Você está na página 1de 119

C O M U N I C A Ç Ã O

ELEMENTOS VISUAIS NA COMUNICAÇÃO + REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO + PAPEL DA IMAGEM NA COMUNICAÇÃO


Escola 2,3 Piscinas – Lisboa Educação Visual
Prof. João Vidal Sousa 2009/2010

II
REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO – O R G A N I Z A Ç Ã O F O R M A L
Escola 2,3 Piscinas – Lisboa Educação Visual
Prof. João Vidal Sousa 2009/2010
Composição

Campo Visual

Peso Visual

Relações entre formas

Associação de Formas

Simetria

Composições estáticas e dinâmicas

Conceito de movimento

Ritmo

Representação de movimento e ritmo

Sobreposição

Ilusões de Óptica
EDUVIS
Composição

Na composição a organização formal rege-se por leis de


equilíbrio e harmonia.

Numa composição plástica o artista combina linhas,


planos, volumes, espaços, cores, texturas numa unidade
equilibrada.

A composição é uma qualidade da obra de arte. O


equilíbrio formal facilita a comunicação.

Definição
EDUVIS
Composição

Composição – Piet Mondrian


EDUVIS
Campo Visual

Ao espaço onde se organiza a composição chamamos


campo.

Definição
EDUVIS
Campo Visual

Campo

EDUVIS
Campo Visual

Linhas Medianas

EDUVIS
Campo Visual

Linhas Diagonais

EDUVIS
Campo Visual

Estrutura do Campo

EDUVIS
Campo Visual

Localização

EDUVIS
Campo Visual

Composição

EDUVIS
Campo Visual

Linha de Horizonte
EDUVIS
Campo Visual

EDUVIS
Peso Visual

Uma forma exerce sobre o nosso olhar uma atracção com


maior ou menor intensidade – peso visual

O peso visual de uma forma colocada no campo depende


vários factores.

Definição
EDUVIS
Peso Visual
EQUILIBRIO

Uma forma colocada no centro do campo está equilibrada. Quanto mais afastada do centro, maior
é o seu peso visual. O equilíbrio é semelhante ao de uma balança romana.

Procura de Equilibrio - Posição


EDUVIS
Peso Visual
DESEQUILIBRIO

Uma forma colocada no centro do campo está equilibrada. Quanto mais afastada do centro, maior
é o seu peso visual. O equilíbrio é semelhante ao de uma balança romana.

Procura de Equilibrio - Posição


EDUVIS
Peso Visual
EQUILIBRIO

Uma forma maior é visualmente mais pesada que uma menor.

Dimensão
EDUVIS
Peso Visual
DESEQUILIBRIO

Uma forma maior é visualmente mais pesada que uma menor.

Dimensão
EDUVIS
Peso Visual
EQUILIBRIO

Entre duas formas iguais , atrai mais o nosso olhar a que expressar maior movimento.

Direcção
EDUVIS
Peso Visual
DESEQUILIBRIO

Entre duas formas iguais , atrai mais o nosso olhar a que expressar maior movimento.

Direcção
EDUVIS
Peso Visual

As formas estão distribuídas segundo uma linha horizontal, provocando uma sensação
de estabilidade.
Sensação de Estabilidade
EDUVIS
Peso Visual
EQUILIBRIO

Entre duas formas iguais, tem mais peso a que tiver uma cor mais luminosa, ou, ainda a
que faça um maior contraste com o fundo.
Cor
EDUVIS
Peso Visual
DESEQUILIBRIO

Entre duas formas iguais, tem mais peso a que tiver uma cor mais luminosa, ou, ainda a
que faça um maior contraste com o fundo.
Cor
EDUVIS
Peso Visual

Uma forma com uma cor quente ou luminosa atrai mais o nosso olhar.

Cor
EDUVIS
Peso Visual

Joan Miró
EDUVIS
Peso Visual

Um pequeno ponto vermelho pode ter tanto peso como uma grande superfície escura. Neste caso
existe um equilíbrio entre a grande superfície azul e os outros dois elementos.

Cor
EDUVIS
Peso Visual

Quanto mais texturada for uma forma maior é o seu poder de atracção visual.

Textura
EDUVIS
Peso Visual
EQUILIBRIO

Entre duas formas semelhantes, tem mais peso a que tiver uma textura mais
evidenciada ou mais visível.
Textura
EDUVIS
Peso Visual
DESEQUILIBRIO

Entre duas formas semelhantes, tem mais peso a que tiver uma textura mais
evidenciada ou mais visível.
Textura
EDUVIS
Peso Visual

Alexander Calder
EDUVIS
Peso Visual

Os contrastes que se conseguem na relação da forma com o fundo fazem variar o peso visual. Ele
é tanto maior quanto mais forte for o contraste.

Contraste
EDUVIS
Peso Visual

Joan Miró
EDUVIS
Peso Visual

Matisse
EDUVIS
Peso Visual

As diagonais do campo sugerem movimento e dinamismo.

Movimento
EDUVIS
Peso Visual

Movimento
EDUVIS
Peso Visual

Movimento
EDUVIS
Peso Visual

Sheila Ernst-Bifano
EDUVIS
Relações entre formas

EDUVIS
Relações entre formas

EDUVIS
Relações entre formas

EDUVIS
Relações entre formas

EDUVIS
Associação de Formas

Na visão de conjunto, estabelecemos relações entre as


formas, de acordo com as analogias existentes entre elas.

Associamo-las de acordo com a sua cor, configuração ou


ainda pelo seu tamanho.

É com base nesta associação por analogias que, ao


distribuirmos as formas no campo criamos linhas de
leitura visual das quais resultam a expressão de
estabilidade ou de movimento.

Definição
EDUVIS
Associação de Formas

Associação por Configuração


EDUVIS
Associação de Formas

Associação por Cor


EDUVIS
Associação de Formas

Associação por Textura


EDUVIS
Associação de Formas

Associação por Dimensão


EDUVIS
Associação de Formas

Associação por Posição (concentradas)


EDUVIS
Associação de Formas

Associação por Posição (dispersas)


EDUVIS
Associação de Formas

Associação por Configuração e Cor


EDUVIS
Associação de Formas

Keith Haring
Associação por configuração, cor, dimensão e direcção.
EDUVIS
Simetria

Numa forma simétrica aparecem elementos repetidos


situados à mesma distância de um eixo ou de um plano.

Um eixo é um elemento com poder organizador que exige


um determinado equilíbrio.

Definição
EDUVIS
Simetria

Definição
EDUVIS
Simetria

Distribuição equiparada de elementos iguais à volta de um eixo comum.

SIMETRIA BILATERAL
EDUVIS
Simetria

SIMETRIA BILATERAL
EDUVIS
Simetria

Janela no Algarve

SIMETRIA BILATERAL
EDUVIS
Simetria

Distribuição de elementos iguais em torno de dois ou mais eixos que se cruzam num
ponto central.
SIMETRIA CENTRAL
EDUVIS
Simetria

Numa organização formal assimétrica não podemos encontrar eixos de simetria, porem,
existem linhas estruturais que definem e caracterizam a forma.
ASSIMETRIA
EDUVIS
Simetria

Ma femme – Marc Chagall

ASSIMETRIA
EDUVIS
Composições estáticas e dinâmicas

EDUVIS
Composições estáticas e dinâmicas

Piet Mondrian
Composição Estática
EDUVIS
Composições estáticas e dinâmicas

Composição Estática
EDUVIS
Composições estáticas e dinâmicas

Wassily Kandinsky
Composição Dinâmica
EDUVIS
Conceito de movimento

EDUVIS
Conceito de movimento

EDUVIS
Conceito de movimento

EDUVIS
Conceito de movimento

EDUVIS
Conceito de movimento

Definição
EDUVIS
Conceito de movimento

Captação do movimento através de fotografia - Edward Muybridge


EDUVIS
Conceito de movimento

Captação do movimento através de fotografia - Etienne Jules Marey


EDUVIS
Conceito de movimento

Captação do movimento através de fotografia - Etienne Jules Marey


EDUVIS
Conceito de movimento

“Nu descendo as Escadas” Marcel Duchamp


EDUVIS
Conceito de movimento

Arte Cinetica
EDUVIS
Conceito de movimento

Arte Cinetica – Bridget Riley


EDUVIS
Ritmo

A noção de ritmo deriva da associação de movimentos


sucessivos e das pausas que o intervalam.

A noção de pausa é fácil de compreender se relacionada


com uma pausa musical.

Um movimento que apresenta uma sequência ordenada


produz um ritmo regular.

Um movimento com sequência irregular no qual a


repetição não tem um intervalo constante, produz um
ritmo irregular.

Definição
EDUVIS
Ritmo

Convento de Cristo, Tomar


EDUVIS
Ritmo

EDUVIS
Ritmo

EDUVIS
Representação de movimento e ritmo

EDUVIS
Representação de movimento e ritmo

EDUVIS
Sobreposição

Numa composição formal, podem existir formas que


tenham algumas porções da sua superfície sobre outras.
Dizemos que estão sobrepostas.

A Sobreposição pode acentuar a impressão de


movimento.

Definição
EDUVIS
Sobreposição

Uma forma que se repete, tomando posições com uma sequência paralela, descreve
uma translação.
Translação
EDUVIS
Sobreposição

Uma forma que gira em torno de um ponto fixo, descreve uma rotação.

Rotação
EDUVIS
Sobreposição

Uma forma que se repete de maneira a ficar simétrica em relação á primeira posição.

Inversão ou rebatimento
EDUVIS
Sobreposição

1111
EDUVIS
Sobreposição

1111
EDUVIS
Sobreposição

1111
EDUVIS
Sobreposição

1111
EDUVIS
Sobreposição

1111
EDUVIS
Sobreposição

1111
EDUVIS
Ilusões de Óptica

EDUVIS
Ilusões de Óptica

EDUVIS
Ilusões de Óptica

EDUVIS
Ilusões de Óptica

EDUVIS
Elementos Visuais na Comunicação

EDUVIS
Ilusões de Óptica

EDUVIS
Ilusões de Óptica

EDUVIS
Ilusões de Óptica

EDUVIS
Ilusões de Óptica

Bridget Riley
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Bridget Riley
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Bridget Riley
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Segmentos de Muller-Lyer
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Figuras de Hering
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Figuras de Hering
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Café Wall Illusion


EDUVIS
Ilusões de Óptica

Café Wall Illusion


EDUVIS
Ilusões de Óptica

Café Wall Illusion


EDUVIS
Ilusões de Óptica

Ebbinghaus Illusion
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Espiral Fraser
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Hermann Grid Illusion


EDUVIS
Ilusões de Óptica

Cubo Impossivel
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Zöllner Illusion
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Zöllner Illusion
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Zöllner Illusion
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Segmentos de Ponzo
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Segmentos de Ponzo
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Trompe-l’oeil
EDUVIS
Ilusões de Óptica

Trompe-l’oeil
EDUVIS
FONTES

LIVROS:

• Carrilho da Graça, Cristina/Trindade, Maria Julia; Ver e Desenhar; Lisboa; Lisboa Editora
• Horton, James; Introdução ao Desenho; Lisboa, Editorial Presença
• Rocha, Carlos Sousa; Educação Visual; Lisboa; Plátano Editora
• Martins, Amelia /Carrilho da Graça, Cristina; Educação Visual 7 ano escolaridade; Lisboa; Lisboa Editora
• Sousa, Isabel/Castro Lobo, Raul/Rodrigues, Francisco; Visualizar; Lisboa, Texto Editores

NET:
• http://listverse.com/2007/09/16/20-amazing-optical-illusions/

EDUVIS