Você está na página 1de 7

T HE G NOSTIC S OCIEDADE L IBRARY

A Biblioteca de Nag Hammadi


O Evangelho da Verdade

Traduzido por Robert M. Grant

O evangelho da verdade, é alegria para aqueles que têm recebido do Pai da verdade, o dom de
conhecê-lo pelo poder do Logos, que veio a partir do Pleroma e que está no pensamento e na mente
do Pai, ele é que é chamado "o Salvador", uma vez que é o nome do trabalho que ele deve fazer
para a redenção daqueles que não conheceram o pai. Para o nome do evangelho é a manifestação
de esperança, uma vez que esta é a descoberta daqueles que buscam, porque a todos o procuravam,
de quem ela tinha saído. Você vê, o Todos tinham sido dentro dele, que ilimitável, uma
inconcebível, que é melhor do que cada pensamento.

Esta ignorância do Pai trazido terror e medo. Eo terror tornou-se denso como uma neblina, que
ninguém foi capaz de ver. Devido a isso, o erro tornou-se forte. Mas ele trabalhou na sua
substância hylic em vão, porque não sabem a verdade. Foi em um formulário de moda enquanto
ele estava preparando, no poder e na beleza, o equivalente a verdade. Este, então, não foi uma
humilhação para ele, que um, ilimitável inconcebível. Pois eles não foram nada, esse terror e este
esquecimento e esta figura da falsidade, que esta verdade estabelecida é imutável, impassível e
completamente bela.

Por esta razão, não levam muito a sério erro. Assim, uma vez que não tinha raiz, foi em uma
névoa que se refere o Pai, participam activamente na preparação de obras e esquecimentos e os
medos a fim de, por estes meios, para seduzir as do meio e torná-los em cativeiro. O esquecimento
de erro não foi revelado. Ele fez a luz não se ao lado do pai. Esquecimento não existisse com o
Pai, embora ele existia por causa dele. O que existe nele é o conhecimento, que foi revelado para
que o esquecimento pode ser destruído e que eles possam conhecer o pai, já existia o esquecimento,
porque não conheço o Pai, se depois vem a conhecer o Pai, a partir desse momento será o
esquecimento deixarão de existir.

Esse é o evangelho daquele a quem eles procuram, o que ele revelou para o perfeito através da
misericórdia do Pai, como o mistério escondido, Jesus, o Cristo. Através dele, ele iluminados
aqueles que estavam nas trevas por causa do esquecimento. Ele iluminados e lhes deu um
caminho. E esse caminho é a verdade que ele lhes ensinou. Por este motivo erro estava zangado
com ele, assim que perseguiram. Ele estava angustiado por ele, assim que o fez impotente. Ele foi
pregado numa cruz. Ele se tornou um fruto do conhecimento do pai. Ele não fez, contudo, destruí-
los porque eles comeram do mesmo. Ele causou um pouco aqueles que comeram do mesmo para
ser feliz por causa desta descoberta.

E quanto a ele, os que encontrou em si mesmo, e ele encontrou em si, que um, ilimitável
inconcebível, que o Pai perfeito que fez a todos, em quem o Tudo é, e quem a falta de Todos, uma
vez que ele manteve em seu próprio perfeição, que ele não tinha dado a todos. O Pai não foi
ciúmes. O ciúme, de fato, existe entre ele e seus membros? Pois, mesmo se o Aeon tinha recebido
a sua perfeição, não teria sido capaz de chegar a perfeição do Pai, porque ele manteve sua perfeição
em si mesmo, dando a eles como uma forma de retornar a ele e como um conhecimento único de
perfeição. Ele é o único que defina o Tudo em ordem e em quem o All existiu e quem o All
faltava. Como um dos quais alguns não têm conhecimento, ele deseja que eles conhecem e que
amam. Por que é que o All faltava, se não o conhecimento do Pai?
Ele se tornou um guia, silêncio e no lazer. No meio de uma escola, ele veio e falou a Palavra,
como um professor. Aqueles que foram sábios na sua própria estimativa, veio a colocá-lo à prova.
Mas ele desacreditou-los como cabeça vazia de pessoas. Eles odiavam porque eles realmente não
eram sábios. Depois de todos estes vieram também as crianças, aqueles que possuem o
conhecimento do pai. Quando eles ficaram mais fortes foram ensinados os aspectos do rosto do
pai. Eles vieram para conhecer e eles eram conhecidos. Eles foram glorificados e deram glória.
Em seu coração, o livro vivo da sala era manifesto, o livro que foi escrito no pensamento e na
mente do Pai e, desde antes da fundação do Todo, é nessa parte incompreensível dele.

Este é o livro que não encontrou uma possível tomar, uma vez que estava reservado para aquele
que vai levá-lo e ser morto. Ninguém foi capaz de manifestar-se de quem acredita na salvação,
enquanto que o livro não tinha aparecido. Por esta razão, a compaixão, Jesus foi fiel paciente em
seu sofrimento até que ele tomou o livro, pois sabia que sua morte significava vida para muitos.
Assim como no caso de uma vontade que ainda não foi aberto, para a fortuna do falecido mestre da
casa está oculto, assim também no caso do Tudo que havia sido escondido enquanto o Pai do Todo
era invisível e único em si mesmo, em que cada espaço tem a sua origem. Por esta razão, Jesus
apareceu. Ele tomou o livro como a sua. Ele foi pregado numa cruz. Ele aposta no edital do Pai
até a cruz.

Oh, ensino tão grande! Ele degrada-se até à morte, embora ele esteja vestido com a vida eterna.
Tendo em alienar-se desses panos perecíveis, se vestiu de incorruptibilidade, que ninguém poderia
tirar dele. Tendo entrado no território vazio de medos, passou diante daqueles que foram
despojados por esquecimento, sendo tanto o conhecimento ea perfeição, proclamando as coisas que
estão no coração do Pai, para que ele se tornou a sabedoria daqueles que tenham recebido
instrução. Mas aqueles que estão a ser ensinado, os vivos que estão inscritos no livro da vida,
aprender por si mesmos, recebendo instruções do Pai, voltando-se para ele novamente.

Desde a perfeição do Tudo é do Pai, é necessário que a tudo para subir com ele. Portanto, se
alguém tem conhecimento, ele recebe o que lhe pertence e chama para si mesmo. Para quem é
ignorante, é deficiente, e é uma grande deficiência, desde que ele não tem que fazê-lo perfeito.
Desde a perfeição do Tudo é do Pai, é necessário que a tudo para subir para ele e para cada uma
para conseguir as coisas que são suas. Ele registrou-los em primeiro lugar, tendo-os preparado para
ser dado àqueles que vieram dele.

Aqueles cujo primeiro nome que ele sabia que eram chamados de última hora, para que quem tem
conhecimento é que ele, cujo nome o Pai tem pronunciado. Para ele, cujo nome não foi falado é
ignorante. Na verdade, como é um ouvir se o seu nome não foi pronunciado? Para quem
permanece ignorante até ao fim é uma criatura de esquecimento e perecerão com ele. Se isto não é
assim, por que esses miseráveis sem nome, por que eles não têm som? Assim, se alguém tem
conhecimento, ele é de cima. Se ele for chamado, ele ouve, ele responde, e ele se vira em direção a
ele que o chamou e ele sobe para ele e ele sabe o que é chamado. Desde que ele tenha
conhecimento, ele faz a vontade de quem o chamou. Ele deseja agradá-lo e ele encontra descanso.
Ele recebe um determinado nome. Aquele que assim vai ter conhecimento sabe de onde veio e
para onde está indo. Ele sabe-o como uma pessoa que, tendo-se embriagado, passou de sua
embriaguez e ter chegado a si mesmo, restaurou o que é seu.

Ele se transformou muitos erros. Ele passou diante deles para suas próprias casas, de onde partiu,
quando cometeu um erro por causa da profundidade daquele que circunda todo o lugar, enquanto
não há nada que o rodeia. Foi uma grande maravilha que eles estavam no Pai sem conhecê-lo e
que eles foram capazes de deixar por conta própria, uma vez que não foram capazes de contê-lo e
conhecê-lo em quem eles eram, na verdade a sua vontade não saem a ele. Para ele o revelou como
um conhecimento com que todas as suas emanações de acordo, ou seja, o conhecimento do livro de
vida que ele revelou ao Aeons no passado, como as suas cartas, mostrando-lhes que estes não são
apenas as vogais, nem consoantes, para que se possa lê-los e pensar em algo vazio de sentido, pelo
contrário, são as letras que transmitem a verdade. Eles são pronunciadas apenas quando forem
conhecidas. Cada letra é uma verdade perfeita como um livro perfeito, porque as letras são escritas
pela mão da unidade, desde que o pai escreveu-los para o Aeons, para que por meio de suas cartas
poderão vir a conhecer o pai.

Enquanto negocia sua sabedoria sobre o logos, e desde o seu ensino se expressa o seu
conhecimento foi revelado. Sua honra é uma coroa em cima dele. Desde a sua alegria concorda
com ela, a sua glória exaltado ele. Ele revelou sua imagem. Ela obteve o seu descanso. Seu amor
tomou forma corporal em torno dele. Sua confiança abraçou. Assim, os logotipos do Pai sai para o
bem, sendo o fruto de seu coração e na expressão da sua vontade. Ele suporta o Todo. Elege e
também assume a forma de Todos, purificando-a e fazendo-a voltar para o Pai e à Mãe, Jesus da
doçura extrema. O Pai abre o seu peito, mas o peito é o Espírito Santo. Ele revela a sua auto-
oculto, que é seu filho, para que através da compaixão do Pai a Aeons pode conhecê-lo, terminar
sua busca cansativo para o Pai eo resto se nele, sabendo que este é o resto. Depois de ter enchido o
que estava incompleto, ele acabou com a forma. A forma dele é o mundo, o que é servido. Pois
onde há inveja e contenda, não há uma incompletude, mas onde há unidade, não há completude.
Desde que esta incompletude surgiu porque não conheço o Pai, por isso quando eles conhecem o
Pai, a incompletude, a partir desse momento, deixará de existir. Como uma ignorância desaparece
quando ele ganha conhecimento e, como a escuridão desaparece quando a luz aparece, também
incompletude é eliminada por completo. Certamente, a partir desse momento, a forma já não é
manifesto, mas vai ser dissolvido em fusão com a unidade. Por enquanto, suas obras se encontram
dispersos. Com o tempo a unidade fará os espaços completo. Por meio da unidade de cada um vai
entender-se. Por meio do conhecimento que vai purificar-se da diversidade, com vista para a
unidade, devorando assunto dentro de si mesmo como o fogo e as trevas pela luz, a morte pela
vida.

Certamente, se estas coisas têm acontecido a cada um de nós, é bom para nós, certamente, a pensar
sobre o Tudo para que a casa pode ser santo e silenciosa da unidade. Como as pessoas que se
deslocaram de um bairro, se eles têm em torno de alguns pratos que não são bons, eles costumam
quebrar. No entanto, o chefe de família não sofre uma perda, mas se alegra, pois no lugar desses
pratos defeituosos existem aqueles que são completamente perfeito. Porque esta é a decisão que
veio de cima e que tem julgados, cada pessoa, um elaborado dois gumes de corte deste lado e
aquilo. Quando ele apareceu, eu quero dizer, o Logos, que está no coração daqueles que
pronunciá-lo - não era apenas um som, mas tornou-se um corpo - um grande distúrbio ocorreu entre
os pratos, para alguns foram esvaziados, outros enchidos: Alguns estavam previstos, outros foram
removidos, alguns foram purificados, outros ainda foram quebrados. Todos os espaços foram
abalados e perturbados por eles não tinham compostura nem estabilidade. Erro foi perturbado sem
saber o que deve fazer. Ele estava preocupado, ele lamentou, ele estava fora de si mesmo, porque
não sabia de nada. Quando o conhecimento, que é a sua abolição, aproximou-se com todas as suas
emanações, o erro está vazia, pois não há nada nele. A verdade apareceu, todas as suas emanações
reconheceu. Eles realmente cumprimentou o Pai, com um poder que está completo e que se junta a
eles com o padre. Para cada um ama a verdade porque a verdade está na boca do pai. Sua língua é
o Espírito Santo, que se junta a ele a verdade, anexando-o à boca do Pai pela sua língua, ao mesmo
tempo ele deve receber o Espírito Santo.

Esta é a manifestação do Pai e sua revelação para o seu Aeons. Ele revelou seu eu oculto e
explicou ele. Por que é que existe, se não for o próprio Pai? Todos os espaços são suas
emanações. Eles sabiam que derivam dele como filhos de um homem perfeito. Eles sabiam que
não tinham ainda recebido forma nem tinham ainda recebido um nome, cada um dos quais o Pai
produz. Se na hora que receber forma de seu conhecimento, embora eles sejam verdadeiramente
nele, não o conheço. Mas o Pai é perfeito. Ele conhece cada espaço que está dentro dele. Se ele
quiser, ele revela alguém a quem ele deseja, dando-lhe uma forma e dando-lhe um nome, e ele lhe
dá um nome e fazer com que ele venha a ser. Aqueles que ainda não existem são ignorantes de
quem os criou. Eu não digo, então, que não aqueles que ainda não existem não são nada. Mas eles
estão naquele que será o desejo de que eles existem quando ele quiser, como o evento que vai
acontecer. Por um lado, ele sabe que, antes de qualquer coisa é revelada, o que ele vai produzir.
Por outro lado, a fruta que ainda não tenha sido revelado, não sei nada, nem é nada. Assim, cada
espaço que, por sua vez, está no Pai, vem da uma inexistente, que, por sua vez, estabeleceu que a
partir do inexistente. [...] Aquele que não existe, nunca vai existir.

Qual é, então, é o que ele quer que ele pensa? "Sou como as sombras e os fantasmas da noite."
Ao amanhecer, este sabe que o medo que ele tinha experimentado era nada. Assim, eles eram
ignorantes do Pai, ele é o único a quem não viu. Desde que houve o medo ea confusão e falta de
confiança e doublemindness e divisão, havia muitas ilusões que foram concebidos por ele, o que
precede, a ignorância, bem como vazio - como se eles dormiam e encontraram-se uma presa de
pesadelos . Ou há um lugar para onde fogem, ou falta-lhes força como eles vêm, tendo
prosseguido as coisas não especificada. Ou eles estão envolvidos em infligir golpes, ou que eles
próprios recebem contusões. Ou eles estão caindo de lugares altos, ou eles voam pelo ar, embora
eles não têm asas em todos. Outras vezes, é como se algumas pessoas estavam tentando matá-los,
mesmo que não haja ninguém a persegui-los, ou, eles próprios estão a matar os ao lado deles, pois
eles estão manchadas pelo seu sangue. Até o momento em que eles estão passando por todas essas
coisas - eu quero dizer que eles têm experimentado todas estas confusões - acordado, não vêem
nada, porque os sonhos não eram nada. É assim que eles que lançam ignorância deles como
ovelhas não consideram que seja alguma coisa, nem em suas propriedades a ser algo real, mas
renunciar a eles como um sonho na noite e que consideram que o conhecimento do Pai para ser o
amanhecer. É assim que cada um tem atuado, como se estivesse dormindo, durante o tempo em
que ele era ignorante e assim ele chega a compreender, como se ele estivesse acordando. E feliz é
o homem que vem a si mesmo e desperta. Na verdade, bem-aventurado é aquele que abriu os olhos
dos cegos.

E o Espírito veio-lhe à pressa quando ele ressuscitou. Após ter dado a mão a um deitado de bruços
no chão, colocou-o com firmeza nos pés, pois ele ainda não se levantou. Ele deu-lhes os meios de
saber o conhecimento do Pai ea revelação do seu filho. Para quando o vi e ouvi-lo, ele permitiu-
lhes tomar o gosto e de cheiro e de agarrar o filho amado.

Ele apareceu, informando-os do Pai, a um ilimitado. Ele inspirou-los com o que está na mente, ao
fazer a sua vontade. Muitos receberam a luz e virou para ele. Mas os homens material eram
estranhas para ele e não discernir a sua aparência, nem reconhecê-lo. Pois ele veio em semelhança
de carne e nada bloqueou o seu caminho, porque era incorruptível e incontrolável. Além disso, ao
dizer coisas novas, falar sobre o que está no coração do Pai, ele proclamou a palavra irrepreensível.
Light falou através de sua boca, e sua voz trouxe vida. Deu-lhes o pensamento ea compreensão,
misericórdia e salvação, o Espírito de força derivado do ilimitado do Pai e doçura. Ele causou
castigos e açoites para que cessem, pois foram eles que causaram muitos que precisam de
misericórdia para desviar-se dele em erro e em cadeias - e ele poderosamente destruiu e
ridicularizou-los com o conhecimento. Ele tornou-se um caminho para aqueles que se desviaram e
conhecimento para aqueles que eram ignorantes, uma descoberta para aqueles que procuravam, e
um apoio para aqueles que tremem, uma pureza para aqueles que foram contaminados.

Ele é o pastor que deixou para trás as noventa e nove ovelhas que não tinham perdido e foi em
busca do que um que estava perdido. Ele alegrou-se quando ele tinha encontrado. Por noventa e
nove é um número da mão esquerda, que o detém. No momento em que ele encontra a uma, no
entanto, o número inteiro é transferido para a mão direita. Assim, é com ele que carece de um, ou
seja, a mão direita, que atrai todo aquele em que ele é deficiente, aproveita-lo do lado esquerdo e
transfere-a para a direita. Desta forma, então, o número torna-se cem. Este número significa o
padre.

Trabalhou ainda no sábado para a ovelha que encontrou caído no poço. Ele salvou a vida do que
as ovelhas, levando-o da cova de modo que você possa entender plenamente o que o sábado é, você
que possuem plena compreensão. É um dia em que não é justo que a salvação é ocioso, de modo
que você pode falar desse dia celeste que não tem noite e do sol que não define, porque é perfeito.
Dizer então em seu coração que você é neste dia perfeito e que em você a luz que não deixa habita.
Fala sobre a verdade para aqueles que a procuram e do conhecimento para aqueles que, no seu
erro, cometeram o pecado. Certifique-se de pés daqueles que tropeçam e estender as mãos aos
doentes. Nutrir a fome à vontade e definir aqueles que são incomodados. Foster homens que
amam. Levantar e despertar aqueles que dormem. Para você é esse entendimento que estimula.
Se o forte siga este curso, eles são ainda mais fortes. Volte a atenção para si mesmos. Não se
preocupe com outras coisas, a saber, aquele que tiver lançado fora de vós, aquele que tiver julgado
improcedente. Não devolver-lhes a comê-los. Não ser comidas da traça. Não se carcomida, pois
você já abalada lo. Não seja um lugar do diabo, porque você já destruiu. Não reforçar seus
obstáculos passado, porque isso é condenável. Para o iníquo não é nada. Ele prejudica a si mesmo
mais do que a lei. Para que um faz as suas obras, porque ele é uma pessoa sem lei. Mas este,
porque ele é uma pessoa justa, faz as suas obras, entre outros. Fazer a vontade do Pai, então, por
que você está com ele.

Porque o Pai é doce e sua vontade é boa. Ele sabe o que é seu, de modo que você possa descansar
em vós eles. Pelo frutas um sabe as coisas que são suas, que são os filhos do Pai, e ninguém sabe o
seu aroma, que originam a graça do seu rosto. Por esta razão, o Pai amava o seu aroma, e ela se
manifesta em todo lugar, e quando ele é misturado com a matéria, ele dá o seu aroma a luz, e no
seu descanso, ele faz com que ele a subir em todas as formas e em cada som . Para que não haja
narinas que o cheiro, mas o Espírito é o que possui o sentido do olfato e isso atrai-lo para si e para
si afunda no aroma do pai. Ele é, na verdade, o lugar para ele, e ele leva-lo para o lugar de onde ele
veio, no primeiro aroma que está frio. É algo de uma forma psíquica, assemelhando-se a água fria
que é [...] uma vez que é no solo que não é difícil, do que aqueles que vê-lo pensar, "Ela é a terra."
Posteriormente, torna-se mais suave. Se a respiração é tirada, geralmente é quente. Os aromas
frio, então, a partir da divisão. Por esta razão, Deus veio e destruiu a divisão e ele trouxe o
Pleroma quente de amor, para que o frio não pode retornar, mas a unidade do Pensamento Perfect
prevalecer.

Esta é a palavra do Evangelho da constatação do Pleroma para aqueles que esperam para a
salvação que vem de cima. Quando sua esperança, por que eles estão esperando, está à espera -
eles cuja semelhança é a luz em que não há sombra, então nesse momento, o Pleroma está prestes a
vir. A deficiência da matéria, no entanto, não é por causa do ilimitado do Pai, que vem no
momento da deficiência. E ainda que ninguém é capaz de dizer que o Um incorruptível virá desta
forma. Mas a profundidade do Pai está a aumentar, eo pensamento de erro não é com ele. É uma
questão de cair e uma questão de ser facilmente fixado na posição vertical com a conclusão de que
aquele que veio a ele que vai voltar.

Para esta volta é chamada de "arrependimento". Por esta razão, incorruptibilidade respirou.
Seguiu-se aquele que pecou para que ele possa encontrar descanso. Para que o perdão é o que
permanece para a luz da deficiência, a palavra do pleroma. Para o médico corre para o lugar em
que há a doença, porque esse é o desejo que ele tem. O doente está em estado deficiente, mas ele
não esconder-se porque o médico possui o que lhe falta. Desta forma, a carência é preenchida pelo
Pleroma, que não tem deficiência, o que deu a si mesmo a fim de preencher a quem é deficiente,
para que a graça pode levá-lo, então, a partir da área que é deficiente e não tem graça . Devido a
esta diminuição ocorreu em um lugar que não há graça, a área onde o que é pequeno, que é
deficiente, se apoderou de.

Ele se revelou como um Pleroma ou seja, a conclusão da luz da verdade que tem brilhado na
direção dele, porque ele é imutável. Por esta razão, eles que têm perturbado falar de Cristo no meio
deles para que eles possam receber um retorno e ele pode ungi-los com a pomada. A pomada é a
piedade do Pai, que terá misericórdia deles. Mas aqueles a quem ele ungidos são aqueles que são
perfeitos. Para os recipientes cheios são aqueles que são usualmente utilizado para unção. Mas
quando uma unção está terminado, o navio é normalmente vazio, ea causa de sua deficiência é o
consumo de seu perfume. Pois então uma respiração é elaborado apenas com o poder que ele tem.
Mas aquele que é sem deficiência - um não confiar em ninguém ao lado dele nem um derramar
nada fora. Mas o que é o deficiente é preenchida novamente pelo Pai perfeito. Ele é bom. Ele
sabe que sua plantação, porque ele é o único que tem plantado em seu Paraíso. E o seu paraíso é o
seu lugar de descanso.

Esta é a perfeição no pensamento do Pai, e estas são as palavras de sua reflexão. Cada uma das
suas palavras é o trabalho de sua vontade, na revelação de seu Logos. Uma vez que eles estavam
no fundo de sua mente, o Logos, que foi o primeiro a vir para trás, fez com que eles aparecem,
junto com um intelecto que fala a palavra original por meio de uma graça em silêncio. Era
chamado de "pensamento," desde que foram nele antes de se manifestar. Aconteceu, então, que era
o primeiro a vir para trás - no momento agradável à vontade daquele que é desejado, e é na vontade
que o Pai está em repouso e com a qual ele está satisfeito. Nada acontece sem ele, nem nada ocorre
sem a vontade do pai. Mas sua vontade é incompreensível. Sua vontade é a sua marca, mas
ninguém pode saber, nem é possível para eles se concentrar nele, a fim de possuí-la. Mas o que ele
deseja se realiza no momento em que ele deseja - mesmo se a vista não agradar a ninguém: é Deus
`s will. Para o Pai sabe o começo de todos eles, bem como o seu fim. Para quando o fim chega, ele
vai questionar-lhes os rostos. No final, você vê, é o reconhecimento daquele que é oculto, isto é, o
Pai, de quem o começo saiu e para quem vai retornar todos os que vieram com ele. Para eles foram
feitos para manifestar a glória ea alegria do seu nome.

E o nome do Pai é o Filho. É ele que, no começo, deu um nome para ele, que saiu dele - ele é o
mesmo - e que gerou a ele por um filho. Ele deu-lhe o nome que pertencia a ele -, o Pai, que possui
tudo o que existe em torno dele. Ele possui o nome, ele tem o filho. É possível para eles vê-lo. O
nome, porém, é invisível, pois só ela é o mistério do invisível prestes a chegar aos ouvidos
completamente preenchida com ele através do Pai `s agência. Além disso, como para o Pai, seu
nome não é pronunciado, mas é revelada através de um filho. Assim, então, o nome é grande.

Quem, então, tem sido capaz de pronunciar um nome para ele, este grande nome, exceto ele
sozinho a quem pertence o nome e os filhos do nome de quem o nome do Pai, está em repouso, e
que se, por sua vez estão em descanso em seu nome, uma vez que o Pai não tem começo? É só ele
que engendrou para si próprio como um nome no início antes que ele tinha criado o Aeons, que o
nome do Pai, deve ser sobre suas cabeças como um senhor - que é, o nome real, que é garantir a
sua autoridade e pelo seu poder perfeito. Para que o nome não é extraída de léxicos, nem é o seu
nome derivado do nome comum de dar, mas é invisível. Ele deu um nome para si mesmo, porque
só ele viu e porque só ele era capaz de dar-se um nome. Para quem não existe não tem nome. Para
o nome que iria dar-lhe um que não existe? No entanto, ele que também existe com o nome dele e
só ele sabe disso, e somente a ele o Pai deu um nome. O Filho é o nome dele. Ele não tinha,
portanto, mantê-la secretamente, escondido, mas o filho entrou em existência. Ele mesmo deu um
nome a ele. O nome, então, é que do Pai, assim como o nome do Pai, o Filho. Para outros casos,
onde a compaixão seria encontrar um nome - fora do Pai? Mas alguém provavelmente irá dizer ao
seu companheiro: "Quem iria dar um nome a alguém que já existia antes mesmo, como se, de fato,
as crianças não recebem o nome de um de quem lhes deu o nascimento?"

Acima de tudo, então, é apropriado para nós pensar sobre este ponto: Qual é o nome? É o nome
verdadeiro. É, na verdade, o nome que veio do Pai, pois é ele quem possui o nome. Ele não, você
vê, obter o nome de empréstimo, como no caso dos outros por causa da forma em que cada um
deles vai ser criado. Este, então, é o nome oficial. Não há ninguém a quem ele deu a ela. Mas
permaneceu sem nome, unuttered, «até ao momento em que ele, que é perfeito, pronunciava-se, e
foi só ele que era capaz de pronunciar o seu nome e vê-lo. Quando lhe agradou, então, que seu
filho deve ser pronunciado o nome dele e quando ele deu esse nome para ele, que veio das
profundezas falou de seus segredos, porque ele sabia que o Pai era a bondade absoluta. Por este
motivo, na verdade, ele mandou um presente especial a fim de que ele poderia falar sobre o local e
seu lugar de descanso do que ele tinha vindo, e que ele possa glorificar o Pleroma, a grandeza do
seu nome ea doçura do seu pai.

Cada um vai falar sobre o lugar de onde ele veio por diante, e para a região da qual ele recebeu seu
ser essencial, ele vai acelerar para voltar mais uma vez. E ele quer daquele lugar - o lugar onde ele
estava - porque provei daquele lugar, como foi alimentada e cresceu. E seu próprio local de
descanso é o Pleroma. Todas as emanações da parte do Pai, portanto, são Pleroma, e todas as suas
emanações têm suas raízes em uma que causou a todos a crescer a partir de si mesmo. Ele
designou um limite. Eles, então, tornou-se manifesta individualmente, a fim de que eles poderiam
estar em seu próprio pensamento, para que o lugar em que eles estendem os seus pensamentos é a
sua raiz, que levanta-los para cima através de todas as alturas para o pai. Eles atingem a cabeça,
que é de descanso para eles, e eles continuam ali próximo a ele para que eles dizem que têm
participado no rosto por meio de abraços. Mas essas desse tipo não eram manifestas, porque eles
não têm subido acima de si . Nem tenham sido privados da glória do Pai, nem tenham pensado nele
como pequenos, nem amarga, nem com raiva, mas como absolutamente bom, imperturbável, doce,
conhecendo todos os espaços antes de virem a existir e não ter necessidade de instrução. Tais são
aqueles que possuem acima de algo dessa grandeza imensurável, uma vez que a tensão no sentido
de que um único e perfeito que existe lá para eles. E eles não descem ao Hades. Eles não têm nem
inveja, nem gemidos, nem é a morte em si. Mas descansem em quem descansa, sem cansar-se ou
tornar-se envolvido na busca da verdade. Mas, eles, na verdade, são a verdade, eo Pai está neles, e
eles estão no Pai, pois eles são perfeitos, inseparável de quem é verdadeiramente bom. Eles não
têm nada de qualquer maneira, mas eles recebem descanso e são atualizados pelo Espírito. E ouvir
a sua raiz, pois eles têm de lazer para eles mesmos, em quem ele vai encontrar a sua raiz, e ele não
sofrerá qualquer prejuízo para sua alma.

Esse é o lugar dos bem-aventurados, este é o seu lugar. Quanto ao resto, então, que eles possam
conhecer, em seu lugar, que não me serve, depois de ter estado no lugar de descanso para dizer
mais nada. Mas ele é o único em quem vou ser, a fim de dedicar-me a todo o momento, ao Pai de
Tudo e os irmãos de verdade, aqueles a quem o amor do Pai é excessiva, e em cujo meio do nada
ele é falta. São eles que se manifestam, uma vez que verdadeiramente está em que a vida
verdadeira e eterna, e falar da luz perfeita preenchido com a semente do Pai, e que está em seu
coração e no Pleroma, enquanto seu Espírito se alegra em-lo e glorifica-lo em quem foi, porque o
Pai é bom. E seus filhos são perfeitos e dignos de seu nome, porque ele é o pai. Crianças deste tipo
são aqueles a quem ele ama.

Interesses relacionados