Você está na página 1de 7

Superior Tribunal de Justiça

AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 576.187 - SP (2014/0197190-0)

RELATOR

AGRAVANTE

ADVOGADOS

: MINISTRO MOURA RIBEIRO MARIO SABINO ANDRE MARSIGLIA SANTOS CLAUDIA DE BRITO PINHEIRO DAVID LOURIVAL JOSE DOS SANTOS RAFAEL DE GUIMARÃES ARCOVERDE CREDIE EMIR SADER CARTA MAIOR PUBLICAÇÕES E PROMOÇÕES LTDA JOAQUIM ERNESTO PALHARES MARCELLO DANIEL CRISTALINO E OUTRO(S) MÁRCIO MELLO CASADO EMENTA

:

:

:

:

:

AGRAVADO

AGRAVADO

ADVOGADOS

1. 2. ACÓRDÃO
1.
2.
ACÓRDÃO

CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. MATÉRIA JORNALÍSTICA. PLEITO PARA QUE SE REAVALIE A OCORRÊNCIA DO DANO MORAL. IMPOSSIBILIDADE POR MEIO DO

ESPECIAL. INCIDÊNCIA DA SÚMULA nº 7 DO STJ. PRECEDENTES.

O Tribunal a quo, cotejando o acervo probatório, concluiu que a

matéria jornalística não citou o nome do autor, inexistindo lesão a justificar eventual reparação por dano moral. Entendimento diverso por meio do especial demandaria o revolvimento do acervo probatório.

O autor não apresentou argumento novo capaz de modificar a

conclusão adotada, que se apoiou em entendimento aqui consolidado. Incidência da Súmula nº 7 do STJ. 3. Agravo regimental não provido.

Vistos, relatados e discutidos os autos em que são partes as acima

indicadas, acordam os Senhores Ministros da Terceira Turma do Superior Tribunal de

Justiça, por unanimidade, em negar provimento ao agravo regimental, nos termos do voto

do Sr. Ministro Relator.

Os Srs. Ministros João Otávio de Noronha, Paulo de Tarso Sanseverino,

Ricardo Villas Bôas Cueva (Presidente) e Marco Aurélio Bellizze votaram com o Sr.

Ministro Relator.

Brasília, 18 de novembro de 2014(Data do Julgamento)

MINISTRO MOURA RIBEIRO

Relator

Superior Tribunal de Justiça

AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 576.187 - SP (2014/0197190-0)

RELATOR

: MINISTRO MOURA RIBEIRO

:

:

:

:

AGRAVANTE

MARIO SABINO

AGRAVADO

EMIR SADER

AGRAVADO

CARTA MAIOR PUBLICAÇÕES E PROMOÇÕES LTDA

ADVOGADOS

JOAQUIM ERNESTO PALHARES MARCELLO DANIEL CRISTALINO E OUTRO(S) MÁRCIO MELLO CASADO RELATÓRIO

O EXMO. SR. MINISTRO MOURA RIBEIRO (Relator):

393/396).
393/396).

Trata-se de agravo regimental interposto contra decisão monocrática de

minha relatoria que negou provimento ao agravo em recurso especial assim ementado:

CIVIL. AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. RESPONSABILIDADE CIVIL. INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. MATÉRIA JORNALÍSTICA. OFENSA À HONRA NÃO CONFIGURADA. MERO DISSABOR. VIOLAÇÃO DO ART. 535, DO CPC. OMISSÃO, CONTRADIÇÃO OU OBSCURIDADE INEXISTENTE. ACÓRDÃO RECORRIDO QUE MANTEVE A IMPROCEDÊNCIA DO PEDIDO, COM BASE NO ACERVO FÁTICO DA CAUSA. REFORMA DO JULGADO. INCIDÊNCIA DA SÚMULA 7, DO STJ. ALEGAÇÃO DE AFRONTA À SÚMULA. IMPOSSIBILIDADE. NORMA QUE NÃO SE ENQUADRA NA DEFINIÇÃO DE 'LEI FEDERAL'. AGRAVO NÃO PROVIDO (e-STJ, fls.

Nas razões do regimental, o autor alega que o acórdão de origem padece

do vício da contradição, porque a matéria jornalística elaborada e veiculada pelos

agravados causou abalo à sua imagem e à sua honra ao lhe imputar qualidade negativa.

Afirma que é desnecessário o revolvimento da matéria fática para que se analise esse

argumento.

Pleiteia que esta Terceira Turma reconsidere a decisão atacada.

É o relatório.

Superior Tribunal de Justiça

AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 576.187 - SP (2014/0197190-0)

RELATOR

: MINISTRO MOURA RIBEIRO

:

:

:

:

AGRAVANTE

MARIO SABINO

AGRAVADO

EMIR SADER

AGRAVADO

CARTA MAIOR PUBLICAÇÕES E PROMOÇÕES LTDA

ADVOGADOS

JOAQUIM ERNESTO PALHARES MARCELLO DANIEL CRISTALINO E OUTRO(S) MÁRCIO MELLO CASADO EMENTA

CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. MATÉRIA JORNALÍSTICA. PLEITO PARA QUE SE REAVALIE A OCORRÊNCIA DO DANO MORAL. IMPOSSIBILIDADE POR MEIO DO ESPECIAL. INCIDÊNCIA DA SÚMULA nº 7 DO STJ. PRECEDENTES.

1. 2. Incidência da Súmula nº 7 do STJ. 3. Agravo regimental não provido.
1.
2.
Incidência da Súmula nº 7 do STJ.
3. Agravo regimental não provido.

O Tribunal a quo, cotejando o acervo probatório, concluiu que a

matéria jornalística não citou o nome do autor, inexistindo lesão a justificar eventual reparação por dano moral. Entendimento diverso por

meio do especial demandaria o revolvimento do acervo probatório.

O autor não apresentou argumento novo capaz de modificar a

conclusão adotada, que se apoiou em entendimento aqui consolidado.

Superior Tribunal de Justiça

AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 576.187 - SP (2014/0197190-0)

RELATOR

: MINISTRO MOURA RIBEIRO

:

:

:

:

AGRAVANTE

MARIO SABINO

AGRAVADO

EMIR SADER

AGRAVADO

CARTA MAIOR PUBLICAÇÕES E PROMOÇÕES LTDA

ADVOGADOS

JOAQUIM ERNESTO PALHARES MARCELLO DANIEL CRISTALINO E OUTRO(S) MÁRCIO MELLO CASADO

VOTO

Todavia, não lhe cabe razão.
Todavia, não lhe cabe razão.

O EXMO. SR. MINISTRO MOURA RIBEIRO (Relator):

Nas razões deste recurso, o autor aduz que o Tribunal a quo não julgou

os embargos declaratórios interpostos de forma adequada, visto que não supriu a

contradição do acórdão exarado, porque, por meio de matéria jornalística, foi citado por ter

"vínculos sorrateiros" e que tal pecha na imagem e honra o torna merecedor de reparação

econômica por dano moral. Por isso, pugna pela revisão da responsabilidade dos

envolvidos na lide.

O Tribunal a quo, cotejando o acervo probatório, concluiu que a matéria

jornalística não citou o nome do autor, inexistindo lesão a justificar eventual reparação por

dano moral, como se vê:

O penúltimo parágrafo do texto em comento, diz respeito à opinião do autor da matéria em relação a uma suposta ligação sorrateira entre a Revista Veja e Fernando Henrique Cardoso . Entretanto, entendendo-se injuriosa essa alegação, o legitimado para buscar eventual reparação é a Revista e não o apelante , cujo nome, reitera-se, sequer vem mencionado na reportagem.

A expressão apresentada por um escriba de plantão , que consta

das últimas linhas do artigo, e contra a qual se insurge o apelante,

não tem, data venia, a extensão danosa que se lhe pretende atribuir. Não acarreta o sofrimento íntimo além do normal, que caracteriza o dano moral, e se incomodou o apelante, esse incômodo deve ser entendido como um aborrecimento ou dissabor e não como ofensa à honra (e-STJ, fl. 278).

A conclusão da origem se encontra motivada no livre convencimento do

magistrado, apoiado no acervo probatório, tudo a fazer incidir ao caso a Súmula nº 7

deste Tribunal Superior.

Conforme precedente, veja-se:

AGRAVO REGIMENTAL

NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL.

Superior Tribunal de Justiça

AÇÃO INDENIZATÓRIA POR DANOS MORAIS E A IMAGEM. VEICULAÇÃO DE REPORTAGEM JORNALÍSTICA DE MATÉRIA OFENSIVA A IMAGEM E A HONRA DE PESSOA PÚBLICA OCUPANTE DE CARGO POLÍTICO. DANO NÃO CONFIGURADO. SÚMULA 7/STJ. IMPROVIMENTO. 1.- A convicção a que chegou o Tribunal a quo quanto à ausência de configuração de dano moral passível de indenização, em razão da veiculação de matéria jornalística que teceu críticas e emitiu opinião às ações políticas do partido e do grupo político que governa o Estado, decorreu da análise do conjunto fático- probatório. O acolhimento da pretensão recursal demandaria o reexame do mencionado suporte, o que é defeso a esta Corte, a teor do enunciado da Súmula 7/STJ. 2.- Agravo Regimental improvido. (AgRg no AREsp 501.717/AP, Rel. Ministro SIDNEI BENETI, Terceira Turma, j. 27/5/2014, DJe 20/6/2014)

SIDNEI BENETI, Terceira Turma, j. 27/5/2014, DJe 20/6/2014) Na mesma toada: AgRg no AREsp 554.874/RJ, Rel.

Na mesma toada: AgRg no AREsp 554.874/RJ, Rel. Ministro MARCO AURÉLIO BELLIZZE, Terceira Turma, j. 7/10/2014, DJe 14/10/2014; e, AgRg no AREsp 417.590/SP, Rel. Ministro ANTONIO CARLOS FERREIRA, Quarta Turma, j. 2/10/2014, DJe 9/10/2014.

regimental.

Nessaa condições, pelo meu voto, NEGO PROVIMENTO ao agravo

Superior Tribunal de Justiça

CERTIDÃO DE JULGAMENTO TERCEIRA TURMA

Número Registro: 2014/0197190-0

PROCESSO ELETRÔNICO

AgRg no AREsp 576.187 / SP

Números Origem: 1219235220078260000 201401971900 576187 5830020061551441

58300200615514410000

EM MESA

JULGADO: 18/11/2014

AUTUAÇÃO : :
AUTUAÇÃO
:
:

Relator Exmo. Sr. Ministro MOURA RIBEIRO

Presidente da Sessão Exmo. Sr. Ministro RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA

Subprocurador-Geral da República Exmo. Sr. Dr. MAURÍCIO DE PAULA CARDOSO

Secretária Bela. MARIA AUXILIADORA RAMALHO DA ROCHA

AGRAVANTE

MARIO SABINO LOURIVAL JOSE DOS SANTOS RAFAEL DE GUIMARÃES ARCOVERDE CREDIE CLAUDIA DE BRITO PINHEIRO DAVID ANDRE MARSIGLIA SANTOS LOURIVAL JOSE DOS SANTOS E OUTRO(S) RAFAEL DE GUIMARÃES ARCOVERDE CREDIE E OUTRO(S) CLAUDIA DE BRITO PINHEIRO DAVID E OUTRO(S) ANDRE MARSIGLIA SANTOS EMIR SADER CARTA MAIOR PUBLICAÇÕES E PROMOÇÕES LTDA JOAQUIM ERNESTO PALHARES MÁRCIO MELLO CASADO MARCELLO DANIEL CRISTALINO E OUTRO(S)

ADVOGADOS

AGRAVADO

:

AGRAVADO

:

ADVOGADOS

:

ASSUNTO: DIREITO CIVIL - Responsabilidade Civil - Indenização por Dano Moral - Direito de Imagem

AGRAVO REGIMENTAL

AGRAVANTE

:

MARIO SABINO

ADVOGADOS

:

LOURIVAL JOSE DOS SANTOS

AGRAVADO

:

RAFAEL DE GUIMARÃES ARCOVERDE CREDIE CLAUDIA DE BRITO PINHEIRO DAVID ANDRE MARSIGLIA SANTOS EMIR SADER

AGRAVADO

:

CARTA MAIOR PUBLICAÇÕES E PROMOÇÕES LTDA

ADVOGADOS

:

JOAQUIM ERNESTO PALHARES MÁRCIO MELLO CASADO

Superior Tribunal de Justiça

MARCELLO DANIEL CRISTALINO E OUTRO(S)

CERTIDÃO

Certifico que a egrégia TERCEIRA TURMA, ao apreciar o processo em epígrafe na sessão realizada nesta data, proferiu a seguinte decisão:

A Terceira Turma, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros João Otávio de Noronha, Paulo de Tarso Sanseverino, Ricardo Villas Bôas Cueva (Presidente) e Marco Aurélio Bellizze votaram com o Sr. Ministro Relator.

Marco Aurélio Bellizze votaram com o Sr. Ministro Relator. Documento: 1366762 - Inteiro Teor do Acórdão