foram muitos os ape-
los para que novamente desse eco a este objectivo de Lions Internacional e
apresentasse a candidatura, com o apoio do meu Clube, à realização do 1.º
Simpósio da Família a ter lugar em Ílhavo no próximo dia 07 de Março de 2009,
privilegiando o tema: FAMILIAS DE INICIATIVA – LIONS: OPORTUNIDADES DE
VOLUNTARIADO.

Lions Internacional já aprovou a realização deste Simpósio que vai integrar


também o Simpósio da Mulher da responsabilidade da nossa Presidente do
CNG Eleita Maria Teresa Gama Brandão.

Estamos a trabalhar activamente para que esta realização tenha o sucesso que
todos almejamos e para que dali saiam reforçados os laços familiares e fortale-
cida a vontade das mulheres e das famílias ajudarem as suas comunidades inte-
gradas no nosso Movimento.

Contamos convosco!

Com a amizade da

CL Teresinha Bela Novo


Ílhavo, Janeiro de 2009

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 34


HOMEM DO LEME
RESUMO DAS ACTIVIDADES 1 .º S E M E S T RE - A NO L ION ÍS T I CO 2 0 0 8 — 2 0 0 9

Actividade Social

12/07/08 03/09/08

Actividade: Actividade:
Entrega de roupas, material de puericultura, Entrega de roupas, jogos e livros didácticos,
roupas de cama e brinquedos puzzles

Destino: Destino:
Associação de emergência infantil (crianças víti- A criança de família de etnia cigana
mas de maus tratos)
21/10/08

Actividade:
Entrega de Roupas, calçado e livros

Destino:
Obra da Criança

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 35


HOMEM DO LEME
RESUMO DAS ACTIVIDADES
(CONT.) 1 .º S E M E S T RE - A NO L ION ÍS T I CO 2 0 0 8 — 2 0 0 9

Actividade Social

15/11/08

Actividade:
Lanche magusto

Destino:
Obra da Criança

18/11/08

Actividade:
Entrega de cobertores, mantas e colchas

Destino:
Lar de S. José em Ílhavo, via Dr. João Paulo –
Coordenador do Lar e da Obra da Criança
14/11/08
20/11/08

Actividade:
Entrega de mobiliário (cristaleira e armário em
pinho, mesa de centro com vidro, cadeirão for-
rado a tecido, ecran de computador, scanner,
candeeiro de tecto, impressora e secretária de
escritório)
Destino:
Obra da Criança

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 36


HOMEM DO LEME
RESUMO DAS ACTIVIDADES
(CONT.) 1 .º S E M E S T RE - A NO L ION ÍS T I CO 2 0 0 8 — 2 0 0 9

Actividade Social

21/12/08

Actividade:
Entrega de 10 Cabazes de Natal a famílias
carenciadas, contendo géneros alimentícios,
roupa de cama e de vestir, produtos de higiene,
artigos de puericultura

Destino:
Concelho de Ílhavo, através das Vicentinas des-
ta Cidade

21/12/08

Actividade:
Entrega de brinquedos (livros, puzzles, jogos,
etc.) a 33 crianças

Destino:
Concelho de Ílhavo, através das Vicentinas des-
ta Cidade

22/12/08

Actividade:
Entrega de cobertores e agasalhos aos sem-
abrigo

Destino:
Aveiro

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 37


HOMEM DO LEME
RESUMO DAS ACTIVIDADES
(CONT.) 1 .º S E M E S T RE - A NO L ION ÍS T I CO 2 0 0 8 — 2 0 0 9

Serviço de Representação

5/07/2008

Actividade:
Exposição de que fez parte SR, como exposito-
ra (Cerâmica e Pintura)

Local:
ACAV

10/7/2008

Actividade:
Recepção e acolhimento ao CL José do Pedal
(Brasil)

Local:
Barra - Ílhavo

12/7/2008

Actividade:
Jantar convívio c/ CL José do Pedal

Local:
Restaurante Marisal

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 38


HOMEM DO LEME
RESUMO DAS ACTIVIDADES
(CONT.) 1 .º S E M E S T RE - A NO L ION ÍS T I CO 2 0 0 8 — 2 0 0 9

Serviço de Representação

01/08/2008 01/08/2008

Actividade: Actividade:
Apresentação de cumprimentos Apresentação de cumprimentos e recebimento
de donativo no âmbito da prova de perícia
(Maio-2008)
Local:
Junta de Freguesia S. Salvador - Ílhavo
Local:
Junta de Freguesia da Gafanha da Nazaré
01/08/2008 12/09/2008

Actividade: Actividade:
Apresentação de cumprimentos ao Sr. Coman- Apresentação de cumprimentos ao Sr. Presi-
dante dente

Local: Local:
Ílhavo – Corporação de Bombeiros Câmara Municipal de Ílhavo

04/10/2008

Actividade:
Almoço de Outono

Local:
Vila Praia de Âncora

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 39


HOMEM DO LEME
RESUMO DAS ACTIVIDADES
(CONT.) 1 .º S E M E S T RE - A NO L ION ÍS T I CO 2 0 0 8 — 2 0 0 9

Serviço de Representação

22/11/2008

Actividade:
Jantar na Casa da Anta - Apresentação da candi-
datura para a organização do Simpósio da Famí-
lia, Março 2009 e aceite pelo Lions Internacio-
nal

Local:
Vila Praia de Âncora

29/11/2008 06/12/2008

Actividade: Actividade:
Aniversário do Clube Aniversário do Clube

Local: Local:
Fafe Barcelos

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 40


HOMEM DO LEME
RESUMO DAS ACTIVIDADES
(CONT.) 1 .º S E M E S T RE - A NO L ION ÍS T I CO 2 0 0 8 — 2 0 0 9

Actividades Desportivas e de Lazer

19/07/2008

Actividade:
Almoço Convívio com Visita ao Museu do Pão e
a presença de sócios do Núcleo, do Clube de
Belmonte e muitos convidados externos (no
total de 44 pessoas)

Local:
Seia

Serviços de Saúde

18/10/2008

Actividade:
Jantar Palestra com a Dr.ª Adriana da Concei-
foto
ção, subordinado ao tema Gestão de Emoções

Local:
Hotel de Ílhavo

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 41


HOMEM DO LEME
RESUMO DAS ACTIVIDADES
(CONT.) 1 .º S E M E S T RE - A NO L ION ÍS T I CO 2 0 0 8 — 2 0 0 9

Admissão de Sócios

13/12/2008

Actividade:
Jantar de Natal com admissão de 3 novas sócias
Local:
Hotel de Ílhavo

CL DIANA NOVO
ESTUDANTE DO MESTRADO DE ARQUITECTURA

CL PATRÍCIA CARDOSO
DELEGADA DE INFORMAÇÃO MÉDICA -
NOVARTIS

CL ANA CALADO
ESTETICISTA

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 42


HOMEM DO LEME
FERMENTO OU MASSA INERTE? C L J O ÃO MA RTA

Nos últimos tempos, qualquer tema de conversa nos conduz à crise dos merca-
dos financeiros. Todos opinam e palpitam estabelecendo uma confusão babiló-
nica: os órgãos de comunicação social desatam a especular sobre o assunto; os
políticos correm como baratas tontas, lembrando bombeiros empenhados de
mangueira em punho, tentando apagar todos os focos de incêndio; os endi-
nheirados passam as noites em claro, matutando no destino seguro a dar ao
seu capital; a agonizante classe média divide-se entre a indiferença, o medo e a
esperança; os pobres limitam-se a morrer: na favela, no mato, nos bairros de
lata, nas estações de metro das grandes urbes, nas valetas, no deserto, tanto
faz. O seu destino está traçado.

Que importa o como, o quando e o aonde?

Neste cenário dantesco, ninguém tem coragem para se assumir. Falam-nos dos
produtos tóxicos da Banca, da corrupção dos gestores, das falhas das entidades
reguladores e apresentam já como antídoto para todos os males a injecção
massiva de capitais no mercado financeiro. Mostram-se profundamente choca-
dos e escandalizados até, como virgens donzelas incautas surpreendidas a
banhar-se no rio.

Será que no meio da balbúrdia instalada, alguém consegue discernir se a dita


crise nos mercados é a causa ou apenas o efeito? Afinal quantas crises antece-
deram esta? Há quanto tempo não se falava em crise?

Não vale a pena meter a cabeça na areia na esperança de, resolvida a crise,
tudo voltar ao seu lugar, graças a Deus.

Na minha modesta opinião, é urgente questionar o sistema político/ económi-


co vigente e os valores que lhe estão subjacentes.

Quando milhões e milhões de pessoas vivem abaixo do limiar das necessidades


de sobrevivência para o ser humano; quando a maior parte dos habitantes des-
te Planeta não desfruta sequer de água potável; quando, apesar da fome, se
limita a produção de bens alimentares por medias meramente economicistas;
quando se teima em destruir o nosso respirar; quando o egoísmo reinante põe
em causa o futuro das gerações vindouras, que esperança podemos ou mere-
cemos almejar afinal?

É espantoso serem os Países ditos desenvolvidos, na suposta defesa dos seus


interesses imbecis, imediatos e mesquinhos, a conduzir-nos sem escrúpulos
para o abismo num caminho sem retorno. O binómio poder eco-
nómico/ poder político está a sugar até ao tutano todos os recur-
sos que ainda restam transformando sonho do amanhã num
gigantesco pesadelo.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 43


HOMEM DO LEME
FERMENTO OU MASSA INERTE?
(CONT.)
C L J O ÃO MA RTA

Onde estão os lideres de referência? Será que a sua voz ficou frágil de repente, ao ponto de se
tornar inaudível?

Será que o sistema vigente, nos Países intitulados de motores do desenvolvimento, se transfor-
mou numa seara esgotada e incapaz de fazer emergir novos líderes que sirvam de bússola na
procura dos novos caminhos do futuro?

Será que tenho do mundo uma visão catastrófica e que poderei com facilidade ser apelidado
de velho do Restelo ou até de profeta da desgraça? É apenas a minha maneira de ver, quisera
não ter sequer um pingo de razão. Contudo, atrevo-me a citar o poeta: “Não sei por onde vou,
sei que não vou por aí”.

Sinto que uma reflexão profunda tem de ser feita questionando o sistema, os princípios e os
valores, na procura de caminhos inovadores que nos conduzam a um amanhã mais esperanço-
so.

Enquanto Lions temos responsabilidades acrescidas. Vamos dar o nosso contributo válido para
essa reflexão ou vamos fazer parte dessa massa inerte que assiste muda e acomodada ao
sabor da maré? Não sei se como militante básico, como me considero, me é permitido ir muito
mais além. Contudo, a minha curta experiência de militante leva-me a concluir que somos bas-
tante passivos. Limitamo-nos a tentar minimizar algumas mazelas de que sofre a sociedade
tentando assim ficar de bem com a nossa consciência.

Será que essa atitude nos basta e nos preenche? Ou pelo contrário, devíamos ser mais fermen-
to e menos massa? Temos de procurar as respostas, de mente aberta aos novos desafios que o
futuro nos reserva.

CL João Marta

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 44


HOMEM DO LEME
COMISSÃO DE ACTIVIDADES
PARA A SAÚDE
C L O D E TE M A RQ U ES

Para o Ano Lionistico 2008-2009 o Grupo que constitui a Comissão para as acti-
vidades relacionadas com a Saúde apresentou uma proposta de realização de
acções baseada em três áreas fundamentais:

- Levantamento de necessidades junto do Centro de Saúde de Ílhavo e Serviços


Sociais da Câmara Municipal de Ílhavo

- Rastreios visuais

- Palestras

Até à data os elementos da Comissão reuniram com o objectivo de programar e


agendar a realização do seu plano.
Assim, foram realizadas as seguintes actividades:

- Palestras
No dia 18 de Outubro de 2008, pelas 20h, no Hotel de Ílhavo, realizou-se uma
palestra tendo como oradora a Dra Adriana Conceição, que abordou o tema “
Gestão das Emoções”. Esta palestra foi inserida na Assembleia-Geral mensal do
Núcleo e precedida de Jantar.

- Rastreios visuais nas escolas básicas

Foram iniciados contactos com os responsáveis do Agrupamento de Escolas da


Gafanha da Encarnação para a realização de rastreios visuais nas escolas bási-
cas daquela localidade.

Os rastreios serão efectuados no 1º trimestre de 2009, em data a acordar com


a presidente do Agrupamento de Escolas.

Ílhavo, Dezembro de 2008


CL Odete Marques

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 45


HOMEM DO LEME
VEMOS, OUVIMOS, LEMOS… E
SENTIMOS
C L AG ÍL IO A B RA N T E S

Ainda cintilam luzes de Natal, ecoam votos de boas festas e desejamos, quase
de forma automática, tudo de bom para o novo ano.

Seria bom que o milagre acontecesse, porque só por verdadeiro milagre pode-
rão acontecer coisas boas em 2009 . A economia foi engolida por um autêntico
terramoto e assistimos a acontecimentos que não eram imaginados. Bancos
em falência, Bolsas em descidas diárias, desemprego em subida vertiginosa,
fome, que sempre foi pensada fenómeno de terras distantes, aqui mesmo ao
nosso lado. Fome autêntica, de pão nosso de cada dia. Miséria que não se con-
segue esconder por mais tempo. E também a miséria moral avança, minando
corpos e ultrajando almas de pessoas que recorrem à prostituição dita ocasio-
nal para garantirem coisas essenciais. Não adianta fechar os olhos, tapar os
ouvidos ou cerrar as bocas porque, como diz a canção, vemos, ouvimos e
lemos, não podemos ignorar por muito mais tempo.

As ONG’s, ( Organizações Não Governamentais ) em que o movimento lionístico


se insere, têm um papel fundamental no apoio aos carenciados, devendo acom-
panhar os casos de necessidade material, moral e de saúde da forma que os
vêm desenvolvendo, mas indo mais além, denunciando as atrocidades cometi-
das por alguns que se julgavam e ainda julgam impolutos.

O escândalo Maddof já provocou suicídios e em Portugal vão acontecer episó-


dios idênticos provocados por uma “casta “ de gente sem escrúpulos – ban-
queiros que se pavoneiam nas revistas do jet-set, adulados pelos criadores de
imagem, que levam bancos à ruína e que se banqueteiam com reformas multi-
milionárias, ex-políticos que dum momento para o outro enriquecem sem o
dever de explicar a origem dos proventos, ligações duvidosas entre a res publica
e o sector privado e tantos outros casos fastidiosos de enumerar.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 46


HOMEM DO LEME
VEMOS, OUVIMOS, LEMOS… E
SENTIMOS (CONT.) C L AG ÍL IO A B RA N T E S

Assistimos a tudo isto e ao pagamento, por parte do Governo, dos erros de meia dúzia de “
gestores “, injectando e avalizando muitos milhões no negócio bancário. Nesse mesmo negó-
cio que cobra comissões, juros altíssimos no crédito à habitação e ao crédito concedido às
empresas ( leia-se concedido quando as garantias reais são muito superiores ao crédito ) .

Aparentemente devia tratar-se dum negócio com altíssimos lucros, atendendo aos riscos dimi-
nutos da actividade e aos valores das remunerações dos administradores. A chamada crise
global veio colocar a nu muitas deficiências duma sociedade de espírito canibal, em que os
valores se inverteram e o estatuto se passou a medir pelos sinais exteriores de riqueza …

… e cada vez mais, no céu cinzento, sob o astro mudo, … eles comem tudo e a praça enche-se
de gente madura ávida de justiça, porque o papão teima em não deixar os meninos pobres
verem um mar de esperança e abafa as vozes daqueles que querem que todos vejam o sol
nascer…

… mas eu acredito que o milagre é possível, que o nosso querer, reflectido nas mais pequeni-
nas coisas, transformará o pouco pão em muito, que a força do movimento LION, associado a
muitas outras organizações, será capaz de transformar a angústia em esperança.

Utilizando as palavras duma excelente poetisa, Maria José Dias Leite, desejo que a coragem
não nos falte no ano de 2009 e

Que a tua viagem seja longa


E leves na bagagem
Manhãs de luz,
Poentes de coragem

CL Agílio Abrantes

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 47


HOMEM DO LEME
SOLIDARIEDADE—A CAMINHADA
PARA QUE SEJA SEMPRE NATAL
C L C R IS T IN A C A RD OS O

Tudo começou bem antes do inicio do AL2008/9 quando o Coordenador eleito


me aliciou para responsável da Comissão de Solidariedade do Núcleo Farol da
Barra.
A partir daí, formou-se um grupo coeso e cheio de vontade , tendo-se delinea-
do um primeiro plano de actividades o qual foi apresentado à Direcção e, pos-
teriormente, apresentado e aprovado em Assembleia .
Julho e Setembro foram consagrados, em particular, ao chamado “trabalho de
sapa”.

Contactaram-se várias Instituições para levantamento de carências e arquitec-


tou-se o modo de actuação no sentido de se desenvolverem parcerias e proto-
colos de cooperação com Organizações de Solidariedade do Concelho.
Cedo se compreendeu que a Obra da Criança , o Lar de S. José da 3ª Idade e as
Conferências Vicentinas seriam Instituições a apoiar de maneira inequívoca,
independentemente do apoio a famílias carenciadas que, de algum modo, che-
gassem ao nosso conhecimento.

Face a esta escolha e após reuniões com os respectivos responsáveis para


calendarização das actividades a desenvolver, iniciou-se, em Outubro, a anga-
riação de roupas e livros de Outono/Inverno, para a Obra da Criança, activida-
de que envolveu a generalidade dos Companheiros do Núcleo assim como
famílias e amigos que se quiseram associar , tendo-se conseguido uma tal reco-
lha, que foram necessárias três viaturas para o transporte do respectivo mate-
rial.

Como o Natal estava quase à porta, para suprir as carências em matéria de ali-
mentos e outros artigos de primeira necessidade, desenvolveu-se uma campa-
nha de solicitação de apoio a Empresas Alimentares, Industriais e de Comércio
Retalhista.

No entanto, era também importan-


te e urgente partilharmos o nosso
calor humano com os residentes na
Obra da Criança, realizando uma
actividade mais personalizada.

Um lanche Magusto programado


para a tarde de 5 de Novembro no
qual todos os Companheiros convi-
veram com as Crianças (dos 2 aos 17
anos de idade) e Pessoal da Institui-
ção , proporcionando uma refeição
bem diferente associando as casta-
nhinhas assadas com os docinhos e
salgadinhos fornecidos pelos Com-
panheiros e alguns comerciantes da
localidade.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 48


HOMEM DO LEME
SOLI DAR IE DADE —A CAMI NHADA PAR A
QUE SEJA SEMPRE NATAL (CONT.) C L C R IS T IN A C A RD OS O

Ainda em Novembro, continuou-se com a angariação de roupas , cobertores , mantas e edre-


dons para o Lar da 3ª Idade sendo a entrega efectuada a 18 de Novembro.

Com a resposta fantástica de donativos em géneros de Grandes Empresas Nacionais e locais e


com fundos obtidos em Actividades das outras comissões, foi possível entregar brinquedos,
puzzles, livros, material escolar e alimentar a 33 crianças carenciadas do concelho de Ílhavo ,
assim como dez cabazes de Natal , contribuindo-se para um Natal um pouco mais alegre e mais
feliz para quem a vivência do dia -a -dia é uma luta contínua.

Dezembro vai terminar ainda com mais uma parceria para angariação de brinquedos , desta vez
com o íliabum Clube de Ílhavo. Íli , mascote do Clube, com reputação no Basquetebol Nacional,
apelou aos seus adeptos para dar mais alegria a mais crianças

Finalizou-se ano ainda com a entrega de roupa e cobertores aos sem – abrigo.

O Natal por sistema é a época que apela à solidariedade .Importa agora cumprir com o que dis-
se o poeta” Natal não é só em Dezembro , Natal é quando o Homem quiser”.

Os Homens e Mulheres do futuro Lions Clube de Ílhavo querem que seja Natal sempre.

CL Cristina Maria Cardoso

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 49


HOMEM DO LEME
A PACIÊNCIA É UMA GRANDE
VIRTUDE C L BALTA Z A R ME N D ES

Paciência é a virtude de manter um controle emocional equilibrado, sem per-


der a calma.

Consiste basicamente de tolerância a erros ou factos indesejados.

É a capacidade de suportar incómodos e dificuldades de toda à ordem, a qual-


quer hora ou em qualquer lugar.

É a capacidade de persistir em actividades difíceis, tendo acção tranquila e


acreditando que se irá conseguir o que se quer, de ser perseverante, de espe-
rar o momento certo para certas atitudes, de aguardar em PAZ a COMPREEN-
SÃO que ainda não se tenha obtido.

Capacidade de ouvir alguém, com calma, com atenção, sem ter pressa.
Capacidade de se libertar da ansiedade.

A tolerância e a paciência são fontes de apoio seguro nos quais podemos con-
fiar.
Ser paciente e tolerante é ser humanizado e saber agir com calma e tolerância.

A paciência também é CARIDADE quando praticada nos relacionamentos inter-


pessoais.
Ter paciência para ouvir quem está em desespero e retribuir com uma palavra
amiga é S O L I D A R I E D A D E.

Deste pequeno texto destacam-se quatro palavras-chave que, se praticadas


nos momentos certos, nos podem fazer crescer como Seres Humanos.

VAMOS SER PACIENTES.

CL BALTAZAR MENDES

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 50


HOMEM DO LEME
MOMENTO DE LAZER… BRINCAN-
DO COM COISAS SÉRIAS C L M A NU EL A RO C HA

SÓ + 1
HÁ TANTOS DIAS…..
--O DIA DE NATAL (para alguns)
--O DIA DO AMBIENTE (mais
que poluído)
--O DIA DA MULHER (dos "sete
ofícios")
--O DIA DA ÁRVORE (substituída
por altos prédios)
--O DIA DO LIVRO (quem lhe
pode "chegar"?)
--O DIA DO TRABALHADOR (e
os desempregados?)
--O DIA DA POUPANÇA (e pou- Sem rasgos de fantasia
pa-se o quê? O que não se A doença não se cura
tem?) Apenas durante um dia (o dia do não
--O DIA DA CRIANÇA (não preci- fumador)
sará de ser lembrada todos os Como estão em minoria
dias?) Sentem-se um pouco afastados
---O DIA DO NÃO FUMADOR Pela constante censura
(com outros vícios) Dos outros não viciados (de tabaco…)
E TANTOS OUTROS… Que os mandam p’ro "olho " da rua
Espero que se comemore SÓ P’ra não serem infectados
MAIS UM DIA!... E terem uma longa vida
O DIA da COMPREENSÃO Sem serem contaminados
Para o triste fumador EVITEM ESTA AGRESSÃO
Que é vítima de "agressão" NO tal "DIA DA COMPREENSÃO"
Por parte dos que não fumam
E não têm coração. Nota: Se a vida for muito…muito…muito
Estes "pobres viciados" longa, ficarão "esclerosados", "cheios de
Tal como outros drogados, reumatismo" e todos "encarquilhados".
Precisam de muito apoio, Era isso, o que pretendíamos evitar…
De muito amor e carinho mas…
Até estarem curados.
NÃO SOMOS COMPREENDIDOS.
(de boas intenções, está o inferno cheio)

CL Manuela de Brito Rocha

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 51


HOMEM DO LEME
PROCURANDO C L IS AB E L C A S T RO

Recomeça…
Se puderes,
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade “

Miguel Torga.

Este poema de Miguel Torga incita-nos a olhar o futuro querendo sempre mais.

Este querer mais em termos lionísticos significa mais serviço, mais amizade,
mais companheiros. Foi este o compromisso que assumimos, o de aumentar o
número de sócios do nosso Núcleo e temo-lo conseguido.

Começámos sete em 2006 e, dois anos volvidos, temos a alegria de ver engros-
sadas as nossas fileiras e as do lionismo. Cada companheiro que se junta a nós
é uma mais-valia para o movimento uma vez que é mais uma vontade num
mundo em que todos somos poucos para fazer face às inúmeras carências da
comunidade em que nos inserimos.

No entanto, como de nenhum fruto queremos só a metade , os vinte e três que


hoje somos dão-nos o ânimo para prosseguir e encontrar nas gentes laboriosas
de Ílhavo outras tantas vontades que se queiram juntar à nossa para olharmos
para o futuro e sentirmos que o serviço se vai prestando, que a amizade vai
crescendo e que o lionismo se vai fortalecendo.

Hoje, amanhã e sempre recomeçaremos…

A Coordenadora da Comissão de Admissão de Sócios

CL Maria Isabel Castro.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 52


HOMEM DO LEME
A ESPERANÇA NO FUTURO C L A N TÓ N IO NOVO

A audácia portuguesa em busca da utopia e da modernidade permitiu desbra-


var, no passado, rotas marítimas através do desenvolvimento de métodos e
instrumentos de navegação inovadores, contributos fundamentais para o forta-
lecimento dos laços culturais e comerciais entre os povos do ocidente e orien-
te.

A viagem continua. Reinseridos no projecto europeu como membros de pleno


direito, as incertezas do futuro impõem uma imensidão de novas questões, que
urge ultrapassar no domínio social, económico e do saber, onde certamente a
nossa experiência e conhecimento contribuirão de forma decisiva para trilhar
as rotas de amanhã.

A indústria portuguesa espelha a nossa tradição de enfrentar novos desafios,


novas realidades económicas, demonstrando invulgar capacidade de resposta
no contexto da globalização das trocas comerciais, atingindo uma expansão
ímpar, não só em relação ao tecido industrial português, como também no
âmbito da industria europeia.

Um círculo virtuoso de desenvolvimento.

CL António Novo

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 53


HOMEM DO LEME
É PRECISO RENAS CER C L E LV IR A AL M E IDA

…Lembrei daquela História tão


antiga e tão distante,
de um Menino que nasceu;
muitos, viram Nele a luz Divi-
na,
que dizem nessa noite se acen-
deu!

Pobre Menino!
Cresceu, morreu na Cruz
prometendo, um dia, a Luz
para todos: os do bem e os do
mal!

Desde então se morre, na ago-


nia; Natal não é festa de um só dia.
e se vive na esperança desse
dia, a que uma vez por ano É vida inteira, plena de alegria,
chamamos de Natal! aceitando o Menino que há dentro de nós!

Mas Natal não é isto, não, É a Voz que lá do Alto, o nosso trilho guia…
Senhor! …não sei bem!
NATAL é paz, é só amor! Só sei que precisamos encher este vazio!
é amizade, é compaixão, é Matar, de vez, a fome, a solidão e o frio;
alma! tirar do que nos falta e dar a alguém
é fim de tarde calma, um pouco mais de sonho,
é Terra pura, é sol, calor… um pouco mais de sal…
É sorriso em rosto de criança! Partilhar vidas perdidas
Sim, mas e tudo isso, quem e achar algo…ou quem…!
alcança?
Isso sim, para mim, era NATAL!

2 de Dezembro de 2008
CL Elvira Almeida

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 54


HOMEM DO LEME
A MÚTUA DOS LIONS - A SOLIDARIEDADE
COMEÇA PELOS NOSSOS C L P D G C A RVAL HO LOP E S

Hoje falo-vos de uma solidariedade especial: aquela que começa pelos nos-
sos!
Como sabem, os Lions Portugueses dispõem de um instrumento de solidarie-
dade para, em momentos de falecimento de um sócio, proteger os seus fami-
liares e minorar os custos financeiros que daí possam advir.
Esse instrumento é a Mútua do Distrito Múltiplo 115 de Lions Clubes, com
estatutos publicados em 1999, sendo aberta aos companheiros Lions, seus
cônjuges, filhos, genros e noras sem qualquer limitação de idade.
Para além de uma jóia de admissão, os sócios apenas pagarão o valor da
“chamada” aquando do falecimento de um sócio no valor actual de dez
euros.
Após o recebimento da ocorrência, é feita uma chamada a todos os sócios
para que o fundo financeiro garanta o respectivo pagamento aos beneficiá-
rios.
O processo é simples e não tem burocracias, visando que o valor chegue aos
herdeiros indicados pelo mutualista o mais rapidamente possível.
Naturalmente que a ajuda poderá ser muito maior se o número de Compa-
nheiros e Companheiras, ainda não sócios, aderirem à Mútua.
Esta é uma solidariedade que assumimos sempre a pensar nos nossos entes
queridos, ajudando-os em momentos de dor e privação.
É um encargo que é superado fortemente pelo proveito que os nossos familia-
res vão, um dia, poder usufruir.
E é o exemplo de prevenção e de solidariedade que é importante reflectir!
Sejamos todos solidários!
Comecemos por ser solidários com os nossos!

Vamos todos aderir à Mútua!

CL PDG José Manuel Carvalho Lopes


Presidente da Mútua do DM115 de Lions Clubes
Barcelos, Dezembro de 2008.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 55


HOMEM DO LEME
VIVEU-SE NATAL C L A N TÓ N IO RO CH A

O Natal, digam o que disserem, é sem dúvida a Festa das Festas do calendário
Tradicional dos Portugueses.

Mesmo os mais contestatários, abstencionistas ou ateus, rendem-se à Magia


que inspira o Natal. Por toda a parte, Empresas, Associações, Grupos de Ami-
gos, Clubes, reúnem os seus membros nos tradicionais Almoços e Jantares de
Natal, antecipando a Ceia e o Almoço que irão celebrar com as suas Famílias.

Sendo um lugar comum, perguntar-me-ão porquê reser-


var uma página do nosso Boletim ao Jantar de Natal do
Núcleo Farol da Barra?

É que este ano, permitam-me que vos diga, foi um pou-


co diferente dos outros.

Foi no dia 13 de Dezembro no Hotel de Ílhavo. Até aqui


nada de extraordinário.

Também não foi por causa do menu que contou com as


“ figuras obrigatórias “ de tantos outros jantares natalí-
cios.

Foi pelo ambiente de união, de família, de Espírito Nata-


lício? Diria que sim, sem querer dizer que foi inédito,
mas congregaram-se à mesma mesa os Companheiros e
Companheiras do Núcleo, com Amigos e Familiares de
alguns e com o brinde especial da presença da CLª
Governadora do D 115 CN , de Membros do seu Gabine-
te e de Companheiros do Clube Padrinho de Vila Praia de
Âncora.

Foi também pela decoração da Sala; sem estabelecer


juízos de valor nem comparações, direi só que a Exposi-
ção de Presépios deu um toque especial ao ambiente e
criou um cenário de rara beleza bem adequado ao even-
to.

Foi igualmente pela já habitual troca de presentes misté-


rio, que nos faz sempre recordar os tempos de meninice
em que este momento era o mais aguardado da noite ou
do dia de Natal. E foi pelo momento de poesia, com
declamação notável de um Amigo do Núcleo, o Dr Jorge
Neves, também ele um já habitué dos nossos eventos.

Mas sem dúvida foi por causa do momento mais alto da


noite em que tomaram posse três novas sócias: a Diana,
a Patrícia e a Ana, que vêm engrossar as fileiras do clube
e ajudar na implantação e consolidação do movimento
Lions em Íhavo.

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 56


HOMEM DO LEME
J ANTAR DE NAT AL E AD MIS S ÃO DE
S ÓCIOS ( CONT .) C L A N TÓ N IO RO CH A

Foi também diferente porque estávamos em vésperas de podermos cumprir a nossa missão
como Lions, a de podermos proporcionar a 10 famílias carenciadas e a 33 crianças do Concelho
de Ílhavo um pouco do que vivemos naquela noite de 13 de Dezembro: um Natal de Decora-
ção, um Natal de Sabores, um Natal de Presentes, un Natal de Família, um Natal de Alegria, um
Natal de Conforto, um Natal de Partilha um Natal de Reencontro, um Natal Amigo………….
UM NATAL SOLIDÁRIO.

E finalmente foi diferente, porque amanhã, seremos o Lions Clube de Ílhavo; seremos mais e
ainda mais fortes por forma a que, para estas e outras tantas famílias, não seja Natal só no dia
25 de Dezembro.

CL António Rocha

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 57


HOMEM DO LEME
DIPLOMA F U N DAÇ Ã O DO NÚ CL E O - 11 - 01 - 2 0 0 6

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 58


HOMEM DO LEME
LISTA DE PRESENÇAS F U N DAÇ Ã O DO NÚ CL E O - 11 - 01 - 2 0 0 6

FUNDAÇÃO DO
NÚCLEO FAROL DA BARRA DO LIONS CLUBE DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

HOTEL DE ÍLHAVO – JANTAR 11.01.2006

N.º
CLUBE CARGO NOME
INS

Pres. Francisco Presa 2


VP. Manuel Amial 2
V. P. ÂNCORA
Sec. Alberto Magalhães 2
José Viana 2
Costa Almeida 1
Coord. Isabel Castro 1
V Coord. Manuela Brito Rocha 1
José Carreto Lages 2
NÚCLEO Conceição Lages 1
Agílio Abrantes 1
Cristina Cardoso 1
Ermelinda Manso 2
Susana Rino 2
PCM Caminha Dra. Júlia Paula Costa 1
V CM Ílhavo Dra. Margarida São Marcos 1
P RTAM Dr. Francisco Sampaio 1
CONVIDADOS
P Acad.Saberes Dra. Florinda Silva 1
Pároco da Barra Padre Paulo 1
BVoluntários Júlio Barreirinha 1
Pianista Sra. Iauqui 1
As. Amigos Barra Manuela Castro 1
ASSOCIAÇÕES
Isabel Cristina 1
Ivete 1

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 59


HOMEM DO LEME
LISTA DE PRESENÇAS F U N DAÇ Ã O DO NÚ CL E O - 11 - 01 - 2 0 0 6

FUNDAÇÃO DO
NÚCLEO FAROL DA BARRA DO LIONS CLUBE DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

HOTEL DE ÍLHAVO – JANTAR 11.01.2006

N.º
CLUBE CARGO NOME
INS

ÁGUEDA Armando Gonçalves 2


AROUCA José Vale Quaresma 1
VDG Luís Ventura 1
BAIRRADA Maria Emília Cristiano 1
João Eugénio Simões 2
PDGI Carvalho Lopes 2
BARCELOS
Soledade Faria 1
PRES. Luís Figueiredo 1
COVA DA BEIRA
Sérgio Saraiva 1
PREGIÃO C Carlos Ferreira 1
ESPINHO
José Maia 1
Pres. CNG Luís Xavier 1
Maria Teresa Xavier 1
GUIMARÃES
PDG Teresa Gama 1
António Gama 1
MATOSINHOS PCC José Neiva Santos 2
P REGIÃO D Teresinha Novo 1
António Novo 1
OVAR
Ana Rego 1
Alexandra 1
OVAR LEO Patrícia Bela Cardoso 2
OEIRAS TEJO PCCI Joaquim Borralho 2

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 60


HOMEM DO LEME
LISTA DE PRESENÇAS F U N DAÇ Ã O DO NÚ CL E O - 11 - 01 - 2 0 0 6

FUNDAÇÃO DO
NÚCLEO FAROL DA BARRA DO LIONS CLUBE DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

HOTEL DE ÍLHAVO – JANTAR 11.01.2006

N.º
CLUBE CARGO NOME
INS

PAREDE PCC Jorge Ferreira 2


José Pinto Monteiro 1
PAÇ. FERREIRA
Conceição Monteiro 1
PÓVOA VARZIM Pres. Manuel Figueiredo 1
TROFA PDG António Serra Cruz 2
PDG João Pedro Mateus 1
VAGOS João Paiva 1
Iolanda Paiva 1
Pres. Afonso Almeida 1
VALE CAMBRA
António Martins Pinho 1
Governador João Sintra Coelho 1
Maria do Carmo S.Coelho 1
VIANA CASTELO
Sec. Gov Armando Sousa 1
Tes. Gov Ricardo Felgueiras 1
Jorge Rodrigues 1
VILA NOVA GAIA Valentim Miranda 2
Palmira Lemos 1
VISEU
Carmindo Lemos 1
PDGI Ramón Lopez Diaz 1
PONTEVEDRA
Selma Salgueiro 1

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 61


HOMEM DO LEME
MEMBROS DO CLUBE A L 2 00 8 / 200 9 —1 .º S EM E S TR E

NOME E-MAIL

CL AGILIO ABRANTES agilioabrantes@gmail.com


CL ANA CALADO ana.calado44@hotmail.com
CL ANDREA CARDOSO andreacardoso@hotmail.com
CL ANTÓNIO NOVO ajrnovo@gmail.com
CL ANTÓNIO ROCHA antonio.lemos.rocha@gmail.com
CL BALTAZAR MENDES jb.diasmendes@sapo.pt
CL CARRETO LAGES cl@carretolages.com
CL CONCEIÇÃO LAGES saozinhalages@gmail.com
CL CRISTINA CARDOSO cristina-m-cardoso@telecom.pt
CL DIANA NOVO arqt.diananovo@gmail.com
CL DUARTE DA ROCHA -
CL ELVIRA ALMEIDA virita.almeida@gmail.com
CL ERMELINDA MANSO melimmanso@gmail.com
CL ISABEL CASTRO Castro.bela@gmail.com
CL JOÃO MARTA joaomartaj082@gmail.com
CL JORGE MELO Jorge.c2vtr@gmail.com
CL MANUELA ROCHA nela.rocha@netcabo.pt
CL ODETE MARQUES odetepmm@hotmail.com
CL ODETE ROCHA mariaodeterocha@hotmail.com
CL PATRÍCIA CARDOSO patriciabela@yahoo.com
CL PAULA BAPTISTA pmdiba@sapo.pt
CL SUSANA RINO susarino@gmail.com
CL TERESINHA NOVO teresinhanovo@gmail.com

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 62


HOMEM DO LEME
GALHARDETE DO CLUBE C L D IA N A NOVO

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO Página 63


HOMEM DO LEME

LIONS CLUBE DE ÍLHAVO

Interesses relacionados