Você está na página 1de 45
Estradas florestais
Estradas
florestais
Praticas chaves para o planejamento e gestão de estradas florestais
Praticas chaves para o
planejamento e gestão de
estradas florestais
PrimeiroPrimeiro parapara sese planejarplanejar umauma estradaestrada devemosdevemos antesantes pensar?pensar? QualQual
PrimeiroPrimeiro parapara sese planejarplanejar umauma estradaestrada
devemosdevemos antesantes pensar?pensar?
QualQual éé oo sistemasistema dede extração?extração?
Tipos de planejamentos recomendados •Planejamento estratégico- para áreas entre 2 e 3 mil hectares; •Planejamento
Tipos de planejamentos recomendados
•Planejamento estratégico- para áreas entre
2 e 3 mil hectares;
•Planejamento tático – para área menores
que 500 hectares;
•Planejamento de manutenção – programa
e cronograma
•Obs: NO IFT/FFT as atividades de planejamento nos cursos são dadas dentro da área
de uma unidade de trabalho, 100ha.
Premissas:
Premissas:
NANA EIREIR aa infrainfra--estruturaestrutura devedeve serser consideradaconsiderada permanentepermanente
NANA EIREIR aa infrainfra--estruturaestrutura devedeve serser
consideradaconsiderada permanentepermanente
80% dos danos ao solo e a água, são gerados pelas obras de infra-estrutura; Esteira
80% dos danos ao solo e a água, são gerados pelas
obras de infra-estrutura;
Esteira trabalha com 30 a 45% declividade relevo
Skidder trabalha: Morro acima: 20% declividade Morro abaixo 35% declividade 55 aa 1010 %% dosdos
Skidder trabalha:
Morro acima: 20% declividade
Morro abaixo 35% declividade
55 aa 1010 %% dosdos danosdanos aoao solosolo ee aa águaágua sãosão
geradosgerados pelaspelas atividadesatividades dede cortecorte ee arrastearraste
Etapas de uma estrada bem feita •Planejamento •Localização •Desenho ou mapeamento •construção
Etapas de uma estrada bem feita
•Planejamento
•Localização
•Desenho ou mapeamento
•construção
•manutenção
•Fechamento
Se a estrada é permanente ••FluxoFluxo dede águaágua ••VazãoVazão dada bacia;bacia; ••NívelNível
Se a estrada é permanente
••FluxoFluxo dede águaágua
••VazãoVazão dada bacia;bacia;
••NívelNível máximomáximo dede água;água;
••TipoTipo dede vegetação;vegetação;
••ÁreaÁrea dede drenagemdrenagem
A eficiência do planejamento da estrada deverá vir com: • Minimização dos custos; • Realização
A eficiência do planejamento da
estrada deverá vir com:
• Minimização dos custos;
• Realização de manutenção;
• Investimentos na estrada principal;
• Investimento na segurança;
• Treinar e capacitar equipe de
construção e planejamento;
Fundamental avaliar o planejamento considerando as mitigações ambientais;
Fundamental avaliar o planejamento considerando
as mitigações ambientais;
Adotar uma prática que tenha apoio e atenda as expectativas dos usuários envolvendo-os na aprovação
Adotar uma prática que tenha apoio e atenda as
expectativas dos usuários envolvendo-os na
aprovação do projeto da estrada
Produzir um trajeto da estrada sem perigo, com uma boa relação custo benefício, favorável ao
Produzir um trajeto da estrada sem perigo,
com uma boa relação custo benefício,
favorável ao meio ambiente;
Evitar áreas problemáticas Aumentar a resistências as tempestades e aumentar a vida útil da estrada
Evitar áreas problemáticas
Aumentar a resistências as tempestades
e aumentar a vida útil da estrada
Minimizar a largura da estrada. (padrões)
Minimizar a largura da estrada.
(padrões)
Manter os canais naturais, e fluxo naturais das correntes de água, e manter passagens para
Manter os canais naturais, e fluxo naturais das correntes de
água, e manter passagens para os animais aquáticos
Proteger as área sensíveis e reduzir os impactos no
ecossistema
Mapear o cruzamento de rios e áreas protegidas,
Mapear o cruzamento de rios e áreas protegidas,
Cruzamento da estrada com rios É melhor ter uma estrada ruim e um bom cruzamento
Cruzamento da estrada com rios
É melhor ter uma estrada ruim e um bom
cruzamento de rios, do que ter um
estrada boa e um péssimo cruzamento;
Um mau cruzamento não se pode
reparar. A maioria do investimento em
uma estrada ruim se pode recuperar,
porém em um mau cruzamento pouco se
pode recuperar.
Cruzamento de rios e igarapés ••SãoSão pontospontos caroscaros nana construçãoconstrução dede
Cruzamento de rios e igarapés
••SãoSão pontospontos caroscaros nana construçãoconstrução dede estradas.estradas.
•• localizarlocalizar asas pontespontes ouou outrasoutras estruturasestruturas hidráulicashidráulicas sempresempre
queque possívelpossível emem áreasáreas dede rocha,rocha, fazendofazendo proteçõesproteções contracontra
erosãoerosão
••evitarevitar locaislocais profundosprofundos dede aluviãoaluvião queque sãosão susceptíveissusceptíveis aa
assoreamentos,assoreamentos, ee sãosão maismais custosos;custosos;
••MinimizarMinimizar osos encontrosencontros dada estestradarada comcom osos riosrios ee igarapésigarapés--
principalmenteprincipalmente sedimentossedimentos
••QualQual éé oo fluxofluxo dodo cursocurso dede água:água: secoseco ouou temtem fluxofluxo constante;constante;
••SeSe aa estradaestrada éé permanentepermanente ouou temporáriatemporária
Quanto de terra podemos colocar sobre um bueiro: entre 0,5 e 1 metro. Minimizar o
Quanto de terra podemos colocar sobre um
bueiro: entre 0,5 e 1 metro.
Minimizar o cruzamento da estrada com
canais naturais de drenagem;
EvitarEvitar mudançasmudanças nosnos padrõespadrões naturaisnaturais dede drenagemdrenagem
EvitarEvitar
mudançasmudanças
nosnos padrõespadrões
naturaisnaturais dede
drenagemdrenagem
–– EmEm igarapésigarapés dede poucapouca correntecorrente podemospodemos utilizarutilizar passagenspassagens
––
EmEm igarapésigarapés dede poucapouca correntecorrente
podemospodemos utilizarutilizar passagenspassagens
molhadas,molhadas, emem lugarlugar dede tubostubos ouou
bueirosbueiros queque sãosão maismais propensospropensos aa
entupir.entupir.
––
ÈÈ importanteimportante protegerproteger umauma parteparte
antesantes ee depoisdepois dada passagempassagem
molhadamolhada parapara protegerproteger contracontra aa
escavaçãoescavação pelapela correntezacorrenteza ee
impedirimpedir acumuloacumulo dede águaágua
Minimizar distúrbios no solo e nos canais de drenagem
Minimizar distúrbios no solo e nos canais de
drenagem
Controlar a água superficial na estrada e estabilizar o leito de rodagem
Controlar a água superficial na estrada e
estabilizar o leito de rodagem
Por que? – Para se ter um leiro estável e seguro; – Para sempre que
Por que?
– Para se ter um leiro estável e seguro;
– Para sempre que seja possível usar valas
transversais para drenagem superficial, em
lugar de tubos ou bueiros , que requerem
mais manutenção, e podem entupir durante
as fortes chuvas;
– O Ideal é desviar a água da superfície da
estrada quantas vezes necessárias/;
EvitarEvitar áreasáreas molhadas,molhadas, instáveisinstáveis ee empinadasempinadas –– PlanejarPlanejar
EvitarEvitar áreasáreas molhadas,molhadas, instáveisinstáveis ee
empinadasempinadas
––
PlanejarPlanejar parapara evitarevitar zonaszonas problemáticas,problemáticas, comcom altosaltos
riscosriscos naturais,naturais, taistais comocomo deslizamentosdeslizamentos dede terras,terras,
––
evitarevitar osos terrenosterrenos comcom dedeclividadeclividade maioresmaiores queque 60%60%
––
EvitarEvitar topestopes nana estradaestrada superioressuperiores aa 1212 aa 15%15% dede
declividade,declividade,
––
––
EvitarEvitar zonaszonas úmidasúmidas ee terrenosterrenos saturados;saturados;
MinimizarMinimizar osos desvios;desvios;
––
IdealIdeal planejarplanejar entreentre declividadesdeclividades dede 2020 àà 30%;30%;
––
ÁreasÁreas planasplanas problemasproblemas dede drenagemdrenagem
Usar ângulos de corte/ terraplenagem adequadas
Usar ângulos de corte/ terraplenagem adequadas
–Cortes •Depende muito do tipo de solo- média 45º •1:1 ou ¾:1 –Aterros; •2:1 ou
–Cortes
•Depende muito do tipo de solo- média 45º
•1:1 ou ¾:1
–Aterros;
•2:1 ou 11/2:1 ou 3:1
•Aterros ou áreas de depósitos de resíduos precisam de
pelo menos uma estação chuvosa
•Obs: em média depois de soltos os solos se expandem
30%- 1m3 – 1,3m3
–Valetas:
•2:1 ou 1:1
Obs A: se tiver problema de tempo investir em compactação
Instalar medidas de estabilização dos taludes e reduzir desbarrancamentos
Instalar medidas de estabilização dos taludes
e reduzir desbarrancamentos
–Métodos de estabilização; •Remover material; •Trocar plataforma; •Modificar o talude; •Uso de
–Métodos de estabilização;
•Remover material;
•Trocar plataforma;
•Modificar o talude;
•Uso de vegetação;
•Estruturas;
•Sub-drenagens;
•Muros e aterros reforçados.
Proteger a qualidade da água e reduzir o acúmulo de sedimentos nos rios e igarapés;
Proteger a qualidade da água e reduzir o acúmulo de
sedimentos nos rios e igarapés;
Revestir a superfície das estradas (Revestimento);
Revestir a superfície das estradas
(Revestimento);
•• DevemosDevemos considerarconsiderar oo fatorfator dede compactaçãocompactação naturalnatural dede 30%;30%;
••
DevemosDevemos considerarconsiderar oo fatorfator dede
compactaçãocompactação naturalnatural dede 30%;30%; AtençãoAtenção aoao
distribuirdistribuir piçarra,piçarra, poispois aa alturaaltura dede
compactaçãocompactação devedeve serser considerada,considerada,
quantoquanto maismais alto,alto, maismais necessárionecessário
compactação;compactação;
••
Obs:Obs: CarregadeiraCarregadeira comcom aa conchaconcha cheiacheia
podepode funcionarfuncionar comocomo umum compactadorcompactador,, elaela
fazfaz 33 vezesvezes maismais pressãopressão nono solosolo
Controlar a erosão e proteger as áreas de solos expostos
Controlar a erosão e proteger as áreas de solos
expostos
MinimizarMinimizar oo desmatedesmate dada laterallateral InvestimentosInvestimentos emem drenagemdrenagem ee
MinimizarMinimizar oo desmatedesmate dada laterallateral
InvestimentosInvestimentos emem drenagemdrenagem ee revestimentosrevestimentos
DevemosDevemos sempresempre buscarbuscar umauma drenagemdrenagem eficienteeficiente TerTer umauma boaboa
DevemosDevemos sempresempre buscarbuscar umauma drenagemdrenagem
eficienteeficiente
TerTer umauma boaboa drenagemdrenagem
superficialsuperficial dasdas estradas,estradas,
valasvalas transversaistransversais
freqüentesfreqüentes ee pendentespendentes
queque sigamsigam oo contornocontorno dodo
terreno,terreno, dede maneiramaneira queque
aa águaágua sese dispersedisperse comcom
freqüênciafreqüência ee assimassim
amenizeamenize aa suasua
concentraçãoconcentração emem cimacima
dada estradaestrada
•• EvitarEvitar ouou minimizarminimizar aa construçãoconstrução dede estradasestradas emem trechostrechos
••
EvitarEvitar ouou minimizarminimizar aa construçãoconstrução dede
estradasestradas emem trechostrechos estreitosestreitos dada
encostaencosta dede rios,rios, queque inevitavelmenteinevitavelmente
sese inundaminundam durantedurante asas tormentas;tormentas;
––
––
SeSe faltarfaltar revestimento,revestimento, aa estradaestrada teráterá
umauma vidavida útilútil menormenor
AberturaAbertura dasdas laterais:laterais:
••
••
DependeráDependerá dodo tipotipo dede solo;solo;
DeveDeve serser feitofeito principalmenteprincipalmente nasnas curvascurvas porpor
segurança;segurança;
Aplicar medidas de controle de erosão;
Aplicar medidas de controle de erosão;
Fazer manutenção periódica e rotineira; Inspeção é fundamental
Fazer manutenção periódica e rotineira;
Inspeção é fundamental
Controlar o uso das estradas
Controlar o uso das estradas
FecharFechar ouou destruirdestruir asas estradasestradas quandoquando estasestas nãonão foremforem maismais
FecharFechar ouou destruirdestruir asas estradasestradas quandoquando estasestas nãonão foremforem maismais utiliutilizadaszadas
;
Recuperar áreas de empréstimos
Recuperar áreas de empréstimos
– atentar para necessidade de licenciamento ambiental para áreas de coleta de material, de acordo
– atentar para necessidade de licenciamento
ambiental para áreas de coleta de material, de
acordo com as Leis Estaduais e Federais,
– ideal é preparar um plano operacional de uso da
área de empréstimos, procurando trabalhar no
mesmo local em diferentes fases do manejo
florestal, concentrar-se no mesmo local de extração
de material
– Preparar um plano de recuperação para toda área
de empréstimo;
• Pois os custos de recuperação representam entre 2 e 5%
do custo total da estrada
– Se preocupar com a terra viva, os primeiros 15cm de solo que é removido
– Se preocupar com a terra viva, os primeiros 15cm
de solo que é removido para extração de material
(piçarra), pois este material será muito importante
durante a recuperação do local.
– Revegetar a área de empréstimos após sua
utilização;
– Procurar, se possível, executar a recuperação
simultânea aos demais trabalhos, para aproveitar a
equipe envolvida;;