Você está na página 1de 5

44 :: Webdesign

O QUE VEM
POR AÍ?
“Lua, Vênus, Urano e os nodos lunares anunciam avanços na tecnologia e destaque para a música. Lua cheia
em Gêmeos: 2/12”. Em 26/11/09, essa era a previsão do dia para quem consultasse o site UOL Horóscopo (http://
migre.me/cA83). Afinal, muitas pessoas costumam recorrer à Astrologia para saber “... a influência dos astros
no curso dos acontecimentos terrestres e na vida das pessoas...”, segundo definição do Dicionário Houaiss.
Trazendo esta realidade para o universo digital, sabemos que tentar prever os rumos deste mercado é um
exercício arriscado, devido à velocidade com que as transformações costumam ocorrer, derrubando conceitos
e tecnologias e emergindo novas soluções.
Porém, ao listarmos o que ficou em evidência nos últimos dois anos, como API’s, mídias sociais, Realidade
Aumentada, Google Wave, Bing etc., e escutarmos as análises de quem já está atuando um bom tempo neste
segmento, é possível traçarmos algumas tendências para o ano de 2010. Com a palavra, não os “astros”, mas
alguns dos principais especialistas do mercado digital brasileiro.
opinião - O que vem por aí? :: 45

Michel Lent
Gerente geral e VP de Criação da OgilvyInteractive Brasil
www.viuisso.com.br

“Atualmente, não é fácil se prever nada que tenha relação com tecnologia hoje com mais de dois ou três anos
de antecedência. Isso se deve ao estágio de desenvolvimento tecnológico que nos encontramos e à massa crítica
de usuários que temos no mundo.
Pense em serviços como YouTube e Twitter que praticamente não existiam há quatro anos. Pense no iPhone
que foi lançado há pouco mais de dois anos. Pense no iPod que acaba de completar oito anos de vida. Realmente,
o mundo muda muito rápido.
Por outro lado, olhar para o próximo ano já é algo mais assertivo para se fazer. E eu diria que, em 2010, devemos
ficar de olho em algumas coisas:

O fortalecimento do Facebook enquanto plataforma


O Facebook quer ser nosso armário virtual. Muito mais do que uma rede social, ele quer ser o concentrador de
fotos, vídeos, updates (microblogs), jogos, mobile, além de todas as coisas que ele já oferece.

Crescimento do Google Chrome


Como parte central de uma estratégia de crescimento da Google, o Chrome deverá ganhar bastante mercado
nos próximos anos e se tornar um dos browsers mais importantes.

Explosão da internet móvel


A consolidação do 3G, a explosão dos netbooks, mais o aparecimento de inúmeros modelos de aparelhos e
sistemas operacionais, indicam que a internet acessada de forma móvel e através de smartphones tende a explodir
nos próximos dois anos, o que terá impacto profundo nos produtos e serviços que são desenvolvidos.

Compra/Venda do Twitter
Para sustentar a velocidade em que vem crescendo, o Twitter fatalmente precisará sofrer algum tipo de mudança
estrutural profunda nos próximos dois anos, o que pode desencadear num processo de fusão, ou sua venda para
um grupo maior.”

* Créditos da foto: Luis Leão


46 :: Webdesign

Roberto Cassano
Diretor de estratégia na Agência Frog
www.cassano.com.br

“Prever o futuro é a melhor maneira de garantir seu lugar na história, como alguém que previu algo absolutamente
errado. Embora quase tudo que nos cerca seja evolutivo, vez em quando surge uma ruptura, algo que não havia sido
previsto e que muda tudo. Isso vale tanto para o 11 de setembro como para o Twitter.

Mesmo assim, vou arriscar duas tendências que, acredito, farão barulho em 2010:

1. O fim das redes sociais


As redes sociais continuarão seu processo de crescimento e de amadurecimento. Elas serão inevitáveis e
indispensáveis. Serão fortes e impactarão profundamente a forma de consumo e de troca/manutenção de laços
afetivos e de informação. Elas serão tão grandes que desaparecerão. Mídias sociais, cada vez mais, se tornarão
sinônimo de internet. Que cada vez mais se torna sinônimo de mundo.

2. Jogos de Guerra. E de compras, e de amor, e de viagens


Jogos. Por toda parte. Acredito num esfriamento da exploração do capital social, de fomentar o espírito de
colaboração, participação e coautoria em troca da possibilidade de se virar microcelebridade. Esse espírito é
fundamental em redes sociais, mas é natural apenas em uma pequena (porém poderosa) parcela das pessoas.
O apelo lúdico dos jogos, porém, tem alcance bem maior. Iniciativas ainda mambembes, como o FourSquare e
os jogos de Facebook, nos apontam um caminho: travestir redes sociais como jogos para motivar a cocriação. Ou
agregar redes sociais a jogos - XBOX 360 e sua Live -, impactando os games, os consoles e até a pirataria.”
opinião - O que vem por aí? :: 47

Fábio Sasso
Sócio da ZEE e fundador do blog Abduzeedo
www.abduzeedo.com

“A integração das redes sociais com a geolocation está ganhando cada vez mais força. Existem empresas fazendo grandes
serviços, como o FourSquare e o Gowalla. Provavelmente, algum grande do mercado vai acabar comprando essas empresas
e consolidando esse tipo de serviço. Para se ter uma ideia, já há boatos que o Facebook estaria de olho no FourSquare.
Além disso, o próprio Twitter, com a API de geolocation disponível para aplicativos, é um sinal da força que o segmento
vai ganhar, principalmente no sentido de filtrar a informação.
Quanto a essa questão no meu cotidiano, venho desenvolvendo alguns projetos para iPhone e vejo uma demanda cada
vez maior para integração com dispositivos móveis. Estamos gerando muita informação, via Twitter, blogs e outros serviços,
e é muito importante termos ferramentas ou métodos para organizar isso, senão vira confusão.
Na questão do design, vejo um direcionamento maior para a simplicidade e a experiência do usuário.
Começamos a ver também uma tendência tipográfica interessante com CSS3 e serviços, como typekit, permitindo uso de
mais fontes além das websafe.
Tenho certeza que 2010 vai ser um ano muito interessante.”

Ludmilla Rossi
Diretora criativa da Mkt Virtual
www.mktvirtual.com.br

“É difícil prever o que vai acontecer. Quando comparo o que usávamos de tecnologias, plataformas e recursos em 2001
(ano de abertura da Mkt Virtual) com o momento atual é um baque bem grande.
Quem escolhe trabalhar com web (seja na produção, criação ou atendimento) tem que ter consciência que
vai precisar se reinventar a cada bimestre.
Em 2010, queremos nos aprofundar em vários assuntos, sendo os principais: novas metodologias de desenvolvimento,
game design (estudando plataformas de desenvolvimento, como o Unity3D, não só para desenvolver jogos), envolver mais
internet móvel e desenvolvimento de aplicativos para celulares dentro dos projetos dos nossos clientes, entre outras questões
que ainda nem conhecemos e certamente farão parte do próximo ano.
Para termos contato com as novidades do mercado, é essencial que a equipe seja entusiasta e encantada por novidades.
Procuramos sempre tentar encaixar a vontade dos nossos profissionais em inovação e aplicação de novas tecnologias aliando
isso à demanda dos clientes.
Nem sempre é simples, mas essa cobrança é fundamental tanto por parte da equipe, por parte dos clientes, mas
principalmente por nossa própria cobrança individual.”
48 :: Webdesign

Tulio Paiva
Diretor de criação digital
Giovanni+Draftfcb - Brasil
www.giovannidraftfcb.com.br

“Exercício de futurologia nos meios digitais? Difícil. Tudo nesse mundo é tão volátil. Alguém aí se lembra do
Second Life? Mas dá para arriscar alguns palpites. As mídias sociais vão continuar crescendo em audiência e se
aperfeiçoando como ferramentas de geração e compartilhamento de conteúdo, eu apostaria até no surgimento de
novas redes, mais segmentadas, específicas.
A Realidade Aumentada vai atingir patamares tecnológicos mais altos e mais integrados ao nosso dia-a-dia. Vai
fazer parte da vida real (a ação do dólar do Burger King para mim aponta esse caminho), do cotidiano do cidadão
que não é necessariamente um heavy user de meios digitais.
Mas o que eu acho mais importante, do ponto de vista de um profissional de comunicação, é a tendência do
amadurecimento. Acredito que o mercado, como um todo, vai continuar o movimento de deixar para trás o
fascínio com o potencial da tecnologia e focar no uso estratégico dos meios digitais.
Quer dizer, aplicar a solução certa, na hora certa, com objetivos bem definidos e mensuráveis, dentro de um mix
de comunicação que faça sentido para a marca e seja aderente para o consumidor.
Não fazer Realidade Aumentada, mas fazer Realidade Aumentada aplicada ao marketing. Não fazer redes sociais,
e sim abrir canais de comunicação pertinentes com os consumidores. Parece óbvio, mas ainda temos um caminho a
percorrer nesse sentido. E acho que essa é a principal tendência para 2010.”