Você está na página 1de 5

Nome: Raquel Rocha

11 de Janeiro de 2009

Paralisia Facial

0. Introdução

Este trabalho pretende fazer uma abordagem à paralisia facial pelo ponto de vista da
Medicina Ocidental e Oriental.

1. Enquadramento de Patologia na Medicina Ocidental

Existem dois tipos de Paralisia Facial:

 central, causada principalmente por Acidentes Vasculares Cerebrais e que é


acompanhada por paresias dos membros opostos ao lado do desvio da
comissura labial. Neste tipo de paralisia facial normalmente não ocorrem
alterações nos olhos e testa.
 periférica, acontece de uma hora para a outra sem causa aparente. O indivíduo
repara que a boca encontra-se desviada, um dos olhos não fecha e também
não consegue enrugar a testa.

Neste documento irei focar-me mais no segundo tipo de paralisia facial, a periférica,
pois, na maior parte das vezes, não está associada a uma patologia adjacente como
na paralisia facial central.

A paralisia facial periférica (P.F.P.) é uma doença do nervo responsável pela


enervação dos músculos da face, que vão dar a expressão (mímica) da mesma,
chamado de nervo facial ou VII par de nervos cranianos. Produz fraqueza hemifacial
que inclui os músculos da fronte e o orbicular das pálpebras; se a lesão for no ouvido
médio, o paladar é abolido nos dois terços anteriores da língua e pode haver
hiperacusia; se a lesão for no meato auditivo interno, pode haver envolvimento dos
nervos auditivo e vestibular, enquanto lesões pônticas em geral afectam o nervo
oculomotor externo e muitas vezes também o feixe corticospinhal. Lesões periféricas
do nervo com recuperação incompleta podem originar contracção contínua difusa dos
músculos faciais afectados. (Braunwald, 2003)

Na P.F.P., toda a hemiface inervada pelo nervo lesado fica paralisada. Contudo,
importa realçar, que esta é uma doença benigna e na maioria dos casos evoluirá para
a cura, sem risco de vida ao paciente. Mas a necessidade de um acompanhamento
médico precoce é importante para uma boa evolução da doença, bem como a
detecção dos casos de mau prognóstico.
Nome: Raquel Rocha
11 de Janeiro de 2009

As causas de uma paralisia facial periférica podem ser variadas, tais como:
 um trauma na face;
 uma infecção do nervo facial por vírus ou bactéria;
 uma infecção de ouvido;
 pós cirurgia otorrinolaringologica;
 Desconhecida. Em mais de 50% de doentes com paralisia a causa é
desconhecida. Chama-se a este tipo de paralisia - paralisia facial periférica
idiopática ou paralisia de Bell; o que se sabe é que ocorre uma inflamação do
nervo e o mesmo passa a ter um funcionamento deficiente, como se fosse
desligado. (Paralisia, 2007)

Relativamente ao tratamento, e como o olho do paciente não se fecha por completo,


ocorrerá uma diminuição de líquido lacrimal na conjuntiva do olho afectado, com risco
de lesão da córnea, havendo a necessidade do paciente usar colírio e uma pomada,
como protecção ocular. (Paralisia, 2007)

A terapia com corticosteróide (prednisolona) pode ser fornecida para diminuir a


inflamação e o edema, o que, por sua vez, diminui a compressão vascular e permite a
restauração da circulação sanguínea para o nervo. A administração precoce da terapia
com corticosteróide parece diminuir a gravidade da doença, aliviar a dor e evitar ou
minimizar a denervação. (Smeltzer & Bare, 2000)

A dor facial é controlada com analgésicos. O calor pode ser aplicado ao lado afectado
da face para promover o conforto e o fluxo sanguíneo através dos músculos.

Embora muitos pacientes recuperem com o tratamento conservador, a exploração


cirúrgica do nervo facial pode estar indicada nos pacientes que são suspeitos de ter
um tumor ou para a descompressão cirúrgica do nervo facial e reabilitação cirúrgica de
uma face paralisada. (Smeltzer & Bare, 2000).
Nome: Raquel Rocha
11 de Janeiro de 2009

2. Enquadramento de Patologia na Medicina Oriental

A Medicina Tradicional Chinesa vê as paralisias faciais como uma deficiência no Qi


vital, semelhante a uma deficiência no sistema imunitário, resultando na invasão de
agentes patogénicos externos e obstrução de meridianos.

A Paralisia de Bell é uma das mais comuns P.F.P. que ocorre repentinamente e depois
de uma exposição a vento-frio. 85 a 90% dos pacientes recuperam espontaneamente.
Cai na categoria de “zhen zhong fen” (verdadeiro golpe de vento) na Medicina
Tradicional Chinesa (Zhang, 2007).

Para realizar um bom diagnóstico temos de ter em atenção os seguintes aspectos:

1. Ocorre frequentemente no Outono ou Inverno ou entre a Primavera e o Verão.


Normalmente acontece a pessoas de meia idade e ataca apenas um lado da
face.
2. O ataque ocorre repentinamente. Inicialmente o paciente sente metade da face
dormente e dor à volta do ouvido. A boca fica torta e toda a face fica mole. A
fala fica dificultada e o movimento muscular da face também. A saliva escorre
por um dos cantos da boca e o sentido do paladar perde-se enquanto que o
ouvido fica hipersensível. (Zhang, 2007)

O objectivo terapêutico é dissipar o vento e remover as obstruções nos meridianos.


Nome: Raquel Rocha
11 de Janeiro de 2009

3. Protocolo de Tratamento

Segundo Saez (1992), os pontos a serem utilizados na Paralisia do Nervo Facial são
face, olhos, boca e subcortex nervoso. Como extraordinários considera o fígado,
occipital, maxilar e ATM.

Penso que o tratamento será eficaz com os seguintes pontos:

 Pontos Correspondentes: Face, olhos, boca, maxilar superior, maxilar inferior,


palato superior, língua e ATM. Estes pontos teriam de ser adequados ao tipo
de paralisia, ou seja, aos órgãos e partes da face que estivessem mais
afectadas.
 Pontos Funcionais: Shenmen, Occipital e Subcortex nervoso.
 Pontos Zang-Fu: Figado.

Os pontos correspondentes seleccionados estão relacionados com a própria


localização da patologia. Desta forma, e como afecta a face, todos os pontos
correspondentes à face ou parte da mesma podem ser estimulados.

Relativamente aos pontos funcionais, o Shenmen tem a função de acalmar o coração,


a mente e eliminar a dor. É geralmente usado em tratamentos de dores e insónias.
Também está indicado no tratamento de inflamações porque “elimina o calor e resiste
ao veneno”. Neste sentido, uso o Shenmen como analgésico. O subcortex nervoso é
uma zona representativa do córtex cerebral, tem função de regular a excitação ou
inibição do córtex cerebral. O que me irá permitir uma “regulação” dos nervos
cerebrais. Por fim, o occipital pois é comummente usado no tratamento de doenças do
sistema nervoso, pelo seu efeito analgésico e sedativo. A estimulação deste ponto tem
também propriedades de prevenção e tratamento de transtornos de viagens e é eficaz
no tratamento da pele, bem como para eliminar a inflamação e acalmar a tosse e
asma. (Saez, 1992)

O ponto Zang-Fu escolhido é o fígado devido às características e funções do seu


meridiano. O fígado tem um papel importante porque governa os músculos, é aplicável
nas doenças como hemiplegias, miastenia, convulsões e AVCs. Não esquecer que o
meridiano do fígado passa pelo olho e pela face tendo efeito benéfico nas patologias
oculares e faciais. O Fígado também esta relacionado com o vento. As patologias
causadas pelo vento, como a P.F.P. podem ser tratadas através do fígado.

Para além deste tratamento, recomendaria ao paciente para realizar massagem na


zona afectada várias vezes ao dia.
Nome: Raquel Rocha
11 de Janeiro de 2009

4. Bibliografia

 Braunwald E. [et al.] – Harrison Manual de Medicina. Portugal: McGraw Hill.


Dezembro de 2003. 15ª Edição;
 Manual de Auriculoterapia com un apêndice de auriculolaserterapia.
Consultado a 18/2/09 na URL:
http://www.scribd.com/doc/6583981/Auriculoterapia-de-Lipszyc;
 Paralisia. Consultado a 28/2/09 na URL: www.Paralisia.com;
 SAEZ, Carlos R. - Auriculoterapia Practica. Madrid: Miraguano Ediciones, 1992.
 SMELTZER, Suzanne; BARE, Brenda – Tratado de Enfermagem Médico-
Cirurgica. 9ª Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000. Volume 2;
 ZHANG, Engin (2007) - A Practical English-Chinese Library of Traditional
Chinese Medicine. Consultado a 25 de Fevereiro na URL:
www.tcmtreatment.com/images/diseases/facial-paralysis.htm.