Você está na página 1de 2

Serpente

A serpente é um símbolo universal e complexo. Pode representar morte,


destruição, mal, uma essência rastejante de penetração e também veneno. Um
dos símbolos que sofre as maiores contradições no que se refere ao seu uso.
Alguns acreditam que personifica o mal, outros, que é forte aliada contra as
forças mais poderosas que possam nos atacar. As cobras sofrem o processo
da troca de pele e esse é um evento que desperta a curiosidade. Essa
característica possibilita associá-la ao rejuvenescimento, algo muito desejado
pelo homem em todos os tempos! Mas são muitas as crenças que cercam esse
reptil. A ela está associada a imagem do Uroboro, a serpente que morde a
própria cauda formando uma circunferência, símbolo de processo, da
continuidade, eternidade.
Simboliza uma força inconsciente da natureza que não é boa nem má, seu estado ainda é
indiferenciado e corresponde a base do instinto e da impulsividade natural. Pode ser considerada
como um símbolo do falo e possui conotações sexuais simbolizando a existência de conflitos
eróticos quando a imagem aparece em sonhos. A cobra frequentemente aparece na mitologia, no
simbolismo da religião ou em cultos e ritos, onde podemos encontrar imagens da serpente do
paraíso, a Mitgard germânica, da cobra da época de Moisés e das cabeças de serpentes das
Górgonas malignas. Essa imagem está associada ainda a Grande-Mãe que geralmente é retratada
como sendo uma mulher forte, de seios nus e com os braços estirados para fora, segurando uma
cobra em cada mão.
Costumam simbolizar o sistema nervoso autônomo, a energia instintiva e são
símbolos transcendentes de profundidade que costuma também estar associado à
sabedoria, à cura e ao auto-conhecimento. A serpente pertence ao reino da mãe e
ela pode ser uma representação simbólica em sonhos, do medo do incesto como
regressão e a imagem em que o ego onírico é envolvido por uma delas é um
símbolo de penetração no ventre materno, e que corresponde a mesma simbologia
da imagem de devorar uma serpente. Na Antiguidade, era considerada como sendo
o símbolo da terra, que sempre foi concebida como feminina. Quando o ego onírico
é mordido por uma delas, seu simbolismo é o mesmo de sucumbir a sua tentação,
o que nos diz que o ego vígil vai viver uma transição de considerável importância.
A picada se refere a exigência do inconsciente do ego vígil que à princípio age de
forma paralisante sobre a sua energia e sua iniciativa. Os sonhos freqüentes com
essa imagem, podem estar apontando para uma dissociação por parte do ego vígil
entre a sua vida consciente e a instintiva. Elas podem ser vistas também como
uma representação do falo mas só poderá ser interpretada como falo, se a
encararmos como o simbolismo gerador e criativo da libido. Para os gnósticos, é
um símbolo do tronco e da medula cerebral.
Alguns acreditam que personifica o mal, outros, que é forte aliada contra as forças mais
poderosas que possam nos atacar. As cobras sofrem o processo da troca de pele e esse é um
evento que desperta a curiosidade. Essa característica possibilita associá-la ao rejuvenescimento,
algo muito desejado pelo homem em todos os tempos! Mas são muitas as crenças que cercam
esse réptil. A ela está associada a imagem do Uroboro, a serpente que morde a própria cauda
formando uma circunferência, símbolo de processo, da continuidade, eternidade.
Na tradição Cristã. Satã, disfarçado de serpente, instiga a queda enganando Eva para desobedecer
uma ordem de Deus. Por isso a serpente também representa tentação, demônio, e enganação. A
cobra possui uma forma fálica mas também pode ser vista como um ser andrógeno. Os traços
positivos da cobra podem ser vistos quando interligada com a Árvore da Vida e representa
bondade, também associada com poder curativos e ou renascimento simbolizado na mudança de
sua pele. O mito da tentação da serpente no jardim do Éden, refere-se a
necessidade de autorealização do homem, o princípio da individuação., e é comum
que seja apresentada por alguns como a representação simbólica do princípio
sedutor da mulher.
No Hinduismo, está também associada à Kundalini, energia vital e sexual situada na base da
coluna e que, se despertada, pode fluir pelo corpo do homem através da espinha dorsal, em forma
de uma serpente que enrolando-se, em espiral, sobe até chegar à cabeça.
No Xamanismo ela significa transmutação, cura, regeneração, sabedoria, psiquismo,
sensualidade. Como as cobras deixam para trás a sua pele, nós podemos deixar para trás as
nossas ilusões e limitações para usarmos plenamente a nossa vitalidade e desejos para alcançar a
totalidade.
Ver uma serpente em seu sonho você pode interpretar como um anúncio de uma etapa de
enfrentamentos com o seu próprio eu. Talvez você passe por experiências que possam parecer
desagradáveis mas que no final resultarão em uma solução de luz e uma sabedoria que
dificilmente (de nenhuma outra forma) você conquistaria de maneira tão rápida.
O sonho lhe indica que você deve se preparar para viver algo importante como também renunciar
a certos prazeres para entrar em contatos com sua verdade superior. Problemas poderão ser
solucionados se você tiver a tranqüilidade para perceber os sinais de sua vivência diária.