Você está na página 1de 18
ESCOLHA DE MATERIAIS PARA A ESTRUTURA DUMA AERONAVE DE PASSAGEIROS AIRBUS A320 Alvaro Garcia 72163

ESCOLHA DE MATERIAIS PARA A ESTRUTURA DUMA AERONAVE DE PASSAGEIROS AIRBUS

A320

ESCOLHA DE MATERIAIS PARA A ESTRUTURA DUMA AERONAVE DE PASSAGEIROS AIRBUS A320 Alvaro Garcia 72163 Pagina

Alvaro Garcia

72163

ESCOLHA DE MATERIAIS PARA A ESTRUTURA DUMA AERONAVE DE PASSAGEIROS AIRBUS A320 Alvaro Garcia 72163 Pagina
ESCOLHA DE MATERIAIS PARA A ESTRUTURA DUMA AERONAVE DE PASSAGEIROS AIRBUS A320 Alvaro Garcia 72163 Pagina

Indice

1.Indice…………………………………………………………………………………………2

2.Introducçao………………………………………………………………………………… 3

3.Selecçao de materiais

3.1 Viga transversal…………………………………………………………………

4

3.2 Viga longitudinal…………

………………………………………………………5

3.3 Estrutura circunferencial………………………………………………………….6

3.4 Cascas …………………………………………………………………………….7

4.Mapas de Ashby

4.1 Indice primeiro……………………………………………………………………

9

4.2 Indice segundo…………………………………………………………………

10

4.3 Indice terceiro…………………………………………………………………….11

4.4 Decissao………………………………………………………………………….12

5.Dimensonamento…………………………………………………………………………

6.Escolha da tecnología

13

6.1 Enformaçao………………………………………………………………………14

6.2 Rugosidade……………………………………………………………………….15

7.Fornecedores……………………………………………………………………………….17

8.Bibliografia…………………………………………………………………………………

18

8.Bibliografia ………………………………………………………………………………… 18 Pagina 2
8.Bibliografia ………………………………………………………………………………… 18 Pagina 2

2.Introduçao

Ao longo deste trabalho vamos describir o preocesso de escolha de materiais para a construcçao duma aeronave de passageiros. O modelo a escolha é um Airbus A-320. Alem da escolha de materiais deveremos procurar qual e o processo optimo para o tratamento do material.

Para obter os dados dos que obtemos a informaçao que precissamos usaremos o método de escolha por funçao, constrengimentos, objectivos e variaveis libres. Funçao é para que é que utilizamos o material. Constrengimentos sao os dados que nao podemos alterar. Objectivo é o que é que queremos maximizar o minimizar. Variaveis libres sao as que nos podemos trocar como quisseremos.

Como o objeto da nossa analise é a estrutura central e a casca devermos escolher um material que resista as pressoes em condiçoes normais, de voo e e tamben situaçoes accidentais. Tanto o material como o proceso sao muito importante porque disso depende a estabilidade da nossa estrutura.

O material escolhido como primera opçao é o Al 2024 e deveremos aportar os dados necessarios para verificar que é uma boa elecçao.

como primera opçao é o Al 2024 e deveremos aportar os dados necessarios para verificar que
como primera opçao é o Al 2024 e deveremos aportar os dados necessarios para verificar que

3.Selecçao de materiais

3.1 Viga transversal

3.Selecçao de materiais 3.1 Viga transversal Função: A nossa viga transversal tem a funçao de soportar

Função:

A nossa viga transversal tem a funçao de soportar a carga dos passageiros, as malas,

as cadeiras

E uma viga sometida a flexão.

Constrengimentos:

Temos um comprimento dado para la viga. Para simplificar o problema admitiremos que a secção da viga e de forma quadrada. Temos ter uma alta resistencia mecanica para a estrutura seja rigida e nao quebre nem deforme.

Objectivo:

Devemos minimizar o peso da estrutura, fazer o avião o mais leve possível com uma resistencia alta.

Variaveis livres:

Tentaremos ter também um material resistente a oxidação. Podemos variar as dimensoes da viga uma vez escolhido o material. O dimensionamento fica aparte deste estudio mas sera fornecido neste trabalho.

Indice para a escolha:

Aplicamos as equações para uma viga a flexão:

mas sera fornecido neste trabalho. Indice para a escolha: Aplicamos as equações para uma viga a
mas sera fornecido neste trabalho. Indice para a escolha: Aplicamos as equações para uma viga a

(

)

De onde deduzimos que o índice que devemos maximizar por ter uma viga a flexão e:

3.2 Viga longitudinal

Como podemos ver no esquema temos umas linhas que decorrem o avião do frente ate o fim. Vamos analisar as características de essas vigas.

o fim. Vamos analisar as características de essas vigas. Função: E uma viga a flexão e

Função:

E

uma viga a flexão e a tracção compressão. Estas vigas sao o soprte para as cascas

e

as estruturas circunferenciais.

Constrengimentos:

Temos ter uma alta resistencia mecanica para nao ter uma deformaçao muito elevada

e poder resistir os esforços sem quebrar nem deformar muito.

Objectivo:

Devemos minimizar a massa da estrutura para fazer o avião o mais leve pssivel mas tendo uma alta resistencia mecanica.

minimizar a massa da estrutura para fazer o avião o mais leve pssivel mas tendo uma
minimizar a massa da estrutura para fazer o avião o mais leve pssivel mas tendo uma

Escolha do indice:

Aplicaremos sobreposição para ter os índices com que escolher o material. Temos obtido o índice para flexão mas temos ainda que escolher para tracção compressão.

Pelo qual devemos maximizar o índice

3.3 Estrutura circunferencial

devemos maximizar o índice 3.3 Estrutura circunferencial Funçao: Temos uma estrutura que tem esforços de tração

Funçao:

Temos uma estrutura que tem esforços de tração e flexao. Esta estrutura sera o apoio das vigas longitudinais, transversais e das cascas.

Constrengimentos:

e flexao. Esta estrutura sera o apoio das vigas longitudinais, transversais e das cascas. Constrengimentos: Pagina
e flexao. Esta estrutura sera o apoio das vigas longitudinais, transversais e das cascas. Constrengimentos: Pagina

Temos umas dimensões dadas para as vigas desta estrutura.

Objectivo:

Minimizar a massa para fazer o avião o mais leve possível com uma alta resitencia mecanica.

Variaveis livres: so podemos variar a secçao das vigas. Esta escolha sera fornecida ao fim do trabalho.

O indice e o mesmo que no apartado anterior porque temos as mesmas solicitaçoes.

3.4 Cascas

As cascas formam a coberta exterior do avião e mante-lo isolado do exterior. E por isso que temos que procurar um material que não quebre por fendas. Temos uma placa a pressoes exteriores e interiores produzidas pela pressão dinâmica e estatica pelo que e muito importante reduzir o risco de fendas que fizerem um buraco na estrutura com risco de despressurização.

um buraco na estrutura com risco de despressurização. Função: Temos uma casca sujeta a uma pressao

Função:

Temos uma casca sujeta a uma pressao interna.

Constrengimentos:

Temos umas dimensões dadas.

Objectivo:

Minimizar o risco de fenda na casca e ter um material resistente mais leve.

Variaveis livres:

A escolha da espessura da casca sera objeto de estudo na simulaçao apos a escolha

do material.

Variaveis livres: A escolha da espessura da casca sera objeto de estudo na simulaçao apos a
Variaveis livres: A escolha da espessura da casca sera objeto de estudo na simulaçao apos a

Tentamos de maximizar o índice:

(Material Selection in Mechanical Desgin, M.F. Ashby, Elsevier, pag 511)

Nota:

E muito importante o facto da dilatação das cascas com a temperatura porque

devemos ter sempre calculadas as dimensões para as situações de voo. Um exemplo disso e o facto do avião SR-71, o qual quando se encontra em terra no esta completamente ensamblado mas quando esta em condições de voo esta completamente ensamblado. Em terra devem recolher o combustível que vai fora do avião mas que esta dentro nas condições de voo. E devido as baixas pressões e as baixas temperaturas nas condições de voo que fazem as cascas ficar completamente unidas.

de voo que fazem as cascas ficar completamente unidas. E por isso que deveremos ter um

E por isso que deveremos ter um coeficiente de dilataçao termica baixo. E um constrengimento mas precissaba duma aclaraçao aparte.

ter um coeficiente de dilataçao termica baixo. E um constrengimento mas precissaba duma aclaraçao aparte. Pagina
ter um coeficiente de dilataçao termica baixo. E um constrengimento mas precissaba duma aclaraçao aparte. Pagina

4. Mapas de Ashby

4.1

4. Mapas de Ashby 4.1 Pagina 9
4. Mapas de Ashby 4.1 Pagina 9
4. Mapas de Ashby 4.1 Pagina 9
4. Mapas de Ashby 4.1 Pagina 9
4.2 Pagina 10

4.2

4.2 Pagina 10
4.2 Pagina 10
4.2 Pagina 10
4.3 Pagina 11
4.3 Pagina 11

4.3

4.3 Pagina 11
4.3 Pagina 11
4.4 Decissao: Como temos que escolher o mesmo material para as cascas e para as
4.4 Decissao: Como temos que escolher o mesmo material para as cascas e para as

4.4 Decissao:

Como temos que escolher o mesmo material para as cascas e para as vigas, podemos olhar que o masi apropriado é o aluminio, por tanto é uma boa decissao ter aluminio, o qual escolhimos de começo.

que o masi apropriado é o aluminio, por tanto é uma boa decissao ter aluminio, o
que o masi apropriado é o aluminio, por tanto é uma boa decissao ter aluminio, o

5.Dimensonamento da estrutura

Escolhemos o programa ansys para dimensionar a nossa estrutura o qual concretizara os valores das dimensoes uma vez temos escolhido o material. Utilizamos o programa ansys para analizar a nossa estrutura e apos varias iteraçoes temos os seguintes resultados ao dimensnar para a situaçao mais desfavoravel de carga:

Espessura da casca 1mm

Raio interno das vigas 2 cm

Raio externo das vigas 4,1 cm

Com issas dimensoes nao superamos a nossa tensao de cedencia (Al 2024, tensao de cedencia 300 Mpa) com um coeficiente de segurança de 1.5.

a nossa tensao de cedencia (Al 2024, tensao de cedencia 300 Mpa) com um coeficiente de
a nossa tensao de cedencia (Al 2024, tensao de cedencia 300 Mpa) com um coeficiente de
a nossa tensao de cedencia (Al 2024, tensao de cedencia 300 Mpa) com um coeficiente de

6 Escolha da tecnologia

6.1 Enformaçao

6.1.1 Vigas

Vamos modelar vigas de uma espessura muito pequena. É por isso que devemos escolher um processo de enformaçao para prismas de base circular mas de uma pequena espessura:

para prismas de base circular mas de uma pequena espessura: Escolhemos maquinagem para modelar as nossas

Escolhemos maquinagem para modelar as nossas vigas

6.1.2 Cascas

de base circular mas de uma pequena espessura: Escolhemos maquinagem para modelar as nossas vigas 6.1.2
de base circular mas de uma pequena espessura: Escolhemos maquinagem para modelar as nossas vigas 6.1.2

Devemos escolher o modelado de uma casca plana e muito fina entao temos:

o modelado de uma casca plana e muito fina entao temos: Por tanto escolhemos maquinagem 6.2
o modelado de uma casca plana e muito fina entao temos: Por tanto escolhemos maquinagem 6.2

Por tanto escolhemos maquinagem

6.2 Rugosidade

So nos interessa a rugosidade para as cascas. Na face externa devemos ter baixa rugosidade, e por isso que escolhemos:

interessa a rugosidade para as cascas. Na face externa devemos ter baixa rugosidade, e por isso
interessa a rugosidade para as cascas. Na face externa devemos ter baixa rugosidade, e por isso
Escolhemos maquinagem. Pagina 16
Escolhemos maquinagem. Pagina 16

Escolhemos maquinagem.

Escolhemos maquinagem. Pagina 16
Escolhemos maquinagem. Pagina 16

7.Fornecedores

Temos varias empressas em Portugal que podrian fornecer-nos dos perfieis de aluminio e das cascas:

L.A. Aluminios S.A., Seixal

Metais Laucider, Braga

Polylanema, Ovar

Albra Industria de aluminio, Braga

Alfa-sul Aluminios do sul, S.A., Mem Martins

Alphavil Sistemas de aluminio LDA, Mem Martins

Aluvedras-Aluminios, LDA., Torres Vedras

Navarra Extrusao de aluminio S.A., Braga

Fundiçao de Evora, Evora

Ferro Industrias Quimicas de Portugal,LDA, Castanheira do Ribatejo

S.A., Braga Fundiçao de Evora, Evora Ferro Industrias Quimicas de Portugal,LDA, Castanheira do Ribatejo Pagina 17
S.A., Braga Fundiçao de Evora, Evora Ferro Industrias Quimicas de Portugal,LDA, Castanheira do Ribatejo Pagina 17

8.Bibliografia

O libro utilizado para tirar os indices para a selecçao de materais foi:

Materials Selection in Mechanical Design, Michael F Ashby, Elsevier,terceira ediçao

O material para a selecçao de materiais foi fornecido nas aulas de Materiais em

Engenharia do Instituto Superior Tecnico em Lisboa no curso 2011-2012

A informaçao sobre as dimensoes da aeronave foi obtida em www.airbus.com

A informaçao sobre as empresas fornecedoras de aluminio foi obtida em

A simulaçao do estado tensiorial foi feito com o programa de modelaçao em elementos

finitos Ansys.

A procura dos materiais e procesos utilizando mapas de Ashby foi feito com CES

edupack.

elementos finitos Ansys. A procura dos materiais e procesos utilizando mapas de Ashby foi feito com
elementos finitos Ansys. A procura dos materiais e procesos utilizando mapas de Ashby foi feito com