Você está na página 1de 33
ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO
ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005
ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005
REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO
REQUISITOS
PARA
ACREDITAÇÃO
ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO
OBJETIVO  Demonstrar a documentação básica necessária para atender aos requisitos de acreditação para ensaios.
OBJETIVO
OBJETIVO

Demonstrar a documentação básica necessária para atender aos requisitos de acreditação para ensaios.

OBJETIVO  Demonstrar a documentação básica necessária para atender aos requisitos de acreditação para ensaios.
ISO 9001 X ISO 17025 ISO 9001 ISO 17025 Abordagem Sistema de Gestão da Qualidade

ISO 9001 X ISO 17025

ISO 9001

ISO 17025

Abordagem

Sistema de

Gestão da

Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade

Competência

técnica

Abrangência

Certificação do Sistema da Qualidade de Empresas

Acreditação de Laboratórios de Calibração (RBC) e Ensaio (RBLE)

RBC Rede Brasileira de Calibração

RBLE Rede Brasileira de Laboratórios de Ensaios

(RBC) e Ensaio (RBLE) RBC – Rede Brasileira de Calibração RBLE – Rede Brasileira de Laboratórios
ACREDITAÇÃO X CERTIFICAÇÃO Acreditação é o procedimento pelo qual um organismo oficial e imparcial reconhece

ACREDITAÇÃO X CERTIFICAÇÃO

Acreditação é o procedimento pelo qual um organismo oficial e imparcial reconhece

formalmente que um laboratório, instituição ou pessoa é competente para realizar tarefas

específicas.

Certificação é o procedimento pelo qual um

organismo imparcial acreditado atesta por escrito que o sistema da qualidade, produto, processo ou serviço está conforme requisitos especificados.

atesta por escrito que o sistema da qualidade, produto, processo ou serviço está conforme requisitos especificados.
ORGANISMO ACREDITADOR OFICIAL NO BRASIL INMETRO - INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA,QUALIDADE E TECNOLOGIA Etapas da

ORGANISMO ACREDITADOR OFICIAL NO BRASIL

INMETRO - INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA,QUALIDADE E TECNOLOGIA

Etapas da Acreditação

1- Solicitação

Análise da documentação

Visita de pré-avaliação (se necessário)

Auditoria de medição (para laboratórios de calibração)

2-Avaliação inicial

3-Formalização

4-Manutenção

Auditoria de medição (para laboratórios de calibração) 2-Avaliação inicial 3-Formalização 4-Manutenção
SIGLAS E ABREVIATURAS  ABNT: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS  DICLA: DIVISÃO DE ACREDITAÇÃO
SIGLAS E ABREVIATURAS
SIGLAS E ABREVIATURAS

ABNT: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS

DICLA: DIVISÃO DE ACREDITAÇÃO DE LABORATÓRIOS E DE

PROVEDORES DE ENSAIO DE PROFICIÊNCIA

DQUAL: DIRETORIA DE ACREDITAÇÃO E QUALIDADE

DICOR: DIVISÃO DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS

IEC: INTERNATIONAL ELECTROTECHNICAL COMMISSION

ILAC: INTERNATIONAL LABORATORY ACCREDITATION

COOPERATION

INMETRO: INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E

TECNOLOGIA (MUDANÇA RECENTE DO NOME)

ISO: INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION

NIT: NORMA INMETRO TÉCNICA

NIE: NORMA INMETRO ESPECÍFICA

EA: EUROPEAN COOPERATION FOR ACCREDITATION

APLAC: ASIA PACIFIC LABORATORY ACCREDITATION COOPERATION

ESPECÍFICA  EA: EUROPEAN COOPERATION FOR ACCREDITATION  APLAC: ASIA PACIFIC LABORATORY ACCREDITATION COOPERATION
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO
ESTRUTURA DOS DOCUMENTOS
ESTRUTURA DOS DOCUMENTOS
NÍVEL DE DETALHAMENTO MANUAL DA QUALIDADE
NÍVEL DE DETALHAMENTO
MANUAL DA
QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTOS
PROCEDIMENTOS

DEPARTAMENTOS DA ORGANIZAÇÃO

MÉTODOS ANALÍTICOS - POPs
MÉTODOS ANALÍTICOS - POPs
INSTRUÇÕES
INSTRUÇÕES

LABORATÓRIOS

DEPARTAMENTOS

SETORES

TODOS

DA ORGANIZAÇÃO MÉTODOS ANALÍTICOS - POPs INSTRUÇÕES LABORATÓRIOS DEPARTAMENTOS SETORES TODOS REGISTROS DA QUALIDADE
REGISTROS DA QUALIDADE
REGISTROS DA QUALIDADE
DA ORGANIZAÇÃO MÉTODOS ANALÍTICOS - POPs INSTRUÇÕES LABORATÓRIOS DEPARTAMENTOS SETORES TODOS REGISTROS DA QUALIDADE
DOCUMENTAÇÃO MANUAL DA QUALIDADE POLÍTICAS ESCOPO (INCLUINDO POLÍTICA DA QUALIDADE) SGQ ISO/IEC 17025
DOCUMENTAÇÃO
MANUAL DA
QUALIDADE
POLÍTICAS
ESCOPO
(INCLUINDO POLÍTICA
DA QUALIDADE)
SGQ ISO/IEC 17025
(INCLUINDO POLÍTICA DA QUALIDADE) SGQ ISO/IEC 17025 MÉTODOS (POPs) INSTRUÇÕES DE TRABALHO PROCEDI-

MÉTODOS

(POPs)

DA QUALIDADE) SGQ ISO/IEC 17025 MÉTODOS (POPs) INSTRUÇÕES DE TRABALHO PROCEDI- MENTOS REGISTROS

INSTRUÇÕES

DE

TRABALHO

QUALIDADE) SGQ ISO/IEC 17025 MÉTODOS (POPs) INSTRUÇÕES DE TRABALHO PROCEDI- MENTOS REGISTROS DA QUALIDADE

PROCEDI-

MENTOS

QUALIDADE) SGQ ISO/IEC 17025 MÉTODOS (POPs) INSTRUÇÕES DE TRABALHO PROCEDI- MENTOS REGISTROS DA QUALIDADE

REGISTROS

DA

QUALIDADE

QUALIDADE) SGQ ISO/IEC 17025 MÉTODOS (POPs) INSTRUÇÕES DE TRABALHO PROCEDI- MENTOS REGISTROS DA QUALIDADE
DOCUMENTAÇÃO
DOCUMENTAÇÃO

MANUAL DA QUALIDADE

Requisito 4.2.2 da ABNT NBR ISO/IEC 17025.

9 Políticas.

Política da Qualidade

4.1.5.c: Assegurar proteção das informações confidenciais e direitos de propriedade de seus clientes;

4.1.5.d: Evitar envolvimento em quaisquer atividades que poderiam diminuir a confiança na sua competência, imparcialidade, julgamento ou integridade operacional;

4.4: Análise Crítica de Pedidos, Propostas e Contratos;

4.6: Aquisição;

4.8: Reclamações;

4.9: Trabalho de Ensaio Não Conforme;

4.11: Ação Corretiva;

5.2.2: Identificação de Necessidades de Treinamento.

Trabalho de Ensaio Não Conforme;  4.11: Ação Corretiva;  5.2.2: Identificação de Necessidades de Treinamento.
DOCUMENTAÇÃO
DOCUMENTAÇÃO

MANUAL DA QUALIDADE

Requisito 4.2.5 da ABNT NBR ISO/IEC 17025.

Deve

incluir

ou

fazer

referência

aos

procedimentos

complementares, incluindo procedimentos técnicos.

A estrutura da documentação deve estar descrita no Manual da Qualidade. Definir cada um dos componentes da estrutura estabelecida pelo laboratório. Por exemplo:

o que é o Manual da Qualidade?

o que é um procedimento?

o que é um POP (método)?

o que é um formulário?

o que é um documento externo?

o que é um registro?

o que é um POP (método)? • o que é um formulário? • o que é
DOCUMENTAÇÃO
DOCUMENTAÇÃO

MANUAL DA QUALIDADE

Requisito 4.2.6 da ABNT NBR ISO/IEC 17025.

Deve incluir atribuições e responsabilidades:

GERENTE DA

QUALIDADE

GERÊNCIA

TÉCNICA

• 1 GERENTE DA QUALIDADE • ATRIBUIÇÕES • RESPONSABILIDADES
• 1 GERENTE DA QUALIDADE
• ATRIBUIÇÕES
• RESPONSABILIDADES
DA QUALIDADE • ATRIBUIÇÕES • RESPONSABILIDADES • PODE SER MAIS DE UM (P.E.: POR ÁREA TÉCNICA)

PODE SER MAIS DE UM (P.E.: POR ÁREA TÉCNICA)

ATRIBUIÇÕES

RESPONSABILIDADES

RESPONSABILIDADES • PODE SER MAIS DE UM (P.E.: POR ÁREA TÉCNICA) • ATRIBUIÇÕES • RESPONSABILIDADES
DOCUMENTAÇÃO
DOCUMENTAÇÃO

PROCEDIMENTOS

Um ou mais por requisito da ABNT NBR ISO/IEC 17025.

Devem

estar

ou

serem

referenciados

no

Manual

Qualidade.

da

Devem ser aprovados por funções definidas pelo laboratório, conforme procedimento para Controle de Documentos. (Requisito 4.3.2.2 da NBR ISO/IEC 17025)

Devem conter cabeçalho padronizado, número de páginas, data da revisão e/ou número da revisão, data da emissão, número total de páginas e/ou uma marca indicando o final do documento e as autoridades emitentes. (Requisito 4.3.2.3 da NBR ISO/IEC 17025)

e/ou uma marca indicando o final do documento e as autoridades emitentes. (Requisito 4.3.2.3 da NBR
e/ou uma marca indicando o final do documento e as autoridades emitentes. (Requisito 4.3.2.3 da NBR
DOCUMENTAÇÃO LISTA MESTRA OU PROCEDIMENTO EQUIVALENTE Requisito 4.3.2.1 da ABNT NBR ISO/IEC 17025.  Para
DOCUMENTAÇÃO
DOCUMENTAÇÃO

LISTA MESTRA OU PROCEDIMENTO EQUIVALENTE Requisito 4.3.2.1 da ABNT NBR ISO/IEC 17025.

Para controlar os documentos. Deve, no mínimo:

Identificar a situação da revisão atual dos documentos.

Distribuição dos documentos.

Deve, no mínimo:  Identificar a situação da revisão atual dos documentos.  Distribuição dos documentos.
Deve, no mínimo:  Identificar a situação da revisão atual dos documentos.  Distribuição dos documentos.
ACREDITAÇÃO SÃO CRITÉRIOS DE ACREDITAÇÃO  REQUISITOS DA ABNT NBR ISO/IEC 17025.  NIE-CGCRE: NORMA
ACREDITAÇÃO
ACREDITAÇÃO

SÃO CRITÉRIOS DE ACREDITAÇÃO

REQUISITOS DA ABNT NBR ISO/IEC 17025.

NIE-CGCRE: NORMA INMETRO ESPECÍFICA- COORDENADORIA GERAL DE ACREDITAÇÃO.

NIT-DICLA: NORMA INMETRO TÉCNICA-DIVISÃO DE ACREDITAÇÃO DE LABORATÓRIOS.

COORDENADORIA GERAL DE ACREDITAÇÃO.  NIT-DICLA: NORMA INMETRO TÉCNICA-DIVISÃO DE ACREDITAÇÃO DE LABORATÓRIOS.
 DOQ-CGCRE: DOCUMENTO ORIENTATIVO DA QUALIDADE-COORDENADORIA GERAL DE ACREDITAÇÃO. SÃO

DOQ-CGCRE:

DOCUMENTO

ORIENTATIVO

DA

QUALIDADE-COORDENADORIA

GERAL

DE

ACREDITAÇÃO.

SÃO ORIENTATIVOS.
SÃO ORIENTATIVOS.
SE O LABORATÓRIO OS SEGUIR, ATENDE AOS CRITÉRIOS DE ACREDITAÇÃO. SE NÃO OS SEGUIR, DEVE
SE O LABORATÓRIO OS SEGUIR, ATENDE AOS
CRITÉRIOS DE ACREDITAÇÃO. SE NÃO OS SEGUIR,
DEVE DEMONSTRAR QUE A FORMA QUE FAZ, ATENDE
AOS CRITÉRIOS.
ATENDE AOS CRITÉRIOS DE ACREDITAÇÃO. SE NÃO OS SEGUIR, DEVE DEMONSTRAR QUE A FORMA QUE FAZ,
FOR-CGCRE-017 - Relação de documentos para solicitação da acreditação/extensão de laboratórios de ensaio, de

FOR-CGCRE-017 - Relação de documentos para solicitação da acreditação/extensão de laboratórios de ensaio, de acordo com a norma ABNT NBR ISO/IEC

17025

Este formulário é um registro da documentação que está sendo encaminhada pelo laboratório à Dicla,

relativa à solicitação de acreditação/extensão da

acreditação no sistema orquestra sob o nº acima referenciado, devendo acompanhar a documentação. Para que haja uma correlação da documentação encaminhada com a solicitação no sistema orquestra

é imprescindível que seja preenchido o campo “Nº

do orquestra”. Caso não seja preenchido, a documentação será devolvida.

que seja preenchido o campo “Nº do orquestra” . Caso não seja preenchido, a documentação será
FOR-CGCRE-017  A documentação deve ser encaminhada em meio físico pelo correio, acompanhada de cópia

FOR-CGCRE-017

A documentação deve ser encaminhada em meio físico pelo correio, acompanhada de cópia em CD, para o seguinte endereço: Inmetro/Cgcre/Dicla localizado na Rua Santa Alexandrina, 416, 7º andar, Rio Comprido, CEP: 20.261-232 Rio de Janeiro RJ, podendo ser entregue em mãos neste endereço.

O laboratório deve encaminhar a documentação conforme a ordenação proposta neste formulário, para facilitar a verificação da completeza por parte da

Dicla e, consequentemente, reduzir o tempo da

concessão da acreditação/extensão da acreditação. Deve ser distribuída em anexos numerados e separados de forma que permita a pronta identificação da documentação encaminhada.

distribuída em anexos numerados e separados de forma que permita a pronta identificação da documentação encaminhada.
FOR-CGCRE-017  A documentação será devolvida e o processo de solicitação no sistema orquestra arquivado,

FOR-CGCRE-017

A documentação será devolvida e o processo de solicitação no sistema orquestra arquivado, caso não seja atendido o que está estabelecido neste formulário.

No caso de documentação incompleta, o laboratório será informado pela Dicla, por meio do sistema orquestra, e terá um prazo de 20 (vinte) dias, contados a partir da comunicação, para encaminhar a documentação complementar, acompanhada de um novo formulário FOR-Cgcre-017 preenchido. O não encaminhamento no prazo estabelecido implicará no arquivamento da solicitação e na devolução da documentação.

não encaminhamento no prazo estabelecido implicará no arquivamento da solicitação e na devolução da documentação.
FOR-CGCRE-017  Formulário FOR-Cgcre-012 – Proposta de Escopo para Ensaio, preenchido de acordo com a

FOR-CGCRE-017

Formulário FOR-Cgcre-012 Proposta de Escopo para Ensaio, preenchido de acordo com a NIT-Dicla-016

Obs.: Se o laboratório realiza amostragem para os casos previstos na NIT-DICLA-057 (Água, Matrizes Ambientais), a amostragem deve ser incluída no

FOR-Cgcre-012.

02

(duas)

vias

do

Termo

de

compromisso

da

Acreditação TCA (MOD-Cgcre-001) (*)

(*) O TCA está disponibilizado no sítio:

http://www.inmetro.gov.br/credenciamento/laboratorio

s/calibEnsaios.asp

(*) (*) O TCA está disponibilizado no sítio: http://www.inmetro.gov.br/credenciamento/laboratorio s/calibEnsaios.asp
FOR-CGCRE-017  Cópia do Contrato Social Registrado ou documento equivalente de Constituição Legal da Organização.

FOR-CGCRE-017

Cópia

do

Contrato

Social

Registrado

ou

documento

equivalente de Constituição Legal da Organização.

Cópia

da

Carteira

de

Identidade

e

do

CPF

do

Representante Legal que assina o TCA.

Cópia do Manual da Qualidade do laboratório.

Cópia

do

Manual

da

Qualidade

da

Unidade(s)

hierarquicamente superior, se existir (por exemplo:

Manual da Qualidade ISO 9001 da organização).

Correlação dos itens do Manual da Qualidade com a ABNT NBR ISO/IEC 17025 (se necessário).

Lista Mestra de Documentos.

dos itens do Manual da Qualidade com a ABNT NBR ISO/IEC 17025 (se necessário).  Lista
FOR-CGCRE-017  Formulário FOR-Cgcre-008 → informações sobre a participação do Laboratório em Atividades de

FOR-CGCRE-017

Formulário FOR-Cgcre-008 informações sobre a participação do Laboratório em Atividades de Ensaio de Proficiência, conforme NIT-Dicla-026.

Plano de Participação em Atividades de Ensaios de Proficiência, conforme requerido na NIT-DICLA-026.

Relação dos “Certificados de Registro de Licenciamento de Veículos” de cada veículo utilizado como Laboratório Móvel.

Cópia

de

dos

“Certificados de Registro

Licenciamento de Veículos”.

utilizado como Laboratório Móvel.  Cópia de dos “Certificados de Registro Licenciamento de Veículos” .
FOR-CGCRE-017  Relação das normas e/ou procedimentos técnicos para os serviços de ensaio e amostragem

FOR-CGCRE-017

Relação das normas e/ou

procedimentos técnicos para

os serviços de ensaio e amostragem citados no FOR-

Cgcre-012.

Obs.: A apresentação em cada anexo deve ser na mesma ordem que estão listados os serviços de ensaio no FOR-Cgcre-012.

dos

Normas

e/ou

cópia

procedimentos técnicos.

ordem que estão listados os serviços de ensaio no FOR-Cgcre-012. dos  Normas e/ou cópia procedimentos
ordem que estão listados os serviços de ensaio no FOR-Cgcre-012. dos  Normas e/ou cópia procedimentos
FOR-CGCRE-017  Relação dos Procedimentos de Estimativa de Incerteza de Medição e das Memórias de

FOR-CGCRE-017

Relação dos Procedimentos de Estimativa de Incerteza de Medição e das Memórias de Cálculo (planilhas) de estimativa de incerteza de medição para os serviços de ensaio citado no FOR-Cgcre-012. Quando aplicável,

associando cada procedimento e cada memória de

cálculo ao(s) serviço(s).

Observações:

A apresentação em cada anexo deve ser na mesma

ordem que estão listados os serviços de ensaio no

FOR-Cgcre-012.

Identificar na relação os serviços em que não se aplicam a estimativa de incerteza de medição.

FOR-Cgcre-012.  Identificar na relação os serviços em que não se aplicam a estimativa de incerteza
FOR-CGCRE-017  Cópia dos procedimentos de Estimativa de Incerteza de Medição e das Memórias de

FOR-CGCRE-017

Cópia dos procedimentos de Estimativa de Incerteza de Medição e das Memórias de cálculo (planilhas) da estimativa de Incerteza de medição.

Relação das memórias de cálculo (planilhas) ou outras evidências dos valores declarados para o limite de quantificação ou faixas de trabalho para os serviços

de ensaio citados no FOR-Cgcre-012 que fizerem

menção a estes valores.

Obs.: A apresentação em cada anexo deve ser feita na mesma ordem que estão listados os serviços de ensaios no FOR-Cgcre-012.

Cópia das planilhas de cálculo ou outras evidências dos valores declarados para o limite de quantificação ou faixas de trabalho.

planilhas de cálculo ou outras evidências dos valores declarados para o limite de quantificação ou faixas
FOR-CGCRE-017  Relação dos materiais de referência e equipamentos contendo descrição do material de referência

FOR-CGCRE-017

Relação dos materiais de referência e equipamentos contendo descrição do material de referência ou do equipamento nº do certificado ou declaração do material de

referência ou nº do certificado do equipamento

que tenha efeito significativo sobre o resultado do ensaio; descrição das características técnicas; e os serviços de ensaios citados no FOR-Cgcre-012 nos quais o material de

referência ou equipamento é utilizado.

quais o material de referência ou equipamento é utilizado.  Cópia dos certificados de calibração dos

Cópia dos certificados de calibração dos equipamentos que tenham efeitos significativos sobre os resultados de ensaios e dos certificados dos materiais de referência.

que tenham efeitos significativos sobre os resultados de ensaios e dos certificados dos materiais de referência.
RASTREABILIDADE – NIT-DICLA-030  Para assegurar que as medições feitas sejam rastreáveis ao SI, o

RASTREABILIDADE NIT-DICLA-030

Para assegurar que as medições feitas sejam rastreáveis ao SI, o laboratório deve garantir que a

calibração de seus padrões de referência e de seus

instrumentos que precisem ser calibrados externamente seja realizada em laboratórios que possam demonstrar competência, capacidade de medição e rastreabilidade para a calibração

específica que for executada.

Visando assegurar que as medições feitas no laboratório tenham a rastreabilidade metrológica estabelecida, a Cgcre exige que o laboratório utilize materiais de referência produzidos pelas seguintes organizações:

estabelecida, a Cgcre exige que o laboratório utilize materiais de referência produzidos pelas seguintes organizações:
RASTREABILIDADE – NIT-DICLA-030  Laboratórios integrantes da Diretoria de metrologia Científica e Industrial do

RASTREABILIDADE NIT-DICLA-030

Laboratórios integrantes da Diretoria de metrologia Científica e Industrial do Instituto Nacional de

Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro);

Laboratórios brasileiros designados pelo Inmetro a serem signatários do acordo de reconhecimento mútuo do CIPM (Comitê Internacional de Pesos e Medidas) ;

Institutos Nacionais de Metrologia de outros países que sejam signatários do Acordo de Reconhecimento Mútuo do CIPM;

Produtores de materiais de referência que sejam acreditados para essa modalidade específica, por Organismos de Acreditação de Laboratórios signatários dos Acordos de Reconhecimento Mútuo da ILAC e/ou da EA e/ou da APLAC.

de Acreditação de Laboratórios signatários dos Acordos de Reconhecimento Mútuo da ILAC e/ou da EA e/ou
MATERIAIS DE REFERÊNCIA – NIT-DICLA-030  Na falta de materiais de referência disponíveis pelas organizações

MATERIAIS DE REFERÊNCIA NIT-DICLA-030

Na falta de materiais de referência disponíveis pelas organizações citadas acima, o laboratório deve adquirir materiais de referência de produtores que disponibilizem informações relevantes quanto à

incerteza associada e a rastreabilidade metrológica

do material.

O (s) valor (es) de propriedade (s) certificado (s) é (são) de responsabilidade e competência exclusivas da organização que assina o certificado do material de referência, não sendo cabível qualquer procedimento de recertificação por parte de terceiros, para revalidar o (s) valor (es) de propriedade (s) certificado (s).

de recertificação por parte de terceiros, para revalidar o (s) valor (es) de propriedade (s) certificado
MATERIAIS DE REFERÊNCIA – NIT-DICLA-030  No caso de materiais de referência que NÃO SEJAM

MATERIAIS DE REFERÊNCIA NIT-DICLA-030

No caso de materiais de referência que NÃO SEJAM MATERIAIS DE REFERÊNCIA CERTIFICADOS, a utilização destes por períodos superiores ao estabelecido pela organização que o produza ou o comercialize PODE SER FEITA PELO LABORATÓRIO

QUE

OS

ADQUIRIU,

DESDE

QUE

SEJA

COMPROVADA

A

HOMOGENEIDADE

E

A

ESTABILIDADE DO MATERIAL EM RELAÇÃO À (S) PROPRIEDADE (S) RELACIONADA (S) AO SEU USO NO PROCESSO DE MEDIÇÃO.

E A ESTABILIDADE DO MATERIAL EM RELAÇÃO À (S) PROPRIEDADE (S) RELACIONADA (S) AO SEU USO
E A ESTABILIDADE DO MATERIAL EM RELAÇÃO À (S) PROPRIEDADE (S) RELACIONADA (S) AO SEU USO
E A ESTABILIDADE DO MATERIAL EM RELAÇÃO À (S) PROPRIEDADE (S) RELACIONADA (S) AO SEU USO
MUITO OBRIGADA! fatima@consultlabor.com.br
MUITO OBRIGADA!
MUITO
OBRIGADA!
fatima@consultlabor.com.br
fatima@consultlabor.com.br
MUITO OBRIGADA! fatima@consultlabor.com.br