Você está na página 1de 9

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC Nº  02220/09
Objeto: Prestação de Contas
Relator: Cons. Subst. Marcos Antônio da Costa
Gestor: Antônio Dinoá Cabral

PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PREFEITO DO 
MUNICÍPIO   DE   NATUBA,   SR.   ANTÔNIO 
DINOÁ   CABRAL,   RELATIVA   AO   EXERCÍCIO 
DE   2.008.  PARECER   CONTRÁRIO   À 
APROVAÇÃO E ATENDIMENTO PARCIAL ÀS 
DISPOSIÇÕES   DA   LRF.   APLICAÇÃO   DE 
MULTA   AO   GESTOR   RESPONSÁVEL. 
COMUNICAÇÃO   À   RECEITA   FEDERAL. 
RECOMENDAÇÕES   E   ASSINAÇÃO   DE 
PRAZO   AO   ATUAL   GESTOR   PARA 
PROVIDÊNCIAS.

PARECER PPL­TC­213/2.009

RELATÓRIO:

O   processo   TC   Nº   02220/09  trata   da   Prestação   de   Contas   do   Prefeito   do 


Município de  NATUBA, sr.  ANTÔNIO DINOÁ CABRAL, relativa ao exercício 
de 2.008.

A Auditoria, através da Divisão de Auditoria da Gestão Municipal ­ DIAGM IV, 
após   diligência  in   loco  e   exame   da   documentação   que   instrui   o   presente 
processo,  inclusive com relação à defesa apresentada pelo interessado (fls. 
1575/2085   ­   vols.   07   e   08),  ressaltou     que  (fls   1553/1569   –   vol.   06   e 
2101/2110 –vol. 08):

• a   Prestação   de   Contas     em   referência   foi   encaminhada   a   este 


Tribunal no prazo legalmente estabelecido;

1
• a Lei Orçamentária Anual – LOA (Lei Nº 464/07) estimou a receita e 
fixou a despesa no valor de R$ 8.145.250,00, bem como autorizou a 
abertura   de   créditos   adicionais   suplementares   no   valor  de   R$ 
733.072,50 (9 % da despesa fixada na LOA);

• as   remunerações   percebidas   pelo   Prefeito   e   pelo   vice­Prefeito 


observaram  o estabelecido na Lei Nº 417/041;

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO


PROCESSO TC Nº  02220/09

• os   gastos   com  obras   e   serviços   de   engenharia  totalizaram  R$ 


384.296,58, correspondendo a 4,24% da despesa orçamentária total, 
sendo   pagos, desse montante, R$ 381.746,58;   R$ 14.703,84 com 
recursos     estaduais   e   R$   367.042,74   com   recursos   próprios   do 
Município2;

• os   gastos   com  remuneração   e   valorização   do   magistério  (65,94% 


dos   recursos   do   FUNDEB)   e  manutenção   e   desenvolvimento   de 
ensino  (28,19%  da   receita   de   impostos   mais   transferências) 
observaram os limites legalmente estabelecidos; 

• as   despesas   com   pessoal   do   Executivo   e   com   pessoal   total 


atingiram,   respectivamente,  45,63%  e  48,29%  da   receita   corrente 
líquida, observando os limites estabelecidos nos arts. 19, inciso III, e 
20, III, “b”, da LRF;

• o repasse ao Poder Legislativo3 atendeu ao disposto no art. 29­A, § 
2º, incisos I e III, da CF;

e entendeu remanescerem  as irregularidades a seguir discriminadas:

quanto às exigências contidas na Lei de Responsabilidade Fiscal
1
Ver fls. 752/753 – vol. 03
2
Ver fls. 901/908 – vol. 03
3
Equivaleu a 5,63% da receita tributária mais transferências do exercício anterior e a 89,96% do fixado
na LOA

2
1. insuficiência   financeira,   no   valor   de  R$   193.537,58,   para   saldar 
compromissos de curto prazo4;

 quanto aos demais aspectos, inclusive os constantes no  Parecer PN­TC­52 /
    
04:

1. pagamento de despesas em valores superiores aos licitados através de 
seis Cartas Convite e uma Inexigibilidade, totalizando o acréscimo  R$ 
68.536,755;

2. ausência de licitação, no montante de R$ 1.153.505,42, correspondendo 
a  12,74%  da  despesa  orçamentária total6;   desse 

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO


PROCESSO TC Nº  02220/09

montante,  R$  668.012,52  referem­se   a   licitações   (Inexigibilidade   nº  


02/05, Tomada de Preços nº 01/07  e  Cartas Convite nºs 04/05, 09/07,  
13/07,   04/07,   01/06   e   16/05),     cujos   contratos   foram   prorrogados 
(consultoria   jurídica   e   advocatícia,   fornecimento   de   combustíveis, 
aquisição   de   gêneros   alimentícios   para   merenda   escolar,   locação   de 
veículos, contratação de nutricionista, técnico contábil, engenheira civil e 
contadora); 

3. gastos   com  ações   e   serviços   públicos   de   saúde  no   equivalente   a 


13,26%  da   receita   de   impostos   e   transferências,   não   atendendo   ao 
mínimo constitucional7l;

4
Saldo disponível = R$ 176.159,82 (-) Total compromissos a pagar a curto prazo = R$ 369.697,40
5
Transporte escolar; eventos e aluguel de tendas, cadeiras etc; recuperação de estradas e diversos shows
com grupo musical – Ver quadro às fls. 2033 – vol. 08
6
Ver quadro às fls. 1556 – vol. 06 (25 Cartas Convite e uma Tomada de Preços – fornecimento de
refeições e lanches, combustíveis, gêneros alimentícios para merenda escolar, carne bovina, material
de expediente, pneus e peças,medicamento, material de limpeza/alimento, materiais diversos e material
de construção, serviços de transporte de doentes, em veículos, de engenharia, de acesso à Internet e
funerários, consultoria jurídica e advocatícia locação de veículos, projetos de engenharia, reposição e
recuperação de calçamento, recolhimento de lixo, desobstrução de galerias, lavagem e lubrificação de
veículos, contratação de nutricionista, técnico contábil, engenheira civil e contadora)
7
Ver fls. 1560/1561 – vol. 06 e 2105 – vol. 08; Exclusões efetuadas: Programas (R$ 905.633,89),
Convênios (R$ 170.394,97), finalidades diversas (PAB/US, ECD/SUS, MDE, Farmácia básica e
Qualificação de gestão/SUS - R$ 52.936,81) e despesas não comprovadas (R$ 114.704,00 – fls.
1142/1186 – vol. 04 e 1682/1734 – vol 07)

3
4. falta de comprovação da efetiva prestação de serviços de profissional de 
nutrição, visando a contratação apenas atender ao PNAE pois, segundo 
depoimentos de merendeiras e do alunado, é desconhecida a atuação 
de nutricionista na elaboração de cardápio escolar8;

5. falta de comprovação  da efetiva prestação de serviços de transporte de 
doentes/pacientes9 ;

6. falta   de   comprovação   das   efetivas   prestações   de   serviços   nas 


elaborações   de   projetos   para  construção   do   Ginásio   Poliesportivo   da 
Vila Pirauá10,  do Posto de Saúde e de passagem molhada11  e de  um 
galpão12;

7. aplicação do valor de R$ 1.330,00   na  manutenção de prédio público, 

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO


PROCESSO TC Nº  02220/09

com recursos provenientes da CIDE,  contrariando sua finalidade13 ;

8. existência   de   veículos   oficiais   com   débito   junto   ao   Departamento 


Estadual de Trânsito – DETRAN­PB14 ;

9. não empenhamento e não recolhimento do montante de  R$ 83.913,89 
ao INSS15;

8
Programa Nacional de Alimentação Escolar - Ver Resolução CFN nº 3358/05 às fls. 2087/2090 – vol.
08
9
A comprovação se deu através de controle de dados pessoais de pacientes que fariam exames e
consultas fora do Município, sem, contudo, haver provas da realização dos mesmos – ver fls. 2036 –
vol. 08
10
Ver fls. 946, 995/998 – vol. 04 e 1974/2014 – vol. 08; o projeto foi elaborado posteriormente ao
pagamento (R$ 22.700,00 à CM Construções Miranda Ltda) e não há registro de ART no CREA-PB
11
Ver fls. 2016/2056 – vol. 08 – projeto anexado por ocasião da defesa e não há registro de ART no
CREA-PB; pago o valor de R$ 9.250,00 à Construtora JK Ltda.
12
Ver fls. 2058/2062 - vol. 08– apenas ante-projeto arquitetônico e não há registro de ART no CREA-
PB; pago o valor de R$ 2.105,00 à Construtora Graça Ltda.
13
Ver fls. 1091 – vol.04 - Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico – art. 177, § 4º, II, da
CF e Lei Federal nº 10636/02
14
Ver fls. 1094 – vol. 04
15
Ver fls. 2080/2085 – vol. 08

4
Ofereceu ainda, o órgão técnico deste Tribunal as seguintes sugestões à atual 
administração do Município de Natuba, com base nas informações efetuadas 
quando da diligência:

• evitar   o   pagamento   de   despesas   através   de   Tesouraria   ou,   caso 


necessário,   realizar   através   de   suprimento   de   fundos 
(adiantamentos), conforme legislação específica;
• despender   esforços   junto   ao   Governo   Estadual   ou   da   União   para 
melhoria da infra­estrutura das estradas;
• disponibilizar   merenda   escolar,   todos   os   dias,   em   quantidade 
suficiente e com qualidade16;
• disponibilizar   atendimento   de   rotina   aos   pacientes   (ambulatorial   e 
clínico), encaminhando apenas pacientes em estado grave de saúde 
e os que necessitem de assistência médica de maior complexidade17;

Chamado   a   se   pronunciar,   o   Ministério   Público   junto   a   este   Tribunal   emitiu 


Parecer, da lavra da Procuradora dra. Sheyla Barreto Braga de Queiroz (fls. 
2112/2125 – vol. 08), opinando pela:

• emissão   de   parecer   contrário   à   aprovação   das   contas   e   atendimento 


parcial às disposições contidas na LRF;
• imputação   de   débito   de   todas   as   despesas   não   comprovadas   ou 
achadas anti­econômicas e irregulares pela Auditoria ao ex­Prefeito, sr. 
Antônio Dinoá Cabral, c/c a cominação de multa pessoal prevista nos 
artigos 55 e 56 da LOTCE­PB,    em seu valor máximo,   por força das 
irregularidades 

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO


PROCESSO TC Nº  02220/09

que traduzem grave infração a preceitos e disposições constitucionais e 
legais, sem prejuízo da incidência cumulativa da multa pessoal prevista 
no art. 56, inciso II, da LOTCE­PB;
16
Ver fls. 1565 – vol. 06
17
Ver registros às fls. 1564/1565 – vol. 06

5
• recomendação   ao   atual   Representante   do   Município   para   adoção   de 
medidas   visando   a   evitar   todas   as   irregularidades   e   infrações   à 
Constituição, à Lei nº 4320/64, às Resoluções deste Tribunal, à Lei de 
Responsabilidade   Fiscal   e   não   incorrer   mais   nas   irregularidades 
referentes à gestão geral aqui examinadas, sem prejuízo da assinação 
de prazo para a tomada de medidas que entender cabíveis o Pleno, na 
esteira do voto do Relator;
• assinação de prazo ao atual Prefeito de Natuba, sr. Josevaldo Alves da 
Silva, para imediata regularização da situação da frota municipal junto 
ao   DETRAN­PB,   de   tudo   enviando   prova   a   este   Tribunal   em   tempo 
hábil;
• remessa de cópia dos presentes ao Ministério Público Comum, para fins 
de   análise   dos   indícios   de   cometimento   de   atos   de   improbidade 
administrativa e crimes licitatórios pelo sr. Antônio Dinoá Cabral;
• representação à Receita Federal do Brasil, à DELEPREV e ao Ministério 
Público   Federal   (Procuradoria   da   República   na   Paraíba)   acerca   dos 
fatos levantados concernentes à área de atuação de cada um.

O interessado foi notificado acerca da inclusão do presente processo na pauta 
desta sessão.

VOTO DO RELATOR:

O   Relator   tem   a   ponderar   o   seguinte,   em   relação   à   falta   de   efetiva 


comprovação da prestação  de alguns serviços:
• referentemente à profissional de nutrição, a despesa está legalmente 
comprovada;
• além   da   despesa   com   transporte   de   pacientes   estar   legalmente 
comprovada,   a   defesa   juntou   documentos   que   podem   ser 
considerados como de comprovação dos serviços;
• embora   os   projetos   elaborados   não   estejam   completos,   existem 
inícios de prova que justificam a realização dos serviços.

Voto  então  pela:

6
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
PROCESSO TC Nº  02220/09

 emissão de parecer contrário à aprovação da Prestação de Contas 
do   Prefeito   do   Município   de  Natuba,  sr.   Antônio   Dinoá   Cabral, 
relativa ao exercício de  2.008, considerando parcialmente atendidas 
as disposições contidas na Lei de Responsabilidade Fiscal;
 aplicação de multa ao gestor, no valor de R$ 2.805,10, fixando­se o 
prazo de sessenta dias para recolhimento ao Fundo de Fiscalização 
Orçamentária e Financeira Municipal;
 comunicação   à   Receita   Federal   acerca   das   contribuições 
previdenciárias não recolhidas ao INSS;
 assinação do prazo de trinta dias ao atual gestor do Município, sr. 
Josevaldo Alves da Silva, para providenciar junto ao DETRAN­PB a 
regularização da documentação dos veículos oficiais;
 recomendação   à   atual   Administração   do   Município   para   a 
observância das legislações pertinentes e adoção de providências no 
sentido de atender as sugestões oferecias pela Auditoria. 

DECISÃO DO TRIBUNAL PLENO:

Vistos, relatados e discutidos os autos do processo TC Nº 02220/09, que  trata 
da   Prestação   de   Contas   do   Prefeito   do   Município   de  Natuba,   sr.  Antônio 
Dinoá Cabral, relativa ao exercício de 2.008, e

CONSIDERANDO    o   exposto   no   Relatório     e   Voto   do   Relator,   o 


pronunciamento da Auditoria, o parecer do Ministério Público Especial e o mais 
que dos autos consta, 

Os membros do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAÍBA – TCE­
PB,     em   sessão   plenária   realizada   nesta   data,   declarando­se   impedido   o 
Conselheiro Fábio Túlio Filgueiras Nogueira, decidem, à unanimidade de votos:

I. Emitir parecer contrário à aprovação da Prestação de Contas do Prefeito 
do   Município   de  Natuba,  sr.   Antônio   Dinoá   Cabral,   relativa   ao 

7
exercício de 2.008, considerando atendidas parcialmente as disposições 
contidas na Lei de Responsabilidade Fiscal;
II. Aplicar,   através   de   Acórdão   de   sua   exclusiva   competência,   multa   no 
valor de  R$ 2.805,10  ao mencionado gestor, com base no art. 56, da 
LOTCE­PB,   fixando­se   o   prazo   de   trinta   dias   para   recolhimento   ao 
Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal;
III. Comunicar a Receita Federal acerca das contribuições previdenciárias 
não recolhidas ao INSS;

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO


PROCESSO TC Nº  02220/09

IV. Assinar,  através  também  de   Acórdão,  o   prazo   de   trinta   dias  ao   atual 


gestor   do   Município,   sr.   Josevaldo   Alves   da   Silva,   para   providenciar 
junto   ao  DETRAN­PB  a  regularização   da   documentação  dos  veículos 
oficiais;
V. Recomendar   à     atual   Administração   do   Município   a   observância   das 
legislações   pertinentes   e   a  adoção   de   providências   no   sentido   de 
atender as sugestões oferecias pela Auditoria.  

Publique­se, notifique­se e cumpra­se.
TCE­Plenário Ministro João Agripino,      de                      de 2.009

Cons. Antônio Nominando Diniz Filho           Cons.Subst. Marcos A. da Costa 
     Presidente                                                                Relator

Cons. Flávio Sátiro  Fernandes            Cons. José Marques Mariz

 Cons. Fernando Rodrigues Catão    Cons. Fábio Túlio Filgueiras Nogueira  

Cons. Humberto Silveira Porto

8
Fui presente. 

         Dr. Marcílio Toscano Franca Filho
Procurador Geral do Ministério Público Especial