Você está na página 1de 7

Epistemologia

As origens e tipos do conhecimento


Perguntas Fundamentais
• Podemos conhecer?
• Como podemos conhecer?
• A certeza é possível?
• Como podemos ter certeza absoluta?
• Como percebemos o mundo exterior?

(C) 2009 - Prof. Jair Ribeiro de Souza 2


Podemos Conhecer?
• Não...
– Ceticismo radical ou absoluto
• Não possuímos conhecimento algum
– Ceticismo mitigado ou limitado
• Não possuímos conhecimento que vai além da nossa experiência
imediata
– Ceticismo metodológico ou cartesiano
• A partir da dúvida metodológica, todo o ceticismo poderá ser vencido
– Irracionalismo
• A situação humana com sua busca constante de significado num
mundo essencialmente ininteligível e absurdo, deve ser reconhecida e
aceita.
• Sim...
– Como podemos conhecer?

(C) 2009 - Prof. Jair Ribeiro de Souza 3


Como podemos conhecer?
• Fé ou Autoritarismo
– É a fonte primária de nosso conhecimento do passado
• Subjetivismo
– É o conhecimento intuitivo
• Racionalismo
– É a fonte de nossas crenças acerca da matemática, da
lógica e dos universais
• Empirismo
– É a fonte do nosso conhecimento factual e sensorial
• Pragmatismo
– É a fonte de um conhecimento que regula nossa conduta
social e individual
(C) 2009 - Prof. Jair Ribeiro de Souza 4
Como podemos ter certeza?
• Certeza apodítica
– É a certeza em seu grau mais elevado. Também chamada de certeza
indubitável ou certeza incorrigível. A sua negação é uma contradição.
• Certeza psicológica
– É a certeza fundamentada não no objeto de conhecimento ou na coisa
conhecida, mas no conhecedor. O conhecedor “sente” certeza e não há razão
para duvidar.
• Certeza convencional
– É a certeza decorrente do uso de nossa linguagem e de determinadas palavras
que identificam algo. A certeza dos dicionários ou das autoridades em certos
assuntos.
• Certeza pragmática
– A certeza pragmática relaciona-se com a ação. Se alguma coisa funciona, ou se
ela tem conseqüências benéficas, então é verídica e certa.
• Probabilidade
– Para certos tipos importantes do conhecimento é tanto desnecessário quanto
impossível chegar a uma certeza. Devemos aceitar aquilo que é realístico
nestas áreas: a probabilidade.
(C) 2009 - Prof. Jair Ribeiro de Souza 5
Como podemos ter certeza absoluta?
• Mandamentos morais
– Segundo Kant, os imperativos morais (ou mandamentos), não podem ser
meramente hipotéticos, pois não se apóiam em desejos ou inclinações, mas
nos conhecimentos universais.
• Conhecimento acerca do mundo exterior
– Segundo Descartes, o conhecimento indubitável possui duas características: a
clareza e a nitidez. Qualquer idéia que é tanto clara quanto nítida é
indubitável. Ao observar o mundo externo, devemos procurar as evidências
claras e nítidas.
• Auto consciência
– Descartes defende que embora a pessoa possa duvidar de qualquer coisa que
alega conhecer, não pode duvidar da própria existência, porque no duvidar,
há um “eu” que duvida. Somente seres existentes podem pensar e negar que
existem.
• Conhecimento lógico e matemático
– Muitos filósofos alegam que o conhecimento lógico ou matemático é
indubitável pois são verdadeiros em todo o mundo possível, e a negação
destas verdades envolve uma contradição.

(C) 2009 - Prof. Jair Ribeiro de Souza 6


Como percebemos o mundo exterior?
• Realismo
– Postula que estamos em contato direto com um
mundo independente, material e externo.
• Dualismo
– Assevera a existência de dois âmbitos: um das idéias,
impressões ou sentimentos; outro dos objetos
materiais.
• Idealismo
– Reduz a totalidade do mundo ao âmbito do sujeito ou
da subjetividade.

(C) 2009 - Prof. Jair Ribeiro de Souza 7