Você está na página 1de 18

Desenvolver ofertas distintivas para as regiões alinhadas com a

proposta de valor do destino de Portugal. Recorrendo aos


recursos naturais e culturais de cada região. Estas têm conjuntos
de recursos diversificados, sendo que destes, alguns constituem
factores de diferenciação.
No entanto existe o factor sazonalidade, em que há uma urgente
necessidade de mudança isto é: desenvolvendo factores de
qualificação. Para além das melhores ofertas que deverão
complementar o seu desenvolvimento.
Depois de interpretarmos os gráficos que constam do PENT
(Plano Estratégico Nacional de Turismo) concluímos que cada
região está empenhada em desenvolver as condições necessárias
para uma melhor oferta, ou seja, indo de encontro aos interesses
de cada região e de acordo com as necessidades da procura. A
curto prazo, o Sol e Mar, o Touring e o City Break, serão os
produtos que mais contribuirão para o desenvolvimento das
regiões.
Produtos VS Sazonalidade

ALGARVE

O produto core* no Algarve, Sol e Mar, tem ainda a possibilidade de vir a


crescer, visto ser a nível nacional a zona com melhor clima sendo um
factor diferenciador, estar em contacto com o Mediterrâneo.
Com vista a reduzir a sazonalidade, a zona mais a Sul do nosso país resolveu
apostar no Turismo de Negócios e no Golfe tendo ainda o Turismo Náutico,
Resort's Integrados, Turismo Residencial e Saúde e Bem Estar como complemento.
Entendemos que destes quatro últimos, o Turismo Náutico seria aquele em que mais
se deveria apostar.
A Gastronomia e Vinhos, um dos recursos culturais mais importantes
do nosso país, não constando a nível estatístico no Algarve, deveria ser mais
um factor a apostar.

*core – os melhores produtos por região


Produtos VS Sazonalidade

LISBOA

O crescimento da Região de Lisboa, deverá ser sustentado nos produtos (NUT’s) –


Touring, City Break. No entanto concordamos que o produto Turismo de Negócios,
Gastronomia e Vinhos, Sol e Mar e Turismo Náutico (aproveitando a foz do rio Tejo e o
Oceano Atlântico) deveriam constituir uma aposta que visasse a diminuição da
sazonalidade da capital do nosso país. Curiosamente o recurso Gastronomia e Vinhos
representa o último nível estatístico no ranking* desta cidade, sendo este, na nossa
opinião, um recurso ao qual se deveria dar mais ênfase no sentido de melhorar a
qualidade da nossa oferta.

*ranking – escala, posto, linha, classificação, etc. …


Produtos VS Sazonalidade

MADEIRA

A Madeira tem o crescimento de curto/médio prazo, suportado nos produtos core* :


Touring, Sol e Mar (Porto Santo), Turismo Natureza e Turismo Náutico (Cruzeiros)
deverão contribuir para a redução da sazonalidade. Tendo esta ilha criado uma oferta
paralela com uma diversidade de produtos: Saúde e Bem Estar, Resort's Integrados,
Turismo Residencial e Golfe. Na nossa opinião, entendemos que se deveria dar uma
maior relutância à Gastronomia e Vinhos, visto as especialidades gastronómicas da ilha
da Madeira terem uma qualidade intrínseca apelando à curiosidade do visitante,
ajudando assim a reforçar a diminuição da sazonalidade.
Produtos VS Sazonalidade

NORTE

Os produtos potenciadores de crescimento a curto prazo na região do Porto e Norte são


o Touring , o Turismo de Natureza e o City Break, derivado a esta região ter cidades
autênticas, potenciadoras do City Break , como exemplo temos o vinho do porto e as
suas caves, bem como a arquitectura contemporânea desta zona.
As principais acções a desenvolver são as ZTIs (Zonas Turísticas de Interesse) no Porto
(zona Ribeirinha, Centro Histórico e Foz). Enriquecer a oferta de conteúdos nos museus
e monumentos e a Marketização das caves do vinho do Porto.
Produtos VS Sazonalidade

CENTRO

Os produtos potenciadores de crescimento para o Centro são: o Touring e o Turismo de


Natureza, sendo que, o Património Natural, Monumentos Históricos, Religiosos (Fátima),
Aldeias típicas, Parques Naturais e Grutas constituem os factores distintivos desta
região. Existindo também as principais e transversais acções a desenvolver.
As principais acções a desenvolver são:
- As rotas temáticas (Monges de Císter, Pastorinhos de Fátima, Vinho do Dão e
Pescadores) ;
- Recuperar e requalificar edifícios, núcleos históricos, paisagens naturais e promover a
recuperação e adaptação de edifícios classificados para unidades de alojamento (Hotéis
de Charme);
- Acções transversais que consistem em qualificar a oferta hoteleira, reforçar a qualidade
de serviço, ordenamento do território, protecção do ambiente e melhorar as
acessibilidades rodoviárias ( estradas secundárias).
O Touring e o Turismo de Natureza são complementados por cinco produtos, os Resort's
Integrados, Turismo Residencial, Golfe no pólo Oeste, Saúde e Bem Estar, Gastronomia e
Vinhos no conjunto da região. A destacar ainda, os pólos de desenvolvimento do Oeste e
da Serra da Estrela, assim como, a importância do crosselling com Lisboa (pólo Oeste) e
com o Porto para aumentar a percentagem de turismo estrangeiro e reduzir, assim, a
sazonalidade.
Produtos VS Sazonalidade

AÇORES

A aposta prioritária para o crescimento de curto prazo nos Açores incide nos
produtos Turismo de Natureza e Touring, sendo os factores distintivos, o
exotismo, património natural inexplorado, fauna marinha diversa (Ex: baleias),
nove ilhas com características diferentes, lagoas e vulcões. As principais acções a
desenvolver são: potenciar a criação de rotas terrestres e marítimas (Ex: subida ao
Pico), desenvolver miradouros e desenvolver as actividades marítimas e por fim as
transversais, que são o melhoramento das acessibilidades directas ao arquipélago
e entre ilhas e qualificar a oferta hoteleira desenvolvendo a oferta de charme e
cinco estrelas.
A diversificação da região deverá alicerçar-se na oferta em propostas de produtos
de Turismo Náutico, Saúde e Bem Estar e o Golfe como produto complementar,
reforçando a proposta de valor global do destino.
Produtos VS Sazonalidade

ALENTEJO

Os Produtos potenciadores de crescimento a curto prazo no Alentejo são o Touring, devido ao


seu Património Arqueológico e Arquitectónico, as suas aldeias típicas, aos seus castelos e
fortificações também devido à importância da (Ex: cidade de Évora). Através do Sol e Mar
existente na Costa Vicentina com as suas praias e falésias. O Golfe também contribuiu para esse
crescimento, uma vez que foram inseridos campos em Resort's de qualidade, que também
tiveram muito êxito devido ao clima ameno fora do período de Verão. O Turismo Náutico, a
Saúde e Bem Estar, o Turismo Residencial, a Gastronomia e Vinhos incluem-se em último lugar
mas não menos importante uma vez que a riqueza natural do litoral Alentejano contribuiu para
esse crescimento.

As principais acções a desenvolver são:


- Criar rotas de todos os produtos turísticos que têm para oferecer;
- Apostar na requalificação de Aldeias Típicas;
- Dar mais importância à protecção da orla costeira;
- Ordenar e qualificar mais praias e respectivos acessos;
- Promover o desenvolvimento de desportos náuticos e do Golfe no pólo Litoral Alentejano;
- Desenvolver a oferta de restaurantes , cafés, e comércio em geral;
- Promover o desenvolvimento da Hotelaria e do Turismo Náutico no pólo do Alqueva.

As acções transversais a desenvolver são:


- Requalificar a oferta hoteleira;
- Promover o desenvolvimento da oferta de animação diurna e nocturna.

Interesses relacionados