Você está na página 1de 1

Módulo: CP4 (Cidadania e Profissionalidade)

Formadora: Susana Mendes


Formando: Jorge Santos nº13

O Dilema de Henrique

“Numa
Numa cidade da Europa, uma mulher estava a morrer de cancro. Um medicamento
descoberto recentemente por um farmacêutico dessa cidade podia salvar-lhe
salvar a vida. A
descoberta desse medicamento tinha custado muito dinheiro ao farmacêutico, que
agora pedia dez vezes mais por uma pequena porção desse remédio. Henrique, o
marido da mulher que estava a morrer, foi ter com pessoas suas conhecidas
conhecidas para lhe
emprestarem dinheiro e, assim, poder comprar o medicamento. Apenas conseguiu
juntar metade do dinheiro pedido pelo farmacêutico. Foi, ter, então, com ele, contou-
contou
lhe que a sua mulher estava a morrer e pediu-lhe
pediu lhe para lhe vender o medicamento
medicament mais
barato. O farmacêutico respondeu que não, que tinha descoberto o medicamento e
que queria ganhar dinheiro com a sua descoberta. O Henrique, que tinha feito tudo ao
seu alcance para comprar o medicamento, ficou desesperado e começou a pensar
assaltar a farmácia e roubar o medicamento para a sua mulher.”
L.Kohlberg, Tradução de O.M. Lourenço.

Deve ou não Henrique assaltar a farmácia e roubar o medicamento?


Justifique a resposta do ponto de vista ético e moral.

- Do ponto de vista ético, o Henrique deveria sim roubar o medicamento, isto


porque, para ele seria a forma mais simples de salvar uma vida, não olhando a
consequências das acções, pensando só na solução. Éticamente estaria correcto,
porque o Henrique estava a favor da vida, correspondendo ao direito à vida Humana.
Moralmente, não estaria correcto, isto porque, para salvar uma vida, iria
prejudicar outra e ao mesmo tempo a sua, ou seja, a sua prática não seria a mais
correcta perante a Sociedade.