Você está na página 1de 2

Passagem de nível inaugurada homenageia Antônio Simões

A inauguração do Complexo Viário Antônio Simões, pelo prefeito Amazonino


Mendes, ontem (30), contou com a presença da família do homenageado e fundador
do Grupo Simões, falecido em 1992. A solenidade da abertura oficial da passagem de
nível da Avenida Jornalista Umberto Calderaro foi iniciada no pátio da Shizen, empresa
do grupo empresarial, que fica próxima ao complexo.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) e


genro de Antônio Simões, Antonio Silva, comentou que a homenagem feita pelo
prefeito Amazonino Mendes é justa, já que Antônio Simões foi um consolidador da
indústria amazonense e grande empreendedor de um grupo que gera 7 mil empregos
diretos e cerca de 28 mil empregos indiretos. Além de ter desenvolvido um trabalho
árduo à frente da FIEAM. Simões presidiu a FIEAM no período de 1966 a 1971.

Juntamente com os filhos Renato, Norma e Juarez Simões e os netos, noras e


genros, estava a viúva Walderez Simões. Para a matriarca, a homenagem é fruto do
grande empreendedor que foi Antônio Simões. “Nós lutamos e trabalhamos muito
para conseguir construir nosso patrimônio e educar nossos filhos que hoje continuam
o trabalho do pai”, ressaltou.

O empresário Renato Simões, filho do empreendedor, disse que a conclusão da


obra em seis meses pelo prefeito o fez lembrar de seu pai que também inaugurou a
primeira fábrica da Coca-Cola em Manaus em igual período.

Segundo o prefeito Amazonino Mendes o nome do complexo viário é uma


forma de homenagear o empresário visionário, fundador de empresas que até hoje
geram empregos e crescimento para a cidade de Manaus.

Antônio Simões

Nascido em Manaus no dia 1º de janeiro de 1924, Antônio Simões era filho de


Clemente Rodrigues Simões (vindo de Portugal na época da borracha) e de Ana Dias de
Andrade Simões. Clemente era sócio da empresa do irmão, Simões&Cia, conhecida
pelo nome fantasia de Padaria Brasil. Aos 12 anos, Antônio Simões assumiu o local do
pai, que estava doente. Na época enfrentou grandes adversidades, dividindo atenções
entre o trabalho e os cuidados com o pai por quase uma década (1936 e 1943). O
jovem exerceu os cargos de balconista da padaria e forneiro e depois aprendeu os
ofícios de bolacheiro, cilindreiro até tornar-se um exímio padeiro.

Antônio Simões iniciou o próprio negócio em 1943 com um restaurante


chamado Bar Moderno. Em 1947 tornou-se sócio da empresa Simões &Cia e casou-se
com a senhora Walderez. Dessa união nasceram os filhos Ariosto, falecido
prematuramente, Norma Simões - casada com Antonio Silva-, Célia, Renato, Juarez e
Marcelo Simões. A união do casal durou 45 anos, até o falecimento de Antônio em
janeiro de 1992.

Antônio foi presidente do Sindicato dos Panificadores do Amazonas e foi eleito


presidente da FIEAM, entidadade da qual foi um dos fundadores, graças à sua
liderança empresarial. Também foi presidente da Indústria Moageira de Trigo do
Amazonas, membro do conselho consultivo da associação de fabricantes brasileiros de
Coca-Cola e presidente das Indústrias de Bebidas em Geral de Manaus.

O grupo Simões é conhecido na Amazônia Ocidental pela fabricação de


refrigerantes e rede de concesionárias de carro.