Você está na página 1de 1

SOL 1 de 1

Educação
Plataforma de Sindicatos acredita que maioria de professores
quer entendimento com Ministério
A Plataforma Sindical de Professores disse hoje acreditar que a maioria dos docentes concorda com o
entendimento sobre avaliação a assinar quinta-feira com o Ministério da Educação, admitindo não o
rubricar se essa for a vontade dos professores

3 comentários / 82 visitas

«Os professores sabem o que melhor os defende. Temos recebido inúmeras manifestações favoráveis à
assinatura. Os professores sabem que [o entendimento] não resolve os problemas do sistema educativo, não
revoga a avaliação, mas a sua não assinatura também não» , disse Mário Nogueira, porta-voz da plataforma
sindical e secretário-geral da Federação Nacional de Sindicatos da Educação (FENPROF).

O responsável admitiu contudo não rubricar o documento se, durante o dia de terça-feira, quando este for explicado aos
docentes em escolas de todo o país, estes se manifestarem contra a assinatura.

«Só admitimos não assinar se durante o dia de amanhã [terça-feira] os professores nos disserem que não se
revêem no entendimento» , disse Mário Nogueira, sublinhando não acreditar que esse seja o entendimento dos
docentes.

Mário Nogueira reagia assim às críticas de alguns movimentos de professores, que acusam a plataforma sindical de ter
cedido ao Ministério da Educação (ME) na questão da avaliação de desempenho dos docentes.

O Ministério da Educação (ME) e os sindicatos de professores concordaram sábado que este ano lectivo a avaliação de
desempenho dos professores terá apenas em conta quatro parâmetros, aplicados de igual forma em todas as escolas.

De acordo com um documento distribuído no final de uma reunião de mais de sete horas, entre a equipa ministerial e a
plataforma sindical, a ficha de auto-avaliação, a assiduidade, o cumprimento do serviço distribuído e a participação em
acções de formação contínua, quando obrigatória, serão os únicos critérios a ter em conta.

Para o dirigente sindical, não assinar o entendimento seria assumir uma «atitude autista» que não protegeria os
professores.

Mário Nogueira destacou ainda o facto de o entendimento com o ME permitir que os sindicatos acompanhem a aplicação
do modelo de avaliação, tendo assento numa comissão paritária que se destinará a preparar negociações para alteração do
modelo.

Apesar do entendimento alcançado com o ME, mantêm-se as concentrações de professores agendadas para hoje no Norte,
nomeadamente no Porto, Braga, Vila Real, Bragança e Viana do Castelo.

A declaração conjunta do Ministério da Educação e da Plataforma Sindical de Professores, que irá conter o entendimento
alcançado, será assinada quinta-feira, às 11h00, nas instalações do Conselho Nacional da Educação.

Antes, na terça-feira, realiza-se em todas as escolas o Dia D, de reflexão, onde serão discutidos com os professores os
conteúdos do documento elaborado, e a partir dessa «ratificação» os sindicatos poderão suspender as restantes acções,
se for essa a vontade dos professores.

Lusa / SOL

http://sol.sapo.pt/Common/print.aspx